The Initiative irá manter-se “pequena e agil”

O novo estúdio da Microsoft foi anunciado como sendo criado para a criação de jogos AAAA. Mas isso, se efectivamente vier a acontecer, não acontecerá tão cedo.

Como é do conhecimento geral, os jogos First Party da Microsoft tem deixado muito a desejar, e basicamente desde sempre que os nomes Halo, Gears e Forza estão associados aos únicos IPs de verdadeiro sucesso da Microsoft.

Com várias gerações em cima, seria de esperar que novos IPs se tivessem imposto, mas na realidade tudo que surgiu de novo vindo das equipas First Party da Microsoft não se conseguiu impor.

Daí que o anuncio da The Initiative, um estúdio que seria o primeiro do mundo criado com o intuito de produzir jogos AAAA (supostamente jogos com valores de produção ainda superiores aos dos jogos AAA) foi uma notícia que agradou a todos, aos se acreditar que o portfolio da Xbox iria finalmente descolar, e em grande.

Nesse sentido a equipa anda desde 2018 a recrutar vários nomes sonantes, como veteranos da Xbox, antigos membros de equipas Sony, da Activision, Treyarch, Respawn Entertainment, e da Riot Games.



Tudo parecia apontar para um futuro promissor, e a criação de uma grande, grande equipa.

Mas a The Initiative deu uma entrevista recente na qual Darrell Gallagher, Ex Crystal Dynamics e chefe dos estúdios, refere algo que só pode ser considerado surpreendente. É que apesar de referir que “a fasquia é alta” e que “é um grande desafio cumprir com as expectativas”, a equipa refere que “vai ficar pequena e ágil”, e que isso será “a sua maior força”. Algo que de acordo com o perfil de Linkedin da empresa compreende entre 11 a 50 funcionários.

Refere ainda que ” a The Initiative irá começar pequena nos seus projectos iniciais, equilibrando uma equipa focada na inovação – não na escala”.

Com o devido respeito, se um jogo AAAA já era um conceito algo estapafurdio, uma vez que um AAAA nunca seria mais do que um AAA, esta última frase aponta-nos claramente para jogos AA, o que perante as expectativas super elevadas que foram publicamente colocadas na equipa… é uma decepção!

Fonte



45 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Edson
Edson
5 meses atrás

Exatamente, Mário! Esse estúdio é aparentemente, um outro conto de fadas da MS! Fazer um AAAA com 40 pessoas é algo impossível de acontecer, creio eu, mas como falou um youtuber caixista aqui no Brasil! Que venha o tetraei!rs

daniel
daniel
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

De vez em quando eu dou uma passada no twitter do Drew Murray (director criativo da the initiative) e no mês de março ele fez uma declaração de que estavam indo para um lugar maior, haja visto que o atual não comportaria a equipe. Não sei se é parâmetro, mas no linkedin a equipe conta com 42 pessoas + 17 vagas de emprego, sendo que o estúdio tem por volta de 2 anos. Ou estão com imensa dificuldade de contratar funcionários, ou realmente não irão brigar nas cabeças como uma Naughty Dog, Guerrilha, 343, Playground, Sony Santa Mônica… citando algumas das melhores first party das 2 empresas. Como parâmetro a Sony Bend ( Days Gone) passou imensa dificuldade com seu jogo, e muito do problema foi devido ao tamanho da companhia (80-85 pessoas), ao passo que com uma equipe de 100-120 pessoas (eles tem 2 equipes) a from software faz jogos como Sekiro, BloodBorn e Dark Souls 3. Olhando os nomes da The Initiative, realmente são pessoas que trabalharam não só em grandes empresas, como a maioria desempenhava cargos de médio-alto escalão pra cima, mas na minha opinião, com menos de 100 pessoas ( e altamente produtivas), não se faz um triple A de qualidade.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Se me permite: deveria ser mais como: “We have the best console ever made”
lol

Edson
Edson
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Exatamente, Mário! sempre há demérito em tudo que a Sony faz na visão deturpada deles. A Sony está quebrando, não tem estrutura online, os jogos são filminhos, Não sabe produzir Hardware, etc… Mas, o fato é que hoje a Sony tem ótima saúde financeira, tem uma psn mais estável que a live um bom tempo, seus jogos são aclamados no mundo todo, além de terem na maioria de seus AAA, grandes vendas e a Sony sempre fez hardwares de ponta com ótima engenharia. Até msm o ps3, que eles amam atacar, quando bem programado, era uma besta e jogos como Uncharted 2, Killzone 2, Tlou e GoW 3 não nos deixava mentir!

