Nova Switch é uma decepção.

4.4 7 votes
Avalie o nosso artigo

A Nintendo continua a levar a sua no capítulo de se fazer cobrar pelo hardware. Mas melhorias… essas quase ficaram de lado.

Apesar de a Switch ser uma consola baseada num SOC de 2015, o facto de ser uma portátil eleva o seu custo de produção. Em 2017, quando foi lançada, a consola foi estimada como tendo um custo de produção de 257 dólares. Sendo o preço de venda de 299, a Nintendo não absorveu qualquer prejuízo com a venda, e em vez disso, vendeu sempre a consola com lucro, sendo o lucro inicial superior a 40 dólares.

Ora uma realidade, mesmo em tempos de pandemia, é que os custos de produção descem. A Sony em cerca de 6 meses passou de um prejuízo de 50 euros por cada PS5 vendida, para um prejuízo nulo, ou seja, desceu os custos de produção em 50 euros. E como referido, isto em pandemia, numa altura em que os custos de tudo tem vindo a subir.

Basicamente, isso quer dizer que com 4 anos em cima da Switch original, o seu custo deve estar agora na ordem dos 150 dólares ou até menos.

Mas nem por isso as Switch estão mais baratas…



Agora com o lançamento de uma nova Switch muito se especulou. Falava-se de um novo processador da Nvidia capaz de DLSS, de 4K, e de uma revolução completa para que esta consola se aproximasse mais da PS5 e Xbox série X. Mas na realidade o que tivemos foi pouco… muito pouco, sendo que o se que destaca mais até foi o facto de o preço desta consola ser de 350 euros, ou seja, 50 euros mais cara que o preço da consola original, 50 euros mais cara que uma Xbox série S, e apenas 50 euros a menos que… uma PS5 DE.

A Nintendo perde aqui uma oportunidade de ajustar os preços das suas consolas, tornando-as mais atrativas, optando por atirar o preço da nova para cima, de forma a justificar manter o preço das outras inalterado.

Estes 50 euros a mais acabam por se refletir em alguma coisa, mas na prática, muito pouco. A capacidade de armazenamento sobre para 64 GB (um SD de 32 GB custa 5 euros PVP), as colunas de som são agora mais e melhores, e o ecrã LCD é trocado por um OLED de 7″, que se mantêm nos 720p.

E se estão a tentar justificar o aumento do custo pelo OLed, recorde-se que a PS Vita já tinha um ecrã destes… em 2011.

De resto, novidades, nada de monta. Um kickstand revisto e uma nova porta lan, mas nada de funcionalidades extra. A Nintendo nem sequer se dignou a alterar os Joycons que tem sido alvo de tantas queixas pelo seu Drift. Estamos perante os mesmíssimos controladores, apesar da consola ser nova.

Resumidamente, a Nintendo não abdica do lucro com a venda da consola, e neste caso o que aconteceu foi que a Nintendo apenas lavou a cara da consola como justificação para aumentar o preço, e acima de tudo para que não tenha de descer o preço dos restantes modelos, que assim se tornam mais atrativos por serem mais baratos, podendo assim ganhar em todos eles.



 

Apesar das virtudes do software Nintendo, e da Switch, que reconhecemos de forma clara, não podemos deixar de constatar que 350 euros por uma consola com hardware de 2015 é algo caro, e não são as alterações que justificam seja o que for (especialmente quando artigos recentes referem que o custo adicional destes novos componentes é de 10 dólares). Quando hardware de topo, com tecnologias recentes, e de forma simplista, mais de 10 vezes superior é vendido por apenas mais 50 euros, nem o facto de a Switch ser portátil justifica o seu preço, e muito menos quando as novidades face ao modelo de 2017, já ele baseado em hardware de 2015, são tão reduzidas e a consola ter agora um custo de produção bem inferior que nunca se refletiu no seu custo.

Mas dito isto, a Switch é uma excelente consola, que vale a pena adquirir. E dificilmente se arranja alguém que possua uma e que diga o contrário.

 





4.4 7 votes
Avalie o nosso artigo
100 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
José Galvão
José Galvão
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Isto pode surpreender muitas pessoas mas a Nintendo é a empresa mais anti-consumidor e por arrasto, a mais forreta de toda a indsutria, e não é só por causa do preço do seu hardware, a Nintendo é uma espécie de Apple dos videojogos no que toca a preços e atitude, a empresa cobra o que quer porque tem uma enorme base de fãs que lhe ampara os golpes e porque uma imagem “friendly” tipo Disney dos videojogos perante o mercado de massas.

Mas pode ser que um dia volte a ter um episódio como o do preço inicial da 3DS, na parte que me toca, vou emulando.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  José Galvão
3 meses atrás

Discordo do anticonsumidor… Não existe empresa anticonsumidor, existe é empresa que cobra caro por pouco. Como é o caso da Nintendo. Também discordo de “Apple dos jogos”, pois se fosse a Apple, teria ao menos um hardware superior, né? Não é o caso.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

Também discordo da parte Apple. Pois a maçã traz acabamento de primeira e hardware de ponta, enquanto o Switch é plástico barato e hardware ultrapassado. Só se for pela fama mesmo.

Hiago
Hiago
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

Não sei a parte também de hardware de ponta da Apple, qualquer PC com configurações superiores e preços muito mais em conta que Mac Pro por exemplo.

José Galvão
José Galvão
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

Que aches que não existe, é uma coisa, não existir de facto é outra.

O termo anti-consumidor aplica-se quando uma empresa perante os consumidores, favorece os seus interesses económicos de forma imprópria,

Quando por exemplo a Nintendo retira o carregador da New 3DS XL e obriga o consumidor a comprá-lo em separado, é uma medida anti-consumidor, ou ainda quando a Nintendo remove um feature já existente em consolas anteriores como a habilidade básica de gravar os saves num cartão de memória, para trancar esse mesmo feature no seu serviço online, é uma medida anti-consumidor, a empresa está conscientemente a prejudicar o consumidor para proteger os seus próprios interesses económicos de forma imprópria, se achas que isso não existe, então não sei mais o que te diga.

O termo de comparação com a Apple em nada tem a ver com o poderio tecnológico, mas sim com a atitude para com os consumidores e como a sua base de fãs é igualmente comprável na forma como lhe amparam os golpes, se em termos de marketing a Nintendo já vem seguindo o estilo da Apple desde a Wii, na forma como cobra pelo seu hardware a respectivos acessórios, é igualmente abusiva.

Shin
Shin
Responder a  José Galvão
3 meses atrás

A Nintendo sempre foi a empresa a retardar aumento de preços ou cobranças em cascata, tem atualmente o modelo online mais barato e o modelo de DLC mais justo. Além disso todos os seus consoles atuam dentro da faixa dos $200 à $300, a Nintendo não tem interesse em fazer produtos de $400 ou $500, geralmente seus produtos caros ( que os haters chamam de injustos), são produtos cuja a distribuição é limitada.

