PETA quer remover a luta de galos de Far Cry 6

5 6 votes
Avalie o nosso artigo

A conhecida associação de defesa dos animais quer que num jogo virtual, onde controlamos alguém que se vai fartar de matar pessoas, a luta virtual de galos, seja removida.

Há coisas que são pouco compreensíveis. A proteção dos animais é uma ideologia que eu mesmo tambem defendo. No entanto, para mim, um animal vai ser sempre um animal, e uma pessoa, uma pessoa!

Mas neste caso, nem estamos a falar de animais, e nem pessoas, estamos a falar de representações virtuais de pessoas e de animais. E o que mais me choca nesta postura da PETA é que num jogo onde se anda com armas na mão a matar outros avatares de humanos, a PETA se preocupe com a representação virtual de uma luta de galos, ignorando tudo o resto.

Ainda cima, a luta de galos não é mais, nem menos, do que uma espécie de Street Fighter, onde controlamos um galo, com vários golpes pré definidos, e com barras de energia. Algo que de realista tem muito pouco.

Mas enfim… esta é a PETA, já ridicularizada em muitos filmes e séries, mas que continua a insistir na parvoíce!





5 6 votes
Avalie o nosso artigo
70 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

O que eu me ri quando soube disto!!!

Derhel
Derhel
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Qualquer dia ainda processa o parlamento.😁

Carlos Zidane
Carlos Zidane
1 mês atrás

Creio que o objetivo seja, não incentivar esse tipo de atividade cruel, matar pessoas é algo complicado e não vale o risco de ser pego ou de consciência (pra maioria), mas judiar de animais, isso não dá em nada.
Tenho vizinhos aqui mesmo que promovem isso.
Provavelmente a Ubisoft não tinha objetivos maus com isso, mas alguém pode achar que é uma má idéia.
No entanto, eu entendo que as pessoas recebam isso com total ridículo, pois de certa forma a maioria das pessoas não dão importância a possibilidades e implicações de ações simples, como por exemplo, o que pode resultar de um serviço ~predatório como Gamepass ou, o que acontece quando seu diferencial são exclusivos e você joga isso na lata de lixo por um lucro mais imediato (que de repente é um plano maior também, vai saber).

Hennan
Hennan
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Mas judiar de animais também é crime. A luta deveria ser para que a lei seja aplicada. Ou seja, estão perdendo tempo que poderia ser utilizado em outras ações.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Hennan
1 mês atrás

É crime mas, não costuma dar muita coisa, as vezes só multa.

Felipe Horvath
Felipe Horvath
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu acho desnecessário esse tipo de representação. Uma pessoa com o mínimo de massa encefálica não vai ficar jogando rinha de galo. Aliás , tem tanta coisa que eu acho que não mereciam atenção nos e estão nos videogames… Jogos de bandidos por ex , tipo GTA.

Juca
Juca
Responder a  Felipe Horvath
1 mês atrás

O problema é que massa encefálica está um tanto quanto rara nesses tempos! Rsrs
Estamos vivendo tempos em que pessoas públicas estão defendendo o direito de glorificar facismo! Um absurdo sem igual!

Pedro
Pedro
1 mês atrás

Engraçado esse tipo de coisa. No jogo pode se matar a vontade e ninguém reclama, mas porque naquele jogo Hatred teve tanta repercussão negativa? Será devido às intenções do personagem principal? Não conheço a história desse Far Cry, mas a do Hatred todos sabem, um serial killer inspirado nesses massacres de inocentes. Será que a Peta está tão errada nisso, uma característica totalmente desnecessária para o jogo, um tipo de atividade que é uma verdadeira monstruosidade no mundo real? Será que na próxima colocam um simulador de pedofilia, já que não está machucando ninguém? Eu acho totalmente desnecessário, só colabora com a má fama que os videogames tem enquanto arte.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Kk Tinha pessoas com cerimônia de matar os cães no TLoU 2, não sei como não criaram caso, algumas mortes eram bastante brutais, como quando a gente explodia eles e os donos

Juca
Juca
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Provavelmente não implicaram porque não retratava aquilo como algo divertido de fazer, e sim como algo chocante e que não se deve fazer, isso já faz uma grande diferença.

