Até hoje, a geração de consolas que está para ser lançada foi a que menos me motivou a comprar uma consola no lançamento

4.8 11 votes
Avalie o nosso artigo

O hype é grande, as pessoas estão excitadas, fala-se sobre as novas consolas em tudo o que é sitio, e a guerra de consolas está ao rubro… Mas quando chega a hora de comprar… o interesse, pelo menos para mim, nunca foi tão pequeno!

NOTA: Este é um artigo de opinião na perspetiva pessoal de comprador e cliente das consolas.

Quem me conhece sabe… sou amante de videojogos! E se isso implicar uma outra consola, se a puder… compro-a! Não comprei todas no lançamento, mas dado que sou uma pessoa que se fascina com os bons videojogos, é atrás deles que eu vou, e não de marcas ou características.

Ora o lançamento de uma nova geração é algo que por norma me fascina, mas que neste lançamento que vai ocorrer daqui a alguns dias… me deixou decepcionado!

A questão é o lineup de lançamento das consolas, ou seja o que estará disponível no dia de lançamento das mesmas. E isso pesou tremendamente na minha decisão de compra!



No campo da Xbox optei por não a comprar tão cedo! Senti-me muito queimado com a geração que passou, e a falta de suporte da Microsoft. Apesar que a empresa está a apostar fortemente em equipas, falta saber quais os seus reais planos, dado que o seu campo de abrangência actualmente é muito grande e em mercados que não se coadunam nada com o lançamento de jogos AAA.

Seria aliás, a meu ver, uma má mensagem dada à Microsoft, o apostar cegamente na sua consola após 8 anos de promessas não cumpridas. Aliás a Xbox One será sucedida em poucos dias, e a grande promessa de 2013 de uma consola “Cloud Powered” ainda está por cumprir! E o mesmo se passa com a questão de “não vamos deixar a Sony ter uma vantagem de 40%” que pareceu estar a ser combatido durante muito tempo, mas que foi esquecida completamente com o lançamento da One X, altura em que o desfasamento entre a One a PS4 aumentou novamente para valores perto dos iniciais.

Depois o suporte a uma consola de qualidade inferior, como é o caso da S é outro grande off, que leva a acreditar que os jogos first party da empresa possam limitados nas suas potencialidades pelo suporte de qualidade a que estas equipas estão obrigadas a dar a ambas as consolas.

Depois o suporte claro aos Cross Gen é outro off, e a grande aposta da Microsoft na retro compatibilidade como um dos pontos principais de promoção da consola (na falta de melhor), tambem é algo que não me atrai.

Daí que a escolher uma consola para compra no lançamento, só mesmo a PS5. Aliás, publicamos hoje aqui uma noticia em que Ryan MCCaffrey, um reconhecido fan da Xbox concorda que a Xbox não tem verdadeiros atractivos.

Mas a realidade é que a Sony também não tem sido um verdadeiro exemplo. Após anos a dizer que acreditava nas gerações, o CEO da Playstation vem agora falar em jogos Cross Gen e em um suporte à PS4 até 2022 que não se sabe em que moldes ocorrerá, mas que poderá incluir ainda mais suporte Cross Gen. Ou seja, a Sony, que aparentava estar num outro rumo diferente do da Microsoft, acaba a fazer exatamente o mesmo, tirando bastante interesse numa compra de uma PS5 no seu dia de lançamento.



Mas, tal como muita gente, optei mesmo pela compra… e assim sendo estava na altura de escolher os jogos que iriam acompanhar a consola. E aqui, ao contrário da Xbox, que possui zero suporte first party no lançamento e como exclusivos Third Party para o dia de lançamento possui apenas os jogos Falconeer e Bright Memory, a escolha era maior, com uma série de exclusivos disponíveis.

Ora a questão é que para encomendar a consola e garantir a sua vinda, isso teve de acontecer à vários meses atrás, numa altura em que a Sony tinha falado dos seguintes jogos first party:

Demon Souls
Destruction All Stars
Sackboy: A Big Adventure
Spider Man: Miles Morales
Gran Turismo 7
Horizon: Forbidden west
Ratchet and Clank: Rift Apart
Returnal

Mas infelizmente, veio-se a saber à posteriori que no lançamento apenas teríamos:

Demon Souls
Destruction All Stars
Sackboy: A Big Adventure
Spider Man: Miles Morales



Pois o resto seria lançado em 2021.

Acrescentando a isto alguns exclusivos Third Party tinhamos então disponíveis no lançamento ainda o jogo Godfall.

Ou seja, 5 jogos exclusivos, para além dos multiplataformas… certamente muito por onde escolher certo?

Bem… nem por isso, pois vai depender de muita coisa!

Na parte que me toca o Destruction All Stars estava fora de hipotese! Muito bonito, muito interessante, mas não sendo um jogo pelo qual, de livre agrado, desse 80 euros! (Felizmente a Sony acabou por perceber isto, removendo-o do lançamento e indo-o oferecer gratuitamente na PSN)



O Demon Souls ia pelo mesmo caminho. Reconhecendo todas as qualidades ao jogo e especialmente a esta versão, este não é o tipo de jogo que aprecie. Gosto de jogar para me divertir e não para me frustrar, e este jogo tem um nível de dificuldade extremo.

