TRENDNet TV-IP422W – Câmara IP Wireless com audio de 2 vias


Neste artigo iremos falar sobre uma câmara de vídeo-vigilância IP wireless, capaz de comunicação áudio de 2 vias e movimentação livre por intermédio de um motor interno, o denominado PTZ (Pan, Tilt, Zoom)A câmara nas fotos é a TV-IP 422w, um produto da Trendnet, uma marca Americana sediada na Califórnia com 17 anos de experiência no ramo, possuindo filiais na América central, América do Sul, Europa e Ásia. Tal como outras câmaras desta empresa, estas são consideradas produtos de vídeo-vigilância profissionais, podendo ser encontradas em sites de empresas dedicadas e especializadas na venda deste tipo de produtos.O modelo em causa, foi analisado por 32 pessoas no site TESTFREAKS, estando a sua avaliação actual nos 8,8 valores. Dada a gama de preços em que se situa (270 euros), esta é, comparativamente a modelos profissionais bem mais caros, uma avaliação extraordinária.

IMAGEM DIURNA E NOCTURNA

Publicidade

Retomando o nosso artigo

A TV-IP422w é uma câmara wireless, suportando as normas 802.11b e 802.11g. Está equipada com 32 MB de ram e um processador ARM 9, que lhe permitem total autonomia de funcionamento. Possuindo sete lâmpadas de infravermelhos, e uma lente adaptada a estes (IR coating), esta é uma câmara capaz de filmar de dia e de noite, anunciado a marca uma visão nocturna perfeita até 5m (8 m de alcance), com 0 lux. Possui igualmente sensor de luminosidade para activação automática dos infravermelhos.

CARACTERISTICAS E LIGAÇÕES

Olhando para a frente da câmara podemos ver o sensor de luminosidade (lâmpada de menores dimensões junto à lente), e várias lâmpadas de infravermelhos.

Na parte frontal existem duas luzes de operação (funcionamento – laranja e rede – verde), e um pequeno microfone para captação de áudio.

A lente possui capacidade de rotação, com 330º na horizontal e 105º na vertical, e 64º de visualização o que permite uma excelente cobertura.

A câmara pode memorizar até 8 ângulos de visualização que são assumidos com um simples click de rato no respectivo local do menu principal. A opção de auto patrulha permite-lhe correr todos os ângulos pré definidos, o que é feito igualmente com um único click. A câmara pode ainda ser movida livremente pelo utilizador com ângulos de viragem por click definidos pelo utilizador, e fazer zoom até 3x. A focagem da lente é manual.


Menu Principal

A TV-IP422w é um aparelho bastante sólido e com uma qualidade de construção que inspira confiança. O seu motor é rápido e silencioso.

Nas traseiras da câmara podemos ver uma porta ethernet 10/100 Mbits, uma porta GPIO, a ligação para a antena Wireless, o adaptador de energia para ligação do transformador, e uma saída áudio na forma de um jack de 3.5mm.

Para finalizar as ligações da TV-IP422w temos a porta USB situada na lateral da mesma. Esta possui três funções: Actualizações de firmware, obtenção de dados automáticos de rede para configuração de redes Windows, e como ligação de uma drive USB. Esta ligação permite tornar a unidade totalmente autónoma, sem a necessidade de Internet, de um PC ou qualquer outro hardware externo para a captação e armazenamento de imagens.

A EMBALAGEM

No interior da caixa da TV-IP422w podemos encontrar um manual, um apoio metálico para a montagem no tecto ou parede, com os respectivos parafusos, um terminal GPIO, um transformador, e o CD com o software de monitorização da câmara, o Secure View (de uso opcional), um software de vídeo-vigilância remota profissional.

A INSTALAÇÃO

Após a colocação da antena na parte traseira, e a ligação à tomada, a IP422w está pronta para ser usada. O primeiro passo é a atribuição de um IP, o que convêm ser feito com a câmara ligada em rede por cabo. Para tal usamos o software IPSETUP fornecido.

Este software vai indicar o IP actual da câmara, bem como o seu MAC ADRESS, necessário para eventual autorização no router no caso de limitações de acesso a MAC ADRESS.

A partir daqui configuramos o novo IP da câmara e o resto dos parâmetros para acesso à rede, bem como o username e a password de administração. Outras passwords de menor acesso (utilizadores e convidados) poderão ser configuradas posteriormente.

