Uma análise à E3 2018 da Sony

A conferência da Sony deste ano não foi muito diferente do habitual, mas foi prejudicada acima de tudo pelo formato usado na apresentação.

A conferência na E3 2018 da Sony não foi muito diferente do que já fez em outros anos. O foco foi num número bem mais limitado de jogos do que a Microsoft tinha feito, com mostra de jogabilidade de dois dos grandes exclusivos da Sony, o The Last of Us e o Ghost of Tsushima, uma situação que, só por si, não tem de ser considerada nem boa, nem má uma vez que tudo depende da forma como o tempo foi dedicado a cada jogo.

Agora a realidade é que a conferência foi feito num formato bem diferente da da Microsoft, e acima de tudo com um look bem menos tecnológico, algo que agrada aos gamers. E o que posso dizer sobre o que vi?

No global, após ter visto uma boa série de conferências nesta E3, e não discutindo que a Sony apresentou qualidade de topo no que mostrou, a realidade é que o formato da conferência da Sony foi das mais pobres de todas. Pessoalmente, achei-a mesmo a pior de todas as que vi e isso acabou por prejudicar o que foi mostrado ao não criar o ambiente adequado.

– Cortes na montagem impediam a reação do público.



– Demasiadas situações sem qualquer interesse (performances de guitarra, flauta, etc).

– Demasiada conversa na apresentação.

– Apresentações sem indicações de exclusividade.

– Apresentações sem datas de lançamento.

– Cenários caracterizados de forma pouco interessante para o público em geral, dando ideia de ambientes pequenos e caseiros.

– Exclusivos como Days Gone e Dreams mal abordados.

– Ausencia de informação sobre apostas futuras da Sony.

– Apresentação sem ritmo e desinteressante.

– etc.

A minha reacção perante o que vi foi de tal forma que resolvi tentar procurar por algo que me desse indicação do que as pessoas acharam da conferência e perceber se tinha sido apenas eu que achava o formato usado terrível… e encontrei esta sondagem feita na própria E3. E curiosamente, os resultados logo após a conferência que ali encontrei batem certo com a minha opinião pessoal e mostram que efectivamente a Sony esteve muito abaixo dos seus standards.

Verificamos ainda se esta ideia estava em mais algum local, sendo que encontramos na Neogaf um questionário sobre o assunto, e eis o que achavam os elementos que tinham votado à hora de escrita deste artigo (16:30 de dia 12) sobre cada uma das conferências:



Os votantes consideram que numa avaliação de A a F (sistema de avaliação Norte Americano onde A=Excelente, B=Bom, C= Satisfatório, D=Fraco, F=Insuficiente), a Microsoft foi maioritáriamente um B (Bom), sendo que o A (Excelente) é a segunda opção mais votada. No Global, estas duas opções mais votadas obtem 68,3% dos votos!

Já no que toca à Sony, a maioria foi um C=Satisfatório, com a segunda opção a ser o B (Bom). No entanto, o satisfatório e notas inferiores obtiveram 63,8% das votações. Apenas 36.2% votaram em A e B. Uma inversão total face à votação da Microsoft.

Mais uma vez refiro que na nossa avaliação o que está em causa não foi a qualidade do apresentado (havia conteúdo extraordinário e com níveis de qualidade absurdamente elevados)… foi o contexto e o ambiente em que foi apresentado e a capacidade de empolgar, ou falta dela, que se gerou devido a tal. A conferência perdeu muito com o formato de apresentação escolhido, feita a um ritmo lento e onde os jogos apresentados acabaram por encaixar mal. Acima de tudo a mudança de cenários e a montagem video a isso associado cortava as reacções do público após a apresentação dos jogos e dessa forma tudo soava mal, soava a falso, a montado, e parecia mostrar fraca aceitação do público. A piorar a coisa havia distrações acessórias a mais, tanto que ao fim de 23 minutos, apenas se tinha visto The Last of Us 2 que teve direito a 12 minutos de video. Ou seja, nessa altura tínhamos tido basicamente o tempo distribuido com 50% com um jogo, e os restantes 50% com musica e paleio em tom de conversa dos apresentadores. E convenhamos que nesta conferênciaas pessoas não estavam lá exactamente para ouvir esse paleio ou ver pessoas a tocar viola.

Mas como disse, isso em nada afecta a qualidade do que foi apresentado e onde a mestria das equipas que trabalham em exclusivos Sony ficou bem demonstrada.

Em tom de resumo, no global a apresentação não foi claramente das melhores conseguidas da Sony, tendo decepcionado especialmente pelo formato adoptado que, como referido, prejudicou, em muito, o excelente conteúdo ali presente. No entanto a realidade é que o que se viu aqui foi uma aposta na promoção de conteúdo existirá apenas nas consolas Sony. Já o que vimos na conferência da Microsoft foi, maioritariamente, conteúdo multi-plataforma e isso pode dar a vantagem em termos de jogos para a Sony. Mas certamente não foi a conferência que mais apaixonou e cativou, sendo que no global, a nível do empolgamento gerado, considero que a Sony ficou bem atrás da Microsoft este ano.



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
By-mission
Visitante
By-mission

Até concordaria com tudo o que disseste, mas foste mal no final..

As pessoas que foram a conferência não foram ver alguém tocar viola.

O que as pessoas foram ver era o próprio Gustavo Santaolala, ao vivo, tocar o tema principal do jogo mais importante da PlayStation, se algures não gostem de viola até compreendo, mas diminuir a banda musical em um jogo que se apoiou tão fortemente nas suas composições originais é no mínimo faltar com o respeito ao artista e um dos grandes responsáveis da essência deste jogo… Ao meu ver ele merecia mais espaço na apresentação.

