E se a Sony impedir os jogos da Scorpio de serem superiores aos da PS4 Pro?

Por muito pouco correcto que a situação possa parecer (e seria mesmo), a Sony poderia impedir os jogos de saírem melhores na Scorpio do que na PS4 Pro. Mas essa atitude seria, na nossa opinião, das mais baixas alguma vez vistas neste mercado.

Nota: este é um artigo especulativo, baseado em rumores não comprovados que circulam.

São neste momento 23:14 da noite, e estou a alinhavar este pequeno artigo ponderando uma situação que, apesar de ser meramente teórica, tem algum fundamento lógico e, segundo alguns, alguma aplicação já prática.

Sinceramente a haver alguma veracidade nesta situação nem sei bem como a definir. Fui apanhado de surpresa pela notícia, e apesar de a mesma não me parecer nada correcta (e até a considerar baixa), para com a comunidade Gamer, a realidade é que percebo que actualmente a Sony tem essa capacidade na mão, e é mesmo um direito que lhe assiste.

Mas já me estou adiantar sem que diga do que estou a falar, e por isso vamos antes do mais ver o que se passou!



Foi anunciado recentemente que Destiny 2 correrá a 4K no PC com fotogramas desbloqueados, podendo atingir até 144 fps nos sistemas mais potentes.

No entanto a Bungee veio anunciar que Destiny 2 correrá a 30 fps nas consolas uma vez que estas não possuem capacidade suficiente para poderem alcançar mais do que isso. Nada que seja verdadeiramente preocupante uma vez que o primeiro jogo já corria com esses fotogramas e isso em nada era diminuidor da sua qualidade.

No entanto a Bungee acrescentou algo mais… referiu que a PS4 Pro correria a 4K mas a 30 fps uma vez que também não possui capacidade para alcançar os 60 fps.

Já sobre a futura Scorpio nada foi referido, sendo que a Bungee resolveu remeter mais informação sobre esta consola apenas para a E3 2017.

E foi aqui que começaram as especulações, com muitas pessoas a dizerem que a Scorpio, ao ser mais potente, certamente correria o jogo a 60 fps, até porque a Microsoft não possui, ao contrário da Sony, uma clausula de paridade que fixe a Scorpio nos mesmos fps da Xbox One.

Ora perante a ideia de que a Scorpio consegue acompanhar melhor os PCs do que a PS4 Pro, a insistência sobre os fotogramas do jogo na Scorpio foi tão grande que um terceiro, neste caso Ryan McCaffrey , Director executivo da IGN. resolveu meter uma colherada. E o que ele referiu, apesar de não se saber se é ou não verdade, levantou muita polémica.

Segundo ele, a Sony teria acordado com a Bungee que este jogo não poderia ser melhor em qualquer outra consola do que é na PS4 Pro. Num tweet entretanto apagado, este referiu que a Bungee/Activision iriam querer paridade nas consolas, especialmente à luz do seu acordo de marketing com a Sony.

“Correct. No chance Scorpio gets 60fps. Bungie/Activision will want console parity, especially in light of their marketing deal with Sony.”

Naturalmente isto é clara especulação… Nada nos garante que Ryan saiba sequer o que está a dizer… mas no entanto a situação dá o que pensar. E daí a criação deste artigo!

Diga-se no entanto que a paridade não é algo estranho para a Activision, e não seria de admirar que, sem qualquer pressão de ninguém, a empresa até pudesse optar por isso. Daí que, independentemente do resultado final, sem mais dados não se conseguem tirar quaisquer conclusões.

Mas voltando a uma possível (teórica) pressão da Sony, a realidade é que analisando os relatórios e contas das principais empresas de videojogos, vemos que entre 40 a 50% dos seus lucros totais derivam das consolas da Sony, com a Xbox a gerar uma fatia consideravelmente inferior, apesar de igualmente digna de registo (20 a 30%). Tal deve-se a um mercado de 60 milhões de consolas PS4 contra um mercado que ainda não atinge os 30 milhões na Xbox One.

Ora esta situação coloca a Sony numa posição predominante, e dado que os jogos requerem licença do fabricante da consola para serem publicados na mesma, a Sony, tal como a Microsoft, está no seu direito de negar a publicação de qualquer jogo no seu sistema.

A questão é que com uma fatia tão grande nos lucros das empresas, estas certamente não estarão muito interessadas em desagradar a Sony, especialmente quando se fala de meras melhorias para uma versão para consolas de meio de geração cujas vendas, pelo menos no que foi visto na PS4 Pro, são muito pouco significativas face às vendas da consolas base.

