Alguma vez veremos Ray Tracing na versão consolas de Minecraft?

4 2 votes
Avalie o nosso artigo

Uma versão de Minecraft para com Ray Tracing foi lançada para o Windows 10. Mas ate ao momento nunca nada foi anunciado para as Xbox Series.!

Na e3 de 2017, a Mojang anunciou o ‘Super Duper Graphics Pack’ que estava planeado para ser lançado já em Outubro desse mesmo ano. Traria resoluções 4K, melhorias gráficas e um grafismo a imitar shaders.

Mas apesar da promessa e data já definida de lançamento indicada na apresentação, o projecto foi atrasado, e atrasado, até que foi finalmente cancelado para nunca mais ver a luz do dia.

A situação criou imensa desilusão nos fans que estavam, com uma Xbox One X. Aliás houve mesmo quem referisse que tinha feito o upgrade para poder jogar esse jogo (que é um jogo jogado por largos milhões, com uma base de fans gigante). Mas o certo é que esses terão ficado mesmo frustrados pois o update nunca saiu. Foi anunciado, foi apresentado, foi indicada a data de lançamento, que por ser próxima quase indicava um projecto quase terminado… mas o que aconteceu foi que nada saiu!

Talvez para compensar isso, a Microsoft apresentou uma nova novidade para Minecraft. A implementação de uma tecnologia de Ray Tracing, disponibilizada na versão do Windows 10 do jogo. No entanto, apesar de tal satisfazer os possuidores PC, as consolas nada iriam receber, pois estas nunca foram referidas como tendo ou não suporte, e isto apesar que quando a versão com RT foi mostrada a série X já tinha sido apresentada ao público como suportando Ray Tracing, há um mês.



Consultando o F.A.Q sobre o Ray Tracing, o que vemos é que há apenas uma referência às consolas, e é para dizer que não há qualquer novidade sobre um possível suporte às mesmas. Teoricamente as consolas possuem a capacidade para o RT, mas a Mojang nunca se comprometeu com o suporte às mesmas.
No entanto, em princípios de 2020, a Microsoft lançou um vídeo com uma suposta versão da Xbox série X de Minecraft, dotada de capacidades Ray Tracing. Vídeo esse que chegou mesmo a ser comentado e analisado por Alex Bataglia da DF, e que se encontra, com a análise, a seguir.

A demo, que mostrava a prova de conceito de Minecraft com Ray Tracing na Xbox, corria a 1080p, e com problemas de performance que lhe causavam quebras de fps, atirando a média para 29,97 fps, o que, perante a simplicidade do grafismo de Minecraft, levantou sérias questões sobre as capacidades da Xbox série X em lançar o produto para o mercado.

E essas duvidas aumentaram ainda mais quando a Microsoft anuncia uma nova consola ainda menos capaz que a série X, e que terá de correr o mesmo jogo. Afinal seria muito mau, se uma equipa First Party fizesse separação entre os dois produtos da própria empresa.

E o resultado é que até agora… nada saiu de patch Ray Tracing para as consolas… e nem sequer há qualquer palavra sobre o assunto, o que aparenta mostrar que estaremos perante um segundo Super Duper patch… ou seja… outra promessa que nunca verá a luz do dia!



4 2 votes
Avalie o nosso artigo
8 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo Kaufmann
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Mário eu queria te responder sobre o artigo que vc fez do Halo ter vencido aquele prêmio de votação popular! Acho que vc não tinha entendido um comentário meu que eu fiz a bastante tempo em outro artigo e eu esqueci de te corrigir! Eu não ligo pra nenhum tipo de prêmiação! Não que eu ache elas erradas, eu acho até divertindo acompanhar elas, mas acho que as pessoas levam elas muito a sério! Elas acham que se um jogo venceu um prêmiozinho ele é o melhor jogo do ano indiscutivelmente! O que pra mim é algo ridículo! Pra mim cada um tem que jogar o jogo e ter sua própria opinião sobre ele!