Ainda que também não tenha gostado da apresentação em si, os jogos estão em tao nível que há muita gente a reclamar que estão a mostrar jogos de uma futura PS5…

The Last of Us ll, Spyderman, Ghost of Tsushima e DS conseguem brilhar mais que God of War, isto que este é o mais bonito da PS4.

Digo por mim que o hype está agora em Ghost of Tsushima, sem esquecer que melhoraram as mecânicas do The Last of Us então temos Goty e está melhor do que eu estava esperando…

bruno
Visitante
bruno

Era o Gustavo Santaolala? Então Mário? O autor do tema principal de TLoU?…

Pois eu não duvido nada. Vi os videos ontem à noite e até eu fiquei parvo com aquilo.

E pensar que há certas pessoas andam para aí a afirmar que o hardware não aguentaria estes anos todos e que nesta altura os jogos na PS4 seriam a 720p, porque não conseguiriam aguentar com isto (pessoa essa que recentemente se deu razão a si mesmo porque as consolas de meio de geração foram lançadas, o que não prova nada porque não só não iniciaram uma nova geração como não impediram a PS4 base, pelo menos, de continuar a entregar no mesmo formato que no inicio).

Lucas
Visitante
Lucas

“Oque as pessoas foram ver era o próprio gustavo”

Pelo amor… se ele não tivesse sido apresentado tanto quem tava assistindo e até mesmo as pessoas que estavam la não teriam a minima idéia de quem era aquele senhor. fora a falta de interesse do publico mexendo no telefone ou conversando enquanto esse gustavo tocava.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Sem tirar o valor ao senhor, o que ele fez foi acessório. Não trazia verdadeiro valor acrescentado a quem ali foi e que tinha um só objectivo: Ver os jogos que iam sair.

Antonio Lucas
Visitante
Antonio Lucas

É incrível, nao se pode reclamar qualquer coisa relacionado a PlayStation que já é atacado, você foi o exemplo perfeito agora Mário, só porque fez uma observação sobre o músico que eu tenho certeza que 95% das pessoas concordam

bruno
Visitante
bruno

Não assisti à apresentação da Sony dado que era às duas da manhã e no dia seguinte tinha que ir trabalhar, mas desde que vi a notícia de um formato diferente que temi que algo assim pudesse acontecer. Não sei qual a natureza da conversa – se sobre os jogos, ou paleio sem sentido, mas deviam saber que se as pessoas querem escutar algo, será ou notícias sobre funcionalidades de interesse da consola, ou informações relevantes sobre os títulos.

Confiando na tua impressão, acho que com toda a justiça a Xbox teve a melhor conferência (apresentou mais jogos e mais planos para o futuro – esquecendo claro as calinadas com o próximo hardware e streaming que semearam confusão e contrariaram o que parecia ser uma aposta no futuro da ONE), por isso com toda a justiça será a vencedora desta E3. (também não assisti à da Nintendo).

Seja como for, não deixa de ser impressionante o que foi mostrado. Sobretudo como jogam com as cores e o HDR (implementado em toda a sua força)!

Spiderman está brutal (apesar de muito semelhante à série Batman Arkham) e com uma qualidade fantástica. E pensar que vou poder ter tudo aquilo a 1080p 30 fps na minha PS4 é de fazer cair o queixo. E por falar em águas realistas, alguém prestou atenção ao detalhe aplicado no oceano daquele vídeo?

Ghosts of Tsushima é lindíssimo e parece combinar o desafio de jogos de luta como Tekken, numa história em mundo aberto. Mas o que realmente espanta é a dimensão do mundo e os gráficos e detalhe do jogo, com um conceito a fazer lembrar The Witcher. Isto sim foram gráficos fotorealistas e a serem aplicados a um jogo. Já está na minha lista, e ou muito me engano, ou será um jogo que criará um franchise com pernas para andar.

The Last of Us Part II, promete não desiludir e entregar tudo o que foi fantástico no original e mais algum. O mundo está incrívelmente detalhado, a IA dos inimigos surpreende, a história promete e sobretudo o mundo está muito maior, permitindo diferentes abordagens. E aqueles gráficos! Custa-me a acreditar que teremos aquilo na PS4.

Death Stranding, ainda não sei o que pensar. Gostei do que vi, gostei do conceito (faz-me lembrar um pouco Final Fantasy The Spitir Within, o primeiro filme CGI da série) adorei os gráficos – se aquilo é o motor de Horizon ZD nota-se que houve uma enorme evolução, a qualidade daquelas modelações e todos os efeitos empregados estão fantásticos.

Basicamente, a Sony continua a mostrar porque é uma referência a nível tecnológico e posso dizer com toda a certeza que esta é uma excelente altura para se possuir uma PS4. Eu não consigo olhar para o que foi mostrado e sentir necessidade de uma nova geração em 2019. Não consigo. E atenção que todos esses títulos têm o selo de “Exclusivo PS4”.

Ennio Rafael
Visitante
Ennio Rafael

Perfeito seu comentário, realmente é impressionante para um hardware que foi tão criticado, principalmente pelo pessoal do PC, sendo comparado a tablet e mobile. A vegetação em Ghost of Tsushima foi algo de cair o queixo, parei de ver a apresentação nesse momento, estava muito chato e percebi que não teriam mais novidades, deixei para ver os traillers no dia seguinte e acertei.

A apresentação em si parece que foi bem fraca mesmo desisti, mas a impressão que me foi passado é de que é fim de geração mesmo, jogaram no seguro e o resto é futuro.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Eu gostei da apresentação! Gustavo tocou um dos temas mais fantásticos dos vídeo games e logo em seguida temos o deslumbre de The last of us. Depois já temos aquele rapaz a tocar com uma flauta, creio eu, o tema de Ghost of Tsushima, tendo logo em seguida um gameplay mágico a qual não acredito que se trata de estar rodando em um PS4. Não estou desmerecendo o PS4, mas algo me diz que aquele game é do ps5. O game mais belo que já vi nesses 27 anos de games que tenho. Foi realmente surreal! Sei que a conferência da Microsoft teve mais cara de E3, TB sei que foi boa, mas ainda fico com a da Sony por ter sido mais intimista.

