Sony fora da E3 – Implicações

Sinceramente custa a perceber uma opção de se não comparecer numa E3, mas no entanto, como os dados apontam, não se deverá julgar sem se conhecer os planos da Sony. Seja como for, é nossa opinião que a Sony não aparecer na E3, sem mais explicações, deixa no ar uma imagem de grande desrespeito pela industria, por quem os apoia, e mesmo pela comunidade gamer.

A Sony anunciou que não só não fará a sua habitual conferência na E3 2019, como não estará mesmo presente na feira. Esta atitude, diga-se o que se disser, terá consequências na imagem da Sony, e só poderá ser compensada por algo de extremamente compensador para os fans da marca.

Seja como for, para o público em geral, aquele que não anda atrás de informação específica, a E3 é a maior montra mundial dos videojogos, e a Sony falhar esta feira, pela primeira vez em 24 anos, irá certamente deixar muitas questões no ar, e acredita-se que mesmo com outras situações previstas, esta escolha irá danificar a imagem da Sony junto de todos os intervenientes na industria.

Convêm não esquecer que em 2013 foi na E3 que a Sony teve uma das suas apresentações mais carismáticas desta geração. Uma apresentação que não pode ser dissociada do sucesso da PS4 neste geração! A E3 sempre foi, e ainda continua a ser, pelo menos a nível da percepção geral e mundial (apesar de para quem está envolvido no meio a Gamescom poderá estar a ser percepcionada como mais relevante), a feira mais mediática do mundo. É aqui que se juntam os maiores nomes da industria, é aqui que se dão a conhecer as novidades para os tempos que se aproximam. É a feira que mais impacto tem junto da população em geral.

Ao revelar que não estará presente, sem anunciar mais nada, a Sony pura e simplesmente deixa a entender, no mínimo, que não terá nada mais de relevante para mostrar. E isso é uma imagem execrável que passa para o consumidor, em particular o menos informado. Nem a Microsoft nos momentos de maior “seca” da sua Xbox One, deixou de comparecer na E3, enchendo-a de novidades de terceiros. Recorde-se inclusive que muitos pequenos produtores que apoiam a Sony, somente tem estas feiras e estas exibições da marca para promover os seus produtos. Mas se falarmos apenas de jogos exclusivos, no caso da Sony, nem sequer podemos falar de seca, pois vejamos o que ainda há para ser lançado a esse nível:



Ghost of Tsushima
Days Gone
Death Stranding
Concrete Genie
The Last of Us Part 2
Dreams

Entre outros jogos que possam ter passado, estamos aqui com uma boa lista de jogos, alguns deles bastante esperados e um deles um dos grandes nomes de sucesso (TLOU). Diria por isso mesmo que há aqui jogos enormes! E numa quantidade que superam aquilo que foi a oferta exclusiva da Microsoft  em alguns anos. Daí que nunca tendo a Microsoft deixado de comparecer na feira (apesar de cortes na dimensão do stand), porque a Sony o faz agora?

A ainda por cima, isto acontece num ano em que a Sony comemora as bodas de prata (25 anos) do lançamento da sua primeira Playstation. E só isto era mais do que suficiente para uma E3. Mesmo sem nada de novo para se mostrar, uma E3 com alguns jogos novos, e uma apanhado de celebração da vida da Playstation, seria um sucesso!

É por isso inegável que a Sony actuou mal! Se há algo que vai fazer para substituir a E3, e isso aparenta estar sub-entendido no seu comunicado onde refere que não estará presente, deveria ser um pouco mais clara sobre o que se vai passar. Não o fazendo, a sua imagem fica prejudicada, mesmo que junto de alguns tal possa acontecer apenas temporariamente. Para todos os efeitos a imagem que se passa, especialmente depois de não se ter realizado igualmente a PSX 2018, alegando-se algo semelhante a não existirem verdadeiramente novidades suficientes para a justificar, é de abandono. Para todos os efeitos, a última aparição da Sony foi na E3 2018 e, com a indicação da não presença na E3, não há qualquer indicio de quando esta poderá voltar a aparecer. É uma previsão de mais de um ano sem um evento mundial de impacto no publico. É uma imagem terrível que se passa, e que não lembraria a ninguém que alguma vez pudesse acontecer!

A nosso ver, independentemente de ser grande ou pequeno, a Sony não aparecer na E3 2019 é um erro!

