Guerra das consolas – Quem vencerá a nova geração? Parte 1

Análise do Mercado

É nossa opinião que neste momento o mercado já deu mostras daquilo que será o seu futuro, e é exactamente pelo comportamento no passado que pensamos poder analisar o que está para vir.

WII
Analisemos primeiro a Wii, uma vez que estamos, claramente, perante um caso especial. Actualmente líder de vendas, há que tentar perceber o que leva uma consola com uma tecnologia mais potente, mas com características idênticas à de uma Playstation 2 lançada em 1999 a ser a actual líder das chamadas consolas de nova geração, com 22 milhões de unidades vendidas em pouco mais de 1 ano.

Pensa-se que os motivos de tal sucesso são compreensíveis:



Gráficos e som são componentes essenciais para um bom jogo, mas só por si não o conseguem definir. Um bom jogo necessita de ser bem implementado possuir um bom conceito e uma jogabilidade que atraia o jogador. Sem esses parâmetros, está condenado ao fracasso.

É por ai que a Wii se tem vindo a impor. Não só com jogos divertidos e acessíveis que permitem a qualquer um, independentemente da faixa etária divertir-se de forma simples e imediata. A Wii consegue desta forma atingir plataformas e faixas etárias que de outra forma nunca seriam atraídas pelos videojogos na sua componente tradicional.

Mas o verdadeiro motivo do seu sucesso acaba por ser o Wiimote. Os jogos Nintendo de maior sucesso como o Wii Sports são jogos que nunca teriam qualquer sucesso se a jogabilidade fosse implementada da forma tradicional. O Eye Toy já tentou implementar uma jogabilidade interactiva ao estilo do que oferece o Wiimote, mas é a aproximação ao movimento real que consegue ser obtido com este controlo que atrai miúdos e graúdos.

Acontece porém que não deverá faltar muito para que Sony e Microsoft apresentem sistemas de controlo semelhantes, ou (mais fácil ainda) implementem nos seus jogos a compatibilidade com o Wiimote, uma vez que este funciona num sistema Bluetooth que todas as consolas actuais suportam. Nessa altura, e com a descida de preços dos diversos sistemas a Wii perderá o seu fulgor. Entre jogar um jogo de ténis com os gráficos do Wii Sports ou os do Top Spin com certeza, e desde que o controlo seja igual, todos preferirão o último.

Outro dos motivos porque se pensa poder explicar o sucesso da Nintendo Wii é a indecisão dos compradores face à Xbox 360 e a PS3, que sem saber em qual das consolas investir acabam por optar pela Wii que vai satisfazendo as suas necessidades temporárias sem ser um verdadeiro compromisso dado que a consola, pelo seu conceito, pode co-habitar futuramente ao lado das suas rivais.

XBOX 360
 No final de 2007 constatou-se que a Xbox 360 estagnou a nível de vendas. Os perto de 10 milhões de unidades vendidas praticamente mantiveram-se inalterados durante vários meses, só se alterando com a proximidade do Natal. É uma realidade que esse período é algo morto a nível de vendas, mas isso não se verificou com a Wii e a PS3 mas apenas com a Xbox.

Mais surpreendente ainda foi o facto de a PS3 vender com a livraria de títulos disponível, uma vez que a consola ainda não possuiu até ao final de 2007 nenhum título arrebatador que justificasse verdadeiramente a sua compra.

Estes dois dados pareciam mostrar que o mercado Xbox se definiu um 2007. O restante mercado aderia às restantes consolas, mas o grosso parecia decidido a esperar para ver o que o futuro trazia.

Com a aproximação do Natal, e a falta de grandes títulos para PS3, mas o lançamento de bons exclusivos como Halo 3 para a Xbox 360, o mercado pareceu destravar para o lado da Microsoft. A Microsoft não parou e lançou ainda mais exclusivos de qualidade destravando o mercado e conseguindo arrebatar em alguns meses mais 7 milhões de consolas vendidas, conquistando actualmente um mercado de 17 milhões de consolas vendidas (média de 8,5 milhões de consolas vendidas por ano).

