A entrevista com Yasuhiro Ootori, o homem do Teardown da PS5

5 3 votes
Avalie o nosso artigo

Yasuhiro Ootori, é VP de Design Mecânico da Sony e fala-nos do sistema de refrigeração da PS5 e da escolha pelo uso do Metal Liquido.

Num website Japonês, Yasuhiro Ootori deu uma entrevista sobre as opções da Sony para a refrigeração da PS5. Eis a tradução da mesma (note-se que entre aspas estão palavras diretas de Ootori):

Eu realmente queria usar metal líquido como condutor de calor.” Foi preciso muita determinação e preparação. A consola PlayStation 5 (PS5) da Sony Interactive Entertainment (SIE) está programada para ser lançado em novembro de 2020, e Yasuhiro Ootori, que é responsável pelo design mecânico e térmico da consola, tem trabalhado na PS5. É assim que ele descreve os seus pensamentos sobre a tecnologia que desempenhou um papel fundamental no fabrico da consola. Ele esteve envolvido no design da PlayStation desde a PS2, e apareceu no vídeo de desmontagem do PS5 lançado pela SIE a 7 de outubro de 2020, para apresentar e explicar o processo.

 A PS5 usa metal líquido como material de condução de calor (TIM) para transferir calor do processador principal (SoC) para o dissipador de calor. Sem este TIM de metal líquido, a PS5 teria sido maior, mais cara e a ventoinha de refrigeração teria sido mais barulhenta . O ruído da ventoinha de refrigeração durante os jogos varia dependendo da situação, mas de acordo com Ootori, ” a PS5 é geralmente mais silenciosa que a PS4 “.

 A PS5 está disponível em dois modelos, um com unidade de disco óptico e outro sem, ao preço de € 499 e € 399, respectivamente, o que é uma pechincha tendo em conta as especificações. O design térmico contribuiu muito para a economia de custos na obtenção desse preço.



Por que usamos metal líquido como TIM?

 Os preparativos para a adoção do metal líquido TIM começaram há cerca de dois anos, quando a configuração e o formato do hardware da PS5 foram praticamente decididos. Além do design, começamos a considerar vários aspectos da adoção do metal líquido TIM, desde o processo de fabrico até a aquisição. Eles decidiram usar o metal líquido TIM porque o processador principal (SoC) tinha uma alta frequência de operação, mas a matriz era pequena e a densidade térmica era “muito alta”. A densidade de calor do SoC, especialmente durante os jogos, é “muito maior” do que o PS4. Isso porque o SoC do PS5 “basicamente funciona com potência quase total durante o jogo “(diz Ootori). Como resultado, os valores de TDP (Thermal Design Power) e a quantidade de calor gerada durante os jogos são “quase os mesmos”. Por outro lado, é raro um SoC PS4 operar no limite do TDP e, mesmo durante jogos, gera apenas uma pequena percentagem de seu TDP .

A razão para o pequeno tamanho da matriz SoC é que o tamanho da matriz está diretamente relacionado ao custo e ao rendimento. Em outras palavras, quanto menor o tamanho da matriz, menor o custo e mais difícil será para os defeitos entrarem na matriz, o que leva a rendimentos mais elevados .

O metal líquido TIM é mais caro do que os condutores térmicos convencionais, como pastaa térmica. No entanto, ao considerar o projeto térmico de dispositivos eletrônicos, quanto mais esforço for colocado na refrigeração próximo à fonte de calor, “melhor será o desempenho de custo”. Isso ocorre porque, se o calor puder ser recuperado de forma eficiente perto da fonte de calor, não há necessidade de gastar dinheiro com dissipadores de calor e ventiladores. Por outro lado, se a pasta térmica for usada, um dissipador de calor caro com alto desempenho de refrigeração é necessário.

 Ou seja, mesmo que utilizemos o TIM de metal líquido, o que acarreta custos mais elevados, podemos reduzir o custo total de refrigeração com isso ”, afirma Ootori. A velocidade da ventoinha de refrigeração também pode ser reduzida, o que diminui o ruído. Por outras palavras, o uso do TIM de metal líquido “faz sentido em termos de custo e tranquilidade”.

 Então, o TIM de metal líquido será usado em outros dispositivos eletrônicos no futuro? Quanto a isso, “não sei “(diz Ootori), mas ele prefaciou dizendo:” Como engenheiro, quanto menos caro um dispositivo, mais eu quero usá-lo “. Ele acredita que o metal líquido TIM será uma poderoso ferramenta nos casos em que os dissipadores de calor são caros e precisam de ajuda.

A parceria com um fabricante de materiais e o know-how na aplicação

 O metal líquido TIM tem muitas vantagens, mas é um material que “apresenta um desafio de uso”. Por exemplo, por ser condutivo, se o TIM de metal líquido vazar na placa, há risco de curto-circuito na placa. Além disso, é altamente reativo ao alumínio, por isso deve ser mantido longe do alumínio.



Por causa desses problemas, embora o TIM seja usado em estações base de telefones móvel e outros dispositivos, o seu uso em aplicativos de consumo de massa é limitado a um número limitado de notebooks e “overclockers”, que são entusiastas que aumentam a frequência operacional dos processadores. .

 Portanto, a empresa tomou medidas para resolver esses problemas, de forma que possa ser usado em consoles de jogos produzidos em massa em quantidades que variam de vários milhões de unidades a mais de 10 milhões de unidades por ano . Por exemplo, uma estrutura selada foi adotada para evitar o vazamento do metal líquido TIM. Esta estrutura é patenteada, embora fosse óbvia se fosse desmontada e vista. Acima de tudo, há muito know-how de manufaturação, de como aplicar e automatizar TIM de metal líquido, que não fica óbvio só por se olhar “, disse Ootori. Por exemplo, o TIM de metal líquido é aplicado por uma máquina automatizada, mas “é um método diferente da pasta convencional”, de acordo com o Sr. Ootori. Cooperamos com fabricantes de materiais para realizar este metal líquido TIM. A empresa afirma ter adicionado personalizações com base em produtos existentes.

As inovações para grandes ventoinhas de refrigeração e dissipadores de calor.