CONFIGURAÇÕES AVANÇADAS

Uma vez a câmara com um IP atribuído e toda a configuração feita, esta pode ser acedida via wireless. O acesso deverá preferencialmente ser feito com o uso do Internet Explorer, dado que certas opções não essenciais e que podem ser activadas remotamente de forma opcional, como a comunicação áudio, recepção áudio, captura de vídeo, captura de frames e funções de Zoom só estão disponíveis nesse browser por utilizarem comandos active X.

Explicite-se que esta restrição de browser em nada limita o funcionamento da câmara, dado estarmos a falar de funções remotas opcionais e normalmente relacionadas com a vídeo?vigilância activa, isto é, aquela que é observada por um controlador 24h por dia. Ora normalmente esse tipo de vigilância usará o Secure View fornecido ou outro software profissional, e não um mero browser, dai que não podemos considerar o facto de apenas o IE ser suportado para essa funções como um handicap dos restantes browsers, mas sim um extra apenas presente ai.

De resto, todas as configurações e funcionalidades da câmara e podem ser acedidas de qualquer browser com suporte JAVA. O menu principal  apresenta o seguinte aspecto.

Aqui vemos as opções de zoom, o botão Nightmode que permite forçar o uso dos infravermelhos, a escolha do tipo de output vídeo para streaming para computador (Mpeg4 ou Mjpeg). Existe ainda uma opção 3Gpp para telemóveis configurada noutro local.

Vê-se igualmente os botões de controlo de rotação da câmara e os 8 botões configuráveis com ângulos de visão e que podem ser percorridos sequencialmente com a opção Auto-Patrol.

A opção “Manual Record” inicia no computador que está a visualizar uma gravação do streaming vídeo, ao passo que a opção “Snapshot” captura uma imagem fixa. A opção Browse permite seleccionar no disco o local onde essas gravações serão efectuadas.

O botão “Talk” acciona o envio de áudio para a câmara, o “Listen” permite a recepção do áudio capturado pela câmara e o botão “Trigger Out” acciona um sistema de alarme que eventualmente esteja ligado à câmara.

Acedendo ao “SETUP” podemos começar a configurar a câmara.

A primeira opção presente, o “SMART WIZARD” permite de uma forma simples configurar toda a câmara. No entanto não a vamos abordar pois pretendemos analisar a fundo as configurações existentes.

No menu “Basic” temos como primeira opção o “System”, onde podemos atribuir um nome à câmara e definir se queremos activar ou desactivar as luzes de funcionamento.

“Date and Time” permite acertar o relógio da câmara. Esta operação pode ser realizada manualmente, através de sincronizações com o PC ou, melhor ainda, de forma automática através de um servidor NTP.

Na secção de utilizadores “User” podemos criar utilizadores diversos. Se a password e utilizador de administração são únicos, os restantes são criados em número ilimitado pelo utilizador.

Os três níveis de acesso são os seguintes:

Administrador – Controlo total sobre todos os aspectos da câmara, incluído configuração.

Utilizador – Controlo sobre todos os aspectos indicados no ecrã de boas vindas, sendo apenas negado o acesso à zona de configuração (setup).

Convidado – Pode ver o streaming vídeo, mas não possui qualquer controlo sobre a câmara.

Passando para a secção “Network”, temos o seguinte ecrã:

Aqui temos acesso a todos os aspectos da rede, bem como da configuração de um sistema de DDNS que permitirá o acesso remoto à câmara sem necessitar se saber qual o IP de rede atribuído. As portas para HTTP e RTSP podem ser mudadas, devendo o router ser configurado de acordo com as opções.

Na opção “IP Filter” podemos também seleccionar quais os IP’s da rede que tem acesso à câmara, filtrando assim acessos internos indesejados.

Finalmente a secção de configuração da rede wireless, onde configuraremos o tipo de protecção WEP, WPA ou WPA2, a chave a usar (64 bits ou 128 bits), o tipo de chave (ASCII ou Hexadecimal), etc, etc.

Todas estas configurações são extremamente simples e funcionarão imediatamente. Recomenda-se porém que, em “Network”, no preenchimento do IP, Máscara de Rede e Gateway se proceda igualmente à introdução do IP do router como DNS primário, sob pena de as funções de FTP e SMTP, analisadas mais à frente, não funcionarem correctamente.

