Preço da Nintendo Switch é… pesado!

O preço da Nintendo Switch foi revelado, e infelizmente… é pesado para o que oferece!

Nota a 15/01/2018: O preço oficial para Portugal foi revelado. Será dependente dos retalhistas e entre 330350 euros!

O sucesso de uma consola depende de 3 situações. O hardware apresentado, os jogos disponíveis, e acima de tudo… o preço!

Se quanto a jogos falaremos amanhã, quanto a hardware e preço convenhamos que a Nintendo terá aqui dado um tiro no pé!

Pelo que se sabe até agora a Nintendo Switch estará equipada com um SOC da Nvidia, o X1. Mas nem sequer é uma versão melhorada ou mais rápida do X1, mas sim uma versão mais lenta do que o que podemos encontrar em outros produtos do mercado.



Por exemplo, o tablet Google Pixel C, igualmente equipado com o X1, usa os 4 núcleos A57 Cortex do CPU a 1,91 Ghz, mas a Nintendo Switch apenas os leva aos 1,02 Ghz. Já no que toca ao GPU, o website Anandtech refere que o Pixel C corre-o a 850 Mhz, mas a Nintendo Switch correrá o mesmo a apenas 307,2 Mhz, apenas elevando este valor quando ligado à corrente, e mesmo assim, apenas para um máximo de 768 Mhz.

Aqui estamos longe de um produto de topo. Ao apresentar um máximo de 393,2 Gflops de performance (ligado à corrente na dock) estamos longe da performance de uma consola Xbox One (1310 Gflops),  ou de uma PS4 (1840 Gflops), pelo que seria de esperar que a Nintendo tentasse ser um pouco ambiciosa com o preço para criar um produto que, não pudendo rivalizar no campo da performance, rivalizasse no preço e nos jogos.

Sim, a versatilidade também conta, mas convenhamos que é uma versatilidade aparente uma vez que como consola de mesa, a Switch deixa muito a desejar face ao que existe.

Daí que quando se soube que o preço convertido da consola seria de 299 euros (aguardem aqui em Portugal algo como 330 euros), a reacção geral do mercado foi de espanto. Ainda à dias o site japonês Nikkei arriscou uma previsão para o preço da consola, e que este seria de 25 mil ienes, ou 202 euros. Este é um website ligado à bolsa de Tóquio, e com um historial grande de sucesso no que diz respeito a este tipo de previsões, tendo acertado em cheio nas previsões dos preços da 3DS, DSi e Wii U, o que criou no mercado grandes expectativas. E apesar de na parte que nos toca, não termo acreditado nunca que a consola ficasse abaixo dos 250 euros, confessamos que estes 299 achamos um pouco exagerado pois este coloca a consola a competir directamente com a Xbox One e PS4.



A piorar esta situação, e contrastando com o que se passava com todas as consolas Nintendo até agora, o online da Switch será pago. E combinando este preço com esse custo, a situação parece-nos um total tiro no pé! Não só a consola entra directamente na gama de preços de consolas com performances e qualidade de jogos muito superiores, como afasta claramente todo o público das consolas Nintendo DS. Algo incompreensível!

Eis as declarações de Tatsumi Kimishima, Presidente da Nintendo nesse sentido:

Os utilizadores poderão testar os serviços online da Switch gratuitamente durante um período de experiência no lançamento. Então passará a ser um serviço pago a partir do Outono de 2017. Daremos mais dados sobre este serviço pago e características na nossa página, mais tarde.

Ainda igualmente caros são os preços dos periféricos. Vejamos:

Controlador Pro da Switch — 70 euros
Conjuntos de controladores Joy-Con — 80 euros
Controlados JoyCon individuais — 50 euros
Carregador Joy-Con — 30 euros
Dock para a Nintendo Switch — 90 euros

Isto são preços demasiadamente altos para uma consola que não pode concorrer com as restantes consolas de mesa, e acima de tudo altos para que a Switch alcance o público da DS.

Ai ai Nintendo, Nintendo… De certeza que pensaste bem no que irias fazer?