Juca
Juca
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Entendo como uma apologia a algo que existe e é praticado, Mário.
No Brasil é algo que foi bem comum – e hoje, apesar de proibido, nunca deixou de existir – é algo que envolve altas apostas e move muito dinheiro, como lutas de box, porém costuma ser bem mais violenta para os animais que normalmente saem mortos ou bastante debilitados pois ao invém de usarem luvas com enchimento e protetores dentais usam esporas de metal.
Penso que a ideia de glorificar isso ou por isso como algo divertido deve ser entendido pelo Peta como algo que abre as portas para que quem se divertiu com isso no jogo procure isso na vida real.

Juca
Juca
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Bem, não joguei e não vi como está, mas de qualquer forma é uma apologia a rinhas até onde sei, entendo que pra muitos seja um exagero, mas é igual quando “estudos” por entidades conservadoras propõem que a violência é incentivada pelos jogos de videogames, ou que incentivam o uso de drogas nos filmes americanos… Na minha opinião, há pessoas influenciáveis sempre, crueldade intrínseca em alguns, “propaganda” desnecessária sempre pode “abrir horizontes” pra escolhas, mas enfim, cabe às sociedades verem o tanto de liberdade de expressão é o necessário para manterem a paz social e a boa convivência entre as pessoas… Não sou um vegano, mas compreendo a ideia por traz, por exemplo.
Do ponto de vista de sociedade, acredito que só deveríamos fazer o mal necessário, mas lógico que consigo me divertir com violência.

Juca
Juca
Responder a  Juca
30 dias atrás

Correção: por trás…

Pedro
Pedro
Responder a  Mário Armão Ferreira
30 dias atrás

O que eu quis dizer é bem simples. Violência em jogo pode ocorrer? Sim, como em filmes também, mas precisa ser motivada de alguma forma. Pode até ser gratuita, mas vai receber muita repercussão negativa, por isso a citação ao Hatred. Pesquise no Google sobre Hatred e você vai entender. Qual a motivação da história em criar rinhas de animais jogáveis? Faz parte do cenário do jogo? Ok, precisa ser um jogo disso? Lamentável, se tá aberto a tudo então façamos simuladores de pedofilia, já que não está machucando ninguém, e eu me aposento dos videogames de uma vez.

AlterX
AlterX
1 mês atrás

Sony criou a divisão Playstation PC

Sparrow81
Sparrow81
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Mario, você é especista. Ou seja, defende que o valor da vida de humanos é maior que de um gato, cachorro, papagaio. E isso não é verdade. Toda vida tem o mesmo valor e isso eu posso afirmar com base em estudos biológicos e de evolução.

Quanto a briga de galos, é ridículo querer remover. Pois ali tá parte da história de onde se passa o jogo. Era só o que faltava agora você não poder mais representar a história porque tem esse bando de mimizenro que nada pode. Ao meu ver, bando de hipócritas.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

O ser humano está acima de qualquer outra criatura. Isso nem é discutível.

Juca
Juca
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Claro que é discutível. Você valorizaria mais a vida um estuprador ou o seu cachorro fiel. As coisas precisam de contexto, o fato de haver intelecto maior em um que noutro ou achar que um pode ser mais útil a você que outro faz as coisas ganharem outra perspectiva. Um galo pode ser muito mais produtivo e útil que vários humanos, por mais que você possa substimar o valor da vida dele.
Será que pro planeta é melhor ter mais galos ou mais humanos? Filosofa um pouco antes e tirar conclusões irredutíveis! Rsrs

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Juca
30 dias atrás

Juca, eu não mudo de idéia quanto a isso. Respeito e lamento quem pensa diferente e receio ter me expressado mal, poderia ser: – discordo do que diz e pronto.

Juca
Juca
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Mário a questão é que uma situação não exclui a outra, talvez os parentes também merecessem dias de nojo (imagino que em brasileiro seja o luto) por suas mortes também, claro que nem todos os parentes! Rsrs

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Não é o único ser racional e isso já é comprovado cientificamente. Num estudo com corvos, mostra que essa ave é muito racional. Macacos são racionais, felinos são racionais, caninos são racionais, baleias, golfinhos, tubarões TB são racionais.

