Com as vendas da Playstation em queda, resultados da Sony não se ressentem verdadeiramente.

O final da geração faz com que as vendas e lucros associados à Playstation caiam. Mas mesmo assim, a Sony está a ter resultados históricos, e que poucos esperariam.

O último relatório e contas da Sony é um claro contraste com o da Microsoft revelado à uns dias atrás (e que não analisamos por ser demasiadamente obscuro). Aqui tudo é claro, e acima de tudo não se fala só em receitas de uma forma encoberta… fala-se em lucros! Não só lucros, como lucros por segmento, tornando possível saber-se como é que cada um deles se está a sair.

O relatório é claro. As vendas de consolas estão em queda, a venda de jogos estão em queda. Isso faz com que as receitas caiam! Mas nem por isso a manta fica negra. Aliás ela é surpreendentemente positiva.

Vamos ver aquilo que é referido pela Sony:

Valores globais:

Terceiro melhor resultado de sempre da Sony a nível de todos os quartos, no que toca a receitas
Terceiro melhor resultado de sempre da Sony a nível de todos os quartos, no que toca lucros.



Por outras palavras… Valores históricos para a empresa!

Vamos ver o resto:

As quebras de vendas pelo aproximar do fim da geração afectaram a divisão Playstation. Mas a realidade é que outros segmentos cresceram. A nível de lucros a Sony está assim dividida neste momento:

Como vemos a divisão Playstation não é a que mais lucros gera atualmente. Fica aliás relegada para o terceiro lugar, após a divisão de Produtos electrónicos e soluções, e a divisão de Soluções de imagem e sensores.

De notar ainda o seguinte:

  • Terceiro melhor resultado a nível de receitas e de lucros operacionais de sempre para o terceiro quarto, da divisão de Música.
  • Segundo melhor resultado a nível de receitas e de lucros operacionais de sempre para qualquer quarto, da divisão de Soluções de imagem e sensores.
  • Segundo melhor resultado a nível de receitas e de lucros operacionais de sempre para qualquer quarto, da divisão de Serviços Financeiros.

Como se percebe, as divisões estiveram todas muito bem, algumas com crescimentos grandes.

Mas a divisão Playstation, mesmo com as quedas que se percebem, mesmo assim indica:

  • Terceiro melhor resultado a nível de receitas de sempre para qualquer quarto, da divisão Playstation.

Apesar da quebra de lucros, que a Sony não esconde, sendo clara nos seus valores, a divisão Playstation mesmo assim acumulou a sua terceira maior receita de sempre.



Vamos ver alguns valores:

Consolas PS4 despachadas: 6.1 milhões (uma quebra de 2 milhões face a igual período no ano anterior)
Total de consolas despachadas: 108.9 milhões

Software vendido: 81.1 milhões (uma quebra de 6.1 milhões face a igual período no ano anterior)

Racio de software digital: 49% (um aumento de 12% face a igual período no ano anterior)

Total de jogos vendidos: 1.181 milhões de jogos

Tal corresponde a uma venda de 10.20 jogos vendidos por segundo a nível mundial, como 881 000 jogos vendidos por dia.
Mais de 432 000 jogos digitais foram vendidos por dia na PS Store no terceiro quarto (valor não inclui software apenas disponível por download).

103 milhões de jogadores gastaram em média 27.21$ na PS Store entre Outubro e Dezembro.

O número de assinantes do PSN subiu para 38.8 milhões. (um aumento de 2.5 milhões face a igual período no ano anterior).

Balanço global da Divisão Playstation em 2019

Curiosamente, e apesar do término da geração, e quebras de vendas os valores da Sony mostram uma realidade interessante.

2019 foi o segundo melhor ano de sempre para a Divisão Playstation.

Basicamente, mesmo com os atuais volumes de vendas em queda, a Sony podia aguentar-se no mercado sem problemas, mantendo lucros. OS seus lucros e receitas são valores, que se revelam muito interessantes, especialmente por estarmos no final da geração, mostrando que a queda de interesse apenas agora começou, de uma forma que a nível de receitas e lucros se revela ainda muito pouco acentuada.

Ter o segundo melhor ano de sempre na divisão Playstation mostra que a consola, mesmo em final de geração está viva e para as curvas.

