A conferência E3 da Microsoft – Análise

Dada a ausência da Sony, a Microsoft tinha a oportunidade de brilhar. E brilhou… mas não ao nível que se calhar se esperava.

O hype em torno da conferência da Microsoft estava maior que nunca, e grande parte do motivo estava na ausência da Sony que desviava todos os holofotes para um só lado,

Mas mais do que isso, após uma geração com o pé fora do acelerador,a Microsoft prometia agora mostrar jogos das suas 14 equipas, bem como falar da sua futura geração de hardware, numa apresentação que era prometida como durando duas horas e com uns extrordinários 60 jogos!

Mas o que se viu… foi um misto de coisas boas e coisa más.

Vamos começar pelo menos positivo:



Para começar a conferência ficou algo aquém do que se esperava. As duas horas foram-se em 95 minutos, e os 60 jogos… eram maioritariamente Indies. Já sobre o resto… falaremos de seguida.

Diga-mos que a Microsoft começou muito bem, com algumas surpresas, e prometeu muito nos primeiros minutos da apresentação, mas acabou por cair num ritmo bastante complacente, algo inesperado especialmente perante a ausência da Sony.

Os títulos pesados da Microsoft, como Gears 5 e Halo Infinite, nem sequer tiveram direito a cenas de jogabilidade, e o mostrado não foram mais do que trailers em CGI. Meras animações que, de forma alguma demonstram a qualidade do jogo e… pior do que isso, nem sequer mostraram nada de especialmente inovador a nível gráfico face a títulos anteriores.

Sobre Halo falaremos daqui a uns parágrafos, mas Gears… o que foi aquilo? Uma cara de onde apareciam outras faces… Isso é lá um trailer para um jogo de acção?

Não fora o restante CGI sobre o novo modo de jogo que foi dado a conhecer, o modo “escape” e esta teria sido das apresentações feitas a um jogo mais lamentáveis que alguma vez vi:

Podemos no entanto mostrar desde já, aquilo que todos queriam ver e ninguém viu na apresentação pois, apesar de não ter sido por falta de tempo, a Microsoft não mostrou, e que é, este jogo a ser jogado:

Pode-se dizer que toca a jogos de maior qualidade, o que a E3 da Microsoft nos mostrou foi CGI e mais CGI, com muito pouco de jogabilidade. Algo que, seja em que conferência for, é sempre um pouco decepcionante.

A própria revelação da Scarlett foi algo decepcionante. No fundo a Microsoft colou-se ao que a Sony tinha já revelado e nem sequer foi tão precisa. Soubemos que a Scarlett usará um CPU Zen 2, tal como a Sony, mas nada foi dito quanto aos núcleos, sabemos que usará uma Navi como GPU, tal como a Sony, sabemos que usará um SSD, tal como a Sony, que se refere ser basicamente uma nova geração, com um aumento de 40 vezes a performance da actual geração, mas esses são dados insuficientes, pois dado que os actuals discos transferem algo como 88 MB/s, essa informação apenas nos aponta para 3.5 GB/s, e isso é algo que um SSD NVMe é capaz de fazer. Uma mostra de tempos de loading, para demonstração efectiva de performances, teria sido muito bom. Da mesma forma, a Microsoft não falou do audio, mas foi mais precisa do que a Sony no que toca ao Ray Tracing, ao referir que ele será acelerado por hardware. A que nível… não foram precisos!

Foi no capítulo da memória que a Microsoft foi mais precisa, ao referir a GDDR6, e as imagens da motherboard apresentada revelam 12 chips colocados em formato clamshell, de GDDR6 da Samsung. Infelizmente, apesar de inicialmente tudo parecer apontar para 24 GB de RAM, uma análise mais cuidada mostra 2 tipos de chips diferentes, e isso quer dizer que se a memória exacta vai permanecer desconhecida.

Não se pode deixar de referir que foi extremamente curioso reparar-se na forma como a Microsoft apresentou a sua consola.

