Shuhei Yoshida refere que pára para admirar os gráficos de Ghost of Tsushima

Shuhei Yoshida considera que o grafismo do jogo é de tal maneira belo que reconhece que muitas vezes pára para o admirar.

Uma coisa certamente saltou à vista de todos os que tiveram a oportunidade de ver o trailer de Ghost of Tsushima na E3 2018. O grafismo é belo… de tal forma bela, que muitos questionaram se o que viam não seria já uma versão da PS5 do jogo.

A Sucker Punch, criadora do jogo, é de louvar  pela forma como conseguiu explorar o grafismo do jogo, levando-o a um nível fabuloso. A qualidade é de tal forma elevada que me arrisco a dizer que o jogo poderá mesmo vir a definir um novo padrão de qualidade na PS4.

Quem tambem está admirado com o grafismo é o Precidente da SIE WWS, Shuhei Yoshida, de tal forma que ele reconhece que pausa muitas vezes para admirar o cenário.

Ghost of Tsushima é espetacular. Estou maravilhado com os gráficos. Quando o jogo, é tão bonito que a minha mão pára. Há muitas cenas que tornam os cenários Japoneses 1.2 vezes mais bonitos.

Para quem não viu o trailer ainda, ei-lo:



 



65 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
bruno
bruno
8 meses atrás

Este foi o jogo que mais me impressionou quando foi anunciado. The Last of Us part II est fantastico e nao duvido nada que marcara um novo standard, nao tanto em graficos, apesar de ja ser um salto sobre o que havia antes, mas pelos sistemas de animacao integrado em combate e mundo que vimos neste trailer.

Mas Ghosts of Tsushima, esse esta outra coisa; a fisica aplicada ao vestuario da personagem principal, a fisica de vegetacao, a distancia no horizonte, iteraccao com objectos… Se eles conseguirem isso a 1080p na PS4 sera o puxar do sistema a um limite nunca antes visto.

José Galvão
José Galvão
Responder a  bruno
8 meses atrás

A mim não me espanta que o jogo tenha estes visuais porque o Infamous Second Son que saiu no início desta geração, já tinha um grafismo impressionante.

bruno
bruno
Responder a  José Galvão
8 meses atrás

Sim, efectivamente. Mas o impressionante, esta no que e demonstrado naquela demo.

A vegetacao a abanar ao vento, ao perto e ao longe, a maneira como os vestuarios da personagem se mexe, e se suja com lama, a reaccao das folhas e das ervas a passagem das personagens. Isto e tudo fisica de GPU e em quantidades enormes (excepto talvez o vestuario da personagem.)

E depois tens a quantidade de detalhe que eles conseguem la meter, nos personagens e ao mesmo tempo conseguir um imenso mundo detalhado e com um enorme depth of field, ao mesmo tempo que usam o GPGPU para quantidades enormes de fisica (pegadas do cavalo, reaccao da lama e da vegetacao a passagem do teu personagem).

Posso estar enganado, mas este titulo devera escrever a forma como se usa o GPGPU.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Eu, por norma, a nao ser que nao seja o meu genero (jogos de desporto), compro os exclusivos Sony. Nao dia 1, e estes nao sei quando os comprarei mas estao na minha lista.

Death Stranding esta a ter um desastre de revelacao, mas parece-me ser na mesma linha do tema do filme Final Fantasy: the spirits within, e so isso ja despertou o meu interesse. Quanto ao jogo em si, confio no Kojima. Acho e que as demonstracoes nao sao suficientes para demonstrar como se joga o jogo.

TLoU esse eu nem tenho duvidas. Sobre violencia, acho muito pior um GTA ou Read Dead Redemption, em que as pessoas tem a liberdade de fazerem o que querem e temos vistos casos no youtube de pessoas que efectivamente precisam de analise psicologica urgente, que TLoU.

Alias, dizer que TLoU e muito violento e tem muito gore e ridiculo nos dias de hoje Esta geracao tivemos The Evil Within 2, Devil May Cry e muitos outros com coisas muito piores e nem um pio se ouviu. Alias, no primeiro tiveste uma das primeiras demos que foi uma mae a esmagar a cabeca do filho na mesa (depois no jogo podes ver o resultado em detalhe). Em RDR2 podes atirar e matar em personagens se te der na telha, sendo bastante grafico na demonstracao das mortes, e ate agora, 0 queixas. Houve um tipo que se divertiu a estourar a cabeca de mulheres e policias apenas porque se estava a divertir e tens isso no youtube. Sem falar nas muitas figuras simpaticas que por la tens. GTA nem comento: e um titulo que celebra criminosos e o crime, a violencia gratuita e ainda o mostra como algo divertido de fazer.