Ennio Rafael
Visitante
Ennio Rafael

Também to desconfiado disso, isso é que me deixa chateado, a possibilidade de o que estarmos vendo não ser o que o meu aparelho irá apresentar.

bruno
Visitante
bruno

Bem só sei que nos videos oficiais o selo “Exclusivo PS4” está lá. Agora se há downgrade…

Livio
Visitante
Livio

Acho que após sair da prova eu aconteceu algo na minha visão que não consegui ficar espantado com a qualidade gráfica dos jogos apresentados, exceto para o gameplay do Ghosts.

Mas creio que seja devido a qualidade do stream que utilizei, coloquei tanto na TV quanto no notebook para ter resolução FullHD, mas o que via (embora YT dizer que estava em HD) parecia 480p ou qualquer coisa abaixo de HD Ready.

Devido o tempo corrido neste final de semestre só vi o vídeo de TLoU II no YT e em relação a parte que parece CGI notei uma movimentação estranha. Pode ser só impressão minha. Irei re-assistir os vídeos em uma data mais a frente.

By-mission
Visitante
By-mission

Alguém se sentiu frustrado frente a demo de TLoU ll, rapaz a Internet não perdoa….

https://www.eurogamer.pt/articles/2018-06-13-chefe-da-eidos-montreal-afirma-que-as-animacoes-de-the-last-of-us-2-sao-falsas

Fernando
Visitante
Fernando

Dentre os jogos mostrados, existe um grande salto visual no TLOUS2 e no game novo da SP perante os outros.
Coincidencia ou não, nenhum desses jogos tem e ambos foram mostrados no PS4 Pro.
A teoria que eu acredito é que tanto o próximo Playstation quanto o proximo Xbox servirão de console premium ficando o One X e o Pro como maquinas de entrada. Existe um artigo novo na eurogamer sobre o Halo Infinite onde eles até levantam a hipotese ao citar que no campo dos gráficos, o xbox one x ainda sera um console competitivo na próxima geração.
Interessante ver que praticamente 100% da e3 2019 ja esta confirmada no lado da sony. Mais gameplay desses jogos que decem ser anunciados com data para 2020 e o anuncio de algum jogo qie ainda esta em estagio inicial e vai demorar mais uns 3 ou 4 anos.
A Microsoft precisa aprender bastante sobre marketing com a Sony. Ela poderia ter apresentado o Halo Infinite e o Gears 5 ainda no ano passado e ter evitado 1 ano de artigos dizendo que a divisao xbox está morrendo e a Microsoft cortou verbas para produção AAA.
Ela poderia também na e3 agora ter dado um trailer da nova IP da Playground só pra passar aquela impressao de que o jogo está chegando tem um exclusivo AAA para comprar todo mes, mesmo que esse ainda esteja a uns 4 anos de chegar.
Eu acho ainda que o Halo Infinite que ainda não tem nem gameplay divulgado sai primeiro que o TLOUS2.
E na proxima geração, ela tambem precisa adiar jogos pelos primeiros 3 anos e basicamente viver de parcerias com MMOs tipo destiny pois os primeiros 3 anos da geração sao apagados da memoria da midia com uma borracha e o suporte a plataforma só conta após. Então, se no global o Xbox tiver a mesma quantidade de titulos AAA do concorrente, a conta só inicia de verdade após 3 anos.

bruno
Visitante
bruno

A teoria que eu acredito é que tanto o próximo Playstation quanto o proximo Xbox servirão de console premium ficando o One X e o Pro como maquinas de entrada. Existe um artigo novo na eurogamer sobre o Halo Infinite onde eles até levantam a hipotese ao citar que no campo dos gráficos, o xbox one x ainda sera um console competitivo na próxima geração.

O que dizes implica que as versões Pro se mantenham e as base abandonadas. Isso vai contra o conceito de geração que a Sony sempre defendeu. Não sei o que a Xbox ONE X vai fazer e pode ser que seja isso, mas a Pro? Não estou a ver a Sony a fazer isso.

Interessante ver que praticamente 100% da e3 2019 ja esta confirmada no lado da sony. Mais gameplay desses jogos que decem ser anunciados com data para 2020 e o anuncio de algum jogo qie ainda esta em estagio inicial e vai demorar mais uns 3 ou 4 anos.

Reparaste naquele momento maravilhoso do trailer de Halo Infinite em que se chega ao fim e não há data?… Pois, 100% da conferência da Microsoft já está confirmada para o próximo ano.

A Microsoft precisa aprender bastante sobre marketing com a Sony. Ela poderia ter apresentado o Halo Infinite e o Gears 5 ainda no ano passado e ter evitado 1 ano de artigos dizendo que a divisao xbox está morrendo e a Microsoft cortou verbas para produção AAA.

Tens completa razão! Eis algumas coisas que a MS podia aprender com o marketing da Sony:

Lição nº 1: não anunciar vários jogos e nos 3 anos seguintes cancelar 80% deles.

Lição nº 2: quando se anuncia um jogo fazer por lançá-lo.

Lição nº 3: não andar a passar para a próxima consola de 3 em 3 anos e a anunciar isso com um a dois anos de antecedência.

Lição nº 4: quando se apresenta um trailer espetacular a anunciar um remake, não espetar um remaster mal amanhado.

Lição nº 5: quando se anuncia uma nova consola para 4K, fazer por ter jogos graficamente complexos na apresentação para a conseguir vender.

Lição nº 6: quando se tem uma consola para vender, evitar levar os exclusivos de estúdios internos/comprados para outra plataforma (PC).

