Xbox série X não ter exclusivos durante dois anos é uma pena… Mas tal não será o que ditará falta de qualidade nos jogos da consola!

Este artigo tornou-se necessário por ver a reacção das pessoas nos comentários a notícias aqui publicadas sobre a falta de exclusivos na consola nos dois primeiros anos. E daí que se torna necessário deixar claro que ao contrário do que se tenta pintar, a Microsoft e a Xbox estão aí para as curvas, e preparam uma grande geração.

Esquecendo todo o ramo da especulação, especialmente o relativo à performance das consolas, cujos valores são apenas rumores e nada confirmado, vamos entrar apenas no domínio daquilo que se sabe ser realidade.

E nesse aspecto tivemos uma entrevista de Matt Booty, o responsável pelos estúdios Xbox, que deu a conhecer que a Xbox série X não deverá ver nenhum exclusivo para o seu hardware num prazo que medeia entre um a dois anos.

Naturalmente este é um dado extremamente relevante de ser conhecido. Havendo um suporte Cross-Gen com os jogos a saírem suportando a Xbox One, Xbox One X e Xbox série X, não haverá grande necessidade de as pessoas irem a correr para um upgrade.

Esse é aliás o grande objectivo da Microsoft. Manter a base de utilizadores activa de forma a que a passagem seja mais gradual, não tendo assim quebras de receita pelo que poderia ser um investimento numa nova geração com uma base de utilizadores ainda baixo.



Ora isto contrasta tremendamente com a ideologia standard do mercado das consolas e que será seguida pela Sony. A existência de um salto geracional, com o abandono gradual do hardware anterior! E nesse aspecto a empresa planeia dar o total suporte à sua PS5, com jogos que necessitarão forçosamente das suas especificações técnicas para poderem ser executados. Tal poderá implicar uma quebra dos números de vendas dos jogos, mas será um aplicar dos motivos pelos quais as equipas first party existem… O criar jogos capazes de promover e vender consolas.

Naturalmente que ambas as ideologias acabam por dar no mesmo… e ambas acabarão numa transição. A diferença está no tempo em que isso ocorrerá, e acima de tudo no que as pessoas que vão aderir à nova consola, irão tirar partido dela.

E aqui não haja dúvidas que a Microsoft se prende a uma geração anterior. Todo o conceito de design e concepção de jogos ficará preso às limitações do hardware mínimo em que o jogo tem de correr. E tal é uma desvantagem clara!

Os jogos Cross-Gen podem e devem até existir durante a janela de lançamento de uma nova consola, mas não durante dois anos. E muito menos quando uma consola dura no máximo 7 anos, o que quer dizer que tal implica deitar fora 30% da vida útil da consola, e no caso de uma consola de meio de geração, um investimento que poderia ser adiado para uma consola melhor, ao mesmo preço,  que realmente tirará partido a 100% da geração.

É uma decisão polémica, mas que não deixa de ter a sua lógica monetária.

Eis algumas declarações de programadores no início da geração passa que demonstram como o Cross-Gen é limitativo, uma vez que o nuclear do jogo tem de ser mantido:

Comecemos por Marcin Iwinski, CEO da CD Project Red, sobre The Witcher 3 não ir para as consolas da geração anterior.

Teríamos de colocar um par de anos no desenvolvimento dessas versões… e o resultado seria apenas assim assim. Não faremos isso.



E Abbie Heppe, director de comunidade da Respawn sobre Titan Fall na Xbox 360 e Xbox One:

Não é fácil. Há tanto que se passa que é realmente difícil passar de uma consola para a outra. Quando estás a criar um jogo a cobrir a actual geração, nunca é fácil cobrir o mesmo para uma consola uma geração atrás.

O director de desenvolvimento da Techland, Pawel Zawodny disse o seguinte relativamente a Dying Light:

O problema começa quando o desenvolvimento de um jogo chega a um ponto onde cada nova ideia fica impossibilitada nas capacidades dos novos sistemas.



Ficas impaciente ao querer implementar ideias brilhantes que irão revolucionar a industria. Quão injusto é isso? A certa altura não podes avançar se não cortares algo das gerações passadas. Pelo que o grande desafio não passa por fazer gráficos igualmente bonitos no hardware mais antigo. É fazer com que a nova geração seja mais rica, sem comprometeres o que podes meter na anterior.