A ventoinha de refrigeração da PS5 é centrífugo, assim como o da PS3 e o da PS4, e tem 120 mm de diâmetro. E controlado por um servo sistema como o PS4, que ajusta a velocidade do ventilador de acordo com a geração de calor. O ventilador centrífugo produz fluxo de ar em todas as direções. Em comparação com os ventiladores axiais comumente usados ​​em computadores de mesa, o fluxo de ar é um pouco menor, mas a pressão estática é um pouco maior.

 O tipo de ventilador a ser usado geralmente é escolhido com base na pressão estática necessária e na taxa de fluxo. Se a pressão estática necessária para um ventilador for baixa, um ventilador axial é uma opção em vez de um ventilador centrífugo. Mas a ventoinha centrífuga ainda está na zona de ataque “.

A PS5 maior deriva de uma ventoinha mais espessa

Para arrefecer os dois lados da placa principal, a ventoinha do PS5 tem 45 mm de espessura , que é mais espesso do que a da atual PS4 e PS4 Pro. Se dividirmos o lado montado no SoC do PS5 em “Lado A”e a parte traseira do PS5 em “Lado B”, então, o calor emitido pelo Lado B é “equivalente ao do SoC do PS4 “, de acordo com Ootori. Portanto, o ar é sugado de ambos os lados da ventoinha de refrigeração para arrefecer os lados A e B da placa principal.



O tamanho desta ventoinha determinou o tamanho do PS5. A espessura do leque foi baseada na largura do PS5 quando ele foi colocado verticalmente (ou na altura se ele foi colocado horizontalmente), e era assimétrico quando visto de frente. Isso ocorre porque é onde a unidade de disco óptico está localizada.

Uma unidade de disco ótico fácil de remover

 Quando a unidade é colocada horizontalmente, o lado direito de quem vê de frente fica na parte inferior da unidade. Nessa posição horizontal, a placa principal é colocada sob o dissipador de calor e o módulo de fonte de alimentação, e a unidade de disco ótico é colocada sob a placa principal. O objetivo é facilitar o suporte à “Edição Digital” que não inclui o drive. Se você remover a unidade de disco óptico, a PS5 padrão torna-se na Edição Digital.

 A PS5 mede 390 mm x 260 mm x 104 mm, que é maior do que a PS4 Pro (aproximadamente 327 mm x 295 mm x 55 mm), que é a maior consola da série PS4. Na verdade, havia maneiras de tornar o PS5 em algo menor que o seu tamanho atual .Por exemplo, poderíamos reduzir o tamanho do PS5 instalando duas ventoinhas, uma para o lado A e outra para o lado B. No entanto, isso aumentaria o custo ao ter duas ventoinhas de refrigeração. Além disso, controlar a rotação dosdduas ventoinhas de refrigeração é “mais difícil” do que controlar apenas uma. É por isso que eles decidiram usar uma única ventoinha grande para refrigerar os dois lados da placa principal.

Pequenos detalhes em torno da ventoinha de refrigeração

 Algumas medidas foram tomadas em torno da ventoinha de refrigeraçãom para garantir a conveniência e segurança do utilizador. Por exemplo, a PS5 usa um “coletor de poeira” que coleta poeira e outros pequenos detritos levados pela força centrífuga da ventoinha. De acordo com Ootori, “É algo que queríamos introduzir há muito tempo e o adotamos porque podíamos garantir o espaço. Dentro do PS5 há um espaço onde a poeira levada pela força centrífuga do ventilador pode ser coletada, e a poeira pode ser aspirada através do orifício que aparece quando a tampa externa branca é removida.

 Também foram tomadas medidas de segurança para evitar que dedos acidentalmente entrem na ventoinha em rotação quando a remoção da tampa externa revela o ventilador. Embora se presuma que a energia é desligada quando se retirar a tampa exterior, se alguem remover a tampa exterior, enquanto o aparelho estiver ligado, a ventoinha de refrigeração ainda estará a girar. É por isso que adicionamos uma tampa para evitar que os dedos entrem no ventilador enquanto ele está a girar.



 No entanto, como a tampa da ventoinha cria resistência ao ar, ela tem um formato tridimensional e pequenos orifícios para permitir que o ar flua suavemente . Segundo o Sr. Ootori “, esta capa foi desenhada por um jovem engenheiro que estava na empresa há alguns anos”.

Tubos de calor 3D e espaçamentos entre as barbatanas de refrigeração

 Com o seu grande dissipador de calor, a empresa obteve desempenho de refrigeração aprimorado e redução de custos. Embora os tubos de calor sejam usados, a forma e o fluxo de ar dos tubos de calor permitiram à empresa atingir um desempenho de refrigeração equivalente ao de uma muito mais cara câmara de vapor, com desempenho de refrigeração superior e custos reduzidos. Por exemplo, os tubos de calor são dobrados em uma estrutura tridimensional. Das três barbatanas existentes no dissipador de calor, o tubo de calor é feito para passar pelos lados superior e inferior de uma das barbatanas  para aumentar o desempenho de resfriamento da mesma.

 As outras duas barbatanas também apresentam algumas inovações. Por exemplo, uma outra das barbatanas é inclinada em um ângulo. Além disso, criamos intencionalmente uma lacuna entre esta barbatana e a restante para permitir que o ar que foi aquecido pela primeira destas duas barbatanas seja misturado com ar de outra fonte para arrefece-lo para baixo e depois enviado para a segunda das barbatanas desde conjunto, para melhorar o efeito de refrigeração na mesma. Eu fiz isso. Se esta lacuna também fosse preenchida com barbatanas, o efeito de refrigeração da barbatana 3 seria reduzido porque uma vez que o ar não é resfriado, o efeito perder-se-ia.

No lado B, também há um dissipador de calor e um tubo de calor.

 Além desse item grande, há outro dissipador de calor na área que é difícil de ver no vídeo de desmontagem . Esse é o dissipador de calor localizado no lado B da placa principal. A placa principal é ensanduichada entre os lados A e B mencionados acima por uma placa de proteção de metal e, para resfriar o sistema de alimentação, como o conversor DC-DC é montado no lado B, um dissipador de calor e um tubo de calor foram instalados na placa de proteção do lado B. Além disso, a blindagem do lado B é feita de alumínio para refrigeração, enquanto a blindagem do lado A é feita de aço .