Quem joga isto, vir depois queixar-se da Sony… enfim.
TLoU e violento, mas pelo menos insere essa violencia num contexto emocional que nao so a justifica, como demonstra o peso que isso tem. Isso e algo que nem RDR 2 nem GTA fazem, em que o matar esta inserido como algo divertido.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Em RDR2 tens animais a serem esfolados, pessoas a serem arrastadas e cabeças a explodir se lhe das um tiro.

Onde está a indignação pela violência e gore?

José Galvão
José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

O que é para ti violência gratuita?

José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

É sempre possível fazer as coisas de outra forma usando a criatividade, mas para mim a grande diferença reside no contexto da mesma, a grande maioria dos jogos, e porque não entretenimento em geral, usa a violência como mera ferramenta para espantar e agarrar a audiência mas existem alguns raros exemplos de como se pode usar violência para descrever o mundo e a história, e TLOU é um desses exemplos, o jogo contextualiza devidamente a sua violência e fá-lo desde os momentos iniciais com a cena mais violenta de todo o jogo, a morte da filha de Joel, tens a morte agonizante de uma criança a esvair-se em sangue perante o desespero do pai.
Aqui a cena podia ter sido feita de outra forma, com outro ângulo de câmara com algum trabalho sonoro a cena podia ter o mesmo propósito, mas o efeito não seria o mesmo pois a crueldade da cena manda uma forte mensagem ao jogador de como será o jogo, e mantém essa mensagem de forma consistente ao longo do jogo através da mestria da sua narrativa, contextualizando a sua violência uma vez que é um mundo em ruina extremamente violento e onde a sobrevivência é o factor predominante, é um jogo cru acerca de uma realidade crua e dentro de um contexto.
Elie, que é uma criança, a dada altura é uma autêntica máquina de matar, condenável?
Sim e não, primeiro porque o jogo tem o cuidado de mostrar Elie visivelmente transtornada com a sua primeira kill, mesmo que para salvar a vida de Joel, segundo, fá-lo por uma questão de sobrevivência.

Já um jogo como Rage 2 por exemplo, usa todas as formas e feitios para matar, isso sim é violência gratuita, TLOU é muito violento sim mas justifica essa violência, isso não quer dizer que os teus argumentos não sejam válidos, é uma questão que tens para com o jogo e que te causa incomodo assim como a mim me incomoda a agenda LGBT que é introduzida no jogo sem qualquer contexto pois não gosto de politica nos meus videojogos só porque o diretor do jogo é um confesso activista, tanto o teu incomodo como o meu são perfeitamente legitimos e até sou da opinião de que a violência gratuita e as agendas politicas estão a empobrecer o entretenimento porque mandar uma forte mensagem politica faz correr tinta logo publicidade gratuita e quantos mais litros de sangue e explosões houver mais prende a audiência, e tudo para esconder a fraca substância, o que a meu ver, não é o caso de TLOU.

bruno
bruno
Responder a  José Galvão
8 meses atrás

Desde quando a agenda LGBT e politica, ou sequer forcada?

Limitaram-se a criar uma personagem, a Ellie, que e homossexual. Ter uma personagem homossexual num jogo e uma agenda politica forcada?

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Que paragonas?

Desculpa Mario, mas quem ler o que escreveste ate pensa que a ND fez disso fronte e tema para toda a publicidade ao titulo.

Qd a realidade e que nem precisava porque o primeiro titulo foi o sucesso que foi. E a homossexualidade de persongaens e algo presente, mas nem sequer foi o principal ou o primeiro. Era uma informacao background.

Sobre a Ellie, a sua orientacao sexual ficou definida no primeiro titulo, no DLC Left Behind. E nao, nao chamou a atencao precisamente pelo teor, mas antes de tudo pela forma como tudo se desenrolou. No fim eram duas miudas a divertirem-se em lojas de brinquedos num shopping abandonado. Eu recordo-me, na altura em que o DLC chegou, de ter lido sobre a comparacao entre infancia e dureza do universo, ao inves da homossexualidade da personagem.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Vou. A sexualidade em si, nao foi noticia. Sobretudo porque nao foi uma realidade, como bem referes, de hoje. Quem jogou o DLC do original ja o sabia.

