Microsoft: As pessoas vão comprar a Xbox One X porque temos os melhores exclusivos.

Esta frase é deveras interessante. Porque ou a Microsoft não tem consciência das coisas, ou então… vive num mundo muito seu!

Antes de avançarem com a leitura deste artigo, convêm verificarem a tabela que se encontra neste outro artigo. Somente dessa forma poderão verdadeiramente e com dados factuais, compreenderem a real situação atual da Xbox no que toca a suporte e exclusivos.

Diga-se que se possuem o hábito de ler notícias sobre consolas de forma diária perceberam já à muito tempo aquilo que o link mostra, que a situação da Xbox é verdadeiramente a pior do seu já longo historial no que toca a suporte. E isso é abordado quase diariamente nas notícias que vão existindo.

A situação está mesmo a fazer-se sentir nas vendas de consolas nos EUA, onde a Xbox caiu mais nos meses onde a PS4 lançou os seus exclusivos, dados que podem ser confirmados nestas tabelas.

Quer se queira, quer não, os exclusivos vendem consolas. E esse é o motivo pelo qual tanto se fala deles! Mais do que isso é o motivo pelo qual se justifica o investimento de milhões em estúdios dedicados à produção deste tipo de jogos. Depois é uma questão de gestão pois há quem não compreenda que os exclusivos First Party não necessitam de dar grandes lucros, eles apenas precisam de se pagar e de distinguir a marca das restantes. É para isso que existem!



Mas no que toca a exclusivos, mesmo a Switch, uma consola acabada de lançar tem previstos mais lançamentos exclusivos para os seus primeiros 9 meses de vida, uma altura onde o suporte é mais fraco pois a base de utilizadores não está ainda criada e como tal as vendas são baixas, do que a Xbox One teve se somarmos o que lançou em 2016 e 2017, anos onde o seu suporte deveria estar em alta.

Sim, estamos a falar, comparativamente às outras marcas e a outros anos, de uma seca de 24 meses, e numa altura onde a consola possui agora 4 anos, e devia estar no seu pico de suporte!

Mas curiosamente… Aaron Greenberg da Microsoft saiu-se com umas declarações muito interessantes, onde não só ele mostra que sabe que os exclusivos são importantes ao ponto de serem usados como arma de marketing, mas também porque, apesar do que está a suceder, ela ainda acredita que a Microsoft tem os melhores exclusivos, e acredita igualmente que a oferta da Microsoft para os seus fans nesse campo é extremamente competitiva.

As pessoas escolhem a Xbox porque temos os melhores Franchising, os maiores exclusivos, quer sejas fan de Halo, Gears of War ou Forza.

Nestas férias, pessoalmente, estou muito excitados pois a Xbox será a única consola onde poderás jogar Forza 7, Cuphead e PlayerUnknown’s Battlegrounds, pelo qual estou super excitado. Tambem, sincronizado com o lançamento da Xbox One X temos o Super Lucky’s Tale a sair, que é exclusivo.

Mas não acaba aí, porque na primavera teremos Sea of Thieves, State of Decay 2, e Crackdown 3. Pelo que basicamente estamos a atingir os fans sem parar com mais e mais títulos exclusivos, pelo que existirão toneladas de grandes jogos para jogar.

Vamos só ver uma coisa: Segundo Aaron, este ano há três exclusivos mais relevantes para serem lançados.

Mas desses 3, um, PlayerUnknown’s Battlegrounds, é apenas exclusivo temporário, apenas um, Forza 7 sairá no retalho (pelo menos não encontrei em lado nenhum PlayerUnknown’s Battlegrounds a ser vendido em formato físico) e dois são indies (PlayerUnknown’s Battlegrounds e Cuphead).

Mas sim, são exclusivos, daí que contabilizemos tudo… E para isso, dado que os Indies estão à mistura somemos o resto dos jogos Xbox, tais como Halo Wars 2 e outros Indie que também possuem o direito de ser contabilizados… E esta é a lista de 2017 da XBox…

1 – Halo Wars 2
2 – PlayerUnknown’s Battlegrounds
3 – Forza 7
4 – Cuphead
5 – Pit People
6 – Rise & Shine
7 – Voodoo Vince Remastered
8 – Phantom Dust Remastered
9 – Gigantic
10 – Fable Fortune
11 – Tacoma
12 – Hello neighbor
13 – Path of Exile
14 – Super Luckys Tale
15 – City Skylines
16 – Talent not Included

Esperemos que não tenha ficado nada de fora, mas não somos nós que fazemos estas listas, apenas as consultamos!

Comparemos com a concorrência em 2017 (e usando o mesmo critério, somemos também tudo).

