Governo pondera cortes na internet durante o confinamento. Serviços de streaming ou jogos podem ser afectados

0 0 votes
Avalie o nosso artigo

De forma a garantir que não há congestionamento em serviços essenciais, o governo pondera cortar na qualidade, ou mesmo bloquear, alguns serviços.

Com as pessoas em casa e em teletrabalho, o uso da internet aumenta brutalmente. Mas é no facto de algumas pessoas se refugiarem em serviços de streaming para passar o tempo que há verdadeiramente um congestionamento, com vários gigas de internet a serem consumidos por utilizador.

Nesse sentido, o governo lançou um decreto que permite que plataformas como o Netflix, HBO ou YouTube possam ser suspensas ou limitadas durante o período de confinamento.

Assim, segundo a TSF, caso tal seja solicitado, as operadoras terão de restringir o acesso a estes serviços, garantindo que os serviços considerados prioritários e essenciais não sofram. Assim, enquadram-se aqui os organismos do Ministério da Saúde e as entidades prestadoras de cuidados de saúde integradas na rede do Serviço Nacional de Saúde, o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP), o Ministério da Administração Interna, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), as Forças Armadas, as diversas polícias, os serviços de apoio ao funcionamento da Presidência da República, da Assembleia da República e do Governo.

Incluem-se ainda os serviços de apoio à Presidência da República, à Assembleia da República e ao Governo, bem como a Segurança Social, serviços do Cartão de Cidadão, as escolas e o Diário da República Eletrónico.



Não reportado pela TSF, mas já abordado por alguns canais de televisão, jogos populares como o Fortnite, entre outros, podem igualmente sofrer com isso.

Comentários

Naturalmente que estamos a falar de situações lógicas. Mas no entanto não parece percetível que os cortes obriguem ao fecho do acesso a estes serviços. Aceita-se a descida para os 1080p, cortando-se temporariamente os 4K, mas convêm perceber-se que, acima de tudo, os clientes pagam estes serviços e que beneficiam deles de acordo com a largura de banda. Fechar o acesso a serviços pagos não parece correto ser o cliente ser ressarcido. Da mesma forma cortar a largura de banda nestes serviços significa igualar a qualidade de visualização dos clientes de menor largura de banda com os maiores, e como tal não parece justo que quem paga por internet de banda larga de elevada capacidade mantenha o custo se não pode usufruir dela.

Naturalmente que estamos em estado de emergência, mas há direitos aqui envolvidos que necessitam de ser analisados e salvaguardados o melhor possível para todas as partes sem que haja necessidade de se ser radical para algum dos lados.

 



0 0 votes
Avalie o nosso artigo
3 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Deto
Deto
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Aqui no BR o presidente tá deixando gente morrer sem oxigênio… Ele nunca vai se lembrar de restringir internet.

Jack
Jack
Responder a  Deto
3 meses atrás

Está dentro da média e não é dos piores.

Percentagem de mortos:

PT-0.087
BR-0.098
UK-0.12
FR-0.1

Deveriamos pedir conselhos á china.

CHINA-0.0000E 

Deto
Deto
Responder a  Jack
3 meses atrás

Acabei de ver os parentes carregando cilindro de oxigênio correndo para dentro do hospital.

Vai lá e fala que está igual na França, UK, e PT… Digo, vai lá e MENTE e está igual.

error: Conteúdo protegido