José Galvão
José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
30 dias atrás

Mário deves estar a falar do PAN só pode, no entanto percebo a ideia por detrás da proposta, eu tenho um cão, o Oscar, um arraçado de Labrador, já tem 8 anos e alguns problemas de saúde, é a verdadeira definição de companheiro, tem mais amor por mim do que muitos dos meus tios e primos, um dia que o venha a perder, garanto-te que será uma perda bem mais avassaladora do que perder certos familiares, portanto percebo a ideia, o grande problema dessa proposta é que isso ia levar a um sem número de abusos.

Quanto à tua comparação entre tratar de um idoso e tratar de um cão, confesso que me deixou perplexo, e deixou-me porque és das pessoas mais inteligentes e lúcidas que conheço, portanto deduzo que não saibas o que é tratar de um idoso.

Atualmente não tenho um mas sim dois idosos a cargo, a minha mãe e a minha sogra, a minha mãe apesar de não viver comigo, não sai de casa e depende totalmente de mim para tudo menos cozinhar e fazer a higiene, mas já tem 81, faz grande filmes, muito drama e de vez em quando dá umas quedas em casa porque é teimosa, não toma a medicação a horas e não usa o andarilho, depois cai, grita por ajuda e depois lá está a policia a ligar-me a dizer-me que a minha mãe foi para as urgências, a ultima vez foi à uma mês, com os bombeiros a ter de usar a escada de incêndio para entrar pela janela no 3º andar, isto depois de dizer vezes sem conta para nunca trancar a porta com o trinco…
A minha sogra, com quem eu vivo, tem 80, tem parkinson, é outra teimosa, grita durante a noite, tira a fralda e urina a cama, etc..etc..etc.. se uma já é dose, duas então…
Eu não vou abandonar nenhuma delas, mas definitivamente não é a mesma coisa do que levar o cão à rua a fazer xixi duas vezes por dia, tendo em conta a minha situação, até preferia levar 10 cães à rua para fazer xixi, fizesse sol, chuva ou até mesmo trovoada.

Quanto à PETA, digamos que é um grupo radical extremista que defende uma causa nobre, que é o bem-estar dos animais, tirando isso é apenas mais um grupo de ativistas que varre a internet e o entretenimento geral, em busca de algo para se indignar e assim continuar o fluxo de fundos e donativos.

José Galvão
José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
29 dias atrás

Provavelmente a enfermeira estava a ter um mau dia, ao ponto de fazer acusações de maus tratos, e fez um comentário infeliz até porque isso não faz qualquer sentido, se for um caso em que não vão a visitas por falta de tempo mas depois vão jantar fora e passar fins-de-semana no Algarve, até percebia a critica, agora levar o animal a fazer necessidades?
Levar o cão a passear, é algo rápido, sem uma hora fixa, e à porta de casa, e para muita gente é um escape emocional e de relaxamento depois de um dia de stress cheio de pessoas e ruido, e na companhia de um ser que contraria tudo o que a esmagadora maioria de seres humanos com quem nos cruzamos diáriamente, representa, cinismo, arrogância, ódio, julgamento, estupidez…

Quanto à importância de pessoas, neste caso familiares e animais, isso varia de pessoa para pessoa porque tu não escolhes a tua familia, mas podes escolher os teus amigos e claro, os teus animais.
O teu caso especifico é algo peculiar, o teu tio é irmão gémeo do teu pai, e perder um tio desses ou é uma espécie de premonição algo perturbadora ou um reviver dramático, mas a grande maioria das pessoas tem um tio sem tamanha parecença.

