Os rumores mais abordados sobre as novas consolas e as suas sustentações

Há actualmente alguns rumores sobre as futuras consolas que correm ou correram. Vamos neste artigo explicar quais são, quais os pontos a favor, e quais os pontos contra.

Rumor 1 – A arquitectura que equipa a Navi foi criado para a Sony

Este rumor apareceu já faz algum tempo, tendo sido amplamente noticiado, e é de notar que, mesmo sendo verdadeiro, tal não aparenta implicar qualquer tipo de exclusividade da Sony sobre a arquitectura, não parecendo assim existir qualquer impedimento no seu uso por parte da Microsoft.

Mas poderá a Sony ter, ou não exclusividade sobre o Navi?

Muito sinceramente? É muito, muito pouco provável!



Este rumor foi lançado pelo WCCFTECH, que referia igualmente que o Navi seria um uarch (arquitectura) diferente, o que se veio a confirmar!

No entanto, enquanto vigorava e era discutido, o rumor do WCCFTECH levou um forte abalo de um outro rumor que o parecia desmentir, e no qual, alguém que teria frequentado uma apresentação interna da Sony sobre a PS5 referia que a Sony tinha comentado essa situação, referindo que provavelmente teria sido a colaboração muito próxima com a AMD para a colocação de tecnologias proprietárias na sua versão do chip, que levou a que se pensasse que o Navi era criado para a Sony.

Entretanto a Navi foi apresentada e confirmou-se ser mesmo um novo uarch. E assim ficou a dúvida sobre porque motivo o rumo do WCCFTECH, tendo partido da mesma fonte, se teria ficado pela metade?

Isso pode ser explicado por um novo rumor mais recente que volta a pegar na ideia de o Navi ter sido criado para a Sony. Ele apoia-se no facto de Navi, com o RDNA, se aproximar bastante mais das arquitecturas da Nvidia do que alguma vez algum GPU AMD o fez. No entanto, mesmo introduzindo o RDNA, este mostra ter uma estrutura base com raízes GCN.

É baseado nisso que o rumor refere então que essa situação se deveu a um adiantar da tecnologia RDNA que estava prevista apenas para 2020, por necessidades da Sony, para facilitar a emulação no hardware do GPU da PS3, o RSX, que foi criado pela Nvidia. E nesse aspecto o NAvi não seria um RDNA puro, mas sim algo hibrido e de transição.

Basicamente, como já tínhamos mostrado num artigo anterior, os rumores aparentam não nos levar a lado nenhum, aparentemente contradizendo-se. Afinal o Navi é ou não exclusivo da Sony?

Na realidade não podemos concluir nada disso, e os rumores não se contrariam forçosamente. Existe a possibilidade de ambos os rumores poderem ser reais, e encaixarem desde que o enquadramento seja feito.

Começando pelo início, repare-se que o uarch foi confirmado, pelo que, salvo um golpe de sorte em quem lançou o rumor do novo uarch, a parte sobre este ter sido criado para a Sony deveria ter igualmente fundamento, dado que a fonte foi a mesma.

Daí que como enquadrar tudo o que é dito? Bem, na realidade é possível. A ser verdadeiro este último rumor, o que a Sony terá pretendido referir poderá ter sido que esta nunca possuiu qualquer exclusividade do Navi, ao passo que o que está em causa é se o Navi foi ou não criado de acordo com as necessidades da Sony.

Basicamente, seriam duas coisas diferentes que sem enquadramento se podem confundir dando a ideia de contradição.

E aqui entraria algo que tem vindo a ser bastante referido, que a Navi é um Híbrido entre o GCN e o RDNA, uma situação que não está confirmada, que pode até nem ter nenhum fundamento, mas que está a ser encaixada aqui como a explicação para o rumor de a Navi ter sido criada à medida das necessidades da Sony.

Como referimos logo no início, parece-nos muito pouco provável que a exclusividade exista. Mas o ideia de que o Navi possa ter sido alterado face ao que era inicialmente previsto, antecipando a arquitectura RDNA, de forma a permitir mais compatibilidade com a arquitectura Nvidia, algo que ajudaria na emulação por hardware da RSX, presente na PS3, mas mantendo-a híbrida face ao GCN para compatibilidade com a PS4, parece realmente adaptar-se à ideologia de retro-compatibilidade da Sony que passa por compatibilidade máxima no hardware e menos no software. Daí que não podemos excluir a hipótese que o Navi tenha efectivamente sido a resposta da AMD às necessidades da Sony, trazendo assim o RDNA mais cedo do que o previsto.

Agora, se isto aconteceu, mesmo não existindo uma exclusividade, o que temos é que se o chip foi feito a pensar nas necessidades da Sony, então não foi feito a pensar nas necessidades da Microsoft, e caso a Microsoft não o use, será porque entende que o necessita de usar requer outro tipo de alterações que não as existentes, e não por exclusividade.

