The last of us… melhoria sobre o jogo anterior ou não?

5 7 votes
Avalie o nosso artigo

Após ter lido as queixas de muitos dos que se queixam sobre a história de The last of us 2, quer-me parecer que as suas razões ou são xenófobas, políticas, ou pura e simples decepção por a história não ter seguido o rumo que estes esperavam. Daí que, ignorando isso, escrevo um pequeno artigo sobre Tlou parte II que mostra como o jogo evoluiu face ao primeiro.

The last of us foi um grande jogo. A sua história é realmente fantástica e enternecedora. Mas um jogo que teve um início, um meio, e um fim. Aquela história começou e acabou ali, e daí que a segunda parte e o que ela continha era um mistério.

Eis que a segunda parte nos chega, e a história é uma continuação, mas não nos mesmos moldes da primeira. Sai a ternura e entra a violencia, a vingança. A temática do segundo jogo é bastante profunda, complexa, e diferente. Mas acima de tudo é radicalmente diferente da do primeiro jogo, e aqui é-nos mostrado um mundo os as acções tem consequências, onde os NPCs tem também sentimentos e vida própria.

No entanto não é minha intenção falar da historia. Aceita-se as queixas de quem acha que a história deveria ter sido diferente, que as personagens mereciam outro destino, etc. Apenas abordo essa situação pois nada disso altera uma outra realidade: A história deste segundo jogo, cumprindo com expectativas ou não, não deixa de ter o seu valor. É uma grande história!

Mas histórias à parte, Tlou ficou reconhecido como um dos melhores jogos da geração passada. E Tlou II acrescenta sobre isso. Eis em que:



  • Som e grafismo

Se o primeiro jogo impressionou com algo que parecia superar as capacidades da PS3, este novo jogo alcança patamares que. mais uma vez, puxam a consola ao limite. A qualidade das texturas, das modelações, tudo é fantástico e acompanhado pela impressionante obsessão pelo detalhe da Naughty Dog. A vegetação melhora a luz melhora e tudo o resto melhora.

Um pequeníssimo exemplo da atenção ao pormenor deste jogo

O som teve tambem melhorias significativas. O uso do som para se navegar continua a ser fundamental, cada inimigo faz ruidos diferentes e o som dos clickers continua a causar arrepios. Estamos perante um ambiente sonoro ao nível do que de melhor se faz, inclusive no cinema.

Dentro desta questão do som e pormenor temos a questão da guitarra. Ellie pode tocar guitarra, colocando os dedos nas cordas certas de acordo com os diversos acordes. E perante isso, é possível tocar-se milhares de músicas usando o jogo.



  • Melhorias no combate

A inteligência artificial do jogo levou grandes melhorias. O jogo mostra-nos algo inédito até hoje num videojogo. Inimigos com amizade uns pelos outros, que se tratam pelos nomes, que se protegem, que chamam e dialogam constantemente, que usam cães com os quais também tem relações de amizade, que sofrem com o que sucede aos companheiros e cães.

O mundo está cheio de histórias de pessoas que habitaram os locais, os nossos companheiros de viagem tem reacções assombrosas ao que vão vendo, com caras de riso, nojo, e comentários. Chegam mesmo a pedir desculpa quando ao se movimentarem são detectados, etc.

Basicamente este é um mundo mais vivo do que o normal. E onde o que se faz tem mais consequências do que nunca. Um jogo onde nos tentam fazer sentir mal com as nossas acções tal o realismo e o sentimento colocado em cena.

Os inimigos se capturados, desarmados, e ameaçados com a arma, suplicam pela vida, mas num detalhe perfeito, se estes se apercebem que a arma não tem balas, debatem-se soltam-se e iniciam combate corpo a corpo.



Isto tudo requer uma IA aprimorada. Os inimigos flanqueiam, comunicam. É possível desmembrar com tiros bem colocados, e o inimigo ajusta-se à sua realidade. É fantástico.

  • Mundo semi aberto com exploração

Se o primeiro jogo é 100% linear, o segundo não é. E em determinadas partes o mundo abre, podendo-se andar livremente a pé ou a cavalo numa cidade abandonada, explorando o seu conteúdo. Os pontos de interesse são marcados no mapa, há comentários e dicas sobre o que fazer, e o mapa é actualizado com novos dados de acordo com o que vai sendo descoberto e sendo feito.
Esta área permite descobrir histórias de ex habitantes e explorar vários estabelecimentos, sendo que essas situações são completamente opcionais e dependentes do tempo que o jogador quiser destinar a explorar o espaço.