Ao meu ver a Nintendo é a marca mais pro consumidor, mas quando fala isso tem que entender qual é este consumidor potencial. O consumidor potencial da Nintendo são pessoas comuns e famílias, não frenquentadores de fóruns. A internet é baseada em comparativos, você vai ver um site falando se celulares e eles estão fazendo comparativos, um site de tecnologia eles não tem comparativos de CPU, GPU etc, você vai pesquisar sobre carros tem comparativos entre marcas. Comparativos funcionam bem quando existe seguimentos nivelados, o mercado de Smartphones, o mercado de bolos, o mercado de pizza. Os games não são nivelados pois cada jogo é um segmento em si e pode manter sua própria comunidade. Se pegar o número de pessoas que estão trocando idéia sobre apenas Zelda verá que isso tem um alcance maior do que plataformas inteiras.

Tem um consumidor feliz com o que eles estão fazendo em cada uma dessas franquias nucleares e por isso seus produtos tem mantido vendas fortes.

Sobre o mercado BR a história Nintendo e Brasil nunca foi muito amigável, a Nintendo chega tarde na distribuição oficial no Brasil levando o Nes em 1992, o Snes e GB chegam em 1995, os preços eram altos pois era custo importação + distribuição, a relação Nintendo e Playtronic o distribuidor não era muito boa principalmente depois da aquisição pela Gradiente que abandona o mercado de vídeo game em 2003 onde o último console nacional foi o Game Cube. A Nintendo passou a distribuir junto com a Latamel, porém a empresa apenas comprava os consoles e revendia com a homologação nacional. O DS e Wii tiveram boa atividade mas o 3DS e Wii U tiveram declínios e a Nintendo rompe novamente a parceria, volta agora com a Ingram Micro Brasil no Nintendo Switch com uma tentativa da NOA se dedicar mais a America Latina. Hoje o Nintendo Switch tem sua distribuição digital com os menores preços no Brasil mas isso não deixa de ser pouco convidativo para uma boa parcela de jogadores, principalmente os de PC e Xbox.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Aí entramos na teoria de valor, o valor intrínseco de um produto nada tem relação com sua dificuldade de produção mas sim com a necessidade do comprador em potencial. A grande coisa sobre a indústria de jogos é que Tetris e Mario vende a 40 anos e jogos com orçamento na escala de 3 digitos de milhão não são lembrados no mês seguinte. Ou seja, os métodos de desenvolvimento da Nintendo não são um fator relativo para definir a qualidade ou eficácia comercial desses jogos. Se as pessoas estão comprando animações cartoonescas e joguinhos sem física ou realismo é porque elas desejam isso e por desejarem esses tipos de jogos, eles podem ser vendidos pelo valor sugerido.

Não existe pratica anti consumidor nisso. O que é uma prática anticonsumo? São praticas absusivas de empresas sem o consentimento na tentativa de promover algo que não pode ser cumprindo.

Exemplo, colocar 8K numa caixa sem ter jogos nessa resolução sendo um este um dispositivo cuja sua função principal é rodar jogosr é uma prática anti consumidor. Assumir o suporte à 120Hz e criar uma campanha de publicidade promovendo isso para no fim rodar jogos a 40fps também pode ser considerada um serviço mal prestado, uma pratica anti consumidor. Cobrar por determinada atualização de um software que roda no mesmo sistema ou similar de forma gratuita também pode ser considerada uma pratica anti consumidor, assim como aumentar preços de determinado serviço de vínculo sem fornecer uma opção reduzida de pacote mínimo é um tipo de venda casada, uma prática anti consumidor. O banimento do console dos cliente inutilizando a plataforma seja por motivo fútil ou por não comprimento de normas de políticas e condutas estabelecida por normas internas, também pode ser considerado uma pratica anti consumido. O encerramento da prestação impedindo acesso a funções, conteúdos ou biblioteca previamente paga também é uma prática anti consumidor.

Ewertom
Ewertom
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Joguinho??????Mais respeito com uma franquia de mais de 35 milhões.Sua predileção pela Sony é fatual.mas não te da o direito de falar asneiras.Mais respeito com a história dos games

nETTo
nETTo
Responder a  Ewertom
3 meses atrás

Kkk só acho que vc tá boiando na discussão em.

Eles estão falando de dindin, bufunfa, orçamento, e sejamos sinceros, Mario Kart não chega aos pés dos grandes triplo A neste ponto. Quanto a qualidades e alcance aí a conversa já é outra.

Ewertom
Ewertom
Responder a  nETTo
3 meses atrás

Rachet tem um tom cartunesco e mesmo assim não pode ser tratado como joguinho um jogo desta série e foi vendido a 70 €.

Equipa PCManias
Responder a  Ewertom
3 meses atrás

Amigo… Alguém o ofendeu? Os seus termos são um bocado ofensivos.

Ewertom
Ewertom
Responder a  Equipa PCManias
3 meses atrás

Pedir respeito não é ser ofensivo e solicitar correção no que foi dito.Pois é uma série que merece respeito pelo que representa na industria
ERRAR é humano e pedir correção também

Equipa PCManias
Responder a  Ewertom
3 meses atrás

Eu creio que não compreendeu, mas nesse caso informo-o que o contexto não era a qualidade do jogo, mas sim outros argumentos como orçamento face a um AAA e mesmo a componente técnica usada devido aos limites colocados pelo hardware.

Ewertom
Ewertom
Responder a  Equipa PCManias
3 meses atrás

E não é joguinho…..É um jogo que vendeu em mídia física quase 40 milhões.Que se faça correção do que foi dito.Respeito a franquia que pelo dono do site já foi citado como Zé Cabra em 2017.Respeito A Sony é dominante em Portugal e ter ps é normal e gostar mais deste console não é defeito.Mas chamar de joguinho cartunesco é afins.O jogo citado tem uma diversão oceânica difícil de achar isso nos jogos atuais.Por esse motivo “joguinho”isso esse game não o É

Equipa PCManias
Responder a  Ewertom
3 meses atrás

O jogo TEM um aspecto cartoon. Quer argumentar que ele tenta atingir algum realismo?
E como lhe expliquei ninguém atacou o jogo. O Tetris também foi um sucesso mundial e não passa de um joguinho segundo os padrões que estavam em discussão. Enquadre as coisas no devido contexto.

PS: Sinceramente eu disse ao Mário que não pretendia vir discutir aqui com ninguém, pelo que o que me foi dito foi que teria toda e total liberdade em agir como bem entendesse, desde que devidamente justificado.
E não pretendo continuar esta conversa, pelo que termino-a aqui, deixando passar essa do Zé Cabra que nem percebi o contexto em que a colocou.

