Até tu T3? A T3, uma prestigiada revista de tecnologia usa título enganador e com supostas citações falsas.

0 0 votes
Avalie o nosso artigo

O politicamente correcto chegou á revista T3… mesmo que isso signifique usar títulos falsos nas notícias.

Uma revista que sempre tomei como referência no mundo da tecnologia é a T3… Costumo aliás lê-la regularmente e sempre a achei interessante e relativamente imparcial.

Ora isso mudou hoje, quando vi um título de uma notícia que cai naquilo que é a minha actual queixa das notícias na internet. A distorção dos factos, os títulos falsos, e inclusivamente o citar pessoas com frases que estas não tiveram.

Eis o título da notícia da E3 a que me refiro:

PS5 won’t outperform Xbox Series X says Epic Games boss

Traduzindo: A PS5 não terá melhores performances que a Xbox série X diz o chefe da Epic Games.



Nunca aqui na PCManias pusemos em causa as capacidades da Xbox. Continuamos a dizer aquilo que sempre dissemos: A Xbox é a consola mais potente que será lançada na próxima geração. Mas uma coisa é ser a mais potente, e outra é ser superior em todos os campos. E se há um campo onde a PS5 se destaca é no seu sistema de Entrada/Saida, e na capacidade de leitura e processamento de dados do seu SSD.

Isso é reconhecido e referido pela Epic… Aliás a notícia da T3 cita mesmo a resposta de Tim Sweeney à pergunta de porque motivo a PS5 foi escolhida para a demo. E esta foi:

Systems integration and whole-system performance. Bringing in data from high-bandwidth storage into video memory in its native format with hardware decompression is very efficient.

Traduzindo: A integração do sistema e a performance do sistema como um todo. Trazer dados de um sistema de armazenamento de alta velocidade para a memória video no seu formato nativo com descompressão por hardware é muito eficiente.

Ou seja, foi esta eficiência da PS5, que levou à sua escolha. Como acontece sempre em qualquer demo, o hardware em que ela é criada é por norma aquele que melhor consegue representar as capacidades do que se apresenta. Aliás o Unreal Engine 5 vai-se manter connosco por muitos anos, e o hardware vai evoluir entretanto, pelo que a ideia de usar o hardware mais capaz é mostrar um pouco do futuro. E neste caso, capaz não é a nível de capacidade de processamento, mas de transferência de dados.

Tim ainda refere, e isto está igualmente no artigo:

The Unreal Engine 5 demo on PlayStation 5 was the culmination of years of discussions between Sony and Epic on future graphics and storage architectures.

A demo na Playstation 5 foi o culminar de anos de discussão entre a Sony e a EPIC sobre o futuro dos gráficos e das arquitecturas de armazenamento.



Ora isto não quer dizer, e aliás nunca negamos isso, que a Xbox não seja capaz de algo igualmente impressionante. Já o dissemos, e repetimos, que a demo é um absoluto absurdo de detalhe. Nenhum jogo necessita de tantos polígonos para manter a qualidade visual. E isso quer dizer que se a cena tivesse menos polígonos, e em vez de 16 mil milhões tivesse apenas mil milhões (16 vezes menos), a diferença visual seria pouca ou nenhuma. Há apenas 8.2 milhões de pixels em 4K, pelo que temos mais polígonos do que pixels, e isso quer dizer que a sua redução para mil milhões, ou até menos, seria mais do que suficiente para manter a qualidade visual.

A demo basicamente é um show off das capacidades do motor, e do SSD da Sony. Mas algo que a nível prático não trará grande vantagem uma vez que se a geometria for reduzida, ela manterá a qualidade visual. E isso quer dizer que não é preciso nada daquilo para que outros sistemas tenham o mesmo aspecto.

Por outras palavras, mesmo que a cena não tivesse tantos polígonos na Xbox pelo facto de o seu SSD ser mais lento, ela teria uma diferença visual negligenciável.

Diga-se aliás que estamos plenamente convictos que se se a demo tivesse menos polígonos poderia correr a 4K 60 fps em ambas as consolas, sem qualquer impacto visual. Mas claro, ali foi um show off!