Posts Relacionados

Readers Comments (27)

  1. Enquanto conceito o Switch era bacana, mas a cada revelação foi enfraquecendo, até chegar a esses preços. Aí perdeu a graça de vez. Ainda não acabou a novela, mas pelo que vi até agora, definitivamente, não sou um cliente Nintendo. Aqui no Brasil então com o “custo Brasil” que deixa qualquer coisa mais cara que em qualquer canto do mundo, não quero nem saber o preço. Eu realmente não entendo esses caras da N. Tem muitos fãs e tal, eles os conhecem bem e vive deles mas, estão muito na contramão pro meu gosto. Não vale a pena.

    • Aqui no Brasil vale a regra do 0 ou 9. Como é isso? Pega o valor americano e acrescenta um 0 ou 9 no final, pronto você já tem o preço brasileiro!

  2. Tb não entendi o preço. Poderiam tranquilamente trabalhar com um preço de 250 dólares com lucro, e dependendo da aceitação do mercado, podendo descer até os 200 dólares. Acredito no produto, no conceito, porém a Nintendo ficará em maus lençóis se continuarem com esse preço. Penso que com o preço certo, venderiam muito bem no ocidente, e no oriente… Igual água, inclusive os lançamentos do console foram claramente a principio para os nipônicos, mas creio que por 300 dólares, nem os nipônicos apostarão.

  3. Comprei o 3ds no lançamento, direto estou jogando nos emuladores. Muitas vezes ligo o Xbox apenas para jogar no emulador nesbox. Porém, dessa vez vai ficar difícil de ter, mesmo que eu tenha ficado muito atraído pelo Zelda, Xenoblade 2 e o Mario Odyssey.
    Engraçado que se houvesse uma versão sem a Dock e que não tivesse vergonha de negar a vocação para portátil, o Switch poderia custar 210 euros…
    Sobre o onlin ser pago, significa que a Nintendo terá que melhorar em muito o serviço que hoje é muito inferior ao concorrente e melhorar principalmente o desempenho da rede. Um modelo de online pago não é garantia de retorno estrondosos. A Sony por exemplo tem 21 milhões de assinantes na PSN Plus em um mercado onde vendeu até agora 50 milhões de consoles. O Nintendo Switch que certamente não venderá tão bem terá muito menos assinantes.
    A Nintendo comete um erro grande. Aquela empresa que não sabe quem é a maior fatia do seu público.
    Na grande maioria, pessoas que compram os portáteis que são mais baratos e se compram consoles de mesa, optam por PS4 ou Xbox.
    Switch seria um sucesso se a nintendo não tivesse vergonha de dizer que é um novo console portátil com a opção de ligar na TV. Mas eles querem que você veja como o contrário. Não é atoa que o primeiro vídeo publicitário começa com alguém jogando na TV e de repente tira o console para sair.
    Esse erro é o mesmo da Microsoft em não oferecer uma versão sem kinect e mais barata desde o primeiro dia do Xbox One.

    • Seria realmente melhor se o vendessem como um portátil que liga na TV, mas não estão querendo descontinuar o 3ds, e colocaram um sucessor portátil no mercado, mas com algumas características de console de TV, e pior… Com preço de console de TV.

  4. Mário, a nível de performance, o que um console desse pode fazer? Quais jogos poderia receber de um one, ps4, msm com limitações técnicas?! Pq há rumores que dizem que o fifa será a msm versão do ps3 e xbox 360, pois o switch não rodaria o motor frosbite, será que isso procede?