Entre outros. A MS realmente tem muito que aprender com a Sony. (espera lá, mas não foste tu que te queixaste da Sonyzação da MS ainda há pouco?! Vê se te decides.)

E tens ainda mais razão quando dizes que a MS podia ter apresentado Halo Infinite o ano passado! E até Gears 5! Mas não o fez… ora porque será que não o fez?!….
Terá sido uma questão de princípio, por querer apenas apresentar jogos quando os está prestes a lançar? Bem se esse fosse o caso, este ano teríamos tido o anuncio inédito de Crackdown 3 e de Halo Infinite só saberiamos daqui a um ano, com sorte, por isso não pode ter sido isso… talvez seja porque ainda não tinha nada pronto o ano passado?! Afinal que explicação poderá haver para que esta empresa tenha danificado o que prometia ser o reinicio espetacular com a consola mais poderosa do mercado?

Ela poderia também na e3 agora ter dado um trailer da nova IP da Playground só pra passar aquela impressao de que o jogo está chegando tem um exclusivo AAA para comprar todo mes, mesmo que esse ainda esteja a uns 4 anos de chegar.

Pois podia! Afinal fez o mesmo com Cackdown3, não é? Talvez seja porque devido ao corte de custos, esse ainda não esteja pronto sequer para ser apresentado… esperemos agora que não se meta outra vez a fechar os estúdios que comprou e a cancelar tudo.

Eu acho ainda que o Halo Infinite que ainda não tem nem gameplay divulgado sai primeiro que o TLOUS2.

Pois, mas o importante é que TLoU Part 2 venha com a qualidade e completo. E só espero é que Halo não fique na mesma situação que Sea of Thieves ou State of Decay 2, só para chegar mais cedo.

E na proxima geração, ela tambem precisa adiar jogos pelos primeiros 3 anos e basicamente viver de parcerias com MMOs tipo destiny pois os primeiros 3 anos da geração sao apagados da memoria da midia com uma borracha e o suporte a plataforma só conta após. Então, se no global o Xbox tiver a mesma quantidade de titulos AAA do concorrente, a conta só inicia de verdade após 3 anos.

Oh Fernando… Tu não vez que ela já fez isso? E não acabou nada bem? O que é que achas que tiveste em 2016 e 2017? E não te esqueças que a MS lançou nesse período uma nova consola, a mais poderosa do mercado, e a coisa não correu lá muito bem. Se fosse a ti, repensava melhor essa estratégia.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Bruno há uma imprecisão muito grande em algumas das partes por ti,pois há histórico de falhas também na concorrente(em menor escala sim,mas teve)ohando mais precisamente ao item 5,você fala como o One X deveria apresentar algo de diferente graficamente para vendas em cima da base como se tivesse a obrigação de ser algo superior.
Não foi aqui exaustivamente que sempre comentamos que tanto a Pro,quanto a X é somente uma extensão dos consoles base apenas melhorando a resolução e mantendo os frames estáveis e em alguns momentos até isto não é possível e então o porque de algo superior.
Como exemplo de outros itens,que deve ser acrescido foi o anuncio de Last Guardian em 2009 e foi lançado acho que em 2016 e GT que foi mostrado a algum tempo e nos fooi passado somente um rascunho colorido que esta sendo melhorado a sua cor.
Seria até interresssante,você ter mencionado isto no seu coment.
Abraços.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Ewerton… O bruno não fala de a X ter graficos complexos. Fala da Xbox ter gráfismos complexos. Por outras palavras, explorar a consola a nível gráfico como faz God of War, Horizon Zero Dawn, Detroit, etc. Basicamente criar exclusivos que a explorassem e a tornassem apetecível.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Mas este não é o idela da consola como já foi discutido aqui em exautão e se puxar pelo assunto ele referiu a ter gráficos complexos sim puxa lá e vê.Na X temos aqui upgrade do Forza H e Quantun Break assim como os exemplos de jogos da Sony citados que forma estabelecidos desde o inicio para base ressalva baixas melhorias na Pro.Assim como ocorre na X.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Entramos em um impasse quanto ao assunto então,pois no paragrafo 5 do coment do user Bruno o mesmo diz diretamente ao anuncio de um”novo”console 4K e é este o ponto de partida ao qual me referi.
Mas voltando ao assunto aqui tratado,citei os dois generos por não ter realmente algo em nivel superior da produtora nestes tempos que se passaram em diferenciação a Sony.Mas não vejo como ultrapassado ou absoleto,aprimoramento do hardware conhecido pelo menos na Mic repito estes tempos em jogos third ficou devendo,mas não tira méritos do existente.
No seu ultimo paragrafo deixo passar.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Eu sei exatamente o que ele quis dizer e foge a tudo que dirigimos aqui desde o anuncio destas plataformas de meia geração.
Como base nós temos um console com 1.3Tflps(temos um cpu mais veloz,mas em contrapartida uma GPU inferior) perante um com 6 e as diferenças você conhece e temos aqui um 1.8Tflps(temos aqui uma cpu menos veloz e um GPU mais parrudo em relação ao rival) contra 4.8 e se puxar-mos a memória embutida,sua velocidade e largura de banda já viu né.
Agora imagina se utilizar-mos isto como o user mencionou sendo a propaganda do console,o que teríamos na base?Este é ponto que originou a minha pergunta,o seu ponto de vista sobre isto foi dado na matéria do jogo”As Sombras de Mordor” a pouco tempo atrás se não me engano.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Pois é isto que eu relatei e deu como referência o seu documentário sobre este jogo,se uma empresa fist party consegue ir alé, imagina aonde iria a dona do Hardware.

