Abr 092011
 

AVISO: O Router testado encontrava-se equipado com um chipset Broadcom, talvez o chipset mais usado e suportado do mercado e que lhe oferecia uma compatibilidade extrema. Entretanto por motivos que só a Asus compreenderá, as especificações do router foram alteradas e o chipset alterado para um Ralink que, apesar de alguns benefícios nas caracteristicas oferecidas, lhe rouba alguma compatibilidade, nomeadamente com  o Zon Hub. Vejam o artigo de aviso colocado na PCManias assim que soubemos dessa situação.

Introdução

Quando a Asus nos propos a análise a um router, o entusiasmo foi grande. Afinal como referi na última análise que aqui fizemos a um produto desse género, procuro um substituto para o meu Wl-500g que queimou, e os candidatos a ocupar o seu lugar que até ao momento foram testados decepcionaram comparativamente. Daí que esta seria uma oportunidade de ver que tal este router da Asus se saia comparativamente, uma vez que seria, no mínimo, espectável que o novo router tivesse iguais ou melhores capacidades de configuração.

Ficava igualmente no ar a possibilidade de obtendo um novo router capaz de fazer uma bridge wireless com o ZON HUB, realizar um novo artigo exclusivo com um tutorial de procedimentos para esta configuração.

No entanto quando recebemos o router as expectativas sobre o que esperar dele decaíram tremendamente. O modelo em questão, o RT-N10 é um modelo de entrada de gama, e cujo preço ronda os 30 euros. Não seria por isso minimamente comparável ao anterior WL-500g cujo preço, na altura de compra rondou os 150 euros.

Pois bem, não podíamos estar mais enganados.

A análise

Comparativamente com outros routers de produtores como a Belkin ou a Linksys, e ou mesmo outros dos que tivemos oportunidade de testar, e mais ou menos dentro da mesma gama de preços, o RT-N10 revela-se incomparavelmente superior. Suporta as mesmas velocidades de ligação (150 Mbits), mas pode ser configurado (desde que equipado com um firmware actualizado) de três formas diferentes, Router, Access Point ou Repetidor.

Cremos que as esquemáticas mostradas pelo próprio router mostram bem as diferenças de funcionamento dos três modos, sendo que, porém, o modo repetidor que se encontra exemplificado na última imagem acaba por ser bem mais completo do que o esquema demonstra ao permitir que o router funcione de forma mais complexa ao manter activas as portas RJ-45. Quer isto dizer que o acesso ao repetidor pode ser feito por cabo ou por wireless e não apenas por wireless como o esquema aparenta.

Isto não foi uma novidade, uma vez que tanto o WL300g que ainda possuo como o Wl500g que avariou funcionavam exactamente da mesma forma.

No entanto, ao contrário dos routers antigos da Asus, a realização de uma bridge com o zon hub foi surpreendentemente simples. Diria mesmo que foi estupidamente simples.

Após configurar o router como repetidor, somos confrontados com o seguinte menu.

Sim, é verdade… Uma lista das redes captadas pelo router. Aqui basta clickar naquela com a qual pretendemos fazer uma bridge, introduzir a chave da rede (há aqui que criar permissões de Mac Adress no router a que nos queremos ligar caso haja bloqueios desse género), e… voilá… Bridge executada.

A simplicidade foi tanta que até deu pena. Perdemos aqui uma oportunidade de criar um novo artigo para exemplificar como fazer uma bridge entre o ZON hub e este router, mas cremos que um artigo com duas linhas de texto não teria muito sucesso.

Este é um router cujos métodos de configuração automáticos são pura e simplesmente fabulosos, e simplificam tremendamente a vida a quem possui parcos conhecimentos de redes ao configurarem sozinhos todo o tipo de situações, por muito complexas que sejam.

Mas no entanto, o utilizador mais exigente também fica satisfeito. As opções estão todas lá, mas, ao se pretender configurar o seu router de forma mais complexa e “picuinhas”, os métodos automáticos esbarraram um bocado com o utilizador.

Mas convenhamos… Se a bridge estava executada e funcional, este método automático está longe de ser perfeito, e passamos a explicar o porque:.