Havia outras características estruturais também. Um exemplo é a condutividade térmica entre a memória compatível com GDDR6 montada no lado B da placa principal e a placa blindada. Em vez do chamado condutor térmico do tipo ‘stick-on’ em forma de folha, ele é revestido com um material líquido que endurece como borracha após um curto período de tempo. Esta é uma medida para aumentar a produtividade em resposta à automação.



 No caso dos materiais condutores de calor tipo pasta, é difícil removê-los da placa de suporte por uma máquina automática, sendo necessário removê-los manualmente.



5 3 votes
Avalie o nosso artigo
64 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
marcio
marcio
1 mês atrás

Posso estar errado, mas me parece que a Sony leva a Playstation mais a serio que a MS, quero dizer olha a preocupação em cada detalhe, o carinho, a MS me parece mais que quis fazer um console like a PC, e o mesmo acontece com os exclusivos de cada uma, me parece que a Sony coloca mais felling nos seus produtos que a MS…

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  marcio
1 mês atrás

Concordando com vc, acho que isso mostra a diferença de ideologia oriental para a ocidental. Eu tinha visto essa entrevista e fiquei admirado com o cuidado que tiveram.

nETTo
nETTo
Responder a  marcio
1 mês atrás

Não concordo, acho que a Microsoft no que tange a hardware de Xbox desde está atual geração tem mandado muito bem

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  marcio
1 mês atrás

Hoje em dia a Microsoft está nos consoles apenas por dinheiro. Não há paixão alguma naquilo, é só mais um meio para atingir um objetivo final, que hoje é popularizar os games em diversos dispositivos, não importando muito a qualidade. A meta é acertar em alguns jogos como serviço e faturar alto.
A Sony já tem outra preocupação. Na divisão PlayStation se tem pessoas que amam o que fazem, são gamers como a gente. Um brasileiro, o Rafa Grasseti (diretor de arte da Santa Monica), foi entrevistado num podcast aqui e disse que todos os estúdios Sony recebem visitas do alto escalão da empresa de 3 em 3 meses… Os estúdios precisam mostrar serviço, o andamento da coisa, quais as dificuldades… Enfim, existe um controle de qualidade ali e um capricho, que querendo ou não é o jeito japonês do negócio. Tenho absolutamente certeza que a Microsoft não tem algo nem perto disso, ainda mais após a empresa afirmar que Halo Infinite teria orçamento recorde (500 mi de dólares) e apresentarem aquilo meses atrás.

A divisão PlayStation comete muitos erros sim, mas é óbvio que se esforça e muito para estregar o melhor.

No mais, eu sou fã desses caras por causa desse cuidado. O Yoshida é um gamer como nós, está lá hoje cuidando das parcerias indies e vive postando suas conquistas nos games nas redes sociais. É um viciado em soulslike e platinador. Gosta de qualidade. Acho que dá pra entender muito bem a diferença.

eduard08
eduard08
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Sim ve-se bem que a Sony leva a serio no que toca a parte da PlayStation (por um lado e normal pois e uma parte que da mais rendimento), ve-se bem nos jogos exclusivos que são praticamente sempre grandes jogos
Mas por outro lado acredito e penso que a Microsoft tambem nao se fica atras, apenas tem políticas diferentes
Por exemplo ainda a pouco tempo falei com um colega que trabalha aqui numa loja de jogos e quando sai uma nova consola por exemplo recevem sempre uma visita dos grandes responsáveis europeus de cada marca, e este ano quando todos estavam a espera do responsável da sony, apenas receberam um video onde se via que ela apenas estava a ler um texto de agradecimento e que foi igual para todos, apenas traduzido e nos outros paises, e por outro lado da parte da Microsoft, esta fez questao de mandar como sempre um responsável para agradecer

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  eduard08
1 mês atrás

Parte social do negócio? Ok! Mas o que importa na verdade é o que o produto entrega, não é mesmo? E olhando apenas para consoles, a Microsoft vem fazendo pouco ou quase nada do que deveria. Já do lado da Sony, terminando uma geração com mais 2 grandes sucessos de vendas (Ghost of Tsushima e TLoU 2) e iniciando uma nova com uma lineup de dar inveja. Só em 2020 ,com todas as dificuldades impostas, a Sony tá entregando muita coisa dos seus Studios First Party.

2020: TLoU 2, Ghost of Tsushima, Spider Remaster, Miles Morales, Demon’s Souls Remake, Sackboy;
2021: Returnal, God of War, Horizon, GT7, Kena, etc etc etc…

E do lado do Xbox? O que a Microsoft vem entregando para o console?

O que vale mais? De conversa fiada a Microsoft sempre foi das melhores, e isso não só na área dos consoles.

José Galvão
José Galvão
Responder a  marcio
1 mês atrás

Concordo plenamente, acho inclusive que a Series X é meramente um plano B caso a sua utopia do streaming não se concretize.

Deto
Deto
Responder a  José Galvão
1 mês atrás

não somente plano B, a MS se preocupa muito com “gritaria” na internet, muito mais do que com a realidade… além de não ter visão nenhuma de nada.

Agora imagine a gritaria na internet se a MS dissesse que iria manter os jogos no xbox ONE x e one S até 2024 e a “next gen” deles seria xcloud rodando os racks de xbox SX?

A MS, empresa sem visão e covarde, nunca iria manter essa visão e o custo do xbox SX pode ser diluído no Azure, então já que vai fazer um “servidor” para xcloud, já faz ele caber em console de mesa.

Repare que o xbox deitado tem a altura de um servidor 4U.

Se o sx vender 20% do PS5, como tem pesquisas prevendo, pode ter certeza que até exclusivos de streaming, igual Flight Simulator no PC, eles vão começar a fazer e qualquer coisa “ain, console acabou, ninguém quer console” e vai começar a pipocar “artigos” de opinião dizendo que vender consoles é anti-consumidor e pro consumidor é vender streaming de GaaS safados.

