Apresentação da Nintendo Switch levanta várias questões pertinentes

nintendo-switch2-g1

A forma como a Nintendo decidiu revelar a sua Switch (anteriormente conhecida como NX), com um trailer e sem grande informação complementar, acaba por levantar várias questões.

Quem se recorda da apresentação da Xbox One ou da PS4 recorda certamente que a mesma durou uma hora e foi acompanhada por discursos diversos que identificavam a consola, a estratégia a seguir, o público alvo a alcançar, as suas capacidades e especificações, bem como deram a conhecer os jogos que atingiriam as consolas brevemente.

Mas a Nintendo com a Switch, basicamente… lançou um video. Não acompanhando o mesmo de uma conferência!

O video revela muito sobre a consola, permitindo acima de tudo perceber que estamos perante uma clara extensão do conceito iniciado com o gamepad da WiiU.

Mas o que temos aqui é algo de novo. Não é uma consola de secretária, nem sequer uma portátil. É uma consola que tanto é portátil, como é de mesa, e acima de tudo extremamente versátil na forma como de qualquer forma e em qualquer lugar permite jogar.

Dotada de rede wi-fi e com capacidades multi jogador alargadas, a consola tem claramente largas pernas para andar.

Mas no entanto o video só por si deixa muitas questões importantes por responder!

Acima de tudo a questão principal que se coloca sobre a Switch é: Qual o hardware e as suas capacidades?

Só esta questão é que permitiria ao público ter uma real noção do que poderá esperar. Afinal vender uma portátil é uma coisa, vender uma consola de mesa é outra. A Switch no que toca a esse aspecto é pouco clara, especialmente porque pisa em terrenos pouco usuais ao oferecer uma consola com duas capacidades diferentes. Mas quais as diferenças efectivas entre os modos?

Sabe-se pelos devkits que o ecrã da Portátil é 720p, sendo que a consola suporta 1080p quando ligada a uma TV. Mas como se obtêm a imagem final na TV?

  • É o mesmo jogo obtido no modo portátil a 720p mas re-escalado para 1080p?
  • É o mesmo jogo mas calculado posteriormente a 1080p nativos graças a poder adicional obtido quando a consola está ligada à corrente?

A consola, quando ligada à corrente poderia ter performances superiores graças a não ter limites de consumo. No entanto essa performance vem associada a maior dissipação térmica, podendo a caixa onde a portátil é inserida funcionar como dissipador. Mas no entanto nada nos garante isso e a referência aos 1080p pode estar limitada à capacidade de output e capacidade de visualização de filmes, e não ao que iremos obter nativamente nos jogos.

Basicamente aqui fica levantada e por responder uma questão que precisa claramente de resposta!

Mas depois há outras questões . É que quando a consola se define simultâneamente como uma consola de secretária e de mesa, o que podemos esperar dela?

  • Jogos com qualidade de uma consola de secretária adaptados a uma portátil?
  • Jogos de portátil adaptados a secretária?
  • Uma consola claramente híbrida que abraçará de igual forma os dois mercados?

Sem sabermos as especificações finais da consola, temos dados não oficiais dos dev kits que nos permitem saber que esta consola acaba por ser mais capaz do que uma WiiU, Xbox 360 ou PS3, pelo que neste campo podemos esperar uma qualidade superior ao que estas consolas ofereciam. É assim uma consola que nos oferece muito mais do que a anterior geração nos dava, quer na sua componente de secretária, quer na portátil.


Mas independentemente de tal interessava saber a posição da Nintendo sobre qual dos dois mercados pretende alcançar. Os mercados mobile e o de mesa são radicalmente diferentes a nível de suporte, interacção, estilo de jogos, e mesmo e qualidade do oferecido. A Switch pode apanhar os dois mundos, mas perderá muito interesse se for dominada por estilos de jogos mobile em detrimento de jogos de secretária. E sendo a Nintendo muito virada para o jogo casual, e menos para o hardcore, essa direcção não seria de todo estranha.

Falta aqui uma divulgação clara do tipo de suporte e jogos previstos para a consola, de forma a se ter uma ideia sobre se poderemos esperar ter na consola os jogos de uma Xbox One/PS4 obtidos de forma reduzida, ou ou jogos de uma 3DS obtidos de forma melhorada, ou mesmo algo declaradamente misto e obtido de forma equilibrada.

