O que sabemos sobre a PS5?

Na realidade, tirando os dados oficialmente dados a conhecer pela Sony já há uns meses, não sabemos absolutamente nada. E a contra informação é tanta que, na realidade, tudo está em aberto!

Qual a potência da PS5? Que tipo de solução RT usa? É RDNA 1 ou RDNA 2? Enfim, podiamos colocar uma série de questões, mas o certo é que respostas… não há!

Com o Github surgiram dados que apontavam para o APU que a AMD estava a desenvolver para a Sony e para uso na PS5 ser RDNA 1, sem qualquer solução RT da AMD. Esses dados apontavam igualmente para um APU com 36 Compute Units e 2 Ghz de velocidade máxima, o que limitaria o APU a 9.2 Tflops de performance.

E não tendo o APU capacidades de Ray Tracing, e sabendo-se que a PS5 o suportará, começa-se a falar de um ASIC dedicado na consola que tratará do Ray Tracing, e que eleva as performances da consola da Sony para valores iguais ou superiores aos que consegue a Microsoft na sua Xbox série X com 12 Tflops.



E este rumor esteve no ar durante muito tempo.

Actualmente os rumores mudaram. Começaram a apontar para um APU na PS5 diferente do revelado pelo Github. Um APU com mais performance e com mais Compute Units. E as especulações dispararam. 10, 10,5, 11, 11,5, 12, e mesmo 13.3 Tflops foram valores apontados. Tantos que não dá para se tomar qualquer um deles como minimamente mais provável ou menos provável. Aliás para todos os efeitos, o grau de fiabilidade destes dados acaba por ser inferior ao do Github, uma fuga de informação sólida, que poderá realmente estar desactualizada, mas cuja veracidade é inquestionável.

E isso quer dizer que os 9.2 Tflops RDNA 1 não podem ser tirados da mesa.

De notar que estes rumores não referiam dados sobre a solução de Ray Tracing usada.

Mas bem recentemente é noticiado que o Chefe de Gestão de produtos da AMD teve uma frase uma frase numa conferência de imprensa que dá claramente a entender que, tanto Xbox como PS5 são RDNA 2 e ambas usam uma solução RT da AMD. Para mais dados sobre estas frases, recomendo que leiam a notícia específica aqui.

Uma frase destas é super relevante. Ela anula completamente o hardware do Github, que se mostra assim como estando ultrapassado, e comprovando a existência de um novo APU para a PS5, cuja potência em Tflops era desconhecida. Anularia ainda a hipótese de utilização por parte da Sony de um ASIC dedicado ao RT, apoiando-se ambas as soluções no RT standard do RDNA 2 da AMD.



E eis que os rumores de outras potências que não os 9.2 Tflops voltam a ganhar força… mas infelizmente, novamente de uma forma catastrófica com todos os valores anteriores a voltarem a estar na mesa.

Agora surge a questão? Será que a AMD realmente disse o que foi noticiado. E será que o que diz implica soluções de RT iguais, e ambos os APUs, de ambas as empresas, com arquitectura RDNA 2.

O estranho da frase da AMD é que a mesma não está relatada em mais lado nenhum senão a fonte citada na nossa notícia sobre a mesma. Torna-se por isso algo estranho que uma frase tão relevante tenha escapado a outros media, a não ser que a conferência fosse relativamente de pouca importância e apenas o website Tequilla que relatou a notícia esteve presente.

Mas será que o website Tequilla tem estrutura para andar a viajar e a assistir conferências de imprensa? Não sabemos dizer, mas voltamos a insistir que é estranho a situação não estar relatada em mais lado nenhum, e sabendo-se do fanatismo que algumas pessoas possuem, o levantar-se a questão da veracidade das frases é apenas lógico.

Mas mesmo que as frase sejam verdadeiras, e apesar das questões, não temos porque as considerar como falsas, será que estão bem interpretadas?



Vamos cita-las:

AMD AS A COMPANY…STRONGLY BELIEVES IN THE VALUE AND CAPABILITY OF RAYTRACING. RDNA 2, THE NEXT-GEN, WILL SUPPORT RAYTRACING. BOTH THE NEXT-GEN XBOX AND PLAYSTATION WILL SUPPORT HARDWARE RAYTRACING WITH RADEON NATIVELY. WE WILL BE SURE TO HAVE THE CONTENT THAT GAMERS CAN ACTUALLY USE TO RUN ON THOSE GPUS

WE BELIEVE IN OUR RAYTRACING, AND WE WILL HAVE IT WHEN THE TIME IS RIGHT.