Equipa PCManias
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Ok

Deto
Deto
Responder a  Shin
3 meses atrás

a nintendo com o amiiibooo é pró consumidor “DLC”?

vende um boneco super faturado que é uma DLC do jogo.

Shin
Shin
Responder a  Deto
3 meses atrás

Amiibos vendem ou não vendem? Se vende significa que tem um consumidor dando uma resposta positiva. Já respondi sobre valor intrínseco, você vai em algum lugar comer uma pizza e quando lhe cobram caro por isso você diz que essa pizza é anti consumidor? Ela não é anti consumidor meu amigo é seu bolso que está chorando.

O fato da Nintendo está cobrando caro por Amiibos não é anti consumidor. O que seria anti consumidor seria esfacelar o conceito de jogo em DLCs e Microtransações de modo que para continuar, o jogador é obrigado a pagar um Season Pass ou DLCs isoladas, ou então os métodos pay to win ou loteboxes. Os jogos da Nintendo são completos em si e as DLCs são conteúdo complementares, DLCs são o substituto do que era conhecido como códigos secretos. Agora você paga para obter acesso a coisas, habilidades ou locais que em jogos do passado eram considerados secret founds. Você pode andar de cabo a rabo nos jogos sem sentir falta desses apretechos virtuais. Aí voltemos a face para os Amiibos, a maioria das pessoas não os compram como uma DLC mas sim como um colecionavel e esse é o motivo principal para não ver eles caindo de preço ou tentando ser baratos, eles são limitados, portanto, se é de seu desejo conseguir algum deles é melhor fazer isso logo. É o consumidor potencial que está embutindo valor nisso.

Deto
Deto
Responder a  Shin
3 meses atrás

pronto, agora de ser pro ou anti consumidor com DLC virou “vende então é pro consumidor”

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Deto
2 meses atrás

As pessoas vão defender suas marcas preferidas não importa que teoria maluca precisem criar. O que ele falou pra mim parece apenas uma desculpa muito ruim.
Se os jogos do PlayStation a 350 reais venderem muito então serão pro consumidor, pois vendem! É o valor intrínseco! Pff

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Carlos Zidane
2 meses atrás

Zidane, o que Shin quis apontar é que há oferta e procura. A Sony aumentou o preço de seus exclusivos, então ela é anti- consumidora? Não! Ela fez, pq há procura por seu produto e não é pequena! A Nintendo não baixa o preço de seus games, pq? Pq seus games são valiosos, ou seja, ela pode dar ao luxo de fazer, pq seus games vendem muito e por anos e anos. A Sony depende de seus exclusivos para atraírem públicos para o PS e essa massa, comprar games thirds, com a Sony ganhando royalties, enquanto a Nintendo depende menos desses royalties, pq tem menos games thirds, mas depende mais de seus exclusivos, onde eles basicamente que sustentam o modelo de negócio da empresa. É simples perceber que são abordagens diferentes, pq ambos produtos possuem características diferentes. O valor intrínseco do PlayStation está no hardware de ponta, podendo ter uma gama imensa de jogos thirds, além de seus games tecnicamente incríveis! A Nintendo é sobre portabilidade e suas franquias icônicas que encaixam perfeitamente em qualquer tela e que cobrem mais um público de massa, hardcore ou não. A Sony pode vender seus games por 70 dólares, mas não pode vendê-los por muito tempo nesse valor, pois as vendas de seus exclusivos alcançam o pico de vendas rapidamente e caem abruptamente em poucos meses. A Nintendo tem o pico de vendas, mas não tem queda abrupta de seus games, por isso consegue vendê-los por toda uma geração sem cortes grandes de preço.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Edson Nill
2 meses atrás

Tudo bem Edson, entendi o que disse, mas eu realmente tenho muita dificuldade em perceber porquê as pessoas valorizam tanto certas coisas, por exemplo, Nvidia, Nintendo, essas duas por exemplo são superestimadas

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Carlos Zidane
2 meses atrás

Não posso falar muito pela Nvidia, pois não a conheço tanto, mas sobre a Nintendo, é simples! A empresa que tem as franquias mais valiosas, com qualidade ímpar! Há pessoas que não gostam? Sim! Porém, é a empresa que se confunde com jogos, dando aos mesmos, um contributo que ninguém jamais fez! A Nintendo criou não só jogos maravilhosos nesses 40 anos, mas tbm deu-nos formas únicas de jogá-los, muitas alegrias nos rostos das pessoas, além de ser aquela que sempre apostou em jogo como entretenimento para família, algo que ainda aposta forte nos dias de hoje e que quase empresa nenhuma faz ou saiba fazer!

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Edson Nill
2 meses atrás

Os gostos como eles dizem não se discutem, por exemplo, no meu, acho realmente impossível de trocar um PlayStation ou mesmo um Xbox por um aparelho Nintendo, não só pelos exclusivos de cada um mas pelo universo multiplataforma, que são muito mais interessantes, dessa forma, não vejo pessoalmente falando, qualquer motivo pra apostar no curto espectro que a Nintendo oferece, sendo ela apenas algo complementar periférico ou pra quem realmente goste desse estilo de coisas, há público pra tudo.

Ewertom
Ewertom
Responder a  Carlos Zidane
2 meses atrás

A Sony é super estimada.A big N é magia pura,juntar varias geracoes num unico ambiente e se divertir.Só ela faz.Aqui em casa Wiiu ligado filhas junto,Xbox ou ps fico sozinho isso que tenho rachet e outros

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Ewertom
2 meses atrás

A Sony tem menos do que merece. Nintendo é um segundo console de quem já tem PC, PS ou XB.
Xbox e Play são os locais de jogos de ponta, Nintendo é quando vai entreter mulheres e crianças ou aqueles amigos com síndrome de Peter Pan

Juca
Juca
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Esse “tweet” foi demais! Rs

Difícil entender porque a Nintendo faz dessas coisas, a explicação de “porque vende” ou “porque pode” nunca me convence de fato, pois acho um pensar muito pequeno.
Também, nunca esperei os rumores, 4k dlss… pufff… sempre achei overpower e ilusório em demasia, tendo em vista que a Nintendo há tempos deixou claro sua posição de não rivalizar em hardware na “console wars”.
Pôxa, mas custava buscar um processador pra sustentar 720p@60 em modo portátil!?!

Entendo até que a Oled melhore o visual dos games por trazer um preto melhor e cores mais naturais, mas essa subida de preço a meu ver nem se justifica. E esses 64 GBs com cartões SD chegando a 1 TB ou mais em tamanho, 64GB está a um preço irrisório… E parece que ainda nem se preocuparam em resolver as “idiossincrasias” do joycon.