Rumor 2 – As Xbox Scarlett são Vega e não Navi

Este é um rumor interessante, com pontos a favor, e pontos contra.

Existem argumentos que são apresentados que apontam para a Vega. Vamos ver quais são:

Pontos que apontam para arquitectura Vega

1 – O facto de a Navi, ao ser um GPU optimizado para jogos, não suportarem operações de 64 bits, algo extremamente relevante em hardware de servidores. E sabendo-se dos planos da Microsoft em partilhar o hardware dos seus servidores com as consolas, tal torna o Navi pouco interessante.

2 – Não podendo ser dissociado do ponto anterior, o Navi 10 aparenta estar limitado a 40 CU. Apesar de o número de intruções por ciclo de relógio que o Navi consegue processar, ser 25% superior ao Vega, o número de CU decai dos 64 possíveis para 40. Isso quer dizer que se os CU processam mais cada um, a de capacidade de nível de processamento paralelo, ao serem menos CU, a situação, dependendo das necessidades de processamento dos servidores, pode não ser sempre a ideal.

3 – Tendo o desenvolvimento das futuras consolas começado já há algum tempo atrás, provavelmente na altura do lançamento da Polaris, falar de um Navi que estava a duas gerações de distância, seria prematuro. E nesse sentido os primeiros desenvolvimentos terão começado com a ideologia de se usar a arquitectura Vega, tanto pela Sony, como pela Microsoft.

4 – Todos os rumores sobre a Anaconda que apareceram, quando comparados com os da PS5, apontavam para velocidades de relógio mais baixas, e mais condizentes com a arquitectura Vega.

5 – O rumor de que a Microsoft refere que não existirão exclusivos Scarlett no lançamento da consola, o que dá a ideia de a mesma estar preparada para ser lançada, antecipando a Sony, algo que, apesar de não estar preso a isso, seria facilitado pelo uso do Vega.

6 – O facto de o devkit apresentar 64 CUs denominados Arcturus.

Esta refere a presença de um Hyper_Schedueler, em vez do SMT clássico, que permitiria ao CPU da consola processar até 24 Threads. Ou seja, seriam 3 threads por núcleo, um aumento face aos normais 2 Threads por núcleo que o SMT oferece, uma situação que se refere poder estar presente nas futuras consolas Xbox, e mais uma vez o motivo é simples, o uso do seu hardware em servidores, uma vez que o SMT de 3 vias deverá trazer poucos ganhos a nível de jogos.

Mas ao referir 64 CUs denominados como Arcturus, estes terão de ser uma alteração proprietária aplicada à Vega, uma vez que a Navi não está ainda disponível e nem os Devkits da Sony são Navi, pelo que estes devkits de forma alguma poderiam ter já GPUS funcionais com uma arquitectura posterior à Navi.



Basicamente estes são os pontos que são usados para se argumentar que a Microsoft  está a usar Vega.

Mas será que estes pontos possuem consistência?

Na realidade, nem por isso! Vamos rebate-los ponto a ponto:

Porque motivo nenhum dos argumentos de cima é realmente convincente.

1 – A Navi não suportar 64 bits é pouco relevante. A AMD possui uma secção de personalização, e colocar 64 bits no Navi não parece ser um problema. Mas também convêm relembrar que colocar tecnologia da Navi numa Vega também seria possível. E nesse caso a Microsoft estaria na presença de  um GPU híbrido alterado por si e não uma Vega pura.

2 – O limite de 40 CUs não está confirmado de forma alguma. 40 CU é o número de CU que a primeira Navi 10 a ser lançada para o mercado irá possuir, mas não há nada, para além de especulação, que confirme que este é um limite da actual arquitectura. Para além do mais, 40 CU podem ser menos, mas se o IPC aumenta 25% e a capacidade dos CUs tambem aumenta, 40 CU podem muito bem ser tão ou até mais performantes que 64 da arquitectura anterior. E nesse aspecto bastaria software, a especialidade da Microsoft, para tirar partido deles.

3 – Até parece coerente que as consolas tenham começado a ser desenvolvidas com o Vega em mente. Aliás o rumor sobre o APU Gonzalo, que se acredita ser o APU da PS5, apontavam na sua versão original para um GPU denominado de Navi Lite que se refere agora que seria nada mais, nada menos do que um Vega com as alterações existentes na Navi. Este é um rumor recente, e baseado no facto que este APU Gonzalo teve alterações radicais no GPU, com a última versão a apresentar algo bem mais rápido e com uma referência diferente. O rumor é então que esse Navi Lite não era mais do que uma espécie de Navi montado sobre uma arquitectura Vega, e que terá agora mudado para uma Navi standard.

Agora, se a Sony mudou… O que nos leva a crer que a Microsoft não mudou? Basicamente o facto de ambas terem começado a serem desenvolvidas apoiadas na arquitectura Vega não é um factor que defina o produto final.