Sim é verdade, podes ter vários cães, gatos, etc.. mas cada um deles tem a sua personalidade, as suas virtudes e defeitos e cada um deles acaba por ter um papel importante nas nossas vidas, mesmo quando partem, e quando partem podem muito bem afetar-me mais do que a perda de uma tia que cortou com os meus pais porque estes fecharam a torneira dos empréstimos.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Mário Armão Ferreira
30 dias atrás

Mário, eu nem devia falar mais nada pois onde há quem não dá o devido valor a vida humana e prefere animais, não pode sair nada que preste disso. O mundo está as avessas e não custa nada em breve vermos até punições pra pessoas não progressistas, e os que impõe leis absurdas, promovem ódio e divisão vem dizer o que é certo ou errado através da retórica da mídia podre, da ciência corrupta e redes sociais com essa geração secular, imagina se eu falar que Deus criou o homem a imagem e semelhança dEle? Capaz de me chamarem de boçal ou terraplanista.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Zidane
30 dias atrás

Nossa rapaz. Se acalme. Estude um pouco, leia sobre. Dizer que todas as vidas tem o mesmo valor não é desvalorizar a vida humana, é dar valor a todos e o que é verdade. Você valoriza mais a vida humana pois tu é humano e se diz racional, mas está agindo com pouca racionalidade, achando que é superior. E não é. Evolutivamente temos o mesmo valor que outras criaturas que convivemos e isso é fato.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Não, não está. Isso é ignorância pura. Nos estudos evolutivos se.mostra claramente que o humano não é mais que uma pulga ou qualquer outro ser vivo. Teríamos mais valor que outras vidas se não convivessemos com elas. O ser humano é mais diferenciado perante um ancestral comum e abaixo dele existem espécies.menos diferenciada. Mas um pulga tem o mesmo valor evolutivo que você.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Sparrow81
30 dias atrás

Evolucionismo e satanismo pra mim são a mesma coisa Sparrow. Eu não concordo com você e não tenho mais nada a dizer sobre isso senão aqui vai virar um Twitter onde já discuti bastante esse assunto e tomei horror a isso, cada um na sua. Vamos voltar aos jogos que é algo leve e assim como o esporte, pode unir pessoas e não dividir.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Zidane
30 dias atrás

Hã? Que doideira, hein. Pqp hahaahahahahaha… Eu fiquei espastando e depois cai na gargalhada aqui. Em pleno 2021 eu tenho que ler isso. Haahahahabababa

Juca
Juca
Responder a  Sparrow81
29 dias atrás

Bem as pessoas têm o direito a acreditarem no que quiserem, e isso realmente pode ser espantoso.
Mas enfim, cada um na sua “realidade”, o problema é quando as crenças não são suficientes pra resolvem os problemas e dilemas da humanidade. Mas enfim, por isso, às vezes acho que não se criar dilemas é mais inteligente e questiono o quanto os que criam conflitos são mais inteligentes que os galos que são postos a brigar! Rsrsrs

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

O valor a vida tem que ser igual. De seres humanos, cachorros, gatos, macacos, etc. Todos são vidas iguais. É normal sermos especistas, pois valorizamos nossas vidas. Mas quando vc se aprofunda num estudo de biologia evolutiva e comportamental, logo se vê que nossa vida é igual a qualquer outro ser vivo.

Juca
Juca
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Há pessoas que tomam pra si a responsabilidade de defender aquilo que não pode se defender.
Como organização com fins específicos a Peta vai agir onde é seu propósito, isso não quer dizer que quem participa dela não seja contra outros tipos de violência ou propagandas de violência, ela simplesmente age com foco no seu propósito.
Mais jovem, achava o radicalismo de pensamentos em prol da convivência em sociedade um tanto quanto contra producente e intolerante, com o passar do tempo vi que o radicalismo é apenas o cansaço pela persistência improdutiva, já que outras vias foram tentadas sem sucesso.
Hoje, acredito que em algumas situações devemos ser intolerantes e radicais tendo em vista o bem-estar social. Não acho que hoje em dia deveríamos passar a mão em injúrias raciais, violência doméstica, apologias e glorificação a tráfico de drogas e nazismo, ditaduras… por exemplo.
Tolerar ou ser indiferente pode muitas vezes ser entendido como aceitação e/ou apoio, porém, sempre devemos nos lembrar que só porque determinada situação não nos afeta, tudo pode ser apenas uma questão de “por enquanto”.
Se o que se busca de fato é uma melhoria civilizatória, um maior equilíbrio de homem e natureza ou de uma vida em sociedade, precisamos parar de fazer apologias a coisas em que o propósito é se divertir às custas de crueldade e propagação da violência, mas acredito que estamos bem longe disso ainda, e o Peta apenas tem feito o seu papel.

