Nintendo está de olho no streaming. Switch já cumpre com muitas das promessas do streaming.

A Nintendo não exclui que o streaming possa ser o futuro e onde terá de investir. Mas nesta fase apenas refere que se há consola que mais cumpre com as promessas do streaming, ela é a Switch.

A Nintendo está de olho no streaming, mas a empresa acredita que o streaming não vai acontecer já, e que a Switch está bem colocada ao ser a consola que neste momento é a que mais consegue trazer aos utilizadores aquilo que são as promessas do streaming.

Efectivamente se olharmos para as promessas do streaming, uma delas é o poder jogar em qualquer lugar, e isso é algo que só pode ser obtido com um aparelho portátil. Neste momento a Switch é o hardware que melhor qualidade oferece nos seus videojogos, podendo os mesmos serem jogados em qualquer lugar. Nesse aspecto é efectivamente a consola que mais se aproxima das promessas do streaming.

Sobre o Streaming, Doug Bowser refere o seguinte:

A Switch cumpre com muitas das promessas do Streaming, sendo um aparelho onde se pode jogar em qualquer lugar, a qualquer altura e com qualquer pessoa. Mas é obvio que estamos a olhar com atenção [para o streaming], olhando e percebendo.



Não penso que todos os jogos se irão mover para a cloud imediatamente, mas a tecnologia avança a bons passos. No futuro, espero que as tecnologias como a cloud e o streaming evoluam ainda mais como forma de entregar jogos aos consumidores. Temos de acompanhar as mudanças no ambiente. Por outro lado, acredito que o nosso valor nuclear, as experiências de entretenimento únicas que só podem ser obtidas pelo desenvolvimento integrado de software e hardware, irão aumentar em valor. Entregar entretenimento único como o que apenas a Nintendo consegue entregar, será a nossa primeira prioridade.



Comentários

Naturalmente que a Nintendo como empresa tem uma mais valia única. A sua capacidade de criar videojogos únicos e que cativam miúdos e graúdos. Não temos dúvidas que a Nintendo, como empresa, continuará activa por longos anos.

Já quanto à questão do hardware e software integrados, tal acaba por ser uma falácia. Sim, tal é uma realidade e muito do que a Switch oferece, como o Labo, só pode ser obtido com hardware devidamente pensado.

Mas a realidade é que a Nintendo, mesmo dizendo o que diz, acaba de apostar numa consola incapaz de fazer mais do que ser uma portátil, a Switch Lite. É uma consola que perde todas as capacidades de integrar o seu hardware com o software, tal como a Nintendo refere.

E nem por isso a Nintendo deixa de acreditar no sucesso da mesma. Aliás, nem faria qualquer sentido lançar a consola se assim não fosse.

Ora se na realidade, a Nintendo acredita que uma mera portátil pode ser um sucesso, a integração do software com o hardware só pode ser encarado como um bonús, uma benesse, mas não como uma arma, algo que é de ser preservado por ser único. Daí que a frase de Doug acaba por não ter o peso que poderia ter se a Lite não existisse.

A grande questão é que uma consola portátil será aquilo em que todos os tablets do mercado se transformação com o streaming. Mais baratos, com melhor qualidade gráfica, e com ecrãs maiores. Daí que se a integração hardware e software da Switch é efectivamente um bónus como Doug diz, a questão fica:

Onde é que ela está na Lite?