E isto quer dizer que caso haja pressão da Sony, ou mesmo que não a haja, a simples possibilidade de as empresas não quererem arriscar um conflito com a Sony, leva a uma probabilidade bem real de as empresas optarem mesmo por paridade nas consolas de topo. Esta é uma possibilidade que não se pode descartar, especialmente quando há acordos monetários por detrás.



Infelizmente a única hipótese de a Microsoft contrariar isto seria o pagar às empresas para contrariar a situação, mas caso a Sony negasse o lançamento na sua consola, este pagamento teria de subir para um pagamento de exclusividade, e nesse caso a comparação com a consola da Sony deixaria de existir.

A questão é que se a Microsoft pode adquirir um ou outro exclusivo a menor custo graças a uma situação de pressão da Sony, o certo é que pagar para todos os jogos serem exclusivos é algo fora de hipótese, e mais ainda, ser forçado a se pagar por um exclusivo apenas para se aumentar as vendas de uma consola de meio de geração não parece muito lógico pois os ganhos não parecem ser compensadores das despesas dado o valor a pagar para se compensar as perdas de vendas do outro lado, especialmente considerando que durante algum tempo a base instalada de utilizadores da Scorpio será bastante baixa (comparativamente).

Antes de avançar mais, convêm não esquecer que este artigo apenas teoriza numa situação que teria realmente força para acontecer, mas que não há qualquer indicação de ser verdadeira. Dai que de forma alguma se pretende que o mesmo seja uma arma de arremesso contra a Sony numa fase onde a acusação não tem sequer uma base sólida para tal.

Diga-se no entanto que caso fosse verdade, tal seria uma jogada que consideraria como extremamente baixa e lamentável e que certamente levaria a uma quebra gigantesca do respeito pela Sony pela parte de muitos utilizadores (pessoalmente sei que me incluiria aí). As empresas possuem o direito de se defenderem, mas o cliente é livre de decidir o que quer, e a imposição de cortes na concorrência exercendo um poder de dominância, seria uma espécie de uma ditadura inaceitável. Se a Sony queria realmente os jogos melhores na sua consola, não lançava a Pro e aguardava. É tão simples como isso!

Agora a realidade é que, nesta fase, sem comprovativos reais dessa intenção, tudo isto é especulação, e sem mais dados, convêm não embandeirar em arco como faz Fidget Spinner, ligado à Microsoft, que alega á boca cheia, e sem dados para o confirmar, a possibilidade da existência de pagamentos para paridade, esquecendo que, MHz por MHz, o CPU da Scorpio não é muito superior ao da PS4 Pro, e que nestes jogos não é só o GPU que conta.



Para além do mais, qualquer diferença mais radical entre CPUS que exista requer optimização que a Bungee pode perfeitamente não ter efectuado, quer porque não quer, quer porque não teve tempo, quer porque acha que não vale a pena, quer porque não quer mesmo hostilizar partes do mercado. E isto nada tem a ver com a Sony ou acordos de publicidade existentes, mas apenas e meramente com políticas da empresa.

Acima de tudo convêm não esquecer que estas consolas de meio de geração apostaram forte nas melhorias do GPU para atingir os 4K, mas não tão forte no CPU onde os ganhos são mais reduzidos, e mesmo na Scorpio, onde os ganhos são maiores, um jogo atingir os 60 fps quando corre a 30 na sua base, não é algo garantido à partida.

Para além do mais, na sua acusação este senhor parece esquecer que no primeiro Destiny a Ubisoft optou igualmente por uma paridade entre as consolas, optando por cortar na fidelidade gráfica para que o jogo corresse tanto na Xbox One como na PS4, a 1080p 30 fps em vez dos tradicionais 1080p/900p. E nessa altura ninguém falou em pagamentos da Microsoft, apesar de já nessa altura haver um acordo de marketing com a Sony!

Seja como for, esta é uma situação a acompanhar, até porque seria lamentável que uma empresa exercesse pressões usando a sua vantagem de mercado. Isso seria basicamente Um atentado à livre concorrência inaceitável, uma situação que abomino e um dos motivos pelos quais sempre defendi uma concorrência sadia ao nível do que aconteceu na geração passada.

Vamos aguardar para ver o que sai daqui, mas Phil Spencer acabou de publicar o seguinte tweet.

https://mobile.twitter.com/XboxP3/status/867050680149606400

E ele refere:

I’m very confident, from what we are seeing and hearing, Scorpio will be the very best console version of games this year..

E caso nada disto se venha a verificar, diga-se que tambem é vergonhoso ver pessoas ligadas a publicações de renome e mesmo à Microsoft, a atirarem acusações detes género para o ar.



Posts Relacionados