Estará a Xbox One X a ser promovida à custa de má optimização propositada no PC?

Os utilizadores PC andam-se a queixar dos jogos associados à Microsoft. Má optimização, sub aproveitamento dos recursos disponíveis e falta de implementação de caracteristicas são situações verificadas que tem vindo a levar a acusações de sabotagem nas performances dos PCs para promoção da Xbox One X. Mas haverá razões para se pensar asim?

Rise of the Tomb Raider, Forza 7 e Assassins Creed: Origins. O que tem em comum estes jogos?

Aparentemente… nada! Mas na realidade há dois pontos em comum entre os três. Vamos enumerar:

  • Os três estão sub-aproveitados no PC ou possuem caracteristicas não implementadas nesta máquina face ao visualizado na Xbox One X.
  • Os três são jogos associados à Microsoft, quer sendo franquias da marca, ou jogos associados a contratos de exclusividade e/ou marketing.

Estas duas situações em comum tem vindo a levar alguns utilizadores PC a acusar a Microsoft de estar a fazer isso de forma propositada. O motivo é simples, o passar uma imagem de performances da Xbox One X que não corresponde à verdade com o intuito de promover a consola.

Diz a Microsoft: A Xbox One X consegue correr jogos a 4K  e a 60 fps com um nível de qualidade equivalente ao ultra dos PCs.



E não mente! Apesar de tal não ser uma realidade em todos os jogos, há casos assim, como vemos em Forza 7.

O grande problema é que há sempre duas perspectivas de análise para esta afirmação. A dos possuidores das consolas que ficam todos contentes em ouvir isto, e a perspectiva dos possuidores de PCs que se questionam porque motivo as suas máquinas bem mais potentes não são capazes de fazer bem melhor que a Xbox One X, especialmente porque quando analisada a situação, vemos que nada as impede de fazer igual, ou até melhor.

Historicamente a imagem da Microsoft no mundo do Gaming do PC nunca foi a melhor, ao ponto de até hoje todas as tentativas que a empresa fez de entrar no mesmo acabaram por não ter sucesso.

Mas agora a posição da Microsoft face ao mundo PC parece ter outras condições. Perante a realidade atual de partilha de tecnologia x86, do sistema operativo e API, entre um PC e uma consola as diferenças são apenas a uniformidade do hardware desta última.

Apesar de esta diferença continuar a ser relevante pois um hardware fixo e uma utilização dedicada permite optimizações que não são possíveis ter-se ao mesmo nível em máquinas com grande diversidade de hardware, o panorama atual agora é bem diferente do existente no passado. Como já referido, agora as consolas e PC partilham hardware, sistema operativo e API. Os APIs de baixo nível estão agora disponíveis no PC, e mesmo a dedicação de recursos do sistema aos videojogos é igualmente algo que agora o PC também suporta. Basicamente o PC está agora num patamar que permite optimizações que no passado não eram possíveis, e que permite que a sua força bruta venha mais facilmente ao de cima. Isto claro, se a utilizarem de forma conveniente.

Mas será que utilizam? É isso que vamos ver!

Rise of the Tomb Raider

Este jogo foi lançado para a Xbox One e dois meses depois para o PC. Nessa altura não existia ainda a Xbox One X, motivo pelo qual o PC, face à disparidade de performances, conseguiu sobrepor-se de forma natural à versão Xbox One.

Mas eis que surge a Xbox One X, e Ryse of the Tomb Raider tem tratamento adicional para a Xbox One X. Um tratamento que curiosamente, e apesar de estarmos a falar de um jogo que usa o mesmo sistema operativo na consola e no PC, e o mesmo API gráfico, não foram trazidas para o PC.

Entre as diferenças temos:

  • Implementação de HDR na Xbox One X.
  • Som Dolby Atmos posicional 3D
  • Uso das texturas de alta definição do PC, mas melhor implementadas que no próprio PC.

São pequenas situações… nada de verdadeiramente grave. No entanto são três coisas que poderiam ser facilmente corrigidas e acrescentadas no PC. Mas não o foram, e em comparativos de imagens o HDR e o melhor uso das mesmíssimas texturas dão vantagem visual à Xbox One X.

O que impede isto de ser implementado igualmente no PC? Nada…

Estas situações, apesar de reais, passaram ao lado da comunidade. Sendo este o primeiro caso, e especialmente tendo Tomb Raider para PC sido já lançado à um ano, a situação passou ao lado de todos que a viram sem grandes intenções.

Mas o sucedido foi agora despertado devido ao que se está a passar com os restantes jogos. Vamos Ver:

Forza 7

Como sabemos actualmente o jogo está disponível apenas em versão demonstração para o PC e para a Xbox One, mas os utilizadores PC estão revoltados e a cair em cima da Turn 10 pelo que está a suceder nas suas máquinas. Ao ponto de o termo sabotagem estar a ser usado, e as acusações de que a Microsoft está a propositadamente prejudicar a versão PC para promover a sua consola serem usadas pelos possuidores PC sem qualquer receio.

