Eis exemplos das diferenças entre os jogos Xbox One e Scorpio

E aqui convém relembrar que as consolas, por muito potentes que sejam, são modelos de meio de geração, e como tal não lhes é permitido roubar o protagonismo das consolas base.

Confesso que a apresentação da Scorpio me entusiasmou. A consola é, tecnicamente uma proeza e já o dissemos e analisamos!

Mas apesar de todo o seu poderio, a realidade é só uma: A Scorpio não é uma nova geração!

Ela é, tal como a PS4 Pro uma consola destinada a melhorar os jogos da consola base. Não será uma consola que terá jogos exclusivamente pensando para a sua capacidade, e aliás nem sequer os jogos serão feitos pensando-se nela e depois adaptando-se à Xbox One. A coisa será sempre feita pensando no jogo para a consola base, obtendo-se os melhores resultados possíveis na consola base, e melhorando-se depois para a consola superior.

Esta política, igualmente usada pela Sony tem claras desvantagens!



A primeira é que a grande virtude destas consolas aparecerá com o uso dos 4K (Nativos na Scorpio, re-construidos na PS4 Pro), mas no que toca aos 1080p, estas consolas serão muito limitadas no que podem fazer uma vez que o seu poderia gráfico poderia criar uma clivagem enorme de performances face aos modelos base que destruiriam internamente a base de utilizadores ao fraccionar a mesma. E diga-se que com as consolas base com tão pouco tempo de vida, essa atitude poderia mesmo ditar o afastamento de muitas pessoas da consola.

Nesse sentido há que se refrear os ânimos face ao que alguma vez teremos nestas consolas. Elas são consolas elitistas, destinadas a quem aposta na tecnologia de ponta e quer estar sempre na vanguarda. Mas não serão mais do que consolas idênticas às base, mas melhoradas.

As imagens que se seguem foram demonstradas pela Microsoft como sendo uma amostra do tipo de melhorias que poderemos ver numa Scorpio face à Xbox One, e como perceberão, apesar de claras melhorias, a diferença é mesmo assim pouca ao ponto de justificar um investimento numa TV 4K e numa nova consola.

Note-se que para perceberem a totalidade da diferença é necessário abrirem a imagem em separadores novos, e visualizar as mesmas em ecrã total. As imagens em causa estão a 1080p, o que corta parte do efeito que poderiam obter num ecrã 4K nativo, mas dado que poucos de vocês possuem monitores 4K, não justifica a sobrecarga de tráfego adicional a colocação de imagens nessa resolução.

Project Scorpio – Imagem rendida a 4K e re-escalada a 1080p (cima)

Xbox One – Imagem rendida a 1080p (baixo)

Apesar de ambas as imagens estarem a 1080p, as vantagens da Scorpio são visíveis. Apesar de as melhorias de imagem no cabelo se perceber perfeitamente uma vez que a maior resolução, mesmo que re-escalada para baixo, cria um menor efeito de aliasing, e que no re-escalamento se traduz num anti-aliasing gratuito, já a das bobines sob (e particularmente esta) e sobre o braço esquerdo da personagem (lado direito do ecrã), torna-se mais difícil de explicar, a não ser que as texturas e efeitos de luz usados tenham igualmente melhorias para a Scorpio, algo que neste caso a Microsoft refere não existir.



As imagens que se seguem mostram a mesma cena, mas desta vez com a Scorpio a render a 1080p e a aplicar melhorias à imagem.

Project Scorpio – 4K com output a 1080p (cima).

Xbox One – 1080p (baixo)

E aqui vemos que, mesmo com ambas as consolas com saída vídeo à mesma resolução, a Scorpio apresenta melhorias no cabelo e pormenores da face.

Aqui, mais uma vez, a bobina inferior mostra melhorias nos reflexos e pormenor, mas curiosamente, o resultado é inferior ao caso de cima, mostrando que o re-escalamento pelo Photoshop se revela superior..

 Para uma ideia mais geral, segue-se uma imagem com os vários casos:

Por ordem, da esquerda para a direita, Xbox One – 1080p, Scorpio – 4K em ecrã 1080p, Scorpio – 4K nativo.

Mas as melhorias podem ir mais longe e a Microsoft mostrou um outro exemplo onde isso acontece.

Project Scorpio – 4K com melhorias (cima)

Project Scorpio – 4K (baixo).

A imagem de baixo representa uma joaninha rendida com qualidade da Xbox One, sendo que a de cima representa alguma melhorias adicionais que a Scorpio pode colocar, nomeadamente a nível de texturas e geometria adicional.

Basicamente são ganhos dignos desse nome mas, tal como o apresentado pela PS4 Pro, está longe de ser um salto operacional, e acima de tudo, há que se questionar, se o que há é verdadeiramente algo que justifique o custo de mudar de TV e de consola, um custo que, mesmo com retomas, nunca ficará abaixo dos 600 a 700 euros, apenas para se ter mais uns FPS, uns pelos numa joaninha, ou um cabelo com um pouco menos de pixels.

E este é o motivo porque, mesmo que fascinados com aquilo que a Scorpio é, ela tem de mostrar muito mais, uma vez que o facto de ser uma consola de meio de geração limita-a naquilo que pode fazer.



Posts Relacionados