Sackboy… Oh pá, desculpem-me lá! Adquiri uma série deles na PS4, mas já chega! É um tipo de jogo que é demasiadamente infantil para o meu gosto. São gostos, sim, mas para mim não dá!

Spider Man: Miles Morales – Um bom título… com grande grafismo e um show off da geração, mas… mais do mesmo? Joguei o Spider-Man e platinei-o, o que significa muitas horas a repetir a mesma coisa. Isto, por muito bonito que fosse, é apena mais do mesmo e muito em cima do jogo anterior.

Por outras palavras… nenhum dos exclusivos da Sony me fascinava!

O problema é que com isto ficava apenas com o Godfall como exclusivo! E cheguei mesmo a encomenda-lo!



E digo cheguei pois eis que sai a notícia que o jogo requer online permanente… e mal isso é conhecido… toca a anular a reserva! Pura e simplesmente não pactuo com esse tipo de coisas.

Resumidamente… estava sem exclusivos para a PS5! E com a consola reservada… virei-me então para os multi! Algo que poderia fazer igualmente se tivesse optado por uma série X!

Mas olhando para os multi… também não havia nada que fosse verdadeiramente um show off da PS5. E apenas três nomes me chamavam a atenção:

Assassins Creed Valhalla, Cyberpunk 2077 e Call of Duty: Cold War.

E esta seria a minha seleção!



Infelizmente a coisa não se ficou por aqui! Quando comecei  a ler algumas análises vi muitas criticas a AC Valhalla. E dentro do que era dito falava-se de muitas falhas na IA, e acima de tudo de o jogo não ser verdadeiramente nenhum portento visual nas novas consolas. E vendo alguns vídeos, realmente concordei!

Ora tendo jogado o AC Origins, e o AC Odissey, e estando já também um pouco saturado da repetição deste jogo, resolvi, repetição por repetição, trocar o mesmo pelo Spider Man: Miles Morales. Ao menos era um show off das potencialidades da consola e um exclusivo que já justificava mais a sua compra.

Já Cyberpunk acabei por não encomendar. A versão para as consolas de nova geração, neste caso uma atualização, só sairá em 2021. Ora nesse entretanto já teria jogado o jogo na PS4 e teria de o repetir, estragando parte do impacto que o jogo poderia ter, motivo pelo qual adiei a sua compra para quando efetivamente sair na PS5.

E dessa forma a minha lista ficou reduzida a apenas dois títulos… e esperando que Gran Turismo 7, Horizon: Forbidden west, Ratchet and Clank: Rift Apart, Returnal e finalmente Cyberpunk 2077 sejam lançados.

A realidade é que com tudo isto sinto-me frustrado com a PS5. Porque o que vejo é que realmente os incentivos para a sua compra no lançamento, apesar de serem superiores ao da Xbox, na realidade são também muito poucos… pelo menos para mim.



Naturalmente, isso é algo que vai depender do gosto de cada um, mas neste caso só posso falar por mim, e este é um artigo que relata a minha experiência pessoal, e na qual não posso verdadeiramente mostrar estar agradado com o que as novas consolas oferecem no lançamento e acima de tudo as suas promessas de cross gen.

A grande questão é que a PS5 está esgotada em tudo o que é local, e sem previsões de quando poderão ser entregues novas consolas, motivo pelo qual, pensar em me desfazer da minha pré reserva já garantida é algo fora de hipótese!

 



4.8 11 votes
Avalie o nosso artigo
54 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Sparrow81
Sparrow81
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Já pra mim, foi a que mais me motivou… Nunca comprei um videogame day one e dessa vez já tá reservado o meu. A nova geração vai surpreender muita gente.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Mário Armão Ferreira
27 dias atrás

Tem uns caras que só chegam aqui para espalhar lorotas né? Será que não cansam de passar vergonha na internet?

Felipe Leite
Felipe Leite
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Mário, nesse artigo, você conseguiu se superar.
Foi como se eu estivesse a ler os meus pensamentos!
Com uma única diferença…
Faz duas semanas que eu cancelei a minha pré-reserva.
Já estava completamente paga, a fnac procedeu o reembolso.
Não tenho motivos nenhum para adquirir a PS5 e ainda menos a XSX.
Vou entrar na nova geração quando achar um bundle tentador ou um jogo que realmente tenha grande interesse (talvez Ratchet and Clank, talvez)
E essa notícia de alimentar a ps4 com exclusivos até 2022, faz-me sentir traído pela ganância da Sony. Depois de tantas criticas as políticas da Microsoft, vejo a Sony a copiar as piores coisas!
Por favor… O mercado está a entrar em um caminho que não agrada-me em nada.
Irei entrar na nova geração, mas de momento, não.