É como você mesmo falou que o que o user Bruno mencionou é a Mic teria que mostrar o seu potêncial em TODOS OS CAMPOS.
E como ele mesmo referiu ali em baixo que a Sony apresentou potêncial da pro onde a base consegue rodar quase de igual.
O one base rodaria na mesma proporção?
A reposta é nunca infelizmente e você como consumidor ficaria como.
Ta na hora do Bruno sair da arvore e olhar a floresta.

bruno
Visitante
bruno

@Ewertom Que confusão aí vai!

Vamos por partes:

Bruno há uma imprecisão muito grande em algumas das partes por ti,pois há histórico de falhas também na concorrente(em menor escala sim,mas teve)…
Como exemplo de outros itens,que deve ser acrescido foi o anuncio de Last Guardian em 2009 e foi lançado acho que em 2016 e GT que foi mostrado a algum tempo e nos fooi passado somente um rascunho colorido que esta sendo melhorado a sua cor.

Seria até interresssante,você ter mencionado isto no seu coment.

Porquê?

O Fernando não refere essas falhas no comment dele? A que é que achas que ele se refere quando diz que a MS tem de imitar o marketing da Sony e depois se põe a fala de anunciar jogos para os quais faltam anos até serem lançados? OU quando diz que a MS devia iniciar a geração adiando exclusivos e apostando apenas em MMOS?

Vou repetir o mesmo que ele diz para quê? Aqui a questão nunca foi se a Sony fez. Foi a MS supostamente não fazer e a Sony fazer.

O impressionante é tu não entenderes isto.

… ohando mais precisamente ao item 5,você fala como o One X deveria apresentar algo de diferente graficamente para vendas em cima da base como se tivesse a obrigação de ser algo superior.

Não foi aqui exaustivamente que sempre comentamos que tanto a Pro,quanto a X é somente uma extensão dos consoles base apenas melhorando a resolução e mantendo os frames estáveis e em alguns momentos até isto não é possível e então o porque de algo superior.

Mas este não é o idela da consola como já foi discutido aqui em exautão e se puxar pelo assunto ele referiu a ter gráficos complexos sim puxa lá e vê.Na X temos aqui upgrade do Forza H e Quantun Break assim como os exemplos de jogos da Sony citados que forma estabelecidos desde o inicio para base ressalva baixas melhorias na Pro.Assim como ocorre na X.

Entramos em um impasse quanto ao assunto então,pois no paragrafo 5 do coment do user Bruno o mesmo diz diretamente ao anuncio de um”novo”console 4K e é este o ponto de partida ao qual me referi.

Eu sei exatamente o que ele quis dizer e foge a tudo que dirigimos aqui desde o anuncio destas plataformas de meia geração.

Como base nós temos um console com 1.3Tflps(temos um cpu mais veloz,mas em contrapartida uma GPU inferior) perante um com 6 e as diferenças você conhece e temos aqui um 1.8Tflps(temos aqui uma cpu menos veloz e um GPU mais parrudo em relação ao rival) contra 4.8 e se puxar-mos a memória embutida,sua velocidade e largura de banda já viu né.

Agora imagina se utilizar-mos isto como o user mencionou sendo a propaganda do console,o que teríamos na base?Este é ponto que originou a minha pergunta,o seu ponto de vista sobre isto foi dado na matéria do jogo”As Sombras de Mordor” a pouco tempo atrás se não me engano.

Não tu não sabes, nem de longe, o que eu disse e muito menos o entendeste.

O que eu escrevi foi isto:

Lição nº 5: quando se anuncia uma nova consola para 4K, fazer por ter jogos graficamente complexos na apresentação para a conseguir vender.

E, não sei como, chegaste à conclusão que eu estava a referir-me a exclusivos somente para a ONE X.

Eu apenas disse que a apresentação da ONE X, que foi batizada como a consola True 4k, o monstro e a mais poderosa de todos devia ter contado com exclusivos Xbox que mostrassem em toda a beleza 4k o que a consola podia fazer.

Mas em vez disso, tiveste três thirds como novidade, e uma longa conferência em que mais uma vez se falou no hardware de que já há um mês se falava na impresa e o grosso (grande parte do conteúdo) incidiu sobre Minecraft a 4k e indies que eu posso jogar na minha Vita. E claro, Forza 7, como o relógio.

Para ver se entendes de uma vez por todas aquilo que o Mário está farto de te dizer, quando a Sony anunciou a Pro (e atenção que nem sequer o fez na E3, mas num evento à parte), teve o cuidado de a publicitar usando Horizon Zero Dawn, Spiderman e Days Gone. Três colossos gráficos, que no entanto correm (no caso de HZD), de forma excelente na consola base. E teve o cuidado de colocar ecrãs de grande polegada (>65) com alguns desses títulos a correr.

Tu não tiveste nada deste nível no evento da ONE X.

Agora o que acho impressionante, é que toda a ironia e sarcasmo do comentário do Fernando te passa completamente ao lado….
Quando usou o termo sonyzação, para indicar que não queria que o jogo piorasse, porque seria “menos jogo”, não viste mal nenhum…
Quando insinua que a MS está a apresentar os jogos agora porque é muito integra e só os anuncia quando os vai lançar ao contrário da Sony… também não percebes.

Mas quando eu digo que quero gráficos complexos referindo a um evento em que o foco foi a consola mais poderosa do momento e o grosso do conteúdo foram indies… aí já vez que me refiro a exclusivos para essa consola?!