Nicoll Hunt da I Fight Bears, refere:

Tendo trabalhado com equipas que despacharam jogos para a nova e a antiga geração ao mesmo tempo, sinto-me mal por eles quando vejo as reações online sobre como a versão de nova geração, não é nova geração o suficiente.

A grande questão é que, se tudo isto é verdade, e se há realmente motivos para que se discuta e debata esta situação e suas possíveis implicações, não é possível prever-se até que ponto a mesma limitará a nova consola da Microsoft. Se é que limitará de todo!

Sim, é certo que as experiências de nova geração ficarão de fora… mas se isso é uma realidade, a consola não vai deixar de ter exclusivos. Exclusivos que vão correr na Xbox One e Xbox One X, mas mesmo assim exclusivos.

E o que é relevante perceber-se é que, se as inovações que uma nova geração pode trazer são muitas, não são elas que vão definir os grandes jogos.

Se isso fosse assim, a Switch estaria relegada para um plano terciário. É ultrapassada e limitada face à Xbox One e PS4. Mas na realidade ela tem grandes, grandes jogos, mesmo que com grafismos com artes gráficas diferentes.

Que precisa de ficar claro é que o que se pretende discutir aqui no website é apenas possíveis consequências de uma decisão. Mas não vamos extrapolar e presumir que tal é um factor que vai afastar a Microsoft, ou sequer a tornar menos competitiva.

As consolas, são e sempre foram interessantes por um motivo… pelos jogos que possuem. E será a qualidade do apresentado que vai definir o futuro. Entre um Crackdown 3 desenhado a pensar na Xbox One, ou um GTA V desenhado a pensar na Xbox 360, o último atrairá muitos, mas mesmo muitos mais clientes, e será sempre mais atractivo que o primeiro.

Não nos vamos por isso iludir com performances (que aqui nem vem ao caso), ou sequer com políticas temporárias (e não definitivas). As mesmas podem ter consequências, terão certamente consequências mas, como sempre, serão de menor importância face à qualidade dos jogos apresentados.

E basta que a Microsoft os apresente, e que eles tenham o selo de apetecíveis, que tudo o resto se torna secundário.

 

 

 



newest oldest
Notify of
Shin
Visitante
Shin

https://www.eurogamer.net/articles/digitalfoundry-2020-xbox-series-x-rear-port-configuration-revealed-in-new-leak
Series X é muito similar ao conceito de Mini PC utilizado nos Ryzen V1000. Ele provavelmente eliminou a Southbridge externa e usa uma interna adjunto ao SoC, isso explica porque o Chip precisa ser grande. As tensões são baixas pois usa Cabo padrão C7 o mesmo usado em Radio e TVs, então você não vai ver um console de mais de 250w e sim na faixa dos 150 à 200w de potência. Ele tem 3 portas USB de interface e Ryzen alimenta 4 portas, essa porta eliminada pode está sendo reservada a algum componente como o Leitor de BDROM. Todas são portas USB 3.0 Super Speed então não servem para VR.

Isso derruba o mito de potência o Series X é econômico e não potente. Não é atoa que foi comparado com GPUs de notebook pelo CEO da Nvidia.

Acesse o link e verá mais do Ryzen V1000.

http://linuxgizmos.com/signage-oriented-mini-stx-sbc-taps-ryzen-v1000/

Sobre a falta de jogos no lançamento é simples de entender. A Microsoft não pretendia continuar o Xbox One. O Xbox One seria continuado pelo Serviço Cloud Game, eles tem planfetos sobre isso. Quem muda isso é a gestão Phil Spencer e essa gestão cria o Scorpio e o Scarlet é uma segunda geração do Scorpio. Para alimentar essa plataforma Spencer começa a adquirir estúdios e reinvestir em produções porém o faz tardio, a partir de 2018 e como o tempo de produção dos jogos atuais requer de 3 ou 4 anos como tempo mínimo ele não pode alimentar o Scarlet com tantas produções, por isso precisa vender o Scarlet como parte do Xbox One, como uma versão XX, se alimentando do conteúdo de final de geração do XO e promovendo continuidade.

A Sony que desde sempre viu o PS5 como um PS4_3 ela conscientemente começa atrasar suas franquias no pós 2018 para preparar o que se tornou PS5, com o objetivo de se defender do Scarlet. Por tanto, a Sony vai ter um deck de conteúdo maior mas igualmente estamos falando de jogo dessa gen remanejado. E será isso até 2023/2024.