AlexandreR
AlexandreR
5 meses atrás

Enfim, a marca xbox é das piores companhias em termos de políticas. Prometem algo, depois alteram…
A ideologia da MS é criar AA para todas as plataformas, até a Xbox SX ter uma boa cota de mercado.
De maneira a terem retorno dos AAA quando forem lançados na xbox SX. Até lá os jogos AA vão sair na xbox one, xbox one S, xbox one X e xbox SX.

A Sony, com a Ps5, felizmente terá uma abordagem mais agressiva…

daniel
daniel
Responder a  AlexandreR
5 meses atrás

Eu até acredito que empresas como Obsidian e Playground entregarão jogos de grande orçamento, mas quero ver quando a Microsoft começar a tirá-los do gamepass, ou então criar uma espécie de gamepass “premium” para poder usufruir desses exclusivos do Series X, pois o gamepass tradicional base não sustenta jogos triple A.

Livio
Livio
5 meses atrás

O que impede de serem AAAA? É só fazer duas equipas AA! 😛

José Galvão
5 meses atrás

Se não estou em erro, AAA significa:

A – tamanho da equipa de desenvolvimento.
A – tamanho da editora.
A – valor do orçamento.

O 4º A da Microsoft seria:

A – nível de treta.

Acho que a Microsoft, particularmente a sua divisão Xbox, têm um grave problema, não sabem estar calados, penso mesmo que seja um questão cultural dos americanos que têm uma necessidade de pensar em grande com frequente recurso a grandes números, em suma, são uns gabarolas, e a Microsoft não é diferente, e quem muito fala, muito cai no ridiculo…
Note-se a forma como a Microsoft anuncia algo, não dizem algo como, ”Vai ser uma grande E3”, dizem antes, ”Vai ser a maior E3 de sempre”, e quando se põe a fasquia tão elevada, a queda do cavalo é maior, e quando se faz isso constantemente, já se começa a cair não só no ridiculo mas igualmente no burla.
Qualquer coisa que a Microsoft anuncie, é sempre a maior coisa de sempre, e fá-lo gritando aos sete ventos, seja ele conferências, simples saldos ou mesmo aquele ano em vigor que vai ser sempre o melhor de sempre, de todos os tempos, aliás para aqueles lados a frase ”Vai ser o/a _____________ de todos os tempos” deve ser o modo default do departamento de marketing, mas enfim, é como diz o ditado, ”Fool me once, shame on you, fool me twice, shame on me”, e assim prossegue a Xbox aos comandos do maior mentiroso da actual geração, Phil Spencer, que não tem feito mais que enganar as pessoas, especialmente os seus fás, que mesmo vendo as suas expectativas goradas consecutivamente, o defendem com unhas e dentes.

Mas agora…agora são mais quase 2 teraflops, isso sim é que é importante, não o facto de que tirando o Ori, um jogo que para todos os efeitos é um jogo indie, a Xbox One que tenho aqui à minha direita, terá mais um ano para esquecer, ao passo que a PS4 que tenho aqui à minha esquerda, já me deu jogos como Dreams, Nioh 2 e FFVII.
Parece que o foco das pessoas está mais assente naquilo que deverá ser a mais magra diferença de sempre entre consolas, isto se não for nula, do que no facto de que a PS4 ainda vai ter dois pesos pesados, e que um deles pode muito bem fazer história.

José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Segundo me recordo, o termo AAA começou a ser usado pelos media na E3 ainda na era da PSOne salvo erro, e segundo ex-devs da EA, esse termos já era usado na companhia em 1994, a primeira definição tinha a ver com o tamanho da equipa, o orçamento e a inovação, mas como a inovação era algo subjectivo, passou a contar a editora.
O termo A tem a ver com a classificação académica usada nos Estados Unidos.