Rodrigo
Rodrigo
Responder a  Deto
1 mês atrás

Esse é um típico comentário ofensivo que não deveria estar aqui na Pcmanias. O autor do site tem que ficar perdendo tempo fazendo moderação desse tipo de comentário. Ele já alertou em um outro artigo que não gostaria de ficar perdendo tempo com esse tipo de comentário ofensivo.

eduard08
eduard08
Responder a  Deto
1 mês atrás

So mesmo tu para vir para aqui falar de fanboy e FUD e bla bla bla, praticamente cada comentario teu e so para dizer dessas coisas e que praticamente ou nao interessa a ninguém daqui, falas tanto que vez e nao sei que mais e fazes o mesmo aqui, quando leio a maioria dos teus comentários so me vem à cabeça uma coisa, fanboy
Ja agora para tua informaçao vao dizer tanto que não interessa a ninguem vender consolas que ja vieram a público dizer que ja estao a preparar as proximas consolas

Desculpa Mario pelo comentário, mas pelo menos para mim ja começava a ser demais os comentários dele, gosto de vir aqui como faço desde a muitos anos para ver os teus artigos e aprender tambem com os comentários mas desde algum tempo que os comentarios do Deto vao sempre na mesma direção

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  José Galvão
1 mês atrás

mas nada até agora diz que é apenas um plano B, de tudo que foi mostrado até agora parece ser uma bela máquina, não entendo isso que pra elogiar um tem que falar mal do outro

José Galvão
José Galvão
Responder a  Fernando Molina
1 mês atrás

Não estou a elevar uma para denegrir a outra, não é cinismo, é assim que as coisas são, uma cria todo um novo UI, a outra mantém o que já tinha, uma descarta o maior nome no que a comandos diz respeito e cria algo completamente novo e com novos features, a outra mantem exatamente os mesmo, pilhas incluidas, uma tem um bom line-up inicial, a outra pela primeira bez na história não tem nada made in house.

A PS5 e tudo o que a compõe, desde o UI aos jogos, passando pelo hardware em si, parece algo feito com paixão, com inteligência, porque a Sony depende muito da PlayStation.

A Series X, epa não sei, falta paixão, falta visão, o que vejo é uma empresa que quer mas não sabe como, e como não sabe, recorre ao livro de cheques para comprar a liderança do mercado com ideias mirabolantes à mistura carrehadas de paleio e gabarolice , e o resultado está à vista, uma consola sem jogos que apenas vende fé porque ser jogador Xbox é isto, esperar sempre pelo que vem enquanto tudo o resto vai disfrutando do momento, ao menos vai-se jogando velharias ao preço da chuva enquanto se penhora o futuro dos videojogos.

Eu daqui a umas semanas vou ter experiências completamente novas com jogos novos, e tu?
Tu vais jogar retro com uma boa maquilhagem onde até a UI e o comando são retro, isto não é elogiar um para atacar o outro, isto é o constatar de dias realidades que muitos não querem ver.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  marcio
1 mês atrás

Não acho que a questão seja “levar a sério”. É muito difícil falar sobre isso.

No fundo, tanto as divisões de games da Sony quanto da Microsoft querem conquistar clientes e maximizar receita.

Só que existem “clientes” e “clientes”. Pessoas com ambições diferentes sobre os consoles, com perfis diferentes, expectativas diferentes.

A Sony por exemplo está com a abordagem tradicional de conquistar novos clientes através de salto geracional, com novas consolas, jogos next-gen, novas experiências com controle, UI, áudio. Então o investimento em cima da consola é absurdamente alto.

Do lado da Microsoft, vejo uma tentativa de conquistar todos os perfis de clientes, algo que o Sr. Mário diz: “apostar em todos os cavalos”.

  • Quer conquistar o perfil dos clientes do Playstation com videogame next-gen.
  • Quer conquistar o perfil de jogadores do PC com seus serviços e jogos por lá
  • Quer conquistar o perfil de jogadores mobile e casuais com XCloud em smartphones e TVs

Tudo isso com um denominador comum: Gamepass.

Então não é que a Microsoft não leva a sua consola a sério, mas é óbvio que se alguém deseja fazer tudo, não atenderá todos os perfis de clientes com excelência.

Veja o foco que a Sony tem com seus estúdios first-party. Foram anos de investimento e jogos com certo nível de experimentação até a Naughty Dog começar a acertar na mosca com Uncharted 2. Pode levar bons anos até um estúdio amadurecer e ter uma linha de produção consistente com jogos de vanguarda. É um investimento contínuo. A Microsoft não costuma investir muito tempo, simplesmente vai lá e compra. Agora e o passo seguinte após a compra? Investimento constante, boa gestão aliado com comunicação interna e liberdade criativa são essenciais para se ter resultados.

Mas só concluindo, veja que a potencial “excelência” da Sony com sua oferta next-gen está custando um aumento no preço dos jogos, cerca de 79 euros. E a potencial “bondade” da Microsoft com o gamepass está custando uma consola next-gen que em sua essência está ofertando jogos first-party já lançados, e com upgrades que consistem basicamente em reabrir o código e melhorar os presets, como fazemos em jogos de PC.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Só para complementar meu raciocínio, acabei de assistir o gameplay de Scorn. Para mim aparenta ser um jogo bem descartável. Provavelmente não irei jogá-lo já que a meu ver tem vários outros jogos mais interessantes para aproveitar no meu tempo livre. Entretanto, alguns amigos acharam Scorn ótimo, citando principalmente porque o jogo estará no gamepass em day 1.

Então como se argumenta com isso? São perfis diferentes, expectativas diferentes. Para ter uma real experiência next-gen, eu compro a consola e pago o preço do jogo caso eu julgue ser justo. Outros já preferem ter centenas de jogos a um preço acessível, sem priorizar tanto a qualidade.

Então é como dizem: “cada um é cada um”. E a Microsoft está trabalhando para ter todos estes perfis consumindo os serviços dela. Alguns irão por opção, e espero que outros não vão por falta de opção lol.

marcio
marcio
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Não amigo, voce esta colocando como se isso voce questão de gosto… e não é…
A MS não tem nem jogos previstos para 2021… e o que ela fez com console dela foi pegar um PC e chamar de console e falar que tem 12TF, ela nem se quer melhorou o controle, ou deu importancia para a dashboard que por sinal ja esta nos atuais consoles e com resolução a 1080p…e isso não é questão de tempo, ela esta na industria a um bom tempo ela tem no-hall ja…eu realmente procuro uma explicação logica para o que a MS esta fazendo e eu não acho..