No nosso teste que fizemos aqui, correndo o jogo num i7 4470k e uma RX 480 não termos tido qualquer problema em atingir os 4K 60 fps com o detalhe no máximo, a realidade é que este é um sistema com características de topo. Não é actualmente o melhor dos melhores, mas está muito bem situado a nível de performances, especialmente no que toca ao CPU.

Simplesmente a questão não é a nossa experiência, mas a experiência global dos utilizadores PC!

Aquilo que vemos são queixas de muitos utilizadores de que nesta fase o jogo apresenta crashes múltiplos, total falta de optimização, falta de suporte para determinado hardware e muitas outras situações tem levado vários utilizadores a avaliar o jogo com a nota mínima.

Perante um jogo tão optimizado para a Xbox One e tão pessimamente optimizado para o PC, havendo tantas semelhanças no API e no OS, as queixas parecem realmente coerentes. E daí que as acusações que a Microsoft tenta promover a imagem da sua consola à custa de má programação no PC aparecem. A versão PC… funciona e até funciona muito bem em sistemas de topo! Mas não está verdadeiramente optimizada.

Vejam o vídeo que se segue:

O sistema em causa é até superior ao nosso, daí que ele serve bem para mostrar a realidade da programação deste jogo. Trata-se de um i7 4790K com uma Geforce GTX 1080 Ti.

E apesar de as performances deste sistema não estarem em causa, o que vemos?

No ecrã temos informação diversa. Temperatura do GPU, utilização do GPU, utilização da memória Video, utilização da velocidade da ventoinha, FPS, utilização de cada um dos núcleos do CPU e utilização média do CPU.

O importante aqui é o CPU, que é onde a situação se revela chocante. Apesar que com boa programação e distribuição manual, um jogo DX 11 pode obter melhores performances que um DX 12,  o conceito de criação do DirectX 12 foi exactamente uma automatização e consequente melhoria na distribuição das tarefas pelos diferentes núcleos, evitando estas situações que causam limites à performance geral do sistema, incluindo a gráfica.

Mas aqui nem parece estarmos numa era de multi-threading: Uma análise ao video permite ver que a ocupação média do CPU (no seu global) raramente passa os 40%. Mas no entanto, apesar de ele estar longe de poder debitar o seu máximo, o CPU está a ser um gargalo quer no processamento genérico, quer no gráfico, pois a distribuição de trabalhos pelos núcleos está terrivelmente mal feita, e é comum vermos o primeiro núcleo a ser o mais solicitado e a atingir o seu limite (100%), consequentemente, limitando todas as performances do sistema.

Se este CPU está a limitar o jogo, isso quer dizer que um CPU mais baixo limita mais depressa e ainda mais, mesmo que que a sua ocupação geral continue extremamente reduzida! Ou seja, haverá um caso caricato onde hardware perfeitamente capaz que pode não conseguir correr o jogo pois a sua performance global toma um valor secundário face à performance por núcleo, que não se revela suficiente. Isto apesar de a utilização global do CPU poder nem atingir os 100% e até estar longe disso.



Mas qual é a explicação oficial da Turn 10? Sinceramente, do mais ridículo que já li!

Apesar de um esclarecimento mais recente que explica que o jogo utiliza os núcleos todos, a Turn 10 não deixa de referir que o uso a 100% do primeiro núcleo é propositada. E a explicação é a seguinte:

Hello everyone,

Some users may notice that the game utilizes nearly 100% of one of their processor cores. This is expected behavior; we intentionally run in this manner so we can react as fast as possible in order to minimize input latency. Users on power-constrained devices, such as laptops and tablets, might want to use a Performance Target of “30 FPS (V-SYNC),” which will reduce processor usage and minimize power consumption.

Tradução: Alguns utilizadores podem notar que o jogo utiliza quase 100% do primeiro dos seus núcleos do processador. Isto é algo esperado; de forma intencional corremos o jogo desta forma para podermos reagir o mais rápido possível de forma a reduzir a latência de input. Utilizadores em aparelhos mais limitados tais como portateis e tablets, devem querer usar um alvo de performance de 30 FPS (V-Sync), que reduzirá a utilização do processador e minimizará o uso de energia.

E esta situação que a Turn 10 reconhece ter sido propositada, poderia ser efectivamente util não fosse o facto de a argumentação ser completamente ridícula!

Para começar esta situação não está a restringir apenas utilizadores de portáteis e tablets como a Turn 10 tenta dar a ideia, mas tambem utilizadores de computadores de mesa com processadores i5 com muito mais capacidade do que todo o CPU da Xbox One X. Aliás mesmo nestes PCs de topo, não estivessem os FPS limitados a 60 veríamos que eles estão também limitados superiormente pelo facto de termos núcleos do CPU a atingir os 100%.

Quando a Microsoft cria um API como o DirectX 12 destinado a impedir que este tipo de situações, deveras limitador, aconteça, ver um jogo da própria Microsoft a fazer a apologia do uso a 100% do núcleo torna-se mais do que ridículo. Torna-se uma autêntica palhaçada!

