Novas consolas… versão com BD ou digital?

5 5 votes
Avalie o nosso artigo

A questão é o custo… ou será que não?

Comprar uma consola em versão de jogos físicos (com leitor de blu-ray), ou a versão digital (sem leitor)? Esta é uma questão muitos poderão colocar, especialmente se viermos a ver que as futuras consolas poderão ser mais caras que as actuais, o que, especialmente numa altura pós covid como esta, poderá ser um entrave à compra. E nesse caso, o preço torna-se fundamental, sendo que a versão digital pode ter primazia por esse mesmo motivo.

Mas uma escolha entre digital ou físico, mesmo olhando para a vertente económica, não passa só por aí. Há muitos outros factores a se ter em conta!

Para começar o preço dos jogos não é diferente nos dois casos. No entanto o físico dá-nos direito a algo que o digital não dá… a posse!

Isto pode parecer irrisório, mas a posse tem vantagens. O não ficar preso a uma ligação internet para se re-instalar, o garantir que o jogo, mesmo que sem patches poderá funcionar no futuro, desde que toda a consola esteja operacional e o BD em condições, e… a possibilidade de venda do jogo em caso de não se gostar dele, ou de se não o pretender manter.



E a questão aqui não passa só pela venda… passa igualmente pela compra! É muito mais fácil arranjarmos promoções e descontos em jogos usados físicos do que em digitais. Aliás os digitais não são usados, dai que ficamos dependentes de promoções do detentor da plataforma e criadores do jogo, ao passo que o físico não é assim, e os descontos em usados existem a todo e qualquer momento.

Depois, se é certo que o físico também dependerá da internet para se actualizar, o digital é completamente dependente dela para se re-instalar. Para um coleccionador, a versão digital fica logo fora de hipotese, pois a sua intenção é que daqui a 20 anos a consola e o jogo, mesmo que limitados, possam funcionar, algo que não podemos garantir no digital onde nem sequer podemos garantir que o jogo esteja disponível. Já para os outros, aqueles que consomem e não usam mais isso poderá parecer irrisório. Ou será que não?

Bem. se és dos que não és coleccionador mas dos que consomem e não usam mais, o poder revender o jogo soa a uma mais valia que o digital não te oferece.

Mais ainda, com ele, basta-te a consola, e electricidade para o poderes jogar. Já no digital para o instalares precisas de internet e de ele estar disponível nos servidores para download, algo que tem de ocorrer sem erros, e com o servidor plenamente funcional.

Existe depois ainda a questão da segurança. Se um jogo físico se pode danificar, um digital não pode. Mas fora isso, um jogo físico não fica dependente de erros de servidores, de perdas de passwords ou, pior ainda, de hackers. Um ataque de hackers que coloque em causa a nossa manutenção do software, seja por roubo de credenciais, por destruição da base de dados, ou outro motivo qualquer, é algo que se revela mais provável de acontecer do que um roubo. E aqui falamos numa questão de escala, pois se um hacker pode colocar em causa milhares ou milhões de utilizadores em simultâneo, os roubos são pontuais e localizados.

Existe ainda outra possibilidade, a de sermos banidos, por erro ou por outro motivo, da rede, o que poderia acarretar a perda de todo o conteúdo, ou a impossibilidade do seu uso, pelo menos na vertente online.



Cito um caso que até esteve por detrás da escolha deste tema para um artigo, que levou um jogador a perder a totalidade da sua livraria de jogos na PSN.

Dados os nomes compridos e a história complicada, que podem ler aqui caso pretendam mais detalhe, aqui vai um resumo:

O jogador X era lider de um clan. E o jogador Y entrou nesse clan.

Eram amigos, davam-se bem, e partilhavam anedotas, riam-se, partilhavam memes e imagens. Até que um dia, por desentendimento “político” de gestão do clan, o jogador Y decide abandonar o mesmo.

Ora isto poderia não ser nada. É algo que acontece regularmente. Mas aqui o jogador Y, pegou nas anedotas e memes enviados, ao longo dos anos em que foram amigos, e subvertendo o contexto reporta a situação à Sony.



A Sony vendo o conteúdo actua… e enganada pelo contexto, bane o jogador X por 60 dias.

Apesar de o conteúdo do enviado ter outro contexto, o jogador X percebe que realmente, para quem analisa de fora, o contexto soa a ofensivo, e daí que entende que a sua defesa seria inócua, e aceita o castigo.