    • As limitações são basicamente as mesmas de uma Xbox 360.
      No entanto, posso-te dizer uma coisa.
      Faz agora cerca de ano e meio resolvi comprar um novo tablet. Sempre tive tablets da Apple, mas na altura a Google tinha um tablet com um SOC extremamente atraente, o K1 da Nvidia.
      Dado que os benchmarks mostravam excelentes performances, comprei um. E na mesma altura um colega de trabalho comprou um igual.
      E foi a pior coisa que já comprei. Meio ano depois o tablet teve de voltar à fábrica porque, devido ao calor, o SOC descolava. E o do meu colega teve exactamente o mesmo problema na mesma altura.
      Ambos foram para reparar e ambos vieram reparados. Mas infelizmente o meu atravessou um calvário de problemas com a reparação que me fez ficar sem tablet quase 3 meses.
      E não querendo ficar sem ele, até porque comprei-o porque preciso, comprei um iPad Air 2.
      Atualmente tenho os 2. E posso comparar. E sem dúvida nenhuma o iPad é superior.
      A nível de GPU o K1 é espetacular, mas o CPU… OMG. Aquilo é uma carroça! É mesmo vergonhoso fazendo lembrar os CPUs dos smartphones chineses baratos.
      Esse é um pouco o meu receio aqui com o X1. A Nvidia é boa, muito boa, com GPUs, mas a sua experiência com CPUs é pouca ou nenhuma.
      O Pixel C da Google usa o SOC X1, mas com mais velocidade de CPU e GPU, mas se vires os benchmarks, aquilo é um pouco uma mixórdia.
      http://www.anandtech.com/show/9972/the-google-pixel-c-review/2
      Tem zonas onde se porta excelentemente, na maior parte dos casos é apenas mediano, e tem testes onde se porta mal para um suposto soc topo de gama.
      Daí que sinceramente, não sei bem o que pensar dele, pois os Gflops não contam a verdade toda.
      Agora eu não ficaria muito esperançado no que toca a acompanhar as consolas melhores…

      • Acho que o que ajuda a piorar a situação desses tablets em termos de performance é o Android além do CPU. A Apple é rígida e cheia de burocracias com o sistema dela, mas ele funciona e não é qualquer um que põe qualquer coisa lá, tem toda uma certificação. O Android é terra de ninguém, parece que tem prazo de validade e a cada atualização a melhora é mínima.

        • Fernando… é um Nexus… da Google! Tem direito a mais atualizações do que qualquer outro, e já vai no Android 7. Mas não é por ele que está lento, no 6 era igual!

          O meu Galaxy Note possui hardware pior e não é tão lento.

          Sinceramente não sei o que pensar sobre os SOCs Nvidia, pois a experiência é demasiadamente mista.

          • Meu Smartphone é um Motorola após a compra pela Google, basicamente, um Google. E o Android só piora.
            A única forma de ter um Android sem nenhum problema é não instalar aplicativo nenhum além dos originais.
            Ninguém que tenha um Iphone ou um IPAD tem reclamações do mesmo tipo na atualidade.

          • Não? Eu tenho 2 ipad. Um 2 e um air 2. Ambos ainda suportados pela Apple. E o 2… quase nem se mexe. Apesar de a Apple cada vez mais lhe instalar mais coisas por defeito.

  5. Gostei do conceito, mas esperava uns 250$, embora 300$ não seja algo fora da realidade. Caro mesmo ficou os periféricos.

    Olhando numa perspectiva puramente técnica, o preço realmente está acima do que a performance dele sugere ter, mas talvez a massa de consumidores enxergue outros valores atribuidos ao produto, como os jogos e versatilidade de uso.

    Vamos ver qual será a recepção onde mais importa, que é no varejo. Pelo menos a princípio, as coisas caminham pra ser algo mais bem sucedido que o wii u, mas vamos aguardar.

    • AquiAcho que o sucesso depende de quais jogos fora os games da Nintendo ele receberá. Por enquanto, com uma nova versão de Street Fighter 2 e Skyrim, ele não abraça ninguém.
      Pensa em uma coisa, conforme a vida passa e a prioridade das pessoas muda, o publico gamer se renova. Embora muitos continuem e não tenham intenção de abandonar, uma boa parte dos consumidores para em algum console e leva apenas por diversão esporádica.
      A partir do momento em que pessoas que nasceram no ano 2000 hoje já possuem 17 anos, podemos dizer tranquilamente que a nata do público da nintendo já está na faixa dos 30 anos para cima e uma boa parte não está mais interessada em ter um console onde se joga apenas Mário, Zelda e Donkey Kong. Para isso existe um emulador por exmplo.
      Aí vamos voltar à criançada que nasceu nos anos 2000 ou finalzinho dos anos 90. Quando eles começaram a se entender por gente, os consoles do momento eram PS3 e Xbox 360. Não existe saudosismo nenhum à Nintendo entre esses jovens jogadores de hoje.
      Para ilustrar o que eu digo, dá uma olhada nesse canal do YouTube com adolescentes de hoje reagindo a games clássicos. No vídeo por exemplo, temos 007 Goldeneye da Rare no Nintendo 64. Eu passava tardes e tardes jogando isso com galera na tela dividida para 4 Players. Sem segundo analógico, sem ADS, sem cursor, sem mira, sem mapa.
      Olha a desgraça que é essa mulecada jogando isso hoje em dia:

      https://youtu.be/6ftBQ1gS7B8

  6. Hennan Santos Carvalho 14 de Janeiro de 2017 @ 14:28

    Lembro que após a apresentação inicial do Switch, escrevi no site que a Nintendo estava lançando um portátil e classificando como console de mesa para poder cobrar mais. Dito e feito. Pior já vi várias pessoas afirmarem que o console flui melhor no portátil, com a resolução menor que na TV. A Nintendo atirou no pé novamente e dessa vez torcerei para o fracasso, pois já desisti da empresa. Espero que assim largam o mercado e se transformem em uma produtora. Toda vez que vejo o novo Zelda, penso como seria esse jogo com um bom hardware.

    • O conceito de menor resolução, melhor performance, não se aplica exactamente aqui.
      Isso é verdade quando a velocidade de relógio se mantem constante. Mas neste caso a velocidade do GPU cai para metade em modo portátil.
      Isso quer dizer, de forma simplista, que se a resolução tambem cair para metade, as performances mantêm-se.
      No entanto há que considerar que isto não é uma verdade absoluta. Certos cálculos pesam o mesmo, independentemente da resolução.
      Quanto a jogos, os Mário serão sempre os Mário, mas isso não os torna forçosamente excelentes jogos. E mais do que isso, são jogos Nintendo. O que me preocupa é a falta de thirds de nome.

  7. A Nintendo definitivamente abandonou o mercado de consoles de mesa. O Swithc é um portátil. O mercado portátil tem sido a grande mina de ouro da Nintendo a muito tempo, e muito disso vem do mercado japonês que é dominado pelos portáteis. A migração dos donos do 3DS vai ser grande e com certeza muitos terão o Swithc como segunda opção de console por ser portátil. Talvez o único erro da Nintendo seja o preço. Ela está contando com o sucesso porque agora na categoria de portáteis ela não vai ter concorrentes e isso deve ter influenciado a decisão do preço de lançamento do Switch.

    • O Switch é muito mais caro que o 3DS, mesmo no lançamento e ele também é bem maior. O 3DS é discreto, cabe numa bolsa, pode levar para qualquer lugar sem nenhum cuidado extremo pois a tela está protegida. Por causa disso, muitos ainda continuarão no 3DS, aí resta saber como a nintendo tratará o portátil agora.
      Na época do lançamento do 3DS, me lembro de ter pagado aproximadamente metade do que custa um Xbox One nessas lojas mais baratas do Brasil hoje.
      Vendendo pelo mesmo preço, fica difícil.

  8. Sei que irá falar dos jogos em outro artigo,Mário,mas devo dizer que gostei bastante do jogo Mário Odissey,tem tudo pra superar o Mario Galaxy(que na minha opniao eh o melhor jogo da franquia até agora),um Mario em mundo aberto eh uma ideia e tanto!Quanto ao hardware era de se esperar que fosse pelo menos bem perto do PS4 pro,não digo que o switch conseguisse 4K,nem mesmo em upscale,mas ficar aquém de PS4 e one que lançaram 4 anos atrás eh demasiado preocupante

    • Eles fizeram isso no WiiU. Embora a GPU fosse mais poderosa, os desenvolvedores disseram que o hardware era tão desiquilibrado por causa da CPU que ele não estava no mesmo nível do Xbox 360 e do PS3.
      Parece que o CPU é um problema de novo agora, além da GPU bem fraquinha.

