As consolas por ordem da disponibilidade de exclusivos

Quais as consolas actualmente à venda que mais exclusivos possuem? Eis uns valores:

Antes do mais, vamos separar aqui as consolas portáteis das de mesa. São mercados diferentes, com públicos alvo diferentes e com interesses diferentes.

Começemos então:

Consolas portáteis:

Nº 3 – Nintendo Switch

A Nintendo Switch é a mais recente das consolas, tendo sido lançada a 3 de Março deste ano.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Vendas; 4.26 milhões (VGChartz), 4.7 milhões despachados (oficial)

Exclusivos existentes e previstos até final de 2017: 26

Melhor média de notas no Metacritic: 9.7 Media, 9.5 Utilizadores (jogos diferentes para media e utilizadores)

Jogos com média no Metacritic superior a 9 – 3 (3 exclusivos)

Nº 2 – PS Vita

Vendas – 15,5 Milhões (VGChartz)

Exclusivos existentes e previstos até final de 2017: 198

Melhor média de notas no Metacritic: 9.3 Media, 9.3 Utilizadores (jogos diferentes para media e utilizadores)

Jogos com média no Metacritic superior a 9 – 6 (1 exclusivo + 1 exclusivo Playetation)

Nº 1 – Nintendo 3DS

Vendas – 65.5 milhões (VGChartz)

Exclusivos existentes e previstos até final de 2017: 813

Melhor média de notas no Metacritic: 9.4 Media, 9.3 Utilizadores (jogos diferentes para media e utilizadores)

Jogos com média no Metacritic superior a 9 – 7 (5 exclusivos + 1 exclusivo consola)

Consolas de mesa:

Nº 3 – Nintendo Switch

A Nintendo Switch é a mais recente das consolas, tendo sido lançada a 3 de Março deste ano.

Vendas; 4.26 milhões (VGChartz)

Exclusivos existentes e previstos até final de 2017: 26

Melhor média de notas no Metacritic: 9.7 Media, 9.5 Utilizadores (jogos diferentes para media e utilizadores)

Jogos com média no Metacritic superior a 9 – 3 (3 exclusivos)

Nº 2 – Xbox

Vendas – 29.98 Milhões (VGChartz)

Exclusivos existentes e previstos até final de 2017: 146

Melhor média de notas no Metacritic: 9.7 Media, 9.2 Utilizadores (jogos diferentes para media e utilizadores)

Jogos com média no Metacritic superior a 9 – 12 (1 exclusivo consola)

Nº 1 – PS4

Vendas – 60.4 milhões (oficial)

Exclusivos existentes e previstos até final de 2017: 813

Melhor média de notas no Metacritic: 9.7 Media, 9.6 Utilizadores (jogos diferentes para media e utilizadores)

Jogos com média no Metacritic superior a 9 – 19 (2 exclusivos + 4 exclusivos Playstation + 1 exclusivo consola)

Fonte para número de exclusivos: Twinfinite

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (19)

  1. Com relação aos consoles de mesa fica claro a importância dos EXCLUSIVOS, item tão questionado por muitos.
    É de lamentar a perda da representatividade da xbox one (nº em vendas) sendo que com xbox 360 foi um sucesso incontestável ( apesar do ps3 ainda estar vivo e vendendo).
    Espero que o Xbox one x melhore a diferença de vendas com ps4/ps4pro pois acho que uma vantagem de 2:1 não é de interesse dos “Gamers”.
    Acredito que um melhora nas vendas da MS e uma estabilidade na da Sony possa protelar um pouco mais está geração de consoles de mesa. Quem sabe um reset e um novo começo de igual por igual em uma nova geração aconteça de 2020 para frente (que sonho!).

  2. Off topic! Seria bom se a Sony trouxesse o PS2 para
    a disputa com a retrocompatibilidade na PS4.

  3. João Magalhães 6 de Agosto de 2017 @ 7:13

    A lista em quantidade do PS4 é incontestável.

    Falando friamemte…Ele está chegando ao ponto de receber exclusivos de graça sem muito esforço por ser o preferido das desenvolvedoras pelas vendas mais altas.Isso vai ter um efeito cascata como na época do PS2,enquanto MS e Nintendo vão ter que ir se contentado com as migalhas que caem da mesa.