Ao fim de 60 dias, ele retorna e retoma a liderança do clan. Mas o jogador Y não lo larga. E continua a persegui-lo, inclusive dando a conhecer falsas histórias aos restantes membros do clan.

Basicamente o clan decide ignorar a coisa, e ignora as mensagens, achando que dar atenção seria alimentar um troll.

Mas eis que o jogador Y resolve voltar ao conteúdo antigo que tinha, e encontrar mais memes que pudessem ser considerados ofensivos. E encontra e manda novamente para a Sony!



Aqui a Sony fica perante uma re-incidência. E actual de acordo com as regras com um ban permanente. E dado que não tinha havido uma defesa no primeiro caso, a Sony nem iniciou uma investigação.

Esta história pode parecer rebuscada, mas é real. O jogador X perdeu acesso a 150 jogos que possuía, ao seu clan e a toda a comunidade. O pior é que a sua filha jogava tambem na PS4 usando uma sub-conta associado e com controlos parentais, que acabou banida em paralelo.

A sua filha que jogava minecraft, viu-se afastada do jogo, da comunidade, e sofreu com isso.

Este texto não é uma critica específica aplicável apenas à Sony. As regras de conduta e boa prática existem em todas as marcas de consolas, e com consequências semelhantes. Basicamente o digital coloca-nos sob uma série de novos riscos com os quais as pessoas não estão preparadas para lidar convenientemente, sendo apanhadas de surpresa, e tendo de recorrer a esquemas menos standard e que não conhecem para sua defesa.

Num outro exemplo, em 2018, centenas de clientes da Amazon viram as suas contas fechadas sem explicação.



A grande questão que se coloca depois é jurídica. Porque as compras digitais, devido á forma como as leis sobre os conteúdos digitais evoluíram, não são vistas como compras, mas sim alugueres a tempo indefinido.

Ora isto levanta a questão. O que acontece se a empresa a quem se alugou esse produto por qualquer motivo deixar de o poder ceder?



Bem, quem leu as 300 páginas das EULAs dos diversos serviços a que aderiu, eventualmente sabe o que acontece. Mas quantos fizeram isso? É que as EULAS não são todas iguais e variam de serviço para serviço.

Não haja dúvidas que o conteúdo instalado no vosso disco… é vosso! Foi alugado para sempre, e como tal, é vosso! Mas e o que não está lá? Bem… ele é vosso na mesma! A grande questão é que não lhe podem aceder, uma vez que quem vos fornecia o serviço que permitia o download, deixou de o fazer.

E isso quer dizer que passam a ser donos de algo que é impossível de ser acedido. Porque vocês pagaram pelo aluguer ao conteúdo, o resto, o serviço que vos fornece o conteúdo, a compatibilidade do mesmo com o conteúdo, nada disso está incluído. Isso é outra coisa! É algo que vos é fornecido gratuitamente, mas algo que se um dia fechar, não podem reclamar de não funcionar. E quem tiver o que comprou do seu lado, fica com ele, quem não tiver, tem-no na mesma, mas nunca mais lhe pode aceder.

Este artigo não tem como intenção influenciar uma escolha ou outra, apenas alertar que há muitas diferenças entre o fisico e o digital, que não são apenas a presença da drive de Blu-Ray, e é isso que se pretende, com apenas alguns casos e exemplos, que tenham presente na vossa escolha.

 



 

 



5 5 votes
Avalie o nosso artigo
29 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu enquanto puder darei prioridade ao físico.
Todos os Day One que compro são físicos, até porque já houve casos que não gostei do jogo e vendi logo a seguir… Perdi dinheiro mas não perdi tudo.

Digital só mesmo em promoção e mesmo assim dou uma olhada no físico em segunda mão.

Daniel Torres
Daniel Torres
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Essa para mim é a geração que mais tenho medo que a coisa vá ralo a baixo, hoje em dia as pessoas estão cada vez mais alienadas ao que as empresas falam e as empresas cada vez mais adotando políticas que a curto prazo dizem ser “pró-consumidor”, porém se analisar a longo prazo verá que causa mais danos a comunidade do que benefício.
São guerras e mais guerras de fãboys, cessões de comentários lotados de desinformação e até as grandes empresas alimentando esse tipo de comportamento, até a Sony não esta isenta disso, lançar um console Day one sem leitor de disco para mim é dizer que se os fãs deixarem eles vão seguir pelo mesmo caminho que sua concorrente, fora também liberar jogos que antes eram exclusivos em outro local.
Essa geração é a primeira que não estou animado para pegar os consoles no lançamento vou esperar pelo menos uns 2 anos para ver como as coisas se desenrolam.