O sistema de baixo com uma Geforce 980 Ti e um i7 4930K overclocked a 4,88 Ghz, mostra bem como este está limitado. O CPU tem dois núcleos saturados e a limitar as performances, mas os restantes quatro estão com baixa ocupação. Isto não tem lógica nenhuma. O GPU, como se pode ver, está com uma média de utilização de 48%, mas pode acontecer até nem conseguir dar mais pelo CPU estar limitado e com problemas em sincronizar os fotogramas com o GPU!

Mas será que estamos a ser mauzinhos? Será que efectivamente isto era preciso? Será que há razões nos argumentos da Turn 10?

A resposta dá-se de seguida:

Vamos pegar no sistema de cima, com o i7 4790K equipado de uma Geforce GTX 1080 Ti e comparar isto com a Xbox One X.

CPU

Jaguar Xbox One X

Velocidade de relógio: 2,3 Ghz

Núcleos: 8

Informação técnica da AMD sobre o jaguar

AMD Jaguar:

  • 3 DP FLOPs/cycle: 4-wide AVX addition every other cycle + 4-wide AVX multiplication in four cycles
  • 8 SP FLOPs/cycle: 8-wide AVX addition every other cycle + 8-wide AVX multiplication every other cycle

Cálculo de performance:

2300 Mhz * 8 * 8 =  147 200 flops  ou 147,2 Gflops.

Vamos, apenas por uma questão de descargo de consciência, considerar um ganho adicional de 30% para prever eventuais melhorias na Xbox One X. Isso daria 191,36 Gflops!

Intel Haswell:

Velocidade de relógio: 4 Ghz

Núcleos: 4



Informação técnica da Intel sobre os Haswell:

Intel Haswell/Broadwell/Skylake:

  • 16 DP FLOPs/cycle: two 4-wide FMA (fused multiply-add) instructions
  • 32 SP FLOPs/cycle: two 8-wide FMA (fused multiply-add) instructions

Cálculo de performance:

4000 Mhz*32*4= 512 000 flops ou 512 Gflops.

Basicamente, o que temos aqui é que um CPU i7 4790 possui mais do dobro da capacidade de cálculo do Jaguar da Xbox One X. Aliás, mais de 2,5 vezes!

Pegando nestes valores vamos ver o que temos a nível de performance por cada núcleo de CPU:

Jaguar: 191,36/8 = 23,96 Gflops por núcleo

l7 Haswell: 512/4 = 128 Gflops por núcleo

O que vemos aqui, é que mesmo usando 4 núcleos não conseguimos a mesma performance com o Jaguar da Xbox One X que conseguimos com um único núcleo deste i7. E se a Xbox One X não depende de um único núcleo não havendo queixas de latência, porque motivo isso acontece no PC que se vê forçado neste i7 a ver o seu primeiro núcleo usado a 100%? Para resultados idênticos à Xbox One X o primeiro núcleo no PC só precisava de ser solicitado a 20%.

Sinceramente, salvo melhores explicações da Turn 10, não encontramos qualquer coerência no que foi dito.!

Aliás, a piorar a explicação da Turn 10 temos Forza Horizon 3, que fez já o mesmo quando foi lançado, como pode ser visto pela imagem que se segue:

A questão é que este jogo, após uma série de patches resolveu o problema. Criaram-se mais tarefas simultâneas e deu-se melhor suporte ao DirectX 12, ao ponto de até processadores i3, antes não suportados, passarem a ser suportados oficialmente. Mas tal só aconteceu bastante tempo depois!

Mas se é assim, se o problema e as queixas já não são novas, e se esta solução já existia, porque não foi aplicada em Forza 7?

A consequência mais directa desta situação é que muitos PCs meio de gama e colocados na transição para os topo de gama, dotados CPUs de elevada performance equipados de placas gráficas perfeitamente capazes, e capazes de bater a Xbox One X, não consigam atingir os 4K a 60 fps, passando assim a imagem de que a consola é mais poderosa que os mesmos.

Perante tudo isto torna-se muito difícil argumentar contra a ideia que a Microsoft tem interesses nisto pois a situação ajuda e muito a passar uma imagem de potencia da Xbox One X superior à real. E apesar de poder até haver justificações adicionais que sejam plausíveis (algo que esta certamente não é), e até nem haver qualquer intenção nesse sentido, que perante a realidade do sucedido tal está a acontecer efectivamente, isso não pode ser negado. E que isto pode ajudar a vender consolas… pode certamente!

Assassins Creed: Origins

Aqui estamos perante um jogo que ainda não saiu, mas cujas notícias sobre o mesmo não tem ajudado nada a limpar esta imagem da Microsoft. É que as notícias que tem vindo a público e que partem de quem teve já contacto com o jogo e pode comparar a versão Xbox com a do PC revelam que a versão Xbox One X está a correr muito melhor que a versão PC.

Mais uma vez surge a questão do porquê quando sabemos que um PC Gamer possui pelo menos 2x a performance da Xbox One X?

Forza 7 é a prova disso. Apesar das queixas e das limitações dos núcleos, um PC topo de gama consegue correr o jogo a 8k 60 fps. E isto mostra que não há qualquer motivo para que um PC mais próximo do meio de gama, mas mesmo assim com especificações superiores às da consola corra os jogos pior que a Xbox One X.

