Usando realidade virtual mãe é reunida com filha falecida. Será isto um bom uso da realidade virtual?

Um programa de TV Coreano, denominado Meeting You focou-se na perda de uma familia da sua filha de 7 anos. Num final algo inesperado, o programa reuniu a mãe com a filha usando uma recriação de realidade virtual. Será isto uma boa medida para os pais, ou uma tortura psicológica adicional.

Numa recriação 3D de elevada qualidade, com igual recriação de voz, e a possibilidade de movimento colocada no humano, com o uso de luvas sensíveis ao toque virtual, uma mãe foi colocada num programa de TV Coreano de nome Meeting You, frente a frente com a sua filha falecida de 7 anos.

Apesar da questão técnica do processo ser elogiável, e de a situação poder apenas enganar por uns minutos, sinceramente questiono se este tipo de experiencia é mentalmente saudável para a mãe que se submeteu a isto.

Não quero sequer imaginar o que ela sentiu nestes minutos de interacção. Ver uma filha falecida enquanto se está ainda no processo de luto, tudo devido a umas linhas de código que tentam reproduzir a realidade só pode aumentar o trauma experimentado,

Há aqui uma barreira moral e ética que se questiona se deveria ter sido ultrapassada. Será que isto realmente ajudou a mãe ou a torturou psicologicamente? E será que tirar partido disto para se conseguir audiências é correcto?

O que acham?





newest oldest
Notify of
Felipe Leite
Visitante
Felipe Leite

Isso é assustador e mesmo que no imediato pareça que é uma coisa boa, pode causar um sentimento de perda e culpa ainda maior.
É um daqueles casos que a humanidade ultrapassa uma barreira muito, mas mesmo muito perigosa.

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Pra mim, isso é assustador e no momento pode ser bom, porém só vai servir para abrir ainda mais uma ferida e aumentar ainda mais o sentimento de perda, mas, vendo também por outro lado, li o depoimento de um rapaz que perdeu a mãe aos 9 anos, hoje ele tem 42, e disse que no enterro não o deixaram ficar perto e por isso não conseguiu se despedir direito, e relata que hoje as lembranças são bem poucas e mais de depoimentos de pessoas próximas, ai ele diz que se tivesse oportunidade de usar essa tecnologia adoraria

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Bizarro. Eu não faria, porém respeito quem faça. Mas é melhor aceitar a realidade.
Não duvido que a tecnologia irá evoluir pra estarmos numa simulação muito convincente, (se a gente estiver vivo) o que é uma coisa boa se bem usado, mas algumas coisas podem causar complicações ainda desconhecidas.
O psicológico humano está muito enfraquecido nos tempos modernos.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Aproveitando esse tema, gostaria de compartilhar um comentário de um analista de geopolítica aqui do Brasil, e que há tempos venho imaginando como essa “evolução” seguirá

Segue

A inteligência artificial e a robótica estão desempregando pessoas a rodo.
A reforma da previdência criará uma legião de idosos sem dinheiro do aposento, a indústria 4.0 uma legião de desempregados.
95% de nós seremos idosos sem empregos e sem aposentadoria.
Eutanásia será aprovada para a geração abortista. Os pais de filho único, criado em creche. Terão os asilos.
Para enfrentar o problema da indústria 4.0 a aposentadoria teria de ser em idade cada vez menor.
Haverá revolução, mas o estado tecnológico vai proteger as máquinas, com força policial tecnológica.
O topo da pirâmide excluí milhões e os excluídos batem palmas sem terem percebido.

Finaliza.

Eu;

Há sim algo aqui de realidade não acham? Ou eles pagarão um salário mínimo pra todos que estiverem fora do sistema por conta da automação?

Civilizações vivem caindo, será que a nossa vez será em breve, (década de 30 talvez) ser a queda como a conhecemos?

Livio
Visitante
Livio

Isso é o que venho conversando com minha esposa, tecnologia em forma de cartão acabando com o trocador/cobrador em ônibus, automatizando tratores em colheitas sendo guiados por rotas definidas com base no GPS, caixas de supermercados automatizados…

A tecnologia está tirando postos de trabalhos aos poucos e a nossa pergunta é a seguinte, no futuro como estes poucos irão continuar a ganhar o seu $$ se muitos não tem emprego para comprar produtos/serviços?

Rui Teixeira
Visitante
Rui Teixeira

Isto acontece sempre! Na revolução industrial aconteceu exactamente a mesma coisa, e as conversas eram as mesmas, milhões de pessoas iam ficam sem emprego. Quando a minha mãe era nova havia pessoas a entregar leite de casa a casa, abriam supermercados e essas pessoas deixaram de ter emprego, o que poderíamos fazer? Impedir que se abrissem supermercados?
Como exemplo, no futuro se calhar as casas serão todas impressas em vez da típica construção, muitos trolhas deixarão de ter emprego, mas outros empregos aparecerão, serão necessários mais engenheiros, programadores, etc. Foi isto que aconteceu na revolução industrial, desapareceram empregos apareceram outros, e é o que vai acontecer no futuro, não podemos é, de forma alguma, impedir o desenvolvimento tecnológico. Se pensarmos dessa forma, hoje não tínhamos computadores, carros, aviões e um largo etc.

Livio
Visitante
Livio

Mas agora é diferente, temos um poder computacional que pode ir aprendendo, para quê engenheiros se pode colocar fórmulas em um computador e ele calcular as paredes de uma casa com precisão? Na revolução industrial pelo menos tinha uma pessoa a operar uma máquina, no futuro não precisa de uma pessoa para operar.

Na china já existe “impressora de imóveis”. Meu pensamento acima não é contra a inovação tecnológica, só não vejo como alguns terão o retorno financeiro caso corte o poder de compra de outros.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Rui, obviamente que tem solução. Mas a humanidade é altruísta o suficiente pra isso?
Naquela época precisavam de gente e muita pra construir esse mundo tecnológico, onde pessoas como meu pai trabalhou a vida toda em mineração pra agora ser substituído por máquinas.
Com a I.A. e toda a automação, a I.A. sendo o principal rival aqui, como pessoas despreparadas que não tem condições nem de compreender o que se passa irão competir com algo bilhões de vezes mais eficiente e barato?

Eu sou o primeiro na fila pra que a tecnologia avance, mas de forma inteligente, sensata e humana.
E quero ver quem diz o que você disse, quando a fome bater a porta porquê já não é necessário.
A humanidade vai sobreviver, mas nós e nossos filhos estarão nessa lista?
E não me importo só com os meus próximos, prevejo a dor de milhões de pessoas, talvez bilhões. Ninguém se importa?

Se tiverem automação suficiente, os exércitos nada mais serão que milícias dos ricos contra nós. E com a crise, dúvido que fiquem do nosso lado. Basta ver o exército chinês, norte coreano, venezuelano por exemplo, eles não estão nem aí pro povo, ou fariam algo.
Deus queira que não seja o que a lógica diz.
Não estamos falando de máquinas a vapor aqui.