  • Novas mecânicas

Algumas mecânicas do primeiro jogo foram abandonadas, mas outras apareceram em seu lugar. Uma delas é a mecânica de cordas, que se usa para se conseguir explorar o mapa. Algumas vezes essas mecânicas são obrigatórias, outras são opcionais e dão acesso a lugares de outra forma inacessíveis que podem ser explorados para itens.

Outra mecânica passa pelos pequenos puzzles com a electricidade, os vidros que podem ser partidos, e as diversas formas de colocação das cordas que podem ter mais do que um uso.



Acima de tudo há agora muitas mais mecânicas verticais que antes, e o modo stealth foi melhorado, com os inimigos a perderem-nos de vista novamente caso estejam algum tempo sem nos visualizarem.

Basicamente se o primeiro jogo era já um colosso, este segundo melhora em tudo face ao primeiro. A forma como mexe com emoções, sejam para se odiar ou para se amar o jogo é algo único que pouco jogos até hoje conseguiram. Acima de tudo este é um jogo de reflexão, que dá bastante o que pensar, e um dos melhores jogos da geração em todos os formatos.



5 7 votes
Avalie o nosso artigo
27 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Pedro
Pedro
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Como já disse anteriormente, para mim este jogo destaca-se de tudo o resto. É impressionante a vida que a ND deu ao jogo sendo que estão limitadas com o hardware da ps4. Com isto em mente não consigo parar de imaginar o que poderá ser feito na ps5, com mais processamento e com o disco super rápido que poderá levar as texturas e o ambiente carregado a níveis nunca antes visto.

Mas voltando ao tema para mim game of the year sem dúvida.

Mário o que muita gente não entende é que quando chega ao fim do jogo vê uma história vulgar, mas apenas veem isso pois não param para pensar…

Quando começas a olhar para a história e para os eventos todos, percebes que a história é super complexa, inclusive após terminar o jogo andei uns dias meio baralhado com a história, é impressionante a maneira com que o jogo te passa os sentimentos de raiva, tristeza e solidão.

E claro se comparares com o primeiro jogo os sentimentos eram basicamente o inverso e claro, gera automaticamente revolta perante este novo jogo.

Para além disso o jogo mexe com muitos tabus na sociedade mais uma razão para a revolta de algumas pessoas.

Contudo para mim, visto que estes tabus não são tabus, e como parei para pensar na história e em todos os seus promenores definitivamente amei o jogo.

Abraço

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Pedro
3 meses atrás

Comigo, o jogo precisou ser digerido de forma consciente após terminar…. Ele te faz pensar e mais que isso, ele te faz se redescobrir. O game chega a te manipular e tem horas que eu me questionava: “opa, pera aí, eu não sou assim. Pq estou sentindo isso”. Nenhum game, na minha vida, tinha me provocado tantas sensações complexas ao mesmo tempo. Não é a toa que as pessoas discutem e essa era a intenção do jogo, provocar. Não te deixar feliz e satisfeito com a história.
E quando alguém vem falar que tá um lixo e quer impor seu ponto de vista, eu discordo e ninguém vai me fazer mudar de opinião, assim como eu TB não sou capaz de mudar a opinião de quem achou ruim. E é exatamente sobre isso que o jogo conversa. Que coisa fantástica. Hehe

Sparrow81
Sparrow81
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Minha opinião: Um marco técnico no mundo dos games. Técnicamente é mto difícil achar alguma outra empresa para bater de frente com rockstar e ND. Já na parte de criatividade e ousadia, a ND está no topo e não vejo outra que chegue ao mesmo nível.
Azar dos jogos que virão depois, pois terão que se esforçar mais. Ghost of Tsushima já é o primeiro a sofrer com isso. Mesmo sendo incomparáveis por razões óbvias, alguns revisores rebaixaram bastante a nota do game por causa de expressões faciais, iluminação, grafismo, movimentação de personagens, inteligência artificial. Se comparar ghost com a maioria dos jogos, ele está acima da média. Inclusive melhor que alguns que receberam média 90+ no metacritic. Vejo que esse game sofreu o pós TLoU 2. Graças a ND, os jogos tendem a evoluir mais uma vez. Não só em grafismo, mas em narrativas mais ousadas, deixando de seguir a receitinha pronta e cansada da maioria dos games. Por exemplo: Games da Ubisoft não tem mais espaço aqui em casa faz algum tempo e vendo um pouco de AC Valhalla e Watch Dogs Legion, não vai ser dessa vez que terão. São jogos que nasceram cansados, com fórmulas batidas e que não me despertam nenhum interesse.

bruno
bruno
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

Problemas que tenha com a evolucao da historia a parte, este jogo e um portento tecnico. Ele puxa a frente de tudo IA, desenho de NPCs e iteraccao com o mundo, puxa isto a um nivel nunca antes visto. Equiparavel so mesmo a Rockstar e a sua atencao ao detalhe com as personagens nos seus muito completos mundos abertos. Mas nada se equipara ao sistema de animacoes que a ND tem a funcionar aqui.