Sem poder afirmar que ela será a mais potente da próxima geração, uma vez que os specs exactos da PS5 são desconhecidos, a Microsoft associou a consola à mesma equipa que criou a Xbox One X, a consola actualmente mais poderosa do mundo, criando assim a colagem de uma ideia de que a Scarlett poderá seguir o mesmo caminho, mas sem o dizer abertamente.

E Phil Spencer chegou mesmo a dizer aquilo que os fans queriam ouvir. Que a Scarlett foi criada a pensar em jogos, e apenas em jogos, afastando desde logo qualquer ideia de conceitos mal geridos como aconteceu com a Xbox One.

Infelizmente, a pintura que estava tão bonita acabou por ser borrada. Depois de uma referência dessas, o video apresentação da Scarlett começa referindo que “O futuro de jogos não está só no PC e nem nas consolas, nem nos móveis, é em tudo”, e “a Xbox é tudo sobre ser uma opção” pois” o futuro é os jogos que se quer, com quem se quer, no aparelho que se quer”.

Basicamente, estas frases ditas logo depois de Phil Spencer ter dito que a consola foi criada a pensar em jogos e só jogos, dando a ideia de esta ser o seu foco, e referidas incluidas na apresentação da consola, retiram toda a ideologia de foco e optimização anteriormente passada por Phil, pois se a consola foi exclusivamente pensada para os jogos, a imagem que passa é que os jogos Xbox não são pensados exclusivamente para a consola.

Quando ouvi isto quase nem queria acreditar no que estava a ser dito. Todos sabemos da aposta no streaming da Microsoft, o que vai obrigar os jogos a serem pensados para poderem ser jogados com controladores diferentes, com rato e teclado e mesmo com um ecrã tactil, o que os pode modificar tremendamente! Mas para quê referir isso naquela altura?

Igualmente curioso foi verificar a referência à Scarlett que se refere como comendo “monstros ao pequeno almoço”! Recorde-se que na apresentação da Xbox One X os funcionários referiam que ela era um mostro, e aqui é referido que, numa perspectiva puramente computacional, a Scarlett é até 4x mais potente que a X. Um pormenor curioso e engraçado que tem de ser referido.



E não, isto não quer dizer 24 Tflops  no GPU, pelo menos não a 32 bits!

Voltando aos jogos, Fable 4, um dos jogos que se esperava ver-se, não foi referido, e a Xcloud só teve direito a basicamente uma referência.

Quanto a Halo infinite, a sua apresentação foi decepcionante. Sem imagens do jogo jogado, e apresentado após a introdução da Scarlett, sendo referido como um dos jogos de lançamento disponíveis para a mesma, este jogo mostrou um grafismo banal, e nem sequer do melhor já feito na actual geração.

Naturalmente estaremos aqui perante um jogo cross-gen, mas após o cuidado que houve na escolha de palavras para a Scarlett poder ser conotada como a futura consola mais poderosa, e que “come a Xbox One X de cebolada” ao ser, do ponto de vista meramente computacional, 4x mais capaz, este video ao mostrar um grafismo banal mostra que o timming para a sua inserção foi mal escolhido pois afecta toda essa ideologia de performance que estava a ser passada.



E passemos aos pontos positivos:

Basicamente a Microsoft aproveitou bem a conferência foi para promover o Gamepass. Quer na versão PC, quer na versão Xbox, o Gamepass foi bem referido como contendo os exclusivos Xbox no lançamento, abrangendo a maioria do que foi ali mostrado.

Apesar de, nesta fase, o gamepass ser de um valor enorme para o jogador, não podemos deixar de referir a notória a ausência de suporte de peso vindo das thirds e, não sendo novidade nenhuma para os nossos leitores, continuar a questionar até quando a Microsoft continuará a dar este nível de suporte ao serviço, especialmente perante tanta aquisição de equipas e tanto jogo que requer receitas de peso para se tornarem lucrativos, receitas essas que dificilmente se conseguem neste serviço.

Mas isso são outros 500, e a realidade é que, como a Microsoft fez questão de mostrar, actualmente, o suporte Gamepass está como prioritário. No total, foram 34 jogos apresentados para o serviço, bem como o serviço para o PC! Diga-se aliás que de tivéssemos de definir esta apresentação, a sua associação à publicidade ao Gamepass não passava despercebida.