eduard08
eduard08
30 dias atrás
Avalie o nosso artigo :
     

E o pior e que a PETA e uma associação, e como tal receve dinheiro de pessoas que doam, e que normalmente o fazem para que esta ajude os animais, agora digo, se eu fosse uma dessas pessoas a doar dinheira para eles, eu ia era ficar chateado com eles por usarem esse dinheiro em tribunais para coisas como estas, em vez de o fazerem para os verdadeiros problemas
E ainda por cima nao aprendem com os erros, pois ja nao e a primeira vez que fazem isto e que no fim sao eles que ficam mal

Juca
Juca
Responder a  eduard08
30 dias atrás

Talvez as pessoas que doem pra eles também queiram essa luta, afinal, não existe só a Peta a defender animais, e no mais, certamente entre os ativistas do próprio Peta já deve existir um advogado “Pro Bono” entre eles, já que é por ideologia que o fazem e não lucro.

Imagino que esse processo já vale só por suscitar nas pessoas o porque de fazerem isso ou mesmo da repercussão positiva ou negativa que isso traz, pois certamente chama a discussão um assunto desapercebido por muitos, crueldade com animais.
Veja bem, estamos aqui a pensar e discutir sobre isso, em um site que dificilmente abordaria essa temática de qualquer forma. Isso faz a sociedade encarar o problema e pensar, e só assim pra algo mudar de verdade.

HENNAN SANTOS CARVALHO
HENNAN SANTOS CARVALHO
30 dias atrás

Off topic:
Saiu o resultado da Sony. Fazendo uma estimativa grosseira da receita da divisão de games. Cerca de 60% vem de assinatura e da venda de games de terceiros e suas microtransações. Por outro lado, menos de 5% venho da venda de games no PC ou realidade virtual. Logo, ou a Sony está maluca, ou eles acreditam que lançar games no PC não vai afetar a venda de consoles. Porque financeiramente não faz sentido.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  HENNAN SANTOS CARVALHO
30 dias atrás

Sim, mais precisamente dos 5,86 bilhões de faturamento da divisão de games entre julho a setembro de 2021, 256 milhões (menos de 5%) se referem a PC, PSVR, etc., destacando que cresceram 8.7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Para efeito comparativo, as vendas de hardware cresceram 287% em relação ao referido período do ano anterior.

Sobre jogos no PC afetar as vendas de PS5, eu acredito que eles estão convencidos de que não afeta. É possível que o grande público do Playstation esteja mais interessado em grandes lançamentos (seja first, second ou third) do que em saber se os jogos serão eternamente exclusivos. Nesse caso, a Sony lança um grande jogo, a pessoa compra o PS5 e o jogo em questão sem se importar se um dia isso vai ou não para o PC. O motivo é porque consolas são um produto acessível em vários lugares. Uma PS5 em Londres custa o equivalente ao aluguel de uma (no máximo duas) semanas em um flat decente.

Fazendo um breve comparativo, imagina se o Xbox Series S passasse a custar 500 reais aqui no Brasil. É um valor bem acessível para muita gente. De repente a pessoa assiste uma gameplay de Forza Horizon 5, gosta bastante do conteúdo, e descobre que a consola custa 500 reais. Vai adquirir o produto sem se importar se isso vai sair para PC, porque é algo acessível, e não um investimento que se equivale ao de uma moto 0 km, restringindo o desejo de consumo para os entusiastas.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Mário Armão Ferreira
30 dias atrás

Algo que particularmente me agrada nos jogos saírem posteriormente para PC é a questão dos jogos estarem eternizados em uma plataforma aberta.

Um PC com configurações modestas (gtx 750ti) roda a maioria dos jogos da geração PS3/X360 de forma bem superior ao que essas consolas renderizavam.

