Nova geração de consolas – Para quando?

2019? 2020? Mais cedo? Mais tarde? Quando sairá uma nova geração de consolas? Analisamos os casos e damos a nossa opinião!

Para quando uma geração de consolas? Bem, isso só mesmo os fabricantes saberão, e certamente dependerá de muita coisa, mas o certo é que os analistas apontam para 2019 ou 2020, e nesse aspecto concordamos. Não porque meramente achemos que sim, mas porque, como verão, essas datas são realmente as aparentemente mais propícias e adequadas a essa realidade.

Dado o lançamento iminente da Xbox One X que sairá no final deste ano, torna-se claro que quem poderá estar mais perto de lançar uma consola de nova geração é a Sony com a sua PS5. Daí que nesse sentido as referências a uma nova consola e o estudo que  iremos fazer face a qual o timming ideal de lançamento de uma consola de nova geração, serão baseados nos dados desta empresa.

Recentemente tivemos já dados que levam a acreditar que efectivamente este lançamento estará mais próximo do que poderiamos pensar. Por exemplo, a Avalanche, produtores de Just Causa, publicou recentemente uma proposta de emprego, e na qual referia estar a contratar para a criação de um jogo de próxima geração.

Ora com a Sony a já ter lançado a sua Pro, a Nintendo a ter lançado recentemente a Switch, e a Microsoft a lançar no final do ano a Xbox One X, estas consolas não se enquadram minimamente no conceito de uma nova geração. Até porque para um desenvolvimento de um jogo que ainda está na fase de contratação requer pelo menos 2 a 3 anos, e isso quereria dizer que esta jogo sairia quando muito em finais de 2019 ou mais tarde. Note-se porém que mesmo sendo mais tarde, este jogo não precisaria de estar disponível na data de lançamento da consola, ou seja, não precisaria forçosamente de ser um título de lançamento.



Será que aqui 2018 ainda se enquadra nas possibilidades?

Como já tivemos oportunidade de referir em outros artigos, 2018 seria uma possibilidade tão boa como qualquer outra, apesar de claramente ser uma data que limitaria a atual geração a uma duração de 5 anos.

Ora com uma Xbox One X em 2017 e perante uma geração tão bem sucedida a nível de vendas, 2018 parece deixar de ser um cenário provável. Não só uma PS5 em 2018 não seria assim tão distante da Xbox One X como desejado, como perante o sucesso de vendas que é a PS4 não se vê motivo para que a atual geração encurte ao ciclo normal de gerações da Sony.

E qual é esse ciclo? Bem, o historial aponta para 6 anos, apesar de este já ter durando 7 no caso da PS3. Vamos ver:

A Playstation foi lançada em 1994, tendo sido um sucesso de vendas. Mas foi substituída pela PS2 em em 2000, ou seja 6 anos depois!

Apesar do sucesso estrondoso de vendas que foi a PS2, a PS3 surge em 2006, ou seja, mais uma vez, 6 anos depois!

A PS3 não teve o mesmo sucesso de vendas das suas antecessoras, apesar de mesmo assim ter vendido mais de 80 milhões de unidades. Foi substituída em 2013 pela PS4, ou seja, 7 anos depois.

O que retiramos daqui é que os ciclos da Sony duram entre os 6 e os 7 anos, sendo que parece claro que a maior duração da PS3 se deveu às menores vendas, e aos elevados custos de produção inicial da consola que fizeram com que esta fosse lançada a 600 euros, e que como tal não teve um volume de vendas inicial na quantidade desejada, so pegando a sério quando o custo da consola desceu drasticamente. Basicamente, o que parece ser coerente pensar-se, é que aquele ano extra existiu para que a consola pudesse tornar-se um pouco mais rentável devido ao seu mau começo.

Mas mau começo foi algo que a PS4 não teve. Muito pelo contrário! A consola acompanha o ritmo de vendas da extremamente bem sucedida PS2, mas com maiores margens de lucro. Ou seja, há aqui razões para se acreditar que os seis anos serão cumpridos. Menos poderia ser pouco coerente dados os lucros que a consola está a aportar e que a Sony bem agradece, mas mais, também não há razões aparentes para se acreditar que haja interesse em existir. E falaremos melhor disso mais à frente!