De qualquer forma, a Nintendo sempre acerta no principal, os jogos que trazem diversão, pena esse upgrade relaxado e ainda subindo o preço.
Espero que na próxima sejam mais “evolutivos”!

José Galvão
José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Quando isto do 4k, DLSS, unicórnios e fadas verdes se começou a falar, só me dava vontade de rir, a forma como as pessoas achavam que isso seria real, quando na realidade, juntar Nintendo e 4k na mesma frase não cabe na cabeça de ninguém.

No entanto é bom que este tipo de ”sonhos molhados” existam, porque mais uma vez demonstra a podridão desta media que se diz especializada, que durantes meses a fio alimentou esta Switch 4k e que agora sacode a água do pacote, como se não fosse nada com eles, os youtubers é aquela base, agora estes tipos são supostamente profissionais, é que das duas uma, ou são mesmo muito ingénuos, ou muito intelectualmente desonestos.

Hennan
Hennan
3 meses atrás

Hoje em dia já não sei se vale a pena comprar o switch. Faz um ano que o meu está parado. Tirando alguns poucos jogos da Nintendo, não sobra praticamente nada. Além disso, o downgrade gráfico já incomodava antes, imagino agora que me acostumei com o ps5. Esperando o próximo Metroid, para decidir se mantenho o console.

Deto
Deto
Responder a  Hennan
3 meses atrás

Esse teu comentário ai é bem perigoso por aquele motivo que eu imaginei… do flop sim, flop não da nintendo.

esse teu comentário para mim tb quer dizer “proximo video game da Nintendo eu não vou comprar”

Eu tenho a impressão que a Nintendo não vai conseguir emplacar outro console em sequência que faça sucesso…. Pq a imensa maioria das pessoas está com o switch parado mesmo e vai pensar duas vezes antes de comprar outro console.

A Nintendo não consegue transferir o sucesso de um console para o outro exatamente pq as pessoas enjoam da Nintendo fácil, e fácil fácil pulam uma geração dela

Mas veremos.

Juca
Juca
Responder a  Deto
3 meses atrás

Acho que a Nintendo tem historicamente, pelo menos a algum tempo, um geração fraca alternada por outra forte nos consoles desktops, mas meio que sempre foi forte nos portáteis, pelo menos não lembro de um fracasso nesse ramo.
Acho que com crianças a Nintendo sempre fará sucesso, pois sabe criar fantasias encantadoras e não percisa apelar para violência real ou dramas adultos pra conquistar jogadores de um modo geral.
Bem, eu sou daqueles que esporadicamente compra um console Nintendo, tive um Nintendinho clone (Phantom System), um Super Nintendo, tardiamente um Nintendo 64 usado, daí, saltei pra Wii e depois tive um WiiU. Sofri bastante com o WiiU pois acho que meio que só se salvava o Mario Kart 8, nem o Mario 3D curti muito, e acho que o que salvou o console e o tirou da colocação de pior console que tive, foi indiscutivelmente Zelda Breath of The Wild. Me vejo meio pé atrás pra adquirir um Switch depois do WiiU, mas cogitaria comprar um Switch lite apenas pra jogar Zelda 2, porque pra mim, tem jogos que valem um console.

Shin
Shin
3 meses atrás

Astroturfers e Influences criaram a narrativa Switch Pro, Astroturfers e Influences são os mesmos a criar vídeos ou artigos se dizendo frustados com o Switch OLED, embora a mais de um ano é sabido a partir da base de dados de código aberto do OS do Switch que a Nintendo trabalhava nesta versão com tela OLED usando o mesmo chipset.

Ocorre que isso não é novo, o GC teve seu rumor de um console de poder até a revelação do Wii, o Wii teve o rumor do Wii HD, e o NX codinome do Switch já foi o rumor de uma versão Pro do Wii U. Existe diferentes motivos para que esses rumores aconteça mas quando eles vem de meios da imprensa o objetivo é provocar tendenciosamente o efeito Osborne. É por isso que as mesmas pessoas a propagarem rumores absurdos são os mesmos propagadores da frustração por não ver isso acontecer, e também os mesmos a empurrarem o rumor mais pra frente criando a teoria de que este ainda não é o Switch Pro então ele deve ser o próximo.

Uma parte também é não entender como a Nintendo opera, eles acham que a Nintendo opera de acordo com Microsoft e Sony onde departamentos de marketing são o regente estratégico. Na Nintendo são seus desenvolvedores pais os regentes estratégicos e o departamento de marketing está ligado a publicidade e vendas, em outras palavras marketing não molda produtos Nintendo, desenvolvedores sênior sim. Se estes desenvolvedores estão bem com o hardware porque eles mudaria de hardware? Não é uma idéia estupefada, pensar que em meio ao ciclo geracional do produto alguém estaria pensando em mudar de hardware? Eles não vão mudar o hardware, eles vão revisar quando for viável e foi o que aconteceu de 28 para 16nm da mesma forma que PS4 e XO foram revisadas. Porque a Nintendo não criará algo como um PS4pro ou XOX? Porque não faz parte do cronograma da Nvidia expandir funções do Tegra X1, vimos Nvidia saltando do X1 para o X2, Xavier e Orin. Então a Nintendo passa toda a geração com o X1 até que outra microarquitetura sirva para hospedar uma nova geração. É muito simples isso.

É óbvio que em algum momento uma nova geração de produtos sucederá o Switch mas isso não irá acontecer agora pois o Switch ainda cresce em vendas. A tentativa de meios de informações de propagar rumores sobre produtos expansivos é pura desinformação.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Sim o ISA é um fator pertinente para expansão do código da GPU mas não é apenas isso. Ao mudar para o nova plataforma desenvolvedores tem que levar em consideração um tempo de instrução diferente e se essa plataforma tem muitas partes diferentes isso se torna atroz. Basta olhar o projeto do Maxwell, Parker, Xavier e Orin e verá diferenças sensíveis não apenas no CPU mas na interconexão, nos DSP, nos DMA, no processador de som, fluxo, rede, no i/o das memórias, portas USB, etc. Os jogos usam diversas dessas funções algumas em um nível mais baixo que comumente é mexido em um game de PC. Um salto desse nível precisa de tempo 2 ou 3 anos, se a Nintendo está em alguma fase de testagem onde ela experimenta hardwares significa que ainda vai demorar 2 ou 3 anos para isso chegar a algum produto ao público. Isso não é apenas com a Nintendo sabemos que Sony e MS testavam a nova geração em 2018, e também sabemos a verdadeira razão para a existência de consoles Pro, onde Project Neo usa o projeto inteiro do SOC Jaguar enquanto o SOC Livepool foi um ajuste de custo para caber no silício dos 28nm a um custo viável. Nem mesmo a Microsoft pensava em um console Pro e por isso o Scorpio é um projeto mais recente ( e mais custoso), onde eles modificaram uma GPU Polaris e usaram uma base Puma+ mas mantendo os núcleos, FPU e estrutura Jaguar que é herdada de Bazoos. Em outras palavras tais implementações só foram possíveis pois foi nas APUs que a AMD implementou seus primeiros designs modulares, onde partes do projeto podem ser modificadas como os andares de um condomínio. As marcas nem pensava em fazer isso no PPC, na verdade, a única que fez foi a Nintendo para sua própria desgraça, expresso é o PPC750 bonificado por está em um uncore Power4, usando instruções superscalares, passando a ganhar características multiCore. Usa um módulo MCM com uma GPU AMD Latte e uma SRAM embutida no substrato inferior, um projeto ousado se não fosse o fato da GPU AMD ter consumido mais do que a Nintendo queria. Além disso não era mais um console fácil de criar jogos o que o inviabilizou diante de plataformas que traziam para os desenvolvedores o X86.

