Divisão de smartphones da Sony poderá estar condenada

Apesar de a divisão ter mostrado crescimento até à bem poucos anos, subitamente as vendas caíram a pique.

A divisao de smartphones da Sony está em sérios problemas. Apesar de Kaz Hirai e Kenichiro Yoshida (futuro CEO) terem virado a mesa, os últimos 3 anos da divisão de smartphones mostraram as vendas a cair a pique, ao ponto de os valores apresentados começarem a ser preocupantes.

Eis as vendas de Smartphones, registados pela divisão:

O gráfico mostra vendas de smartphones em milhões, e o ano de 2017 não estava ainda completo na altura da realização do gráfico. Mas como se pode ver, as vendas estão a decair! 10.0 milhões de smartphones vendidos num ano não é que seja exactamente mau, mas o certo é que comparado com o que outros fazem é pouco, muito pouco, mas pior que tudo é a tendência de descida que se tem vindo a verificar e que será difícil contrariar, não justificando a aposta em pesquisa e desenvolvimento de novos telefones.



A que se deve esta queda?

Bem, naturalmente não somos ninguém para estar aqui a mandar palpites, mas h+a situações que saltam à vista de todos como erros e/ou falhar. Vamos citar algumas:

Uma das grandes falhas da Sony é o Marketing. Os seus telefones são bons, mas são pouco publicitados e, pior ainda, a Sony não possui acordos de parcerias com operadores que permitam a venda do telefone a preços mais apetecíveis.

Falar em telefones bons nos dias que correm é algo um pouco subjectivo. Com excepção de alguns telefones de baixo custo, todos eles são bons, e isso cria um grande entrave nas vendas. Mais do que qualidade é necessário o telefone ser falado, e nesse aspecto a Sony não tem sabido promover o produto que tem. Dar a conhecer o mesmo, criar algo que o destaque, e publicitar! Sem esta situação a empresa está condenada, e aqui a Sony tem falhado.

Basicamente os telefones da Sony são apenas mais um no mercado. E nem sequer são dos mais conhecidos! Fala-se mais depressa de outras marcas, algumas até pouco conhecidas, do que de Sony. Creio aliás que nas inúmeras recomendações de telefones que já dei a pessoas conhecidas, o nome Sony nunca foi sequer mencionado! Pura e simplesmente os seus smartphones são vistos como… mais um! E curiosamente, nas grandes superfícies estes telefones não estão presentes, ou não estão destacados ao ponto de serem olhados com mais atenção.

Dar uma solução ao problema de imagem dos smartphones Sony é algo complexo, e sinceramente nem sabemos se será algo que terá solução a curto prazo. Mas o certo é que caso nada seja feito… esta divisão da Sony acabará como outras já acabaram… vendida!



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
MarcioBRNinja
Visitante
MarcioBRNinja

Olá Mário tudo bem,sou possuidor de um xperia z5 premium,um bom aparelho tendo se ano de lançamento em 2015,porem venho ressaltar um detalhe ,a sony errou na linha Z ao optar por um processador problemático o snapdragon 810,muito potente,porém esquenta demais ,drenando bateria e reiniciando o aparelho,tanto que a solução que a sony usou para tentar reverter isso sem sucesso foi utilizar um heatpipe.Aqui no Brasil aparelhos Sony não são populares,as pessoas compram motorola,samsung,lenovo,ou até importam da china,mas sony não se houve falar.Outro ponto que o torna impopular aqui é o pós venda,onde a assistência e péssima em suporte,fora os preços exorbitantes,por exemplo o mais top da sony hoje o xperia xz1 é encontrado á R$3.500 reais,extremamente caro se comparado com outras marcas ,com esse valor eu consigo importar da china uns 3 aparelhos com configurações iguais ou melhores.Na minha opinão a sony precisa acompanhar certas tendencias de mercado,onde outras marcas ja estão posicionando seus aparelhos,uma mudançã de design acompanhado com um preço mais competitivo e atraente.