Mas a realidade é que apesar do actual domínio de vendas e na qualidade dos títulos existentes para a Xbox, muitos hesitam ainda na sua compra, evitando assim o aparecimento de um vencedor desta guerra. Motivos para tal são muitos, e citam-se alguns:

– Abandono prematuro do suporte à XBOX original após apenas 4 anos de vida, e falta de garantias que tal não possa voltar a acontecer brevemente no caso de a Xbox não conseguir dominar ou manter-se activa de forma dominante no mercado (11 anos durou a Playstation e a Playstation 2 conta já com 8 anos de suporte).

– Percentagem de avarias e queixas acima da média nas consolas como se pode constatar diariamente nas histórias que aparecem nas mais diversas páginas e fóruns da Internet, associado a um mau serviço na assistência prestada pela linha de suporte a clientes da Microsoft que recebeu inclusive após um teste efectuado pela revista Haymarket Marketing Mix na sua coluna já lendária “we’ll call you” e que analisa a qualidade das assistências dos diversos serviços, uma nota de 0 (Zero) valores, numa escala de 0 a 10.

– Serviço online Live Gold pago (10 euros mês).

– Menor potência do que a oferecida pela Sony PS3 (uma realidade que não pode ainda ser constatada, mas que se verificará num futuro breve).

– A existência de jogos XBOX 360 que requerem hard drive quando algumas versões da consola saíram sem disco, e a Microsoft prometeu que o disco nunca seria obrigatório; o que mais uma vez mostra o porque de esta empresa ter dificuldades em conquistar a confiança do mercado.

A Microsoft tem, contudo, noção de tudo isto e não anda a dormir. A sua consola, apesar de todos os defeitos que possa ter e de não ser a mais potente actualmente à venda, possui potência suficiente para dominar o mercado e esse tipo de situação não seria novidade, pois recorde-se a vitória passada da Sony Playstation sobre a bem mais poderosa Sega Saturn.

Aliás, a Microsoft planeia cimentar mais a sua posição descendo o preço das suas consolas de forma a pender a balança para o seu lado.A notícia anunciada pela empresa, pretende alterar o preço da versão arcade actualmente à venda a 290 euros descendo-o para 199 euros, sendo que a versão Pro, actualmente a 399 euros descerá para 299 euros. O modelo Elite desce para 399.95 euros, preços com os quais a consola poderá disparar ainda mais as suas vendas.

Esta situação demonstra bem a vontade da Microsoft em se implementar de forma definitiva no mercado, e com preços que combatem a Nintendo Wii e mesmo as consolas portáteis. Naturalmente que estas alterações irão ter repercussões muito grandes no mercado e poderão levar à vitória da Xbox caso a Sony não acompanhe brevemente.

Da mesma forma esta campanha só poderá resultar se as limitações da Xbox face à Ps3 não vierem ao de cima, e assim a Microsoft, em campanhas sucessivas de marketing aproveita todas as oportunidades para disfarçar as lacunas da sua consola, como recentemente aconteceu numa entrevista em que sem ser abordada a questão da potência das consolas se abordou o facto de a capacidade de armazenamento da Xbox com os seus DVD´s (9 Gb) ser bastante inferior à oferecida pela PS3 com o seu Blu ray (50 GB).

A resposta de Aaron Greenberg da Microsoft foi de que as engenharias da Microsoft com os DVD´s conseguem acalmar essa questão e que jogos como Halo 3 e Mass Effect são a prova de que a Xbox consegue competir com o Blu ray.

Naturalmente que com esta resposta, estamos a enganar meninos. Trata-se apenas de marketing puro! 9 GB não conseguem nunca concorrer com 50GB. Mesmo usando sistemas de compressão avançados é preciso lembrar que esses sistemas podem ser sempre usados nos dois lados, e que caso seja preciso descompressões complexas a potencia da Xbox é inferior à da PS3 e assim sendo, esta ultima sairá sempre a ganhar.