A história prova que sem uma base de desenvolvimento adequada um console ruirá, e uma base de desenvolvimento sólida se constrói com anos e anos. A proeza do Switch é que TX1 é basicamente a união de um ARMv8 + uma GPU Nvidia GM20x. Une os 2 tipos de arquitetura mais simples e com menos estagios de implementação dos dois lado. Por isso todo o problema de desempenho do Switch é associado aos acessos da memória, existe muitos clientes acessando e lendo uma memória raquítica, os acessos não são feitos diretamente mas sim através de uma interconexão combinada então se teu CPU está utilizando a memória ele está retirando da GPU e vice e versa. Isso vai ser resolvido trocando a microarquitetura? Não muito o próximo salto e DDR5 e embora seja um bom salto não é suficiente para igualar com consoles de mesa, apenas HBM ou chips 3D com aumentos de cache e a aproximação da memória e IO vai melhorar a perfomance por watt. No mercado existe chips muito mais capazes que o TX1 mas não existe chips capazes o suficiente em promover um salto geracional muito esperado. TX1 já faz o necessário oferece desempenho para 4 render target em resolução média, você poderia ter um Snapdragon 888 e fazer muito mais? Sim. Você teria Doom Eternal correndo 1080p60 no médio? Não.

Nintendo pode rapidamente criar uma base de desenvolvimento estável com a solução da Nvidia, eles não vão simplesmente saltar rapidamente para outra base. Lançar hardware é ruim para as empresas, quantos anos Sony precisará para recuperar o decifit lucrativo de sua queda de lucros desde 2018 devido ao boato sobre a proximidade do novo sistema? Sony caiu em um problema inexorável. PS5 é caro, produzir pra ele é caro, portanto aumentar preços é válido. No entanto, aumentar preços repercutirá em maiores lucros? As pessoas comprarão mais com preços maiores ou comprarão menos? Se comprarão menos, vão continuar aumentando? Isso está acontecendo nesse momento no Brasil, embora GOV tenha reduzido alíquotas federais, alíquotas estaduais continuam aumentando assim como o câmbio está turbulento, Sony então ajusta o seus preços, a galera reclama, preços altos em um mercado emergente faz as pessoas comprar menos, eles então precisam aumentar ainda mais os preços pois agora vendem menos. O PS4 pegou o momento de estabilidade mundial pós crise financeira, o PS5 não. A Sony vende PS5 pois o público PS4 se mantém interessado, mas o software ainda não está respondendo, mesmo por quê… Eles não tem software novo.

Nintendo lançou mais software de primeira linha que seus rivais pois seu software tem vendido com melhor consistência e alcançe, além de ser mais barato de produzir. A Nintendo saiu de uma turbulência para uma estabilidade, a idéia é manter isso por mais tempo que é a mesma idéia da Sony. A diferença é que a Sony sofre concorrência direta da Microsoft, a Nintendo não é abalada com nenhuma ação senão da própria Sony. O PS5 não ameaça o Switch pois ele está na outra ponta, ninguém está no meio, na verdade quem está é o PS4, lugar que a Microsoft tenta colocar o XSS.

O Switch OLED é uma estratégia para a Nintendo explorar o meio, a Nintendo ainda não irá produzir Switch OLED em um volume ao ponto de fazer-lo substituir a versão Stardard. Vai ter gente atrás de versão OLED e não o achará de forma tão fácil, por isso ele já começa $49 mais caro. Não pense que a Nintendo vai reduzir preços OLED, ela não vai. O que fará é reduzir a produção. De modo que, será na faixa média de preço que ela prepara terreno para sua nova geração.

Basta olhar o período GBC e GBA e verá o mesmo movimento.

Juca
Juca
Responder a  Shin
3 meses atrás

Bem, agora pode ser que o Switch faça algum movimento com o surgimento do Steam Deck.
steamdeck.com

Shin
Shin
Responder a  Juca
3 meses atrás

Nada que o Steam lançe vai impactar uma plataforma Nintendo. O Steam Deck é pior que o Atari Lynx frente ao Gameboy. Steam Deck vai sofrer o mesmo problema das Steam Machine, tu podes ter um PC/Laptop pelo mesmo custo. Quem vai ficar segurando quase 700 gramas por mais de meia hora?

Pedro
Pedro
Responder a  Shin
3 meses atrás

“Steam Deck vai sofrer o mesmo problema das Steam Machine, tu podes ter um PC/Laptop pelo mesmo custo”

Espera, mas as Steam Machine e nem o PC são portáteis. Não podes levar consigo ao metrô.

Deto
Deto
Responder a  Shin
3 meses atrás

se vc chama de astroturfers, quem vc acha que paga esse pessoal?

para mim parece mais frustração de alguns fãs que querem falar em “poder”, todo novo video game da Nintendo que saem rumor, os rumores sempre falam em maquina super poderosa bla bla bla.

esse pessoal ai hypa os jogos da nintendo, mas por dentro estão todos dodoi pq nem chega perto os gráficos, ai sempre que podem hypam rumor de poder.

Shin
Shin
Responder a  Deto
3 meses atrás

A cadeia de distribuição. Quem paga Astroturfers? Seus patrocinadores e quem são? São aqueles que mantém interesses nas narrativas que eles aplicam.

Deto
Deto
Responder a  Shin
3 meses atrás

eita, ensaboado

Deto
Deto
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

A Nintendo não tem lucro de “fortinite, COD, Fifa” para sair subsidiando consoles.

Então ela tem que lucrar com o video game tanto quanto lucra com seus jogos e ai está o motivo para a gente nunca mais ver console da Nintendo poderoso.

Mas eu tb concordo que foi um roubo esse upgrade por esse preço, no mínimo tinha que adicionar um Wifi 6, dobrar o tamanho da bateria, diminuir os NM do Tegra para não precisar em nenhum caso de dissipador passivo, e VRR na tela do portátil e via HDMI 2.1 e claro, 128GB ou 256GB de armazenamento interno.

