Jogos digitais representam 74% do mercado Norte Americano… e isso… demonstra que o físico ainda domina!

Os valores parecem ditar o contrário, mas uma análise ao estudo revela que o digital apenas domina quando o físico é inexistente!

A Entertainment Software Association (ESA) lançou o seu relatório anuak sobre a industria do Video Jogos, lançando dado que revelam que, no Mercado Norte Americano, a industria totalizou 24.5 mil milhões de dólares, subindo para os 30.4 mil milhões se contabilizarmos acessórios e VR. Os dados revelam ainda que 74% dos lucros das vendas de jogos foram obtidas em vendas digitais.

Ora este dado revela que o mercado físico se fixou nos 26%, e isto é uma realidade, especialmente uma realidade que interessa aos fabricantes que se querem livrar dos custos de produção das cópias físicas. Mas no entanto uma realidade que requer enquadramento pois a interpretação destes dados não é tão linear como isso.

Para começar o que abrange este estudo? Bem, muita coisa, mas muita coisa mesmo.

Se a comparação fosse entre jogos vendidos digitais para jogos vendidos físicos, nas mesmas plataformas, ele seria correcto e válido. Mas ele envolve situações onde a igualdade não existe para os dois mercados. Por exemplo? Bem. para começar envolve os DLC… Algo que não existe em formato físico, e que como tal não pode ser contabilizado de igual forma dos dois lados. E atualmente o que vemos é que os season pass e os DLC chegam a ter valores iguais ou superiores ao custo do jogo. E nada disso pode ser contabilizado no mercado físico, mesmo quando o jogo é vendido nesse formato.



Mas há mais… este estudo contabiliza as receitas das subscrições, ou seja mensalidades de jogos como WOW, e outros que requerem pagamentos mensais são contabilizadas como receitas digitais. Mais um tipo de situação que não pode ser contabilizada pelo físico. Questiona-se ainda se as receitas de outros serviços como a PSN+, Live e EA Access também não estarão incluídas aqui!



Depois inclui-se ainda receitas vindas dos jogos das redes sociais. Mais uma vez uma receita meramente digital!

E como cereja no topo do bolo, o estudo abrange absolutamente todos os mercados de todos os dispositivos, o que quer dizer que, entre outros, as vendas de jogos para dispositivos móveis estão aqui contabilizadas. Um mercado de largas centenas de milhões de aparelhos que não possui suporte ao físico.

Ora no meio de tudo isto, torna-se claro que, apesar de ser difícil precisar valores exactos, no que toca à venda por venda de jogos, especialmente se considerarmos que os lucros dos dispositivos móveis são gigantescos e mesmo uma das maiores fatias deste bolo, a venda de jogos físicos em plataformas especificas e mais dadas a eles, como é o caso das consolas de mesa, ainda supera em muito a dos digitais.

Mas este não é exactamente um dado que interesse muito ser divulgado, pois há todo um interesse em se projectar o digital como o futuro, implementando-o desde já. Mas como mostram as vendas de Zelda: Breath of The Wild, onde a venda de cópias do jogo supera a venda total de consolas, ainda há muita, mas mesmo muita gente que não dispensa o físico, especialmente os coleccionadores.



Posts Relacionados