PS3


Parece notório que os futuros compradores de consolas aguardam para ver o desenvolvimento do mercado. A PS3 ao ser a única consola do mercado que realmente se posiciona como podendo oferecer uma experiência de alta definição é a consola a comprar, mas a falta de software desincentiva a compra da mesma (e futuramente com a descida de preços da Xbox, o preço será igualmente um obstáculo).

Repare-se que a descida de preços da Xbox 360 não acontece nesta fase por mera coincidência. A PS3 prepara-se para lançar Gran Turismo 5 prologue e Metal Gear Solid 4, dois exclusivos de peso. Esta fase torna-se assim importante pois estes são dois jogos que podem ajudar a definir o mercado, e como tal há que competir reequilibrando os pratos.

Ao contrário da Xbox 360, a PS3 posiciona-se verdadeiramente no mercado de alta definição ao possuir um leitor Blue Ray e saída HDMI de origem em todos os modelos.

MGS4 é um dos títulos PS3 a ser lançado que efectivamente tira partido das suas capacidades únicas que nunca poderá sair com a mesma qualidade na Xbox 360. O motivo de tal deve-se ao facto de o jogo usar o Blu ray (50 GB) na sua totalidade. Uma versão Xbox 360, mesmo que possível a nível de potência da consola, a manter a qualidade obrigará a pelo menos 6 DVD´s, que na prática acabariam por ser mais uma vez que determinados conteúdos necessitavam de ser repetidos em todos eles.

Ao contrário da Xbox 360 onde o processador é um IBM simplificado a 3.2 Ghz e com três cores que partilham apenas 1 Mb de cache, ou seja, por comparação com processadores de arquitectura equivalente encontrados em PC’s, um processador que peca pela sua cache extremamente reduzida que limita em muito o processamento paralelo neste tipo de arquitetura, a PS3 encontra-se neste momento sub-explorada, sendo que os melhores jogos actuais, como é o caso de Uncharted, de acordo com os próprios programadores da Naughty Dog, apenas usam cerca de 30% da sua capacidade total de processamento, e outros como Resistance – fall of man, de acordo com os programadores, apesar da alta definição e efeitos que apresenta somente a usam em cerca de 10%.

Ainda dentro deste tópico, a EA revelou recentemente que os seus jogos apenas usam 20% do poder da PS3.

Esta situação é perfeitamente compreensível dada a extrema dificuldade em se programar para a PS3, que se recorda possui nada mais, nada menos do que 8 processadores (7 SPU’s a 3,2 Ghz cada e um processador central a 3,2 Ghz idêntico ao usado na Xbox 360, mas com apenas 1 core), o que torna a distribuição do trabalho uma operação complexa e árdua.

Sendo os SPU’s unidades dedicadas a cálculos matemáticos complexos, a sua aplicação a físicas complexas é uma forma de aliviar os cálculos T&L da placa gráfica, deixando-a disponível para efeitos gráficos pesados e complexos como o HDR sem se comprometer o desempenho.

Se considerarmos o que se obtêm de uma PS3, nomeadamente um leitor de Blu Ray cujo preço em avulso ronda os 250 euros e a consola mais potente do mercado, vemos que a oferta da Sony é efectivamente imbatível. No entanto, imbatíveis ou não, 400 euros são sempre 400 euros, e com a Xbox a 199 euros muitos desistirão desta escolha em favor da Xbox.  Acrescendo a este facto que actualmente os melhores jogos não são PS3, facto que deverá ser equilibrado muito brevemente, pois há que considerar que a Xbox 360 no seu primeiro ano de vida também não possuía grandes jogos, o mercado actualmente encontra-se muito favorável à Microsoft.

