Rumor: Especificações da Nintendo Switch são decepcionantes para consola de mesa, muito boas para portátil.

A revelação do hardware (e respectivas especificações) que estará presente na Nintendo Switch, a serem verdade, permitem constatar uma realidade. A consola é uma decepção!

A revelação em um suposto leak das características da Nintendo Switch apontam para uma performance que é pura e simplesmente decepcionante para uma consola de mesa, mas no entanto muito boa para uma portátil. Note-se porém que estes não são dados oficiais!

Começemos pela arquitectura usada no SOC.

Sempre se especulou que a Nintendo Switch fosse equipada com um Tegra X2. Afinal o Tegra X1 já está entre nós desde 2015 e foi usado na consola Android da Nvidia, a Shield. Daí que, sabendo-se que essa consola não estava minimamente ao nível do que de melhor se faz actualmente, esperava-se para esta consola da Nintendo uma actualização de peso no SOC, com a apresentação do X2 ou, no mínimo, uma versão bastante melhorada do X1.

Mas o que este último leak dá a conhecer é que o X1 apresentado será o mesmo de 2015, mantêm os mesmos 20 nm no processo de fabrico (litografia) e continua totalmente baseado na arquitectura Maxwell da Nvidia. As hipóteses de um novo chip mais poderoso usando a arquitectura Pascal ficam, de acordo com estes dados, assim goradas, mesmo que se acredite que o SOC possa ainda ter optimizações personalizadas e desconhecidas baseadas nos novos Pascal da Nvidia.



Note-se que o X1 foi o último produto criado com a arquitectura Maxwell e como tal possuía já em 2015 muitas características da Pascal, sendo que, no entanto, a Nvidia nunca foi muito reveladora das suas especificações. Isso quer dizer que podemos vir a ter surpresas que na realidade não são novidade nenhuma mas apenas o conhecimento da introdução de alguma da tecnologia Pascal no Maxwell, que esteve desde sempre presente neste chip, mas que só se virá a conhecer agora! Infelizmente, mesmo com melhorias, é certo e sabido que a arquitectura Maxwell tem problemas sérios com o uso do GPGPU, uma situação que só foi corrigida na arquitectura Pascal, pelo que um bom GPGPU, que poderia ajudar a subir performances, parece fora de hipóteses.

O leak acima referido foi revelado pela VentureBeat e veio dar a conhecer aquilo que se afirma ser o hardware da Switch. Curiosamente este bate certo com as especificações já anteriormente avançadas pela Eurogamer em Abril e que se baseavam em algumas especificações referidas num leak que partiu do Twitter. Eis as mesmas:



Posts Relacionados