NOTA FINAL

Naturalmente que um artigo do género sobre a Xbox seria interessante. Mas o relatório da Microsoft lançado há alguns dias é críptico, não avança valores de lucro por divisão, e fala basicamente apenas em percentagens, quase sem avançar valores. Não se referem números de vendas, lucros, e nem sequer gráficos comparativos com números directos. O relatório basicamente está feito para não ser compreensível de forma directa.

Torna-se assim quase impossível fazer qualquer artigo do género sobre a Xbox.



newest oldest
Notify of
By-mission
Visitante
By-mission

Como a Sony havia referido estes já esperavam a queda e vendas tanto que eles, como eu, acreditam em uma transição tranquila de PS4 para PS5, com TLOU II e Ghost of Tsushima a fazer um boom de vendas nessa reta final.

Aproveitando, há alguns relatórios sobre o impacto do Corona Vírus na próxima geração, pois há inúmeras fábricas fechadas. Inúmeras indústrias já retiraram seus funcionários e alguns grandes eventos estão a ser cancelados ou remanejados da China…

Digo ao que te parece?
Teremos uma nova geração? Ou teremos unidades limitadas no lançamento?
Ou no pior cenário a Sony e a Microsoft apresentando suas consoles não conseguem unidades suficientes e assim é mais um adiamento para a Sony em especial pois tinham alguns boatos que dariam o salto em 2019 e agora se veem obrigados a 2021?

Mário Armão Ferreira
Visitante

As consolas ainda não estão em produção. Não tenho a certeza que serão afectadas

José Galvão
Visitante
José Galvão

Foi o que pensei, ainda é cedo para qualquer atraso, mas imaginando que a consola saia em novembro, com quantos meses de antecedência é que teria que entrar em produção?

daniel
Visitante
daniel

Concordo. Penso que para o cliente comum, vários produtos serão afetados. Só que a Sony e Microsoft são tão grandes, e dado ainda estarmos no início do ano, que dê para contornar e não adiar. Talvez ocorra como no PS3, onde EUA e Japão foram privilegiados em face aos outros.

Shin
Visitante
Shin

Playstation é formado por jogos de esporte.
Jogos em terceira pessoa.
Jogos japoneses.

O declínio da Sony está sempre associado ao declínio de jogos de esporte, a razão do porque de tempos em tempos emes precisam de novos consoles não é apenas se defender de adversários mas sim que dentro de um ciclo de consoles jogos de esporte evolui apenas uma vez a cada geração e todo o resto é atualização incremental.

Os jogos em terceira pessoa nessa geração é o que manteve a escala em ascendência, na medida que eles foram chegando o console foi crescendo até chegar 2018 e as pessoas começam a perceber que não terão muito mais disso, então entram em desacereleração.

Sony então reserva os 3 últimos anos do console aos títulos japoneses, o Japão praticamente se desligou do PS4 sendo o console com menor índice de crescimento por lá. A razão é que geralmente o Japonês tem apenas uma única TV em casa, e o console compete com outras programações. É por isso que japoneses preferem mais portáteis. Como esses jogos não pega o público mas novo e sim o público mais velho, venderão dentro de sua base e serão o motivo para o velho público continuar dentro.

O PS5 se for $400 terá vendas muito fortes mas provavelmente o investimento só fará a Sony se recuperar em 2022. Veja a Sony, eles estão tentando conter os gastos com vídeo game, a nova presidência não quer a imagem da Sony vinculada a vídeo game mas sim como uma multi nacional em diversos setores. Por isso a próxima geração deve ter investimentos mais secos até que a Sony perceba que eles crescem no negócio de vídeo game pois eles são bons nisso, diferentes de outros negócios como carros onde eles tem diversos competidores.

Se eles não perceberem isso significa que a Sony não é mais Sony.

bruno
Visitante
bruno

Mais um disparate tirado não sei de onde.

Que jogos de desporto?

bruno
Visitante
bruno

Mais um dado interessante:

https://www.playstationlifestyle.net/2020/02/04/sony-psn-revenue-2019-subscription-digital/

A PSN (subscrição+jogos+DLC) gerou 12000 milhões de dólares o ano passado (12 biliões de acordo com o sistema americano),pelo menos com as contas destes tipos.

É este dinheiro que vai a vida com o lançar de jogos no PC. Não todo, mas parte.