Ewertom, desculpa mas não engulo que tenha sido inocente.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Se revela Bruno,e eu que sou inocente?cara você viaja e muito.Não perco meu tempo com você,pois sei e você sabe o que referiu ali.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Interessante que você não mencionaste em ponto algum no coment da discussão com o Fernando que ao invés da Mic mostrar o seu poder na sua conferência teve somente jogos indie,como referiste no seu ultimo comente e ai vem voçê com sua conjuntura tentar abafar aquilo que omitiu,ou seja que se corrigiu,mas não deixando de ser o Bruno.
Cara o que seria de repercussão se a Mic jogasse uma tech demo demosntrando o poder da X que tu sabes ser superior tecnicamente a Pro,o que diriam a mídia sobre isto e até voçê.
Repito,olha o hardware da X e olha o hardware da base,ou voçê quer que ti desenho
Joga ali um jogo em super sampling na Pro de um exclusivo que contem gráficos realmente muito bonitos,você sabe mais que niguem onde voçê canta aos quatro ventos a falta de exclusivos e concordo sobre isto.
E te pergunto o que a Mic iria mostrar,se nada tinha.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Aonde tu leste que descrevi que você referia a exclusivos a One X.Aonde.
Você passa,olha e interpreta a seu bel prazer colocando virgula aonde não existe e solicita argumentos.
Realmente estou a estranhar o posicionamento seu,pois sabemos que mesmo a X tendo toda sua arquitetura interna superior,podendo entregar muito além da base,mas fica presa por norma na base,assim como a Pro,que tu mesmo colocaste como um bom exemplo da Sony se esquecendo que as melhorias ali somente foram por super sampling e onde a base roda perfeitamnete,onde fica a boa imagem ai,são peças quase parecidos,diferente da X,onde seu hardware comparado a base é superior,bem superior.
É como estou a dizer a ti e o Mário e não entendo o falatório de ambos como se não entendesse o que estou a dizer,como,eu disse como a Mic apresentaria algo para a consola mais poderosa e true K como você mesmo disse sendo que a base não rodaria na mesma proporção que ocorre na Sony.
Realmente se faltou algo na apresentação da X como tu referes,mas ao meu ver e ao qual tu não falas e deixa questões no ar,tipo errou,mas te pergunto o que ela colocaria se não tinha nada de peso para mostrar.
Abra a mente para ter visão Bruno.em alguns pontos concordamos,mas na maioria voçê se perde.

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

O que foi mostrado de The Last of US 2 e Ghost of Tsushima já valeu a conferencia toda, sem mencionar o Resident 2, mas uma coisa me deixou desanimado e desconfiado, The Last 2 e Ghost of Tsushima pra mim serão próxima geração, sei lá

Livio
Visitante
Livio

Não assisti a conferência por inteiro devido o final da aula ser no início da conferência.

Cheguei a ver partes do stream no caminho via 3G e queria saber o que foi aquilo? Comecei a ver um pouco antes do gameplay do Ghosts e ao ver aquelas 3 ou 4 pessoas em uma bancada falando pensei que estava no stream errado.

Cheguei em casa um pouco antes do gameplay de Death Stranding e ainda não tinha me animado com aquilo.

A sony avisou que seria uma proposta diferente, mas aquilo não me agradou, faltou novidade, resumiu em reapresentar jogos que já apareceram ali antes.

Em contrapartida gostei do que vi na conferência da MS, embora ali transmitiu que para o One em relação a novas IPs vai ficar como está, mas ali teve novidade, Ninja Theory e uma carrada de jogos multiplayers que muitos apostavam que seriam apresentados pela Sony.

Enfim para mim E3 significa ver um Show. Não só a E3 mas todas os eventos de games. Já são 2 conferências seguidas (PSex 17 e E3-18) que a Sony peca.

Ah Mário, deu tudo certo na prova! Menos 1 disciplina neste fim de semestre.

Andrio
Visitante
Andrio

Eu acho que a sony está meio perdida nesses eventos.
Ela anda querendo inovar nesse lado artistico, mas não está dando muito certo não.
Se não fosse os gameplays dos jogos ali apresentado eu diria que foi a pior E3 da Sony! Pra mim 2017 foi pior….
Sobre o futuro da marca playstion eu estou tranquilo, ela tem pelo menos 4 AAA os próximos 2 anos dando tempo para as outras devs trabalharem.
O que eu só acho estranho é essa necessidade de datas por algumas pessoas….
Esse Ano já saiu 2 AAA, setembro sai o spiderMan e Fevereiro sai Days Gone.

Lembrando que a conferencia da Microsoft tambem não teve datas para seus exclusivos tirando forza que já sabemos que sai todo ano.

Mas pelo geral a conf da MS foi melhor 🙂

José Galvão
Membro

Pessoalmente não me faz muita diferença ter pessoal a tocar qualquer coisa, mas sim percebo as queixas, de inicio fiquei algo preocupado não só com o cenário onde tinha lugar a conferência, uma tenda, mas mais pela interrupção para conversa de chacha, a um evento destes só se pede uma coisa, jogos, jogos e mais jogos, e de preferência de seguida, de outra forma é cortar o fluxo de algo que se quer intenso, emocionante.

Apesar de tudo, o que conta são mesmo os jogos, embora a Sony tenha falhado claramente no estilo e ritmo, nos jogos entregou mais que toda a gente, e nesse quesito, que é o que interessa, ganhou a E3.

A EA foi talvez a pior press de sempre, sim ainda pior que a da Sony em 2006 e a da Konami em 2010 (salvo erro), não percebo a lógica de apresentar jogos sem gameplay e os poucos que mostraram foi pouco ou nada relevante, o facto do jogo com maior quota de gameplay ter sido um free-2-play para telemóveis diz tudo, acho que a EA devia fazer como a Square, uma espécie de Direct como a Nintendo faz e está a andar, ou não fazer de todo, valeu pelos EA originals…

A Square foi melhorzinha, nada de especial, estava à espera de uma surpresa ou ainda de um anuncio de um eventual remaster do primeiro Nier.

A Bethesda no papel foi um sonho, na prática foi uma desilusão, não ao nível da EA mais ainda assim uma desilusão, apesar de ter gostado imenso do que vi no Rage 2, não percebo a lógica de anunciar um anuncio, de que o novo Doom vai ser mostrado noutro evento, e o anuncio de jogos para consolas que ainda não foram anunciadas, simplesmente não percebo…

A Ubisoft este ano teve uma press ok, mostrou o mesmo do costume mas ao contrário dos anos anteriores, faltou uma surpresa final, ficou-se pelas expansões e pouco mais, no geral não foi apenas o coitado do senhor que se espalhou ao comprido.