Claro… vais a foruns e afins e nunca ninguem ira referir isso. Alias a narrativa e que o que a ND faz nao tem nada de mais… Mais uma vez a quantidade de pessoas que se esforcam por negar a realidade dos factos nunca me deixa de espantar.

Ghosts por seu turno tambem e um portento tecnico, embora nao tanto como o que a ND fez. Graficamente esta soberbo e o design nao deixa de ser espantoso. E pensar que tens estes dois a correr num GPU 7970 de 2013… a 1080p fixos e a 30 fps.

E pensar tambem que tinhamos aqui uns genios a jurar a pes juntos que evolucao grafica esta gen so reduzindo a resolucao para 720p.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  bruno
3 meses atrás

Não dá para negar que as equipes First party da Sony conseguiram tirar tudo do hardware PS4 no fim da geração. Ingenuidade ou até burrice achar que a atual geração ainda tem muito a dar em termos de evolução. Meu PS4 pro “sofreu” em mtos momentos de TLoU 2.

Sparrow81
Sparrow81
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Em tempo, como os corpos colidem com vários objetos no cenário (caixas, muros, paredes) eu nunca tinha visto algo parecido. Você mata um npc perto de algo e o corpo cai se escorando em paredes, carros e outras superfícies de forma MTA realista. Não há outro jogo a fazer isso.

Também tem uma parte do jogo que usaram de um truque de streaming que foi genial para a cena. A parte onde estamos na chuva com Abby capturada pelos serafitas e iluminação de tochas é simplesmente um primor e uma aula de direção e grafismo. Ali o jogo limita sua visão ao máximo para brilhar nos detalhes gráficos e iluminação com tochas. Simplesmente algo absurdo tudo que foi feito naquela tomada

Fernando Molina
Fernando Molina
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Tecnicamente é sem dúvidas o melhor da geração, não gostei muito da história, mas não tem como não se render ao capricho aos detalhes da ND, imagino o que ela fará com o PS5

Alguém já jogando o Ghost of Tsushima?? na espera do meu, mas pelo jeito o Submarino não vai entregar hoje

Andrio
Andrio
Responder a  Fernando Molina
3 meses atrás

Pela amazon o meu só chega na terça =/

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Fernando Molina
3 meses atrás

O meu chega daqui a pouco.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

O meu já cá mora, deixei a instalar, quando sair do trabalho vou até ao Japão Feudal

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Alexandre Oliveira
3 meses atrás

Já estou jogando… E o início está realmente bem prazeroso se explorar e os combates são bem legais… Acho que alguma análises exageraram, pois o que percebi até agora é queno game busca muita inspiração nos filmes antigos de samurai, que é algo teatral. Para quem curte Kurosawa e outros, é um prato cheio.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

TLU Parte 2 o melhor da geração, capaz de me surpreender a todos os niveis!
Adorei a Historia embora algumas partes tenham custado a digerir..

Carlos Zidane
Carlos Zidane
3 meses atrás

A excessão da história, todo o resto é fantástico. O mais bonito que já vi.
O que pode melhorar de mais importante, pra mim seria a inteligência dos inimigos que são completamente burros. Não apresentam uma ameaça verdadeira, e no modo mais difícil no primeiro que me lembro o que se fazia é que qualquer tiro te mata, mas eles continuavam estúpidos.
Nesse 2 eu realmente não sei pois não quero jogar nunca mais e não vou experimentar mais nada.

By-mission
By-mission
Responder a  Carlos Zidane
3 meses atrás

No primeiro game era preciso terminar para ter o MODO PUNITIVO… Nesse qualquer dificuldade é punitivo Lol

Ao menos dê algumas risadas com o game kkkkk

https://youtu.be/MNXuAH16zq0

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  By-mission
3 meses atrás

Kkkk valeu bro, esse vídeo ficou hilário, vou até baixar.

PS: sim, mais pro final acho que meu rage da chata da Ellie estava como punitivo mesmo ;p

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Zidane
3 meses atrás

A IA dos inimigos melhora mto nas dificuldades mais altas. Jogar esse game na dificuldade normal, sem condições pra mim.

Lucas
Lucas
3 meses atrás

[OFF]

Isso é um mal sinal, estamos falando de um jogo da geração atual.

https://twitter.com/UbisoftSupport/status/1284100933459349505

Andrio
Andrio
Responder a  Lucas
3 meses atrás

Lol, Não entendi direito….