      • Pegue o caso do Wii,ele ser bem mais fraco que 360 e PS3 mesmo sendo lançado depois dos dois até tudo bem mas um console da geração ps360 não ter resolução HD eh inaceitável!O Wii era um console que teve jogos incríveis e na minha opniao foi uma das causas do ps2 sobreviver duas gerações,já que os gráficos do Wii e do ps2 não eram tão diferentes,então os jogos que faziam pro Wii,conseguiam portar pro ps2.Se a Nintendo não quer acompanhar a evolução dos hardwares,ela que foque bastante em jogos,o que é o caso do switch em q as thirdies estão querendo fazer vários jogos.Qnt a CPU do U,eu nunca vi uma cpu tão poderosa qnt a do PS3,e CPU consegue ser mais gargalo pruma máquina doq a gpu,CPU eh o cérebro da máquina,podes ter uma titan x mas se teu CPU for ruim,de nada adianta

        • Os Third estão a querer fazer jogos? Quais jogos?

        • O que fez o Wii receber versões dos jogos foi a quantidade de consoles vendidos. Mas se você analisar, esse suporte das Thirds durou pouco pois eles perceberam que o Wii era uma anormalidade.
          Ele vendia para pessoas totalmente descoladas do mundo gamer ou como segundo console de possuidores de PS3 e Xbox 360. Logo, os multiplataforma não vendiam satisfatoriamente.
          Com o WiiU foi pior, por que a Nintendo não entendeu o tiro de sorte que foi o Wii e se ferrou, por que não conseguiu vender o console.
          Agora novamente me parece que eles não entenderam o mercado.
          É curioso como as empresas parecem não entender nada.
          A Nintendo não entendeu que os consumidores que compraram o Wii para jogar no Wii Mote não comprariam outro console baseado em sensores de movimentos salvo alguns gatos pingados.
          A Microsoft não percebeu que quem joga Just Dance no Kinect do X360 não compraria um Xbox One para fazer a mesma coisa.
          E a Sony achou que os consumidores do PS3 queriam alguma coisa igual o PS Move, que se tornou o maior agregado que eu já vi na vida. Começou no PS3, de repente virou acessório do PS4 e agora é o produto ideal para o VR.

  9. Concordo definitivamente com a opinião de todos, inclusive dei a minha aqui, porém não podemos esquecer que além da mobilidade ser um atrativo, algo que não inovou, os Joy cons parecem interessantes, aumentando um leque de opções. Gostei tb dos lançamentos anunciados, por mais que sejam bem nipônicos, são ótimos ao meu ver.

    • Mobilidade? Eu discordo! Porque aquilo é uma portátil com ligação TV e grafismo melhorado. Não é uma consola de secretária com portabilidade!

      Bem, poder pode ser, depende da perspectiva!

      Podes ver aquilo como uma excelente portátil com ligação TV e grafismo ligeiramente melhorado!
      ou
      Podes ver como uma má consola de secretária que pode ser usada em modo portátil com cortes no grafismo!

      Sinceramente acho a primeira versão mais… benéfica!

  10. Eu acho que o menor dos problemas da Switch são as specs, não é que specs não sejam importantes, mas quem já está habituado a consolas Nintendo, sabe perfeitamente que primam por um hardware modesto que combinado com a mestria ímpar da Nintendo, nos consegue entregar jogos visualmente belos, olhem para o novo Mario Odyssey, um jogo carregado de detalhe, vida e lindo de morrer, a correr numa consola com uns specs que à primeira vista parecem desapontantes, portanto não é por ai que a consola vai desiludir, o problema é outro.

    Se há caracteristica que a Nintendo tem, é que é casmurra, a companhia acha que é o mercado que tem que se adaptar a si em vez do contrário, e aprendeu isso da pior maneira com a Wii U, ou será que aprendeu?
    Bem, quanto a mim parece que não, a começar pelo preço, 300$ não é um mau preço, o problema é que a competição já tem esse preço com um ou mais jogos incluidos e centenas de jogos já disponíveis, e claro, correm todos os jogos, depois temos a forma como a empresa nipónica está a tratar a Europa, que para mim é desrespeitoso, quando uma Sony lança uma consola, nós europeus já sabemos que se vai custar 400$, então também vai custar 400€, já a Nintendo prefere deixar passar a batata quente aos retalhistas, e o resultado está à vista, no caso de Portugal, o preço da Switch é nada mais nada menos que 350€, 330€ para quem fizer a pré-reserva, 350€ para quem comprar a consola de 3 de Março em diante, se a isso juntarmos mais um jogo, 70€, já são 420€, mais 120€ que uma PS4 com um ou dois jogos, simplesmente ridiculo.