Analisados os sistemas, parece indiscutível que a PS3, apesar das menores vendas (10,5 milhões de consolas num ano, o que acaba por ser um valor superior aos da Xbox cuja média se encontra nos 8.5 milhões/ano) se encontra, devido ao que é oferecido, na melhor posição para ganhar esta guerra, mas há que considerar uma descida de preços, ou o lançamento de grandes títulos exclusivos que demonstrem a real capacidade da consola e a sua superioridade que neste momento não é exactamente visível, pois caso contrário a consola poderá estar condenada ao perder o mercado para a Xbox 360.



Conclusões

Arredando a Wii da guerra por se acreditar que a consola não manterá durante muito mais tempo os níveis de venda ficamos restringidos a analisar os outros dois sistemas.

Quem possui um PC sabe perfeitamente que a Xbox não se encontra a ser usada a 20% da sua capacidade, mas sim a cerca de 60% ou mais, apesar que optimizações podem aumentar esta margem. Não nos devemos esquecer contudo que a sua estrutura é em tudo semelhante a um PC, e este pode ser usado como medida.

Já no tocante à PS3, revelações de que os jogos actuais apenas a exploram no máximo a 30% indiciam que a PS3 possui mais do dobro da potência da Xbox, e dai a necessidade da Microsoft de a combater com descidas de preços antes que os jogos comecem a revelar estas diferenças.

Reparemos no jogo gratuito, Warmonger, disponibilizado pela Ageia, onde tudo pode ser destruído e manipulado, e onde um PC quad-core dotado de uma placa gráfica de ultima geração não consegue mais do que 20 a 25 fps. Este é um jogo em que a física é levada ao extremo e uma placa dedicada de cálculos complexos se revela como sendo algo indispensável. Não é uma limitação gráfica, mas sim de capacidade de processamento, pois os processadores genéricos de um PC não são vocacionados para este tipo de operações e apesar de as executarem não conseguem o desempenho ideal (veja-se o exemplo dos chips descodificadores de DIVX a 100 Mhz existentes nos leitores de DVD e imaginem um PC a 100 Mhz a reproduzir esse mesmo DIVX com a mesma qualidade e a 25 fps. Como seria de esperar tal é impossível pois se num caso o processador é dedicado e optimizado para tal, o outro é genérico). A Xbox 360 sofre exactamente do mesmo problema no tocante à aplicação de físicas mais complexas, sendo que no seu caso o uso de uma placa auxiliar está fora de hipótese.

Já a PS3 revela-se extremamente eficaz em lidar com físicas complexas (está a ser inclusive usada em laboratórios para simular a colisão de buracos negros), pois os seus SPU’s são especializados em cálculos desse género. Com a devida adaptação a PS3 poderá mostrar a sua superioridade, que não será gráfica ou sonora, mas sim no tocante à complexidade e realismo da física implementada. A PS3 não pode ter melhores gráficos ou som do que a Xbox 360, mas pode ter mundos mais complexos, físicas mais detalhadas, e mais coisas a acontecer no ecrã. No fundo se compararmos a Xbox a um bom PC, a PS3 poderia ser descrita como um PC semelhante, mas com uma placa de física extra incorporada. Não faz melhor, mas pode fazer mais e de forma mais complexa e realista.

É nossa opinião que a PS3 será a vencedora desta guerra, apesar de toda a actual vantagem da Wii e da Xbox. A Wii poderá começar já a perder para a Xbox caso a Nintendo não a torne de novo concorrencial devido à descida de preços, alargando-se assim a vantagem da Xbox. Mas com uma descida de preços por parte da Sony ou o lançamento de exclusivos que, acima de tudo, demonstrem a real capacidade da consola, a PS3 irá arrancar para uma vitória. Actualmente com os preços actuais e os jogos existentes no mercado o futuro aponta no sentido da Microsoft, mas a guerra é prematura e a marca Playstation possui ainda muito peso.
Fonte de números de vendas: http://www.vgchartz.com/?b=6



Posts Relacionados