PRO EVOLUTION SOCCER 2009 ou FIFA 2009 Qual escolher?

Uma FIFIA de PES?

Para ser sincero, não ponderava escrever este artigo! A tudo correr naturalmente, tal como vem sendo uma realidade há já vários anos, o Pro Evolution Soccer iria surgir naturalmente como o jogo de eleição. No entanto, este ano estamos perante dados novos, pois reconhecidamente a versão 2009 do FIFA é a melhor de sempre, com melhorias significativas. Para além do mais, e igualmente de forma reconhecida, a versão 2008 do PES foi talvez a pior dos últimos anos, sendo que a equipa de desenvolvimento parece ter tido alguma dificuldade em transportar o jogo para as máquinas de nova geração. Efectivamente, o PES 2008 trouxe para a nova geração o motor das versões 128 bits, com dificuldades notórias na adaptação gráfica às potencialidades das novas consolas, bem como um estilo de jogo demasiadamente alterado face às versões anteriores que não caiu bem nos jogadores por ser demasiadamente rápido.

Dessa forma, o FIFA 2008 havia já conseguido recuperar muito do distanciamento que possuía do PES, por isso surgia a dúvida se a versão 2009, ao ser a melhor de sempre, o alcançaria.


PES 2009

FIFA 2009

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Falando exclusivamente da versão PS3, tive oportunidade de fazer o download da demo faz já cerca de 3 semanas, ou mesmo mais, e o que vi impressionou-me. Graficamente, o FIFA 2009 é efectivamente o melhor de sempre. As modelações dos jogadores estão extraordinárias, se bem que tal como vem sendo habitual, apenas podemos contar com esse realismo nos jogadores mais conhecidos internacionalmente, O jogo apresenta jogos de luz extraordinários, com o relvado a apresentar sombras do estádio e as sombras dos jogadores adequadas à posição dos focos de luz, movimentos dos jogadores ultra realistas (não fora o facto de terem sido contratados jogadores profissionais para se poder capturar os seus movimentos), uma física de bola muito melhorada, podendo o mesmo ser dito das movimentações das equipas e posicionamento dos jogadores em campo. Um dos grandes defeitos que sempre encontrei no FIFA, o síndroma PORRADA NELE, quando o jogador se encontrava com a bola na entrada da área, em que a defesa nos caía em cima com golpes de karaté (leia-se: de carrinho), está completamente eliminado. Agora tudo se movimenta de forma bem mais natural, existindo espaços na zona da área, sem que contudo as defesas se mostrem menos capazes ou permissivas, algo que o PES sempre conseguiu.

Acresceu a tudo isto, uns menus extremamente bem concebidos e especialmente bem implementados. Efectivamente quando o jogo entra, já estamos em campo. Um relvado de treinos com um jogador, uma bola e um guarda-redes, que permitem ao jogador ir-se habituando aos comandos e ao controle da bola. Fantástica é a transição para o jogo, pois em vez do tradicional ecrã estático com o texto de LOADING, continuamos a treinar nesse campo, que subitamente muda para o estádio onde se disputará o desafio, com a respectiva mudança gráfica e sonora (relativa ao ambiente gerado pelo público). Em todos os aspectos que pude verificar, FIFA 2009 é efectivamente o melhor FIFA de sempre!

Havia apenas um senão! Pessoalmente sempre preferi o PES. E apesar de tudo o que vi, a jogabilidade (e apenas isso), apesar de excelente, ainda está uns pontos abaixo do PES que sempre conheci na PS2 (se bem que já se pode referir sem receios que são muito, muito poucos).

Faltava-me apenas saber o que PES 2009 teria para oferecer. Apesar de as demos terem sido prometidas para serem lançadas na mesma data, tal não aconteceu e apenas na passada quinta-feira (dia 2 de Outubro) a mesma foi disponibilizada, o que impediu a comparação imediata.

No entanto, tive oportunidade de ir lendo o que diziam os jogadores mais habituados a estes jogos nos fóruns, e apesar dos elogios que todos davam ao FIFA por reconhecerem que praticamente acabou com o fosso que o distanciava do PES, todos depositavam grandes esperanças no PES 2009, por acreditarem que esta nova versão, de um jogo que sempre dominou o mercado dos jogos de futebol, alargaria novamente o espaço para o FIFA com a versão 2009.