Há no entanto quem refira que o problema é o Chip Ray Tracing da Microsoft, que estes afirmam ter começado a ser desenvolvido em 2014, apoiando-se neste tweet de Phil Spencer.

Segundo a lógica, este Chip começou a ser desenvolvido tendo como base o GCN da Xbox original, e apesar de alterações nas arquitecturas que saíram desde ai, a mesma manteve-se fiel aos conceitos originais do GCN, que só mudaram com a Navi. Daí que alterar o mesmo para as realidades do RDNA obrigava a mais tempo de desenvolvimento e a um retrocesso no desenvolvimento que a Microsoft não deseja, tendo este sido o motivo pelo qual o Vega se manteve.

E este é o único argumento a favor do Vega que não conseguimos rebater, uma vez que não só não sabemos se esse chip existe mesmo, como se existir, que especificações e limitações a arquitecturas ele possui.

Seja como for, a realidade é que as alterações que a Microsoft poderia fazer na Vega podem-lhe permitir que esta não fique a dever grande coisa à Navi. Mais ainda se houver alguma veracidade sobre o Navi Lite ser basicamente uma espécie de Navi montada sob uma arquitectura Vega, e se os Arcturus forem CU’s alterados pela Microsoft para combater o Navi.

4 – As velocidades de relógio mais baixas podem ter muitas explicações. Dado que o “orçamento” energético das consolas é limitado, a escolha do restante hardware da Microsoft, que não o GPU, poderá estar na causa desse corte. Basicamente o que é relevante perceber-se aqui, é que não é por este dado e por este dado apenas, que podemos concluir seja o que for, até porque as alterações efectuadas podem ter conseguido melhorar a eficiência por ciclo de relógio. Tal pode-se dever à arquitectura, mas o motivo também pode ser qualquer outro.



5 – O rumor em causa, mesmo que verdadeiro, pode não ter o significado que lhe estão a atribuir. A ausência de exclusivos Scarlett pode ser uma opção por questões de manter as actuais consolas activas e dessa forma estar ligado à sua disponibilização no serviço de Streaming Xcloud.

Basicamente o que isso quer dizer é que este rumor não garante que as consolas Scarlett não terão jogos melhores. Não quer dizer inclusive que as consolas antigas executem localmente os jogos Scarlett! Quer apenas dizer que os seus jogos não serão exclusivos, e isso não é nada que deva surpreender ninguém, pois isso não é nada que vá contra as ideologias que já todos conhecemos da Microsoft.

Ou seja, não ter exclusivos não quer dizer que não tenha jogos dedicados e que tirem partido pleno do seu hardware. Daí que este rumor, no fundo, mesmo que verdadeiro, diga muito pouco.

6 – A imagem em causa, tem andado a ser chutada de um lado para o outro, ora sendo tomada como real, ora sendo tomada como falsa.

Naturalmente os defensores da imagem como verdadeira são aqueles que mais querem acreditar que Arcturus se refere a uma arquitectura pós Navi. Mas isso seria muito estranho! O Navi está prestes a ser lançado, e mesmo assimos devkits da PS5 ainda não o usam, mas a Microsoft teria já nas mãos dos Devs um Devkit com um GPU com arquitectura pós Navi, que permite esta captura?

Outro dado muito intrigante, e que coloca o rumor como falso, é o número da OS version.

O número que se encontra antes da versão da Build, que neste caso seria o que está depois do  “-“, ou seja o 1333, deveria ser a data da Build. E o que lá está é o número 191077.

19 seria 2019, 10 seria Outubro, mas 77 não faz sentido. Não é um dia válido do mês. Mesmo que tomemos o 19 como o dia, ficariamos com o ano de 1977, algo igualmente impossível.

Isto foi discutido no Beyond 3D, e a imagem tomada como falsa devido a isso.

Por outras palavras, se formos a ver a coisa como deve de ser, aparentemente nada, mas mesmo nada, prende a Microsoft à Vega. Ela pode até a usar, decidamente alterada e optimizada, e tudo o que é dito nestes rumores, ter alguma razão de ser, mas onde queremos chegar é que tenha ou não tenha essa razão de ser, não é por eles que podemos afirmar que as Scarlett são Vega ou outra arquitectura qualquer.

Daí que quanto a dados sobre as Scarlett, teremos de aguardar por dados da Microsoft. Para todos os efeitos tudo pode ser dito sobre a Xbox, e a hipotese de esta estar a usar uma versão da Arquitectura RDNA mais avançada que a usada pela Sony tambem não pode ser descartada, o que bateria certo com um outro rumor que refere que a Xbox é mais avançada que a PS5.