As pessoas estão na empolgação dessa geração mas essa geração não vai começar até os consoles Pro ou X. Porque eles com certeza existirão e serão corretivos daquilo que deu errado.

bruno
Visitante
bruno

Estás errado, na minha perspectiva.

A única coisa que faz sentido no que escreveste foram as portas suportadas pelo Ryzen (só não te esqueças que desta vez estamos a falar de uma APU logo podem haver diferenças) e sobre a entrada de energia, logo o expectável consumo energético.

E que a ausência de exclusivos é uma necessidade imposta pela recente aquisição de estúdios e falta de tempo para entrega é títulos no final de este ano.

Tudo o resto, nem penses.

Sobre a Séries X ser ou não nova geração é simples: olha Hellblade 2 e já ves. Não há hardware nenhum em consola nenhuma que suporte aquilo. Aquilo está em linha com as demos RT da nVidia de há dois ou três anos atrás e será o standard da nova geração.

Sobre a PS5 ser uma PS4_3, mais uma vez…nem por isso. E sobre a Sony querer isso, isso é falso. A Sony tem sido peremptória: para a PS geraçoes de consolas existem e continuarão a existir não há tal coisa como o “fim das gerações”.

Sobre o adiantamento dos títulos recordo-te que, do anunciado, a plataforma é a PS4 não a PS5. Até a data o único jogo da PS5 de que se tem conhecimento é Godfall da Gearbox.

O adiamento deve-se a dois factores: lançamento em período oportuno para melhores vendas e tempo para polir. Estás a ler mais que isso desta situação.

Shin
Visitante
Shin

Todos os consoles atuais são APUs então eu não sei o que está tentando expressar. Sony fez essa mudança na revisão do PS4pro usando cabo C7 assim que melhoraram a distribuição de calor.

http://www.logic-sunrise.com/images/news/1023998/in-ps4-sony-sort-la-ps4-pro-revision-cuh-7200-1.jpg

O consumo médio do PS4pro revizado e do One X são os 170w, o Scarlet estará dentro dessa faixa. Não é por ser uma APU que consome menos mas sim porque na APU as regras de consumação são mais severas a custa da perfomance. Se o Chip de Scarlet é maior que Navi10 significa que seu clock estimado precisa ser menor para consumir o mesmo, e muito menor para consumir ainda menos e nesse ponto se Navi10 como tem um consumo médio de 230w (RX5700), isso faz o Clock médio estimado para o Scarlet cair para algo menor do que 1500MHz. É por isso que o Vapor Cooling que a Microsoft tem uma enorme densidade, mais calor dissipado, menor consumação e portanto, maior clock. Porém não tem milagres, o chip é maior que Vega 20 e o clock medio de Vega 20 são os 1700MHz.

Hellblade 2 faz parte de todo trailer promocional de inicio de geração que não equivale a representação de qualquer game do mundo real. Quando houver gameplay usamos ele como referência.

Os consoles são todos X86, eles piscam e o jogo do PS4 está no PS5.

Quem define gerações de consoles é competição de mercado. Scarlet existe para recuperar mercado Xbox, PS5 existe para manter mercado PlayStation 4.

As marcas não farão mudanças no seu modelo de negócio a não ser que tenha um motivo competitivo. Veja por exemplo o Streaming, estão falando disso pois o Google entra nesse circuito, isso afeta muito mais a Microsoft que a Sony pois a Microsoft teme um Google não apenas com jogos mas com programas nuvem.

No ambiente onde jogos são digitais, os consoles são apenas máscaras para a mesma coisa que já existe no PC.

bruno
Visitante
bruno

Por favor le o que escrevi em cima.

O que eu disse, sobre o APU, e que as limitacoes no numero de portas do ryzen desktop podem nao se aplicar relativamente nas consolas. E um processador criado de raiz para a consola que engloba GPU e CPU, logo esse limite pode ser ultrapassado se a cliente o entender. Sobre o consumo, nao discordei de ti, concordei!

Sobre o ser uma APU, a escolha ocorre porque o sistema oferece vantagens relativamente a processadores discretos, e sobre o consumo recordo-te que as consolas muito provavelmente chegarao nos 7 nm+ o que permitira melhorias sobre o consumo. Alias, a TMSC esta bastante optimista relativamente aos yields obtidos nos 7nm+ e nos 5 nm, pelo que esquece todas as metricas dos 7nm. Logo, relativamente aos clocks, sobretudo tendo em conta o sistema de dissipacao de calor e o design da consola, nada se pode concluir sobre ser menor que a equivalente no PC. Ha todo um conjunto de factores que afectam isso, desde nodo, a problemas na arquitetura que podem ser melhorados (e as consolas serao RDNA2 potencialmente).