O outro ponto altamente positivo desta conferência foi a apresentação do novo comando elite, sendo contudo de destacar a ausência de uma referência à compatibilidade e adequação às realidades da Scarlett, e o seu futuro suporte na mesma. Uma lacuna tremenda,

O controlador, apesar de caro, continua a ser excelente e a melhorar.

Temos ainda de referir a aquisição da Double Fine, uma outra equipa que integrará os estúdios da Microsoft, que é responsável pela produção do popular Psychonauts.

Os contactos da Microsoft com os estúdios japoneses deram também os seus frutos, e o jogo Phantasy Star Online 2, um jogo online gratuito, virá para o Ocidente, estreando-se na Xbox.

Este jogo, está disponível à alguns anos na PS4, mas apenas na versão Japonesa.

O resto.

Excluindo uma boa quantidade de jogos Indie, destacamos o que de resto e de relevância foi mostrado na conferência.

Elder Ring – Multi

Flight Simulator – Exclusivo

Cyber punk 2077 – Multi

The outter worlds – Multi

Bleeding Edge – Exclusivo

Minecraft Dungeons – Multi

Battletoads – Exclusivo



Posts Relacionados

94
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
78 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
Antonio LucasEwertomEwertomLivioFernando Molina Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest
Notify of
bruno
Visitante
bruno

O foco no Gamepass teve consequencia directa no catalogo first party apresentado pela MS. E por isso tiveste o grande numero de 60 jogos a serem indies. E bem… ha indies e indies! Tivemos indies como Shenua’s Sacrifice ou SOMA em anos anteriores, ou titulos um pouco mais simples, mas complexos q.b. Mas os indies apresentados nem foram grande coisa, com um grande numero deles, joginhos que posso jogar no smartphone nao precisando de gamepass ou Xcloud para nada! Nao estou a dizer que nao sejam bom jogos, mas sao indies, literalmente, de telemovel (e nem me estou a referir a Ori).

Foi uma conferencia palida face ao que a Sony tem entregue mesmo em anos em que se farta de mostrar os mesmos titulos. Alias, a Sony fez mais furor com um unico trailer mostrado fora da conferencia que uma inteira conferencia da MS e isto da para rir de tao triste que e! O pior e depois perceber que a MS ate tinha material para fazer melhor apresentacao e decidiu cortar isso para pos conferencia.

A MS esteve no centro das atencoes, tinha o show so para ela e teve aqui a oportunidade de ouro de enviar a mensagem certa.

E perdeu essa oportunidade…

Os jogos foram uma piada. E pior, podia ter salvado a noite mostrado um pouco de Gears 5 e perdeu tempo ate a mostrar efeitos pirotecnicos para no fim termos o trailer CGI da treta e um tipo numa cave tenebrosa a falar de… multiplayer.

Retornando ao tema Gamepass, a MS esta neste momento a pagar as pessoas para subscreverem o servico (a quem subscreve, verificaram as clausulas relativamente a adesao – se podem desistir, se sao obrigaodos a continuar?)

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Essa parte do trailer da Sony eu tenho que concordar e me arriscar a ser confundido com um fanático; o que foi mostrado de Death Stranding me deixou extremamente animado, e tenho vontade de dar um abraço em caras como Kojima que pensam fora da caixinha e trazem arte a esta industria, fugindo do polêmico “FEIJÃO COM ARROZ” de sempre.
Daí a MS coloca com o auxílio de seu clan da internet, tanta pilha (sem trocadilhos) de que teremos um novo horizonte, jogos em peso, novo hardware, muitos estúdios, o início da nova era, gostinho da nova geração… e… Vem uma conferência que caberia em um artigo de um blog qualquer… Sem emoção alguma, sem vida… Fiquei bastante frustrado.
Dessa forma Sony e MS continuam na próxima geração o mesmo que estamos vendo agora, que é um momento incomodo, onde está deficiente de um dos lados. Eu assinei o gamepass… Tá mas até agora não vi a vantagem que tanto falam, na verdade aquilo me pareceu até mesmo ridículo.