    Muito difícil a essa altura mudar a dinamica da geração.

    • Não vejo por este ponto referente a migalhas.
      Acho que a Mic com a presença do X terá de alguma forma(não sei como)mudar a visão do gamer que ela mesmo perdeu para migrar neste console.Quanto Nintendo ela corre em paralelo com um hardware diferente e não com a mesma perpectiva de visão da Sony,não estamos com 3 hardware iguais para aproximar a geração retrasada.
      A Sony nesta gen já é vitoriosa sem contestação,agora cabe a ela manter esta liderança na next gen que promete uma luta sobre hardware muito forte por parte das duas que correm em favor de potência.Vamos esperar…..Mas que a coisa promete,promete.

  4. A Microsoft precisa de um game matador no Xbox One, o que foram Halo 3 e a série Gears of war na geração passada, mas eu acho muito difícil acontecer. Tudo relacionado ao Xbox é envolvido em um clima de muita negatividade instantaneamente e não há qualquer perspectiva de melhora quando os principais veículos de comunicação são aqueles que avaliam games de Xbox com notas abaixo do que o jogo realmente é e games de PlayStation com notas acima do que o jogo realmente é.
    Deve ser muito difícil competir numa situação dessas, as vezes eu acho que alguns veículos tentam forçar a Microsoft a desistir do mercado de games. Chegamos ao ponto onde jogos fracos de PlayStation como Nier Automata estão recebendo altas notas e games ainda não lançados de Xbox como Crackdown 3 já estão com o destino selado nas avaliações antes mesmo de lançamento.

    • Eu concordo com o que dizes. Mas convem deixar claro que a culpa disso é da própria Microsoft.
      Estamos em 2017, as consolas foram lançadas em 2013. Vê o que se passou desde aí.
      A Xbox é apresentada. 40 m dedicados a TV, 20 a jogos. E era uma consola de jogos.
      A consola custa mais 100 euros devido ao obrigatório Kinect.
      A consola é mais fraca que a oponente. Mas é mais cara!
      A Microsoft recusa-se a retirar o always online e o DRM. Aconselha a 360 a esses. Diz publicamente que retirar isso não é fácil pois está embutido no kernel da consola e ela foi concebida assim. Um mês depois o DRM e o always online saem devido às fracas vendas.
      Começa o paleio da Cloud. A Xbox seria pelo menos 4 vezes mais potente. Estamos em 2017 e a cloud foi… servidores banais mas dedicados.
      A Microsoft veio referir que taparia a diferença de performances. Foram eles que fizeram o DirectX. Estamos em 2017 e os jogos continuam a 900p/1080p mas agora com resoluções dinâmicas.
      O paleio paralelo era que a performance não é tudo. Mas agora aposta na X e na optimização para ela, mesmo que isso crie um fosso visivel entre as duas consolas. Os possuidores da One já não interessam… há que vender a X.
      A consola perdeu o Kinect. Melhorou e tornou-se apetecível. Mas entretanto os exclusivos passam para PC, e a aposta nos first cai. Ao ponto de até finais de 2018 ser uma secura.
      Eu gosto muito da Xbox… preferia que isto não fosse assim, mas a Microsoft não parece conseguir dar ponto sem nó. E depois não se pode queixar que muita gente olha para eles com desconfiança. E não é só na consola, a Microsoft tem vindo a criar descontentamento em toas as áreas. Recordo o forçar do windows 10 como exemplo.

      • No fim a própria Microsoft é a culpa da de tudo, está colhendo os frutos das má decisões que tomou, eu sinceramente discordo do Fernando, não joguei Níer e pelo mostrado não tenho interesse em Crackdwon, mas daí dizer que existe um complo contra o Xbox já é muita viagem, bons jogos merecem boas notas vide Forza H 3 e o novo Forza, jogos ruins merecem notas de acordo vide Ryse, Quantum Break, Recorde entre outros.

      • Disse tudo nesse comentário Mário, gostaria muito de ver o que as pessoas que defendem a MS com suas políticas erradas tem a dizer sobre esses fatos. Eu também não gosto nada da situação do Xbox, e espero que na próxima geração, eles não queiram forçar mais nenhuma idéia furada ou até mesmo tirânica como always online e DRM.
        E se possível, as pessoas diminuam essa console War ridícula e nós possamos ter conversas mais proveitosas. (Tô cansado de bloquear trolls e kids na internet… além disso, essa “disputa” espanta as pessoas inteligentes).