Mas mais uma vez, para isso, seria necessária uma apresentação mais completa.

Diga-se que após tanto tempo de espera, esta informação acaba por ser claramente incompleta.

O que podemos ver no video são 6 jogos: The Legend of Zelda: Breath of the Wild, Mario Kart 8, Skyrim, e Splatoon. Aqui temos de dar o mérito de estes jogos estarem a correr no modo portátil sem problemas, mas no entanto com uma qualidade gráfica que não se distingue muito do que se tinha na WiiU.

E num mercado com consolas como a PS4 Pro ou a futura Scorpio, a NX parece um pouco limitada no que pode oferecer como consola de mesa, ficando assim a ideia que no fundo ela acabará por ser mais uma 3DS melhorada do que uma consola de mesa limitada.

É certo que a consola é bonita, interessante, versátil e tudo o mais. Mas se a consola vai penetrar num mercado de portáteis que já era da Nintendo e não se conseguindo impor no mercado das consolas de mesa dos concorrentes, a Nintendo não terá conseguido mais do que penetrar um mercado que já era seu, e no qual a concorrência nem sequer está a entrar.

Mas vamos aguardar por mais informação. Afinal a consola só em Março de 2017!

Mas o video também esconde muitas situações não reveladas de forma aberta. Vejam uma análise profunda ao mesmo, que revela muito que não salta directamente à vista (Em Inglês).

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (29)

  1. Mário, a Nintendo está a vender o console como home gaming system. Inclusive estava no site da Nintendo, e creio que ainda esteja, pelo menos, minutos antes da apresentação, estavam vendendo assim o conceito do console.

    • E isso é? Traz batatas fritas?
      A Nintendo tem de falar… Tem de apresentar a consola e enquadrar e definir a mesma. Usar um conceito abstracto que não define verdadeiramente nada e nunca ninguem ouviu só confunde o cliente. As pessoas querem é saber o que aquilo vale, ver os gráficos de que é capaz e saber, acima de tudo, que empresas estão a suportar a consola.
      Não te esqueças que com a WiiU a nintendo anunciou uma parceria com a EA sem precedentes que deu em… 1 jogo!
      Realmente foi sem precedentes 😉

      • Sim, pq não vendeu! Se vender bem, terá parcerias, se não, não terá! Creio que a diferença técnica do switch para o ps4 seja menor do que o wii do ps3, e msm assim, o wii teve um bom suporte third, lembro que até o far cry ele teve, horrível por sinal!rsrs

        • E quem vai comprar primeiro a ver se tem parcerias e vende bem?
          A Nintendo tem de se chegar à frente e dizer qualquer coisa. Mostrar jogos e suporte! Caso contrário as pessoas, justificadamente, podem temer outra WiiU.

        • Segundo os rumores de especificações do Devkit, ele será 3.5x mais fraco que o PS4. Pra mim é considerável o bastante para saber que é mais um WiiU melhorado do que um console capaz de rivalizar com PS4 e Xbox One em jogos de mesa.
          Como portátil, ele certamente enterra de vez o PS Vita e talvez a carreira da Sony nesse ramo.

  2. Na minha opinião, o grande problema desse NX é que a Nintendo quer abraçar dois mercados distintos com um console só, e isso pode dar muito errado e poderemos ver o fracasso do Wii U se repetindo, mas vamos aguardar.

    • Não vai dar errado, no máximo fica tudo na mesma. Eles sendo lideres dos portáteis, e vendendo menos do que todo mundo no mercado de consoles de mesa.
      Eu acho que seria inteligente se além do Kit com a dock station, tivesse versões apenas com o portátil e o preço do kit completo ser no máximo 249 dólares.

      • Mas o problema é que a Nintendo não pode se dar ao luxo de outro fracasso no console de mesa, mesmo pq no mercado de portáteis ela navega em aguas tranquilas, eles tem é que voltar ao básico, o nome Nintendo ainda é muito forte, mas até seu público fiel já está cansando.