Livio
Livio
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Estou com 20h e poucos minutos de jogo, chegando a área da roda gigante, nem sei se estou pelo meio do jogo ou já perto do final (não precisa falar qual a minha situação), embora eu creio que ainda estou pela metade e pelo tudo que vi até o meu último save às 01:59 da madrugada de hoje está em conformidade com o conteúdo do artigo.

O som dos estaladores me arrepia com facilidade(algo que só é comparável ao barulho da Lisa no P.T.) e há áreas que fico apreensivo. O jogo tem uma facilidade de te assustar, me assustou mais que os atuais filmes e jogos de suspense.

Um mundo maior ao qual ainda não me acostumei, quando chego em uma área cheia de NPC fico esperando a hora certa de atacar, como se houvesse somente a direção a frente para seguir, quando elimino todos e começo a vasculhar a área percebo que existem locais em que eu poderia ter acessado e ter finalizado os NPCs com menos tempo. Fora a vidraça da janela que pode ser quebrada, bem como de outros equipamentos como geladeira, tenho por mim que deixei de vasculha áreas por não ter percebido o vidro.

A IA é outro ponto forte, ás vezes você fica na dúvida se executa primeiro o cachorro e depois o dono dele ou vice-versa.

A única reclamação que tenho é da Ellie ficar constantemente a falar quase a mesma frase/palavra ao executar cada NPC em um momento de stealth.

O sentimento de raiva e justiça/vingança, percebi no desenrolar da história fora a IA da Dina que pediu desculpas após ter sido visualizada 2x pelos NPC (Sim, aquele erro do personagem secundário passar correndo na frente do NPC sem que o mesmo seja detectado foi corrigido)

Por mais tudo no jogo está me agradando, se não fosse isso não estaria jogando-o até às 2h da madrugada.

eduard08
eduard08
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Para mim esta um grande jogo que gostei imenso de jogar, uma vez começado nao da para parar com a imersao que se tem, agora melhor ou nao que o anterior penso que sao coisas que para mim nem se deviam comparar pois nao foram feitos para a mesma consola, sao 7 longos anos que separam os 2 jogos, e normal que em nivel de grafismos, sonoro e a maneira de jogar evoluissem
quanto a historia e como tudo o resto, ha sempre quem discorde e cada um tem o direito de discordar, mas discordar apenas porque estao “presos” a ideologias do “passado”, a essas pessas nem se devia dar credito
eu sinveramente nao vi trailers nem nada que me pode-se dar indicios do jogo, nao estava a espera de nada como no primeiro, mas sabia que podia fazer confiança a naughty dogs e sinceramente nao sei que mais o pessoal estava a espera visto como estava a sociedade no fim do primeiro, e um mundo cruel onde todos fazem de tudo para sobriviver e fazer reinar as suas ideologias

eduard08
eduard08
Responder a  eduard08
3 meses atrás

ja agora quem quiser ver, ja ha as primeiras imagens da dualsense em açao

https://www.youtube.com/watch?v=3nMDnRhqSaA

Livio
Livio
Responder a  eduard08
3 meses atrás

Sabe o que acho interessante? A atenção que dão ao PS3, nessa demo do Astro com DualSense o Geoff pode ter tido a sorte de ter pego o PS3, mas no The Last Part2 você vê uns 3 PS3 nas casas, mas não vê nem o PS2 e nem o PS1.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Livio
3 meses atrás

Eu acho que eles usam muito o PS3 em TLoU por causa da data mesmo. O surto no game foi em 2013, último ano do console e TLoU surgiu no PS3 né?!!

Daniel
Daniel
3 meses atrás

Off Topic.
Não sei se já foi falado aqui, mas tem um canal de entrevista famoso no youtube brasileiro chamado flow podcast e ontem a entrevista foi com Rafael Grassetti que é Art Director do God of War 4; foi ele o responsável pela arte do Kratos e Atreus. Pode ser interessante assistir, tendo em vista que é um dos cabeças do Studio Santa Mônica.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Daniel
3 meses atrás

Eu assisti. Mto bom mesmo. 400 cabeças envolvidos em god of war do ps4 no ápice. É muita gente para nada. Andei sabendo que existem Studios a fazer triple A com 40 pessoas. 😂😂😂😂

Alexandre
Alexandre
3 meses atrás

Não me farto de jogar este jogo, que delícia. É um jogo marcante e que servirá como termo de comparação nos jogos futuros. Como dizia alguém, nos vamos cobrar às produtoras se elas não oferecerem algo semelhante, em qualidade, ao que a ND fez.

error: Conteúdo protegido