Helmer Silva
Helmer Silva
Responder a  Felipe Leite
27 dias atrás

A história de alimentar a PS4 não é assim, se formos a ver a Sony sempre suportou as consolas por mais anos, após o lançamento de uma nova, é isso que o Jim Ryan está a tentar dizer, pelo menos é o meu entendimento das palavras dele, ele nunca falou em mais jogos Cross-gen além dos anunciados. Eu tenho lido os teus comentários e seguramente não estavas confortável com a oferta e as incógnitas que envolvem a consola, portanto fizeste bem em não comprar, nunca se deve comprar um produto sem se ter a certeza que estamos a fazer uma compra racional

Felipe Leite
Felipe Leite
Responder a  Helmer Silva
27 dias atrás

Estava mesmo. Não estava a encontrar nada que me fizesse brilhar os olhos…
Assim como o Mário bem expressou no artigo, é a primeira vez que não senti nenhuma ansiedade e empolgação para comprar a consola.
O que é uma pena, como sempre eu estava super interessado em uma nova geração! E quando chegou…
Conseguiram me fazer desistir!

Felipe Leite
Felipe Leite
Responder a  Mário Armão Ferreira
27 dias atrás

Eu entendo perfeitamente o teu sentimento!
Mesmo!

Helmer Silva
Helmer Silva
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Compreendo a 100% as tuas frustrações com as line ups das duas consolas, no lado da Xbox certamente por o marketing da consola pender muito para a retrocompatibilidade, o foco em jogos novos foi deixado de lado e nos dias de hoje apresentar uma nova proposta aos clientes, na esperança de possíveis lançamentos é brincar com o bolso do cliente, claro que toda a gente sabe que viram melhores jogos daqui em dia, mas todos nós queremos aquele gostinho do que vem pela frente e além das novas features das consolas, isso acontece em pouca dose e só do lado da PlayStation e como disseste no lado da PlayStation vai cair muito no gosto do cliente mas as ofertas estão lá, eu sinceramente não posso estar para jogar Miles Morales e Demon Souls, também quero jogar AC mas não tenho tanta urgência e Cyberpunk, também devo esperar pela versão next-gen. Não fiz a pre-order, mas vou ver se me é possível comprar uma na blackfriday, não o fiz por ter outras prioridades neste momento, das duas certamente a PS5 é que me puxa mais, mas confesso que para players ávidos como tu o line-up inicial está meio meh se metemos as duas consolas, mas se viermos a concretizar o lançamento de jogos que estão previstos para 2021, o primeiro ano da PS5 será monstruoso, por tanto a sua compra pode só se justificar nessa altura para a generalidade das pessoa e não tem mal nenhum, aconselho vivamente a não comprarem as consolas se não é para já um bom investimento para vcs. Enfim estou no hype, mas consciente que devesse ao facto dos meus gostos enquanto consumidor

eduard08
eduard08
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu estou na mesma situação que tu, sei que mais tarde vou acabar por comprar as 2 consolas, pelos exclusivos e tambem para a coleção, mas desta vez, custou conter-me e vou esperar que saiam mais jogos e exclusivos a next gen, e quem sabe esperar por comprar uma tv mais apropriada para usufruir de todas as capacidades das novas consolas
Quase cai a tentação de reservar a ps5 mas apos analisar tudo (jogos, memoria,entre outras coisas) acho que fiz a escolha certa, ainda por cima os jogos que quero jogar vai sair na actual gen, e mesmo que haja um ou outro que saia na next gen, terie tempo de os jogar
Como ja disse e um enorme erro lançar uma nova gen desta maneira e neste momento

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  eduard08
27 dias atrás

Não é um enorme erro. Erro é ficar adiando o salto pra next gen! Ou você acha que os motores gráficos seriam adaptados de uma carroça para um super jato da noite para o dia? As coisas evoluem com tempo, não num piscar de olhos.

eduard08
eduard08
Responder a  Sparrow81
27 dias atrás

Nao estou a dizer o contrário, mas o problema e que estamos todos a passar por uma fase complicada e isso jota-se em todos os lados, eu sei que as coisas nao se fazem da noite para o dia, mas neste momento devido a pendemia, muitas coisas nao poderam ser finalizadas como seria em tempo normal, consolas que vao sair “sem jogos” e sem stock para todo o mundo, penso que se saissem quando houvessem jogos prontos nao haberia problema nenhume e nao mudaria nada

Rui Teixeira
Rui Teixeira
Responder a  eduard08
26 dias atrás

As consolas já estão a ser projetadas há pelo menos dois anos, têm de começar a recuperar o investimento! Mesmo adiando, o hardware não iria mudar, o que daria a sensação de ficar ainda mais desfasado se comparado com as placas de pc. Para ambas as companhias lançar agora é recuperar algum investimento, lançar mais tarde é perder muito dinheiro.

Rui
Rui
27 dias atrás

A pcmanias podia era fazer o sorteio de ambas 🤓

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Rui
27 dias atrás

Ô rapaz só me dizer a onde faço a inscrição deste sorteio 😄

Livio
Livio
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Esses momentos de troca de geração sempre tiveram altos e baixos comigo, mas essa de agora é a primeira vez que opto por ficar o maior tempo possível com a atual geração.