O certo é que razões para que se pense que há aqui uma tentativa de se promover performances da Xbox One X de forma artificial, existem! E torna-se difícil argumentar contra perante as realidades constatadas.



Posts Relacionados

Readers Comments (26)

  1. Se eu sou um empresa de jogos que precisa lucrar com um projeto muito mais popular em consoles do que em PCs e tenho um tempo limitado para desenvolver, qual plataforma seria a prioridade?

    Os 10 games mais jogados do Steam hoje são esses:

    PLAYERUNKNOWN’S BATTLEGROUNDS
    Dota 2
    Counter-Strike: Global Offensive
    Call of Duty: WWII – PC Open Beta
    H1Z1: King of the Kill
    Grand Theft Auto V
    Team Fortress 2
    Total War: WARHAMMER II
    PAYDAY 2
    Tom Clancy’s Rainbow Six Siege

    Nas estatísticas do Steam, o Assassins Creed mais popular não tem 5 mil jogadores. O Tomb Raider mais popular tem pouco mais de 3 mil. Nenhum jogo de corrida está entre os 100 games mais jogados. O mais próximo disso, é um simulador de caminhoneiro que faz entrega de cargas.

    Por parte da Turn 10, o motor dela é totalmente desenhado para o Xbox One, e eu acho que eles devem ter um problema em desenvolver no PC, mesmo sendo Windows 10 e DX12. O próprio Forza Horizon 3 tinha problemas em ir além de 30 fps mesmo em um PC de topo. Coisa que não aconteceu em Gears of War 4, que provavelmente foi beneficiado pelo Unreal Engine e sua concepção multiplataforma desde o início. Para resolver isso, uma total reconstrução do motor voltado para multiplataforma… eu não acho que seria um investimento que gera retorno.
    Sobre os outros games, não sei. Eu não acho que a Microsoft paga os desenvolvedores para negligenciar o PC. Se assim o fizesse, também ocorreria na versão PS4 de Tomb Raider, coisa que não aconteceu.

    Não estou falando que é certo, mas quando a equação envolve tempo e dinheiro, eles precisam fazer o que é mais lógico. Vale mais o jogador de PC reduzir sua resolução para 1440p em troca da performance e o projeto se pagar, do que o jogador de PC ter o motor otimizado rodando em 4K 60fps no ultra em um PC médio e o jogo dar prejuízo.

    Nenhum dos 10 jogos mais populares são conhecidos por ser potências gráficas, e nas estatísticas de placas de vídeo mais utilizadas, a GTX 1060, 960 e 750ti estão disparadas na frente das outras.
    Logo se constata duas coisas, o Xbox One X é mais potente que a maior parte do mercado de PCs e os jogos que mais vendem no PC não tem apelo visual algum, ou seja, o mercado mais entusiasta para gráficos em proporção, está nos consoles e a maioria vence. Um jogo AAA feito em console não tem retorno do investimento se for feito uma versão PC com o mesmo empenho e tempo de desenvolvimento.
    As pessoas que reclamaram desses games provavelmente não representarão 10% das vendas de Forza, Tomb Raider ou Assassins Creed.
    Não a toa, a Valve desistiu de fazer Half Life 3, o mercado de PCs não da lucro para esse tipo de desenvolvimento.

    Eu sei que a reclamação não é sobre o console vs pc, e sim sobre Microsfot vs o resto do mundo como habitualmente tem sido, mas por trás existe uma realidade bem mais consistente do que a habitual birra com a Microsoft nessa geração.

    • Não sei se estás a perceber… é que se tens rotinas para dividir os trabalhos pelos núcleos, elas ou estão lá ou não estão. O OS é o mesmo, o API é o mesmo, a plataforma é a UWP, ou seja, a mesma.
      Não me fales em motor optimizado ou não porque aqui não está em causa se o jogo se dá melhor nas Nvidia do que AMD ou se rende mais na consola do que no PC. Está em causa que a Turn 10 no PC entende que precisa de 128 Gflops sempre usados, usando um núcleo a tempo inteiro, quando um dos dois CPUs da Xbox One X, ou seja 4 núcleos não debitam sequer isso.
      Porque raio precisas de 128 Gflops sempre usados, e porque raio em Forza Horizon 3 isso se resolveu mas re-aparece aqui de novo?
      E isto não é birra. É constatar uma realidade.
      Ou gostavas de comprar um Ferrari para depois veres que a gasolina que te vendem não carbura ao passo que a dos renault clio é enriquecida?
      Aplica isso a outro caso da vida, fugindo da marca Microsoft e depois diz qualquer coisa.

  2. Mário, concordo com Fernando! A realidade é que a rentabilidade dos PCs estão em poucos jogos como Fernando msm citou e msm que não seja ético, e de fato se for verdade não é, é que irão priorizar o hardware do one x, ou melhor, dificultar programação nos PCs para venderem o one x com inúmeros jogos com gráficos superiores. Por mais que soe sujo, duvido muito que empresas como Ubisoft, Square e tantas outras não farão isso. Empresas pregam ética, mas acima de éticas estão os lucros. Abraços…

    • Desculpe lá mas o caso de Tomb Raider está mais do que provado… Houve até a demonstração do HDR no jogo na apresentação da gtx 1080, mas seja lá o que for ninguém que não possua a One X vai poder desfrutar disto curioso não é..