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  marcio
1 mês atrás

Diferentes perfis resultam em diferentes prioridades. Algo que seja “essencial” para uma pessoa pode ser “opcional” para outra pessoa. E vice-versa.

Para alguns perfis, o Playstation não ter gamepass com jogos first-party day 1 é simplesmente uma tragédia. E vão te argumentar dizendo que Forza Horizon 4, Gears 5, Doom Eternal e outros jogos AAA estão no gamepass, sem necessidade de comprar.

E sobre 2021, não é bem assim: Halo Infinite, Scorn, S.T.A.L.K.E.R. 2 estão previstos para 2021. Os outros jogos não sabemos, mas como o trailer de Forza foi mostrado in-engine, não me surpreenderia se fosse lançado no final de 2021. É melhor esperar confirmações antes de realizar afirmações.

Olha como isso é interessante de se avaliar: para a galera do Xbox, a compra da Bethesda foi algo épico, antológico, inesquecível, que destruiu a concorrência em 1000 pedaços. Para mim, foi algo grande sim claro, aumentou bastante o porfólio de IPs para o gamepass. Mas a minha cabeça já está na nova geração: o que a Bethesda irá lançar no futuro? Já tem gameplays? Previsão? Serão jogos de alto orçamento AAA? Então enquanto que para os fãs de Xbox foi algo essencial, para mim foi algo bem passível de questionamentos. A prioridade para alguns é jogar Doom Eternal agora no Gamepass. Se isso fosse prioridade para mim, teria comprado o jogo em Abril. Logo não muda tanta coisa. Mas de facto é legal ver como os perfis variam.

Também discordo sobre “pegar um PC e chamar de console”. Todos as consolas tem customizações, e não é diferente com a consola da Microsoft. Claro que no meu entendimento o time do Cerny foi além nas optimizações, mas a Microsoft também tem seus resultados, e várias novas features do DirectX 12 Ultimate estão aí para mostrar isso.

Repara que não estou querendo defender a consola da Microsoft. Estou apenas dizendo que diferentes perfis vêem a situação por diferentes ângulos. Cada um com as suas prioridades.

Se a Microsoft tivesse as mesmas intenções da Sony, com certeza não existiria o Xbox Series S. Eles tem outros objectivos, que não vão de encontro com meu perfil de consumidor, mas tem seu público.

marcio
marcio
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Vamos ver até quando a MS vai segurar o Gamepass a esse preço ne..

Independente olha a qualidade dos jogos, mesmo que lançados em 2021, ou vai me falar que a pessoa comprar um xbox serie X pra jogar jogos indie melhor montar um pc sem placa de video…

Certo qdo voce casa o hardware com software as coisas rodam melhor, mas nao vejo nada demais nessa parte, acho que a MS até quer englobar PC e Console por isso nada de mudar tanta coisa…

Eu realmente quero intender o motivo de lancar o series S, por favor me explique o que ela quer com isso, ao meu ver ela esta perdida….

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  marcio
1 mês atrás

No final das contas, Xbox Series X|S, PC, telemóveis e televisores samsung serão mediadores entre o cliente e o gamepass. No caso da Sony, apenas o PS5 será um mediador entre o cliente e a Playstation Store lol. Esse inclusive é um dos motivos que prefiro o PS5. O foco da Sony é totalmente na consola.

Sobre o Xbox Series S, no meu entendimento a Microsoft quer conquistar novos clientes de qualquer forma, seja entregando consolas high-end como o Xbox Series X ou low-end como o Xbox Series S com preço mais acessível.

Tudo isso é muito lindo no papel, Microsoft quer atingir todos os perfis e ter bilhões de clientes usando gamepass.

Mas…..

Mas…..

Na prática eu penso que o mundo de consolas funciona sobre vários parâmetros além do preço, sendo que de longe o mais importante são os jogos.

Na quinta geração, o Nintendo 64 custava 199 dólares, o Playstation 1 custava 299 dólares, e o Saturn custava 399 dólares. O Playstation 1 venceu com folga, porque tinha uma biblioteca exuberante de jogos. O Nintendo 64 não foi páreo mesmo custando 100 dólares mais barato e com blockbusters de peso como Zelda OOT e Goldeneye 007. Então penso que não adianta muito a Microsoft entregar uma consola mais barata se não haverão tantas propostas de jogos first-party para ela.

Talvez o Xbox Series X poderia se destacar oferecendo versões melhores dos jogos multiplataforma. Mas está cada vez mais claro que caso ocorra, levará alguns anos. E de qualquer forma, não vejo tanta gente se preocupando com isso, caso contrário o Playstation 2 não venderia tanto.

Enfim, agora eu te respondi como vejo as coisas, deixando um pouco a questão dos perfis de lado. Por isso que é bom esse espaço. Muito bom para discutir de forma racional e saudável.

marcio
marcio
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Certo ficou mais claro agora.

Pra ser sincera esse é unico site que eu conheço que da pra conversar e discutir com outras pessoas…fora as materias excelentes do Mario, as pessoas que acompanham aqui são incriveis tambem, nem sempre comento mas sempre acompanho os comentarios..

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  marcio
1 mês atrás

Perdida? Haahah
A Microsoft quer englobar a maior quantidade de jogadores possíveis… Para ela não interessa se você tem o séries S ou X, interessa que você consuma o serviço! Não importa gastar tempo e caminhões de dinheiro com grandes jogos, grandes produções… Interessa que esses jogos estejam no serviço e que se alcance 2 bilhões de usuários pagando serviço. Entendeu a proposta? Ela não está se importando se vende 1 Xbox ou 10, desde que você assine o serviço, que você jogue no celular se quiser. Ela quer ser a Netflix dos games e o Xbox como console é só para dizer que no leque de serviços você também tem a opção de comprar o console e jogar nele.

By-mission
By-mission
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Não sei se vc já reparou, mas toda a vez que alguém se mete a ser o tal “Netflix dos jogos” a coisa fica só em promessas…
Temos as três maiores empresas do mundo a tentar, e bom, o Google já está tecnicamente fora e o Stadia já nem existe mais. A Amazon torrou o guito no seu primeiro game e adivinhe lá, estava em alfa foi lançado voltou para beta… Agora cancelou de vez.