Por exemplo, no caso da Bridge que referimos acima, teremos diferenças se interferirmos com o processo ao alterarmos-lhe as condições em que era suposto ele actuar. É que este tipo de conexão automática, ao pretender simplificar tremendamente o processo parte do principio que o router ao qual nos vamos ligar possui um servidor de DHCP ligado e que o RT-N10 irá obter o seu IP automaticamente. E esse efectivamente é o método que se revela mais simplista de configuração.

Mas no meu caso os IP’s são fixos e os servidores de DHCP estão desligados, daí que o RT-N10 estava com um IP fixo que lhe fora previamente atribuído.

Ora tal situação deu origem à seguinte mensagem de erro.

Esta mensagem de erro é perceptível e compreensível num método de configuração automática simplificada. É basicamente um aviso que o router não conseguiu obter um IP por DHCP.

E como prova que se tratou apenas de um aviso relativo a um passo automatizado que se previa ocorrer de determinada forma, verificamos, mal a janela se fecha que, apesar da indicação, a conexão foi efectuada com sucesso, o que se comprova pelo “visto” a verde junto do nome da rede:

No entanto, e apesar de a conexão estar efectuada, não é agora oferecido ao utilizador maneira de sair deste menu, apenas existindo a opção para uma nova re-conexão.

Tal obriga a que na barra de endereços do Browser tenhamos de manualmente voltar a chamar a página de entrada, uma vez que a conexão está efectuada e não há mais nada a fazer aqui.

Basicamente o método automático não prevê o uso de ip’s fixos e daí o erro com o aviso para tentar novamente que nos mantém posteriormente num menu onde a única opção existente é re-conectar.

Eu não chamaria exactamente BUG a esta situação. Afinal ela acontece porque foram alteradas já manualmente configurações do router e, naturalmente, quem as sabe fazer, também sabe como sair facilmente deste menu. Mas é uma pena que aconteça ao não ser detectado o sucesso na conexão.

Mas existem mais situações em que estes métodos chocam com o utilizador que pretende configurar a rede de forma mais complexa:

Dado que a minha rede é b/g e n, o router usando o seu método automatizado configura-se para uma bridge b/g/n. Nada mais lógico e coerente!

Mas a verdade é que b/g era o que eu tinha, e apesar de pretender manter o b/g activo no outro router por compatibilidade com diveros aparelhos, para o RT-N10 pretendia que a conexão fosse efectuada apenas pela norma n.

Ora assim sendo como fazer?

Nada mais simples. O método de bridge automatizado efectua a conexão da mesma forma, mas limitando-se à norma n, desde que eu indique o RT-N10 deverá ligar-se apenas pela norma n.

Ora o problema aqui passa apenas pelo facto que este tipo de configurações Wireless não existem em modo repetidor, pelo que temos de mudar o RT-N10 para router, alterar o modo wireless, e mudar novamente para repetidor.

Daí que surja a questão: Porque motivo o router não possui as opções básicas do wireless quando configurado como repetidor.

A explicação existe e mais uma vez está associada à automatização de todo o processo. O repetidor deverá limitar-se a apanhar as configurações do outro router e repeti-las. É isso que um repetidor faz!

Mas como disse, quando pretendemos ser picuinhas nas configurações, o utilizador choca de frente com estes métodos automáticos todos.

Aliás esta era uma situação que no WL500g que possuía não acontecia. As opções estavam lá todas sempre, independentemente do modo para o qual se o configurava, e isto porque ao contrário deste router onde existem os modos automáticos, o Wl500g era 100% “a la pate” (nota para os nossos leitores brasileiros: a la pate = à pata = à mão).

Inclusive opções como a largura do canal ser 20 ou 40 Mhz, tão importantes para a norma n tem de ser alteradas no modo router. O mesmo se passa se quiserem impedir acessos externos ao RT-N10 criando limitações locais por Mac Adress.

Estas são situações nas quais o utilizador avançado choca com o firmware automatizado do router. Mas no entanto não são verdadeiras BUGS, mas sim meros choques com um firmware 100% automatizado e simplificado e que se contornam sem problemas. Mas a verdade é que, se para o utilizador que nada percebe se lhe simplifica a vida, para quem percebe um bocado ao ponto de querer personalizar vê a sua vida complicada. No entanto, este ultimo utilizador tem acesso a tudo o que pretende uma vez que as opções estão lá, apesar de não estarem acessíveis como se acha que deveriam.