A ND tinha perfeita consciencia que so ser TLoU ja era suficiente para que o jogo fosse falado. Esse beijo surgiu no terceiro trailer ao mesmo. Tiveste dois antes com imenso falatorio.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Esse link e uma opiniao de um tipo. Nao e uma noticia, e muito menos uma reaccao ultrajada. E um tipo que nem sei quem e, a querer comecar um assunto que nao existe e nem e sobre o beijo mas sobre o porque de ter sido incluido.

Uma rapida pesquisa pelo Google revela que a maior parte das noticias nem sequer analisou o beijo. E sobre o DLC, nao me recordo de nada, muito menos nos maiores websites.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Mario, mas onde estao as paragonas? O tipo pode ter a opiniao que quiser, mas opinioes nao sao factos! E o que ele diz e que o trailer foi feito para fazer paragonas, mas dai a realmente fazer paragonas vai uma grande distancia!

Evitaram falar ou pura e simplesmente nao acharam nada de mais? E so alguns e que querem o assunto a ser referenciado? Tu dizes que foi feito para chamar a atencao.. mas chamar a atencao de quem?

José Galvão
Responder a  bruno
8 meses atrás

Ter um personagem homossexual num jogo não tem mal algum, da mesma forma que pode ter um negro ou caucasiano, não deixei de gostar do GTA San Andreas porque o personagem era negro, quando é uma escolha natural tudo bem, agora quando é para satisfazer grupos disto ou daquilo, ai sim tenho um ”problema” porque me é ”imposto” os ideais desses grupos que diga-se de passagem, nem sempre praticam o que apregoam.

No caso da ND não estou a atirar para o ar porque apesar de ser o meu dev favorito, é dos devs que mais força esta treta do politicamente correcto, o que me entristece bastante.

Neil Druckman é dos devs mais talentosos do nosso tempo, não é à toa que dirige os projectos do mais reputado estúdio do mundo, o seu talento e engenho para equilibrar de forma perfeita jogabilidade e narrativa fizeram do TLOU uma referência para toda a industria, mas também é um SJW e activista confesso, e é um facto que desde que ele tomou as rédeas da ND que os seus jogo se têm tornado cada vez mais politicamente correctos, satisfazendo a agenda não só de feministas como dos LGBT e existem factos daquilo que estou a dizer, e quando tens o director a dizer isto:

”Uncharted Dev Says Character Diversity Just as Important as Graphics and Gameplay”

e isto:

”Neil Druckmann, creative director of The Last of Us, presents Anita Sarkeesian with Game Developers Choice Ambassador Award”

Ele é fã confesso da mais radical feminista que assentou o pé na industria e que critica qualquer jogo que não tenha uma mulher como protagonista e cujo o único objectivo é sacar dinheiro aos bananas como já o conseguiu fazer para a sua ”causa” e sem pagar ás pessoas que trabalham na fachada a que chama de associação, mas a mim o que mais me espanta é ver pessoas dotadas como o Neil ir na cantiga de ideologas da treta porque o que não falta por ai são pessoas a enriquecer pela ”causa”.

Mas vamos a factos, o Neil trabalha na ND desde Jak 2, após Uncharted 2 foi-lhe dada o cargo de director criativo em TLOU onde de facto tinha algum poder de decisão e foi logo de seguida no DLC Left Behind que surgiu a revelação de que Ellie era gay.
Em Uncharted 4 surge Nadine, uma mulher que dá pancadaria a torto e a direito a tudo e todos preenchendo os requisitos da mulher forte e independente, a filha de Drake era para ser um filho mas assim assegura-se que o futuro da série tem uma mulher como protagonista.
Uncharted Lost Legacy têm duas mulheres como protagonista e adivinha, Cloe e Nadine são ambas gay..
TLOU 2 tem a Ellie numa relação gay assumida no trailer de apresentação da E3 2018 onde o foco foi o beijo, o tal beijo, mais um, e é aquilo que se sabe, portanto há aqui historial, agora se quiseres ver a coisa como uma mera escolha inocente força, a mim parece-me mais uma agenda politica.

Para finalizar, apesar de não gostar deste tipo de agendas de pessoas com uma tremenda lavagem cerebral, procuro sempre não deixar que politicas alheias me estraguem o meu lazer, o meu prazer em desfrutar de um jogo tão bom certamente será o TLOU2.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Pois, mas porque criticar este jogo por fazer isto, quando outros ja viviam de violencia explicita ha anos?