Comecei a ter interesse nesse período de troca de gerações na época do PS1, naquele tempo(1994/1995) minha família tinha um pequeno negócio de locação de games, começamos com Master System e logo mudamos para SNES e íamos bem até que no final de 1997 fui em um aniversário de um primo e a locadora ao lado da casa dele tinha um novo aparelho a rodar Tomb Raider, foi aí que conheci o PS1. Meses antes de conhecer o PS1 eu tinha começado o hábito de mensalmente comprar revistas, mas mesmo assim o lançamento do PS1 passou batido.

Já com PS1, teve uma geração de console único que fiquei animado, o N64, mas minha mãe que gerenciava o comércio acertou em cheio em não apostar no console, depois veio o primeiro console da era 128 bits, o Dreamcast, não tive interesse, mas poucos meses depois veio aquele que eu estava muito animado, o PS2, nesse minha mãe apostou e deu certo. Já com o gamecube eu fiquei animado mas ela novamente não apostou.

Por volta de 2003 minha mãe repassa o comércio para o meu pai e esta “nova gestão” apesar ter continuado a investir não durou muito, fechou o comércio e de tabela meu interesse por games diminuiu drasticamente, daí passaram os lançamentos do 360 e do PS3 e eu totalmente por fora, até as revistas eu já não mais comprava. Só pelo final de 2010 voltei a me interessar por games.

E foi em 2013, que tive o maior interesse na alteração de geração, dessa vez estava independente financeiramente, e com isso acompanhei os eventos do PS4 e do Xbox One, optei por pegar o PS4 7 meses após o lançamento.

Mas nessa troca de geração atual algo me fez não ter muito interesse, e não foram as notícias de que um apostaria em retro e o outro faria cross-gen, meio que sentia que não seria igual a 2013, o que se confirmou nos últimos 3 meses. Xbox sempre com aquelas promessas que ou não se concretizam ou que mais cedo ou mais tarde fazem 180°, Sony ao pecar em pegar jogos que provavelmente seriam somente PS4, portá-los para PS5, meio que dizer que seriam exclusivos next-gen e depois transformá-los em cross.

Por mim somente entraria na next-gen em 2022, a não ser que tenha algo por parte do PS que me chame a atenção, porque os jogos atuais não me interessam.

PS1: Muitas vezes que ao ver as decisões tanto da sony, quanto MS, EA, Google….. chego a pedir que ocorra novamente um crash nos games assim como ocorreu na década de 80.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Dou muita razão ao que diz Mário e acho que está muito bem posicionado.
Eu no entanto só não comprei PS5 pois consoles eu tenho que dar tempo pois não compro antes de alguns meses de escrutínio público, caso contrário, tenho muito interesse na nova geração e a muito tempo. Só o SSD já ocupa 50% da intenção.
Quero enfiar os pés bem firme na nova geração assim que possível pois esses consoles atuais já deram o que tinham que dar já tem tempo.
Realmente uma pena que os consoles sejam um produto “povão” (não entendam mal) e não recebam um cuidado mais premium na sua construção.. O PS5 me parece mais avançado, é o que realmente o que um console deveria ser e portanto, não vejo a hora de o aproveitar.

José Galvão
José Galvão
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu tive um hype imenso quando foi da PS4, à meia-noite lá estava eu para comprar a minha junto com o Killzone Shadow Fall, depois de meses de antecipação, curiosamente comprei a PS Vita na mesma noite, digamos que foi uma noite de sonho.

Passado uns tempos e com os pés de volta à terra, cheguei à conclusão que podia perfeitamente ter comprado a consola uns meses mais tarde, ainda tinha, e tenho, muitos jogos da PS3 e 360 para jogar e aquele Killzone nem era dos melhores da série, tendo sido o Resogun, um jogo ofertado no Plus, o meu jogo favorito.
Nos meses seguinte tive o The Order 1886, que foi um valente barrete, depois tive o Infamous Second Son que mais uma vez nem foi dos melhores da série e o Driveclub foi a desilusão seguinte.

Não preciso lembrar a ninguém o sucesso e a tremenda qualidade dos exclusivos da PS4 mas verdade seja dita, se a tivesse comprado um ano depois, não tinha perdido nada.