      “Além disso, existem mais melhorias não existentes em qualquer outra plataforma. Está confirmado o suporte para som Dolby Atmos, juntamente com HDR. Nós até vimos a versão PC com HDR em Março de 2016 no lançamento da Nvidia GTX 1080 (a Nixxes até falou sobre isso), mas por razões desconhecidas, a funcionalidade não chegou aos utilizadores.”

    • Sim… é verdade. Isso é uma realidade de mercado. Mas há casos e casos.
      Nós sabemos que históricamente os jogos PC não são optimizados ao nível dos das consolas. Basta ver o Batman Arkham knight que teve de ser retirado do mercado por largos meses tantas eram as bugs. Nada de novo nisso pois tal como dizes as versões que vendem mais tem prioridade de optimização.
      Mas isso explica-se bem quando tens jogos onde são duas equipas a criar o jogo pra duas plataformas. Tomb Raider por exemplo foi criado pela Nixxes para as consolas e pela Square para o PC. Apesar de neste jogo a coisa ter saído equilibrada, por vezes isto dá barraca.
      Mas Forza é menos compreensível.
      Primeiro porque é a Turn 10 que está em ambos. Segundo porque o jogo usa a mesma plataforma de desenvolvimento em ambos, a UWP, terceiro porque o jogo não é multiplataforma e a Xbox e o Pc partilham o OS e o API.
      A grande queixa nem sequer é optimização… apesar de queixas de crashes e de falta de suporte a certo hardware, isso até aceito. O universo PC é gigante!
      No meu caso por exemplo o jogo correu-me impecável. Sem problemas! Puxei-o a 4K em Ultra e ele foi sem problemas a 60 fps.
      Qual é então a real queixa… não é nada do que estamos a falar. É algo bem diferente, é o,facto de a Turn 10 ter vindo dizer que o uso a 100% do primeiro núcleo, algo que está a impedir muitos e bons sistemas de atingir performances decentes, é propositada para melhorar latências. E o que mata aqui é o propositada!
      Ora quando um CPU como um i7 topo de gama consegue só com um núcleo superar 4 da X, isso não se compreende. De forma alguma!
      O forza horizon 3 tambem fez isso… mas corrigiu. Porque repetir isso agora? Qual o interesse?
      E aqui é que surge a acusação dos gamers PC. É que se os outros tem bugs que são causadas pela diversidade de hardware, Forza 7 até nem as tem. Corre bem! Há claro queixas de crashes e o,artigo fala delas, há falta de suporte a hardware e o artigo fala deles. Mas só eles não dariam direito a artigo pois são algo normal… o que mata aqui é a colocação reconhecidamente propositada de um núcleo a 100% sem justificação compreensível.

      • Ou seja o que acontece é que mesmo com o desempenho por melhor que seja, as pessoas querem descer a lenha no jogo por um pequeno erro, legal forza horizon corrigiu , isso mostra que tem chances do 7 corrigir tbm mesmo porque a engine de F7 já deveria estar sendo trabalhada desde antes do lançamento de FH3 mas ao invés de valorizarem os ganhos de clima dinâmico e passagem do tempo que lembro muito bem ter sido muito criticada sua falta aqui neste site já que drive Club possuía e Forza Motorsport não, mas que forza 7 o faz em 60 fps e um excelente AA para um console teoricamente tão mais fraco que um PS4 mas onde DC o faz a 30 fps e GTS não chega a 60 sólidos como a serie Forza M o faz desde tempos , mas criticar por um jogo que além de ser incrível no Xbox One ganha quase que automaticamente de brinde por conta do UWP uma versão para PC que tem corrido muito bem na maioria das maquinas, esse problema de consumir um núcleo a 100% é pura amadorismo afinal qq pode fazer melhor que Forza mesmo ninguém tendo feito , mesmo com GTS parecendo um GT 6 em boa parte das cenas e em DC por mais bonito que seja não pode ser levado a serio como jogo de corrida apenas como um arcade a lá NFS onde o jogo mais importante para o mercado (corrida) nos últimos anos sendo forza e o segundo Project Cars que não alcança os mesmo marcos com mesmo primor, apesar de ter outros pontos até melhores mas que no global não alcança Forza.

        Pessoalmente Forza é meu racing preferido e vou falar com paixão é claro, mas o que vejo são pessoas tomadas pelo odio ignorando a logica e os fatos para criticar um jogo que a cada ano se supera como poucos conseguem fazer na indústria dos games.

        OBS vou só tirar print do comentário pois como vi esses dias os mesmos estão sumindo de forma sumaria e sem motivo.

        • Só para esclarecer a questão dos comentários sumindo podem ter tratado de algum cache no chrome pois ao abrir em outro Browser ja os avistei portanto peço desculpas.

          • Tal como tinha dito, e sou uma pessoa de palavra, nada foi apagado.
            Até porque se tivesse sido, certamente não teria qualquer problema em dizê-lo. Agora a questão é que se achas mesmo que a PCManias era capaz de fazer isso nem sei porque voltaste.
            Evita é isto novamente e para a próxima não acuses sem teres certezas absolutas.