Tendo a Sony lançado a Ps4 em 2013, e a PS4, definida como uma consola de meio de geração, em 2016, ou seja, 3 anos depois, o coerente é que estejamos mesmo perante um ciclo previsto de 6 anos, com uma PS5 a sair em 2019.

A realidade é que tanto Nintendo como Microsoft lançaram ou vão lançar em 2017, e isto coloca a Sony numa posição privilegiada. Dado que a sua mais recente consola data de 2016, 2019 seria uma data que impossibilitaria as suas concorrentes de responder imediatamente sem mossa na sua imagem de suporte aos produtos lançados. Lançando a Microsoft uma X a 500 euros em 2017, quatro anos depois da One, e definindo esta consola como de meio de geração, o expectável será uma nova consola apenas em 2021, e lançar antes disso criaria em muitos utilizadores uma ideia de distinção no que toca ao suporte dado aos seus produtos pela Sony e pela Microsoft. Afinal o passado da Microsoft já tem um caso de uma consola que viu a sua vida encurtada por questões de interesse da própria Microsoft, a Xbox Original.

Mas quer isso dizer que a Microsoft não poderia responder antes sem prejudicar a sua imagem? Claro que não, há uma margem aceitável!

Por exemplo, um lançamento em 2020, ou seja um ano antes, não prejudicaria a sua imagem em nada. Seria apenas um ano antes, e meio de geração não precisa forçosamente de implicar uma divisão exacta de 50/50. Daí que a Microsoft pode lançar perfeitamente em 2020 sem passar qualquer imagem de desrespeito ou falta de suporte aos seus produtos. Claro que tal daria apenas uma esperança de vida de 3 anos à Xbox One X, uma consola de 500 euros, mas o que se dizer disso? Não há verdadeiramente nada a referir, é apenas uma questão de dinâmica de mercado, e todos sabemos como as coisas funcionam!

Mas então, qual a data ideal para a Sony lançar?

Bem, já vimos que 2018 traria grandes situações como o encurtamento de uma geração que está a ser lucrativa e sem real necessidade, assim como não permitiria a criação de uma consola que se destacasse verdadeiramente da Xbox One X.

Mas vimos tambem que 2021 será a data mais longinqua prevista para o lançamento de uma nova Xbox. E isso quer dizer o que? Que a Sony, se quer aproveitar esta janela que lhe foi dada de mão beijada, terá 2019 e 2020 como datas ideais para responder. E daí as previsões dos analistas.



Mas neste artigo não queremos reduzir-nos a em espaço temporal, mas sim apontar uma data previsível, daí que como já terão percebido, estamos-nos a munir de dados para escolher uma destas duas datas, e o que vimos até agora é que o ciclo previsível de 6 anos aponta para 2019!

Tendo igualmente sido referido que a Microsoft poderia responder em 2020 sem prejudicar a sua imagem, esta data parece-nos ser a mais consistente para o lançamento de uma PS5, de todas as encontradas.

Há uma realidade que a Sony tem de ter presente: A concorrência vai lançar depois… e consequentemente vai lançar melhor! Daí que esta posição de lançar primeiro não tem só vantagens, tem também essa desvantagem. E nesse sentido, a lançar primeiro, há que aproveitar o maior hiato temporal possível entre lançamentos de forma a ter a vantagem de mercado durante algum tempo, e implementar a consola.

Aguardar para lançar em simultâneo pode permitir aproximar as performance, mas tem também um risco. Quem lançar menos potente… fica menos potente até novas consolas. Daí que lançar primeiro tem essa virtude. Mesmo que superado depois, tem-se a vantagem até lá, e pode-se sempre lançar algo de meio de geração pouco depois da concorrência, recuperando a liderança das performances por mais algum tempo.

Nesse sentido, e parecendo 2018 uma data pouco interessante, 2019 soa cada vez mais como a data mais plausível, e 2020 soa já a um pouco tarde de mais. E perante estes dados, a se escolher uma data, 2019 parece a data ideal.