Para mim, comprar uma consola é muito mais do que uma simples transação, é todo um misto de emoções envolto numa tremenda paixão que nutro pelos videojogos, são os rumores, as revelações, a espera pela data anunciada, o dia do lançamento, a minha mulher a questionar para que quero mais uma consola, a espera pela meia-noite, o medo de que alguém fique com a minha consola caso a loja tenha feito asneira, abraçar a caixa, o regresso a casa, a adrenalina de abrir a caixa, devido aos nervos rasgar os plásticos dos acessórios à dentada, sentir o comando pela primeira vez, desenbrulhar a consola e ter receio de a deixar cair, meter a consola no sitio, comtemplar a consola no seu lugar, tirar a consola do sitio porque a minha ansiedade atrapalha a ligação dos cabos, ligar a consola e ver o menu pela primeira vez, a minha mulher a dar-me cabo do juízo por ter gasto dinheiro, a consola a pedir actualização, o jogo a instalar, o meu pequeno a querer jogar, o jogo a pedir actualização, o meu pequeno a fazer queixinhas à mãe porque eu não o deixo jogar, a minha mulher a dar-me cabo do juízo parte três, finalmente quando estão todos a dormir, chega o momento pelo qual esperei durante meses, o cão pede para ir à rua…

Entrar numa nova geração é muito mais do que um line-up inicial, mas nada disto faz sentido se o mais importante não for apelativo, os jogos, e se os jogos presentes no lançamento não forem apelativos, todo o frenesim, toda a paixão têm um sabor agridoce, mas se tivermos um naipe de jogos, ou mesmo um jogo de qualidade elevada, melhor ainda, um grande jogo aliado a uma nova forma de jogar, pode muito bem ser uma das melhores experiências da nossa vida de gamer.
Ao longo dos meus 37 anos como jogador, tive alguns desses momentos mágicos como a primeira vez que vi o Sonic a correr na Megadrive, os primeiros jogos em 3D na PSOne (Tekken e Wipeout), controlar o Mario num mundo tridimensional na minha Nintendo 64, jogar pela primeira vez online no PC no Medal of Honor Allied Assault, jogar jogos com qualidade PS2 numa portátil, jogar Gears of War em HD na minha 360, desde então tenho tido grandes momentos com grandes jogos mas nada ao nível do que acabei de descrever, mas sinto que com a PS5 existe a possibilidade de vir a viver algo novo pois tenho ouvido maravilhas de quem o testou, de como pode mudar a forma como sentimos os jogos com o seu haptic feedback, um game changer segundo alguns, e isso aliado a um jogo inicial que sempre torci para que fosse real, o Demon’s Souls, é possível que esteja perante mais um momento mágico, e são esses raros momentos que valem toda a viagem, por muito atribulada que seja.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  José Galvão
27 dias atrás

Belo texto! Também sou assim!
Dessa vez pego day one porque tem a retro com o PS4… Muitos jogos que ainda quero aproveitar posso jogar na ps5, alguns ainda com aprimoramentos. Penso que só tenho a ganhar em ter esse console logo no primeiro dia.

João Ferreira
João Ferreira
Responder a  José Galvão
27 dias atrás

Excelente comentário e tal como dito na descrição, ter uma nova consola é aquele conjunto de emoções e sentimentos que vamos ter no antes, durante e pós compra da mesma e anos mais tarde nos fazem recordar esses momentos.

Ennio Rafael Costa Lima
Ennio Rafael Costa Lima
27 dias atrás

Reservei o meu PS 5 esta semana, além de Miles Moraes Ultimate Edition, pois não joguei o primeiro Homem-Aranha. Consegui o game em uma promoção e saiu por um bom preço. Acabei decidindo comprar mais devido a situação da economia, psicopatas e neoliberais estão no governo, para o dólar disparar nos próximos meses é muito fácil.

O pc gamer se tornou um sonho distante agora, vou trocar o carro da minha esposa que ganho mais.

Mário já leio seus artigos já tem alguns anos, sei de seus posicionamentos, mas mesmo em 2020 achei estranho seu comentário com relação a Godfall, qual o problema de o jogo ainda nos tempos de hoje exigir conectividade com a internet? Gostaria que o senhor elaborasse mais sobre isso, claro, se possível.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Ennio Rafael Costa Lima
27 dias atrás

Não posso responder pelo Mário, mas diversas vezes ele expressou a opinião dele que é ser contra modelos de negócios em jogos always on, pois como ele falou quando o servidor fechar ele não podera mais joga-lo ou se estiver sem internet também não poderá aproveitar o jogo, fora outras coisas que ele já mencionou.

Daniel
Daniel
Responder a  Daniel Torres
27 dias atrás

Falar em Godfall, quero queimar minha língua, mas esse jogo está com uma cara de “jogo benchmark”, como se fosse um Ryse da nova geração, só que com Raytracing. Além de always on, me pareceu meio genérico, sla.

Ennio Rafael Costa Lima
Ennio Rafael Costa Lima
Responder a  Daniel
27 dias atrás

Ou o The Order. Eu não entendi a proposta dele: RPG, Looter, “Souls”… Vai ter endgame, só campanha, mult?? Não ficou claro para mim até o momento para que ele veio.

Sobre o always on, não vejo problemas. O jogo que mais jogo, me divirto, mais conheci pessoas é Destiny, nunca joguei tanto um jogo.

Sobre “genérico”, nunca entendi o que isso significa nos games. Para que gameplay mais genérico do que o do Uncharte, Gof of War… E são excelentes jogo, mas no gameplay não tem nada do que não vimos antes, mas continuam jogos ótimos, entre os melhores do mercado.