Sobretudo quando a violencia explicita e necessaria dado o contexto do jogo e series de zombies ate na TV e em filmes usam esse tipo de violencia explicita ha decadas?

Para se criticar TLoU tera que se ir criticar Pesadelo em Elm Street, Alien e muitos outros!!

Alias, nao sera cair no politicamente correto sequer criticar o jogo por fazer isso, nesta altura enquanto antes nao se disse nada sobre outros?

bruno
bruno
Responder a  José Galvão
8 meses atrás

Acho que estas a confundir as coisas e nem reparas na enorme contradicao do que escreveste e das tuas posicoes.

Druckman pode defender o que quiser, mas independetemente disso e enquanto escritor e criador, tem direito a contar a sua historia e liberdade para contar a historia que quiser e incluir as personagens que ele quiser. Se reconheces que incluir personagens homossexuais nao tem mal nenhum, e se defendes a liberdade expressao e de contar historias entao e uma contradicao enorme vires referir que a inclusao de uma personagem homossexual como protagonista so e feito para perseguir uma agenda e agradar a grupos. Porque isso e exactamente o mesmo que dizer que ninguem quer contar historias com personagens homossexuais e so o faz se for obrigado ou por outros interesses.

TLoU foi escrito e criado por Druckman. Portanto, nada foi forcado e as escolhas foram todas dele. As personagens sao dele. Ele pode defender o que quiser, mas tu tens 0 fundamentos para o acusar de so perseguir o politicamente correcto, quando ele tem o direito de criar a sua historia e contar o que quiser. Alias, tu acusa-lo disso e precisamente o que retira a liberdade ao criador de criar a sua obra. Acusas a feminista, mas reparaste na tua posicao? Estas a atacar um tipo, e a empresa onde trabalha, porque conta uma historia com uma personagem homossexual e achas que isso so foi feito, nao porque eles assim o quiseram, mas para perseguir uma agenda ou agradar a grupos.

As duas posicoes, sao contraditorias!

Sobre a Ellie, na realidade a sua homossexualidade esta patente na campanha principal. Quando deixam o tipo que armadilhou o bairro onde vive.. a Ellie rouba uma revista – de nus masculinos (o tipo era homossexual). E tu pelos comentarios ja percebes qual a sua orientacao. Foi uma coisa que nao foi explorada na historia principal e que ele incluiu no DLC que mostrou como Ellie foi infectada.

Sobre a Nadine… sem comentarios. A Telma Monteiro, que foi campea de judo e portuguesa, e apenas um caso de uma mulher que se quisesse podia dar cabo de muitos de nos. Personagens femininas que dao cabo de tipos ja as tens ha muito. Lara Croft e um simbolo desta industria. Uncharted incluir uma mulher como principal inimigo que por acaso e mercenaria e perita em combate, tb e perseguir uma agenda feminista?

E onde foste buscar a historia da Cloe e Nadine? No jogo esta bem patente a heterossexualidade de ambas. Sobre a filha/filho de Drake, nao vi onde isso estava, mas mais uma vez – dizeres que mudaram porque foram obrigados, algo que duvido muito que um trabalhador venha dizer, e nao reconheceres a liberdade de quem cria de o fazer.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Caramba, mas de onde veio essa historia da homossexualidade das duas??

Em The Lost Legacy e que nao foi! Tanto que a Nadine foi amante do antagonista do jogo. E ambas falam sobre rapazes a certa altura!

José Galvão
Responder a  bruno
8 meses atrás

@ Bruno
comment image?w=800&h=405

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Já que voce citou a violencia do TLOU 2, imagino como vai ser a choradeira quando ele for lançado, fazendo inclusive o game perder muita nota, hoje em dia querem até que um filme do Rambo não seja violento, tá demais

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Tlou compra certa,tem violência certo mas faz parte do ambiente da história do peso carregado por estas personagens…não considero violência gratuita, se era preciso para contar uma boa historia…não era,mas está lá e ainda bem pois mostra que a humanidade por vezes é bem cruel,não é um jogo de crianças.
Em relação ao jogo do kojima partilho da vossa opinião, a promoção ao jogo não foi boa ainda estou para perceber se aquilo é um uber eats do futuro..😀,é esperar a analise sem spoilers na Pcmanias para ajudar a decidir😀
Ghost espero comprar.