Falta a Microsoft, gamepass a um real não vai ser para sempre, e logo a conta da Bethesda vai ser cobrada e não vai ser com um dólar que eles vão custear a Xbox… Tu podes ser o mais fiel fã do Xbox, podes realmente ver o game no gamepass e depois comprar os games, mas acredite você seria uma ínfima parte dos “20 milhões de assinantes de um dólar” do gamepass…

Mas vamos lá a Netflix espera alcançar os 200 milhões de subscritores e ainda assim continua no vermelho, boa sorte Microsoft tomara que das 3 maiores empresas do mundo eles percebam que isto não é fácil como os fãs imaginam!

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  By-mission
1 mês atrás

Eu também acho algo muito pouco palpável. Acho um baita de um tiro no pé!
Tudo que envolve a divisão Xbox hoje é em torno de serviço: trailer de game, logo em seguida uma propaganda do serviço… Mostra SX, logo em seguida vem propaganda do serviço até maior que o anúncio do console. Compra da BETHESDA? “Olha, compramos a BETHESDA, mas que maravilha mesmo são as possibilidades que temos aqui, com gamepass e xcloud!
Eu acho realmente impressionante ver algumas pessoas achando que a Microsoft está fortalecendo o console, quando tudo que ela mostra oficialmente é na direção oposta, largar ele em breve.
E sinto muito por quem ainda está iludido com a próxima E3… Boa sorte para quem comprar o SX. Quem sabe não tenha nem o melhor dos multis e nem o melhor do que já foi um dia o nome “Xbox”.

Marco Antonio Brasil
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Mário acho que estás na falar da SS!

Edson
Edson
Responder a  marcio
1 mês atrás

Ela atualizou a Dash dias atrás e sinceramente, não entendo a preocupação com isso, ainda mais vindo de um fã de PlayStation, onde o ps4 ficou com a msm dash desde o começo. Com relação às outras coisas que falou, concordo muito com o Carlos e creio que sejam perfis diferentes. O Mário bem coloca quando diz que a MS aposta em todos os cavalos, porém não sei se a Sony tivesse o poderio financeiro da MS, não faria o mesmo. Querendo ou não, o xbox é um ótimo produto, jogos chegarão e não chegaram ainda pq seus estúdios foram comprados em 2018, além da Zenimax agora, mas soa até desonestidade intelectual a pessoa querer dizer que não teremos jogos na MS futuramente, com tanto recrutamento de nomes sonantes da indústria, com tantos projetos anunciados e com tantos estúdios adquiridos, fora os que adquirirão! Provavelmente irei de ps5, mas não consigo ser tão pessimista ou clubista como vcs, não enxergando os investimentos da MS na divisão xbox, msm com erros. Quem vem aqui e lê alguns comentários, pensa que o xbox é um lixo e nada se aproveita lá, coisa que não é verdade!

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Edson
1 mês atrás

Para a Microsoft é um negócio até meio óbvio. Eles tem Windows, DirectX, Azure, divisão xbox. É claro que de um jeito ou de outro vão integrar todos esses “mundos”, abrindo novas frentes de mercado e ganhando na maior quantidade de frentes possíveis.

Netflix tem o SaaS mas não tem PaaS/IaaS. O que faz? Terceiriza com a Amazon contratando AWS. Já a Amazon tem o SaaS com o PrimeVideo e o PaaS/IaaS com o AWS, ganha nas duas frentes.

Sony tem estúdios de jogos mas não tem sistema operacional no mercado. O que faz? Um fork do FreeBSD e constrói uma UI por cima. Foi assim com PS3, PS4, PSvita, e provavelmente será com o PS5.

Sony e Microsoft terceirizam a APU das consolas com a AMD, que por sua vez faz os projetos e terceiriza a fabricação com a TSMC.

É a vida rs.

Edson
Edson
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Exatamente, brother !rsrs

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Edson
1 mês atrás

Edson, quem ficou hypando “true 4k”, “o mais poderoso” e todo o blablabla que vimos desde 2017 foi a Microsoft!
As pessoas não esquecem as coisas assim… Pelo menos algumas… A dash não ser 4k é meio contraditório até, não acha? Virou piada. Por mais que não importe uma dash em 4k, mas então não se fica falando algo para depois passar vergonha, não acha? Agora Yakuza sendo confirmado com melhor performance no ps5 que no poderoso? Tá ficando feio demais tudo isso.

Marco Antonio Brasil
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Perfeita sua análise dos perfis. Estava discutindo exatamente isso com meu irmão:

Ele não entende porque eu não tenho interesse no GP. Eu respondo perguntando quantos jogos do GP ele zerou e a resposta é “nenhum”. Eu caio na risada e ele me enumera os vários jogos que já experimentou e diz que isso não seria possível sem o GP.

Então essa é exatamente a questão, o GP é ótimo para determinado perfil de jogador, enquanto para outros não é tão atrativo.

E também concordo que o problema da MS é que tenta abraçar todos os perfis e acaba não fazendo nada com excelência.

Mas eu faço uma observação, acho o receio justificado pelo histórico da MS, mas creio que eles até estão investindo para agradar o jogador “perfil Sony”, mas só saberemos os resultados no médio-longo prazo. No momento é uma incógnita.

Edson
Edson
Responder a  Marco Antonio Brasil
1 mês atrás

Marco, isso é mais questão de choque geracional! Eu tenho 37 anos e sou de uma geração de jogos onde dávamos mais valor à qualidade do game do que da quantidade de games que jogávamos. Hj, essa geração vê games como algo descartável! Joga um pouco certo game, larga e pula pra outro, onde adoram o online por fazerem exatamente isso.rs

Marco Antonio Brasil
Responder a  Edson
1 mês atrás

Isso é um fato. Sem dúvida esta geração atual dá mais valor a jogos descartáveis!

Mas ainda bem que ainda existe espaço para grandes experiências single player (meu irmão mesmo também adora The Witcher e HZD rsrsrsrs).

Livio
Livio
Responder a  Edson
1 mês atrás

E é por isso que muitos dão destaque ao Quick Resume, funcionalidade que para mim, minha opinião, servirá mais para aqueles que se frustam em um jogo e saem pulando de jogo em jogo até se dar bem.