64GB só serve praticamente para comprar os jogos em mídia física e ter espaço para o download extra do que não cabe no cartucho e updates.

Inclusive é bem absurdo a Nintendo ter o portátil com tela fixa e não implementar um VRR… ela podia travar os jogos em qualquer FPS de 30 a 60 no modo portátil.

imagine rodar o jogo a 60fps conectado na TV, diminuir um pouco a resolução e botar 45fps no modo portátil?

E eu que acreditei no papo que a Nintendo estava investindo 900M de dólares em pesquisa para o “switch 2″…

Shin
Shin
Responder a  Deto
3 meses atrás

Um eMMC de 256GB custa cerca de $150. A menos que queira ver a Nintendo saltando dos $299 para os $999 isso é desejar absurdos.

Deto
Deto
Responder a  Shin
3 meses atrás

então só de SSD a Sony gastou 450 dólares?

Sparrow81
Sparrow81
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Da Nintendo eu já desisti. Deixei de ser teimoso. Só não tive o Wii até o momento. Quando o Switch começou pegar poeira aqui em casa e vi que a estratégia não era em inovar nada e vender caro, larguei mão. Quem sabe um dia eu volte, se voltarem a focar em algo que eu possa dizer que é decente pelo que entrega em hardware e não seja o olho da cara qualquer coisa que eu queira na plataforma.

Juca
Juca
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

Entendo sua frustração, mas os jogos estão além de hardware. Não me vejo tendo deixado de jogar um Mario Galaxy só porque o Wii tinha hardware “inferior” ao Playstation 3 ou ao Xbox 360. Da mesma forma que me arrependeria muito de não ter jogado Zelda Breath of the Wild só porque o WiiU tem hardware inferior ao PS4 ou Xbox One. Temos de lembrar que o objetivo de jogarmos não é ter o melhor hardware, mas as melhores experiências em jogar, isso é o mais importante.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Juca
3 meses atrás

Eu não disse isso. Eu não deixei de jogar o que quero no Switch. Acontece que o que quero no Switch é muito pouco e eu não vou pagar caro pra ter pouco e focar jogando Mario. Nem todo mundo quer continuar jogando Mario. Eu sou um desses.

Shin
Shin
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

Você é o que chamo de Era N64, essa categoria de jogador provavelmente teve contato com produtos Nintendo no período N64/GC e devido os materiais de imprensa da época escritos com a cabeça na guerra de consoles, criou-se a idéia de que consoles são tanques de guerra, quanto mais pesado e tecnológico melhor o investimento.

O problema é que o N64 e consequentemente o GC são anomalias geradas a partir de uma posição de defesa da Nintendo, onde empresas com consoles de CDROMs e aceleradores RISC aparecem onde a Sony se destaca não apenas por ter um terminal um bom poder de aceleração 3D mas porque existia incentivos suficiente para que algumas editoras decidisse a publicar exclusivamente nesse ambiente. A Nintendo tomando a ação em um momento posterior contou com o Hardware desenvolvido pela SGi, e este hardware permitiu que eles ficassem tecnicamente sobre aquelas opções que aparecia no pós 1993 quando os aceleradores baseados em RISC apareceram.

Portanto a Nintendo não estava em uma guerra bélica com ninguém e se existia um rival potencial este era o Turbografx da Nec/Hudson, console este que introduzia Hucards e CDROM. A resposta da Nintendo diante disso foi fazer cartuchos especiais com memórias e aceleradores extra, isso colocou a Nintendo dentro de uma geração 3D ( ainda que primitiva) no período Snes. Mas basicamente a mensagem que a Nintendo passava era que aqueles que queriam desenvolver jogos 3D podiam contar com aceleradores SuperFX, contudo, como também existia empresas gerando games FMV a Nintendo desenvolvia igualmente a Hudson a Sega um gadget CDROM para o Snes que precipitou a história conhecida do surgimento do PlayStation.

Portanto, Nintendo passa por uma anomalia que se extende até o período GC onde eles continuam a tentar construir tanques para defender seu espaço e a Sony adquire a maior parcela não por ter o melhor hardware mas sim os melhores acordos. Isso faz a Nintendo a repensar sua estratégia e o Wii é o produto dessa repaginação. O Wii leva a Nintendo de volta a um período Nes onde a estratégia não era sobre uma mídia mas sim sobre qual conteúdo podem oferecer e o qual fácil podem levar esse conteúdo ao cliente. Como naquele momento Sony e MS disputava terreno com seus tanques de guerra equipados com ogivas nucleares prometendo jogos HDTV e isso era muito mais caro de produzir, Nintendo foca-se em uma estratégia mais silenciosa mantendo graficos SD e colocando destaque na maneira de jogar. O resultado é que a maioria das empresas medias pulavam do PS2 para Wii.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Shin
3 meses atrás

Não, eu sou da era nintendinho/super Nintendo, quando a Nintendo fazia consoles decentes. Hoje o Switch é um produto de que nada lembra da qualidade do passado, inclusive na sua construção extremamente pobre.

Shin
Shin
Responder a  Sparrow81
3 meses atrás

Acredite você é N64 Era, Só porque jogou Nes ou Snes não significa que viveu eles. Você apenas repete a mesma narrativa deste tipo.

eduard08
eduard08
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Para que sair agora uma switch pro?? Esta vai vender igual a actual e quando as vendas começaram a descer la vao eles anunciar uma “pro” e pelo meio la saira uma “lite oled”
Nao sei porque todo o mundo fica admirado por tudo isto, ja faz anos que a nintendo tem a mesma política e nao sera em breve que vai mudar, como se costuma dizer, equipa que ganha nao se muda, e eles enquanto continuarem a encher os cofres, vao continuar assim, para que gastar milhoes a fazer consolas mais potentes e jogos mais caros, se podem fazer barato e “reciclado” e ganharam milhões

Carlos Zidane
Carlos Zidane
3 meses atrás

Se as pessoas querem pagar caro por pouco então que assim seja, eu não vou pagar mais que o preço de tabela do PS5, que já é alto, mas isso é pra um hardware de ponta, que tem inclusive suporte ao meu país e jogos de altíssimo nível e variedade, não jogos como os que dão as crianças pra aprenderem as coisas básicas.

eduard08
eduard08
3 meses atrás

https://br.ign.com/video/91176/valve-announces-the-steam-deck-a-400-handheld-gaming-pc

a nintendo que ponha os olhos
valve anuncia a sua consola portatil para jogar jogos de pc

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  eduard08
3 meses atrás

Complicou… Haha

Paulo
Paulo
Responder a  eduard08
3 meses atrás

É capaz ainda de emular os jogos do Switch melhor que o mesmo 😑

Deto
Deto
Responder a  Paulo
3 meses atrás

tem bastante chance de rodar Zelda com o mesmo gráfico do switch só que 60fps.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  eduard08
3 meses atrás

Para quem precisa de mobilidade, eu achei uma proposta bem interessante.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  eduard08
3 meses atrás

Dei uma olhada aqui no YouTube e gostei muito desse bichinho aí, muito da hora.
O Switch fica parecendo uma piada perto dele, até a construção parece mais sólida, biblioteca de jogos já sai arrebentando.