        • Ziel… Forza 7 não tem clima dinâmico e nem nunca teve. Assim como não tem iluminação dinâmica e nunca teve.
          O jogo usa efeitos de chuva pré programados e a luz é pré rendida.
          Nas pistas jogas sempre à hora pré definida e chove sempre quando passas na mesma parte da pista.
          Driveclub é 100% dinâmico podendo-se escolher a hora do dia a que se corre, e o clima, sendo que mesmo assim este muda durante a corrida de forma variável e que nunca é igual em dois jogos.
          De resto repete-se, Forza 7 no Pc sobrecarrega o primeiro núcleo, mesmo que os outros estejam sem fazer nada. Isso limita performances de CPU e de GPU.
          Isso é necessário? Não! Um núcleo de um i7 tem mais performance que 4 núcleos da Xbox One X. Qual a explicação? Latência!
          Ridículo… Forza 7 no PC nem tem mais, nem menos latência que na X.
          Nenhum outro jogo AAA recente, de corridas ou seja lá o que for faz isto. A Microsoft criou o DX 12 para isto não acontecer. FH3 fez isto e corrigiu… porque raio isto aparece aqui de novo?
          Resumidamente, todo o comentário acaba por ser algo sem sentido porque ou não quer ver, ou demonstra falta de conhecimento.
          Quanto à acusação dos comentários, muito cuidado com ela… porque eu não a admito… tira lá os teus prints, mas espero depois um pedido de desculpas público, especialmente quando encontrares os comentários que dizes perdidos. É que tu não me conheces, mas se há algo que não sou é mentiroso e caso tivesse apagado algo, não teria absolutamente problema nenhum em o dizer.

          • Olha quer saber eu já fiquei muito tempo sem retornar essa pagina e não voltarei a faze-lo novamente da primeira vez que o fiz foi sem um anuncio sequer e agora não quero saber mais deste site que tem uma opinião claramente envieasa contra a MS e Xbox como vc mesmo já disse em ocasião anterior seu coração bate mais forte pela Sony o problema é que vc se cobre de pseudo imparcialidades mas a todo momento procura atacar jogos ou imagem de Xbox e os poucos momentos que entrega informações um pouco mais técnicas é apenas para sustentar seus pontos de vista ignorando os esforços de seus usuários em argumentar com fatos, mas o site é seu então fique com ele todo para vc e seja feliz com seus fieis escudeiros.

            Obs se quiser me bloquear é uma gentileza que me faz.

          • Não.. não bloqueio… Mas já perdeste o direito de postar sem moderação pois isso é um direito que aqui se ganha. E depois das acusações que se verificaram patéticas e disto, perdeste esse direito.
            E não o meu coração não bate por marcas… Se batesse era pela marca branca do meu PC no qual invisto mais dinheiro do que alguma vez investi em consolas. Mais uma vez estás a falar sem factos e a acusar… Talvez seja outra vez o cache do Chrome!
            Agora essa questão da pseudo parcialidade é problema teu… porque sendo parcial vês essas coisas. Fosses imparcial e verificavas que constatar a realidade não é ser parcial.
            Facto:
            Forza 7 corre distribuindo as tarefas por 8 núcleos de CPU na Xbox One X
            Facto
            Forza 7 corre utlizando o primeiro núcleo do CPU a 100% no PC
            Facto
            Um núcleo de um i7 é mais potente que 4 núcleos Xbox
            Facto
            A Microsoft criou inclusive um novo API, que aplica na consola e no PC, o DX 12, especificamente para que isso não acontecesse.
            Facto
            A justificação da Turn 10 é patética… e podes ver os utilizadores a dizer o mesmo nos fóruns do jogo. Nenhum jogo AAA recente faz isso, nenhum jogo se queixa de latência!
            Facto
            A Microsoft tem uma nova consola que quer vender
            Facto
            face a essa consola esta situação cai que nem ginjas. Determinados i5 com uma GTX 1080 não conseguem correr o jogo a 4K 60 fps e isso dá ideia que a X é mais potente que eles e pode promover vendas
            Facto
            A Turn 10 pertence à Microsoft. Que por um lado criou o DX no PC, e trouxe para ele o DX 12, mas por outro permite isto das suas próprias equipas.
            Facto
            Outros jogos associados à Microsoft estão a queixar-se igualmente de más performances no PC

            E eu é que sou o parcial… porque relato isto! Uma situação onde máquinas de 1000 euros estão prejudicadas por uma mera decisão incompreensível. Porque se fosse imparcial ou estava calado, ou achava isto normal…
            Sim senhor…

            Já agora.. factos… são realidades.
            Da outra vez abandonaste o site porque discutimos quando tu dizias que Forza 7 tinha luz dinamica e eu te disse e comprovei que não, que não tem! São luzes pré-rendidas, tal como a maior parte dos jogos!
            Agora chateado com este artigo sobre Forza vieste com esta do tempo dinâmico. E quanto te digo que não é dinâmico, mas sim pré-programado uma vez que chove sempre na mesma altura, voltas a ficar todo chateado.
            Tu não apresentas factos, apresentas argumentos. E quando tos contrariam com factos reais… tens estas reacções!