Tal contudo não parecia ser o caso. As análises que tive oportunidade de ver vindas de algumas revistas que tiveram acesso prematuro a ambas as versões reconheciam o FIFA 2009 como o melhor de sempre dando-lhe uma nota de 90%. Ao PES acrescentavam criticas de não ter melhorado como esperado, mas que, apesar de tudo, ainda acabava por ser superior ao FIFA, atribuindo-lhe uma nota de 92%.

Baseado apenas nestes factos, sendo jogador de PES, e verificando que apesar de por margem reduzida, o PES ainda saia vencedor deste duelo, fiz a pré-reserva do PES 2009.

Isto antes de ter acesso à demo do PES no dia 2 de Outubro!

Assim que fiz o download da mesma fiquei decepcionado com o que vi!

Como é possível que alguém no seu perfeito juízo possa dar melhor nota ao PES do que ao FIFA?

Vamos ver aqui alguns dos pontos que encontrei como diferença, e que quer se queira quer não, fazem toda a diferença do mundo ao se tentar transmitir um ambiente realista de um jogo de futebol (recordo que me estou a referir às versões PS3 e a impressões retiradas da DEMO, bem como a dados já divulgados pelos programadores, como os licenciamentos):

FIFA 2009 PES 2009 Vencedor

Full Screen anti-aliasing

(Dá mais realismo à imagem não se percebendo os pixels)

Sem qualquer tratamento (Quer se queira quer não, e apesar da resolução, os pixeis estão presentes e notam-se) FIFA 2009

Luzes dinâmicas

(O corpo dos jogadores cria sombras sobre outros jogadores e eles próprios. O corpo dos jogadores possui zonas iluminadas e de penumbra conforme a luz.

As sombras dos jogadores são meramente estéticas não caindo sobre os outros jogadores ou o próprio corpo. Apesar da falta das sombras dinâmicas, o corpo dos jogadores possui zonas iluminadas e de penumbra, conforme a luz. FIFA 2009

Equipas licenciadas e com os nomes reais dos jogadores.

(Jogar com equipas nossas conhecidas torna-se mais realista)

Apenas as equipas presentes na liga dos campeões possuem os nomes reais.

(isso quer dizer, por exemplo, que no atlético de madrid teremos um Sabão Sarbosa em vez de um Simão Sabrosa)

FIFA 2009

Menus dinâmicos inovadores e interactivos.

(começamos num campo de treinos onde nos habituaremos à bola)

Os menus tradicionais de sempre. FIFA 2009

Movimentos realistas obtidos por motion capture.

(Os jogadores movem-se realisticamente. Efectivamente parecem pessoas no campo, com todos os seus movimentos a parecerem realistas)

Movimentos robóticos, demasiadamente rígidos e pouco realistas, notando-se inclusive os encaixes das diversas animações.

(Esta situação em alta definição torna-se por demais evidente. Uma mudança súbdita de direcção é por demais ridícula. As repetições vistas de costas mostram um jogador rígido na zona das costas, onde apenas os braços e as pernas se movem. Curiosamente até a minha esposa que nada liga a jogos ao ver a demo, e tendo já visto a do FIFA, reparou nisso questionando-me se aquele era o jogo que já me tinha visto jogar, porque antes parecia estar a ver futebol e ali pareciam uns robots)

FIFA 2009

Jogabilidade realística

(Passes em profundidade, desmarcações, fintas, bolas por entre as pernas, reacções dos jogadores contacto físico, etc)

Jogabilidade realística

(igual ao FIFA, mas um bocadinho melhor. No entanto, se o FIFA toma em conta o físico e estatura de cada jogador no contacto físico, aqui todos são iguais)

PES 2009
Comentários em Português ou Inglês. Comentários em Inglês. FIFA 2009

Modelações dos principais jogadores feita de forma realista.

(Na demo, Ricardo Carvalho, Pepe e outros estavam impecavelmente bem modelados)

Modelações dos principais jogadores feita de forma realista.