Fernando Medeiros
Fernando Medeiros
Responder a  Daniel Torres
26 dias atrás

Esses tipos de problemas acontecem com que frequência em 2020?
Digo isso por que hoje ainda é possível jogar Gears of War de 2006 online em um Xbox 360, ou mesmo um jogo que não é um sucesso de vendas como Ryse Son of Rome de 2013. Também acredito que as pessoas não ficam por muito tempo sem Internet nos dias atuais, tanto é que empresas como o google e a MS já acreditam que é viável comercializar o cloud gaming. Eu creio que esse tipo de reclamação é só um problema para lidar com uma realidade que não era o futuro que ele esperava a alguns anos.

Edson
Edson
Responder a  bruno
26 dias atrás

Fico feliz que tenha voltado, Bruno e que esteja tudo bem contigo!

bruno
bruno
Responder a  Edson
25 dias atrás

Obrigado aos dois pelas mensagens.

Infelizmente ando sem tempo nenhum… mas continuo a ler os artigos diariamente.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Fernando Medeiros
26 dias atrás

Fernando Gears não é um jogo always on você pode joga-lo só o single player o mesmo sobre o Ryse son of rome, por isso não entendo o porquê de ter citado estes jogos.
Eu compactuo com a opinião do Mário, e vou lhe citar meu caso do por que , estou terminando de me graduar em medicina veterinária e por diversas vezes tenho que ir para o interior e não falo de cidades movimentadas, falo de fazendas no meio do nada que se você tiver muita sorte tera 4g ou no máximo uma net de 2mb e isso é a realidade do no país Brasil, então ai você ja pode ver um dos problemas que citei se o jogo for só online eu não posso jogar, outra coisa que me faz não querer comprar é o jogo não é meu e no dia que quiserem retirar ele o que eu posso fazer? Fora que com os preços dos jogo hoje batendo 330 reais em um país que o salário mínimo bruto é 1028 reais, eu posso reaver uma parte do dinheiro vendendo o jogo.
Para você ter uma idéia eu sou um super fã de Doom e eu só comprei o Doom Eternal agora pois o preço do físico mais frete eu consegui por 100 reais novo e o digital na promoção ta batendo 120 reais, por esses motivos eu não gosto de comprar jogos always on ou digitais.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Daniel Torres
26 dias atrás

Só completando meu raciocínio, sim é verdade que a google e a Microsoft já vêem como viável, mas esse é um futuro do qual eu não irei compactuar deixar que as empresas decidam por mim ou tirem minha liberdade de ter ou não, ou quando ter ou o que jogar, isso para mim será o fim dos jogos e procurarei outro hobby.

João Ferreira
João Ferreira
27 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Apesar de ser leitor diário não costumo comentar regularmente, portanto é provável que este comentário nem sequer entre.
Foi um excelente ponto de vista e concerteza outros utilizadores se identificam com o mesmo, mas como “caso é um caso” aqui fica a minha maneira de ver as coisas. Também fui um dos que fiz a pre-order da PS5 e estou bastante interessado em ver o desempenho dela, tanto a nível gráfico, de som, novas funcionalidades, o dual sense, etc . Umas das características que mais me atrai neste momento tem a haver com a retrocompatibilidade. Estou bastante interessado nela depois de a ver a funcionar na Xbox SX ( gostei bastante) espero que a PS5 tenha algo semelhante em desempenho ou seja os jogos PS4 tenham melhor frame rate ( preferência 60fps) e tempo de carregamento dos jogos muito mais rápido. Como sou assinante do Plus á mais de 10 anos e também do PSnow, jogos não me faltam e tenho vários exclusivos que ainda não experimentei. Além disso ainda irá existir a plus collection (apesar de já lá ter alguns tanto no plus como no psnow). A nível de jogos da PS5 é fácil de escolher , é o Spiderman ultimate edition porque apenas o experimentei uns minutos na ps4 através do psnow. O Demon’s Souls ainda vou pensar porquel tal como o Mário disse anteriormente, jogo para me divertir e não para estar frustrado.