Edson
Edson
Responder a  José Galvão
5 meses atrás

José, só um adendo ao seu comentário irrefutável! A MS publicitou o novo game do Ori como um AAA 2d, ou seja, não bastasse as mentiras sobre tudo, agora aumentam sobre as produções de seus games. Lembro-me que Aaron disse a alguém no twitter que o Everwild (novo game da Rare) tbm será AAA. o mais incrível é que os minions do Xbox acreditam (minions que me refiro, são aqueles fanboys lunáticos) e defendem essas falácias com unhas e dentes. No Brasil, minha terrinha, como aqui uma boa parte tem síndrome de vira lata e idolatra qualquer coisa que os Estadunidenses dizem, obviamente que essas falácias aqui virarão ” verdades” para muitos!

Edson
Edson
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Mário, pior que colocaram como AAA. O Ori é um game incrível, mas creio que tudo será AAA para eles, inclusive Hellblade 2, Project Mara e tudo mais! só lembrando que Hellblade 2 está sendo feito com o dobro de pessoas que foi feito o 1. O 1 foi feito com 20 pessoas, então… O 2 estará fixado entre 40 pessoas para mais ou menos e ainda sim o chamarão de AAA. Engraçado que é o Próprio Booty disse que seus estúdios farão basicamente AA, mas dá a entender que ele não mencionará quais serão esses AA.rsrs

daniel
daniel
Responder a  Edson
5 meses atrás

O que mais me espanta é a Rare que tem uma baita de uma estrutura com mais de 250 pessoas e não conseguiu lançar nada além de Sea of Thieves nos últimos anos. Pra piorar, a produtora de Everwild falou que conta com uma equipe de 40/50 colaboradores mas que pretende aumentar a equipe no decorrer do desenvolvimento. Se não tiverem nenhuma outra carta na mesa, é bisonho pensar que 200 estão com Sea of Thieves. A From com uma estrutura parecida entrega 1 AAA a cada 2 anos.

José Galvão
Responder a  daniel
5 meses atrás

@Daniel…

A mim não me espanta o que descreves da RARE, até podia ter 500 pessoas que dificilmente teria resultados diferentes por dois motivos, um deles é que quem fez da RARE uma autentica Naughty Dog dos anos 90, já lá não está, depois da era N64 alguns elementos chave sairam da companhia e formaram a Free Radical que fizeram os excelentes Timesplitters entre outros, e se a RARE ainda tinha algum talento, quando a Microsoft os comprou é que foi a debandada total, existem relatos de executivos da Microsoft a passear nos escritórios da RARE com os filhos e amigos para mostrar a ultima aquisição como se de um carro se tratasse, o que restou é o que tens hoje, um estúdio despido de talento, uma mera casca dos tempos de glória.

O outro motivo é que a Microsoft não é a Sony que dá liberdade criativa aos seus estúdios, a RARE tem que fazer o que a Microsoft quer e o que a Microsoft quer são jogos propicios a microtransações e que requeiram uma subscricção no Live, além de servir de entulho para o gamepass.

José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Bem, tendo em conta que de facto não sou um entendedor nato, vou usar a minha lógica, e esta diz que na Geforce ao contrário da XSX, cada modulo de memória tem um canal de 32bit exclusivamente para si, ou seja a consola tem um gargalo que a placa não tem.
Deduzo que a placa tenha um hit na performance porque não existe um tamanho uniforme nas capacidades dos modulos de memória e/ou velocidades diferentes?
Na XSX, dado o gargalo, não vais conseguir usar cada modulo em pleno porque divide recursos com o vizinho do lado, e se tivermos em conta as diferenças de velocidade entre os modulos, ainda mais complicado fica, digo eu…

José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Não é querer ser entendido, tudo o que sei, ou julgo saber, é graças à PCManias e à comunidade da mesma, eu olho para ali e vejo que as memorias de um partilham um canal a outra não, tal como disseste o esquema não mostra tudo, talvez chegasse a outra conclusão ou quiçá, não chegava lá na mesma.

Eu quando digo que não percebo muito, digo-o literalmente, o que percebo sim é da história e do funcionamento desta industria, o resto vou aprendendo, até lá uso uma perspectiva que me permita fazer parte do debate sem fazer figura de urso, e sempre com a humildade de reconhecer que estou errado porque é algo que não domino mesmo, quantas vezes vejo certas afirmações técnicas que presumo ser verdade porque está fora do meu conhecimento, e depois vens tu e desmascaras ou clarificas as coisas, e são em muitas dessas que eu aprendo, da mesma forma que se alguém disser que a companhia A é pioneira nisto ou naquilo, eu digo que antes já tinha sido feito porque leio muito sobre a industria e a história da mesma, e é por isso que esta comunidade é tão rica em conhecimento devido à união dos pontos fortes de cada um.