Tal e qual como a coisa está escrita… eu diria que sim, que são claras. E que este senhor diz que que ambas as consolas são RDNA 2.0 e que ambas suportam RT.

Mas será que a transcrição está correctamente bem feita?



A realidade é que há supostos insiders que referem que a PS5 não é RDNA 2, e dão uma interpretação diferente à frase.

Assim, onde lemos:

A Amd como empresa… acredita fortemente no valor e na capacidade do Raytracing. O RDNA 2, a próxima geração, suportará Raytracing. Tanto a Xbox como a Playstation de próxima geração suportarão raytracing por hardware com a Radeon de forma nativa, e … (o resto não interessa)

Há quem leia, e vou adulterar o texto para lhe dar o sentido que estão a dar:

A Amd como empresa… acredita fortemente no valor e na capacidade do Raytracing. O RDNA 2, e a próxima geração, suportarão Raytracing. Tanto a Xbox como a Playstation de próxima geração suportarão raytracing por hardware com a Radeon de forma nativa, e … (o resto não interessa)



Aqui há uma diferença, basicamente com essa interpretação a AMD estava a dizer que tanto o RDNA 2 como as consolas de próxima geração suportarão Ray Tracing, mas não estaria a dizer que as consolas de próxima geração seriam RDNA 2.

Mais ainda, e nessa parte até concordo que a coisa pode ser discutível, afirmam que a AMD que o hardware será suportado com a Radeon, mas não necessariamente com o RT do RDNA 2 em ambas.

Apesar de tudo, acho que esta interpretação é esticar a corda (avaliem por vocês mesmo, e por isso deixei o texto original em Inglês), mas dado que não sabemos se o contexto das frases está ou não correcto, até porque não há outras fontes da notícia, não temos como saber.

Daí que a realidade sobre a PS5 é que nada sabemos, e nada de novo pode ser confirmado.

Para todos os efeitos a consola pode estar em qualquer velocidade desde os 8 aos 14 Tflops. Pode ser RNDA 1 alterado ou RDNA 2. Pode ter a mesma solução RT da Microsoft ou outra qualquer, que se apoia igualmente no RT da AMD, mas implementada de forma diferente com hardware externo ou não.



Ou seja, o que temos verdadeiramente é uma salgalhada de informação que não comprova e nem desmente seja o que for. Há interpretações que consideramos melhores que outras, e noticiamos as mesmas, mas a realidade é que certezas não há.

Mas curioso é que estes insiders que interpretam a coisa desta forma, alegando que a PS5 não é RDNA 2, afirmam que a consola da Sony tem algo entre 10 a 11,5 Tflops. E o curioso é que 10 Tflops, se fosse RDNA 1, implicaria um APU com 40 Compute Units (o máximo do RDNA 1), com eles todos activos, o que quer dizer que não há qualquer margem para erro na produção, e a correr a 2 Ghz.

Eu diria que isto é esticar demais a corda. Um chip sem margens de erro sairia ainda mais caro do que um APU com mais CUs. Não acredito de forma alguma numa consola assim. Não posso falar nada sobre a Potência, mas não acredito que, caso seja essa, ela se alcance desta forma. E a outra forma que existe é quebrar o limite dos 40 CU, indo para RDNA 2, o que implicaria que estes supostos insiders estão a mentir.

A outra dúvida surge com os 11.5 Tflops. É que mesmo com 40 CU todos activos implicaria um APU a mais de 2.2 Ghz. Valores não só astronómicos, mas que não são sequer termicamente aceites nos GPUs RDNA 1 actualmente existentes. Ou seja, isto teria de ser alcançado com mais CUs e consequentemente RDNA 2 (ou outra tecnologia inovadora até agora não conhecida no RDNA, como o duplo GPU).

Daí que nos parece que estes supostos insiders ao negarem o RDNA 2 na PS5, mas apontando para valores de 10 ou mais Tflops estão a contradizer-se, estando a fazer controlo de danos.



Mas mesmo assim, o certo é que certezas não há nenhumas. Esperemos que durante o dia de amanhã a AMD, na sua apresentação do RDNA 2 possa deixar fugir alguns dados que ajudem nestas questões.

 



26 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
By-mission
By-mission
6 meses atrás

Ainda vejo como alguém que joga 50 números na loteria..
Antes diziam os 9.2Tf vem a Microsoft vem e fala em 12Tf ou melhor o dobro da Xbox One X , até o Digital Foundry entra na dança, e a Microsoft confirma os 12Tf… E o Github foi ao céu e ao inferno em segundos.