(Na demo Cristiano Ronaldo e Rooney entre outros estavam impecavelmente modelados). As texturas usadas nas peles deixam contudo algo a desejar (Cristiano Ronaldo parece meio mulato?). Há menos jogadores modelados com esta qualidade do que no FIFA 2009.

FIFA 2009

PES – Jogadores Sombreados (zonas de penumbra)

FIFA – Jogadores com Sombras (sombra do braço e cabeça caem sobre o próprio corpo)

Apesar de ter consciência de muitos dos defeitos do PES, como a falta de licenciamentos, apostei que a sua jogabilidade superasse tudo isso. E mesmo sabendo pelas análises que actualmente a superioridade do jogo é mínima face ao FIFA, a nota de 92% face aos 90% do FIFA ainda me deu algum alento.

Mas face ao que vi, não consigo perceber a vantagem do PES.

É uma realidade, provada e mais do que provada pela Wii, que os gráficos não são dos pontos mais importantes para que se possa ter um bom jogo. E efectivamente reconheço que a nível de jogabilidade o PES 2009 ainda se mantêm uns furos acima do FIFA, apesar de serem actualmente muito poucos, quase se podendo actualmente dizer que os jogos oferecem dinâmicas de jogo diferentes, sendo ambas excelentes, mas tudo o resto no PES deixa a desejar tremendamente.

Estamos a falar de versões PS3 e não Wii ou PS2, e apesar de os gráficos serem secundários, eles contribuem (e de que forma) para o realismo global. Quem tem uma PS3 quer bons jogos, e sem dúvida a jogabilidade é o ponto essencial, mas se houver outro que ofereça uma jogabilidade praticamente ao mesmo nível, mas que complete o jogo ao nível do realismo gráfico e sonoro de uma forma bem mais eficaz, qual se revelará superior?

Aqui não haja dúvidas, apesar de o FIFA 2009 se encontrar uns pontinhos abaixo do PES a nível da jogabilidade (e esta é uma afirmação minha que sempre fui jogador de PES e como tal ainda prefiro a sua mecânica), tudo o resto é de tal forma superior que não se entende como os sites da especialidade, tão críticos em todos estes aspectos possam dar pior nota ao FIFA.

O ano de 2008 foi muito polémico no tocante às análises das revistas e sites dedicados, pois por mais do que uma vez vieram a público situações de escândalos derivadas de notas atribuídas a jogos, inferiores àquelas que as editoras “pagaram” para ter. E note-se aqui que o pagaram está entre aspas, pois não foi um pagamento directo, mas sim feito através de publicidade colocada no local. Um bom exemplo deu-se com o Gamespot e a review do Kane and Lynch, onde quem o analisou foi inclusive despedido por ter dado uma nota baixa a um jogo que ali tinha gasto uns largos milhares de dólares em publicidade. Vendo pelos meus próprios olhos o que os jogos oferecem (felizmente as demos estão disponíveis para todos os sistemas e cada um pode julgar por si, não dependendo assim das opiniões de terceiros, incluindo a minha), cada vez mais me convenço que onde há publicidade as análises podem não ser fiáveis.

Será talvez de questionar se isto não se estará a passar com o PES 2009? Não deveriam os responsáveis pelas análises alhear-se das publicidades dos jogos? Vi recentemente imagens da MY GAMES na publicidade do PES. Se é assim quem garante aos utilizadores que a análise foi imparcial, e não influenciada por uns bons milhares de euros e pagamentos publicitários?

Dar uma nota baixa ao jogo está efectivamente fora de questão, mas ter mais do que o FIFA?
Eu aceito que se goste mais da mecânica de jogo do PES. Eu sou um dos que a prefere, mas dai a dizer que a do FIFA é pior, vai um grande passo! Há inclusive quem prefira a mecânica do FIFA, sendo que actualmente as diferenças estão muito dissipadas. E se assim é, sendo o FIFA superior em tudo o resto, como pode então ter nota menor?