Equipa PCManias
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Caro leitor. Longe de mim meter-me na sua ideologia. Mas sendo também um consumidor, relativamente a isto só vejo uma das empresas a querer ir por um caminho diferente do normal.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Equipa PCManias
2 meses atrás

Entendo seu ponto e concordo que só uma empresa esta seguindo um caminho diferente, porém o que vejo é a Sony em cima do muro nesta geração e me da tristeza em ver que a Microsoft parece não esta fazendo o mínimo esforço para bater de frente com a Sony. E a Sony estando no topo só me lembra a época de lançamento do Ps3.
Ps: De forma alguma você se meteu em minha ideologia, eu gosto de ver outros pontos de vista e conversar sobre eles, ate porque posso muito bem estar vendo as coisas de uma forma errada e só conversando e debatendo é que posso melhorar meu entendimento =D.

Ewertom
Ewertom
Responder a  Equipa PCManias
2 meses atrás

PSnow não te diz nada sobre isso?caso a coisa esquente o mesmo pode receber jogos day one do ps5.quem garante isso,falaram de jogos no PC e negaram a algum tempo atrás e hoje se vê a carruagem indo nesse caminho.
Jogos do PS4 na Psnow nunca mais e após uns meses recebeu de novo?
Ninguem ta isento não amigo

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Equipa PCManias
2 meses atrás

Um console all digital day one realmente não te diz absolutamente nada???

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Penso da mesma forma. Se a versão digital vender mais que a física, o caminho é virar tudo serviço mesmo. Ora, para que a empresa vai se esforçar gastando milhões em hardware próprio, que as vezes nem lucro se tem, se ela pode lucrar muito com serviço apenas? É uma dor de cabeça a menos criar um hardware. Mas como as pessoas andam cada dia mais preguiçosas (sim, a facilidade do digital e muitas vezes a ansiedade de se ter o jogo na virada do dia, sem ter que contarar lojas ou esperar é o que esse público vê apenas), é de considerar que venda mto o digital. Esse público não pensa direito e na hora de revender seu console quer recuperar o dinheiro investido vendendo junto a conta com os digitais. Pff
O físico é seu, para jogar quando queira, trocar, revender , colecionar, etc. Eu, por exemplo, comprei o steelbooks de Ghost of Tsushima e The Last of Us 2 (vou deixar na coleção). Não há comparação.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Sparrow81
2 meses atrás

Exatamente @Sparrow81, eu hoje estou evitando comprar jogos digitais são raros os que compro e tenho uma modesta coleção de jogos físicos dos quais estou me desfazendo de alguns de Ps3 e PSP porque não tenho mais interesse de joga-los já os digitais esses eu não posso me desfazer e é um futuro que eu não quero de nenhuma forma.

Sparrow81
Sparrow81
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

A versão digital sendo um sucesso, próximo passo é a empresa nem se preocupar em construir hardware. Tudo nos moldes do stadia. Triste.
Eu irei com Drive por essa razão, por gostar de mídia física, por tudo isso que citou e porque em pequeno prazo eu recupero o investimento. A mídia física aqui é mais em conta que a digital, a digital não tem concorrência e isso é um problema. Eles cobram quanto querem do consumidor. Eu só cogitaria versão digital se a mídia digital fosse, no mínimo, 50% de desconto em relação a física. E é o que deveria ser.
Um exemplo de como digital não compensa pelo valor cobrado, até em promoções: Death Stranding estava com promoções em lojas por R$70,00 e o digital entrou na sua melhor promoção até o momento por R$80,00. Ficar refém de digital, enquanto eu tenho opção, NUNCA. Sem falar que digital é um casamento com o game. Mesmo que consiga vender sua conta com todos os jogos que já comprou, o prejuízo é enorme.