        • Se eu te disser que na semana passada ví um vídeo de um Youtuber brasileiro, gravado uns 8 meses atrás, na qual ele defendia as políticas iniciais do One porque trariam benefícios. Ele tem os argumentos, mas não me convenceram.

          Ahh o cara não é do mil grau, embora uns disseram que ele começou a fazer parte uns meses atrás.

          • Interessante. Não gostaria de dar audiência a Fanboy’s extremistas (que defendem o indefensável), mas gostaria de ver os argumentos, se puder me passar link ou info do vídeo ficarei agradecido.

            PS: Mil Grau eu nem consideraria

          • Livio… as políticas da Microsoft não eram o que se pintava… Mesmo a Microsoft nunca disse tudo sobre o que queria!
            Por exemplo, a partilha familiar… há algures um artigo aí na PCManias, e aquilo era um engodo. Não era nada do anunciado!
            Acho que era este:
            http://www.pcmanias.com/plano-familiar-da-xbox-one-na-realidade-apenas-permitiria-jogar-versoes-demonstracao-dos-jogos/
            De resto, o que a MIcrosoft queria não era bom. Poderia ser vantajoso para alguns, mas defender isso é olhar para o próprio umbigo (um dos males da sociedade atualmente). Todos temos direito a uma consola de jogos, e ter uma internet de qualidade é algo que muitas vezes não passa por nós. Até podes querer, podes poder pagar, mas… não tens!
            Não há nenhuma necessidade de isso ser obrigatório. E foi isso que as pessoas viram! Se a Xbox One obriga, e a PS4 não… vou para a PS4! É tão simples e claro como isso!

          • @Carlos o link é este:
            https://youtu.be/0AYYOL9aPMU

            @Mario ele fala da partilha familiar.

          • Eu sem ver sabia que falava… e isso mostra a falta de informação que tinha. Achas mesmo, num mundo de pessoas sãs mentalmente, que alguem ia vender 10 vezes menos permitindo a partilha de jogos?
            Quem acredita nisso, não acredita no pai natal… vive com ele e todos os dias anda nas renas voadoras.

          • @Mario e não é! Inicialmente não tinha percebido, mas você tem razão. Se no vídeo ele critica a revenda de uma jogo mídia física, que custa mais caro, para 3 pessoas então porque iria partilhar ou “revender digitalmente” um jogo digital com a promessa de ser mais barato para até 9 pessoas(considerando que 1 pessoa já tenha comprado)?

          • Lívio, apesar de não concordar, o rapaz do vídeo pelo menos mostra a idéia de uma forma melhor que a própria Microsoft não soube fazer.
            Apesar de toda a praticidade e possíveis preços melhores na mídia digital, com essa internet do Brasil fica difícil, e a questão das desenvolvedoras precisarem de muita grana pra bancar seus projetos (arriscados) de pleno acordo, afinal não estamos falando de MS e sim de estúdios, onde um fracasso pode significar o fim, o mercado de usados é bom pro pessoal, ruim pra eles… Complicado.
            Eu comprei o Black ops 3, odiei o jogo, daí o vendi quase pelo preço que comprei pois tinha pego numa promoção, se fosse mídia digital eu estaria com todo o prejuízo, fica aí um exemplo.
            Embora se houvesse a possibilidade de revender a licença X vezes isso fosse parcialmente resolvido…

          • O custo dos media fisicos é ridiculo. Uma empresa que vende garrafas de agua a 8 centimos tem lucro e tem os mesmos custos de produção e distribuição. Um jogo de 70 euros pode dar mais lucro em digital, mas se garrafas de 8 centimos dão lucro, isso é uma falsa questão.

    • Você acertou em citar o Nier(jogo sofrível)baixei a demo e não consegui jogar 15 minutos.Agora a Mic infelizmente nesta gen matou a sua consola antes do lançamento e tentou correr atrás do mercado,mas a sequela deixada por Dom Matrick foi grande demais.

Os comentarios estao fechados.