Novos rumores sobre a futura consola da Sony (PS5) libertam dados sobre o hardware.

Os novos rumores sobre a futura consola da Sony não apontam para uma PS5, mas uma nova PS4! A consola seria mais um avanço sobre a PS4 Pro, sendo que o autor do rumor acredita que um lançamento em 2018 não estaria fora de hipótese.

O website Semiaccurate veio, na sua versão paga, revelar dados sobre a futura consola da Sony.

Segundo eles, e isto é uma afirmação do website e não parte do rumor em si, a nova consola seria mais uma iteraçao da PS4 e não uma PS5, sendo que desta vez ela melhoraria bastante sobre a Pro, incluindo no campo do CPU.

A questão que convêm responder desde já é qual a credibilidade deste website?

Para respondermos a isso há aqui que distinguir a parte técnica dos rumores!



No que toca à análise técnica das coisas, desde 2013 que, para nós, o Semiaccurate é um website que nos deixa de pé atrás. Como se recordarão se nos seguem regularmente, em 2013, questionamos e colocamos em causa a veracidade em afirmações por eles realizadas em análises técnicas realizadas às esquemáticas da Xbox One, e nas quais, apesar dos currículos impressionantes dos elementos da Semiaccurate, como o tempo comprovou, tínhamos toda e total razão.

Já na parte dos rumores, a coisa é diferente. Rumores são situações que se sabe à partida poderem ser informações com erros, incompletas e mesmo falsas, fornecidas por fontes externas. E esse website nesse campo até tem mostrado alguma credibilidade. Desde alguns rumores sobre o possível hardware da XBox, repetetindo a situação com rumores sobre o possivel hardware da PS4,  rumores sobre a PS4 Pro, à mais recente parceria Nintendo e a Nvidia que se comprovou na Switch. Basicamente, tudo rumores que se comprovaram como correctos.

Perante análises técnicas, pelo menos para nós, o website não é exactamente uma referência. No entanto, neste caso, dado que estamos perante rumores, ou seja, informação que é meramente transmitida e que se compreende seja incompleta ou até errónea, e dado que o website, neste tipo de situações, até estava correcto no que revelou, resolvemos publicar o rumor.

Notem porém que o artigo que revela os dados e, que pode ser encontrado aqui, tal como os acima linkados, só estão disponíveis na íntegra na versão paga do website, motivo pelo qual não esperem encontrar grande coisa no link. A adesão profissional ao website custa 1000$ ano, daí que, como se compreende, todas as partes de interesse ficaram fora da versão gratuita.

Nesse sentido deixamos-vos com o resumo do essencial do artigo pago, e relativo aos rumores das especificações da próxima consola Sony, bem como o nosso comentário (altamente especulativo) sobre os pontos:

1 -Usa a arquitectura Navi como arquitectura base, mas não especificamente a usar Navi.

O uso da arquitectura Navi é algo que se esperaria ver numa consola a ser lançada quer em finais de 2018, quer em 2019. Mas a indicação que a Navi é a arquitectura base, mas a nota que a arquitectura não é especificamente Navi dá o que pensar. Deixamos a frase não traduzida para que analisem por vocês:

“Uses AMD’s Navi as its base architecture, not specifically using Navi.”

O que entendem daqui?

Sinceramente tenho muitas dificuldades em interpretar correctamente aquela frase, sendo que a apostar numa interpretação diria que estaremos perante uma arquitectura semi proprietária (não Navi), mas criada com base na arquitectura Navi.

Torna-se porém impossível de confirmar isso, pelo que não tomem nada do que aqui é especulado como realidade. Poderemos no entanto estar perante uma Vega bastante alterada com tecnologia Navi o que, diga-se, se tornaria talvez a melhor opção na relação qualidade/preço.



2 – “Guloseimas” de VR colocadas ao nível do Silicone

Basicamente a Sony tem novidades previstas que melhoram as performances do GPU para VR, uma novidade até agora não conhecida em nenhum GPU, mas que poderá até ser algo standard nas futuras Navi.

O que isto implica exactamente é uma incógnita, mas que tipo de melhorias a nível de hardware para o VR seriam dignas de justificar uma referência específica? Serão meras tecnologias de sincronismo de imagem? Meras melhorias ligeiras? Justificaria isso esta nota?

A frase referida dá a entender que a PS5 terá implementado no hardware características VR que actualmente são feitas por software, libertando assim o GPU de processamento. Que caracteristicas podem ser essas?

O maior dos problemas do VR é que este depende tremendamente de fotogramas, o factor principal necessário para o seu bom funcionamento, obrigando por isso a cortes na qualidade. Melhorias a serem implementadas ao nível do Silicone só se revelariam verdadeiramente significativas se o GPU possuir qualquer tecnologia de interpolação de fotogramas que permita pegar num jogo e melhorar os seus fotogramas, mesmo que de forma parcial, sem processamento adicional do GPU.

Desconhece-se o que realmente está incluído na referência dada, mas efectivamente um sistema de interpolação de fotogramas que permita à consola apresentar sempre uma taxa de fotogramas mais elevado é o que, idealmente, seria uma revolução. Essa situação teria como consequência um aumento do input lag do controlador pois teria de trabalhar os dois frames anteriores, atrasando pelo menos um fotograma, mas atualmente há metodologias que permitem compensar isso não se fazendo notar o problema. Aliás os jogos por stream, possuem input lag bem superior ao que teríamos aqui, e consegue-se atualmente reduzir isso para valores aceitáveis.



Mas o que é efectivamente é uma incerteza, e o de cima é uma mera teoria que implicaria aliás uma tecnologia que ainda não vimos em nenhum GPU. Diga-se por isso que é uma interpretação mais baseada no “quem dera que fosse” do que na realidade.

3 – O CPU é ZEN alterado

Basicamente aqui temos algo que se esperaria para uma nova geração. Um CPU capaz e decente que permita não só explorar o GPU ao máximo, como permitirá novos níveis de interacção, melhor IA e basicamente um nível diferente que defina uma nova geração.

Acreditamos que, por questões de compatibilidade de partilha de tarefas relacionadas com a retro-compatibilidade, acreditando que a Sony poderá aplicar algumas das patentes recentemente conhecidas e que obtem compatibilidade por redução de performance, os 8 núcleos serão mantidos, mas isto já é uma especulação nossa, apesar de este número já ter sido avançado em alguns outros rumores.

E relativamente ao hardware estes foram os dados revelados no rumor.

Há no entanto mais pontos relevantes, nomeadamente a indicação que “Um enorme número de devkits foi aparentemente já entregue“, o que leva o autor do artigo a especular que a consola possa até ser lançada em 2018.

Sinceramente, como já referimos, 2018 é cedo demais, cortaria a vida útil à PS4, não daria metade dessa vida à PS4 Pro, e cortaria um ciclo de sucesso de vendas da PS4. Para além disso nem acreditamos que este GPU seja economicamente viável este ano uma vez que o Navi ainda nem sequer foi lançado, e os 7 nm no Vega só estarão disponíveis no final deste ano, inícios do próximo… mas este GPU poderá ser bastante refinado e melhorado, bem como descer de preço no espaço de um ano, e nesse sentido, a existir alguma realidade aqui, o lançamento nunca seria antes do final de 2019, uma data que, como deverão saber se nos acompanham, consideramos ser o timming ideal para uma nova consola da Sony.

Reforçamos porém a ideia que isto é apenas um rumor, e não uma fuga de informação. O que quer dizer que tudo isto poderá ser pura e total invenção de alguém, até porque como referimos, não temos o semiaccurate como um site completamente fiável.