Ewertom
Ewertom
2 meses atrás

Por esses motivos não assino o game pass,ou compro midias gigantescas nas lojas tanto da Mic ou Sony.
Sempre afirmo isso,você paga por preço cheio caso seja no lançamento,mas na realidade o jogo nunca vai ser seu de verdade,fechou o servidor,em alguns casos fecha tudo e ai.
Um exemplo é o Need for Speed 2015 e Destiny 1 e 2 se a EA ou Actvision fechar o servidor do jogo o mesmo nem roda mais.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
2 meses atrás

Eu realmente amo comprar meus jogos em mídia física.
No PC (Steam) funciona bem o esquema digital, então, não dou o caso como perdido.
Agora jogos que dependem de servidor/conexão pra rodar… Esse é o verdadeiro problema.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

[OFF]

Olá amigos, passei o dia limpando a casa, mas consegui ouvir várias discussões interessantes. Com certeza a maior delas são alguns rumores que Moore law is dead e red gaming tech andam compartilhando, de potenciais enhanceds nas especificações do PS5.

https://www.youtube.com/watch?v=hX-K2AgrIPM&feature=youtu.be

Se confirmar esse rumor de desabilitar apenas 2 CUs (padrão é 4 CUs), usando 38CUs, então o console iria para 38×64 = 2432 shaders ou 2432x2x2230 = 10.84TFLOPs

E o rumor de aumentar o clock dos 8 chips de memória de 14 para 18 gigabits/s, elevaria o bus para 18*256 bits / 8 = 576GB/s

Mas tem muito mais discussões interessantes expostas pelo Red Gaming Tech.

Andre gt
Andre gt
Responder a  Carlos Eduardo
2 meses atrás
Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Eduardo
2 meses atrás

É rapaz, se confirmar 50% do que estão especulando, playstation 5 vai vender igual água e agora podemos entender melhor o porque dos devs elogiando muito o Hardware do console. Dessa vez a Sony botou quente.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Carlos Eduardo
2 meses atrás

Peço desculpas por compartilhar potenciais rumores falsos vindos do Moore Law is Dead, conforme tweet to Matt Hargett. Não que Matt seja uma fonte absoluta, mas ele como ex-engenheiro de Software no PS5 é uma fonte amplamente mais confiável do que canais de tecnologia. https://twitter.com/syke/status/1287254188808785920?s=20

Mas como o Matt está apoiando o Red Gaming Tech, isso significa que o vídeo de ontem pode ter várias informações verdadeiras (se bem que algumas são óbvias).

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Eduardo
2 meses atrás

Mas o que interessa é o conteúdo que você trouxe a todos, que tem o apoio do Matt.

Rafael
Rafael
2 meses atrás

Querendo ou não o digital veio pra ficar. 2 pontos que são negativos, o fato de vc não poder trocar seus jogos e as promoções que são mais frequentes em midia física. No mais, até o jogo físico vem incompleto, precisando de inúmeras atualizações desde o dia do seu lançamento. No mais só vantagens pára o digital, assim como acontece com os filmes e músicas. Há quem ainda gosta do físico e acho apenas uma questão de escolha

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Rafael
2 meses atrás

A questão é ter opções. E se digital for sucesso nesta geração e vender muito pouco do físico, você acha mesmo que a empresa vai ficar preocupada em lançar hardware no futuro? Ou é menos uma dor de cabeça e será tudo serviço? Serviço esse que vc vai pagar 50 reais como Netflix para não ver nem cor de AAA de qualidade, como a própria Netflix já cancelou seriados que eram caros, ou vai aceitar pagar aluguel de serviços por 150 reais ou mais para se ter o mínimo de qualidade e a coisa não ser sua nunca? É isso que a galera tá preocupada! Hoje ainda não dá para streaming de games, mas daqui 10 anos você acha impossível?

Rafael
Rafael
Responder a  Sparrow81
2 meses atrás

A questão da qualidade é independente do meio pelo qual é vendido. A questão aqui é se dá ou não dá lucro.Os jogos triplo A não deixarão de existir a não ser que os produtores enxerguem que não vale à pena o alto investimento em detrimento do longo prazo de desenvolvimento e do risco de não agradar os consumidores e consequentemente falhar nas vendas. Também partilho da sua opinião em relação a ter opções, más ultimamente não tem acontecido isso em vários ramos, o de jogos será apenas mais um. Hoje vc não compra mais cds de música e nem vai em locadora pra alugar filmes… e continuamos vendo excelentes filmes e músicas sendo lançadas.
A questão é que esse plano de streaming que netflix e outras estão adotando não se sustenta. Como vc quer pagar 30-40 reais por mês pra assistir a todos os títulos da netflix e ainda querer que tenha lançamentos AAA a um ritimo acelerado? Se quer assistir lançamentos ou filmes que acabaram de sair do cinema vá ao google play e alugue um filme desses por 20,30 ou até mais… que sozinho dá o valor que vc paga na mensalidade do netflix. Essa é a questão.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Rafael
2 meses atrás

Se virar serviço com qualidade, barato não será. E a maioria não vai aderir porque é complicado manter mensalidades .. com hardware você escolhe o que compra, não é obrigado a pagar mensalidade de algo que não é seu. Impossível manter qualidade com mensalidade a 50 dólares.