Se lerem o rumor tantas vezes quanto eu li em nenhum lugar está escrito 12Tf e sim que a máquina teria 56 cus, e que um target baixo pois se estes fosse um pouco mais baixo seria um chip bem mais barato de de se produzir.. agora repara que os 36 Cus são a respeito da PS5 retro, digo em tudo referente a retro 36Cus PS4PRO e 18cus com a PS4 vanilla… Mas que raios a se mata uma nova geração em respeito a retro. Digo a PS4Pro foi por obrigação a PS4 normal. Mas se perguntarem preferes o salto geracional ou a retro nunca diria para limitar a PS5.

Se este for o preço para a retro? Foi caro demais.

Agora façam uma conta comigo e se estiver em erro o Mário me corrija.

A PS4Pro estava em desenvolvimento deveras um ano antes do lançamento o que coloca o timing para meados de 2015 ou antes pois ninguém arranca com um projeto destes sem comunicar os estúdios desenvolver o checkboard e etc em menos de um ano, e a questão que fica é desde 2015 a Sony só fez por onde aumentar os MHz…

Digas o que quiser mas se for por 9,2 Tflops em Rdna1 em perspectiva com a One X de 2017 ou mesmo a RX5700 de 2018 a coisa foi muito mal para os lados da Sony. De tal forma que se estes estavam a planear a lançar em 2019 ainda seria um imenso tiro no pé.

“No entanto, estou ciente de que as especificações exigem contexto. Ainda estou consciente da conversa que tive com o arquiteto do sistema PS4, Mark Cerny, antes do lançamento do PlayStation 4 Pro. Ele ressaltou a importância da personalização no design do processador e, embora existam indicações e dados que podemos tirar do hardware existente do PC Navi na avaliação desse vazamento, Cerny e sua equipe na SIE seriam estimulados pelos sucessos do design mais modesto e eficiente do Pro. atento às suas fraquezas.
E comparações diretas com o hardware Navi PC existente só podem ir tão longe. O fato de o rastreamento de raio acelerado por hardware ser confirmado para o PS5 também demonstra claramente que a Sony teve o mesmo acesso aos futuros recursos do roteiro da AMD que o PS4 Pro. Nenhum desses recursos é o foco dos testes nos documentos vazados, mas isso não sugere que eles não estejam lá – principalmente quando Mark Cerny está dizendo que eles estão.”

bruno
bruno
Responder a  By-mission
6 meses atrás

Os fóruns estão uma palhaçada. 85% de quem comenta no Neogaf/Reset Era só comenta tretas. É quase impossível tirar de lá informações relevantes.

Eu prefiro seguir pela lógica.

Shin
Shin
6 meses atrás

O negócio é que agora que a AMD confirma que consoles são rDNA2 e usa a solução deles já podemos mensurar um pouco o que vem por aí. Lembra a patente de Ray Tracing da AMD?

Elas nos diz que o motor de interseção faz parte do texture pipeline se encontrando ao lado do motor de filtragem.

“A abordagem híbrida (executando aceleração de função fixa para um único nó da árvore da hierarquia de volumes limitados (BVH) e usando uma unidade de sombreador para agendar o processamento) soluciona os problemas com soluções baseadas apenas em hardware e / ou exclusivamente em software. A flexibilidade é preservada. Como a unidade shader ainda pode controlar o cálculo geral e ignorar o hardware de função fixa, quando necessário. E ainda obtenha a vantagem de desempenho do hardware de função fixa. Além disso, utilizando a infraestrutura do processador de textura, eliminam-se grandes buffers para armazenamento de raios e armazenamento em cache BVH, normalmente necessários em uma solução de raytracing de hardware, pois o VGPRs (Registro de uso geral vetorial) existente e o cache de textura podem ser usados ​​em seu lugar. economiza substancialmente a área e a complexidade da solução de hardware. ”comment image

E no Whitepaper da AMD vemos que a AMD dobrou a taxa de transmissão bit tanto para bilinear format como para intereger
https://www.amd.com/system/files/documents/rdna-whitepaper.pdf

Ou seja a mudança na TMU não é grande, ele usa os mesmos mapeadores de textura usando o mapeador para saltar determinado conjunto de shader Rays disparados pelo VGPRs e o novo motor de interseção colhe tais dados e distribui entre as TMUs quais pixel fragment serão pintados.