Se Metal Gear Solid 4 fosse portado para o PC por volta de 2014 (6 anos após o lançamento), afetando pouco o PS3, e eu poderia jogá-lo até com uma configuração discreta no PC, com qualidade bem melhor. Mas claro que entra outra discussão, onde talvez um jogo bem antigo não seria rentável no PC. Ports não são tão baratos, ainda mais vindos do PS3. E também tem a psnow que deve ganhar algum dinheiro com esse legado.

Honestamente, não me agrada muito o jogo ficar eternamente preso no PS3. Eu ainda tenho essa consola, e alguns aspectos como a lentidão da UI me soa bastante datada.

O mesmo vale para a PS4, talvez eu poderia jogar algo que perdi em 2013 ou 2014 em qualidade superior com uma GTX 1060, e lançando 4 ou 5 anos depois talvez não afetaria o PS4.

Em 2010 eu estava super ansioso para jogar Alan Wake, e foi uma bênção sair o jogo para PC em 2012. lol. Então eu respeito a questão das exclusividades das consolas, mas quando o jogo entra naquele vazio de não vender mais, me agrada a idéia de ficar eternizado em uma plataforma aberta, podendo eu jogar no futuro com qualidade máxima sem precisar de um PC de ponta.

Claro que eu também sou consumista e quero jogar tudo em day one. Mas a gente sempre perde alguns jogos, e os aproveita vários anos depois.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Mário Armão Ferreira
30 dias atrás

Sim Mário, eu não contesto a importância dos jogos exclusivos. O meu ponto é se precisam ser exclusivos para sempre. E caso não, isso gera uma boa discussão sobre quanto tempo podem ser exclusivos sem prejudicar a plataforma.

Por exemplo, Alan Wake foi lançado para PS4/PS5. Ou seja, além do PC, a plataforma concorrente do Xbox também recebeu o jogo. Entretanto, a maior parte da receita desse jogo foi feita na época de lançamento, por volta de 2010 até 2013. Quão prejudicial seria esse lançamento para a plataforma Xbox?

Heavy Rain era outro exemplo, jogo exclusivo de PS3 que recebeu um port para PC em 2019. Pode ter prejudicado algo na imagem do PS3?

Sei que a discussão de jogos first-party é mais delicada, mas de qualquer forma, me interessa essa questão de “exclusividade até quanto tempo”.

Hennan
Hennan
Responder a  Mário Armão Ferreira
30 dias atrás

Para mim é bem simples. Se sair algum jogo do ps5 para PC no próximo ano, vendo o console. Mesmo que seja um game menor como sackboy. Não sei fora do Brasil, mas a diferença entre os preços da steam e Sony é gritante. Logo não é questão apenas de esperar, mas uma economia absurda pra jogar a melhor versão. Acabei de trocar de gpu já pensando nessa possibilidade e nos lançamentos da Microsoft. Só espero que saia algo decente.
Ps: também deixarei de comprar jogos lançados pela bandai após o scarlet nexus sair no PC com 3 meses.

HENNAN SANTOS CARVALHO
HENNAN SANTOS CARVALHO
Responder a  Hennan
30 dias atrás

Corrigindo: Scarlet nexus saiu no gamepass após 3 meses.

HENNAN SANTOS CARVALHO
HENNAN SANTOS CARVALHO
Responder a  Mário Armão Ferreira
30 dias atrás

Foi mal. Um é quando utilizo o pc e o outro o celular.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Hennan
30 dias atrás

Economia? Confia? Pc é onde se mais gasta dinheiro. Tudo fica defasado em meses. Boa sorte em manter uma máquina atual. Prefiro pagar 300,00 em jogo lançamento de console do que 50 em Pc. O valor do hardware é caro e aí que consoles se sobressaem. Mas boa sorte, em 5 anos com um PC, tentando acompanhar lançamentos pra jogar num nível bom, tenho certeza que vc ficará arrependido.