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Vi sim, e o mais novo verei hoje depois do expediente, são épocas distintas, o primeiro de 1982 tem vídeos do público britânico saindo do cinema e reclamando que o filme é violento demais, cada um na sua época, e apesar da extrema violencia, gostei do Rambo 4

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Mas Mario, o que quero dizer é os Rambos dos anos 80 não sairiam do papel se tivessem a mesma violencia do Rambo IV, porém com a evolução, nos filmes e jogos, foi possivel lá em 2008, e Rambo IV pra mim só perde pro primeiro, muito melhor que o 2 e o 3, e como eu disse, lá nos anos 80 reclamavam da violencia também, e a saga TLOUS sem violencia que voce diz ser exagerada não faria sentido nenhum, estamos a falar de pessoas lutando pra sobreviver em um mundo pós apocaliptico

Andrio
Andrio
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Rapaz, o jogo vai ser realmente violento. o troy um tempo desse disse que o pessoal não estaria pronto para o final desse jogo.

Fernando
Fernando
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Não concordo sobre a questão do TLOUS 2, acredito que eles resolveram abraçar o terror nesse game muito mais do que no primeiro, então a violência gratuita é esperada. Vou encarar como um Resident Evil da velha guarda. Percebe-se uma certa pré-disposição para chocar as pessoaa com violência e tema LGBT, mas não vejo problemaa desde que não seja tão forçado. Certamente se forem coisas que se repetem de forma exaustiva e sem contexto, vai ficar chato.
Ja sobre o Death Stranding, é muito arriscado se render a algo somente pelo nome do produtor. O Shinji Mikami era o deus do Survival Horror e nunca mais fez algo ao nivel do Resident Evil, alias ele demorou quase 10 anos para emplacar um jogo apenas bom. Ninguém sabe de verdade o que é o kojima trabalhando toralmente em algo fora de Metal Gear, e o ultimo que ele fez foi fraco e certamente o jogo mais superestimado dessa geração.
Será que as Kojimices, tipo os personagens ridículos que usam mascara de caveira e terno vão funcionar?
Nenhum gameplay mostrado empolgou, tudo foi muito chato e quando o próprio criador diz que começará a ter diversão depois de 2 horas, é óbvio que o melhor é aguardar para ver o que sai.

bruno
bruno
Responder a  Fernando
8 meses atrás

Casos muito distintos, mas nao concord contigo. Porque antes de cascar nos titulos, ha que ver porque falharam.

Shinji Mikami distinguiu-se no survival horror, mas convem nao esquecer que mal ele saiu, RE perdeu identidade. Ele foi o produtor da trilogia original e do Code Veronica, esteve no remake do primeiro e no RE4. Logo a seguir a serie perdeu-se.

Alem de RE esteve envolvido em DinoCrisis (um classico muitos querem de volta), God Hand (sim nao foi dilacerado pela critica, mas era o caso do jogo mau que era viciante) e Vanquish que e frenetico e muito, mas muito dificil, apesar de viciante e sobre o ser bom, acredita que e bom. Eu nao diria que ele demorou para fazer um sucesso, ou sequer que o que ocorreu, ocorreu devido a falta de talento.

Ele esteve fmuito tempo associado a Capcom, tentou duas coisas que nao RE num dos piores periodos da companhia em que um genio das financas se pos a fechar studio e mandar talento embora. Quando teve Liberdade completa, veio The Evil Within que e puro Mikami, com o apoio de uma produtora ocidental, a Betesda, e o jogo e puro survival horror.

Kojima tb criou um dos projectos mais aguardados da geracao, fora Metal Gear… Silent Hills. Esse projecto deu origem a Resi 7 que depois levou a Capcom a acordar para a vida e fazer um Resi decente com o remake do Segundo. E todo o estilo que agora tens nesse jogo e copiado da demo criada pelo Kojima. Falo dos graficos, o estilo sepsia e envelhecido.

Hideo Kojima controlou o destino da saga Metal Gear em mais de 20 anos. Nao ha um unico produtor, ou um unico studio que tenha tido esse sucesso com nenhum titulo. Ao contrario de Mikami, nao esteve limitado financeiramente, nem o arrastaram para outros projectos.

Agora fundou o seu proprio estudio, e tem o apoio de uma das maiores publicadoras mundiais e da melhor tecnologia a disposicao. Portanto, no caso dele, a imaginacao e o limite.