 

 



newest oldest
Notify of
Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Pela primeira vez desde sempre, que não estou nada entusiasmado em saber novidades das novas consolas, vai ser mais do mesmo, mais gráficos, mais fps, ok a IA pode melhorar, mas basicamente nada de novo em termos de funcionamento dos jogos…o que me está a entusiasmar é o streaming…vou assistir á apresentação da Google no dia 6 e da MS no dia 9, a Sony talvez por estar limitada pelas infraestruturas desenvolveu muito pouco a PSNOW, no inicio eram só consolas PS3, e depois até retirou o acesso ás smart TV, enfim nada do outro mundo, agora com a entrada da Google e da MS muita coisa vai mudar e arrisco a dizer que nunca mais as coisas vão ser as mesmas, desde o conceito, á forma e até aos conteúdos, o streaming coloca as consolas dos nossos amigos junto com as nossas na mesma sala, os jogos single-player em co-op vão evoluir (espero eu)para coisas nunca vistas, os jogos irão sofrer modificações para aproveitar estas novas sinergias e muita coisa boa (ou pelo menos diferente) vai aparecer. Estou um pouco cansado de comer sempre arroz com feijão, os jogos single-player variam entre 1ª ou 3ª pessoa entre linear ou mundo aberto e a formula repete-se vezes e vezes sem conta durante as duas últimas década. Os jogos estão mais bonitos? estão, estão mais rápidos? estão, mas estou saturado sempre das mesmas formulas, quero coisas novas, coisas diferentes…vamos ver se a montanha não vai parir um rato

bruno
Visitante
bruno

Comentario interessante…

“As consolas vao ser mais do mesmo, mais graficos, mais fps, mais IA…” se vao ser mais, como e que podem ser o mesmo?

So a IA, ja vai permitir alterar completamente a experiencia de jogo, teras inimigos mais inteligentes, e que se adaptarao a ti. As potencialidades da tecnologia vao muito mais longe do que o comportamento da NPCs, permitindo alterar e optimizar o processamento dos titulos de forma muito mais eficaz e permitindo aos programadores irem mais longe.

De resto… deve-te ter passado completamente ao lado a entrevista com o Mark Cerny?

Comecando com duas coisas essenciais que ele salientou:

Raytracing (sobretudo para o audio): os sons mais proximos e a capacidade dos inimigos te localizarem com base no que fazes. Depois tens iteraccao com o cenario, fisica, e muito muito mais nunca antes visto.

SSD: o uso de SSD como armazenamento de extensao a RAM, vai permitir carregar ais rapidamente assets para o mundo do jogo – isto trara imensas implicacoes. Numa eventual sequela de Horizon Zero Dawn, por exemplo, significara poderes montar um thunderbird e voar nele para qualquer local no mundo, e poderes chegar la sem loadings. se isto nao e revolucao, nao sei o que e.

Mas o mais impressionante e a tua definicao de inovacao nos jogos. Basicamente, dizes que os jogos serao mais do mesmo, primeira ou terceira pessoa, linear ou mundo aberto (dentro de tudo isto, tem uma enorme variedade de experiencias, e com isto, acambarcaste todos os jogos do mercado). E so arroz com feijao.

Nao, a grande inovacao e mesmo o streaming que por milagre vai permitir uma coisa chamada Co-Op e o multiplayer.

(excepto que eu ja em RE5 podia passar a historia em Co-Op na minha velhinha PS3, e o multiplayer ja o jogava em imensos titulos, mas quem quer saber?)

De alguma forma, o streaming ira permitir o multiplayer e o Co-Op e com isto e que a industria vai para a frente – claro o facto de sermos inundados de jogos do genero: Apex Legends, Fortnite, For Honor, The division, Destiny, o desastroso anthem, que nos tentam extrair ate ao ultimo vintem com microstansaccoes nao interessa para nada.

Ainda melhor, sao estes jogos, que basicamente ou e um mundo aberto onde o objectivo e conquistar bases ou participar em batalhas, muitas vezes usando o mesmo cenario vezes sem contam, as mesmas mecanicas do mais basico que ha que sao os mais inovadores na industria, que sao o que se distingue do arroz com feijao.

Jogos singleplayer, onde tens mecanicas mais cuidadas, historia e puzzles, e mesmo set pieces unicas que apresentam desafios ao jogador, esses sao apenas mais do mesmo.

E muito curiosa a tua logica.

Beto
Visitante
Beto

concordo plenamente,dizer que os jogos não tem inovações,me desculpe mais são palavras ao vento,pois se analisar a industria de jogos estar fortíssima,com vários jogos no mercado vendendo muito bem,e se esses jogos são mais dos mesmos,então a industria vai continuar vendendo os mais dos mesmos,pois no que da dinheiro não se mexer.

Edson
Visitante
Edson

Irrefutável, Bruno! Parabéns!

José Galvão
Membro

Ele deve querer que a roda seja reinventada, mais gráficos, mais fps, mais poder computacional significa mundos mais crediveis e vivos, mas o streaming já o excita apesar de em nada mudar os jogos pois não é nada mais do que uma forma de entrega com mais gráficos e mais fps…LOL logic LOL

bruno
Visitante
bruno

Exacto. O streaming e apenas uma forma de distribuicao.