Como contraponto é certo que a Playstation tem uma imagem que lhe permitiria sobreviver a isso, mas essa imagem foi construída exactamente por não acontecerem coisas destas! Acontecendo estas situações, a imagem da consola começa a ficar corroída, e as pessoas não perdoam nos fóruns e redes sociais. Se a Sony não tem o que oferecer, há outros que tem. e essa realidade não pode ser negada.

Daí que esta situação dá o que pensar! A Sony não está exactamente sentada num produto de pouco sucesso! A PS4 vende bem, mas também precisa de vender bem. É um produto mais do que essencial para a a continuidade do sucesso financeiro da Sony e que necessita de forçosamente ser mantida como de sucesso e com uma imagem de sucesso e suporte!

Daí que na nossa perspectiva, salvo um erro crasso enorme, a Sony terá forçosamente algo para 2019 que substitua a E3. E pela relevância da data (a Playstation faz 25 anos em 2019), algo bastante grande, acreditando que, no fundo, a sua grande falha não será na habitual comunicação e apresentação dos seus jogos aos fans, mas sim pela indefinição e incerteza que a empresa deixou no ar ao não anunciar juntamente com o corte, a actividade de substituição.

E quanto à PS5?

A pergunta incontornável que fica aqui é: Que actividade é essa e que implicações, se alguma, esta situação pode ter sobre a data de lançamento da PS5?

Seguindo aquilo que é dito nos foruns de discussão, encontramos duas  teorias em vigor que permitem analisar essa questão. Uma que tenta satisfazer a ideologia de um lançamento da PS5 em finais 2020, e outra que, pelos motivos que explicitaremos, nos parece mais coerente, que não exclui ainda 2019, mas aponta como eventualmente mais provável o lançamento em inícios de 2020, e acima de tudo ainda dentro do ano fiscal de 2019.

Resumidamente o primeiro rumor explica a ausência da E3 2019 porque não haveria nada de relevante para mostrar, referindo depois um anuncio da consola na PSX 2019, com uma revelação total na E3 2020 e lançamento em Novembro de 2020.

Este rumor peca, a nosso ver, por vários motivos. Para começar, não é verdade que a Sony não nada de relevante para mostrar na E3 2019. Dreams por exemplo foi pouco explorado, Ghost of Tsushima só mostrou um pedaço de jogo jogado, e Tlou 2 pode mostrar muito, mas muito mais. Isto não falando de jogos de terceiros e indies. No fundo há aqui muito para mostrar! Mais do que a concorrência teve em alguns anos.

Depois, este rumor implica que a PS4 se manteria no mercado mais dois anos. Dois anos em que já em 2018 a Sony entende que não tem verdadeiramente nada de novo para mostrar, não comparecendo na E3 em 2019, e onde teria certamente ainda menos desta consola para mostrar na E3 2020.



Basicamente aceitar essa ideia seria dizer que a Sony estava a optar por mais de dois anos sem grandes novidades, e onde em 2020, o espaço PS4 na E3 seria basicamente de repetição do pouco que ainda não tivesse sido lançado, e basicamente já conhecido, ou do pouco que venha a aparecer. No global a PS4 seria esmagada pelas novidades PS5, apesar de ainda ir ser a consola dominante por mais 6 meses. Mesmo aceitando que a PS4 possa vender só pelo nome, isto parece-nos uma situação perfeitamente inaceitável para uma empresa que necessita da consola para a sua subsistência. Aliás uma situação nada condigna daquilo que a Sony tem sido e continua a ter de ser.



Segundo esta hipótese deste rumor, até Novembro de 2020 teríamos 2 anos onde o desenvolvimento e suporte da Sony à PS4, que seria a consola que se manteria à venda, teria descido abaixo dos tão criticados níveis da Microsoft, ficando, tal como a sua concorrente o fez, a viver dos títulos já conhecidos e de adiamentos dos mesmos para fazer “durar o peixe”. Mas aqui seria pior, pois a expectativa seria sempre forçosamente baixa e com a sombra de uma nova geração.