José Galvão
Responder a  Fernando
8 meses atrás

Como já referi acima, o TLOU não tem, pelo menos a meu ver, violência gratuita, agenda LGBT forçada sim, agora violência só porque sim, não, sabes que jogo é que tem violência gratuita e agendas politicas?
Gears 5, um jogo que permite serrar inimigos ao meio mas que tem um problema com tabaco…

Para tua informação, Shinji Mikami quando saiu da Capcom foi para a Platinum Games onde ajudou a fazer alguns dos jogos que tornaram esta produtora numa das mais adoradas na industria, e fez um dos melhores jogos de acção da geração passada, Vanquish, nesta geração criou dois Evil Within que são bons jogos e está a caminho uma nova IP que promete, logo não estou a ver esse jejum de 10 anos até porque ele nem sempre é director pois também acaba por produzir.

Quanto às Kojimices, é graças a elas que tens muitas das mecânicas de gameplay, em particular o stealth nos jogos de hoje, stealth está em tudo o que é jogo de acção e não só e foi Kojima com as suas Kojimices que as idealizou, o homem tem um curriculo impressionante e consistente ao longo da sua carreira, e quando se tem nome como ele tem, é normal e esperado que as pessoas se rendam somente pelo seu nome, os personagens ridiculos com mascara de caveira faz parte de um estilo muito próprio, os seus personagens ridiculos tem mais personalidade e carisma que qualquer coisa que saia de um Gears ou Halo, e sempre com um humor característico, Kojima é alguém que tenta sair fora da caixa num mundo de Gears com mais um numero à frente e um Halo que dispensa a numeração e adedriu ao infinito, e quando se sai do molde e do marasmo a que as pessoas estão habituadas, é tipica a rejeição em favor de mais batata com arroz porque é só isso que sabem comer, mas heis que surge um simulador de Uber Eats com mais personalidade, carisma, mistério e inovação que toda a saga de Gears e Halo juntas e os profetas da desgraça começam logo a vaticinar um flop de proporções épicas só porque não apanham à primeira, nem à segunda nem à terceira do que se trata o jogo, isto porque o jogo não mostra muito de si, porque não se identifica com a era do Gears Pipoca e do Halo Burguer que mostram tudo o que têm para dar nos seus trailers à lá Hollywood.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Duas protagonistas lebiscas nao.. Duas personagens lesbicas que o maximo que fazem e dar um beijo sem nenhum teor sexual.

Bem… ja que Gears veio ao assunto – lagartos e bichos com aspeto humanoide… mas que serras ao meio e diga-se de passagem que e bastante grafico ao mostrar isso, com montens de sangue e as duas metades dos corpos a cairem. E sobre o fotoralismo… os graficos ja avancaram o suficiente.

Isso tb nao e violencia gratuita?

God of War! Tem mortes bastante graficas, e pior um tipo incrivelmente violento a decepar personagens femininas, nudez e tudo o mais. Isto tambem nao deve ser criticado?

Alias, onde esta indignacao quando tiveste demos da E3 de God of War III, em que tiveste uma cabeca a ser arrancada?

Alias, exemplo ainda pior: Mortal Kombat?

Neste o caso chegas a niveis obscenos onde se dao ao trabalho de mostrar como os ossos partem nas fatalities.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Pois mas a diferenca e que nao precisas (mesmo) disso em Gears. E tens no. TLoU precisa dessa violencia pelo tema e pela historia que tem. Em qual destes e que a violencia e gratuita?

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Eu nao disse que nao precisava de violencia, tal como nao tu nao estas a dizer (nem ninguem te acusou disso) que TLoU nao precisa de violencia.

Aqui estamos a discutir se o mostrado em TLoU e violencia gratuita ou nao.

E estamos a discutir o serrar humanoides ao meio em Gears.

E, para te responder, sim um shooter nao necessita de teres uma metralhadora com serra embutida para serrares inimigos ao meio. Gears tem isso, e uma caracteristica que o define, e eu nao estou a dizer que o jogo e mau por isso. mas quem critica violencia gratuita, nao deve ignorar que um shooter nao precisa necessariamente de inimigos a serem cerrados por serras electricas.

Ja num jogo pesado que pretende representar um mundo pos apocaliptico brutal, com zombies devoradores de carne e onde enfrentas outros humanos que deixaram a humanidade de lado, a violencia e parte integrante da historia. Porque anda de maos dadas com o fim da sociedade e com o que es obrigado a fazer. Por isso a violencia de que te queixas esta contextualizada no universo, a representacao do sofrimento humano tem o intuito de incutir em ti emocoes e a sentires o peso do que es obrigado a fazer ou porque o fazes. E um jogo, nao e um filme precisamente porque deixa as accoes nas tuas maos – e uma experiencia interactiva e neste caso quer fazer o jogador sentir o peso da ameaca.