Que ira permitir iteragir mais com outros jogadores – isso vai depender do numero de assinantes.

Mas tendo em conta os requisitos de velocidade de ligacao, nao sei como e que revolucionar o Co-Op.

Sera na mesma Co-Op, talvez mais estavel. E esperemos que a outra pessoa nao esteja a jogar localmente num PC.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Não há nada… mas absolutamente nada que possa ser feito por streaming que não possa ser feito localmente.

Que me digam que o Streaming tem a vantagem de se poder alocar o processamento que se quiser, o que quer dizer que todos os jogos correrão bem, isso é verdade. É algo que o local não tem pois o processamento tem limite.

Que me digam que o Streaming, por ser obrigatóriamente online, é mais propício ao suporte a situações online, também é verdade.

Mas de resto, não há diferenças nenhumas. Mas há lag o que mata o online, especialmente o competitivo.

O streaming basicamente faz-me lembrar as antigas arcadas. Metias a moeda e jogavas uma partida. Agora metes a mensalidade e jogas esse mês.
O mais frustrante é que nada daquilo é nosso, estamos dependentes de determinadas condições que não podemos obter ainda em qualquer sitio para jogar, e desaparece quando alguem que não nós, decidir.

bruno
Visitante
bruno

Exacto. Com constantemente surgem e desaparecem series da netflix, e perfeitamente possivel que titulos surjam e desaparecam de servicos de streaming. Nada daquilo e nosso.

Brunoab
Visitante
Brunoab

Melhores gráficos não importa, mas para ele o Streaming TODO cagado de COMPACTAÇÃO com gráficos “4k Borrados”, ai isso sim é revolução uhauhauhahuauh

bruno
Visitante
bruno

Falando em rumores, a AMD acaba de introduzir num computador para consumo geral a primeira placa com 28 Tflops.

A Vega II Pro Duo que reune duas Vega II no mesmo PCB (estas com as 64 compute units activas).

Melhor ainda, duas destas vao equipar o novo Mac Pro, o computador de secretaria da Apple fazendo 56 Tflops.

https://wccftech.com/amd-radeon-pro-vega-ii-duo-7nm-graphics-cards-apple-mac-pro/

Finalmente o retorno da AMD ha placas do genero R9 295X2, ou radeon HD 7990, que por alguma razao nao ocorreu nos 14 nm.

E este o grau de performance que esperava dos 7 nm.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Sim… 4999 dólares. Mais um centimo e já achava caro!

bruno
Visitante
bruno

Bem, e Apple. Se nos portateis sao os precos que sao, nos fixos entao ainda e pior.

O preco por um core i3 num macbook air anda a volta dos 999 euros.

Agora um xeon de 48 nucleos mais duas Radeon Pro Vega II tem um preco Apple de 4999 dolares.

Mas da mesma forma que tens PC com core i3 muito mais baratos, podes ter a placa de 28 TFlops muito mais barata. (considerando que andam duas la dentro).

Relemebro que as versoes anteriores do Mac Pro tambem tinham hardware na casa dos 3999 euros ou mais, e placas AMD muito mais baratas.

Alias a versao mais cara do mac Pro de 2013, que custava 2999 euros, tinha duas AMD Fire Pro D700, que em termos de performance ficavam ao mesmo nivel da Radeon R9 285, uma placa lancada por menos de 300 euros.

O ponto e: finalmente a AMD lanca uma placa no intervalo de performances que seria de esperar para os 7 nm.

Ha muita coisa significativa aqui: primeiro, a AMD nao teve problemas em lancar uma placa a quebrar a barreira de 64 compute units (este monstro tem 128 compute units).

Mesmo que isto seja o tecto maximo, entao podemos considerar algo na ronda dos 18 Tflops como gama media-alta.

Brunoab
Visitante
Brunoab

Quantos TF essa Vega, com 60CUs, iria entregar?

tá com cara da GPU do xone2, que é o meu palpite..

iria ficar acima dos 13TF, o que é 10x o xoneS… e já garante um salto de geração.

Brunoab
Visitante
Brunoab

Lembro da Sony declarar que não garantia a Retro, e que não iria comprometer uma futura geração para garantir Retro.

Ou seja, duvido que eles abriam mão de usar RDNA full, para usar menos recursos desta e ter recursos da GNC e garantir retro.

Talvez a Navi seja feito para a Sony mesmo, focada em JOGOS ou contrario da Vega feita para Apple usar em CGPU… mas isso não quer dizer que a Sony tenha a exclusividade.