Já agora, como mera curiosidade, refere-se uma outra falha, esta sim consideramos uma Bug, mas que deverá funcionar a favor do utilizador. Não deverá contudo ser possível usa-la com outros routers, mas funciona com o ZON HUB que, curiosamente também a possui.

A norma IEEE 802.11n Draft proibe o uso de altas velocidades usando uma chave WEP ou TKIP como cifra unicast. Podemos confirmar isso no próprio RT-N10 quando no modo de escolha automática entre uma rede b/g/n, devido a poder tirar partido do n, o router avisa que irá activar por defeito a protecção WPA2, alegando que com uma chave WEP a velocidade máxima de transmissão terá de ser de 54 Mbits (ou seja, os aparelhos n usarão a compatibilidade com o g para se conectarem).

No caso que me interessa e onde foi descoberta a bug, pretendia usar apenas a norma n, pelo que essa foi a opção inserida. E mal escolhemos “n only”, recebemos imediatamente o aviso que a chave WEP não se encontra disponível, ficando o acesso a esta inacessível e o WAP2 como única opçao activa. Ora acontece que, se depois de escolhermos “n only”, entrarmos num outro menu qualquer e retornarmos à configuração do wireless vemos que o valor por defeito da protecção passou para… WEP, e isto apesar de a norma “n only” se manter activa.

Ora o ZON HUB parece possuir exactamente uma falha do género, e aparentemente permite o uso da norma n com uma chave WEP dado não existir qualquer aviso relativo a limitações, pelo que o RT-N10 se consegue ligar a ele usando “n only” e uma chave WEP.

Dado que o RT-N10 está exclusivamente a funcionar como n, a conexão ao efectuar-se deverá fazer-se forçosamente em n. O normal seria o outro router recusar a conexão ao detectar a norma n e uma chave WEP, mas isso não acontece aqui, o que dá a entender que a falha realmente se dá dos dois lados.

Não podemos garantir porém que as velocidades efectivas passem os 54 Mbits dado que não tivemos oportunidade de testar isso, mas uma vez que o RT-N10 estava com a norma n forçada no modo de 20/40 Mhz, acredita-se que pelo menos os 72 Mbits (a velocidade das redes certificadas 802.11n) serão obtidos. Pelo menos, como vemos na imagem de baixo o RT-N10 afirma ter uma ligação até 150 Mbits.

A verdade é que, pelo facto de estarmos com uma chave WEP as velocidades podem sofrer. Mas tentaremos brevemente alterar este artigo com mais informações sobre este assunto.

Nos restantes modos, o router revela-se extremamente completo:

Mac adress filtering

Configurações avançadas do wireless

Configuração de IP

Servidor de DHCP

Configurações de ligação a modem

Quality of service (prioridade de pacotes, um dos pontos fortes do router e essencial para quem pretende download e jogos online em simultâneo)

Port triggering

Virtual Server

Zona desmilitarizada

Servidores de DDNS

Firewall

Filtros Lan to Wan

Conclusão

O RT-N10 possui pequenas lacunas no seu firmware. Contudo, não se tratam de falhas que afectem o seu funcionamento, mas sim situações que poderiam ter sido detectadas e eliminadas facilmente.

No entanto, todas estas questões, são passíveis de ser contornadas. São meras chatices que em nada impedem o seu bom funcionamento.

Mas não fora essa situação e o router, apesar de excelente, seria absolutamente perfeito, particularmente a este preço de apenas 30 euros, o que o torna mais barato que a oferta da maior parte da concorrência onde os preços para este tipo de produtos que até nem são tão completos ronda os 40 euros.