Livio
Visitante
Livio

Meu primeiro smartphone foi um Sony Live With Walkman, em 2011. Para mim foi um ótimo celular, câmera com captura HD de 5Mp e flash, 2 alto falantes devido a referência ao walkman, era um smartphone de entrada com ótimas características, fiquei com ele até 2015 por 2 coisas, a primeira devido o touch ter trincado em uma queda, troquei mas os touchs chineses disponíveis são péssimos pois se este encostar no display o smartphome acusa multi toque e deixa a navegação confusa. Já a segunda é a demora e descaso da Sony com as atualizações do Android, demoram demais. O ponto que vai de encontro com o artigo é a falta de publicidade, o smartphone era ótimo como um modelo de entrada mas até hoje só vi 3 pessoas com este modelo, exceto eu e minha esposa(dei um de presente p/ ela).”https://www.tudocelular.com/Sony-Ericsson/fichas-tecnicas/n2315/Sony-Ericsson-Live-with-Walkman.html”

Já meu segundo smartphone decidi continuar com a Sony, não sou de ter aparelhos caros e novamente fui de um modelo de entrada, aí veio a decepção. O novo aparelho, um Xperia E1, é totalmente inferior, a começar pela câmera que não tinha foco e flash, o que me prejudicou a pagar as contas (código de barras) pelo aplicativo do banco, o Live with Walkman reconhecia rapidamente, já o E1 nem reconhecia o código. Fora isso novamente a demora em lançar as atualizações de firmware, pelo que lembro acho que o E1 nem teve direito a uma nova versão do Android, lançou com KitKat e ficará até a morte.

Devido o problema com o reconhecimento do código de barras não aguentei 6 meses com o E1 e apostei no ZenFone 5(Asus) que na época estava chegando no Brasil. Experiência totalmente diferente, ótima câmera, novos firmwares. Estou com ele até hoje, quem saiba o próximo será outro Asus. Meu irmão que tb vinha de Sony e Samsung agora está de Zenfone 2 depois da minha indicação, até no trabalho algumas colegas compraram algum modelo do Zenfone após verem o meu ZF5.

Embora não veja publicidade em TV ou em operadoras digo que é bem comum ver pessoas com aparelho Sony, não sei se a marca ainda é popular com aqueles que fazem graduação e tem entre 20 e 30 anos. trabalho em uma universidade e ao ver os alunos com smartphone a marca Sony é uma das escolhidas

edinho Vander
Visitante
edinho Vander

A sony na divisão de hardware não anda nada bem a anos, o que me deixa triste é que os produtos são de excelente qualidade, para se ter uma idéia o próprio Steve Jobs elogiava muito o design dos produtos sony.

Carlos Filho
Visitante
Carlos Filho

É uma pena.. tive dois smartphones Sony e não tenho o que reclamar.

Mário,
Estava conversando com um colega de trabalho sobre o custo de vida em alguns países e fiquei com uma dúvida:
Qual o custo de vida para um casal em Portugal?
Fiz uma pesquisa na internet e os sites apontavam o custo entre 2.000 e 2.500 euros para se viver razoavelmente bem… está correto?

bruno
Visitante
bruno

Não sei exatamente em que estado está a linha xperia no que diz respeito ao Android que usam (se é pesado, se tem bugs, etc.).

O que sei é que os aparelhos da Sony, desde 2015 para cá, têm boa qualidade de construção, e em 2015 um bom design.

Hoje, estão completamente ultrapassados nesse departamento e sobretudo, e aqui é que a Sony falha, são caros para o que oferecem.

Eu olho para a Samsung e para a LG e estas duas estão na frente da inovação, quer no ecrã, quer no design. A Sony não foi capaz de combater isso com novidade nenhuma. E só tenho ouvido desculpas da parte deles. Há milhares de startups que se iniciaram no mercado e basicamente só fazem smartphones e se deram bem. A Sony pecou por azelhice, quer nos processadores quer no design.

Mas não me parece que vá acabar. Antes de sair, Kazuo Hirai reiterou que mantinha a divisão para marcar presença no mercado. Desde que o prejuízo não seja grande acho um erro terminar agora com o suporte. Como estamos a ver com o PS VR e o move, nunca se sabe quando certas tecnologias dão jeito.

Mas o que ainda é pior, foi ver como a casa da PS não consegue produzir um aparelho móvel que se tenho tornado relevante. E tudo porque não apostou no desenvolvimento de um SO para todas as suas plataformas.

Carlos Filho
Visitante
Carlos Filho

Obrigado a Mário e Bruno. É uma curiosidade, há no imaginário a idéia de que é muito caro a vida na Europa.. Evidentemente que o custo muda de país para país..