        • Não existe nenhum jogo de corrida de console com o desempenho tão liso quanto Forza e isso já é realidade desde o Xbox 360 e eu duvido que o GTS também consiga o bloqueio em 60fps. Os estúdios da Sony devem ter alguma orientação para priorizar os gráficos. Então é provável que o GTS tenha o carro mais bonito, a iluminação simulada mais bonita e aquele desempenho inconsistente do Project Cars.

          Mas a questão que fica é essa, no ano de pior suporte da história do Xbox, tanta vez lembrado por muitos, como o pessoal está lidando com o 92 do metacritic do Forza 7?

          http://www.metacritic.com/game/xbox-one/forza-motorsport-7

          Será que o mais do mesmo vai ser o melhor exclusivo AAA do ano?

          • Aí lembro de uma mesma pessoa questionar o motivo de jogos “medíocres”(Na sua opinião) tirarem acima de 85? Jogos estes que não trazem inovação, qual foi a inovação do Forza? Um piloto do gênero feminino?

            De resto parabéns a Turn10 e a MS pois foi a partir do comentário acima que revisitei o metacritic(antes não era importante e jogo não se joga com nota) e vi que CupHead vai bem também!

          • O jogo tecnicamente está muito bom… acho que merece elogios. Para um jogo 60 fps, o que ele consegue está fantástico! Acho que nunca vi nada chegar lá perto!

          • Nenhuma, toda a base do Forza 7 foi escrita no Forza 6.
            Mas curiosamente, agora com o Xbox Onde x prestes a chegar no mercado, a MS voltou a ser a queridinha de alguns veiculos de comunicação.
            Mas sabe-se o metacritic, talvez Forza 7 seja superestimado, ou talvez os analistas milagrosamente enxergaram as qualidades que misteriosamente não viram no Forza 6.
            Não importa, nesse momento a media subiu para 93, o mesmo do queridinho e endeusado uncharted 4.
            Nada mal para o console de pior suporte da historia do universo que esta pegando poeira na casa dos dedicados “Gamers”.

          • Queridinha?
            Não acho! Acho que os media fazem apenas aquilo que devem, dar o crédito à X que ela merece!
            Podes apontar muitos defeitos à consola, como por exemplo os exclusivos (ou falta deles), mas isso não tira os méritos que a consola tem. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, e os deméritos e os méritos são coisas separadas. E méritos ela tem ao ser a melhor consola alguma vez construida!
            Daí que não acho que ela esteja a ser queridinha. Isso é uma visão um pouco associada a fanboyismos! Isto porque os media não estão a favorecer ninguem, estão a limitar-se a relatar e analisar baseados em realidades.
            Seja como for, Uncharted 4 tem 93 baseado em 113 análises. Forza 7 tem 93 baseado em 13 análises. Comparar os dois nesta fase não faz qualquer sentido.

          • Forza 7 tem méritos que merecem ser elogiados. Facto. A Xbox ONE X é a consola mais poderosa do momento, com soluções inteligentemente aplicadas pela MS para garantir que assim seja, e irá apresentar jogos com clara melhoria visual às outras versões. Facto. A Xbox ONE foi lançada em 2013 com decisões questionáveis no hardware, as quais comprometiam a performance face ao que a concorrência mais barata oferecia, fora as políticas abusivas que tentaram impingir e o kinect. Facto

            A Imprensa noticiou e opinou com base na realidade: criticou o que teve que ser criticado da mesma forma elogia o que deve ser elogiado. Não há queridinhos nem queridinhas. Mas há quem queira ver elogios quando não há méritos, faça acusações de hipocrisia e agora quando há elogios justificados, queira passar a imagem que mérito sempre o houve mas o resto do mundo foi cego, ou era hipócrita.

            Forza 7 é um muito bom exclusivo. Mas quanto a ser o melhor AAA do ano a ver vamos: não é propriamente original nem quebra barreiras – DriveClub, continua na frente no que apresentou no ecrã, apesar dos seus 30 fps (não me refiro à gameplay)- e mesmo a nível do que oferece, não sei o quão evoluído está face a Forza 6.

            Com isto, só quero apontar que é muito diferente comparar Uncharted 4 com os anteriores e tirar méritos por suposta falta de inovação (como foi aqui dito por utilizadores deste site), ao mesmo tempo que se elogia mais uma entrega num jogo de corridas, que por muito bom que seja, herda e muito das entregas anteriores que já chegaram na atual geração.

            O mesmo se considerarmos H ZD.

            Com isto quero dizer que, é muito provável que Forza 7 se torne o melhor jogo do género deste ano. Mas isso não apaga a ausência de outros títulos durante o resto deste ano na consola. A completa falta de exclusivos com o mesmo peso pelo menos até ao verão.

            Também não tira méritos a jogos como HZD e tantos outros que foram lançados, sobretudo porque são títulos completamente diferentes e de outras categorias.

          • Pois é parece que o melhor exclusivo AAA do ano vai ser um jogo cujo o gênero foi explorado pela primeira vez por uma produtora.