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Esse conceito de “path tracing” usado em Minecraft vai de encontro com o foi dito pelo Mark Cerny sobre “Ray tracing e 3rd era”: https://www.youtube.com/watch?v=cJkx-OLgLzo

Tirei esse trecho abaixo da análise da Digital Foundry https://www.eurogamer.net/articles/digitalfoundry-2020-hands-on-with-the-minecraft-rtx-beta

Most RT-enabled games use a combination of standard rasterization techniques with ray tracing features on top – hybrid rendering if you like. In Minecraft RTX, everything is ray traced: every element is realistically, correctly lit – and as you’ll see in the embedded video below, the extent of this implementation produces effects we’ve never seen in games before.

Ou seja, os jogos atuais fazem essa “renderização híbrida” mencionada pelo Alex. Spiderman por exemplo possui reflexos por Ray Tracing, mas também faz uso de técnicas de rasterização padrão. O mesmo vale para os demais jogos que usam técnicas de Ray Tracing para um ou mais efeitos. Cyberpunk 2077 é um bom exemplo disso, porque usa Ray Tracing em diversos efeitos na versão PC (reflexos, sombras, oclusão de ambiente, iluminação global e direct lightning. Link: https://www.youtube.com/watch?v=RMs1Wdi7OcI), mas ainda não é um path tracing.

Parece razoável de se pensar que path tracing pode ser o futuro em renderização de jogos AAA. Só que isso demanda uma gigantesca melhoria tanto em hardware quanto em software.

Do ponto de vista de hardware, a NVIDIA ainda está na segunda geração de RT Cores, e a AMD na primeira geração de Ray Accelerators. Isso deve evoluir muito ao longo das próximas gerações de VGAs no PC, e provavelmente uma nova geração de consoles daqui alguns anos irá consolidar todas essas melhorias oferecendo um novo standard na indústria.

Do ponto de vista de software, ainda existe muita discussão sobre como melhorar a representação dos objetos usando as árvores BVH. Um pequeno case à respeito foi compartilhado por um engenheiro de render da Playground: https://twitter.com/KostasAAA/status/1285685607663112193?s=20 . Claro que quanto mais eficiente, melhor tende a ser a economia, seja em memória ou em milissegundos para calcular a interseção dos raios.

Caso esse raciocínio de “Ray tracing e 3rd era” se confirme, a idéia seria que estamos para Ray Tracing hoje da mesma forma que os jogos estavam para o 3d em 1993, com o Super Nintendo lançando Star Fox, e o PC recebendo Doom. Ou seja, já existem cases interessantes, mas com muito potencial para evoluir.

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Carlos, será se existirem os consoles de meio geração, já terão um uso disso bem definido ou vc acredita que só na próxima geração msm, possivelmente ps6 e um novo xbox ( caso tenhamos novos xbox até lá).

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Edson Nill
1 mês atrás

Path tracing em lançamentos AAA me parece algo difícil até o meio da geração. Então essa renderização híbrida ainda deverá perpetuar por um bom tempo.

Se tivermos consoles mid-gen, é possível que eles ofereçam mais efeitos por Ray Tracing (assim como Cyberpunk 2077 no PC), maior frame-rate em alta resolução.

Mas honestamente, não sei se apenas a adição de alguns efeitos mais realistas teria força suficiente para se impor no mercado. O Xbox One X e o PS4 Pro foram propostas muito claras, no caso trabalhar em alta resolução, já que os televisores 4k invadiram as lojas.

Juca
Juca
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Em aposto que existirão consoles mid-gen, mais por questões comerciais pra manter as vendas, entretanto é indiscutível que esses primeiros consoles se alongarão por mais tempo porque o potencial de vendas está longe de ser esgotado. A menos que por guerra comercial se precipitem os mid-gens.
Sobre o RT acredito que você está coberto de razão. Path Tracing parece um futuro plausível, mas é algo que pra atingir um real potencial sem sacrificar outras conquistas (como as altas resoluções) ainda precisa de algumas gerações de hardware pra serem realmente algo aceitável como um novo padrão na indústria.
Acredito que mesmo um década adiante é algo insuficiente para vermos jogos com full rt com alguma frequência na indústria, a menos se as recontruções de imagem avancem muito em paralelo.

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Obrigado pela explicação, irmão!

error: Conteúdo protegido