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Pois… mas sera que nao precisava? Tu estas horrorizado, tao horrorizado que criticas o jogo por isso. Afinal o efeito foi conseguido ou nao?

Fernando
Fernando
Responder a  bruno
8 meses atrás

Gears realmente não tem uma estética realista. Tudo é propositalmente desproporcional e um tanto cartunesco. Pessoas não ficam chocadas em ver bonecos que parecem fazer parte de um desenho sendo dilacerados sem qualquer realismo. É outra discussão se essa estética de Gears não foi proposital para não afastar boa parte dos jogadores. Jogos com uma estética mais realista e igual violência certamente acabam atraindo menos público e gears foi criado para ser um jogo de massa, algo bastante abrangente. A escolha da Naughty Dog pela estética de TLOUs2 e com bastante violência é ousada, mas pode acabar afastando algumas pessoas, mas eu gosto que isso seja o total oposto a Uncharted.

Livio
Livio
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

No final das contas o TLoU2 quer impactar assim como foi TLoU, principalmente na morte da filha do Joel , cena que revi ontem e sempre dá aquele negócio estranho, principalmente depois que vc vira pai (ou mãe quem sabe)!

Livio
Livio
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Jogo de guerra tem e deve ter violência. Jogo de sobrevivência em que se vive em uma guerra também deve ter violência.

Na minha opinião os 2 casos devem ter violência, só acho que TLoU2 está chocando mais devido se aproximar da realidade. Como já disse anteriormente, se estivesse em uma guerra na vida real iria ver o mesmo ou até pior.

bruno
bruno
Responder a  Livio
8 meses atrás

Acredita que irias ver pior.

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  José Galvão
8 meses atrás

Só acho que não é preciso atacar Gears e Halo, que são duas grandes obras da industria, pra defender um jogo da Sony

Fernando
Fernando
Responder a  José Galvão
8 meses atrás

Muito curioso, o que mais tem no curriculo do Kojima além do Metal Gear e algumas ajudas e jogos de menor relevancia?

Fernando
Fernando
Responder a  José Galvão
8 meses atrás

@José Galvão

Simulador de uber eats com mais carisma que toda a saga Gears e Halo, muito bem pra falar uma dessas com certeza já jogou o jogo todo.

Esquecendo que Metal Gear é um video game que muita gente conheceu e jogou no PS1 em Japones pulando todas as legendas, e aceitando isso como uma obra de arte baseada em uma grande história, personagens marcantes e que tem um monte de fans por esses motivos, eu fico perplexo ao lembrar da quantidade de pessoas que simplesmente não sabem que Big Boss e Solid Snake são personagens diferentes, ou com aqueles que pensam que jogaram o Metal gear 3 com o Solid Snake.

By-mission
By-mission
8 meses atrás

Gostei do novo Call of duty mas não o vou comprar pois tem tiros demais..

Eu acho muito injusto acusarem Tlou ll ser muito violento… Penso que devem ter jogado outro jogo pois no primeiro Tlou, lá estava toda a violência todo o sofrimento de se sobreviver ao fim dos tempos…

Cabe aqui uma reflexão pois se o jogaram já se esqueceram que em Tlou aquele de 2013, tens de lutar controlando Ellie para não ser violado… Uma garota de 14 anos.

Ou é pouco violenta a parte que Joel tortura os sequestradores de Ellie…

Agora estão aqui a dizer este é violento demasiado e não o vão comprar… Hora o que mudou de 2013 para os dias de hoje foi somente o politicamente correto!
E digo mais se realmente jogaste The Last of Us, tens de saber que será Tloull não será sobre pôneis voadores do infinito arco-íris.

Pois não existe uma sequência de Gran turismo sem carros e nem uma sequência de FIFA sem jogadores de futebol…

By-mission
By-mission
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

E vais ao encontro do que eu disse…90% dos jogos o fazem!

É realmente uma pena estar a olhar por este prisma, o que realmente o chocante foi o trailer não a violência em si.

Imagina o primeiro Tlou uma ip completamente nova a ter como trailer o Joel a torturar os sequestradores de Ellie… Também seria violência gratuita!
Ou melhor o trailer com a cena de Ellie sendo quase violada…
Mas olhe lá vi todas estas cenas e é de longe o melhor jogo que joguei na vida… E que vc também gostou.