A Microsoft conseguiu ficar apagada mesmo sem a Sony no evento, essa é minha visão, não fará qualquer mal a ninguém.
E o Halo hein?! Poxa, nem um trailer os caras conseguem fazer algo empolgante.
E aquele povo falando do Scarlett… Deja vu de Scorpio que no fim não resolveu nada… Tá parecendo que a Microsoft é aquele político que fala, fala, se gaba, estufa o peito e… no fim fica só na conversa mesmo. E ainda acha que é o rei da cocada preta.

Daniel Cardoso
Visitante
Daniel Cardoso

Mário uma pergunta a parte, voce viu o preço que pedem pela edição de colecionador de FF7 remake, por esse preço da para comprar quase 2 comandos elites, fora os portes que uma pessoa paga a parte, deve anda por volta dos 360 paus, quase o mesmo de uma consola de próxima Geração, o mais engraçado é que se uma consola custar 599€ é isto e aquilo, Mas uma edição de colecionador que fica quase pela metade da próxima gen o povo não cai em cima, da que pensar!…🤔

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Vou-te já avisar antes que faças mais asneiras…o FF7 é exclusivo temporário da PS4, não funciona na tua xbox one X…pelo menos por enquanto…não entendo como é que compras uma consola já a geração ia a mais de meio e caíste no erro de comprar uma X quando pelos teus gostos deverias ter comprado uma PS4 , não te informas-te sequer do tipo de jogos que a consola tinha??? afinal uma X custa 500 euros não foi barata

José Galvão
Visitante
José Galvão

Mário acho que te esqueceste de mencionar algo histórico e que foi revelado na press, o facto do novo comando elite ser o primeiro comando Xbox que disepensa pilhas!!!

Já não era sem tempo…

Marcos
Visitante
Marcos

Nenhum controle do Xbox precisa de pilhas eu por exemplo uso bateria e vez ou outra direto no usb

José Galvão
Visitante
José Galvão

Eu também uso bateria mas é um custo empurrado para ti que não está certo portanto é a pilhas.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Tem razão esse custo é sacanagem quando se pensa que o One ainda custava mais caro que o PS4 100 dolores, mas eu uso as pilhas aqui e não é piada, comprei umas da Sony que são ótimas, tenho 4 e são o suficiente.
Nunca reclamei das pilhas e não vejo isso como problema de forma alguma apesar de brincar com a situação.

Fernando
Visitante
Fernando

A não apresentação de gears single pkayer foi um fail.
Ja sobre halo, ja pararam pra pensar se a visao do capacete do Chief é o trecho de gameplay?
Vocês tem certeza que os gráficos estão banais? Voces olharam a iluminação, os reflexos?
Não foi um trailer de perspectiva se concentrando em processar tudo no close do rosto de personagens. Fora isso, é um jogo do Xbox One, mirando 60fps que vai ser lançado no final do ano que vem. Não é um jogo da Sony de 30 fps que sera lançado daqui a 4 anos mas sera apresentado um gameplay “controlado” com gráficos nunca antes vistos aobre algo que provavelmente nem saiu das pranchetas ainda.
O problema do fan de playstation, é que tudo que ele quer do xbox é que ele compie o Playstation. Esquece, é outro perfil de jogador, e todo mundo se empolgou com os detalhes da campanha escondidos no trailer.
Voces não por que vocês nao são fans de halo e nem jogadores de xbox. Sao pessoas procurando playstation no xbox.

Edson
Visitante
Edson

É um outro perfil e coincidentemente é um console que está a acumular fracasso de vendas, onde se não bastasse o hardware, o software não é vendido na plataforma, fracassando em vendas, jogo atrás de jogo. Por pessoas como vc, Fernando, que passa mão na cabeça de tudo da empresa, seu console predileto está relegado ao plano C da empresa,onde o plano A seja o Pc e o plano B seja o Cloud, vice versa, onde a certeza é que o plano C é de fato o console. Claramente estão focando em games multiplayers para abastecer o game pass e consequentemente jogadores de pc que amam games assim. Xbox virou piada e não falo isto como hater, escrevo com dor no coração de quem teve os 3. O PlayStation ou msm o switch não são consoles perfeitos, mas são deles que andam a sair as melhores ofertas de jogos dessa geração. Sei que vc poderá vir com esse papo de gosto pessoal, mas no fundo sei que há uma frustração em vc, vendo pra onde a MS está levando o seu produto amado. Se eu fosse vc, começaria a defender o Xcloud,pois é ele que provavelmente perpetuará daqui pra frente e será a única coisa exclusiva do xbox, pois de resto, até os pseudo exclusivos da marca, poderemos jogar na Steam.