Uma coerência deste rumor seria a revelação na festa dos 25 anos realizada na PSX 2019, com a PS4 a guardar o que ainda possui para essa altura. Tal explicaria de certo modo a ausência da E3, mas diga-se que quando Andrew House da Sony criticou a Microsoft por ter apresentado a sua Xbox One X com tanto tempo de antecedência referindo que a Sony é mais defensora de uma política estilo Apple e do género “Disponível desde já”, esta revelação um ano antes seria um contra-senso. Será que as políticas que House deu a conhecer mudaram? Será que a Sony vai fazer o mesmo que a Microsoft fez, condicionando as vendas da PS4 Não só com um baixo suporte, mas igualmente sob perspectiva de uma nova consola, desta vez de nova geração?

Será que a Sony vai cair nestes erros? Será que a Sony mudou face à empresa que foi nesta geração e que conseguiu sair do buraco financeiro em que se encontrava? Será que a saída de Kaz Hirai fez a Sony voltar às más escolhas?

É uma hipótese!

Confesso que caso isto acontecesse, tal deixar-me-ia seriamente preocupado com a liderança e futuro da Sony. E se atitudes idênticas foram criticadas nos outros, porque não haveriam de ser igualmente criticadas aqui? A Sony estaria a expor-se demasiadamente, e sem qualquer necessidade. Tudo por causa de uma misera escolha de não comparecer numa E3 que basicamente acabaria por ter sido apenas para poupar uns tostões que na prática iriam custar à empresa largos milhões.

Há contudo uma alternativa a este rumor:

O outro rumor é uma variante do primeiro, sendo que apresenta umas ligeiras variações.

Segundo alguns leaks do Insider Osiris Black, a PS5 deverá ser revelada em breve num evento da Sony (eventualmente em Fevereiro ou logo após a E3), ocorrendo o lançamento em finais de 2019, inícios de 2020, com a revelação total a ser feita na PSX 2019.

Lendo as conversas que se seguem a esta revelação, a Sony mantêm como intenção o final de 2019 para lançar a sua consola, colocando como data alternativa,  e se calhar neste momento a mais provável, um lançamento até Março de 2020. O lançamento em finais de 2020 não estará fora de hipótese, mas somente se algo de anormal ocorresse que obrigasse a isso.

Ainda de acordo com as conversas associadas a este rumor, a Sony nesta fase pré lançamento, quer mesmo seguir o modelo da Apple, apresentando a consola em cima do seu lançamento, e passando a fazer apresentações em eventos seus, o que explicaria a ausência da E3, onde se sabe que tudo o que for apresentado por terceiros aparecerá nas suas consolas devido a ser líder de mercado. Sendo que os jogos que alguns dos jogos que deverão sair nesta fase deverão ser Cross Gen, coloca-se a hipotese de a Sony poder pretender guardar os mesmos para serem apresentados junto com o anuncio da consola.

Comparativamente ao outro rumor, apesar de na sua pior das hipóteses, este acabar por ser igual, ele revela-se bem mais justificado, não mostrando a clara intenção da Sony poder ficar dependente de uma PS4 durante 2 anos. Depois, a festa dos 25 anos ganharia uma maior relevância, ao não se limitar a revelar uma PS5, mas sim a apresenta-la. Uma consola que se apoiaria no sucesso da PS4 e que continuaria a saga da playstation para os anos que se seguem e, quem sabe, com uma edição comemorativa das bodas de prata da consola.

Este segundo rumor, apesar de no fundo ter tanto valor como o primeiro (é um mero rumor), tem mais consistência ao não apresentar tantas situações questionáveis sobre as políticas da Sony, e justificando melhor o que se passa no caso de um lançamento mais tardio! É igualmente consistente com o que sempre se referiu, e nada altera face ao mesmo.

Apesar de não sabermos se algum deles tem alguma ponta de verdade, a verdade é que caso a realidade se desvie muito da referida no segundo rumor estaremos tentados a acreditar que a Sony cometeu sérios erros de planeamento que poderão dar vantagens aos seus competidores. Basicamente a Sony terá metido a proverbial “para na poça”.

Mas como referido, são apenas rumores, e o intuito de os referir aqui é meramente informar da sua existência, não devendo qualquer um deles ser tomado como uma realidade. O que se passará ao certo não se sabe!