Talvez essa “exclusividade” seja pq a MS vai lançar o anaconda com Vega customizada no final de 2019 para aproveitar no Azures, enquanto a Sony iria lançar no começo de 2020 com RDNA… Mas a Sony teve atrasos e só vai lançar no fim de 2020. Por isso a aposta da Sony na retro, para “segurar” a base dela por 1 ano…. “não vou comprar xbox anaconda, pq vou esperar o PS5 que vai rodar os jogos que EU JÁ TENHO de PS4”

Ou seja, a “exclusividade, feita para a Sony”, não quer dizer NADA, apenas que a RDNA foi feita para JOGOS em colaboração direta com a Sony.

Se quer um parceiro para fazer uma GPU para JOGOS, quem melhor que a Sony? qual a outra empresa que tem a mesma experiência que a Sony em Hardware e Software para JOGOS? ninguém, a MS não tem experiência no ramo de semicondutores igual a Sony.

Vamos ver, continuo com a minha previsão.

– Sony com esse anuncio de surpresa esta usando a mesma estratégia da MS no xoneX, o que indica que a Sony vai lançar BEM depois, 1 ano, e mais poderoso (RDNA vs Vega customizado da MS)

– Retro fundamental, para segurar a Base early adopter do PS4 esperando o PS5 pq “vai rodar os jogos DIGITAIS do PS4 que eu já tenho”

– MS por causa disso, vai vir full power nos EXclusivos (EXclusivos pq a exclusividade é só NÃO rodar no PS4, 5, etc) para incentivar o pessoal a não esperar o PS5.

– Anuncio do novo xbox nessa E3, com lançamento no fim de 2019.

– quando a MS começar a anunciar os EXclusivos e mostrar os jogos rodando na proxima geração, a Sony vai começar a soltar “vai ter patch de melhoria de God War, gráficos no ultra, 60fps 4k” “Patch de Horizon Zero Dawn, LOD infinito, 60fps”

Edson
Visitante
Edson

Incrível como ninguém aqui tocou no assunto da parceria Samsung e AMD.rsrs

AlexandreR
Visitante
AlexandreR

Sinceramente, ainda vai demorar muito tempo até vermos jogos a tirarem partido das novas consolas…
Iremos ter a Ps4, ps4 pro, Xbox one e Xbox one x a limitarem os jogos!
Mas gostava muito que fossem lançados jogos, exclusivos para as novas gerações!!
Mas até isso acontecer, ainda vai demorar pelo menos 2 anos em relação às third party!
E em relação a Sony/MS não sabemos se iram lançar logo os exclusivos para a novas gerações!
(E meter de lado as consolas de meia geração, ps4 pro e Xbox one x)
Imaginem só o cyberpunk a ser só lançado para a ps5 e a nova Xbox….
Mas pronto, as companhias vão ter sempre atenção as consolas anteriores devido ao número de utilizadores e possíveis vendas!
Todos sabemos que ainda vai demorar muito, até a ps5 e a nova Xbox ter um número considerável de membros, que forneça um binómio de qualidade/benefício.
Com isto quer dizer, as novas gerações vão ter ganhos notórios, em relação aos loadings e texturas, mas em relação a exclusivos e a novas experiências, ainda vai demorar!

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Em 2005 quando saiu a xbox360 o meu entusiasmos era tanto que fiz 200km de carro até ao Fórum Almada, comprei a consola á meia-noite do dia do lançamento, fiz mais 200 Km de regresso a casa e nessa noite liguei a consola e joguei toda a noite, nem dormi e apenas tomei um duche e fui trabalhar.

Agora escrevo aqui um post sobre o que estou a sentir nesta geração e as vcs respostas são bastante curiosas, os meus sentimentos não estão sujeitos a debate. ok? neste momento o meu interesse pelas consolas da nova geração é ZERO, estou entusiasmado com o streaming e o que eu sinto não está sujeito a interpretações ainda para mais de pessoas que nem me conhecem.

LOL, se vcs já nem dormem á espera que as consolas saiam, se vcs sonham com teraflops e SSD de alta velocidade, que bom para vcs, ainda para mais o que eu quis partilhar com vcs nem é uma opinião…é um sentimento, sinto grande interesse no streaming, sinto quase uma indiferença pelas novas consolas e expliquei o motivo destes meus sentimentos, o facto de vcs não concordarem com os meus motivos não vai fazer com que os meus sentimentos mudem…isso não existe…parem de tentar debater tudo no abstracto, por detrás de cada nick existe um ser humano com personalidade própria e cabeça para pensar… fui

bruno
Visitante
bruno

Nenhuma das respostas pegou no facto de estares entusiasmado com o streaming, mas sim nos motivos que apresentas para estares entusiasmado com o streaming, que sao na sua grande maioria infundados, sem sentido,
e ignoram propositadamente muitos outros problemas que o streaming trara.

Como o Mario e eu mesmo te respondemos antes, nao ha nada que o streaming faca por si trara que ira redefinir a forma como os jogos funcionam, logo alegar que se esta entusiasmado porque ira permitir grandes novidades e grandes revolucoes nos jogos ao contrario das consolas e falso, porque nao vai permitir nem uma coisa nem outra.