Rafael
Rafael
Responder a  Sparrow81
2 meses atrás

Eu tbm não sou a favor de mensalidade. Sou a favor de ter opções, seja em midia fisica, seja por download ou por streaming… e cada um decide o que é melhor… mas tenho a sensação de que essa será a ultima geracao com midia fisica

Daniel Torres
Daniel Torres
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Falando em onda de desinformação: https://www.youtube.com/watch?v=mqvTQZvz4Mk&t=188s

Nunca tive tanto nojo ao assistir um vídeo quanto esse, parei quando ele começou a falar que o Ps5 opera em 9 teraflops, fonte? Segundo o vídeo rumores. Hoje as pessoas que poderiam trazer informação a um público maior estão fazendo o contrário, triste de ver.
Isso vindo de um dos maiores canais de tecnologia do Brasil.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Mário Armão Ferreira
2 meses atrás

Verdade Mário você tem toda razão e uma coisa bacana que vi foi em alguns comentários vi pessoas questionando o canal e um deles ate colocando um link aqui do pcmanias e falando muito bem aqui do seu site.
Infelizmente esses canais como você falou custam a acreditar, porém eu acho que vai mais para o lado de não quererem fazer uma pesquisa aprofundada sobre o assunto que vão falar e o pior é que quem discorda e fala que o vídeo esta errado é taxado na hora de fanboy.

Rafael
Rafael
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Os caras do Adrenaline são bons, más abordam muitos assuntos e não se aprofundam assim como o Mário faz aqui com maestria. Até mesmo nem deveriam se atrever a montar um PC tentando simular o desempenho de um console, já que mesmo tendo arquiteturas parecidas, ainda assim são alterados significativamente para incorporar funcionalidades que nem existem nos pc´s ainda.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Já larguei a adrenaline faz algum tempo. Não dá. E essa de montar um PC para se equiparar ao console, ainda mais quando se trata de algo que não tem paralelo no mercado é tão absurdo que não dá para assistir a isso. É desafiar a inteligência das pessoas e pegar apenas leigos no assunto. É o público desses canais. Ando decepcionado com canais de tecnologia no Brasil. Detonando Gueek, ontem, tive que parar de ver a Live ao ver ele falando que exclusivos não fazem bem a ninguém no mercado. Incrível.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Sparrow81
2 meses atrás

Depois desse vídeo eu cancelei a inscrição do adrenaline, até o vídeo de montar um pc “equivalente” eu ia levando, porém depois desse ultrapassou meu limite do aceitável, quanto ao detonado geek nunca gostei do canal desde o lançamento dos consoles eu vi que o rapaz se usa de informações verdadeiras para deturpar a informação e pelo que tenho ouvido falar cada vez mais ele tem falado groselhas.
E vejo que não é só no Brasil que as coisas são assim, Linus teve que fazer um vídeo pedindo desculpas, a digital foundry só faz passar pano para o pc e xbox, honestamente falando se não fosse o pcmanias para me manter atualizado e informado era capaz de eu ser um desses que acreditam nesses canais.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Eu até gosto do Diego, mas eu acho que ele é melhor na parte “prática”, ou seja, efetuando benchmarks, testando configurações, comparando resultados.

Quando ele se aventura em querer falar de tecnologias futuras, eu já começo a ver problemas, porque o passado e presente não podem ser vistos como verdade absoluta para se falar do futuro. Você não pode falar que SSD é só loading rápido apenas olhando para o passado. Precisa entender mais sobre a parte conceitual do assunto, a engenharia da coisa.

Essa é a diferença. O Diego é um excelente técnico de informática, mas na parte conceitual eu vejo que ele erra bastante. Eu também erro, mas não sou um produtor de conteúdo profissional como ele.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Abandonei o Adrenaline a muito tempo. Eles são quase amadores.

error: Conteúdo protegido