Neste momento não só a Xbox One vende menos que a Xbox 360 como no mesmo período, cumulativamente, a Xbox 360 tinha vendido mais.

Há algum tempo atrás foi anunciado que a Xbox One tinha deixado de vender mais do que a Xbox 360, mas neste momento a margem de vendas da Xbox One caiu ao ponto de no mesmo período a Xbox 360 ter mais consolas no mercado.

Apesar dos contratempos no lançamento da consola, a Xbox One vendeu sempre bem. E superou desde o seu lançamento as vendas para período igual da Xbox 360!

A consola vendeu mesmo ao ponto de a determinado momento possuir uma liderança de vendas face a igual período da Xbox 360 de perto de 3 milhões e 700 mil consolas vendidas a mais. E isso era certamente um motivo de orgulho.

Mas a tendência de crescimento superior durou apenas 26 meses, pois desde essa altura que as vendas da Xbox One caíram para baixo dos valores de vendas em igual período da Xbox 360, uma situação que já tínhamos noticiado. A queda foi de tal forma que neste momento a margem de vantagem que tinha está já anulada, e agora ao fim de 41 meses, a Xbox One possui menos consolas no mercado do que a Xbox 360 tinha em igual período, sendo que a tendência é para esta disparidade aumentar até final do ano, altura em que com a Scorpio deverá haver uma recuperação.

A ausência de títulos exclusivos ao nível do que é ofertado pela concorrência é talvez um dos principais motivos desta quebra. Jogos multi plataforma podem ser jogados em qualquer consola, e daí que sejam os exclusivos, os jogos que requerem a compra específica de um hardware, a fazerem a diferença. Infelizmente, nesse campo aquilo que a Microsoft tem oferecido está não só bastante abaixo do que a concorrência tem entregue, como está mesmo abaixo do que foi oferecido por esta mesma empresa na era da Xbox 360. Podem ver essa realidade neste nosso artigo sobre o suporte exclusivo dado às diversas consolas.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Apesar de os números e gráficos que verão de seguida não serem oficiais, eles são os únicos existentes no mercado actualmente, e fornecidos pelo VGChartz que os recolhe dos dados de venda dos retalhistas, mas erros à parte, que podem levar a que esta situação não seja ainda uma realidade, o facto é que, mais mês menos mês, a mesma é inevitável em qualquer dos casos.

Eis os dados do VG Chartz:

O gráfico mostra o cumulativo de vendas mês após mês e permite ver a realidade acima referida. A One em termos gerais vendia melhor que a 360, sendo que a partir do seu 26 mês de existência as vendas decaíram para não mais recuperar, algo mais notório ao fim de 34 meses, exactamente numa altura em que as vendas da Xbox 360 dispararam.

Nesta altura a Xbox 360 tinha um dos seus melhores lineups de sempre, com uma cobertura de exclusivos digna de registo, algo que não aconteceu ao mesmo nível com a Xbox One, particularmente em 2017 onde os jogos AAA exclusivos para a consola não só não tem existido, como os que ainda estão previstos sair não possuem sequer ainda uma data oficial de lançamento.

Vamos ver o cumulativo de vantagem da Xbox One face à Xbox 360.

Como se vê, apesar do seu preço, a Xbox One vendeu bem no seu lançamento, mas o volume de vendas face à 360 caiu logo de seguida devido às questões relacionadas com o DRM e as políticas que rodearam a consola.

A situação arrancou novamente no final do primeiro ano graças às alterações das políticas que removeram o DRM e mesmo o Kinect, fornecendo um novo preço mais competitivo à consola, e isso fez com que esta vendesse tremendamente nos 2 meses que se seguiram, uma altura que abrangeu o período de Natal.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Já no seu segundo ano, as vendas da One mantiveram-se constantes acompanhando aquilo que eram as vendas da 360 na mesma altura, havendo uma quebra no seu segundo Natal onde as vendas da Xbox 360 bateram as da One. Uma situação que terminou no final do ano, sendo que nos primeiros meses do seu terceiro ano de vida a Xbox One voltou a superar de forma clara as vendas da Xbox 360. E eis que a Xbox One atinge o seu pico com cerca de 3 milhões e 750 mil consolas mais do que a Xbox One, uma vantagem obtida em 2 anos e 2 meses.

Mas daí para a frente foi a queda e durante o ano de 2016 as vendas da One caíram a pique atirando no final do ano a diferença para cerca de 1 milhão e 900 mil consolas a favor da One.