O FIFA 2009 é efectivamente uma experiência de nova geração, quer a nível de jogabilidade, grafismo e ambiente sonoro, com animações por esqueleto obtidas por motion-capture e licenciamentos dos diversos campeonatos. Já o PES continua a mostrar-se um jogo PS2 com gráficos melhorados, que apesar de uma mecânica de jogo que ainda se revela um bocadinho melhor que a do FIFA (recordo que esta é a minha opinião), está completamente ultrapassado. As travagens, mudanças de direcção e outras animações são completamente irrealistas, e a movimentação dos jogadores se até passa despercebida quando a câmara se encontra na lateral superior (onde por defeito está em 90% do tempo), quando analisada por outros ângulos de câmara tornam-se por demais ridículas com um tronco rígido onde apenas as pernas e os braços se mexem. É que se tal na PS2 passava despercebido, na PS3 é por demais evidente, ao ponto de uma pessoa que nada liga a jogos, como é o caso da minha esposa ter estranhado o que viu após ter já visto as animações realistas e fluidas do FIFA!

Acredito seriamente que para quem vá adquirir a versão PS2 ou PSP (a Wii é um caso à parte pela sua jogabilidade alterada), o PES se revele um jogo superior. Estas máquinas não conseguem reproduzir da mesma forma a superioridade gráfica ou de animações do FIFA existente nas consolas de nova geração e como tal a jogabilidade assume-se como sendo o ponto de maior destaque! Mas nas versões XBox 360 e PS3, o PES 2009 fica, no seu global, umas boas milhas atrás do FIFA.

Para quem a experiência global se revela o factor mais importante, a escolha só pode ser uma, FIFA 2009!
Para aqueles que são fanáticos por PES e que preferem a jogabilidade PES que agora, mais do que nunca, pouco se destaca da oferecida pelo FIFA, sobre todos os demais pontos, mesmo que visualmente seja bastante mais arcaico, então o PES é para vocês. Pessoalmente, apesar de sempre ter preferido as versões do PES sobre as FIFA, este ano pedi para mudar a minha pré-reserva para o FIFA 2009, e não me arrependi nada.

Eis dois pontos que me impressionaram que o FIFA apresenta na versão final que não estavam presentes na demo:

  1. Cânticos reais das claques.
  2. Comentários do Helder Conduto e David Carvalho

Avaliando pelos parâmetros normais de um jogo eis as avaliações que daria pelo que foi até ao momento possível comparar-se:

FIFA 2009

PES 2009

Jogabilidade 90% Jogabilidade 92%
Grafismo 94% Grafismo 85%
Sonorização 92% Sonorização 80%
Longevidade 90% Longevidade 88%
Nota final: 92% Nota Final: 86%
Pontos Fortes Pontos Fracos Pontos Fortes Pontos Fracos

– O grande número de licenciamentos e todo o realismo criado em torno do jogo aumentam o prazer de jogar.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

– Graficamente ao nível do que se esperaria de um jogo de nova geração.

– Sons de claques reais e comentários em Português.

– Actualizações online semanais com dados sobre as ultimas transferências e moral dos jogadores.

– Online 10 vs 10

– O jogo jogado ainda não está ao nível do PES.

– Num jogo Porto-Benfica os comentadores referiram-se a um DERBY, e chamaram Sporting ao F.C. Porto.

– A nível de jogo jogado ainda é o melhor jogo de futebol existente, apesar de o ser por muito, muito pouco.

– Graficamente está bom, mas as animações são demasiadamente arcaicas e inaceitáveis nesta geração de consolas. Todo o realismo gráfico conseguido perde-se em animações mecânicas e rígidas que fazem lembrar robots, o que retira igualmente muito do prazer de se jogar.

– Sonorização bastantes furos abaixo da apresentada pelo FIFA.

– Grafismo mais “bruto”, apesar das modelações a nível de qualidade andarem a par das do FIFA, batendo-o mesmo em alguns casos.