bruno
Visitante
bruno

Sim, olhamos. E sim sao banais no sentido em que nao se distanciam muito desta geracao. Ninguem esta a dizer que sao maus graficos, mas compara isso com Ghosts of Tsushima. Tiveste aqui gente a comentar que pouco sao diferentes dos graficos de Halo 5. E nao, nao tiveste assim tantos reflexos, alias as luzes parecem cozinhadas. Tinhas paredes metalicas e gelo, e podiam ter feito algo com isso, mas nao fizeram.

Para um jogo da ONE a 60 fps esta mais que optimo, alias esta fantastico. Para um titulo next gen… nem por isso. Ninguem esta a criticar o trailer em si (embora gameplay nao fizesse mal nenhum) mas o facto de terem anunciado o titulo com a proxima geracao e depois espetado esse trailer, quando ja tiveste mostras graficas mais impressionantes. Se o trailer tivesse surgido por si so, ninguem teria dito nada, porque para um jogo ONE com esse target the performance esta optimo.

E so vou recordar-te que Halo Infinite ja teve teaser o ano passado, e chega em 2020, logo tres anos – este ja e o segundo trailer e bem podia ter mostrado alguma gameplay.

Alias, se os titulos Sony que mostram Gameplay estao em prancheta, o que dizer deste que ja teve dois teasers in-engine, sem gameplay?

Andrio
Visitante
Andrio

Lol… fala que a sony mostra jogos e só lança 4 anos depois… Achei que vcs n gostavam de E3 requentada. Ori, Gears, Halo… Halo que irá possivelmente para E3 ano que vem. 3 Anos ne? És uma graça rsrsrs

Livio
Visitante
Livio

Esqueceu de Battletoads, que está na terceira E3, teve uma gameplay curtíssima, sem gráficos complicados (em desenho) e nada de data de lançamento. Será que vai para quarta E3? Nem Death Stranding foi assim.

Brunoab
Visitante
Brunoab

“o problema do fã de playstation é que ele quer do xbox é que ele copie o playstation”

Sim, eu noto isso mesmo quando fanboy do xbox Hypa quando a MS contrata funcionário de estúdios da Sony… huauhauhah

Triste mesmo é o sujeito estar ai repetindo os mesmos delírios a 3 anos tentando se convencer que é realidade… enquanto isso o xbox caminha para a irrelevância com seus fanboys bestializados aplaudindo…

“sony filme, anuncia sem data”

caixista joga Data, joga conferência… mas parece que não se importa em jogar JOGOS, enquanto isso, sonysta com dois AAA NOVAS IPs esse ano e caixista com cracudo 3 e mais um GEARS… reclamar dessa REALIDADE com a MS? nem pensar.

É por isso que o xbox esta esse lixo, tem um base de fã lunática que aplaude qualquer merda que a MS faça.

Esta ai pagando LIVE GOLD para jogar os MESMOS JOGOS DO PC com ON LINE GRÁTIS… E não da nenhum pio pq se importa mais com console wars e não dar gostinho “admitir a derrota para não dar esse gosto ao inimigo” do que com o que a MS entrega…

resumindo, opção:

a) exigir GOTYs da MS do Nível de God of War, Horizon Zero Dawn, Uncharted 4 (c/ MP), Boodborne (c/ MP)

b) vomitar “bééééééé FILME” ou falar qualquer merda da Sony na internet.

pelo visto a opção escolhida pelos “caixistas” é a A, tipica de fanboy seboso INCEL, igual o xbacon milvirgens.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Eu mais que no aguardo de Halo,só de ver o Chief ali fiquei com sorriso de orelha a orelha.Halo é epico.

