Ryzen 2700u faz-nos pensar sobre uma versão portátil das actuais consolas

O Ryzen 2700u da AMD é uma solução de baixo consumo e alta performance. Trata-se de um APU com CPUs Zen de 4 núcleos e um GPU Vega com 10 CU, de baixo consumo e com características que fazem criar esperanças de uma versão portátil das atuais consolas .

Olhar para as especificações do Ryzen 2700u faz-nos sonhar com versões portáteis das actuais consolas!

Trata-se de um APU AMD de baixo consumo e elevadas performances. Possui um CPU Zen que corre a 2.2 Ghz, podendo atingir um máximo de 3.8 Ghz. É um APU com CPU de 4 núcleos, com 8 threads, com um TDP que varia entre os 12 e os 25 Watts. A nível gráfico possui um GPU Vega com 10 CUs, correndo a 1300 Mhz, o que lhe garante 1.66 Tflops de performance.

Naturalmente este é um APU que só por si se poderia adequar perfeitamente a uma XBox One portátil, sendo no entanto insuficiente para uma PS4, para a qual necessitaria de 1,84 Tflops.

Seja como for, este é um APU que nos guarda algumas surpresas, sendo que a primeira é que ele está executado numa litografia de 14 nm, e que poderia perfeitamente, ao ser passado para 7 nm, obter a performance adicional necessária para permitir executar jogos PS4!



Um outro senão é que o APU tem uma gama de consumos que nos seus extremos mais altos é pouco ideal para uma consola. Apesar de ser um consumo de pico, 25 watts é algo exagerado, e vemos pela Switch, com a sua bateria de 3,7 Volts e 44310mAh que o seu consumo anda perto dos 15,9 Watts. Subir este valor obrigaria a uma bateria de elevada capacidade e grandes dimensões.

Seja como for, não só a passagem para 7 nm poderia ajudar com essa situação, como a realidade é que este é um APU optimizado para trabalhar numa gama de consumos que se enquadra nos valores da Switch pois ele foi optimizado para trabalhar com 15 Watts de consumo!



Eis alguns benchmarks deste APU.

Apesar de os benchmarks poderem parecer algo decepcionantes, convêm perceber que são benchmarks PC, ou seja, sem as optimizações de consolas. Seja como for o mais relevante neste APU não é o APU em si, que não acreditarmos sequer que seja o mais adequado para poder ser usado em consolas, mas sim a tecnologia que ele demonstra existir, e que poderia perfeitamente permitir que uma solução criada especialmente a pensar nas consolas fosse pensada.

Mesmo que tal situação obrigasse a patches nos jogos para correrem a 900p em modo portátil, o facto é que a existência de chips com esta potência e consumo, bem como o aparecimento de soluções de armazenamento com capacidades de 1 TB a preços acessíveis, podem permitir efectivamente que se pense em colocar as actuais consolas em modelos portáteis.

No entanto há ainda alguns entraves, e eles prendem-se com larguras de banda da memória RAM. Infelizmente as LPDDR4 não fornecem a largura de banda de uma GDDR5, e esta última tem consumos energéticos elevados. Esse poderá atualmente ser o entrave a uma consola portátil, mas o certo é que estamos mais perto delas do que nunca. E quem sabe a HBM não poderá ser a solução.

 



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Fico pensando é se a Sony irá se aventurar em lançar um sucessor do Vita ou mesmo um novo conceito de portátil.

Eu aceitaria algo com a capacidade de Xbox One tranquilamente num portátil, já dá pra se fazer muita coisa.
Mas deveriam no meu ponto de vista, criar jogos não só buscando os consoles de mesa, mas sim principalmente, experiências diferenciadas pra um portátil, que como a Nintendo prova, não precisa de fotorrealismo pra ser divertido.
De qualquer forma, é um investimento de alto risco. E deveriam definitivamente abandonar as práticas ruins que mataram o Vita, embora várias pessoas ainda tenham elogios pra ele, acabou sendo um flop, que espero eu, não tenha enterrado a coragem da Sony nesse ramo.

Edson Romagna
Visitante
Edson Romagna

Mário, não teria condição de existir um ps5 portátil rodando em 720P?