    Como se tudo isto não fosse mau, ainda temos o preço dos acessórios, 70€ para um comando ou 80€ por um par de Joy-Cons, e por ai fora, um autêntico abuso, e já que falamos em custos, a Nintendo também já aderiu à moda de cobrar pelo online, mas até neste aspecto a Nintendo consegue chocar, com a subscrição que a Nintendo vai passar a cobrar em Outubro, teremos descontos nos jogos digitais e um jogo gratuito por mês, ao invés de 2 como na PS4 e XO, será um jogo da NES ou da SNES, mas heis o senão, o jogo que é ”oferecido” nesse mês, só está disponível nesse mesmo mês e depois é nos retirado, mesmo que continuemos com a subscrição, ao contrário da Sony e Microsoft que mantém os jogos do serviço na biblioteca pessoal do cliente que os poderá jogar quando bem entende, desde que subscreva, uma autêntica roubalheira.

    Quanto à consola em si, specs à parte, a capacidade da bateria, entre duas horas e meia e seis horas, tendo em conta o power da consola, até nem é mau, não é nada a que os jogadores de uma 3DS não estejam habituados, mas 3 horas para carregar a bateria? Quer dizer… 3 horas se estiver em modo sleep, se for a jogar nem quero imaginar, isto mata qualquer entusiasmo de portabilidade, ao menos os Joy-Cons aguentam 20 horas, mesmo que demorem umas 3 horas e meia a carregar, simplesmente ridiculo.

    Acho que se não fosse o Zelda, um título roubado à Wii U, o lançamento da Switch seria o pior da história, de tão escasso que é o seu line-up inicial, a consola de facto tem potencial e é inovadora, mas a Nintendo continua a cometer não só os mesmos erros que cometeu com a Wii U, como comete outros tantos, ao ponto de alienar e revoltar até os fãs mais devotos, as pessoas até gostam da consola, não compreendem é as politicas de uma Nintendo que na sua consola do tudo ou nada, acha-se a Apple dos videojogos ao cobrar preços premium por acessórios e uma consola mais cara que a concorrência que tem tudo a menos que a concorrência, inclusive, conteúdo e serviços.

    Como fã de longa data da Nintendo, e detentor de todas as suas consolas desde a SNES, estou extremamente desiludido, vou acabar por comprar a consola no Natal ao lado de Super Mário Odyseey, mas por agora o sentimento é de profunda desilusão, ao ponto de me achar um autêntico sortudo por ter uma Wii U, pois assim poderei usufruir do novo Zelda sem ser chulado à grande e à francesa, mesmo que por ter sido um dos gatos pingados que comprou uma Wii U, a Nintendo me considera um cliente de segunda categoria, pois nem me dá a dignidade de ter uma porcaria de uma edição especial do meu querido Zelda, é mais do tipo, ”compra lá com a caixa normal e já vais com sorte…”’

    • Calma amigo,mas você não deixou de dizer umas verdades de supra importância.Qualidade dos jogos em si com um hardware que para muitos é obsoleto sem olhar para o quesito diversão que para mim é primordial em um game.Agora no tocante ao preço eu não achei que esta caro pela maneira de como ele é apresentado e possivelmente será utilizado pelo jogador o que achei muito ruim realmente foi o valor de peças para agregação do produto e no tocante a rede On ao qual a Big N precisa de muita melhoria.Mas o que você relatou no final de seu comentário não posso deixar de falar.Para a Nintendo continuar com a WII U seria trabalhar com algo que deu prejuízo e que para ela já é coisa do passado infelizmente,pois como você tenho um e sei que o bixinho tem muito potencial para mostrar.Amo MK8 e torço pelo sucesso desta nova plataforma.

    • Ninguem nega a mestria da Nintendo no uso do hardware. Mas a consola se for viver só da Nintendo é outra Wii U.
      A questão é que o seu hardware obriga a jogos dedicados, não podendo verdadeiramente haver adaptações, pelo menos ao mesmo nível, dos jogos de outras plataformas.
      E é isso que é um problema.

Os comentarios estao fechados.