José Galvão
Visitante
José Galvão

Acho que a Square acabou de salvar a E3.

Andrio
Visitante
Andrio

FF7 foi lindo!

Rodrigo Silveira
Visitante
Rodrigo Silveira

Uma gameplay daquelas de FF7R que eu esperava similar para Gears 5.

Rodrigo Silveira
Visitante
Rodrigo Silveira

Pra mim a conferência da Square foi a pior de todas até agora; tirando FF7R (com gameplay excelente) e Life is Strange, o resto foi dispensável e muito chato de assistir.

Andrio
Visitante
Andrio

Para tudo que o Phill vinha prometendo no twitter essa E3 foi um fiasco!

Sony disse que não iria para E3 e o Phill correu logo para dizer que iria para E3.
Disse que seria a Melhor E3 do Xbox, falou que 14 estudios estavam fazendo jogos para xbox e quando chega na hora vc fica what?

O mais engraçado foi: Apresentamos 60 jogos…. really?

Unica coisa boa foi o Keanu no palco.

bruno
Visitante
bruno

E nao e a primeira vez. Tem sido um habito de ha anos, criar imenso hype e depois… E que nem sequer se tem vergonha na cara.

Andrio
Visitante
Andrio

tem até uma imagem circulando na internet que mostra a MS sempre falando que tal ano será a melhor E3. Isso desde de 2015 lol. vou ver se acho que mando aqui. hehe

Brunoab
Visitante
Brunoab

fui eu que fiz essa imagem, postei ela ainda no ano passado antes da E3 2018 para mostrar as promessa da MS.

Essa versão pegaram a minha original e atualizaram com as promessas da E3 2018 e 2019 ahuauhhuahua

Rodrigo Silveira
Visitante
Rodrigo Silveira

Eu já postei um comentário sobre minha decepção com a conferência da MS. Entretanto, a decepção aconteceu em virtude de muita sustentação com base em rumores. A conferência em si nao foi ruim, foi até boa, com vários pontos positivos; mas alguns negativos também. E um desses pontos negativos foi um erro até um tanto “infantil”: a falta de gameplay da campanha de Gears 5; isto foi “imperdoável”, pois era o momento pra dar prioridade total a este jogo que será lançado em aproximadamente três meses. Mas fora isso, a conferência, apesar de um tanto “desorganizada”, foi boa. Eu gosto desta postura do Phil de agora (após o “trauma” pelo cancelamento de Scalebound) somente revelar os jogos quando já tiver pelo menos uma janela de lançamento. Mostrar tudo que está sendo desenvolvido, sem data e sem detalhes, é muito pior. Sem ter a pretensão de citar os jogos que estão sendo feitos pelo XGS e que não apareceram na conferência (e são vários), de concreto teremos grandes frutos já neste ano:
Forza Horizon 4 – DLC 13/06/2019
Bleeding Edge – Alpha 27/06/2019
Bruxa de Blair – 30/08/2019
Gears 5 – 10/09/2019
The Outer Worlds – 05/10/2119
Ori and the Will of the Wisps – 11/02/2020
Temos ainda Battletoads e diversos jogos indies sendo lançados até o início do ano que vem. E estes e a maioria do conteúdo apresentado estará no serviço Game Pass no dia do lançamento. ESPETACULAR!

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Rodrigo, concordo bastante com você menos que a conferência foi boa de alguma forma. Também fui induzido a acreditar que seria demais.
Os jogos que citou realmente tem seu valor, mas pra minha desgra**, nenhum desses me importa, a série Gears nunca foi meu forte.
Mas tens razão, são conteúdos relevantes, mas longe do que se esperava, não sei como ainda caio nessa. Talvez somente com a nova geração a porta vejamos realmente o poder de fogo que acredito eles tenham sim, mas ainda em desenvolvimento e com a maior cautela do mundo depois dos recentes problemas com alguns jogos de má aceitação. Vai passar muito pelo dislumbre do potencial do Scarlett.

