Novas Xbox foram apresentadas, mas a noite de ontem teve mais revelações

0 0 votes
Avalie o nosso artigo

Os VideoGame Awards tiveram ontem direito a várias situações dignas de notícia. O destaque vai para a apresentação das futuras Xbox, mas no entanto a noite teve mais revelações.

A noite de ontem foi pródiga em novidades, sendo que no entanto o destaque vai para a apresentação das futuras Xbox.

Apesar de não se terem adiantado quaisquer especificações sobre o hardware, a futura Xbox foi apresentada.

A XBOX série X

O seu nome… bem… o seu nome é um pouco confuso! Supostamente denomina-se Xbox série X!



E a confusão é lógica. Primeiro porque o nome refere a palavra série. E série refere-se a um conjunto de coisas e não apenas a uma! Será que este é o real nome da consola, ou apenas uma designação para um conjunto de consolas que incluem as denominadas Anaconda e a Lockhart?

Infelizmente a Microsoft nunca foi muito boa com nomes. E aqui podemos estar apenas perante um caso desses! Aliás estamos com toda a certeza uma vez que já existe uma Xbox chamada X, e como já se percebe pela leitura dos fóruns, há muitas pessoas que se questionam se a sua Xbox One X vai ser incluída aqui nesta série.

Para quem tem essa dúvida, uma leitura da descrição que acompanha a apresentação parece eliminar a mesma. A Xbox One X não está incluída aqui!

A consola é anunciada como possuindo quatro vezes o poder de processamento da Xbox One X (uma situação que já foi esclarecida pela Microsoft como se referindo ao poder de processamento do CPU), e como a consola mais poderosa alguma vez criada pela Microsoft (o que também não é de admirar).

É anunciada como suportando 4K 60 fps, podendo ir aos 120 fps, Variable Refresh rate e Variable Shader Rate, suportando ainda 8K, usando um processador Zen 2, um GPU navi e um SSD, e totalmente retro compatível com as três gerações anteriores.

Nada que nos surpreenda a nível de performance, caso se confirmem as especificações e 12 Tflops que tem sido anunciadas e sobre as quais temos falado nos últimos dias. É realmente uma máquina poderosíssima e digna de nova geração.



Para demonstrar o poder da sua máquina a Microsoft mostrou algumas cenas in-engine de Senua’s Saga, Hellblade II. Eis o trailer!

Este é um trailer deveras impressionante, que deixa água na boca. Se este é o patamar que podemos contar como base para a próxima geração, certamente ela promete.

No entanto confesso. Esperava um pouco mais!

Não que o trailer não seja impressionante. Porque é! Mas porque o que ali está, apesar de claramente superior, não é algo que esteja a milhas de distância daquilo que pudemos ver em um Death Stranding, ou em um Ghosts of Tsushima. Mas não que isso seja forçosamente mau, pois se num caso estamos a falar do expoente máximo da geração anterior, aqui estamos a falar do que é um jogo entrada de geração, e que já consegue superar isso. Daí que este video deixa-nos com uma certeza, a de que o futuro será excitante.



Apenas como comparação, deixo um video com os primeiros minutos de Death Stranding, dos quais recomendo em particular a visualização dos primeiros 4 minutos.

A apresentação deu-nos ainda a conhecer a caixa da Série X. Eis a foto:



O conceito é inovador para uma consola, sendo o design muito agradável. É uma caixa que pode ser usada a pé ou deitada, mas que aparenta pequeníssimas dimensões, pelo menos a julgar pela comparação com o comando. Não aparenta ser muito mais larga que o comando, devendo ter uma altura de pouco mais de 2,5 vezes o mesmo. Dado que o atual comando da Xbox tem 108 mm de altura e o diâmetro de um disco de Blu-Ray é de 112 mm, não nos parece que esteja a acontecer aqui o mesmo que aconteceu com a Xbox One S, onde a caixa foi apresentado como sendo bem menor do que realmente é.

A apresentação da caixa com um ano de antecedência leva-nos a pensar que as especificações da consola já deverão estar fechadas. Mas é um conceito inteligentemente bem pensado. Sendo a consola basicamente um circuito integrado com um leitor de BD e um SSD, a altura e largura da caixa parece permitir uma boa circulação de ar interior, podendo assim garantir o bom funcionamento da mesma. Poderá é ser um pouco problemática de se colocar numa sala, especialmente para quem está habituado a colocar a consola sob a televisão ou em prateleiras de moveis, pois as suas dimensões não parecem ser adequadas a isso.

A Microsoft revelou ainda um outro trailer mais genérico que contêm referências aos seus jogos icónicos como Forza e Halo. Não sabemos porém se o que é apresentado nesse trailer é um rendering, uma montagem com o conteúdo de vários motores, ou algo a correr em tempo real e criado para o efeito. Eis o Trailer:

Mas a noite não foi exclusiva de novidades Xbox. Eis outras novidades!