            A troca de Shooter para RPG aparenta ter dado certo, parabéns Guerrilha por Horizon Zero Dawn.

            Se bem que eu acho como melhor o Zelda, mas como discriminam os jogos do Switch..

  3. Eu não conhecia PUBG, na verdade nunca o joguei, mas acompanho um Youtuber brasileiro que jogam mal para caramba (e bota culpa em tudo, menos nele) e ele começou a jogar o PUBG, constantemente vejo-o comentar que o jogo é cheio de bugs e um dia até comentou:

    “Difícil é achar jogo nesses bugs” em referência a um dos seus amigos que falou que achou um bug no jogo.

    Se a versão do PC é cheia de bugs, será que a mesma irá melhorar quando a versão do One sair, se for seguir o exemplo das queixas dos usuários do PC?

    PS: Ontem saiu uma notícia que o mesmo jogo poderá sair para PS4.

  4. Não vejo como será possível a Microsoft promover a XBOX com uma má versão do Forza 7 no PC, o FORZA é um dos embaixadores da XBOX, andar por ai a espalhar versões deficientes do jogo noutras plataformas só pode afastar potenciais clientes…esta teoria da conspiração só me faz lembrar aquela rábula do Hermam José: Os detergentes da concorrência não tiram as nódoas difíceis, o nosso também não … mas o nosso detergente custa muito mais barato….

    • Não vês?
      Se chegas a uma feira ou um salão de exposições e colocas lado a lado uma Xbox de 500 euros a correr a 4K 30 ou 60 fps sem problemas, e ao lado tens um PC de 1500 ou 2000 euros a engasgar-se e com screenshot tearing, não achas que quem vê passa a acreditar que a X vale bem a pena face ao PC, iludido pelo que vê?
      E nem precisas de ir a feiras quando tens os media todos a relatar essa situação.
      Quanto à rábula do Herman José, ele é um humorista e os seus programas são para rir. Agora eu duvido que quem gastar 2000 euros num PC 2 ou mais vezes superior à Xbox One X, pagando os mesmos 60 euros pelo jogo se vá rir muito ao ver esses resultados… É que duvido mesmo!
      A certa altura a Microsoft apregoava que a sua One nunca ficaria atrás da PS4 porque “Nós inventamos o DirectX”. Mas agora, apesar de ele ter sido nado e criado no PC, a Microsoft e/ou as empresas a ela associadas por contratos publicitários, de marketing, ou de exclusividade, desaprenderam de o usar. Ou melhor… Só o usam bem na X.

      • É inexplicável isto. Eu sempre olhei para a X como uma oportunidade da Microsoft de reduzir os requisitos mínimos para os 4k no PC, seja com que metodologias fossem.

        Esta atitude, apesar de entender, é mais um volt-face face às políticas que vinham a ser implementadas da pltaforma unificada.

  5. Bem, não posso falar do forza pq eu não gosto desse tipo de jogo de corrida. Mas eu tô com um PC bem potente (i7 7700k + geforce 1070) e o q venho notado (joguei watch dogs 2, Assassino Creed 3 e Assassino Creed rogue tudo no ultra) é que parece q os jogos da Ubisoft são mal otimizados para PC. Nos AC sinto pequenas quedas de frames, porém no watch dogs 2, quando começava a dirigir a queda era absurda. Davam vários “soluços” de framerate caindo. Bem bizarro. É isso acontecia até quando eu diminuía a qualidade do jogo.

    Me parece q a Ubisoft fica mais em consoles, mesmo neles sendo ruins tb, que nos pcs.

    • Há fixes para ambos os jogos. Procura no youtube.
      De resto, não te admires que os sistemas que vendem mais tenham melhores optimizações. Até aí nada de anormal.
      Isto, claro, desde que não haja uma anormalidade como o uso do primeiro núcleo em Forza que se justifica como propositado por causa da latência.
      Vamos lá a ver… se for a ser correcto, a justificação não é totalmente despropositada.
      É um facto que a paralelização multimtarefas acrescenta latencia dependendo da arquitectura do CPU em uso. Maioritariamente isto deve-se a diferentes larguras de banda e latências das caches internas de diversos CPU especialmente se o CPU experimentar muitas “cache misses” (falhas no acesso à cache).
      Ora sendo o Pc um universo de combinações, isso até faz sentido, apesar de os ganhos de performance derivados de tal não se assemelham aos ganhos em fps que uma boa multitarefa traz.
      Daí que isto até nem prejudica a sério os CPUs topo de gama pois como vemos eles correm bem o jogo.
      Agora prejudica aquilo que pode ser definido como a configuração mínima para se jogar o jogo em determinadas condições, subindo-a tremendamente.
      Daí que, o correcto, correcto, era haver uma opção no menu, até porque isto mais do que beneficiar os CPUs que possuem letências dignas de registo, prejudica a quase globalidade dos mesmos.
      E isso é que é criticável aqui. Porque outros jogos deram a volta a isto. Forza Horizon 3 tambem o fez… mas agora, insiste-se na situação. Porquê?

Deixe um comentario

O seu e-mail nao sera publicado.


*