Huawey lança modo performance para Mate 20 – Até 82% mais rápido.

O Kirin 980 tem vindo a dar cartas a nível de performance, mas o modo performance é onde ele realmente brilha.

A opção de performance no EMUI 9 está agora presente como opção, isto apesar de ela estar presente desde sempre, mas escondida. Agora, com ela fácil de usar, a performance do smartphone pode ser totalmente obtida, apesar de tal ter claro impacto na bateria.

Seja como for, para quem pretende a performance, o modo oferece ganhos consideráveis, e que chegam a alcançar, em alguns casos, um aumento de 82%.

Os testes foram realizado pelo website Pokde, pelo que não nos sentimos no direito de copiar as imagens dos testes para a PCManias, roubando assim tráfego ao website. Deixamos apenas um deles, sendo que caso queiram mais detalhes sobre a performance em outros programas, possam consultar o artigo, visualizando assim os ganhos existentes em outros benchmarks.



Como podem ver, o gráfico representa as performance no modo normal (azul) e modo performance (vermelho). Os ganhos são variaveis, apesar de existirem sempre, mas no 3D Mark, nestes 3 testes temos ganhos que vão desde os 19% no Sling Shot Extreme, passando pelos 58,29% no teste Ice Storm Unlimited, e alcançando os 82% no teste Slingshot. Valores tremendamente consideráveis.

A questão aqui é: Até que ponto, pelo menos neste benchmark, que é o que temos para analisar, estes ganhos são realmente importantes?

A pergunta pode parecer descabida, mas a realidade é que um ganho só por si não vale muito. Torna-se necessário mostrar que este ganho não é só uma forma de a marca ultrapassar abrandamentos introduzidos no seu telefone pelas aplicações ali existentes, mas que realmente é algo que destaca o smartphone dos restantes.

E é aí que a porca torce o rabo!

Naturalmente, não tendo condições para realizar testes comparativos, era bom ter um teste destes já feito, mas ele não existe. E dessa forma teremos de pesquisar resultados de benchmarks em vários websites, de forma a podermos fazer uma comparação.

Começemos pelo teste Ice Storm Unlimited, comparando estes valores com os de outros smartphones Android.

O que vemos é que os mais de 35 mil pontos do modo normal estão na realidade muito abaixo daquilo que os smartphones da concorrência oferecem. O telefone está longe de estar optimizado e é mais lento no seu modo normal do que os restantes.

Já no modo performance, ele realmente mostra-se superior, com os seus mais de 56 mil pontos a passar tudo o que a concorrência possui, e mostrando o valor do Kirin 980 face aos Snapdragon 840. É aqui que o processador mostra o seu valor, mas apesar de tudo, apenas neste modo de performance.

Vamos agora ver os resultados, comparativamente com os iPhones, os telefones mais rápidos actualmente no mercado.



O que vemos é que, apesar dos ganhos trazidos pelo modo performance do Mate 20, ele fica bem atrás daquilo que a Apple atualmente apresenta neste benchmark específico.

Vamos agora ver um comparativo do teste, bem mais pesado, o Slingshot Extreme com as outras marcas:

De notar que este é um teste composto por uma parte gráfica e uma de fisica, e dado que o resultado de cima é único, ele é o misto das duas. Será por isso com esse valor que compararemos com os restantes smartphones!

Mais ainda, o bench tem duas variantes, a Sling Shot extreme e a Sling Shot Extreme Unlimited. A primeira corre à resolução de ecrã do telefone, ao passo que a segunda corre offscreen, garantindo maiores valores e ao igualar a resolução para todos os smartphones.

Dado que o teste da Poked apenas é clara no que toca ao Sling Shot Extreme, não sendo clara com o outro, será apenas com esse benchmark que vamos comparar com outros Android.

Numa lista muito limitada, e incompleta:

O que vemos é que, mesmo com esta lista tão incompleta, o Mate 20 Pro, mesmo no seu modo performance, é inferior ao Samsung S9 neste teste! 4503 no Samsung contra 4228 no Huawey.

Vamos agora comparar com os iPhones.

Neste teste SlingShot Extreme, os novos iPhones portam-se pior que o Galaxy S9+, obtendo valores bem inferiores. Da mesma forma ficam abaixo do que o Mate 20 Pro oferece no seu modo Performance, e ao mesmo nível sem esse modo.

Conclusões

Naturalmente que o modo performance é mais do que bem vindo, mas tal como sempre foi, os resultados do Kirin contra os Snapdragon é algo misto, ora mais rápido, ora mais lento, dependendo do tipo de teste. E diga-se que há benchmarks, por exemplo, o Antutu, onde o Mate 20 deixa a concorrência para trás.

Mas este tipo de variações, não permite, de forma alguma concluir que o Kirin 980 é um processador superior ao Snapdragon em todos os casos. Aliás o Kirin 980 é meio ano mais recente que o Snapdragon 840 aqui presente, sendo que mesmo assim, pelo visualizado, e neste benchmark, o modo performance basicamente revela-se quase uma necessidade. O telefone no seu modo de funcionamento normal acaba, para este benchmark, por estar bem mais restringido que um Galaxy S9+, por exemplo. E é de recordar que o S9+, apesar de ser o telefone mais rápido destes benchmarks aqui apresentados, não o é na prática, existindo modelos de outras marcas, superiores a nível de performances.

Seja como for, para o pretendido, salvo erros nos resultados ou algum dado que possa invalidar esta comparação (por exemplo versões diferentes do benchmark, que não é referida em nenhum caso), estes resultados chegam. E com eles, o que se vê é que, tal como com o seu antecessor, o Kirin 980 é um processador de elevadas performances, mas cujos resultados, face aos Snapdragon concorrentes variam de Benchmark para benchmark. E mais ainda, a comparação mostra claramente que, mais do que uma opção, para este benchmark, este modo não faz mais do que colocar as performances onde se esperava que elas estivessem. Infelizmente tendo como custo a vida da bateria!

 

 

 

 



Posts Relacionados