Porque eu, quando inicio um jogo me dedico a ele e quando jogo outro no mesmo dia não é algo de imediato, geralmente dou uma pausa entre os jogos

Rafael
Rafael
Responder a  marcio
1 mês atrás

Discordo disso. Ambas empresas já cometeram seus erros, mas a Sony erra menos e coloca muito do seu esforco em títulos exclusivos e conseguiu por meritos ter uma marca muito sólida, o que dificulta qualquer concorrência. Ela eleva ao maximo o cuidado em todos os detalhes. A Microsoft erra em suas políticas e no meu ponto de vista o fato de querer um ecossistema com interação entre diferentes plataformas e diferentes consoles acaba por nao concentrar seus esforços. É como um carro flex, tenta atender a dois perfis diferentes e acaba que tem que encontrar um meio termo. É uma proposta diferente ao que a Sony propõe, mas tem que pedalar muito pra chegar ao nivel da sony. Mas o series x foi muito bem projetado, se vai usar o software pra explorar toda a capacidade já é outra história.

Hiago
Hiago
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu entendi bem ou a versão digital também pode ser adicionado um leitor de BD posteriormente? Se assim for essa versão pode ficar um pouco mais interessante.

Hiago
Hiago
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Ele não disse isso, mas o fato de ter dito que se você remover o leitor torna o PS5 padrão na versão digital eu estou deduzindo aqui que o oposto possa ser feito.

Livio
Livio
Responder a  Hiago
1 mês atrás

Se a edição sem leitor não for bloqueado via firmware igual como é no One Digital Editions então é só colocar o leitor, o problema é que tens que comprar um leitor e uma carcaça, o custo deve ser maior que um PS5 com leitor

nETTo
nETTo
Responder a  Hiago
1 mês atrás

Um drive externo sim, interno não há espaço no chassi

Hiago
Hiago
Responder a  nETTo
1 mês atrás

Eu creio que é apenas questão de fazer a substituição da carcaça externa. Para quem quer já entrar na geração e não gastar muito, ir aproveitando a Plus Collection e um ou outro jogo digital, como disse, posteriormente se for possível adicionar um leitor e trocar a carcaça inferior pode valer a pena.

nETTo
nETTo
1 mês atrás

De certo, muito pode ser dito por esta entrevista.

“funciona com potencia “quase” total”, isso aqui abre margem pra brechas as quais as palavras de Cerny não davam, Cerny sempre disse que o sistema teria capacidade de funcionar em seus picos “a maior parte do tempo” e que descerias as frequências num “raro” pior dos casos. Já o tio ai disque o PS5 não chega a trabalhar no pico, mas “quase” lá, ou seja, a qual frequência ele refere que o console irá trabalhar com este “quase”, pois de certo que para 10.3TF se precisaria da totalidade e não de um “quase totalidade”. Bem isso é apenas um questão que eu levanto.

Sobre o metal líquido, legal que eles se dedicaram pra fazer isso funcionar da melhor maneira possível, assim evitamos de estar abrindo o console ano a ano pra limpar e trocar pasta térmica.

A ventoinha ainda é controlada por um sistema “escravo”, ou seja, ela ainda vai emitir ruidos, mais cedo ou mais tarde. Não tem jeito, console da Sony sem barulho de turbina não é console da Sony. Isso me desagradou.

O tamanho do console também é um ponto fraco PRA MIM, muito grande, um pouco menor e ele seria perfeito, pois o design eu achei explendido, muito melhor que o design “lata de lixo” do XSX (sem querer ofender o ego de nenhum amante de Xbox aqui), isso é apenas a minha opinião.

Fiquei pensando também no seguinte, esta entrevista mostra o quanto eles conseguiram economizar com estes sistemas de térmica, de modo que me veio a cuca o seguinte questionamento. Estaria a Microsoft tendo um preju muito maior que a Sony? Tendo em visto que sua APU é em tese mais poderosa e mais cara, seu sistema de refrigeção mais moderno e mais caro e ainda por cima o console se apresenta menor que o da Sony. Penso eu que se o PS5 custá 499,00 o XSX deveria custa ao menos mais 50 dolares que isso, por tudo o que eu digo acima.

De resto, eu não vou comprar no lançamento o PS5 e nem o XSX, vou esperar 1 ano ou até a primeira revisão de hardware pra ver o que estes consoles apresentam em termos de confiabilidade.

Até lá eu fico na velha geração com o meu One Fat já que a Microsoft ta vivendo de jogos desta geração e pego o PS5 mais lá pra frente pois para além dos preços dos consoles serem impeditivos aqui no brasil ainda tem a questão dos jogos que até este momento estão salgados de se comprar, de forma que daqui a 1 ano ou mais estes mesmos jogos já poderão ser comprados por valores MUITO menores.

Edit: Esqueci de referir algo que me preocupa e que até agora tem pouco material sobre, que é sobre o SSD interno e a expansão do SSD externo. O que eu tenho visto de pessoas que já lidam com SSDs é que eles esquentam absurdos, de modo que diferente de outras gerações onde os consoles tinham em seus SOCs a maior fonte de calor, agora nesta nova geração soma-se a esta até 2 novas fontes. Será que o sistema térmico ai vai aguentar o tranco?

Edson
Edson
Responder a  nETTo
1 mês atrás

Faço dos seus questionamentos, os meus! Sobre o Hardware, creio que a MS tenha gasto mais no series X do que a Sony no ps5, pois os rumores falavam que a Sony queria vender o ps5 acima dos 500 dólares, mas como a MS anunciou o series X por 500 dólares, a Sony se viu obrigada a igualar o preço. Esses rumores vão de encontro com as palavras de Michael Patcher e outros da indústria que garantiam que a MS estaria disposta a perder mais dinheiro em seu hardware do que a Sony, por ter uma saúde financeira infinitamente maior. Em relação à durabilidade, tbm não apostaria a ficha em nenhum desses produtos por pelo menos 2 anos no mercado até ver se darão ou não algum tipo de problema. Algo me diz que essa nova geração me lembrará um pouco a geração ps3/xbox 360 no que diz sobre problemas, mas tomara que eu esteja errado. Para finalizar, tbm fiquei com uma pulga atrás da orelha com o engenheiro da Sony falando sobre o atingir picos, dando a sensação que ele e o Cerny entraram em contradição, lembrando-me até a MS nisso. Tomara que tenha sido algum erro de tradução do japonês para outras línguas ( Se foi em japonês a entrevista) ou… A Sony pode estar escondendo algo não tão positivo nisso… Veremos!