– Falta de licenciamento oficial de mais equipas

Nota: estive ontem a jogar mais uma vez os dois jogos, e mais do que nunca fiquei super mal impressionado com o PES. As animações estão péssimas, nota-se o encaixe das mesmas, as transições de movimentos são abruptas, e por vezes as animações são demasiadamente rápidas para parecerem reais. O ponto pior é o som. Para alem de não ser som real das claques, o som do público é repetitivo e chato, parecendo entender-se palavras em Japonês (?). O jogo jogado efectivamente é mais aberto que no FIFA, existindo um pouco mais de espaços, mas qualquer vantagem que pudesse advir dai é perdida por todo o ambiente infantil transmitida pelas animações e som.

Seja como for, nem todos os fãs do PES, após uma década de domínio, parecem dispostos a ceder tão facilmente, apesar de reconhecerem que a série está a entrar em descalabro, sendo que a aceitação do FIFA 2009 como sendo superior não é 100% consensual.

Eis aqui um debate entre o Chris Stead & Mark Serrels, respectivamente o Editor Chefe da Gameplayer (www.gameplayer.com.au), de onde foi retirado e traduzido o mesmo, e o Editor Delegado da revista official da Playstation:

Tão regular como o trabalhar de um relógio, chegou novamente a altura em que os fans de futebol de todo o mundo tem de escolher qual o simulador do seu desporto favorito, FIFA ou Pró Evolution Soccer, vão adquirir. Na maior parte desta última década, a escolha tem sido bastante fácil com o PES da KONAMI a fornecer uma experiência de jogo bastante superior. Mas este ano, a EA e o seu FIFA fizeram grandes melhorias no seu título que abanaram a fé dos mais fanáticos adoradores de PES.

O Editor Chefe da Gameplayer (www.gameplayer.com.au), Chris Stead, um veterano do PES, ainda aprecia os esforços da Konami, apesar de todos os avanços feitos pelo FIFA. O Editor Delegado da revista official da Playstation, Mark Serrels é tambem um jogador de PES de longa data, mas este ano viu no FIFA o seu jogo de escolha. Porque? Leia…

Chris Stead: Eu realmente queria ter gostado do FIFA este ano. Facilmente admitirei ser um GRANDE fã do Pro Evolution Soccer, e simplesmente joguei mais esse jogo do que qualquer outro nesta última década… vezes dez. Mas a Konami tem tratado os fãs como lixo ultimamente. A versão do ultimo ano, o Pro Evolution Soccer 2008 é provavelmente o pior de toda a história da série. Mesmo assim optei por ele. Apesar dos seus gloriosos gráficos, ecrãs cheios de modos de jogo e licenças, a velocidade de jogo do FIFA não me satisfez. E no final isso acaba por ser aquilo que eu realmente desejo, jogar futebol como as melhores estrelas do mundo, e não como as avós das melhores estrelas do mundo. E apesar de o FIFA se ter movido ainda mais para a frente relativamente à versão de 2008, ainda é segundo no compartimento mais importante, a jogabilidade.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Mark Serrels: Qualquer outro ano, concordaria contigo, dar-te-ia uma palmada nas costas e convidar te ia para outro “tempinho de prazer na maquina do Pro Evolution Soccer, compincha”. Se isto fosse 2007 estarias em cima da mosca – O FIFA, apesar de visualmente ser tão atraente como um milhão de euros mergulhados em mel e colados no corpo totalmente nu da Scarlett Johansson’s, não possuía uma jogabilidade ao mesmo nível. Já este ano, a minhoca virou-se meu amigo – As animações do FIFA baseadas na física e o sistema de cálculo de momentos, empurram-no através do Pro Evo até ao primeiro lugar, e sem a vantagem da jogabilidade, o Pro Evo está a “lagar” mais do que a sua merdosa componente online.