Sekiro Shadows Die Twice foi jogo do ano

Apesar de esta não ser a revelação da noite que mais interesse tem após a apresentação da Xbox, a realidade é que a temos de incluir desde já, não fosse a cerimónia em causa o The Video game Awards.

E aqui o jogo vencedor do título de jogo do ano foi Sekiro Shadows Die Twice, vencendo Control, Death Stranding, Resident Evil 2 (atualmente líder na nossa própria votação para jogo do ano), Super Smash Bros Ultimate, e The Outer Worlds.

Eis outras novidades.

O primeiro trailer de um jogo PS5



A PS5 tambem teve direito a um trailer de um jogo que será seu exclusivo (pelo menos no lançamento). Denomina-se Godfall e é um jogo de terceirros, nomeadamente da Gearbox. Eis o Trailer:

O trailer é basicamente uma cena in-engine, e possui um estilo de arte que o torna bastante menos impressionante que o trailer da Xbox. Não deixa porém de ser impressionante por ter sido revelado que correrá a 4K nativos, 60 fps. Trata-se de um RPG baseado em combate e pilhagem, que corre no motor Unreal engine 4.

Eis uma cena de Gameplay, que não está presente no trailer.



Esta cena de Gameplay, apesar de pequena, consegue ser mais reveladora do que o trailer em si! Chamo a atenção para o chão e a qualidade dos reflexos.

Estaremos perante um mero caso de um clássico uso de Screen Space Reflections para os reflexos, ou Ray Tracing?

Seja qual for a qualidade é elevadíssima, e muito acima de tudo o que já vimos até hoje. Mas há detalhes que levam a acreditar que estamos perante Ray Tracing. Eis alguns exemplos.

  • As personagens estão igualmente refletidas no chão e o seu reflexo é perfeito, acompanhando os movimentos. Esta é uma situação que pode ser comprovada olhando com alguma atenção para a sequência. Ela é pequena e mas podemos ver isso em pelo menos duas situações
    • Quando a animação se inicia e a personagem mais à direita sai de debaixo do arco com as runas azuis e se move para a frente.
    • Quando a personagem principal é elevada no ar e atirada ao chão.
  • Pelo facto que quando a personagem principal ao ser elevada e atirada contra o chão, emitir uma luz do seu escudo presente nos ombros, que se reflete também com o mesmo pormenor e em tempo real no chão. Tal dá a entender o uso de técnicas de Ray Marching para os reflexos!

E é exactamente por estes pormenores que achei a demo interessantíssima. Porque caso se confirme o Ray Tracing a 4K nativos, 60 fps, isso é algo que nunca vi nos GPUs Nvidia, e que confirmaria que a solução da AMD, que a Xbox também usará, mesmo que menos capaz que a da Nvidia, é mais versátil, e não limitará o uso de resoluções e fps elevados.

A apresentação do novo trailer de Ghosts of Tsushima



Se os trailers de futura geração nos deixam com água na boca, ainda deixam mais ao vermos o que já se faz na presente geração. No fundo o que vemos neste primeira fornada de nova geração não é um salto gigante face ao que temos agora (recordo que isso também aconteceu um pouco em 2013, sendo basicamente normal).

Ghost of Tsushima é um dos jogo que mostram o expoente máximo que o grafismo atingiu na presente geração. Um dos jogos que mostram motores com capacidades que estamos ansiosos de ver o que podem render em consolas mais potentes (O motor Décima sendo o expoente máximo).

Eis o fantástico trailer deste jogo que foi revelado no VGAwards.

O jogo sairá no verão de 2020.



A confirmação de que Horizon: Zero Dawn não sairá para PC!

Um suposto leaker russo veio dizer à tempos que Horizon: Zero Dawn iria seguir os mesmos passos de Death Stranding e sair para PC.

A questão ficou no ar. Se é certo que nunca ninguem esperou ver o Décima engine no PC, tambem é certo que Death Stranding não é um IP Sony, mas sim da Kojima Productions. Já Horizon: Zero Dawn é um IP 100% Sony, e seria estranho vê-lo no PC.

Mas agora, o Director de jogo da Guerrilla veio tirar tudo a limpo.



Basicamente perante a questão sobre se o jogo sairá para PC, o director de jogo da Guerrilla questiona: O que é um PC?

E quando confrontado com as declarações do russo que criou o rumor, ele afirma: Os russos parecem andar em cima disto. Tenho de arranjar um desses “PC”.

No final alguem brinca dizendo que PC quer dizer Playstation Console, ao que ele refere: Nesse caso já estou servido. E já posso jogar Horizon: Zero Dawn.



 



error: Conteúdo protegido