Entremos agora na secção “PAN/TILT”

Tal como referido anteriormente, o ângulo de rotação por click efectuado nas setas de movimentação da câmara presentes no menu principal é definido pelo utilizador. Essa configuração é feita aqui, com valores que podem variar entre 1º a 20º.

É igualmente configurável o tempo de pausa em cada uma das 8 memórias de ângulos de visualização quando se activa a auto patrulha.

Na secção Vídeo/Áudio temos as opções “Camera”, “Vídeo” e “Áudio”. Analisemos as mesmas:

Na opção “Camera” temos ajuste de brilho, contraste e saturação. Aqui podemos igualmente fazer um “mirror “da imagem quer vertical quer horizontal, de forma a ajustar a mesma à posição em que a câmara foi colocada (topo de móvel, tecto ou parede)

A frequência da luz é também definível, podendo optar-se por iluminação de 50hz ou 60 Hz de frequência, ou luz exterior.

Podemos ainda incluir a data e as horas sobre o “stream” vídeo, bem como activar a opção de opacidade para colocar um fundo preto sobre estes valores caso os mesmos não consigam sobressair.

A opção “Vídeo” trata da configuração dos Streamings Vídeo, sendo que esta câmara permite a saída do vídeo em três formatos diferentes, Mjpeg, Mpeg4 e 3Gpp.

Como podemos ver Mjpeg e Mpeg4 são transmitidos a 640*480 30 fps. O stream 3Gp, optimizado para telemóveis, e que pode ser visionado em quase todos sem software adicional dado ser um standard, inclui a opção de envio de áudio.

A opção “Áudio” apenas permite activar ou desactivar o microfone interno da câmara, bem como a saída áudio da mesma, regulando-se o volume num valor de 0 a 100.

Passemos para “Event Server” onde poderemos configurar o servidor de e-mail, de ftp, e um disco/pen drive de rede para receberem imagens em caso de eventos detectados pela câmara. O suporte a discos de rede é feito por intermédio do protocolo SAMBA.

Note-se que a gravação de sequências vídeo só pode ser feita de forma automatizada para um destes meios de armazenamento, sendo que para FTP ou SMTP apenas podem ser enviadas imagens fixas.

Surge aqui a oportunidade para a explicação da frase anterior, segundo a qual esta câmara não requer Internet para continuar a fazer registos. É que efectivamente, na falta de serviço Internet, apesar de impossibilitada de enviar e-mails ou imagens para FTP, a TV-IP422w pode continuar a gravar imagens ou vídeo para um disco/pen USB ou um disco/pen de rede.

Uma nota sobre o SMTP: Dado que o protocolo SSL não é suportado, não poderão ser usados servidores de e-mail que utilizem essa autenticação.

Em caso de detecção de movimento quer no caso de uso de um FTP, quer do envio de mail por SMTP pode-se optar por uma única imagem capturada na altura do evento ou de duas imagens, sendo a primeira obtida num período de tempo anterior ao evento que pode ir de -3 a 0 segundos, e a segunda num período posterior ao evento entre 0 e 3 segundos. Pessoalmente optei por esta segunda opção obtendo uma imagem na altura do evento e outra 2 segundos depois.

Dado o meu router (Asus WL500g) possuir suporte samba e ter um disco USB lá ligado, sempre que se detecta movimento estou a gravar clips de 50 MB numa partição de 20 GB, o que me está a permitir uma gravação de várias horas para futura visualização, caso seja necessário. Felizmente a câmara permite ir apagando os registos mais antigos quando a partição se encontra cheia, o que garante um registo constante.

Entremos agora na parte mais interessante do firmware da TV-IP422w, a configuração da detecção de movimento presente na secção “Motion Detect”.

A TV-IP422 apresenta a possibilidade de se definirem duas áreas configuráveis com sensibilidades diferentes. Tratam-se de 2 rectângulos com dimensões variáveis, que podem ser colocados sobre a zona de focagem e para os quais são definidos níveis de sensibilidade independentes. Assim, por exemplo, no caso de a câmara apontar para uma porta onde exista uma planta cujas folhas abanam pela existência de correntes de ar, é possível definir-se uma zona de sensibilidade mais baixa para a planta e outra de maior sensibilidade para o resto da zona de captação. Isto permite brincadeiras muito interessantes, até porque permite a existência de zonas com movimento não detectável (por exemplo janelas que dêem para a rua).