Lamento que nao gostes de ouvir isto, mas isto nao tem a haver com os teus sentimentos, isto sao factos. Podes estar entusiasmado com o streaming, mas nao podes alegar que o Streaming ira ser uma revolucao nunca antes vista na jogabilidade e experiencia, porque isso e mentira.

O hardware das proximas consolas pelo contrario, e que ira permitir grandes novidades e grandes revolucoes, porque ira introduzir muitas novidades na forma de programar os jogos e de os criar. E ja tiveste aqui muitas discussoes sobre as possiveis impicacoes do ray tracing e do SSD na jogabilidade da proxima geracao. Isto sim sao mudancas drasticas que irao revolucionar as formas como jogamos.

(Alias, se queres novidades joga indies, que tens muitos e muito inovadores. E para isso, nao precisas do streaming para nada, embora o possas usar se quiseres.)

O Streaming ira permitir um acesso em qualquer dispositivo, ira potencialmente, permitir mais performance. E podera permitir, dado que os jogos correm em rede, uma maior integracao no online, no sentido em que podera ter melhor performance ao encontrar matches (podera mesmo nem ter tempos de espera) dado que pura e simplesmente ja toda a gente esta em rede e a qualidade da ligacao ja tera que ser muito boa (mas mesmo isto e impossivel de garantir dado que a Google sendo google, ira recorrer de compressao e reducao da resolucao para velocidades de acesso mais baixas).

Mas ficar excitado por isto?… Mas o que e que isto tem de especial? Nada! Isto permite-te apenas ter o que tens, sem necessitares do hardare local. Mas sao os mesmos jogos, provavelmente com quebra na resolucao face as consolas (O Youtube comprime os videos apesar da resolucao anunciada com muito detalhe perdido e o mesmo ira sem duvida acontecer no Stadia), que nunca vais possuir e nunca serao teus.

“Jogar em Qualquer dispositivo”? Qual e o interesse em jogar Resiqent Evil 2 ou DMC 5 num ecra de smartphone? Sao jogos com graficos excelentes e nao so a jogabilidade fica prejudicada com o touchsreen com ha muito detalhe perdido. Numa TV? Ok, mas a unica vantagem face as consolas e que nao precisas da consola em si.

Vamos agora as desvantagens.

Primeiro: o streaming sera como o PC do ponto de vista do hardware. Logo isso significa que ha muita coisa que as consolas oferecem de bom que se ira perder, e com isto, sim ha o risco de se perder um pouco na inovacao dos jogos. Tao simplesmente porque as consolas possuem hardware unico que permitem programar e introduzir novas mecanicas. O Cell e um bom exemplo disso. Porque obrigou ao uso do multinucleo e isso permitiu a introducao de novas mecanicas, como os raios em TLoU, que te permitiu a capacidade de interagir com varios objectos no ecra num mesmo momento. Algo que antes nao teria sido possivel.

Alias, sao precisamente os jogos singleplayer que tanto criticas que mais novidades introduzem neste campo.

So quero dizer que ha um grande risco nisto, um risco real, de se perder inovacao na jogabilidade e mecanicas devido a uma programacao abastracta.

Por ultimo, so quero apontar tambem que o hardware da versoes base das atuais consolas ja existe desde 2011. E no entanto foi preciso estas chegarem ao mercado para ser devidamente aproveitado.

E neste momento tens titulos como Days Gone, com hordas de inimigos em simultaneo, tens o uso do Async Compute (e se nao fossem as consolas, teria continuado por aproveitar), que permitiu mundos abertos mais detalhados, com geracao de mais elementos no ecra (vegetacao luxuriante, grande numero de NPCs, a geracao procedual de items). Tudo isto era tratado tradicionalmente pelo CPU, mas gracas ao Async compute podes faze-lo no GPU com muito maior performance e os resultados estao a vista. Dizer que isto e mais arroz com feijao e um disparate tremendo, porque isto nunca tiveste antes.

Mas mesmo agora no PC, esta caracteristica esta largamente por utilizar. mas quando e utilizada ha grandes ganhos em performance, com aumentos de FPS entre outros.

Segundo: LAG. O streaming ira introduzir Lag. Agora, se tiveres a jogar online contra jogadores a correr em hardware local, imaginas como te vais safar com o lag extra?

Terceiro: alteracoes no catalogo. Isto e uma realidade no Netflix e em mutos outros servicos de streaming. E inclusive uma realidade no Youtube Premium. Ha items que desaparecem no catalogo e nem todos os jogos sao online. Comecas a passar um titulo que ate gostas mas nao e grande sucesso de vendas. Ora um jogo nao se passa em duas horas. Pode demorar meses, ou anos. E a Google pode estar perfeitamente a vontade para o retirar e todo o dinheiro e todo o esforco que investiste vai a vida. O catalogo que ali tens nao e nem nunca sera teu.