Mas olha, gostei do desafio, quando quiseres chuta! 😉

José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Oh Mário por amor de Deus, não soou a nada mais, sempre foste do mais educado e de uma ética incomum, se achasse que me estavas a inferiorizar por teres um conhecimento técnico dava-te o recado portanto deixa-te de desculpas, posso não te conhecer pessoalmente mas tenho um grande respeito e admiração por ti e pelo teu trabalho e sinto que o sentimento é mútuo, mas as coisas são como são, quando colocaste a questão, pensei que ali havia gato, quando na realidade não havia gato algum.
Sabes, estamos sempre a aprender, agora sei que o erro que a Microsoft está a cometer, já foi cometido e que a Microsoft não aprendeu nada com isso.

Um grande abraço!

José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Vê lá é seu não vou ai primeiro comer uma francesinha… 😉

Edson
Edson
Responder a  José Galvão
5 meses atrás

Rapaz, Cultura é algo sensacional! Isso no Brasil teria uma conotação muitooo diferente!rsrs

Rui Teixeira
Rui Teixeira
5 meses atrás

Talvez a ideia seja fazer jogos episódicos, com aspecto de jogos AAA, mas pequenos, de umas poucas horas, isto falando de jogos single player. Até faz mais sentido este tipo de jogos para suportar o gamepass, assim faria que o pessoal fica-se no serviço para jogar a continuação. Assim não haveria um investimento muito grande para fazer os jogos e ao mesmo tempo podem ir lançando vários episódios durante um ano, e se dividirmos este método por vários estúdios, teriam uns quantos jogos para tornar o serviço/consola mais apelativos, pelo menos para alguns.

marcos
marcos
5 meses atrás

Mario pq não posta o que coloco.
INICIATIVE é um novo estúdio! E lá estão talentos da Naught dog, Santa mônica entre outros.
Seu game é feito na UE totalmente personalizada e a The coalition está suprindo a demanda de funcionários…
https://apxgears.com.br/the-coalition-visita-a-the-initiative-para-ajudar-no-desenvolvimento-de-seu-jogo/

Procure se informar pois essa notícia é antiga assim como a sua.

marcos
marcos
Responder a  Mário Armão Ferreira
5 meses atrás

Metade ajuda a um estudio e a outra se concentra nos conteúdos de gears que acabaram de lançar.
Não se esqueça que ori foi feito por 80 pessoas trabalhando de casa e em alguns casos em países diferentes

Deto
Deto
Responder a  marcos
5 meses atrás

Deve ser master plan?

Estúdio fala que vai ficar pequeno e ágil para fazer indies mas está mentindo para anunciar um AAAA e surpreender a Sony.

Impressionante como virou seita, nem o que a MS fala vale mais.

Parece até até ideia da GPU Oculta,que MS estava escondendo para surpreender a Sony.

Vitor Calado
Vitor Calado
5 meses atrás

Eu nunca comprei um remaster na minha vida e evito ao máximo comprar exclusivos, nesta geração comprei o Forza 5 no lançamento o ryse e o dead rising 3, e forzas não comprei mais nenhum, halo zero e gears zero, considero os exclusivos a maior sacanice desta industria, imagina que tinhas que comprar uma TV da Sony para veres os filmes exclusivos da Sony ou comprar um carro Ford para circulares nas estradas exclusivas da Ford…tem centenas de jogos multi que são muito bons e tem para todos os gostos, se ninguém comprasse exclusivos estes já teriam acabado, cada um deveria escolher a consola pela sua qualidade e não ser obrigado a comprar a consola x para puder jogar o jogo y…sacanice isso…eu sempre vou evitar comprar exclusivos

Edson
Edson
Responder a  Vitor Calado
5 meses atrás

Vitor, como assim que exclusivos são ruins? É o que difere os produtos, além de na maioria dos casos( pelo menos pelo lado da Sony e Nintendo) representar qualidade acima da média da indústria. Talvez vc não tenha se interessado tanto nos exclusivos do xbox, pois a boa parte é desinteressante! Uma analogia com o futebol seria o seguinte: O Porto compra o Messi quando criança, o prepara, dá alimentação, casa, estrutura de primeira linha, mas vc empresta o Messi para jogar tbm pelo Benfica e quando jogar um contra o outro, O Messi não poderá jogar de lado nenhum. Acharia justo??? Vc anula seu diferencial, ainda mais um diferencial que vc gastou e muito com ele. Então… A Culpa ainda é do Porto que ajudou o Messi a ser o jogador que virou??? Com todo respeito, sua visão é totalmente um devaneio!