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Carlos Zidane
3 meses atrás

Zidane, piada? Olhe o tamanho disso? Imagine o consumo de bateria. Isso me fez lembrar game boy vs Game Gear. Ah! Lembrando que o Switch é de 2017, não de 2021.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Edson Nill
3 meses atrás

São só opiniões Edson, não dê importância a isso. Se eu desse minha opinião sobre o Switch de fato, nossa, ia magoar muito as pessoas rsrs, então tento maneirar.
Aí embaixo estão falando que TLOU 2 é um jogo qualquer e só tem premiações que não valem e tal, obviamente não concordo, mas não vou lá me ocupar com isso, cada um com suas idéias, mas entendo seu lado, não tenha dúvida

Deto
Deto
Responder a  eduard08
3 meses atrás

está ai o portátil que eu irei comprar, muito bom jogar uns emuladores de SNES nele.

eduard08
eduard08
Responder a  Deto
3 meses atrás

Pelo preço penso que tens melhor para emular, da uma vista de olhos no google, “gpd win”, corre windows 10 e podes instalar o que quiseres, ja no portatil da valve ao menos no prencipio nao vai ser evidente (digo eu) devido ao OS proprio que corre

eduard08
eduard08
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Sim, nao digo o contrario pois tambem nao comparei, apenas mostrei uma alternativa que sei que roda emuladores pois a consola da valve nao e certo, a ver o que a valve quer dizer em instalar programas das outras empresas, se tem de ter um formato proprio, ou o mesmo que para linux ou exe pois se tiver que ter um formato próprio e se for um sistema fechado vai ser mais complicado para instalar emuladores na consola

Encontrei um site que fala das características, nao tive tempo de ver mas deixo aqui

https://www.google.com/amp/s/www.showmetech.com.br/gpd-win-3-pc-gamer-portatil-com-win-10/amp/

E tem mesmo videos com a gpd win 3 a correr jogos ps3 por emulador

https://youtu.be/ZXGRd0V534Q

Shin
Shin
Responder a  eduard08
3 meses atrás

O aparelho da Valve é incapaz de competir com o Switch. Talvez pegue apenas um nicho de hardcore games que deseje se favorecer de um laptop com controles gaming.

eduard08
eduard08
Responder a  Shin
3 meses atrás

Nao jogam na mesma categoria, mas o que me refiro e que a nintendo podia por os olhos e facil uma consola muito melhor, pois se fosse vendida mais barata que o custo de fabricaçao, acredito que so nos próximos jogos pokemon uma grande parte do investimento desta ficava pago

Shin
Shin
Responder a  eduard08
3 meses atrás

Melhor em que sentido? Velocidade de execução de programas? Eu acho que eles não querem isso. Pense assim o Setup base do TX1 roda CPU a 1,9Ghz e GPU a 921MHz, a Nintendo usa no Switch 1,04Ghz e GPU a 768MHz. Isso significa que dentro do que já usam a Nintendo deixa de utilizar 50% de seu desempenho total. E qual a razão disso? A razão é que para seu software de casa esse denominador é suficiente para seus jogos o que permite eles trabalharem com um consumo menor.

Se olhar para 2016-17 em termos de perfomance de GPU o TX1 era o melhor de sua categoria e o único senão o Intel Graphics ou Radeons a suportar instruções a nível de PC.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Quem dera a Nintendo tivesse um aparelho como esse, e ele é exatamente o que eu queria e esperava, na devida proporção, quando na época do lançamento com aquele trailer lindo rodando jogos third party, pra no fim não ser nada daquilo e ser um aparelho pra lá de limitado na minha opinião. Esse da Valve vem pra ser tudo que o Switch não foi, mas certamente que será caríssimo, o que o vai matar aqui no Brasil ao menos, uma pena, pois é o Portátil que eu sempre quis, porém se não for popular, de nada me adianta, o Switch é popular, mas não me atende.

nETTo
nETTo
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Uma pergunta, com este hardware o portátil da Steam pode emular o Switch via CEMU?

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Mas ele será lançado no final de 2021, em cima do avanço de uma nova geração de consoles, ou seja, certamente não conseguirá rodar nada que saia de 2021 pra frente, a não ser indies.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

O aparelho da Valve é incapaz de competir com o Switch mesmo se tivesse 10TF ali dentro. O mercado portátil não é sobre potência mas sim sobre eficiente conjunta entre hardware e software. Software Steam Deck será algo provavelmente derivativo do Xbox Series, esta é a razão de ter um RDNA2 ali estamos falando da Steam assumindo um perfil base para suas plataformas como se Deck fosse um Xbox Series S. Isso significa que o nível de otimização é por compatibilidade e não dedicado o que também significa que é um beberrão de bateria e só pode se colocar como opção mais viável que um GPDwin. Talvez sirva para se defender de empresas chinesas em um segmento de laptop gaming mas eu acho que isso está mais para dejavu.

Não é um produto para as massas e sim nichos tecnogeek.

Hiago
Hiago
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Último Nintendo que tive em minha casa foi um SNES, não sou otário de ficar financiando essa empresa, apesar que acho que o N64 e o Game Cube foram os últimos consoles bons que a Nintendo realmente fez. Agora eu estou mesmo é interessado no portatil da Steam (as possibilidade com emulação também me deixam bem animado para fazer uma verdadeira central de retro game portatil).

Shin
Shin
Responder a  Hiago
3 meses atrás

Você financia empresa para ela fazer mais jogos pra você. Se você não faz isso, elas trocam produtos por serviços.

Sempre terá alguém para comprar tem 8 bilhões de pessoas ai fora. Agora se você não compra não espere que a empresa faça produtos direcionados para você na próxima vez que eles tentarem.

Edson Nill
Edson Nill
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Ao meu ver, é uma decepção por conta do preço. Se a Nintendo estivesse lançando esse aparelho por 300 dólares e baixando o switch atual por 250, certamente não teriam reclamações. Sou muito fã da Nintendo e não escondo! Creio que um console é sobre jogos, onde a Nintendo sempre foi premium. Sim, não são jogos com exigência técnica de topo, mas são jogos ímpares no quesito experiência, principalmente para família, onde aí está o diferencial nos preços, em especial ao software que quase não caem de valor. Quanto aos rumores de DLSS, etc…. Devem ser sobre o switch da nova geração, algo para 2023 provavelmente. Shin Concordo com tudo que vc escreveu, principalmente na questão de não termos hardware hoje que replique um console de mesa next gen, onde a Nintendo não precise de um console mais poderoso por agora. Ah! Quanto à Nintendo ter altos e baixos com seus consoles, é verdade em relação aos consoles de mesa, não aos portáteis, onde sempre teve sucesso!

