Realidade Virtual… Que problemas terá e qual o seu futuro?

ProjectMorpheus3

A realidade virtual é algo fascinante, mas algo que, em caso de abuso, poderá vir a causar sérios problemas visuais. E já há alertas médicos nesse sentido!

O uso de sistemas informáticos deve ser comedido, e feito com pausas, evitando-se sessões de largas horas sob pena de tal poder vir a causar problemas de ossos devido a más posturas, problemas visuais devido à má lubrificação dada aos olhos e excessos de variações de luz causada pela má iluminação do local, bem como outros problemas. Mas isso como sabemos faz apenas parte das situações de recomendação que se colocam nos papeis/manuais, sendo que essas práticas não são depois seguidas pela maior parte dos utilizadores.

E com a realidade virtual acontecera o mesmo! Por muito que se venham a fazer recomendações de uso, poucos serão os que as seguirão, e os abusos serã, mais uma vez, algo natural. Daí que até ao aparecimento de diversas doenças relacionadas com o uso da tecnologia, não demorará muito. E esse sempre foi um dos motivos pelos quais nunca nunca nos mostramos muito entusiasmados com a realidade cirtual que, apesar de reconhecermos como extremamente interessante, envolvente e uma experiência inovadora e única, sempre encaramos como uma mera curiosidade e um gadget engraçado.

E os alertas médicos nesse sentido começam a chegar. Neste caso pelo médico britânico, Dr. David Allamby que vem dar a conhecer que os seus estudos sobre a realidade virtual revelam que a mesma pode condenar uma geração à miopia e ao síndrome do olho seco.

Este médico é Director da clínica oftalmológica Focus situada em Londres, e em entrevista ao Jornal britânico, Mirror, refere:

Estamos prestes a assistir a um boom de sérios problemas de visão.


Tanto os pais como os mais novos precisam de conhecer os riscos. Com a realidade virtual vamos ver muito mais pessoas a sofrer de fraca exposição solar – algo que afeta a forma como os olhos crescem e que pode levar à miopia e, consequentemente, à agravação da mesma”

A proximidade dos ecrãs aos olhos durante longos períodos de tempo pode levar a problemas de tensão ocular ou problemas neurológicos e isso precisa de ser compreendido.

As suas afirmações são sustentadas por um estudo da Universidade da Califórnia que recentemente provou que as experiências virtuais podem ser graves ao ponto de causar o “desligar” de vários neurónios. E relatos de pessoas que vomitaram pouco depois de usarem uns óculos, são bastante.

Como recomendação para minimizar danos, este médico recomenda que se “passe mais tempo sob a luz natural” uma vez que desta forma o olho produz dopamina, uma substância que ajuda as nossas células “a falar umas com as outras“.

A questão é que estas recomendações cairão certamente, mais uma vez em saco roto. E numa juventude que já abusa tremendamente dos olhos com tablets, smartphones e computadores, os problemas serão céleres a aparecer.

Daí que por este motivo não nos quer parecer que a realidade virtual, por muito interessante que seja, e independentemente da loucura inicial, venha a longo prazo a ter o sucesso esperado, estando condenada a ser um mero gadget tecnológico de elevado interesse.

Como mera curiosidade, e batendo certo com os dados do estudo, o Gamesradar não analisou o Driveclub Vr, e o motivo foi: Todos os seus redactores que o experimentaram ficaram com vontade de vomitar.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (7)

  1. Eu tenho muita curiosidade de experimentar os Óculos VR, não tive essa oportunidade, mas eu sempre tive um feeling de que é uma coisa que não é muito natural e deve causar algum problema fora os obvios de orientação, o cérebro recebe aquela informação visual, mas o tato e ouvido interno não percebe aceleração, pra mim que já tive sérios episódios de labirintite, não sei qual poderá ser o resultado. Mas imagino que assistir a um filme com eles deva ser muito interessante, pra jogos não me interesso. Acredito que estamos diante de um novo Kinect, porém, o Kinect parece nunca ter tido o mesmo entusiasmo ou resultados realmente surpreendente como está acontecendo agora. E muita é a curiosidade em saber se ele terá algum êxito, mesmo que relegado a produto de nicho e não algo popular, estou pra ver, e não ousaria apostar no resultado disso. Certas coisas são imprevisíveis, porém o feeling negativo persiste. Espero estar errado.

    • Exito terá… especialmente nesta fase onde as pessoas estão iludidas com o uso do mesmo. Mas quando perceberem que o uso que lhe dão terá de ser muito comedido, não sei que interesse continuará a coisa a ter.

      Por exemplo, posso-te dizer que eu adoro ver os filmes a 3D. Todas as minhas Tvs são 3D. Mas mesmo com isso compro sempre os filmes a 3D+2D, e visualizo-os mais vezes a 2D do que a 3D.
      A questão é que o 3D é falso. Não é real. E dou comigo a focar com os olhos os objectos a profundidades diferentes. Ora essa focagem é ilusória pois na realidade tudo está no mesmo plano, e como tal a focagem não funciona. E passado um pouco o meu cérebro apercebe-se disso e deixa de fazer essa focagem de forma consciente.
      Só que quando tiro os óculos tenho depois um novo período de adaptação à realidade, e isso é mau, pois a realidade nunca pode ser confundida com a ilusão.

      Claro que estamos a falar de uma coisa que dura um ou dois segundos, mas mesmo assim.

      Agora neste caso, o resto dos sentidos não acompanharem é que me deixa a pensar se a situação não poderá causar confusões no cérebro que possam levar a problemas até agora desconhecidos.

      Eu reconheço a qualidade do VR. Acho-o algo fantástico! Mas sinceramente não me estou a ver a usar aquilo para jogar.
      Sinceramente, tal como os comandos da Wii, acho que aquilo vai ter uma fase de loucura, mas depois decai.

      • Minha TV também é 3D, não a comprei por esse motivo, mas pela qualidade dela, confesso que nunca usei esse recurso nela, os Óculos estão apodrecendo na gaveta. No cinema sou obrigado, só deixa o filme mais escuro. A parte que você fala problemas até agora desconhecidos é o que me preocupa. Devem levar um tempo pra aparecer (se acontecer) lembro uma vez de um caso onde várias pessoas tiveram ataques epiléticos em um episódio de Pokémon, por conta de uma rápida progressão de imagens, cores sei lá. Só pra ilustrar um exemplo de efeito inesperado de interação tecno-visual. Kk

  2. Excelente artigo.
    Eu sempre fiquei pensando nesses problemas oculares desses oculos VR,eh Como se Vc estivesse com o olho grudado numa tela de tv!Sempre pensei q esses Vrs Seriam nocivos pros olhos,e posso falar q como os jogos vr estao bem no comeco eles so São demonstracao,o Batman Arkham VR Vc nao pode andar com o batman,so ficar parado atirando bumerangues e apertando botoes

  3. Eu acho que a abrangência da realidade visual vai muito além do games, eu imagino o quanto isso poderá ajudar na educação, na saudê , problemas psicológicos, etc…, isso só está começando, parafraseando uma frase muito dita: Estamos na areia da praia , ainda falta mergulhar no oceano. Eu imagino uma serie como Cosmos feita usando recursos da VR,mal posso esperar.

  4. Acho que o problema de quem comprar o VR é que ele pode acabar se tornando um peso inútil caso o mercado não abrace a causa de vedade. Vendas iniciais sao uma coisa, eu quero ver manter vendas altas daqui a uns 6 meses. Aí da pra saber se vai vingar mesmo.

Os comentarios estao fechados.