Rui Teixeira
Rui Teixeira
Responder a  Vitor Calado
5 meses atrás

Imaginemos então um mondo sem exclusivos…
De momento centremo-nos no software (jogos e serviços). No início desta geração a XOne era claramente inferior à PS4, agora imagina que a XOne não tinha nem jogos nem serviços exclusivos, tanto os jogos como o live estariam disponíveis na PS4, quem no seu perfeito juízo compraria uma XBoxOne?
Vejamos cenários ainda piores. A netflix tem séries exclusivas que tornam o seu serviço mais interessante. Imagina que as suas séries estariam disponíveis, por exemplo, no serviço da Amazon. O único que iria diferenciar os serviços seria o preço, a Amazon tem dinheiro como terra, e lembrava-se de fazer promoções malucas, tipo 3€/mês, a Netflix não teria forma de competir com isso, logo quem iria usar o Netflix tendo um serviço mais barato e com todas as séries da Netflix? Em pouco tempo seria o fim da Netflix e consequentemente das suas séries.
Agora imagina que a XBoxSX será bastante superior à PS5, a XBSX também teria os jogos financiados pela Sony e também a PSN. Ninguém compraria a PS5, mas a Sony até se poderia safar com a PSN, mas os jogos também estão disponíveis na Live, com tal ninguém iria pagar dois serviços se tens o mesmo nos dois. Agora a MS lembra-se de fazer promoções tipo gamepass, 1€, a Sony não teria forma alguma de competir com isso. A Sony acabaria por ser obrigada a fechar a divisão da PlayStation, consequentemente os jogos financiados pela Sony deixariam de existir, adeus a Uncharteds, God of Wars, Horizons e um largo etc.
Quem é que ganharia com isto? A facilidade de aparecerem monopólios, Amazon, Microsoft, com o monopólio de tudo, seria lindo. Se levares a exclusividade ao hardware então é seria um desastre total.

Deto
Deto
Responder a  Vitor Calado
5 meses atrás

Não assine nenhum serviço de streaming.

José Galvão
José Galvão
Responder a  Vitor Calado
5 meses atrás

@Vitor…sacanice?
Para quem paga para progredir nos jogos, és muito puritano.

Jefferson
Jefferson
5 meses atrás

Na minha opinião, a microsoft não ter comprado a remedy e colocado ela pra produzir as continuações de alan wake e quantum break é O que mais lamento. Mas eu sou muito fã desses jogos e ao que parece eles não venderam tanto, só quero que eles financiem 😉

Edson
Edson
Responder a  Jefferson
5 meses atrás

Acho que Alan Wake volta financiado por alguém grande!

AlexandreR
AlexandreR
Responder a  Jefferson
5 meses atrás

Ainda bem! A Microsoft tem o hábito de arruinar estúdios. E agora com esta política dos AA…
A serem comprados, que sejam pela Sony!

Fernando Medeiros
Fernando Medeiros
4 meses atrás

A notícia é velha, mas só para deixar registrado. Death Stranding foi criado por um estúdio que tem 45 pessoas registrados no linkedin. Eles contaram com a ajuda da Guerrilla para a parte tecnológica.
Por que alguém acha que a The Iniatiative com o talento das pessoas que foram contratadas e o suporte e background tecnológico da Coalition não consegue entregar um jogo de grande porte tendo o mesmo tamanho da Kojima Productions?

nETTo
nETTo
Responder a  Fernando Medeiros
4 meses atrás

Porque a Microsoft diz ter criado este Studio para a revolução dos AAAA, algo que não existe nem nos mais ricos e melhores studios de hj, daí que acreditar que um studio com pouco mais de 2 anos que nunca criou nada e que o seu chefe veio a público relatar que o time é pequeno, vai se manter pequeno e que as ambições são igualmente pequenas, pelo menos pra este momento, e que ainda por cima tem apenas 42 colaboradores.

Death Stranding foi criado por 80 pessoas+apoio da Guerrilla, tem notícia na eurogamer sobre, só se informar.

error: Conteúdo protegido