HENNAN SANTOS CARVALHO
HENNAN SANTOS CARVALHO
Responder a  Sparrow81
30 dias atrás

Isso passa longe de ser verdade. Única coisa que precisa de upgrade é gpu. O resto praticamente não terá evolução significativa. E mesmo gpu está cada vez mais dificil apresentar evolução relevante. Uma 1080 dura bem até hoje.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  HENNAN SANTOS CARVALHO
30 dias atrás

Hã? Única coisa que precisa de upgrade é gpu? Boa sorte no Pc, amigo. Você faz menos ideia do que é manter um PC do que eu imaginava.

HENNAN SANTOS CARVALHO
HENNAN SANTOS CARVALHO
Responder a  Sparrow81
30 dias atrás

Concordamos em discorda.

Juca
Juca
Responder a  Carlos Eduardo
30 dias atrás

O problema é que consoles não custam 500 reais, a situação do brasileiro é a pior possível pra você vir fazer essas comparações, melhor usar os ingleses mesmo, pois no Brasil é preço dolarizado e salário desvalorizado, nem faz sentido falar em console aqui como algo barato o suficiente… Mas quem sabe chega a um ponto da MS dar o console só pra prender consumidor com mensalidade?!?!

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Juca
30 dias atrás

O objetivo da minha comparação foi apenas mostrar que quanto mais acessível é um produto, menor é a tendência das pessoas se importarem com exclusividade. O exemplo dos 500 reais foi apenas didático. Imagina alguém se contorcendo porque um conteúdo exclusivo do Netflix foi posteriormente para o Amazon Prime. Pouquíssimas pessoas vão se importar com isso, porque são dois produtos bastante acessíveis ao grande público.

Nunca podemos nos esquecer de que nós somos entusiastas, e isso é uma bolha bastante pequena perto dos 104 milhões de assinantes ativos.

Juca
Juca
Responder a  Carlos Eduardo
29 dias atrás

Você tem alguma razão, em um um público de massa que já não liga pra exclusividade e só quem acesso a qualquer jogo. Obviamente que preço melhor oportuniza qualquer coisa, mas veja, no geral os serviço que mantenho aqui em casa não são os mais baratos, estou com DirectvGo e Netflix, enquanto não assino o Prime, que é mais acessível. Mas lógico, com melhores preços, mais gente estará a arriscar experimentar e tem mais potencial de ganhar adeptos. Pra mim, o que quero é um conteúdo ou modelo mais do meu agrado. Saí da TV convencional pelo preço, mas assinei serviço similar pelo mesmo modelo mais barato (guia de canais em tempo real) que ainda prefiro. Netflix está assinado aqui apenas pra manter opção, porque sinceramente faço muito pouco uso e por vezes me pergunto porque ainda mantenho a assinatura. Pouca coisa se salvou pra mim com The Witcher, You e conteúdo diferenciado… no fim, acho que só a mantenho (Netflix) mesmo porque se tem acesso a filmes europeus e orientais algo que dá algum diferencial.
Prime aqui, só quando compensa no frete de compra de produtos, o que tinha por lá que tive algum interesse já assisti tipo The Boys, Tales From The Loop e o Invencible (ou seja exclusivos ainda).

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Juca
29 dias atrás

Sim, o meu raciocínio é sobre as massas, e não sobre o meu gosto pessoal de entusiasta.

Obrigado pelo comentário, acrescentou bastante.

Abraço mano.

AlterX
AlterX
Responder a  HENNAN SANTOS CARVALHO
30 dias atrás

Claro que as vendas no PC vão ser baixar
Só ficam lançando um joguinho ou outro, tem que lançar tudo do PS4 logo
E já partir para os de PS5 se quiser aumentar essa fatia

Juca
Juca
Responder a  AlterX
30 dias atrás

Que desculpa… A Sony lança de um por um nos PS e tem enorme venda… Em 2 semanas o primeiro horizon vendeu mais de 2mi (mil milhões) de cópias, no PC com base dita 10x e por um valor 10 dólares/euros mais barato vendeu 700 mil no 1o mês, nem tem comparação.

Juca
Juca
Responder a  Mário Armão Ferreira
29 dias atrás

Verdade, Mário, me confundi na regra dos biliões europeus!

error: Conteúdo protegido