Mas quanto ao facto de a Sony poder ou não estar a planear conseguir o que inicialmente planeou, dá-se a conhecer o que Jay Coleman, actor, e editor, trabalhando na Sony referiu num Tweet:

Gostava só de chamar a atenção para o facto de as palavras Exciting, Times e Ahead estarem a maiusculas, com as três letras a soletrarem a palavra ETA, e dando a entender que, neste momento, a Sony terá tudo sob controlo para o seu ETA (Estimated Time of Arrival), ou seja, que tudo está sob carris e dentro dos parâmetros e prazos previstos.

Numa segunda nota mais humorística, há uma outra alternativa para a não comparecência da Sony:



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
bruno
Visitante
bruno

Esperemos que os ofendidos do costume, as vítimas da praxe, fiquem agora satisfeitos.

Bom artigo. Sumariza plenamente a questão como foi discutida.

A mim não faz sentido nenhum a ausência da Sony na E3. Mesmo acreditando na ausência de novidades que mostrar (o k é perfeitamente lógico) ninguém pode negar que a Sony tem por onde pegar para uma conferência. Quer as más línguas venham falar de hype ou encontrem outras formas de lidar com a azia, engendrando mais tolices mirabolantes, a verdade é k o k mostrar não falta. Mesmo para uma má conferência.

A mim a única coisa k faz sentido é k algum génio tenha decidido inovar como tentaram fazer o ano passado sem correr bem.

Júlio Esteves
Visitante
Júlio Esteves

Acho que isto é como um jogo de cartas, a cada lance os jogadores mostram o que tem. Neste caso a Sony está adiando mostrar o que tem na E3 para ver primeiro o que a MS vai mostrar, já que com relação ao streaming podemos ter uma mudança de paradigma no mundos consoles.
Apostar em um hardware muito robusto e caro (ps5) pode nao dar certo (caso ps3), a MS tem focado em corrigir aquilo que pode ter pesado no sucesso do ps4 (hardware mais poderoso, mais estudios e jogos) como a Sony tem medo de errar, ela procura dar um fading honroso para o ps4 e lançar o ps5 com tudo o que pode, mas primeiro quer ver o que MS vai mostrar. Toda a midia negativa decorrente da nao participaçao na E3 vai se diluir com uma grande cartada certa, mas se der errado teremos alguns anos de trevas para Sony atę que se recupere.

Edson Romagna
Visitante
Edson Romagna

Bruno, creio que a Sony fará um anúncio semelhante ao como foi o Nintendo switch, com um trailer impactante e tbm provavelmente ficarão fora da e3 para sempre, fazendo suas próprias conferências. Testarão agora em 2019 para ver se há de funcionar.

bruno
Visitante
bruno

Pois talvez. E será a pior coisa k fizeram. A Nintendo agora só faz consolas de nicho.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Voce tem como provar @Bruno,gostaria de entender esta visão,por gentileza.Valeu

bruno
Visitante
bruno

Provar o que?

Ewertom
Visitante
Ewertom

Sobre a Big N só fabricar consoles para nicho.Gostaria de ver e entender sua visåo,sobre o assunto

bruno
Visitante
bruno

Responde a isto: CoD, Battlefield, RDR2, RE2, Tomb Raider, AC Odyssey tiveram versão switch?

A Wii, Wii-U e a switch foram consolas na sua geração como a N64 ou a GameCube o foram nas respectivas gerações?

Daí o nicho.

Ewertom
Visitante
Ewertom

A sua visão não esta correta em nehumha hipotese,a Nintendo sempre priorizou jogos em familia e nisto não há nicho.
Tem alguem aqui que concorda com a visão do user Bruno,gostaria de um feedback da galera…

bruno
Visitante
bruno

A Nintendo desde a Wii que vai para públicos alvo específicos entre o infanto-juvenil e o familiar, passando ao lado dos grandes lançamento das thirds e respectivos franchises.

Desde a Wii que não recebe os mesmos títulos que o resto do mercado.

Isto é um nicho: ter um público alvo específicos e lançar uma consola com essa funcionalidade.

Vais negar isto?

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Concordo com o Bruno.

Fernando
Visitante
Fernando

Minhas suposições são as seguintes:

1) Apresentaram jogos muito cedo e os estudios não estão prontos para apresentar novidades;
Days Gone ja está certo de que sera lançado no primeiro semestre de 2019, um jogo apresentado na e3 de 2016. Levou quase 3 anos para lançamento.
Para não fazer conferencias fracas, a Sony mostrou cedo demais jogos como, TLOUS 2, GOT e Death Stranding, veja bem, isso é um jogo do Kojima, talvez ainda esteja a uns 3 anos de distância… Só que dessa vez, muitos de seus estúdios ja lançaram seus games e não tem nada para mostrar.