Chris Stead: Não haja dúvidas que o FIFA afinou as animações muito bem de forma a fornecer uma experiência mais fluida que todos os jogos anteriores. Em particular fiquei impressionado pela velocidade do primeiro toque, e a física bem aplicada nas colisões. Mas o PES também afinou o jogo de forma doce. O Framerate em particular – uma das minhas maiores frustrações na iteração do ano passado – está agora bem melhorado o que apenas serve para favorecer o já rápido passo da jogabilidade. E os jogadores parecem-se muito menos com sprites, com um look muito mais orgânico, o que lhes dá um toque de realismo, mesmo se em comparação com o FIFA acabar visualmente por se parecer com pasta de puré colada na garganta da Sigourney Weaver.
Podes falar do online e de lamber mel dos mamilos da Johansson o quanto quiseres, mas isso apenas me soa a desculpas para a jogabildiade; sabemos que visualmente é bom, e isso nunca foi um problema. O FIFA é excelente, ninguém se engane, mas o PES é apenas melhor. Quando quero que algo se passe no PES, ela passa-se! No FIFA também se passa, mas apenas uns milésimos de segundo tarde de mais, e isso é suficiente para roubar a um ataque que sai de uma batalha intensa no meio campo a sensação de satisfação. Ainda por cima a I.A ofensiva é fraca.

Mark Serrels: Sigourney Weaver… PTuii. Ok homem das barbas, a coisa do delay eu concordo – mas isso é apenas umas das características do FIFA, e uma maneira perfeita de o distinguir como um jogo menos arcade e como uma experiência muito mais profunda. Dá-nos um segundo para podermos julgar a força do passe, remate ou centro, enquanto no Pro Evo ele assume tudo. Quanto à I.A. estás enganado – Basta jogar o modo Be Pro, para se ter uma ideia de como a I.A do FIFA realmente é boa.
Para ser honesto, acho que se trata apenas de um caso em que os jogadores estão habituados a um certo estilo de videojogo de futebol. Os jogadores habituaram-se a que a I.A deveria fazer certos tipos de decisão que não reflectem necessariamente um jogo de futebol – É apenas a maneira que o Pro Evo sempre fez, e que como tal as pessoas esperam. Assim quando os jogadores passam para o FIFA e os jogadores não fazem as corridas que esperavam deles, não se trata de má I.A, mas apenas de uma I.A diferente. Se é que me faço entender.

Chris Stead: Isso é como dizer que o Manchester United e o Middlesbrough são ambos bons, mas apenas um tipo diferente de bom… pois, não é bem assim. Quando jogo FIFA 09 arranjo sempre maneira de criar uma abertura no meio campo, passar a bola a um ala que se desmarque, e depois centrar para a área, apenas para a encontrar desprovida dos meus atacantes, que presumivelmente estariam mais atrás a contemplar o que iriam fazer com todo o dinheiro dos licenciamentos que a EA lhes deu.
E normalmente é um sarilho só para sair do meio campo, com jogadores a passarem a bola e a ficarem lá a olhar para as estrelas – corre gordo, corre! Eu sei que podes afinar estratégias e a forma como os individuos jogam se fores dedicado o suficiente para dominar tal coisa, mas para que me incomodar se o PES entrega essa inteligência de forma directa. Não é perfeita, mas é melhor.
O teu comentário acerca de estar habituado a um jogo ou ao outro é interessante, especialmente porque admitiste ser um jogador de PES logo no início. Isto contraria imediatamente a tua afirmação. Penso que é correcto dizer-se que se nunca tivesses jogado PES e só tivesses jogado FIFA então amarias este ultimo de forma cega. No entanto, salta de um para o outro, e repete a dose algumas vezes e o feeling do PES – Arcade ou não – acaba por ser de maior diversão.
Eu também não vejo o FIFA a ser mais ou menos arcade que o PES: A sua I.A deita-o muito para baixo. Para não mencionar que os estilos dos jogadores reais não foram mapeados de forma cuidada nos seus representantes virtuais, o que torna diversos planteis de meio campo numa linha genérica de clones. No fim acaba por ser uma questão de perspective. Para mim os melhores jogadores do mundo podem pensar, agir e fazer as coisas por si. Eles não precisam de ter a bola e ir para a Net procurar nos forums por outros que tenham tido a bola naquela situação para saber o que fizeram com ela e repetir a jogada. E não vamos esquecer que esses atrasos destroem o multiplayer.