Hellblade 2 foi criado in-engine. Nao e um trailer qualquer, mas sim algo que aponta para a qualidade expectavel. E ha um salto enorme entre esse e o que e conseguido atualmente.

Sim, sao todos x86. Mas nao sao todos GCN, com a RDNA a apresentar melhorias que a GCN nao tem. E o Zen a apresentar performance que o Jaguar nao tem. E ainda mais, com Ray tracing e SSD a bordo e a servir como extensao a RAM. Todo este sistema, e unico e muito diferente das atuais consolas e com programacao pensada para tirar partido disso, teras coisas qe nao conseguias teres antes. Basta ver os efeitos de particulas de fumo, ou a geracao procedural de terrenos, que esta geracao conseguiu tao bem permitindo mundos abertos bastante detalhados e luxuriantes, algo que antes era impossivel.

Logo, apesar de o jogo da PS4 poder estar na PS5 (ou seja, retrocompatibilidade, nada de novo, dado que os da PS1 estavam na PS2 e alguns da PS2 estavam em algumas PS3), isso nao impede que o que e feito para a PS5 seja completamente impossivel de ser feito para a PS4, ou seja, nao impede que as geracoes sejam distintas.

A geracao de consolas e definida pelo hardware e pelo novo standard grafico que podes criar com ele. Sempe assim foi, e sempre assim sera. Sobre o mercado, evidentemente que do ponto de vista economico, os novos modelos existem para se venderem e o seu lancamento deve ser feito de modo a vender (para como dizes permitir a transicao do publico) e de modo a competir com a concorrencia (de modo a evitar, como dizes, que o concorrente o ultrapasse). Tudo isto faz parte, mas isto nao define uma geracao. O hardware sim. E a Nintendo nao e uma excepcao a regra. Todas as suas geracoes trousseram algo de novo no hardware.

Num ambiente de jogos digitais na nuvem as consolas sao obsoletas? Pois nao sei. Porque ao contrario da opiniao popular o poder da nuvem nao e infinito e representam grandes milhoes de investimento, O teu hardware tera que ser partilhado por utilizadors e qtos mais users tiveres mais poder precisas. As consolas neste aspeto sao fundamentais, porque sao elas que impoe o standard grafico nos jogos. Sempre foi assim, e sempre assim sera. PC e apenas sinonimo de hardware mal aproveitado e usado.

Sephirot
Visitante
Sephirot

Mario, eu sou usuário de PC e sempre tive um gosto especial pelas franquias da Microsoft, gosto muito de Halo e Gears, e defendi muito a Microsoft quando ela iniciou essa filosofia de trazer seus jogos para o PC e Switch e outros, mas devo dizer que nessa geração onde a Microsoft foi mal nas vendas é até compreensivo ela levar seus games a outras plataformas a fim de aumentar sua arrecadação, porém nessa nova geração Series X ela tinha a oportunidade brilhante de fazer algo diferente, Mario imagine um Xbox Series X soberbo com um Hardware parrudo e a seguinte time-line de lançamentos Exclusivos day-one.

Novo Forza
Halo Infinite
Novo Gears
Novo Killer Instinct
Hellblade 2

Seria um lançamento digno de um gigante, com certeza agradaria muito o público gamer, é claro não sou nenhum executivo da Microsoft e tão pouco tenho os números para embasar o que estou dizendo, mas como um fã da marca eu acho que seria sensacional.

Lucas
Visitante
Lucas

Mais outro indicio de que as coisas estão mudando na sony. a menção de “Windows PC” dentro da loja do playstation.

https://pbs.twimg.com/media/EO4iGZmWkAA0qLi.jpg

bruno
Visitante
bruno

Isso nao e a ps store, e o website Playstation.com.

Esse jogo nao aparece na PS Store, tanto quanto sei.

alias, a referencia ao PC ou desapareceu ou entao so aparece em algumas regioes. Portugal e estados unidos ja nao tem.

Brunoab
Visitante
Brunoab

esse bobagem ai saiu do mesmo site que falou que last of us 2 sai no PC por causa da vaga de emprego na ND.

viram que dá click falar bobagem e foram garimpar outro papo furado para ganhar clicks.