Quarto: Economia. Ja foi largamente debatido aqui. O streaming TV e o streaming de jogos sao mercados muito diferentes. O streaming TV veio substituir a TV generalista e a TV por cabo, bem como a venda de filmes em formato fisico.

Ora tanto na TV generalista como no cabo, o fianciamento de series e pago ou por mensalidade a canais como o AMC ou AXN, ou por publicidade. Mas tanto na TV generalista como no cabo o espectador leva com aquilo que os directores dos canais decidirem colocar – ha uma programacao e as pessoas assistem ao que esta a ser emitido no momento. Pior, na Tv por cabo compras um pacote de canais a um preco elevado por mes. E pagas pela exclusividade na programacao, que nao e oferecida em mais nenhum lado.

O streaming nao introduziu muitas mudancas na forma como as coisas funcionam. Mas trouxe grandes novidades.
Pagas na mesma uma mensalidade, mas mais barata, com a vantagem de poderes assistir ao que quiseres quando quiseres. Em vez de pagares pelos canais, pagas por programas. ja o financiamento dos programas fica dependente da mensalidade, logo continua dependente de uma renda mensal e nao ha muita alteracao nisto na forma como os produtos sao produzidos e no que recebes.

Ja os filmes.. sim introduz problemas. Muita gente nao repara nisto, mas ha certos franchises e certos filmes que ganharam popularidade depois de terem sido um falhanco nas bilheteiras. Um mau exemplo, sera Silent Hill de 2005. Um filme que foi um fracasso, mas teve sucesso na venda em formato fisico tendo direito a uma sequela (ainda pior).

Ora a internet facilitou e globalizou a pirataria digital. Que e praticamente impossivel de combater. e as vendas de DVD e BluRay iniciaram uma queba enorme ja desde o inicio da decada de 2000. O streaming acabou por agradar as pessoas pois introudziu as vantagens da pirataria digital (catalogo imenso e completo a escolha do expectador), com uma renda baixa. Mas tem criado problemas no finnaciamento dos filmes (nao sei se reparaste na polemica recente do Steven Spielberg) e nao e por acaso que as producoes cinematograficas de alguns desses servicos nao se comparam em escala aos filmes feitos por grandes estudios de cinema.

Se formos para jogos – a coisa e ainda pior! E que um jogo paga-se em vendas – ou seja nao tem as receitas de bilheteiras em filmes. E o streaming rivaliza directamente com essas vendas, dando menor receita. Ora ja na geracao passada tiveste jodos a venderem 3 a 5 milhoes de copias e a serem considerados falhancos comerciais por parte de quem os fez.

Como e que o streaming financia isto? A resposta e que nao financia – e o resultado e que perderas na qualidade para jogos estilo mobile ou MMO barato.

Quinto: Ligacao permanente a internet. Digam o que disserem a internet nao e fiavel e nao e permanente. E um custo acrescido (que pode ser ignorado porque e precisa para outras coisas mas mesmo assim e um custo que num jogo singleplayer em consola nao precisas). Se a internet falhar, adeus jogos, E a internet pode falhar com manutencoes, incendios, chuva, e muitos outros factores que fojem ao teu controlo (ataques informaticos, vulnerabilidades, a lista e longa).

Estas desvantagens tambem devem ser consideradas quando se alguem diz que esta entusiasmado com o streaming e que as consolas sao mais arroz com feijao.

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Aliás e só para terminar o meu interesse pelo streaming de jogos já vem de longe, em 2010 soube que um português chamado Rui Pereira estava a desenvolver um sistema que permitia jogar videojogos por streaming…na altura achei a coisa genial, e pelos vistos não fui o único pois a SONY comprou a empresa por 380 milhões de usd, em 2011 todo o santo dia eu ia ao site do Gaikai ver se havia novidades, eles na época tinha no site uma linha temporal que iam actualizando, desde o dia zero que foi a criação da empresa até ás parcerias com a LG e Samsung, etc, etc…inclusive na época cheguei a enviar alguns mails para o Gaikai manifestando o meu interesse e entusiasmo sobre o futuro dessa então nova tecnologia.

https://web.archive.org/web/20110623210127/http://www.gaikai.com/team

Cada um sabe de si e Deus sabe de todos…fiquem bem

bruno
Visitante
bruno

Genial de que ponto? Porque um portugues esteve na base do Gaikai (que nao foi o primeiro nem o unico?)? Isso nao e motivo. O motivo prende-se com o que e, o que faz, e se e realmente util.

Reparaste que descreves a prestacao da empresa em si mesma, mas nao a experiencia em si? Afinal o teu entusiasmo prende-se com o percurso da empresa, os valores do negocio ou o produto que recebeste?

Edson
Visitante
Edson