Uma maneira de ver bem isso é na demonstração da Nvidia.comment image

A diferença já existe e qual é? A capacidade de RDNA possuir um cache L0 escrever para L1 todo o dado que será acumulado em L2 logo em seguida para só então depois ser guiado para VRAM. Como este é um processo automático uma grande quantidade de operações em triângulos pode ser acumulados no cache L1 que por sua vez não requer mais passos para ser novamente acessados pela computer unit.
Então como sabemos que cada nova cor existe uma nova interação e sabemos que para cada interação RDNA demora 4 ciclos, MHz x CUs x 64 ULAs /4…
1675×2×56×64×2÷4=6,003,200 raios
1800×2×40×64×2÷4=4,608,000 raios

É como se estivéssemos falando de uma RTX 2070 ou RTX 2060 mas existe mais circunstâncias que pode salvar ou deteriorar o desempenho.

bruno
bruno
Responder a  Shin
6 meses atrás

Acho que demora apenas dois ciclos. 4 era na GCN.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
6 meses atrás

Os ganhos não são pela RTcore e sim pelo SM que pode executar INT/FP quase simultaneamente com meio ciclo de diferença.comment image

No caso de RDNA chega até 2 ciclos e rumores apontam para a AMD conseguindo 1 ciclo por instruções. 4 ciclos são para instruções encadeadas, o HWS da AMD precisa terminar uma onda para terminar uma cadeia por isso temos 4 ciclos para uma instrução Ray usando Wave32. Veja o Whitepapers da AMD.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
6 meses atrás

Vamos olhar novamente a patente da AMD.
http://www.freepatentsonline.com/20190197761.pdf

O que o motor de interseção faz?

– O motor de interseção ler o RayData a partir do cache de textura e determina

– Determina o tipo de Nó Ray-Tracing a ser testado.

Veja que é a mesma coisa do RT Core de Turingcomment image

O RTcore de Turing também faz parte de suas TMUs e você pode ver isso no fato de que assim como a AMD conectou o cache L1 ao L2, a Nvidia já tinha aumentado seu Datashare dentro da rede SM.comment image

O RTcore ele serve para tirar dos SM/CU a função de retorno do hitboxe que nos SIMD não é rápido o bastante, o raio, assim como o shader ainda é uma função de computação como ocorre em Turing.comment image

Portanto, o desempenho quem determina são as unidades de computação. O que a TMU faz é um Payload da raio * RGB que no caso de Hit, vai ser redirecionada até a próximo UV pelo shader.

Ver por exemplo Hellblade 2 sua resolução 3840×1608×RGB16×24fps=2,371,092,480 apenas para o primeiro bouncecomment image
2,371,092,480×2=4,742,184,960 segundo bounce
4,742,184,960×2=9,484,369,920
Terceira bounce

Por isso faz sentido usar o VRS diminuindo a aquidade e acumulando raios com valor de pixel repetidos diminuindo o número de raios disparados. No demo de Hellblade 2 não notei nenhum caustic ou radiação da luz mas existe iluminação direta e indireta então o segundo bounce está no orçamento de RDNA2.

nETTo
nETTo
6 meses atrás

Eu acho que o silêncio da Sony neste momento tem mais haver com os jogos da casa em 2020, Tlou Part2 e Ghost of Tsushima são jogos que a empresa espera grande retorno, talvez eles estejam com receio de que a revelação dos detalhes do PS5 possa de alguma forma prejudicar comercialmente os títulos a lançar. É apenas um hipótese, mas eu acredito que junto a crise do covid19 no china e agora em todo mundo áliado a esta questão comercial. Portanto, e se eu estiver correto, PS5 só na semana da E3.

Livio
Livio
Responder a  nETTo
6 meses atrás
Andrio
Andrio
6 meses atrás

Quanto drama… falta de respeito? serio isso?

AlexandreR
AlexandreR
6 meses atrás

Loool, qual é a diferença de ser anunciado hoje ou daqui a uns meses? A consola vai sair na altura do natal de qualquer das maneiras! Aliás, eles até falaram que preferem o método de lançamento da ps4 pro. Até poderemos ter uma conferência e não revelar nada em termos de specs, podem falar das tecnologias presentes e mostrar alguns traileres

Ennio Rafael
Ennio Rafael
6 meses atrás

O que me pergunto é o porquê do silêncio da Sony? A MS já deu a entender sobre sua máquina, o que me leva a pensar que se a Sony tem algo superior, já teria mostrado. O que a Sony ganha com esse silêncio? Tempo. É a única resposta que me vem a mente. Especulo que a máquina da Sony não é superior ao da MS. A mic apreendeu no início dessa geração, sofreu muito com os 900p, mesmo que os sonystas neguem, quando o X-Box X saiu o dano já estava feito. É óbvio que a MS iria apostar em hardware na próxima geração. Então vejo que a Sony deve estar se debatendo com o fato de Death Stranding no PC e os boatos de demais jogos. Porque se a máquina tiver hardware inferior, sei que não se limita só a isso, e mais “exclusivos” saírem para PC (leia-se Windows), a migração para este pode ser grande.