A Microsoft foi na minha opinião, uma boa montra de third partie com os suspeitos do costume a tentarem preencher o vazio que se instalou no seu portefólio, quanto a vocês não sei mas começo a ficar farto da forma como a Microsoft manipula a palavra ”exclusivo”, primeiro anunciam grandes numeros e depois é ”Exclusive” para aqui, ”Exclusive” para ali, a seguir toma lá mais Halo, Forza e Gears, muita parra e pouca uva, tal como tinha dito anteriormente, a press da Microsoft serviu para duas coisas, para eu saber que até ao final desta geração ainda tenho 4 ou 5 motivos para ligar a minha XO, e uma bela preview do que vou poder jogar na minha PS4.
Outra coisa que me preocupa, é até que ponto é que o que eu vi, a minha Xbox One S poderá replicar, porque se o mesmo problema também existe com a PS4 Pro, a diferença de performance não é tão notória.

A Sony, tentou inovar e esqueceu-se de uma coisa chamada simplicidade, nós apenas queremos ver jogos, nada mais, e passado esse problema, o que foi mostrado supera tudo o que vimos na E3, TLOU2 será mais do que o pico visual que esta geração terá para oferecer, é pura e simplesmente um jogo dotado da jogabilidade mais dinâmica que alguma vez vi aliada a um mundo brutal e cru com oponentes com um comportamento natural que se reflecte no combate, é sem dúvida um portento de jogo que para mim leva o prémio de melhor jogo presente na E3.
O Spider-Man surpreendeu-me imenso, já tinha a certeza que ia gostar imenso dele, mas depois de ver este segmento de gameplay, tenho a surpresa que estamos perante o melhor jogo baseado na Marvel até ao momento, e numta nota à parte, é impressão minha ou no final do vídeo indica que ele terá um aliado? Quiça Ironman que o salva daquela situação?
Ghost of Tsushima, meu Deus o que é aquilo?
Que mundo brutalmente lindo, só espero que o combate esteja à altura dos visuais e acredito que sim, este jogo é um testamento da liberdade criativa que se respira na rede de estúdios da Sony, numa geração faz-se uma trilogia de aventuras ao estilo cartoon, noutra outra trilogia de mundo aberto de super-heróis e agora um jogo passado no Japão feudal, mais variedade que isto é impossível, e sempre com uma qualidade consistente.
Death Stranding era o jogo pelo qual mais ansiava ver, não é por nada mas é um jogo histórico, é o primeiro jogo de Kojima depois de décadas a fazer Metal Gear’s onde apenas foi permitido uns desvaneios em forma de Zone of the Enders, de todos os jogos da E3, é talvez o que nos deixa mais a pensar, a especular, e isso é um testamento do génio de Kojima, enquanto a esmagadora maioria cria histórias, ele cria autêntica mitologias, este senhor sim cria mundos, e mundos com personagens carsmáticas.
Vejo muitas pessoas a criticar o jogo porque não conseguem perceber o que ele é, mas depois de anos a lidar com os autênticos novelos de lã que são os trailers sempre misteriosos dos seus jogos até ao seu lançamento, vejo que não percebem a mistica deste processo sedutor que fogem do tipico molde de trailer a mostrar jogo, está ali muito talento, muita imaginação, muito Metal Gear, está ali um jogo de grande qualidade com muita mistica e humor, um jogo como nenhum outro seguramente.
Se tiver que mencionar pontos negativos além do formato escolhido para a conferência, foi a forma como o Dreams foi tratado, um mero entertainer para o que vinha a seguir e ainda sem qualquer data de lançamento, de resto, só tenho que tirar o chapéu ao que foi mostrado, e o que foi mostrado foi o auge de toda uma estratégia que tem sido oleada ao longo dos anos e que se reflecte nisto, jogos com qualidade acima do muito que se faz neste industria.

A Nintendo, bem foi praticamente Smash e pouco mais que isso, foi fraco e prova aquilo que eu já esperava, que depois das estreias de Mário e Zelda que ocorrem com alguns meses de diferença, a Nintendo teria alguma dificuldade em manter o interesse em 2018 como manteve em 2017, não é um ano mau mas muito menos apelativo, e seria bem pior caso não se socorresse do catálogo da Wii U.

No geral foi uma boa E3, já se nota a fase de transição para a próxima geração, salvo os indeies, pouco ou nada se viu em termos de novidades concretas, muitas sequelas e apostas seguras, e aqui mais uma vez a Sony se destaca, 4 jogos completamente distintos entre si e onde apenas um deles é uma sequela, embora não seja uma sequela qualquer, e é assim que deve ser.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

José, concordo em gênero, número e grau contigo! Pensei que estava louco por ser um dos poucos que teve preferência pela conferência da Sony, pois ela mostrou Gameplays e não trailers de segundos. Ah! Além dos jogos serem realmente brilhantes!!!!