Brunoab
Visitante
Brunoab

Enquanto a Sony aposta que todo mundo vai migrar a MS aposta o contrário.

veremos no final de 2021 qual estratégia esta dando certo.

By-mission
Visitante
By-mission

Nem precisa esperar vê o rumor do Cyberpunk 2077 adiado por culpa do Xbox One de lançamento…

By-mission
Visitante
By-mission

Sim está alterado, mas não muda o fato e que podes perguntar aos users brasileiros da página a Xbox One original é APELIDADO CARINHOSAMENTE, e acredite por muitos jogadores de Xbox e caixistas assumidos de Xonão Vídeo-cassete.

No mais peço desculpas se ofendi aos users mais sensíveis do site.

https://m.facebook.com/xonaosemfreio/

https://youtu.be/r0paREkYuQo

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Sim sim, eu também uso One video cassete, ele parece mesmo um, e eu acho ele muito bonito mesmo assim kkk

By-mission
Visitante
By-mission

Sim apesar de ter PS acho zuado o design do PS4 Slim e o PS4 Pro parecem pirâmides… Ou melhor camadas de um bolo.

Sempre vou rir desse meme

https://images.app.goo.gl/mq39Ltm6nuiLY3Az6

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Dificilmente a Sony fará algo mais bonito que o PS3 fat e a Microsoft que o One S branco

By-mission
Visitante
By-mission

Gosto mais da da PS2 FAT e a PS2 SLIM as mais bonitas de sempre, por isso acho a One S muito bonita me lembra muito a PS2.

Alexandre Oliveira
Visitante

Para mim as mais bonitas pra serem exibidas com orgulho na sala são a PS3 FAT e PS4 FAt e a xbox one s, design muito da hora.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Eu sou das poucas pessoas (pelo jeito) que acham o Xbox One Fat lindo. Chamar de videocassete não afeta nada. E… ele realmente lembra um.

Fernando Molina
Visitante
Fernando Molina

Eu também acho, ele dá aquela sensação vintage justamente por se parecer um videocassete

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Pois, não sei, ele me parece ter uma cara Premium (embora seja difícil de explicar), bem construido, aparência de materiais relativamente bons, nada extravagante como PS4 e seu design mais agressivo…
Bom, eu gosto.
Concordo, tem algo vintage alí mesmo.
É como se tivessem pedido a Bang & Olufsen o design pra fazer algo barato.

João Mario
Visitante
João Mario

Denovo
Quais jogos Exclusivos tem nos seus 02 primeiros anos?

Não fara diferença 02 anos apoiando os consoles antigos

Livio
Visitante
Livio

[OFF-relacionado a jogos] “Que maravilha” é esse mundo de jogos em mídias digitais:

Quando compras um jogo em formato físico, sabes que ele será teu para sempre e que continuará a funcionar desde que não sofra algum tipo de dano físico. No entanto, no formato digital a preservação de um jogo não depende só de ti.

Um exemplo disso é o que vai acontecer com Tetris e Tetris Blitz da EA Games. A companhia anunciou que ambos os jogos foram removidos das lojas App Store e Google Play e que deixarão de funcionar nos dispositivos onde estão instalados a 21 de Abril de 2020.

Portanto, ninguém poderá comprar mais o jogo e, mais grave, ninguém poderá jogá-lo, nem mesmo as pessoas que pagaram €2,29 pela versão Tetris Premium. A EA não especificou um motivo para a remoção do jogo, mas especula-se que a licença de Tetris tenha expirado.

fonte: https://www.eurogamer.pt/articles/2020-01-23-ea-remove-tetris-do-ios-e-android-e-quem-comprou-perdera-o-acesso

bruno
Visitante
bruno

Aproveitei recentemente uma promoção. 35€ comprei AC Unity e Darksiders III, novos. Versão física.

E ainda tenho mais 85 € para gastar (equivalente a um Gamepass a 10€ mes).

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Isso é inaceitável.
No futuro o que vejo que querem, é que eu não compre o jogo, mas o alugue e ele fica num servidor, caso tenha qualquer problema mínimo, estarei impedido de jogar e no fim paguei e não tenho nada. E pode ser que se tenha jogos espalhados por assinaturas diferentes…
Espero que esse futuro não aconteça, isso não é progresso em nenhum nível

Modelo tradicional infinitamente superior, e ainda compro jogos bem mais baratos usados que podem ser meus pra vida toda