Microsoft Fluent Design… Uma má jogada da Microsoft que pode matar o Windows de vez?

Apesar de o Metro ter sido muito mal recebido pelas pessoas ao ponto de a adesão ao Windows 8 nunca ter ocorrido, a Microsoft alcançou os utilizadores com o windows 10 ofertado gratuitamente e mantendo o design do Interface clássico. Mas agora com a base de utilizadores criada, eis que a Microsoft parece voltar à carga com um novo interface, o Microsoft Fluent Desing, a evolução do Metro

A Microsoft parece não se convencer que o que torna ao seu sistema operativo popular é exactamente o facto de este ser conhecido pelas pessoas, e de estas facilmente se movimentarem dentro do mesmo.

Apesar de tal as alterações ao sistema operativo vão ocorrendo, e o windows 10, apesar de ser efectivamente muito bom, é já bastante complexo na realização de tarefas que antes eram simples. Muitas vezes a culpa nem é da nova estrutura que pode até ser mais coerente do que a anterior, mas sim e exclusivamente pelo facto que as coisas que durante anos e anos sempre estiveram num determinado local, estarem agora em locais diferentes, e a nova lógica das coisas não ser perfeitamente e facilmente compreendida.

Não vamos discutir aqui a qualidade ou as inovações que algo como o Fluent Design podem trazer aos PCs, mas apenas constatar que a Microsoft tem vindo ao longo dos tempos a insistir na aproximação dos PCs de secretárias com os aparelhos móveis, esquecendo-se que a versatilidade e uso dos PCs de secretária é bem diferente, e que muitas empresas dependem da produtividade nas suas máquinas não se podendo dar ao luxo de estar constantemente com introduções no interface gráfico e com mudanças de local de determinadas opções que, em caso de problemas e de necessitarem de serem acedidas, atrasam o trabalho, podem requerer assistência técnica, e consequentemente diminuem a produtividade.

E desde o Windows 7 a Microsoft não parou ainda num interface gráfico, tendo já tido várias versões.

Publicidade

Retomando o nosso artigo
Publicidade

Retomando o nosso artigo

E apesar de atualmente o Windows 10 estar estabilizado num interface que mistura um pouco do Metro com o interface clássico, a Microsoft não parece querer ficar por aqui, e acrescentar mais um novo Interface para ajudar a confundir mais e mais as coisas.

Nesta fase não vamos falar muito das vantagens e desvantagens deste novo interface, até porque não sabemos ao certo como este será inserido e que consequências terá, mas aquilo que nos é dado a ver são situações que irão pesar no processamento da máquina, e vão forçosamente consumir mais memória, sem que verdadeiramente tragam, para a maior parte dos utilizadores, algo de relevante. Mas que pode implicar que muitos PCs, até agora perfeitamente funcionais, se tornem obsoletos!

Como o Anandtech refere na sua análise ao Fluente Design, com ele a Microsoft está a querer implementar uma alteração tão radical na linguagem de design como aconteceu na passagem do Windows 7 para o 8, e aqui é que reside o receio. Como é que isto será gerido? Será que agora os utilizadores ao estarem presos ao Windows 10 e não terem alternativa senão atualizar o mesmo para esta versão não irão ser forçados a aceitar algo que de outra forma não aceitariam e não adeririam (como no caso do Windows 8).

Vindo da Microsoft, e perante as atitudes do passado, tal não admiraria nada. Daí que este Microsoft Fluent Design seja algo a que iremos ficar atentos. Pois ele pode vir a ser uma grande coisa ou, se mal gerido, pela imposição do mesmo, uma das maiores situações de descontentamento alguma vez criada pela Microsoft.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (6)

  1. Microsoft Fluent Design é opcional, já está disponível na xbox one para testes e torna a dash da xbox muito mais rápida e intuitiva, não vejo como é que isso vai matar o windows de vez, lol acho o titulo um bocadinho sensacionalista…eheh

    • O windows não é uma Xbox… Tu no windows usas o mesmo em empresas, e muitos dos funcionários percebem apenas de windows porque… o usam à muitos anos.
      O windows 8 não foi aceite no mercado empresarial por isso mesmo. Porque as quebras de produtividade dos funcionários eram muito grandes uma vez que estes não sabiam desenrascar-se e encontrar as coisas que estavam em sítios diferentes.
      O Windows 10 não foi pelo mesmo caminho porque o windows 8.1 corrigiu um pouco a situação, e o windows 10 ao remover o metro de vez chamou as pessoas de volta. É diferente, mas é uma evolução! Mas mesmo assim, apesar de o upgrade ser gratuito, o mercado ainda é em 48,91% windows 7 e o motivo prende-se, em grande parte, com a produtividade!
      Agora estar a introduzir algo novo, um interface mais uma vez diferente, que alguns websites consideram como uma mudança tão grande como foi o metro, não sei como cairá em quem adoptou o windows 10.
      O Windows 8 era de adesão facultativa. Mas o Windows 10 já se instalou, e se a Microsoft forçar um interface que cause quebras de produtividade, as empresas podem mesmo deixar o windows 10.
      E o título é uma questão… não é uma afirmação! E o Fluent Design é opcional… para já.

  2. [OFF] Enquanto isso no Xbox One já iremos para uma nova dash. Desde 2013 já serão quantas dash? Uma a cada ano?

    Essa que será lançada foi a que mais me agradou.

    • Pra vc ver como o projeto Xbox One foi mau feito, quase 4 anos e ainda sim falta bastante coisa pra ficar ao menos no Nível da do X360

      • Desculpem lá me intrometer mas att não são uma coisa boa? Não sei se já me acostumei a essas inúmeras atualizações mas não consigo ver como algo ruim (mas não uma att obrigada como o Windows 10 instalou sozinho no meiu notebook).. Ex antes não se podia colocar uma foto de jeito na PS4 e agora tem. Ou então o Spotify na Xone, tem coisa melhor que seu próprio play list para jogar…. Sei lá deve ser um gosto meu, mas perco horas afim configurando uma rede ou coisa do tipo e nem ligo.

        • Mudanças são boas e não há o que negar, principalmente mudanças pontuais e que não afetem a localidade dos itens ou a orientação do usuário, mas você tem uma dash, aí muda com foco no vertical, depois muda colocando mais elementos, depois muda e coloca na horizontal no final deixa tudo muito mais confuso, assim como o exemplo dado no texto deste artigo.

          Sempre achei a dash do PS4 mais simples e intuitiva, são somente 2 linhas, a superior com opções principais do sistema e a inferior com a lista dos últimos jogos e aplicativos acessados, pelo que lembro o tamanho desta lista ainda pode ser modificado, se não achar o app ou jogo na lista já sabe que no final dela há a biblioteca e lá vc encontra o que quer.

          Já a do One sempre achei mais confusa, numa das últimas alterações tive dificuldade de achar os jogos da Gold, aliás até para os jogos acho mais difícil de achar, é tudo muito misturado. Essa nova dash, semelhante ao PS4, me agradou, aparenta ser mais simples. Já muitos não gostaram.

          Nota: comentário editado pela moderação a pedido do utilizador

Os comentarios estao fechados.