Hora jogaste o jogo e entendeste ele fez tudo isto pois estava a tentar salvar, não diminui a violência mas dizer que é gratuita nunca!

E outra olhe na perspectiva do diretor do jogo, tens que justificar o enredo a busca de vingança… Vingança do quê uma vaga no estacionamento, um esbarrão em um corredor? Ora tem que se justificar essa busca de vingança. Os vilões de Tlou serão os piores possíveis,capazes de atrocidades inimagináveis… Ou seria de calhar um vilão ao estilo Thanos dos vingadores.
“Wow o tipo tem o poder de jogar uma lua no Ironman, mas prefere dar uns cascudos no Capitão América”…

Digo mais uma vez o politicamente correto vai acabar com tudo!

Livio
Livio
Responder a  By-mission
8 meses atrás

Imagine a cena que a Ellie enfrenta um cachorro, vai ter sociedade protetora querendo tirar jogo de circulação

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Livio
8 meses atrás

Putz agora que voce falou lembrei dessa parte no trailer, vai ser uma baita choradeira mesmo

Livio
Livio
Responder a  By-mission
8 meses atrás

No primeiro TLou nas cenas que exibem como a Ellie foi mordida mostra a própria Ellie a cortar o pescoço de um infectado, nada diferente do que o parte 2 propõe.

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Livio
8 meses atrás

Sim sim, porém hoje as pessoas estão paranóicas demais, o circo que estão fazendo sobre esse filme Coringa está dando medo

bruno
bruno
Responder a  Mário Armão Ferreira
8 meses atrás

Uma coisa foi a E3, outra o jogo.

E uma coisa é o gore, outra a violência. TLoU de 2013 tbm foi violento e visceral. Tinhas seres humanos decomposição envolvidos em fungos, e decepções. A sequela segue-lhe os passos.

Já agora, TR de 1996 mostrou seres humanos sem pele e paredes feitas de músculo. Precisava? Nao. A revelação do reboot uma mulher crucificada e a protagonista ser empalhada. Resident Evil de 1998 mostrou o primeiro zombie a devorar o pescoço e a metade do crânio de um homem. Doom apresenta seres humanos desfeitos e inimigos com músculos a mostra. Dead Space conta com imensas cenas de partes de cadáveres humanos a serem reanimadas. Aliás a cena de introdução de Dead Space 2 mostra um monstro a perfurar a testa de uma pessoa e depois está tremer e a cara a explodir para ficar só músculo.

TLoU não fez nada de novo. Onde estava a indignação por todos os outros?

TR tbm não e violento ao teres animações da protagonista ser empalhada?

Livio
Livio
8 meses atrás

Acho que o Mário ficou traumatizado desde o trailer que passou na E3! Não acho uma violência gratuita o que o jogo tende a propor, a violência ali está no contexto e perfeitamente inserido no ambiente do jogo.

Em uma questão de sobrevivência em um mundo real com certeza praticaria o mesmo que tem no jogo.

Acho mais perigoso os shooters porque atiras nas cabeças de outros players que são pessoas reais(multiplayer) do que martelada em braço de um personagem que é um NPC.

PS: Não será TLoU2 que irá receber um selo para maiores de 18 anos?

By-mission
By-mission
Responder a  Livio
8 meses atrás

Sim um jogo+18.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
8 meses atrás

The Last of Us 2 pra mim é day one. Fico muito feliz em continuar essa história maravilhosa, no último trailer até me emocionei ao ver o Joel lá mais velho. É de arrepiar. E a querida Ellie claro. A evolução gráfica é excelente, aquela parte de um vilarejo mostra que deverá estar um jogo mais vivo, até me lembrou Red Dead Redemption 2 e ainda com cavalos por todo lado… Tudo que vimos deverá levar o que já era excelente pra um nível ainda mais alto.

Death Stranding me deu uma desanimada pelo gameplay recente mostrado, mas ainda o quero jogar, a história no fim deve ser boa, a menos que o Kojima tenha perdido a mão, só esperar baixar o preço, ou novas revelações que reanimem.

O GoT me parece ótimo e também tenho interesse no lançamento. Grafismo impressionante (me custa crer que aquilo roda num PS4) e parece ter um enredo dos bons.

PlayStation 4 se encaminhando pra um “final de vida” majestoso como foi com seus antecessores.