O modo BE A PRO é distinto do modelo standard de football. Tenho bastante respeito por ele. Penso que a ideia é excelente e penso que é o modo que a EA vê como sendo o futuro da série e a forma de fugir da sombra do PES. De facto o modo LENDA da Konami não chega lá no PES deste ano. Se és um jogador solitário, até pode ser suficiente par ate persuadir para o “Lado Negro”, mas para mim os títulos de desporto permanecem como o ultimo reduto dos jogos de dois-colegas-no-mesmo-sofá que dominaram os anos noventa e por isso a jogabilidade do PES é irresistível.

Mark Serrels: Ok, vamos concordar que discordamos da I.A., mas se queres falar de mecânica de jogo, vamos lá. Controlos – Já falamos disto antes, e tu, mais um par de outros PRO EVO fãs, confessaram me que quando fazem alguns jogos na PS3 ainda usam o RAIO DA D-PAD.

O RAIO DA D-PAD!

Este é o exemplo perfeito de como o Pro Evo está ultrapassado – Mesmo o ISS 64 lançado já há 10 anos tinha melhor domínio de como usar os controlos analógicos, o que mostra que em muitos casos o Pro Evo andou para trás. Aqui está o verdadeiro ponto – Quando estou a jogar FIFA eu sinto que tenho o real controlo do jogador, sem a trampa dos 8 direccionais que devia já ter sido eliminada junto com a SNES. É que se quero correr a um passo moderado e ver as minhas opções como um Riquelme virtual, tenho de parar de mover o analógico completamente.
Mas onde é que estamos? Em 1993? Perdemos alguma Guerra? O stick analógico está lá por alguma razão – controlos mais precisos. Ah e mais uma coisa – O novo sistema de truques do Pro Evo está mapeado na D-PAD, o que quer dizer que para se fazer algum truque temos de parar de nos movimentar, ou reduzir a velocidade para passo de caracol! No FIFA posso escolher o Ronaldo e fazer flip flaps a gosto a toda a velocidade, tal e qual como ele faz. Posso jogar como o C. Ronaldo e fazer aqueles inúteis passos sobre a bola que ele faz (apesar de eu nunca escolher o Ronaldo por ele ser um bebé chorão, mas pronto).

Vês onde quero chegar – mesmo que o PES 2009 tenha uma I.A sem a bola melhor do que o FIFA 09 (o que eu penso não ter), com toda a garantia não possui tão bons controlos.

Chris Stead: Para um jogador, és um grande comediante. Se o D-PAD morreu faz dez anos, porque é que a Microsoft está a redesenhar o seu controlador para o melhorar: e a falar com a Konami ao mesmo tempo. Mas isso é irrelevante. Sou um grande fã da forma como a EA melhorou o uso dos analógicos nos seus títulos, em particular no SKATE e no Fight Night Round 3, mas eu nunca os desejei num jogo do PES.

Vamos falar numa situação standard de futebol. Podes ver um cruzamento a vir para ti no meio do campo e notas que tens um jogador a subir nas alas. Há uma abertura que permite meter a bola neste ala e fazer uma jogada para a área. Estás excitado! No PES podes fazer essa jogada à velocidade que a pensas e depois é com os defesas ver se conseguem descobrir o que se está a pensar para o prevenir. Este é o coração do futebol.

No FIFA vês a mesma situação, mas o jogo executa-a um pouco mais tarde do que tu a pensas e muitas vezes, a possibilidade, a oportunidade, passou só porque o raio da jogabilidade não é rápida o suficiente. E não quero saber se pensas que é mais realista ou não: Não tem piada. É frustrante como o raio e pilha o balanço recompensado entre a defesa e o ataque que o PES consegue. Este, fundamentalmente, tem sido o problema do FIFA à mais de uma década e não há cá nenhuma quantidade de sticks analógicos ou visuais polidos que possam proteger o jogo desta fraqueza.
Talvez apenas queiras apenas vangloriar o teu ego, nobre escocês, tal como o tal bebé chorão de que gostas tanto.

Penso que tens de parar de dividir o jogo em partes supérfluas de forma a tentares passar o facto de que tem um coração fraco. Não adianta teres as latas de cerveja, braços que parecem troncos de árvore e uma cara que espanta uma freira ao ponto desta perder a virgindade só de olhar para ela se o teu coração vai parar antes de acabares o trabalho. Não interessa a quantidade de desodorizantes que metes na merda, vai continuar a cheirar a merda.