Fernando Medeiros
Fernando Medeiros
26 dias atrás

Pessoalmente, eu acredito que a desilusão de algumas pessoas em aceder a nova geração é muito mais pelo fato da Sony do PS5 não ser ousada como a Sony do PS4.
A cada dia que passa, fica mais claro que a intenção das pessoas que comandam a Sony agora não é liderar a tecnologia ou ser referência de desempenho, pelo contrário, o foco é vender. Toda declaração é sobre como fazer a migração em massa dos usuários e fidelizar a base ao Playstation. Para isso eles finalizaram as specs e entregaram os devkits mais cedo para que os desenvolvedores criassem conteúdo rápido. Talvez antes da covid eles esperassem chegar mais cedo ao mercado. Eles não estão preocupados se a MS tem as specs completas da RDNA 2 ou se eles terão desvantagem de desempenho aumentada por causa do Machine Learning. Eles investiram em coisas que o usuário comum que está no PS4 vai ver mais rápido. Quantidade de jogos, 3 dos principais estúdios ja estão anunciando que estão prontos para 2021, Horizon FW, GOW, R&C. Provavelmente, jogos com visuais entre a atual e a nova geração, na verdade os dois mostrados praticamente já são, com exceção das coisas do R&C que só podem ser carregadas com um SSD. GOW também, em 3 anos não tem como fazer um jogo full nova geração. E por isso também não tem forza motorsport em 2020 sendo que o último foi em 2017. O SSD super rápido, iniciar e trocar de jogos quase instantaneamente, eliminar os loadings, isso é coisa que o usuário comum percebe de cara, e faz a propaganda do boca a boca. Uma noticia num grande portal dizendo que o PS5 é mais rapido que o Xbox é o que eles precisam. E essas coisas vão dar resultado com o comprador comum que não sabe distinguir o 4K do FullHD, ou o HDR do SDR.
Para quem gosta de tecnologia, a nova geração tem possibilidades que a atual não teve e eu tenho certeza que evoluirá assim como foi a geração do 360 e PS3, quando todas as novas tecnologias se tornarem o padrão. Não é CPU de tablet, não é largura de banda baixa, tem o SSD e novas tecnologias ainda mal utilizadas como RT e ML.
Mas para o momento, a retrocompatibilidade melhorada pra mim já é motivo mais que suficiente pra anunciar seu console atual em algum site de vendas e adquirir a nova geração. Testes recentes mostram que jogos difíceis de aturar na geração atual agora possuem o desempenho que devem ter, além disso o fato de ter a melhor versão possivel garantida para jogos como Cyberpunk 2077 já é motivo, seja PS5 ou Xbox Series X.
Eu sinto um pouco de desilusão nas pessoas que não entenderam que a nova geração vai ser difícil de impressionar por screenshots nos primeiros anos. Infelizmente essa é a realidade, a maioria dos jogos é multi e os PCs ainda estão suportando Directx 11. Além disso a geração atual tem milhões de jogadores em base instalada e os desenvolvedores já possuem ferramentas consolidadas. Alie isso ao fato de que os jogos continuam sendo bonitos em consoles de meio de geração e percebemos que atualmente o maior incentivo não está em reeinventar a roda, e sim em aperfeiçoar o que já existe. Por acaso alguém aqui quando jogou TLOUS2 ficou falando que a iluminação estática pré renderizada era horrível e que só jogaria o game com RT apesar do desempenho impecável?
Eu creio que em 2013 muita gente achou o TLOUS injogavel com o PS3 tendo quedas para 20fps, mas agora não é o caso. Então seja qual for a opção escolhida, o desempenho pra mim já vale a pena, e provavelmente com o mundo ainda ensaiando sair da pandemia, a produção vai ser baixa e os preços provavelmente aumentarão quando os consoles chegarem as lojas, assim como o Xbox One e PS4 ainda estão caros. É a lei da oferta e demanda, então já quero estar na nova geração quando ficar evidente que a vantagem vale a pena, e sim, ficará evidente mais rápido do que as pessoas pensam.

bruno
bruno
Responder a  Fernando Medeiros
26 dias atrás

Do que escreves, so concordo quando referes que a atual geracao entrega a um nivel semelhante aquilo que foi anunciado para a proxima e ainda com boa performance – dado que todos os jogos que vimos ate agora parecem jogos PS4 e sao jogos PS4 na sua maioria.

Sobre a desilusao ela prende-se mais com o facto de nenhuma das empresas estar a entregar conteudo next-gen que justifique a aquisicao destas maquinas. Nao tem a haver com a falta de ambicao da Sony… dado que apesar de a situacao da Sony nao ser elogiavel, o caso da Xbox pior, porque esta nao tem exclusivos que demonstrem as capacidades do seu sistema dia 1 – todos os jogos anunciados estarao disponiveis na consola concorrente.

Isto e algo inedito! Todas as geracoes de consolas ate agora, de ambas as fabicantes chegam-nos com titulos que suplantam graficamente o que foi feito ate agora… Todas sem excepcao. Menos esta. E aqui o elogio deve ser feito a Microsoft porque pelo menos tem sido honesta e frontal e admitiu que jogos verdadeiramente next-gen nao iriam chegar agora…No caso da Sony, a empresa esta a ser dissimulada e isso e algo que nao me agrada. Dos jogos que anunciou como sendo PS5, grande parte deles esta confirmado para a PS4 e alguns poderao vir a ser lancado na PS4 com a empresa a nao ser clara nisso… refiro-me a demon’s souls.

O pior nem e isso… para alem do hardware que deixa a desejar, estas consolas chegam com armazenamento reduzido, e o custo para sequer o tornar adequado e mais o preco de meia consola de nova geracao. Algo que muita gente nem considera e algo que torna a aquisicao destas consolas – considerando o panorama geral de suporte, num pessimo negocio.

No fim, temos promessas,mas estas consolas sao vendidas no hype e sem substancia, um muito pior negocio que a PS4 em 2013. A popularidade e tanta que muita gente se esta a atirar de cabeca, algo que na minha perspetiva e muito errado, porque as pessoas nao estao a pensar no mais a frente.