AlexandreR
Visitante
AlexandreR

Com a complexidade dos jogos, aumentou se a duração da produção dos mesmos!
E com a nova geração a pouco tempo de aparecer, muitos ficaram na sombra

Andrio
Visitante
Andrio

Já que estamos falando de E3, vou abrir um [OFF TOPIC]

Mário, AMD fez sua apresentaçao ontem, o que vc achou?
da pra saber mais sobre NAVI? oq esperar dos novos consoles?

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Nota, aquele Elden Ring me chamou a atenção… Vindo de onde vem, enfim, quero ver mais.

Rodrigo Silveira
Visitante
Rodrigo Silveira

[OFF] Mário, ontem o Phil falou no Inside Xbox o seguinte: “Quando vejo meu Xbox One, acho que é o console mais compatível que já tive. Então, quando pensamos no design do Projeto Scarlett, queríamos ter certeza de que era compatível com todas as gerações. Não só com os jogos, mas também com os acessórios. Claro, a Xbox Live continuará em todo o ecossistema”, disse Phil Spencer. Será que haverá compatibilidade com acessórios como controles, headsets, volantes, etc? Se for será bom demais. E nada mais justo, né.

Edson
Visitante
Edson

Phil confirmou que poderá usar o msm joystick do one no Scarlett.

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Lendo os comentários, to até com medo de comentar alguma coisa boa da Microsoft, tá ruim pra quem é caixista aqui kkkkkk

The Witcher 3 confirmado pro Switch, mais um sucesso pro híbrido da Nintendo

Daniel Cardoso
Visitante
Daniel Cardoso

OFFICE TOPIC:

Mário acabei de ver uma notícia sobre o stadia que vai funcionar da seguinte maneira, ele vão dar as produtoras para criar serviços dentro do serviço deles, é tipo assim para jogar os jogos do stadia tem que pagar a mensalidade para aqueles jogos que estam ofertados no catálogo, agora por exemplo para jogar lacamentos de determinada publicadora eles vão deixar criar um serviço dentro de um serviço, até agora foi assim que entendi posso estar equivocado, mas se isso for verdade, esse stadia morre logo a nascença!

bruno
Visitante
bruno

Podes por link da noticia?

Daniel Cardoso
Visitante
Rodrigo Silveira
Visitante
Rodrigo Silveira

Essa notícia de Halo está totalmente distorcida. O GV não é um site confiável, na minha opinião.

bruno
Visitante
bruno

O que me parece e que a Google esta a abrir as portas, tal como a Microsoft permitiu, a ter mais subscricoes do genero EA Access. Basicamente pagas o acesso ao servico e pagas uma segunda subscricao para teres acesso aos descontos do EA Access, ou entao pagas somente a subscricao, se for o plano base.

Nao e diferente do que tens nas lojas online. da MS por exemplo.

Pois claro que halo ira aparecer na PS. Se a Sony permitir o GamePass ou o futuro Xcloud na PSN, e seus utilizadores.

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

A cada novo rumor ou noticia desse Stadia eu desanimo mais, posso estar enganado, mas pra mim esse serviço não terá vida longa não

Rodrigo Silveira
Visitante
Rodrigo Silveira

A Ubisoft não anunciou que o seu serviço funcionará no Stadia? Pode estar relacionado a isso.

AlexandreR
Visitante
AlexandreR

Em termos de performance/versátil, faz mais sentido a ps5 ser mais capaz do que a nova xbox!
Não querendo dizer que a xbox não irá fornecer os 4k a 60 fps!!
Mas com o objetivo de mencionar que a Sony vai apostar FORTE no VR!
Algo que a MS diz não ter interesse!
E estando em mente o VR, é preciso performance.
Podendo levar a ps5 a algo completamente diferente!
E depois de ver certas informações e ter visto o ready Player one, eu acredito que a sony vai levar a coisa a sério!!

https://4gnews.pt/ps5-sony-regista-patente-de-luvas-de-realidade-virtual/

Antonio Lucas
Visitante
Antonio Lucas

Mario, só uma correção, ali diz que a Microsoft tem 14 estúdios, mas na verdade ela tem 15. Além de comprar a Double fine, também foi anunciado que uma equipe liderada pela shanon loftis dedicada a age of Empires foi formada, somando assim 15 equipes.