Daí que se perceba que neste artigo não estamos sequer a questionar a capacidade da Xbox de poder apresentar algo visualmente igual. As frases de cima dizem isso mesmo. Com menos polígonos (o que realisticamente é expectável) ambas as consolas apresentaram resultados visualmente iguais, e ambas poderiam ir aos 4K 60 fps naquilo que foi mostrado na demo. Aliás, ainda no contexto do que esta demo apresenta, com menos polígonos e a performance do GPU devidamente puxada, a Xbox, pelo seu maior poderio gráfico, poderia até superar o número ou qualidade dos efeitos visuais que a PS5 apresenta. E se dentro de valores de polígonos que permitiriam a ambas as consolas apresentar o mesmo resultado visual, caso a resolução ainda assim fosse dinâmica, a Xbox teria alguma vantagem igualmente na resolução.



Eis um exemplo de 1872 estátuas a correr numa PS4 dentro do Dreams… Claro que nenhuma delas tem 33 milhões de polígonos. Mesmo todas juntas não terá mais de meia dúzia de milhões, mas o efeito está lá, e a nova geração pode fazer melhor, servindo isto de exemplo.

Resumidamente, e como se vê, não negamos e nem pretendemos deixar de reconhecer que há uma diferença de performance entre as consolas. Mas temos que reconhecer que daquilo que foi apresentado no que toca às capacidades de Entrada e Saída de ambas as consola, a solução da Sony aborda questões e soluções nas quais a Microsoft nem tocou.

Daí que o objectivo do artigo não é sequer atacar a Xbox… é atacar a falta de precisão e a forma como se deturpam as palavras para se fazer chegar uma mensagem.



Tudo o que Tim Sweeney refere é:

The Nanite and Lumen tech powering it will be fully supported on both PS5 and Xbox Series X and will be awesome on both.

Traduzindo: O Nanite e o Lumen serão totalmente suportados pela PS5 e Xbox série X e será espectacular em ambas.

Mas em lado nenhum refere que a Xbox fosse capaz de executar a demo, tal e qual como ela está… porque mesmo sendo aquilo um show off algo irrealista a nível de especificações, aquilo só é mesmo possível, tal como está, na PS5, e graças ao SSD e a forma como este está integrado na PS5, que Tim Sweeny considera bater tudo o que existe no mercado, e sobre o qual refere que o mercado PC certamente irá futuramente copiar. E esse foi o motivo pelo qual a consola foi escolhida.

Tim Sweeny já explicou isso e bem, em diversas declarações e entrevistas.

Curiosamente, Colteastwood publicou no seu Twitter algo que se aplica a este título da T3. No caso ele levou a coisa ao extremo, fazendo ele a sua própria citação, mas citando igualmente um título  do Tomsguide que se denominava:



Xbox série X não será esmagada pela PS5 no Unreal 5

Podem verificar isso nesta imagem (meto a imagem pois os tweets são por vezes apagados:

Como se vê, não só o Título do Tomsguide é igualmente vergonhoso, como Colteastwood ainda acrescenta a sua própria citação que refere “A PS5 não baterá a Xbox série X em poder”.

No final da conversa, onde várias pessoas questionam de onde essas citações surgem, aparece Tim Sweeney que desmente tudo, citando as frases correctas e que se enquadram no contexto que acima referimos e que Tim tantas vezes já explicou.

Diga-se que a Toms Guide teve depois a dignidade de mudar o título da sua notícia:



Algo que infelizmente a T3 não fez.

Mas para que não haja dúvidas que a questão por nós abordada não passa pela Xbox, mas sim pela qualidade do jornalismo que se faz, eis aqui o título de uma notícia da Gameinformer:

Processamento da PS5 é 100 vezes mais rápido que o da PS4

Vergonha,

E desta forma vai o jornalismo pelo mundo fora. E no caso da T3 eles ainda esperam que eu lhes continue a comprar a revista… para que? Para ler invenções? Esqueçam… perderam um leitor que pagava!





error: Conteúdo protegido