Nuno Sousa
Nuno Sousa
Responder a  Edson
1 mês atrás

Curioso
Eu vejo as coisas ao contrário. Toda a estrutura está feita em torno da temperatura. Se é assim porque razão é que a Sony quer controlar a velocidade da ventoinha futuramente através de software? Por si só os censores que tem e a adaptação da velocidade da ventoinha às temperaturas por si não respondiam sem a necessidade de intervenção da Sony? Acho isto a resposta certa para os jogos da 2ª metade do ciclo. Sendo mais exigentes requerem outro tratamento. Vocês entendem que se não chega à capacidade total não pode atingir nem de perto nem de longe os 10,3 T. Eu vou mais além. Muito perto disso são alcançáveis, agora. Não o são no futuro quando os jogos exigirem outras condições, ou seja mais power. Pergunto. Se a ventoinha é acedida via software aumentando a sua velocidade também o boost do relógio não pode ser efetuado no futuro por meio de software? Digamos para um máximo de 2,5? A ser possível acho que deve estar respondida esta atitude por parte da Sony

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  nETTo
1 mês atrás

Acho que vc está confundindo… Diferente do Ps4, potência “quase total” o tempo todo é referido sobre o SoC, que não é apenas GPU e CPU, mas também I/O inclusa nisso. CPU e GPU não trabalharão o tempo tempo todo nos seus limites e isso é mais do que óbvio, inclusive explicado pelo Cerny. Também você precisa lembrar que o limite máximo do SoC nunca vai ser igual o limite máximo com a margem imposta pela empresa. Nunca algo vai ser feito para trabalhar no limite do Soc, existem margens seguras para se trabalhar e adota-se sempre o máximo de operação abaixo disso. Não há nada em desacordo com as falas deles, é só uma questão de interpretação.

Marco Antonio Brasil
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Eu também entendi dessa forma.

Deto
Deto
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

isso vai ser interessante.

então seria algo como o PS4 nunca chega mesmo nos 1.8TF, ficando lá por 1.2TF ex, enquanto o PS5 está a maior parte do tempo entregando “10TF”?

Seria interessante sabermos se o SX trabalha a maior parte do tempo no maior TDP ou não…

Deto
Deto
1 mês atrás

a melhor parte é o TDP.

Etnão quer dizer que o PS5 opera no máximo quase o tempo todo, ao contrário do PS4 que tem relogio travado?

Essa informação eu achei bem interessante, agora fica a dúvida, o SX opera na maior parte do tempo no máximo do seu TDP?

Veremos nos multiplataformas.

Leadberg reclamava do “PS5 vai entupir de poeira mimimi” e não falava nada de entrar poeira no SX… isso antes de sabermos que o PS5 tem coletor de poeira, sera que o leadberg vai ficar “preocupado” agora que o xbox NÃO tem coletor de poeira?

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Deto
1 mês atrás

Você fica tão preocupado com comentários tendenciosos contra o PlayStation que se torna um cara amargurado… Simplesmente ignore quando os outros falam bobagem… Você não tem controle sobre isso, se estressa a toa. Está aqui em todo artigo com uma amargura ímpar. “Ah, mas os caras lá falaram isso do ps5 e não falam do SX.”
Poxa, cara, dê uma amadurecida. Não concordo com mais de 50% das coisas que a digital foundry fala, mas ela não é a dona da razão e nunca disse que é. Se informe em outros tantos lugares técnicos impaciai. Poupe todos de ataques em todos os artigos. Cansa, manja?

Fernando Molina
Fernando Molina
1 mês atrás

Pela entrevista dá pra perceber o carinho e o cuidado na criação do console, é uma belíssima máquina, e sem dúvida fará um enorme sucesso

Sparrow81
Sparrow81
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Off Topic – Yakuza 7 confirmado 4k/60fps no ps5 vs 4k/30fps no SX… Xihhhhh, rapaz!

nETTo
nETTo
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

https://pbs.twimg.com/media/Ek5S9xcXEAAsFiv?format=jpg&name=large

Será?

No XSX roda 4K 30fps e pra segura 60fps baixo até 1080p

PS: Print supostamente retirado da revista PlayStation UK

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  nETTo
1 mês atrás

Eu tenho a edição digital, posso confirmar que esta imagem é verdadeira, consta na página 51 da revista.

Agora, desconfio que a revista esteja se referindo a 4k dinâmico. Está escrito que a versão PS4 pro rodará em 4k 30fps. A versão japonesa do jogo lançada no começo do ano roda a 900p 30fps no PS4 e 1080p 30fps no PS4 Pro.

Mas de qualquer maneira, está muito estranho o Xbox Series X ter 2 modos a 60fps: 1440p 60fps com quedas de FPS, e 1080p 60fps constantes. O jogo não faz uso de Ray Tracing. Não me surpreenderia em nada se o PS5 apresentar melhor performance nesse jogo.

nETTo
nETTo
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Por isso mesmo tem na minha mensagem os termos “será?” e “supostamente”.

Quer mais cautela que isso kkk

Daniel
Daniel
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Só teria uma diferença em tal escala se a APU do PS5 fosse derivada de ZEN 3 (talvez nem assim). Achava que seria maior, mas a redução de memória cache de CPU (r7 3700x) para Renoir (apu que derivou PS5/Series X/S) num mesmo 8/16 ocasionaram perdas entre 10/20%. O que me parece é que o Ps5 será o console base (principalmente para thirds japonesas), e mesmo eventuais “parcerias” adiantando versões em pró do console Microsoft não será suficiente para mudar isso.

nETTo
nETTo
Responder a  Daniel
1 mês atrás

O problema pode ser também na API, Devkit, em ferramentas de desenvolvimento.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  nETTo
1 mês atrás

Linneman se pronunciou a respeito.

Crê que as versões do PS5 e XSX serão semelhantes, e a revista se referia a 4k como um “output padrão”.

https://twitter.com/dark1x/status/1319267987526803458?s=20

error: Conteúdo protegido