AlexandreR
Visitante
AlexandreR

Achei uma piada a Microsoft anunciar que já está a começar a desenvolver uma nova consola.
E a Sony nem tocou no nome playstation 5!
E percebo as críticas da conferência da Sony, mas também percebi a sua abordagem.
Criam criar um clima mais acolhedor, digo eu.
E espero bem que a sony esteja a preparar e bem a ps5!
Porque a próxima geração, promete!
Se a sony podia se dar ao luxo de não ter novidades na E3, a partir de agora não pode…
Aliás, o início da geração o que conta são os promenores!
Os jogos exclusivos de lançamento, se podemos jogar os jogos adquiridos na ps4 na ps5 e por ai adiante!
Se não me engano, a sony vai falar mais da ps5 na apresentação em Dezembro.
Para poder lançar no final de 2019 😉
Ou talvez apresentar mais tardar e lançar em 2020, perto da sua concorrente …

Thiago
Visitante
Thiago

Pode ate ser, porem pSituação tem dois lados
• Recentemente a Sony anunciou que o PS4 esta chegando ao seu fim de ciclo, natural que já estão desenvolvendo um novo console
• A MS assim como a sony já possuem consolas de meio de geração então ao meu ver este anuncio foi claro aviso a concorrente que estamos no jogo.
Visao consumidor não é legal porem é negócios, eu acredito que a MS já possua uma maquina forte de meio geração para segurar as pontas ate a chegada de uma nova gerçao, ai que entra o ponto vamos novamente entrar na guerra de qual console é mais potente? Acredito que a MS não quer perder este posto depois de ralar muito para conquistar, ps5 provavelmente deve sair primeiro na minha visão,e vou além e pode ser ate melhor pois já conquistara uma base de consumidores, porem pode ser uma faca de dois gumes, pois estará já co um console atrás da concorrência em uma eventual potencia.

elo que deixou no Ar

bruno
Visitante
bruno

Mais uma vez, a declaração foi que a “PS4 está a entrar na fase final do seu ciclo de vida”. Não no final, mas na fase final. A palavra chave é fase.

Isto quando o senhor explicava aos accionistas o porquê da divisão entrar num fase de 3 anos, pelo menos, em que os lucros iriam decrescer.

Lucas
Visitante
Lucas

A sorte da sony que existe uma tal de Nintendo que conseguiu ser a pior de todas.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Não vamos confundir a conferência com a qualidade do apresentado.
Quem mais apresentou para a sua consola, que será exclusivo, de qualidade e que sairá em breve foi a Sony… Agora a realidade é que uma E3 é um espectáculo mediático, e nesse aspecto a Sony ficou atrás não conseguindo empolgar tanto como a Microsoft.
A Nintendo é que foi uma decepção em todos os capítulos.

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Sinceramente, já to meio arrependido de ter comprado um Switch, posso tá falando besteira, mas minha impressão é que o apoio das thirds não será muito maior do que foi com o Wii U

Rui
Visitante
Rui

Eu começo a pensar que devo ter sonhado com outra conferência que o resto do pessoal viu, já era tarde, se calhar foi isso…
Houve duas pequenas pausas no início de dois gameplays com musicas relevantes aos jogos, foram quê 2 ou 3 minutos cada musica? Houve uma pausa para paleio no início, sim uma pausa estranha, mas se contabilizar-mos o tempo do paleio, tenho a certeza que foi bem inferior ao total de paleio das outras conferências, e muito do paleio era do género “O nosso jogo é fantástico” e depois mostravam um trailer CG sem nada de gameplay. Não se ouviu muito o som do publico aos berros como noutras conferências, pessoalmente agradeço, prefiro mil vezes não ouvir o pessoal aos berros a interromper o apresentador de 5 em 5 segundos.
Tirando aquelas pausas iniciais tudo o resto foi jogo depois de jogo, nada de conversa fiada, nada, jogos e mais jogos, menos que noutra conferência, mas jogos e se contabilizar-mos as pausas em minutos, quase de certeza que foram inferiores às pausas de outras conferências.
A única critica poderia ser por não mostrarem muito do Dreams, estava a contar com uma data de lançamento ou algo do género, mas ficou-se por pequenas introduções, foi pouco.
No geral acho que foi muito boa conferência.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Quanto a ambientação da feira pra mim é indiferente, todas sempre tem a mesma conversa fiada, músicas (sem problema) as pessoas aparentemente são muito ansiosas e não se envolvem no que está sendo passado, que foi idealizado pelas empresas, apenas querem ver alguma coisa acontecendo, ação digamos, daí deve ser o motivo do sucesso dos FPS multiplayer, a ansiedade por ir direto a ação e não ter que acompanhar qualquer explicação por trás de nada.

The Last of Us P2, correspondeu a expectativa gráfica, o gameplay parece continuar ótimo, realmente linda a qualidade da vegetação, iluminação dos ambientes, todos os elementos bastante fiéis, animações convincentes, a violência está bastante do meu agrado, realista. Se trouxer o que estão falando de carga dramática ao enredo…
Vai jogar a coisa pra outro nível.

Ghost of tsushima com um gráfico… Sem palavras. O gameplay parece estar muito interessante também, gostei bastante.

Death Stranding, continua uma incógnita, mas espero o melhor vindo do Kojima e da Sony que sabem muito bem o que fazem, Sony em raras exceções falhou esquisito mas, quem nunca, não pode virar é hábito.

Homem Aranha, deverá ser legal acredito, o gameplay e visuais estavam ok.

Se com um hardware de PS4 conseguem fazer maravilhas como essas, a próxima geração eu realmente não consigo imaginar, não mesmo, o que poderiam entregar.
É simplesmente fantástico o que esses artistas fazem.

Gostei do que a Sony mostrou.

eduard08
Visitante
eduard08

A mim o que mais me preocupou foi que muitos dos jogos da E3 foram anunciados para 2019, e tanto a Sony como a Microsoft nao deram datas para TLOU2 e Halo respectivamente, serão estes um dos jogos do lançamento das próximas gerações?

Vitor PG
Visitante
Vitor PG

Eles erraram feio não dando previsão de data de lançamento de tlous 2

Livio
Visitante
Livio

Será que foi pela reação negativa à conferência E3 2018?

Sony tem mais exclusivos PlayStation 4 por anunciar, revelou Shuhei Yoshida
Serão anunciados em futuros eventos como a Tokyo Game Show.

Andrio
Visitante
Andrio

Ou Será que é só para esconder o feio?