Mark Serrels: Ok – Vamos ser metafóricos. Queres falar de gajos musculosos, e pensas no Arnold – Facto?
O Pro Evo is é como o Arnold – Certo, certa vez ele foi Mr. Universo, mas agora tem os biceps de uma empregada de limpeza. Para criar musculo e mantê-lo, tens de os continuar a esforçar até ao limite ou esses músculos vão ficar flácidos. Isso é exactamente o que aconteceu ao Pro Evo – Não mudou, e deixou-se ir. Tem agora uma grande pança e os bracinhos de uma colegial.

O FIFA por sua vez tem estado a escalar para o topo. Nunca parou de puxar e nunca parou de se esforçar para o seu objectivo. Dizes que o FIFA sempre teve um coração fraco na sua jogabilidade – Mas isso simplesmente não é verdade. O FIFA nunca foi merda. Apenas não era tão bom como o Pro Evo.

Mas agora é!

Da mesma forma não estou a dizer que o Pro Evo é merda – Nem de longe nem de perto – pelo contrário, a nível de jogabilidade é mais apertado do que o rabo do pato proverbial (mas ainda penso que o FIFA está acima). Em termos de valores de produção, a coesão de todo o pacote do FIFA 09, deixa o Pro Evo abandonado a flutuar. Pode competir em termos de mecânica de jogo, mas em todas as restantes áreas nem chega a haver competição.

Chris Stead: Sim, tens razão de certa forma. O PES deixou-se ir e esse é o motivo porque tanto desejo que o FIFA se torne um jogo melhor. Também concordo que o jogo nunca foi merda ou sequer perto disso, apenas que, relativamente ao PES a jogabilidade é fraca. Talvez estejamos apenas a olhar para experiências diferentes. Eu quero uma jogabilidade a passo rápido onde possa sentar-me por 40 minutos com um amigo e enterrar-me numa batalha suculenta a meio campo com uma experiência que me dê emoções altas e baixas devastadoras. Quero olhar para o Ronaldinho com o rabo bem replicado nos menus do ecrã. Não que haja algo de mal nisso…

Mas agora a sério: como pacote o FIFA é um grande jogo e estou muito impressionado com ele. De facto já passei algum tempo considerável no modo Be a Pro e apesar de não ser a minha chávena de chã posso ver a atracção da A-League. Mas quando um colega chega a casa e as cervejas estão a postos a fraqueza do FIFA vai fazer com que o serão seja passado com o PES por mais um ano. E essa é a barreira enterrada que a EA sempre quis saltar e falhou.

Mark Serrels: Reconheço – em muitas formas o Pro Evo é mais satisfatório em multijogadorr, mas por outro lado o FIFA tem visuais muito superiores – e a inclusão da A-League – atrai os jogadores casuais e consigo ver alguns dos meus companheiros a afastarem-se do Pro Evo por essa razão. Tal como muitos franchises anteriores (Tony Hawks, Tomb Raider, etc), o Pro Evo tem de evoluir.

Todos os anos da nova geração é-nos prometido algo mais do que uma versão “upscaled” da PS2, e de todas as vezes desapontaram-nos. Nestas circunstãncias era apenas uma questão de tempo até o FIFA apanhar, e de muitas maneiras estou contente – estou contente que me possa afastar do péssimo tratamento que os fãs de futebol tem recebido da Konami e mesmo assim poder dizer que estou a jogar um jogo superior.

Demorou um largo tempo, mas o FIFA é agora o maior jogo de futebol do planeta.

Chris Stead: Este ano, eu e muitos dos meus colegas de PES quisemos que o FIFA melhorasse. A Konami fez pouco para merecer a nossa lealdade ultimamente. Mas, de olhos no chão, sou forçado a segui-los pelos caminhos do velho PES e a sua maravilhosa jogabilidade. Dai que na matéria de chutar a Konami no rabo e dar elogios à EA, ambos podemos concordar. No final parece que somos é estragados pela possibilidade de escolha e isso não pode ser mau.

Publicidade

Posts Relacionados