2) Perderam prazos;
A Sony provavelmente trabalhava com o ano de 2019 em mente para fazer toda a revelação e lançamento do PS5, certamente a Microsoft não falou de Scarlet na e3 a toa. Mas por algum motivo, que pode ser problemas com fornecimento de hardware, atraso de fornecedores ou até estudios atrasados com conteúdo, eles precisaram postergar o lançamento para 2020, que implicaria em fazer uma nova e3 com os mesmos trailers da anterior, e talvez isso não vale-se o dinheiro gasto.

Minha opinião pessoal é a de que eles apresentaram varios jogos que os fans mais fervorosos estão colocando em listas anuais para mostrar o por que de preferirem um PS4 e nao um Xbox. Vai ser terrivel se eles chegam no final de 2019 e dizem, sabe aqueles jogos, são para o PS5. Eles deveriam ser games de ps4 e ps4 pro, que tem um modo adicional de melhorias no PS5. Talvez 4k nativos e 60fps, e seus lançamentos nao serem direcionados para casar com o lancamento de um novo console. Os jogos desenvolvidos pós ps5, esse sim podem abandonar o PS4, ou de repente manter o ps4 pro com litografia revisada como alternativa de sku barata limitada a 30 fps e 1080p por uns 2 anos além, que é o que eu acho que seria mais certo para os consoles de meio de geração, assumirem um preco de 300 dolares e permitirem aos novos consoles irem além dos 500 dolares como produto premium.

bruno
Visitante
bruno

1) Talvez te deva relembrar de Crackdown 3 que foi apresentado em 2014? Levou 5 anos para chegar. Falando de jogos apresentados muito cedo e conferências fracas.

A Sony ainda tem 6 títulos para mostrar (apesar de já ter mostrado antes) e a Japan Studio pode apresentar alguma coisa. É o único estúdio que está quieto. Bloodborne 2 seria uma novidade bem vinda, e a Ready at Dawn, depois de se ter espetado no último MMO, já manifestou interesse em retornar a The Order.

2)Nao é a primeira vez que a Sony lança uma consola, e não há problema nenhum em voltar a referir os mesmos títulos de antes, por isso, mesmo que a hipotese do adiantamento do lançamento esteja certa, não faz sentido não comparecer tendo mais de meio ano para preparar a conferência.

3)Os fãs não precisam dos jogos que vão sair para já justificar a preferência face à ONE. Basta os que já saíram que os argumentos já são mais que muitos. Mesmo os que estão para sair, basta a Sony dividir os 4 principais por 2 por ano e continua a vantagem.

4) Quando houverem jogos PS5 feitos para a PS5, a ONE X não os Vai conseguir correr devido as mudanças de arquitetura.

José Galvão
Membro

Eu pessoalmente fico triste com a ausência da Sony na próxima E3, e isto vem de alguém que mete folgas para assistir às conferências mais importantes, mas penso que aqui se está a olhar para o copo meio vazio em vez de se olhar para o copo meio cheio.

Não considero a sua ausência uma atitude execrável, considero sim uma atitude com uma frontalidade que é rara nesta industria, por um lado temos a Sony a não comparecer no maior evento do planeta, dizendo que não tem nada de relevante para mostrar porque vai ter algo seu, com a Microsoft logo de seguida a dizer que vai lá estar e que vai ser excitante, o copo meio vazio, por outro lado temos uma Sony com uma lista que mostraste, de jogos ainda por sair, que num todo destroem tudo o que a Microsoft conseguiu entregar numa geração inteira, e uma Microsoft a prometer excitação que nunca conseguiu cumprir, o copo meio cheio.

Está-se aqui a classificar de execrável e má imagem, uma empresa que tem emtregue e ainda vai entregar alguns dos melhores jogos desta geração, porque decidiu fazer algo seu sem revelar muito, eu pessoalmente prefiro assim, prefiro o efeito surpresa, sentimento que traz muita da magia a este tipo de eventos, sejam eles na E3 ou um PSX.
Acredito que nos 25 anos da Playstation, a Sony venha a brindar-nos com algo especial, provavelmente o motivo é esse, são os 25 anos do mundo Playstation e querem a atenção só para eles, só então é que vou avaliar se a atitude deles se justificou ou a sua imagem foi manchada.