Livio
Visitante
Livio

Ano passado, caso as respostas ainda estejam ativas no artigo sobre a E3 2018, eu já dizia que não tinha mais hype com as conferencias da MS, tive hype em 2015, 2016 e 2017 porque esperava respostas a altura do que a Sony tinha no momento e foi decepção, sendo este o motivo de no ano passado assistir a conferencia sem muitas expectativas.

Minha última semana (de 04/06 a 11/06) foi bem movimentada devido a saúde de um familiar (que ainda bem recebeu alta) e mesmo na correria consegui um tempo para assistir em casa a conferência da MS, como disse anteriormente não tinha hype, nem ligava para o que o Phil dizia nos meses anteriores (Melhor E3 de sempre), mas queria ver como a MS se sairia sem a presença do seu maior concorrente, a Sony.

Nem preciso relatar o que achei da conferência pois o que relataria seria o mesmo de uns 60 comentários deste artigo. Prefiro comentar algo que o Mário já falou há algumas semanas sobre os fãs mais fervorosos do Xbox, no caso a fala dele(Mário) tratava dos boatos sobre as especificações do Scarlett, em que todo dia ra um novo rumor com componentes muito acima dos especificados para o PS5 (por coincidência ele aborda um pouco isso ao falar dos tópicos no Reddit).

Aqui no Brasil as pessoas que optam pelo PS4 e, que ficavam ansiosas a espera da divulgação dos jogos em conferências, foram taxadas de “soninhos”/”sonhadores” pela parte mais fanboy do lado verde, mas ao lembrar de vídeos de canais defensores de Xbox, comentários de notícias em sites de games, redes sociais entre outros locais os verdadeiros sonhadores foram eles. Especularam muita coisa e o que veio foi praticamente nada, sonharam com:

* A divulgação/gameplay do novo jogo da playground…
* A divulgação da aquisição de um grande estúdio. I/O, Platinum e até a Capcom e CD Red Project estavam na lista e acabou sendo a Double Fine. Lembrando que anos anteriores era a EA o estúdio adquirido;
* Especificações mais potentes do Scarlett e o que acabou divulgado foi o mesmo que a Sony fez para o PS5. Parece que não é só a Sony que copia!!!
* Esperaram o novo jogo da Rare;
* Diziam que alguns jogos que tiveram sucesso no 360 teriam continuação e nesse se encontrava Alan Wake, entre outros;
* Esperaram data e gameplay do Battletoads e o que se viu está sendo chacota. E falando nesse jogo temos um bom exemplo de como serão os jogos que “sustentarão” o GamePass;
* O Scale… deixa prá lá.

Só decepção para quem esperava alguns desses itens, fora que mensalmente sempre estimam a lista dos jogos da Games With Gold com bons jogos, em sua grande maioria AAA.

Não foi uma péssima conferência, foi uma conferência de jogos sem algo atrativo (excluindo os jogos multiplataforma), se a Sony foi criticada por não comparecer a E3 2019 devido “não ter nada a apresentar” a MS seguiu o mesmo, só re-anunciou e mostrou CG(ou desenho) de jogos que já tínhamos conhecimento.

Na semana passada testei o PSVR, na verdade comprei um kit com defeito e importei a unidade de processamento e quando usei pela 1ª vez não tive duvida que a Sony irá focar nele na próxima geração e fico imaginando como será do lado do Xbox, que experiência teremos? Juro que fiquei bem animado quando na E3 de 2015 a MS apresentou o Hololens, oura, seria uma nova proposta que poderia até mudar o rumo do Xbox na época, se não me engano naquela conferência a MS agia/apresentava como se o dispositivo fosse sair para Xbox, mas horas(ou dias, não lembro) depois quebrou o hype dos mais ansiosos ao falar que o dispositivo não sairia para os games.

Enfim para a próxima geração não vou dizer que vou comprar Day One o console P, S ou X, na verdade nem estou muito animado com isso e o motivo não sei, se é por causa da idade, dos jogos que ainda não zerei (alguns nem joguei), das responsabilidades.

Vou esperar chegar e ver no que vai dar.