2K Games dá a conhecer. NBA 2K17 será 4K nativo, 60 fps + HDR na PS4 Pro.

2k17

Os jogos nativos 4K começam a aparecer na PS4 Pro. NBA 2K17 será, à partida, um deles.

A 2K Games veio dar a conhecer as melhoras de NBA 2K17 na PS4 pro. E elas são suspreendentes!

Eis o Tweet da 2K Games que dá a conhecer o suporte 4 K nativo 60 fps + HDR na PS4 Pro. Para quem tem um ecrã 1080p o jogo renderá internamente a 4K re-escalando para baixo, o que oferece um AA superior.

Falta saber se a capacidade de processamento mista da PS4 que permite misturar precisões de cálculos podendo elevar a sua performance teórica máxima para os 8.4 Tflops tem algo a ver com isto.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (21)

  1. Se “teoricamente” o PS4 Pro pode atingir 8.4 Tflops, então o Scorpio pode atingir 12 Tflops?

    • Vamos lá perceber isto.
      Primeiro a resposta directa: À partida, dado que a tecnologia é a mesma, Sim!
      Mas convem perceber que isso só se aplica havendo possibilidade de corte na precisão. Dado que com cada ciclo os GPUs polaris pode, processar 2 strings 16 bits, caso seja possível descer-se a precisão há um ganho de performance duplo. Teóricamente, se tudo for assim (altamente improvável, excepto em jogos com grafismo não realista) é o dobro, ou seja a Pro seria 8.4 Tflops, e a Scorpio 12.
      Na prática os ganhos para a maios parte dos jogos serão menores, mas haverá, em percentagem variável, ganhos!
      As placas Nvidia funcionam assim desde sempre, descendo o nível de precisão nas drivers, sem prejudicar a imagem, mas ganhando performance. É mais um dos motivos pelos quais as Nvidia batiam as AMD. As AMD não faziam isto e fazem-no agora.

    • Ps4 Pro pode atingir 8,4 Tflops??? Vixe mais um exclusivo que a Microsoft perdeu, o poder oculto kkkk

      Calma ai gente, foi só uma piada

  2. Luciano S. Carvalho 24 de Outubro de 2016 @ 14:46

    Esses valores de performance máxima teóricos são puro marketing para vender console.
    É o mesmo que acontecia com a potência de sistemas de som que usavam dois sistemas de medição, o PMPO que apresentava valores muito elevados dando a entender que eram muito mais potentes do que realmente o eram, e o RMS que apresentava valores menores mas reais.
    Aumentar algo pela divisão e ainda esperar que o mesmo mantenha a característica/qualidade original é impossível.

    • Não são marketing não!
      As placas Nvidia misturam esse processamento desde sempre, mas as AMD desde à vários anos que funcionam apenas a 32/64 bits. Agora com esta capacidade de mistura com processamento 16 bits e a capacidade de processar duas strings 16 bits em simultâneo num ciclo 32 bits, a capacidade de processamento duplica.
      Naturalmente, por questões de qualidade, nem tudo pode ser processado a 16 bits, mas o que pode, vai ganhar. E é claro que processar isso num GPU que requer 2 ciclos para processador 2x algo 16 bits ou um que apenas requer um, vai haver diferenças.
      Teoricamente a performance pode ir aos 8.4 Tflops, especialmente em jogos cartoonescos. Em jogos mais foto realistas, misturando a qualidade à distância com a próxima poderás obter mais de 4.2 Tflops. Quem sabe até 6 Tflops reais! Mas dependerá depois do jogo!

      Não julgues porém que estou a dizer isto para deixar a Scorpio mal vista. Porque ela usa a mesma tecnologia e vai poder fazer a mesma coisa (12 Tflops teóricos neste cálculo).
      Mas isto é relevante de se ser dito pois comparativamente aos GPUs da PS4 e Xbox One, estes ganhos de performance serão uma realidade. E como os jogos são feitos para essa base…

      • Luciano S. Carvalho 24 de Outubro de 2016 @ 16:06

        Vendo pelo ponto de vista de mercado, a Sony está certa em usar isto para ajudar nas vendas da PS4 Pro, afinal de contas, isso é um negócio.
        A Microsoft também vai usar o que ela puder para divulgar o Scorpio.

    • Depois dessa notícia dos 8.4 tfps 16 bit pra mim foi a gota dágua, só vou jogar e pronto, cansei desses números que já virou foi uma novela.

  3. Só uma observação: Esse jogo é da 2K Sports, não tem nada a ver com o NBA Live, que esse sim é da EA.

  4. Mário, com este adicional de poder, tecnicamente um pro seria nova geração?

  5. Particularmente, acho que o Scorpio é uma nova geração, até porque pelo artigo anterior sobre a PS4 Pro, vimos todos os cuidados que a Sony adotou para manter a compatibilidade nativa entre a versão Pro e a Standard.

    Já o Scorpio, como bem explicou o Mário vem com uma arquitetura nova de processadores Zen da AMD, além do que, no modelo atual o Xone usa Esram para compensar a velocidade lenta da DDR3. Não vejo como se portar um jogo diretamente sem o uso de máquinas virtuais, o que indica ainda mais uma nova geração.

    Mário, você nunca abordou, mas acha que o Scorpio tem poder para rodar os jogos do One em máquinas virtuais? Ia ser engraçado o console que se diz o mais potente já feito, levar um gargalo de um jogo da versão standard.

    • A Scorpio não deve ter qualquer problema com a emulação da One. Normalmente os problemas ocorrem quando o novo hardware é significativamente diferente. Isso pode obrigar a emular registos ou timmings internos. Por exemplo emular um P4 a 4 Ghz num processador 2 Ghz mais recente, mesmo que mais poderoso, será um problema pois os timmings internos do P4, por ser 4 Ghz são superiores.
      Larguras de banda são outro problema. Mas aqui tudo na Scorpio é compatível e superior. Não se espera problemas.

  6. Mário , eu tenho uma dúvida em relação ao GPGPU.

    Eu estava vendo a apresentação da dice na GDC e uma das metas era passar cada vez mais da carga do cpu pro gpu e nisso eles se referem ao GPGPU certo? Se os consoles tem uma gpu bem fraca por exemplo o the witcher 3 não alcança 1080p no xbox one por causa da gpu , não é por causa da esram nem cpu.

    Se a gpu já é fraca , eles passando a carga do cpu pra gpu , como vai melhorar?

    (Me desculpe se a pergunta for meio idiota)

    • Escrevi, escrevi… e não vou postar esta resposta! 😉
      Acho que ela me saiu tão bem e tão explicativa que, sendo a tua dúvida tão lógica, coerente, e comum, vou colocar aquilo num artigozinho. 😉
      Eu já escrevi muito sobre isso, e no fundo já expliquei. Mas desta vez a coisa saiu muito fluida. Acho que mesmo que me repita… vale a pena!
      Fica a aguardar!

Os comentarios estao fechados.