Mais ainda, o facto de as janelas poderem ter dimensão e posição configurável permite ajustar a mesma à realidade das coisas, diminuindo-se a zona de detecção ao estritamente necessário e evitando-se assim ao máximo a possibilidade de falsos positivos por acontecimentos não previsíveis, como os causados por moscas ou outros. Repare-se no meu caso onde uma pequena barra cobre toda a área de movimento, e uma outra analisa mais especificamente a zona por onde a porta terá forçosamente de passar em caso de abertura. Ambas são reduzidas para se evitar interferências e falsos positivos ao máximo.

Este tipo de configuração é efectivamente um dos pontos fortes desta câmara, pois afinal a detecção de movimentos, com o mínimo de falsos positivos, e o aviso e registo a tempo inteiro e independentes de serviços de terceiros, são os pontos mais importantes deste tipo de produtos, e como tal a TV-IP422 mostra?se como um produto de excelente qualidade.

Passemos então agora ao configurador de eventos – “Event Config”.

As opções gerais permitem dar um nome aos ficheiros a gravar (imagens ou vídeo), definir o período de tempo da captura vídeo e o tempo de duração de activação da porta GPIO usada, por exemplo, para disparar um alarme.

O gestor de perfis permite criar vários perfis com horários para detecção de movimento para cada um dos dias da semana. Podemos por exemplo ter um perfil para as férias, outro para os dias normais abrangendo apenas o horário de trabalho, um outro para quando temos familiares hospedados, etc.

O “Motion Detect Trigger” é das configurações mais importantes. Aqui vamos definir o que a câmara vai fazer quando detecta movimento. Para tal podemos activar ou desactivar este detector, escolher o perfil de horários, definidos na secção anterior, em que este vai funcionar, e o quais as medidas a tomar:

Trigger out – dispara um alarme (recorda-se que a câmara permite disparar o alarme remotamente no seu ecrã de boas vindas, o que será uma opção bem melhor e que garante que este só dispara no caso de intrusões não autorizadas e não por falsos positivos).

Save image to USB – Grava uma imagem na pen drive.

Record to Network Storage – Grava uma sequência vídeo numa pen ou disco usb colocados em rede.

Send email – envia um emai com uma imagem tirada na altura do evento, ou alternativamente duas imagens, sendo uma tirada num tempo configurável entre 3s a 0s antes do avento e a outra desde 0 até 3 segundos após o evento. Recorda-se que uma detecção de movimentos normalmente cria vários eventos. No meu caso, tendo entrado em casa em horário de vigilância cheguei a receber 30 sms’s no meu telemóvel alertando do envio de e-mails pela câmara.

FTP Upload – Exactamente as mesmas configurações da opção anterior, mas com envio das imagens para um servidor de FTP.

A opção “Schedule Trigger” força o envio de imagens a intervalos de tempo definido pelo utilizador, dentro do horário de um perfil, ou de forma permanente, para um disco/pen de rede e/ou um servidor FTP. Nunca usei esta opção mas será interessante para quem pretender registos contínuos.

Finalmente o “GPIO Trigger”, que define o que fazer caso o GPIO seja accionado remotamente no ecrã de boas vindas. As opções passam pelo disparar de um alarme ou um registo vídeo ou fotográfico da zona para um disco de rede, e-mail ou ftp.

A opção tools não justifica uma foto, servindo para updates de firmware, backups do sistema, reboots, etc.

A opção USB define o que fazer com a pen, indicando o que fazer quando a mesma se encontra cheia, seja parando de gravar ou apagando os ficheiros mais antigos para obter espaço.

Para finalizar a opção “Information” que tal como o nome indica dá um resumo geral das opções seleccionadas, bem como dá acesso a um log da câmara para consulta de acessos.

Para terminar, e apesar de não o pretender analisar neste artigo, deixo-vos com uma imagem do software profissional Secure View fornecido com a câmara e uma imagem da recepção por intermédio de RTSP num N95 usando o Real Player.

Publicidade

Retomando o nosso artigo
Publicidade

Posts Relacionados