Edinho
Edinho
3 meses atrás

O único console da Nintendo que ela tentou ser competitiva a nível de Hardware foi o Game Cube, de lá pra cá, ela só investi em software e faz isso muito bem, como nenhuma outra empresa. Ao meu ver a Nintendo deveria abandonar o ramo de hardware e focar só nos games, pois é o que eles fazer de melhor.

Deto
Deto
Responder a  Edinho
3 meses atrás

Não vejo como “fazer investimento como ninguém em software” estando umas duas ou três gerações atrás da concorrência em software.

Só Last of Us 2 já tem mais “software” que somando todos os jogos da Nintendo nos últimos 5 anos.

A maioria tem orçamento, escopo e tecnologias de Índies.

Jogar Mario hoje com 80% da jogabilidade igual Mario 64 de 1996… E sim, joguei os dois.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Deto
3 meses atrás

Concordo, a Sony em software tem liderado com folga e isso mesmo sem nem sabermos o que está por vir, embora creio que a politicagem irá tirar um pouco do brilho, mas isso é outra história.
Em hardware também, afinal, olhando o Serie X e o PS5, claramente o projeto da Sony me parece mais refinado, entregando ótimo resultado e ainda possivelmente mais barato de ser produzido… É uma peça de arte
Eu amava a Nintendo na década de 90, mas eles ficaram por lá e eu acabei seguindo em frente

Shin
Shin
Responder a  Deto
3 meses atrás

Como assim tem mais software? TLOUS2 é um jogo como qualquer outro. Um tanto curto em termos de gameplay e diferentemente da primeira versão sem multiplayer.

Se for em relação ao custo de produção jogos como TLOUS2 são anomalias, eles são filhotes de Shenmue. Bombas de marketing que vendem muito nos primeiros meses e depois se esvai. Nesse ponto o valor técnico promovido pelo game serve como um porta voz para a plataforma. Agora a intenção de qualquer jogo é gerar vendas e manter o público entrosado e se for ver quais jogos estão fazendo isso, são os jogos mais simplórios.

Pedro
Pedro
Responder a  Shin
3 meses atrás

Dizer que TLOUS2 é “um jogo como qualquer outro” é uma insanidade absurda. Foi o melhor jogo do ano passado e um dos melhores da década. A meu ver, melhor do que a maioria dos jogos da Nintendo no Switch, por exemplo. Só perde mesmo para Breath of the Wild.

Shin
Shin
Responder a  Pedro
3 meses atrás

Foi o melhor jogo do ano na The Game Awards e quem decide isso? Aquele nicho de imprensa e produtores pagos. Ganhar prêmios de destaque da imprensa significa absolutamente nada além de publicidade.

Valor efetivo vem unicamente do público. Em 2020 as pessoas estavam jogando Animal Crossing e Genshin Impact enquanto a imprensa exaltava os aspectos narrativos de TLOUSp2.

Ewertom
Ewertom
Responder a  Shin
3 meses atrás

Fato👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

andrio
andrio
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Se o jogo da minha marca favorita não ganha não vale xD
A midia é vendida, midia sonysta! Sempre Assim.
Em 2020 o pessoal tava jogando fifa, cod, Free Fire, PUBG…. xD

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Em um ano sem concorrência! Teve GTA, Red Dead, Zelda, GOW, Elder Scrolls concorrendo com ele? Não! O jogo é fabuloso, sim!

Pedro
Pedro
Responder a  Shin
3 meses atrás

“Foi o melhor jogo do ano na The Game Awards e quem decide isso? Aquele nicho de imprensa e produtores pagos.”

A depender do público, também teria vencido o prêmio de jogo do ano.

Pelo menos se considerar o público isento, e não aquele que boicotou o game por “lacração”.

O primeiro game tem nota média de público de 9.2 no metacritic, superior até mesmo a Zelda Breath of the Wild. Vais dizer que é um game “comum” agora?

Podes não gostar do segundo game devido à história, mas pelo menos o primeiro game tens de reconhecer a qualidade.

Dizer que ambos The Last of Us são “jogos comuns” é insanidade. Ou gosta de um, ou de ambos. Ou não deves gostar de video games em geral.

Shin
Shin
Responder a  Edinho
3 meses atrás

Todos foram competitivos inclusive o Switch, o N64 e GC são no entanto anomalias de padrão. Nessas plataformas e devido a guerra bélica de quem tem o maior poder armamentista do mercado, criou-se uma tendência em torno de aceleradores 3D cada vez mais rápidos e a Nintendo buscou está mais próxima de computadores. O PlayStation 2 que interrompeu essa tendência, pois ele embora tenha sido um material bélico superior, ele só era superior ao que estava atrás dele a concorrência era superior e a Nintendo colocou o GC tecnologicamente a frente mas mesmo assim o PS2 se segurou bem devido ao apoio thirdparty. Assim a Nintendo resolveu fazer seu próprio PS2 nos consoles a seguir focando no apoio ao invés de ter o melhor apoio de guerra.

Wii, Wii U e Switch eles não apenas segura a expansão do hardware mas também a expansão dos budgets, a Nintendo percebeu que a guerra armamentista levaria eles a alto custo de produção e retornos cada vez mais arriscados, então eles começaram a elaborar uma estratégia de qualidade de vida. Assim passam a produzir jogos mais simples e a terceirizar certas produções críticas, assim mantém uma cadência de lançamento regular que mantém lucros estáveis. Se você olhar o período Wii U, mesmo vendendo pouco a Nintendo não estava deixando de lucrar, é diferente do PSvita onde a Sony teve que parar a produção de software pois produzir os jogos era mais caro que manter a plataforma ativa.

Alessandra
Alessandra
3 meses atrás

Verdade.A ps5 não da mais prejuízo a Sony e o valor não abaixou?Porque a Nintendo decepcionou sendo que diferente da Sony está a aproveitar o momento e ganhar com isso.Sao empresas e tem que lucrar

Equipa PCManias
Responder a  Alessandra
3 meses atrás

Não dar prejuízo e dar lucro são coisas diferentes. Historicamente Sony e Microsoft descem o preço das suas consolas a cada revisão.
A Nintendo não só o subiu, como a sua consola já de 2017, com hardware de 2015, nunca desceu de preço.

PS: Não sou o Mário

error: Conteúdo protegido