Daniel
Daniel
Responder a  Mário Armão Ferreira
26 dias atrás

Uma RX 6800 terá 16 TF, ao passo que sua irmã imediatamente menor, segundo rumores, RX 6700XT, terá 10 TF, mas aqui com 12GB 192 bits e 384gbps de largura de banda (inferior tecnicamente ao PS5 em desempenho bruto), logo tanto o Ps5 quanto o Series X estão basicamente na mesma prateleira, quanto a desempenho, se formos comparar com as gpus discretas da parceira AMD.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
25 dias atrás

Eu nao… Acho que este hardware foi planeado antes da hora e a falta de jogos que tirem partido dele ao nivel do que deviam tirar apenas confirma a minha opiniao.

E o preco sao 499$, nao 399$.

Seja como for, a Big Navi mais uma vez e a AMD a chegar tarde ao mercado.

As benchmarks que a empresa apresentou parecem ter sido retiradas de ambientes muito controlados… mas e melhor aguardar que chegem ao mercado para se ver exactamente o que valem.

Seja como for, a RDNA2 parece ser a RDNA1 com RT e sem melhorias na performance, baseando-me nos 50% indicados pela AMD e que incluem ja as unidades adicionais.

Marcoshaft
Marcoshaft
26 dias atrás

As pessoas não entendem que a pandemiia atrasou tudo.
Temos que agradecer por ainda estarmos vivos e poder jogar. Eu infelizmente perdi amigos para o coronavirus.
Vai ter atraso. Halo colocou uma versão antiga por não ter tempo de colocar algo novo devido ao coronavirus. A Ubisoft cancelou jogos a cd project e outras empresas TB. Mas mesmo assim os consoles vão sair e isso já é um milagre

bruno
bruno
Responder a  Marcoshaft
26 dias atrás

Lamento muito a tua perda Marcos. Os meus desejos que daqui para a frente tu e os teus fiquem livres desta doenca.

Helmer Silva
Helmer Silva
Responder a  Marcoshaft
26 dias atrás

Os meus pêsames Marcos e os meus sinceros cumprimentos a ti e aos teus, só vos desejo muita força para superar esta fase que melhores tempos seguramente virão e que não percam mais ninguém e se vejam livre desta terrível doença que a assombra o nosso mundo

Marco Antonio Brasil
26 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Um fato que eu não tinha percebido até o momento e que creio se tornará cada vez mais apelativo para entrar na nova geração será a aparência dos jogos novos quando começarem as comparações. Mesmo que sejam crossgen e não tirem total proveito das máquinas eu começo a achar que pode ser muito significativa a diferença.
Vi o vídeo da DF analisando WD Legion no PC com e sem RT…por mais que se possa dizer que é uma perfumaria, a diferença é brutal!

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Marco Antonio Brasil
26 dias atrás

Tem também um vídeo rolando comparando a versão de WD legion do One X com a do Series X com ray trading, achei a diferença muito grande

Kito
Kito
26 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Boa tarde.
Mário concordo contigo o line up das duas consolas é muito fraco. Mas há males que vem para bem, pois com pouco interesse pouca gente vai se arriscar a comprar day e assim se safar de comprar consolas defeituosas, pois os primeiros servirão de cobaia.
Eu não sou apologista de comprar no lançamento, mas alguém terá que comprar e testar.

Carlos Eduardo Santos
Carlos Eduardo Santos
25 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Respeito os seus argumentos, mas estou no hype pela PS5 porque:

*Jogar todos os meus títulos da PS4;
*Me livrar do barulho do cooler;
*Jogar com FPS mais alto;
*Jogar com um joystick responsivo;
*Me livrar dos loads.

Sem contar que em breve os jogos nextgen irão chegar em toda a sua glória.
Fora a curiosidade sobre o som 3D e outras features.
Apenas esses 5 fatores destacados aí acima, já me convencem a trocar minha PS4 PRO por uma PS5 amanhã.
Pois é horrível jogar God of War e Red Dead 2, com aquele barulho de ventilador no ouvido.
Assim como é horrível morrer em The Witcher 3 e ter que esperar até 2 minutos de load.

João Ferreira
João Ferreira
Responder a  Carlos Eduardo Santos
25 dias atrás

Esses também são os motivos porque vou trocar a Pro pela PS5 logo no lançamento. Li agora mesmo que o Days Gone irá ter 60fps e é o que ando a jogar atualmente. Na Pro se tiver opção de jogar com mais detalhe gráfico ou melhor performance, prefiro quase sempre a segunda opção. Com a PS5 pretendo ter o melhor dos 2 logo no início e ver a diferença de desempenho em comparação com a Pro nos mesmos jogos. Também tenho muita curiosidade de experimentar o dual sense, os carregamentos rápidos, o som e já agora comparar a performance com a Xbox SX depois de ler tanto sobre ambas durante muitos meses.

error: Conteúdo protegido