Como fã da marca, fico surpreendido com a frontalidade deles quando me dizem, ”não temos nada de relevante para anunciar porque já temos muita bom jogo para sair, logo vamos fazer algo diferente”, do que certas empresas que prometem um mundo de contos de fada e depois brincam com a palavra ”Exclusive” a torto e a direito, para depois chegar à conclusão que temos uma montanha que é perita em parir ratos, a mensagem da Sony pode deixar alguma preocupação no ar, e é legitimo, mas também não vem anexado com treta e tenho o conforto de que ainda vem ai algo marcante, já conhecido sim, mas verdadeiramente especial.

Edson Romagna
Visitante
Edson Romagna

Gostei da montanha a parir ratos.rsrs Essa nunca tinha ouvido.rsrsrs

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Existem duas teorias que ainda ninguém teve a coragem de abordar:
1 – A Sony vai vender a Secção de entretenimento e dai não estar na E3 2019 pois já não são donos da PS4 nem da futura PS5
2 – A Sony está a pensar desistir do negócio dos jogos e já nem vai lançar uma PS5, também seria um motivo para não estar presente na E3 de 2019

Ambos parecem inverossímeis mas não podem ser descartados como impossíveis pois no mundo dos negócios tudo é possível e o que é mentira hoje é uma verdade absoluta amanhã.

Nota: não acredito que seja um dos casos que referi, apenas os considero como as hipóteses praticamente impossíveis de serem verdadeiras mas que ninguém ainda falou

bruno
Visitante
bruno

Talvez ninguém falou porque, como bem disseste, são praticamente impossíveis.

Portanto porquê perder tempo com isso?

Livio
Visitante
Livio

A Sony vender o setor que rende mais e que a tirou do vermelho? Vendendo o setor de games a Sony vai viver de quê? De TVs caras com poucos recursos se comparados aos concorrentes(pelo menos são a de melhor imagem), Smartphones caros cujo atualização de SO demora pra caramba?

Quem inventou essas duas teorias não está muito bem da saúde.

Sony sendo comprada por outra empresa até dá para engolir, mas aí a nova proprietária decidir sair do ramo em que a empresa comprada lidera? Só se este gestor quer inovar assim como foi a conferência da Sony na PSex-17 e na E3-18.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Boa tarde

Essa divisão de smartphones da Sony me deixa indignado pela incompetência da Sony (embora vá saber porquê). Todo o know how, estrutura e nome que eles tem e lançam smartphones nada competitivos e com cara de anteontem.

Acredito firmemente, que se eles deixam essa história de Premium pra um lado (e a arrogância) e botam os pés no popular, possivelmente explodiriam de sucesso, pois esse nome Sony tem muita força.
Bastava um top de linha com o melhor hardware aliado a um design mais moderno com essas tendências que estão aí, câmeras apelativas (que eles fabricam muito bem) aliado a um preço melhor possível, intermediários com tudo que um Moto G da vida é, porém com design moderno e preço bem competitivo, seria o suficiente. Qualquer um daria preferência a um Sony que um Lenovo/Motorola, e talvez Samsung e até brigar com os chineses.

Mas não, lançam flagships com cara de defasado a preço de Galaxy S ou iPhone… intermediário, o último que vi tinha um MediaTek na faixa do Moto G (esse que vem com Snapdragon e bem mais barato) porém com preço quase 900 reais acima, e com design de sempre (ultrapassado).

Não dá pra entender.

Livio
Visitante
Livio

Só compro smartphones de modelo de entrada, não devido ao poder aquisitivo, mas devido me conformar mais rapidamente caso o “verdadeiro dono” apareça! Meu 1° smartphone, do próprio bolso, foi um LWW, muito bom na época, mas pecava na atualização do SO(Consegui recupera-lo e vai servir p/ um projeto), depois dele fui para a série E e esperava algo no mínimo no nível do LWW, mas nada foi pura decepção e em 6 meses troquei por um Asus Zenfone5 (o modelo antigo, não o de 2018).

De Sony agora só compro videogame e TV caso encontre a um bom preço. Também gostei do ramo Home Theater mas ela desistiu e aposta agora nos Sound Bar.