1 – Gravity Rush 2
2- Horizon Zero Dawn
3- MLB The Show 17
4 – Nioh
5 – Uncharted: The Lost Legacy
6 – Wipeout Omega Collection
7 – Drawn to Death
8 – Locoroco Remastered
9 – Malicious Fallen
10 – Matterfall
11 – Parappa the Rapper Remastered
12 – Patapon Remastered
13 – That’s You!
14 – Farpoint
15 – StarBlood Arena
16 – Everybody’s Golf
17 – Gran Turismo Sport
18 – Knack 2
19 – Hidden Agenda
20 – Knowledge Is Power
21 – Locoroco 2 Remastered
22 – SingStar Celebration
23 – Stifled
24 – Hatsune Miku: Project DIVA Future Tone
25 – Read Only Memories
26 – Kingdom Hearts HD 2.8 Final Chapter Prologue
27 – Tales of Berseria
28 – Yakuza 0
29 – Double Dragon IV
30 – Digimon World: Next Order
31 – Divide
32 – Ys Origin
33 – Disc Jam
34 – Danganronpa 1•2 Reload
35 – Everything
36 – Kingdom Hearts HD 1.5 + 2.5 ReMIX
37 – Rain World
38 – Persona 5
39 – The silver case
40 – Dragon Quest Heroes II
41 – What Remains of Edith Finch
41 – Birthdays: The Beginning
42 – Samurai Warriors: Spirit Of Sanada
43 – Summon Night 6: Lost Borders
44 – Utawarerumono: Mask of Deception
45 – Guilty Gear Xrd Rev 2
46 – Nex Machina: Death Machine
47 – Crash Bandicoot: N.Sane Trilogy
48 – Final Fantasy XII: The Zodiac Age
49 – Pyre
50 – Sundered
51 – Hellblade: Senua’s Sacrifice
52 – LawBreakers
53 – Nidhogg 2
54 – Undertale
55 – Warriors All-Stars
56 – Windjammers
57 – Danganronpa V3: Killing Harmony
58 – Gundam Versus
59 – Ys VIII: Lacrimosa of Dana
60 – Boundless
61 – Death’s Gambit
62 – Jak and Daxter The Precursor Legacy
63 – Simphony of the Machine
64 – STATIK
65 – Cosmic Star Heroine
66 – Kero Blaster
67 – Full Throttle Remastered
68 – VR Invaders
69 – Puyo Puyo Tetris
70 – Star Trek: Bridge Crew



Esperemos igualmente que não tenha ficado nada de fora, mas como referido apenas consultamos estas listas, não as fazemos!

70 contra 16 (4,375x mais)! É isto que a Microsoft entende como “atingir os fans sem parar”? Se é, comparativamente como se define o que faz a Sony? “Dar-lhes uma carga de porrada“?

E nem vamos falar de jogos retalho, aqueles que irão parar às prateleiras das lojas, onde a Microsoft se fica por apenas 3 jogos contra pelo menos 22 da PS4! É a diferença entre uma prateleira vazia e uma cheia, algo que cria uma percepção de um produto que justifica comprar no consumidor que não tem tempo para andar a ler todos os dias as notícias de consolas na internet.

Mas falemos tambem da lista para a primavera de 2018… Uma lista jeitosa, não fosse pelo facto que ela é inteiramente constituída por 3 dos principais jogos que eram prometidos para 2017 (minto… alguns eram prometidos para o ano anterior, 2016), mas que foram todos eles adiados para 2018.

Perante estas realidades, será que a Microsoft não tem consciência da realidade que vive? Anunciar os jogos de 2017 em 2018 como se eles não tivessem feito falta nas datas devidas, e ainda por cima sem sequer um único título adicional acrescentado, só mostra que se 2017 teve uma lista pequena, e encurtada face ao inicialmente anunciado de exclusivos, a primavera de 2018 não tinha nada de nada previsto, e estes adiamentos até calharam bem à Microsoft pois permite-lhe tapar ali um buraco que tinha.

Note-se que não há nada de mal em ter jogos adiados. Infelizmente, goste-se ou não, é uma realidade comum. Mas perante a realidade de um ano com o suporte mais fraco da história da Microsoft, quando se encurta uma lista de exclusivos já pequena ao adiar jogos da mesma, e se vem anunciar o seu lançamento no ano seguinte, sem qualquer outro jogo adicional, mostrando que nada havia previsto para aí, usando frases que dão a entender fartura como “atingir os fans sem parar”, soa muito, muito mal! É basicamente brincar com as pessoas ao dar-se a entender um nível de suporte que na realidade, mesmo face ao que a própria empresa já ofereceu no passado, basicamente e comparativamente se revela miserável, e apenas aparece como consequência de remover títulos à já escassa lista de 2017.



E esse é o problema… O fazer de uma falha e uma lacuna que todos sabemos ter existido, um porta estandarte para publicidade! Chama-se na minha terra a isto “virar o bico ao prego“.

Das frases de Greenberg as que mais sentido fazem são realmente o facto que as versões Xbox One X serão as mais atractivas e, eventualmente, com melhor jogabilidade. E aqui, contra factos não há argumentos.

A melhor coisa se fores um Gamer é que não importa se és um fan de RPGs, racers, ou shooters, não interessa o que gostas, esses jogos serão mais bonitos e jogarão melhor na Xbox One X.

A única questão face a esta frase não é a realidade em si contida. É se realmente o que a X apresentará de melhor face às restantes consolas justificará o investimento adicional (note-se ainda que se trata de uma consola de meio de geração, e como tal, com um período de vida expectável relativamente curto)! Mas nesse aspecto, apesar de termos de aguardar para verificar a coisa com casos concretos, certamente a X não deverá decepcionar quem investir na mesma!



Posts Relacionados