        • Por isso que fizeram uma jogada de segurança. Se esse console for um fracasso como produto de mesa, o sucesso dele como portátil compensa. o 3DS vendeu muitas unidades (inclusive pra mim), e muitos desses clientes do 3DS acharão o conceito do SWitch interessante e cogitarão a troca do portátil(inclusive eu).

          Por que escolheram um hardware mobile da Nvidia? Por que assim eles mantem a filosofia de um produto de baixo custo e matam dois coelhos com um única cajadada. O Switch por mais que eles digam que não, substitui 3DS e WiiU de uma única vez. O risco desse negócio é mínimo, e o que conseguirem a mais é um lucro tremendo. Eles se conformaram com a posição de ser o console secundário (já disse isso umas 3x aqui hoje, desculpa…).

  3. Olá Mário, acompanho seu blog a algum tempo já, e neste artigo vejo vc usar um termo q nunca vi usar: “consola de secretária”, é sinônimo para console de mesa? fiquei confuso, nunca vi ninguém usar este termo.

  4. Tem uma notícia na Eurogamer de que a dock station serve apenas para carregar o portátil e fornencer a saída para a TV. Nenhum processamento extra.

  5. Hennan Santos Carvalho 21 de Outubro de 2016 @ 16:28

    Ao meu ver a Nintendo está lançando um portátil e vendendo como home console. Para assim pode cobrar mais e diminuir a canibalização do 3DS. Ela mesmo já confirmou que o dock station só carrega e faz a ligação com a TV, sendo assim, onde está o híbrido? Além disso, essa demora para divulgar mais dados sobre o produto, mostram que a atual diretoria sabe que tem uma bomba na mão e não sabe o que fazer para contornar.

  6. Não vou mentir, eu adorei o conceito do Switch, mas se eu decidisse o que fazer, com certeza lançaria um console com algo como a potência do Scorpio e aposto que a galera iria á loucura, as thirds apoiariam com ajuda de incentivo ($$$$) venderia muito e ainda poderia lançar esse tablet como portátil pro público do 3DS.
    Poderia ser um fiasco, mas o risco de ser sucesso acredito, seria bem maior.

    • Certamente teria apoio de todas as thirds, mas aí está um problema. Nintendo 64 e Game Cube representaram perdas financeiras por causa do investimento em hardware de alto rendimento e poucas vendas. Eu acho que a nintendo não quer mais fazer experiências. Se até no Japão eles não tem como competir com o publico do PlayStation, o que resta pra eles é isso. Fazer um console para um público diferente, como o Nintendo Wii, manter o reino nos portáteis e vender o switch para ser o segundo console de um dono de PS4 e Xbox One.
      Eu vejo assim, eles estão em uma competição a parte e devem seduzir os consumidores pelas particularidades que só existem na plataforma deles, mas devem se contentar com o fato de que as pessoaa irao procurar outros consoles para jogar Call of Duty, Battlefield, GTA, Red dead, etc…

  7. Esse Nintendo Switch é praticamente um Tablet com controle e que pode ser ligado a TV. Baseado nos Kits de desenvolvimento que já foram distribuídos, ele chegará equipado com o chip mobile Tegra X1 da Nvidia. Esse chip entrega 512 GFLOPS (FP32), um pouco mais poderoso que o Wii U, mas bem mais fraco que o Xbox One.

  8. 4 núcleos ARM Cortex-A57, máximo 2GHz
    Arquitectura Nvidia Maxwell de segunda geração
    256 núcleos CUDA, máximo 1 GHz, 1024 FLOPS/ciclo
    4 GB de RAM (25.6 GB/s, VRAM partilhada)
    32 GB de armazenamento (transferência máxima de 400 MB/s)
    USB 2.0 e 3.0
    Ecrã 1280 x 720 6.2″ IPS LCD
    Saída de video a 1080p e 60 fps ou 4k e 30 fps no máximo
    Mário, bom dia! Se as especificações do switch for está acima, ele seria poderoso? Tirei está informação da eurogamer hj, pois veio de um rumor, dito por um insider.

    • Essas especificações se assemelham ao SOC Tegra X1 da Nvidia. Esse é um dos chips Mobile mais poderosos, com desempenho semelhante ao Snapdragon 820, mas bem mais fraco que o Xbox One ou o PS4.

  9. Esta informação ( corrigindo a escrita)

Os comentarios estao fechados.