Rodrigo
Rodrigo
6 meses atrás

Pelo menos até agora o vazamento mais, vamos dizer “concreto”, foi aquele de dezembro que alguém do departamento de validação ASIC da AMD usou o GitHub para armazenar fragmentos de dados de testes internos de uma variedade de projetos do time vermelho em andamento. Os vazamentos incluem testes de APUs Ryzen para desktop e móveis de última geração, além de alguns testes aprofundados no chip PS5, agora codinome Oberon. Já aquele vazamento de Gonzalo, de Abril, sugere que o PlayStation 5 apresenta um cluster de CPU de 8 núcleos, 16 threads baseado em Zen 2 rodando a 3,2 GHz emparelhado com um núcleo gráfico Navi rodando a 1,8 GHz. Os vazamentos de teste que surgiram em dezembro confirmam 36 unidades de computação disponíveis rodando agora a 2,0 GHz – que nos dariam uma GPU de 9,2 teraflop para o PlayStation 5. Esse vazamento mais “crível” sugere que o PS5 usa memórias GDDR6 de 16gbps, fornecendo uma largura de 448GB/s. A quantidade não foi falada no vazamento. Só faltando agora saber qual a personalização que a Sony aplicou ao projeto. Claro que esse é um vazamento de alcance limitado, mas aparenta ser o mais sólido até o momento.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
6 meses atrás

Suspeitas de alguma coisa nos foruns?

Rodrigo
Rodrigo
Responder a  Mário Armão Ferreira
6 meses atrás

A mudança de letra no chip Oberon de B0 para E1 talvez façam referência a revisões que foram feitas para alterar o TDP e a voltagem, talvez a AMD tenha conseguido reduzir um pouco o consumo e consequentemente a temperatura, claro que isso é só uma suposição minha, ninguém sabe. Esse vazamento parece ter revelado que a GPU pode ser comutada para três modos diferentes, a fim de fornecer hardware retrocompatível com PS4 e PS4 Pro. Esse modo Full Chip test possivelmente se refira ao relógio da GPU totalmente desbloqueado para 2.0 GHz, esse talvez seria o modo nativo da PS5. Esse vazamento revelou ainda que as 36 unidades de computação Oberon trabalham em um outro modo, a 911MHz, as especificações da PS4 Pro. O último modo corta a contagem de núcleos e ROPs pela metade e é executado a 800MHz, uma correspondência para o PS4 base. As indicações são de que a compatibilidade é parte integrante do chip Oberon PS5. Os dados que estão no GitHub não são públicos, eu acho que a AMD não tem culpa, acho que alguém teve acesso a esses dados e vazou. Nesse vazamento há menção de um processador chamado Arden, que é o candidato altamente provável para o xbox series X. Os dados esparsos no vazamento de Arden incluem a menção de 56 unidades de computação ativas, mas não há sinal de velocidade de relógio nos dados. O vazamento parece ainda confirmar a largura de banda da memória do chip Arden a 560GB/s. Quais são esses dados que você falou que a GitHub tem Mário? Que parecem confirmar com os dados finais da Xbox Séries X? Revela pra gente, porque tudo isso que eu escrevi são especulações de um vazamento.

Livio
Livio
6 meses atrás
bruno
bruno
Responder a  Livio
6 meses atrás

E foi bom conhecer a PS.

Decisão mais estúpida da história da empresa.

Acabam de destruir o trabalho de 20 anos. A justificativa para isto é que estão a tentar angariar clientes para a PS ao tentarem mostrar o que estão a perder.

O resultado disto é que nenhum jogo dos Worldwide studios jamais sera considerado exclusivo. Os fóruns e campanhas de desinformação vão encarregar-se disso.

Abriram a caixa de Pandora e jamais se torna a fechar.

Quero ver o que irão fazer quando a nova gen chegar e as vendas forem a porcaria que vão ser.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
6 meses atrás

Eu li. Veremos se estou a ser dramático.

É a primeira vez que vejo a empresa que está no topo repetir a estratégia que levou ao desastre da empresa que está em último.

O timming desta decisão foi péssimo. Aliás a decisão em si é péssima. A Sony só tem a perder com isto e vai perder.

error: Conteúdo protegido