No entanto, em 2017, pela ausência total de exclusivos, as vendas caíram ainda mais vertiginosamente, e em apenas 4 meses onde a concorrência inundou o mercado de exclusivos de sucesso e a Xbox One não teve nada digno de registo e vendas,  a consola perdeu completamente a vantagem face à Xbox 360.É uma perda face às vendas da 360 de valores perto das 500 mil consolas/mês!

De acordo com os números da VGCharzt, actualmente a Xbox 360 possui uma vantagem de 71,926 consolas no que toca a vendas em igual período, estimando,se um total de vendas da Xbox One em 29,243,352 consolas, e da Xbox 360 em 29,315,278.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Mesmo que a Microsoft recupere as vendas com a Scorpio, algo que um estudo de intenções de compra que publicamos recentemente não parece indicar, a realidade atual da Xbox One mostra que a empresa tem de melhorar e muito o suporte à sua consola se quer recuperar a geração e torna-la num sucesso superior ao obtido com a 360.

Note-se que não está aqui em causa as boas vendas da consola, que continua a vender bem, não está em causa a qualidade da consola, ou sequer está em causa os lucros que a consola está a aportar na atual geração, que certamente superam os da Xbox 360. O que está aqui em causa é bem visível no primeiro gráfico a partir do mês 36 (final do terceiro ano), e trata-se do facto que nesta altura a consola devia estar no seu pico de suporte, registando um aumento de vendas, algo que se vê na linha da Xbox 360 com uma subida a pique das vendas. Mas no caso da Xbox One o suporte conhecido até agora para 2017 é o pior da história da consola, e isso tem-se reflectido radicalmente nas vendas.

Daí que esta falta de suporte é uma situação que muito nos entristece. A aposta que muitos de nós fizemos numa consola foi realizada baseada no sucesso e na qualidade do que foi visualizado a nível de suporte na geração passada. Mas apesar de nenhuma consola nos ter decepcionado no que toca a qualidade quer da sua construção, quer daquilo que já ofereceu, não deixa de ser digno de registo a falta de suporte de qualidade dada à consola no presente ano, nada condigno com o mostrado no passado. Eventualmente a E3 pode melhorar isso, mas o certo é que sendo a E3 a meio do ano, e não havendo sequer ainda datas de lançamento oficiais dos jogos que se prevê lançar este ano, a Microsoft deixou passar pelo menos meio ano sem qualquer título ou anuncio de título de qualidade, especialmente se considerarmos que a consola está no seu quarto ano onde se esperaria um pico de suporte.

É uma situação aparentemente incompreensível, mas que se percebe pelo facto que a Microsoft anda, como tem sido apanágio em toda esta geração, um pouco perdida na orientação que quer dar à sua consola, parecendo estar a optar por tornar a mesma num PC especializado em jogos, um pouco ao estilo do que são as Steam boxes.

A questão que se coloca é se o mercado quer isto mesmo… e os volume de vendas iniciais com quedas nesta altura não parecem apontar nesse sentido. Pelo menos não com este nível de suporte! E naturalmente, desta forma não consegue competir com aquilo que a Microsoft fez na era da 360! A sua consola Xbox atual está longe de vender mal, mas também está longe de ser um melhor sucesso de vendas do que a 360, e no entanto estava inicialmente bem encaminhada nesse sentido.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (9)

  1. Creio que somado a tudo isto citado por ti, há tb o switch que estão a tirar vendas do console, principalmente nos EUA.

  2. Não creio que estes dados estão errados, mas já esperava ver aqui mais uma vez algum artigo com a intensão de diminuir o Xbox. É muito lamentável que estas coisas aconteçam com tanta frequência de apenas um lado da “força”, como se isso fosse realidade. 🙁

    • Infelizmente caro Ronny não sou eu que faço as notícias. Elas existem e eu informo. Não o fazer porque existem “almas sensíveis” seria censura, seria um ocultar da realidade, seria parcialidade!
      A intenção não é diminuir a Xbox, uma vez que o que aqui está é apenas um relato da realidade. Diminuir seria algo opinativo contra a consola, e isso não é o que está aqui.

      E certamente não é minha culpa que a consola esteja a atravessar um período de crise.

      Dai que lamento que penses assim… mas o certo é que eu não estou a inventar aqui nada, mas apenas a dar a informação daquilo que é, neste momento, uma realidade que se passa com a Xbox One.

      Até porque se a Consola estivesse a ter um boom de vendas face a 360, certamente noticiaria na mesma aqui a situação. Mas infelizmente não está… e disso eu certamente não sou o culpado. Aliás, possuindo uma Xbox One e tendo possuído uma 360 (que ainda possuo), e que considerei a melhor consola que já possuí, relato isto com tristeza e não com alegria pois contava com mais.

  3. Parei em VGChartz… Nenhum site grande usa vgchartz como fonte. Esse site ja foi desmentido por varias produtoras que mostraram numeros bem diferentes.

    Se vc quer ser levado a serio use fontes confiaveis como NPD etc….

    • A NPD e a VGchartz usam exactamente os mesmos meios de mercado para chegarem aos seus valores, apesar de poderem diferir na forma como tratam os dados.
      Mas há duas coisas a dizer:
      1 – O artigo é claro que os dados podem não ser os mais fiáveis, mas que fiáveis ou não, os números do VGchartz apontam uma clara realidade que se não for verdade agora, selo-â dentro de alguns meses.
      2 – Não sei porque não usar o VGChartz quando a própria Microsoft o usa. Ou será que só se usa quando interessa?
      Eis uma foto da capa de Halo 4:
      http://i775.photobucket.com/albums/yy35/SaltTheFries/IMG_20130125_134943_zps7ef2b6b7.jpg
      Vês ali a indicação de “o título mais esperado de 2012”?
      Queres saber como chegaram a essa conclusão?
      http://i775.photobucket.com/albums/yy35/SaltTheFries/IMG_20130125_135124_zps7597bab7.jpg
      Simples: Fonte: VGChartz!

      Seja como for, o VGChartz anunciou 28 milhões de consolas Xbox One em Janeiro de 2017.
      http://www.vgchartz.com/article/267593/ps4-vs-xbox-one-vs-wii-u-global-lifetime-salesjanuary-2017-update/
      A Superdata anunciou 26 milhões!
      https://www.gamespot.com/articles/xbox-one-sales-reach-26-million-report/1100-6447023/

      Se preferires os 26 milhões, estás à vontade… mas a diferença para os números da Xbox 360 seriam piores. Pessoalmente eu fiquei-me pelos da VGChartz!
      Mas claro… a Superdata tambem não deve ser de confiança! Apesar de ter como clientes as seguintes empresas:

      https://www.superdataresearch.com/wp-content/uploads/2016/07/Screen-Shot-2016-08-17-at-2.37.12-PM-1024×453.png

    • todas ferramentas de venda ao consumidor sao estimativas, as unicas que podem ser consideradas como reais sao as de numeros enviados, que e um controle central que as fabricantes do console tem, que o numero de consoles que sao despachados e vendidos a partir de suas fabricas para consumidores, tirando isso ate mesmo os numeros de vendas para consumidores que a sony fornece sao estimados.

      • Sim, claro. A questão é que estas empresas fazem tratamento estatístico de dados. Elas podem falhar nas suas previsões e umas falham mais do que outras, mas depois vão melhorando os dados juntando dados posteriores de outros cálculos de empresas semelhantes e números dos fabricantes.
        São uma ferramenta valiosa de mercado, quer para este sector, quer para todos os outros.
        Infelizmente as pessoas estão contra elas porque querem números diferentes… não porque elas, como sempre o fizeram, erram em certa percentagem.

        • não estou a duvidar, na verdade pelo contrario, so estou a confirmar que e impossível ter um ferramenta deste tipo 100% o que torna o fato do vgchartz produzir uma margem de erro algo completamente tolerável pela industria

          • Não percebi a tua frase!
            Mas o VGChartz não é mais nem menos fiável que qualquer outro website. Ele usa uma metodologia de análise de dados que pode no entanto acabar por dar mais ou menos erros.
            Por exemplo, quantas vezes já não consultaste websites de metereologia e viste tempos diferentes?
            Um é menos fiável que o outro? Na realidade todos eles fazem as suas análises baseadas nos mesmos dados, as imagens de satélite de movimentação de nuvens e centros de altas e baixas pressões. Mas as metodologias de análise dos dados é que variam. E isso pode fazer com que um acerte e o outro não (depois tambem podes incluir outros factores como a quantidade de vezes que atualizam os estudos de acordo com o que vai sucedendo, mas isso é outra história).
            Na realidade nenhum deles é melhor que o outro, mas tu vais criar uma ideia de fiabilidade baseado no número de vezes que os visitaste e ele falhou.
            Mas os elementos de análise e previsão são os mesmos, a metodologia de estudo é que pode variar.
            No VGChartz, NPD, SuperData e outros, eles recebem dados de grandes cadeias e depois extrapolam para o resto do mercado.
            Nenhum deles é fiável a 100%.

Os comentarios estao fechados.