Análise: Router Asus RT-N10
Característicaswww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Extremamente completo e com métodos de configuração automática extremamente funcionais, este seria o router perfeito. Mas aquilo que consideramos serem pequenos inconvenientes e que descrevemos no artigo impedem de lhe dar a nota máxima
Facilidade de utilizaçãowww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Os métodos automáticos de configuração são de pasmar pela simplicidade. O router pode ser configurado de forma extremamente simples quer por aceso directo ao seu IP de fábrica, quer usando o cd de instalação. E ao contrário do que verificamos com a instalação simplificada do Linksys que aqui analisamos, a ASUS tem consciência que o utilizador não é necessariamente o administrador da rede. Revela-se um bocadinho mais chato para utilizadores avançados do que acontecia com os anteriores routers da Asus, mas a realidade é que está tudo lá.
Designwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Nem feio nem bonito. No entanto até nem é desagradável à vista ao possuir um estilo bastante standarizado e sério
Relação qualidade/preçowww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Sinceramente, por um preço a rondar os 30 euros dificilmente se arranjará algo melhor. Simples e funcional não há como pegar contra.
Overallwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Apesar dos inconvenientes encontrados, e uma BUG que até beneficia o utilizador, estamos na presença de um excelente produto, sendo que na funcionalidade, aquilo que interessa, é intocável. Confessa-se que, procurando um substituto para o meu WL500g, decidi-me por encomendar um router destes devido às suas tremendas capacidades e preço imbatível

Clique se pretende explicações sobre este simbolo e o nosso sistema de avaliação

Publicidade

  33 Responses to “Análise: Router Asus RT-N10”

Comments (33)
  1. Olá, me desculpem a pergunta. Mas qual o alcance em metros que ele chega ? Não encontrei no tópico de vocês que alias está de parabéns, muito obrigado.

  2. Olá, pessoal… Estou procurando informações sobre o RT N10+ eu comprei ele e estou com um probleminha. A conexão está muito fraca a uns 15 metros( nem isso) de onde o roteador está. Isso é normal nele, ou alguma configuração está enfraquecendo o sinal? Agradeço a atenção. E desculpem postar em dois tópicos do mesmo assunto…

    • Tem muitos obstáculos (paredes, por exemplo) até onde você quer que chegue o sinal?
      Tem de ver a qualidade do receptor também.

  3. O alcance dos routers não é algo que se possa referir pois não é matemático uma vez que depende de vários factores, nomeadamente o número de paredes que atravessa, as interferências que possa ter na zona causada por outras radio frequências, etc.

    Seja como for, o RT-N10 é um router que obedece à norma n, o que quer dizer que, no mínimo, deverá ter um alcance 4x superior a um router da norma b.

    Naturalmente que o receptor também conta. Há aparelhos wireless com captação extremamente fraca. Para além disso há outros factores como por exemplo o uso do Windows XP em portáteis. O XP não gere muito bem os sinais wireless e permite variações de sinal tremendas, e isto foi algo muito melhorado no windows 7.

  4. Boa tarde, poderia me fornecer alguns dados sobre o QoS dele, pretendo comprar o modelo RT-N10+, e gostaria de saber se possui o controle de banda por IP, IP/MAC ou somente MAC e posso escolher a banda que quero para cada MAC registrado, tanto no Dow como Up. pode me ajudar?

    • Caro Felipe

      Infelizmente já não temos connosco o RT-N10+ para podermos aprofundar a resposta, mas pelas imagens que captamos creio poder afirmar que o QOS é feito por restrições de IP, que podem ou não estar associados igualmente a serviços específicos em determinadas portas.
      Quer isso dizer que a restrição pode só existir, por exemplo, na porta 21, o que garantiria um acesso normal a todos os serviços, com apenas restrições nos serviços de FTP, onde a prioridade de acesso poderá ser definida como baixa, normal, ou alta. Não se define larguras de banda, mas prioridades, sendo que se o utilizador com baixa prioridade for o único a aceder naquele momento, poderá ter a banda toda para si, mas se aceder outro IP com prioridade superior, a prioridade na largura de banda é-lhe dada.
      Dado que o Router permite igualmente o uso de 4 SSID’s diferentes é possível colocar restrições na largura de banda fornecida a cada um destes SSID. Assim, pode por exemplo criar um SSID para si sem restrições de banda, e outro para outros utilizadores com as devidas restrições.
      Não querendo estar a mentir, uma vez que já não posso confirmar isso pois não possuímos actualmente nenhum destes routers, cremos que as restrições ao QOS são separadas para cada um dos SSID criados.

  5. OLa meu querido gostaria de perguntar porque este roteador da asus rt n10+ bloqueia o acesso ao msn em configuraçao de compartilhamento de ip usando ppoe. e alguns sites .com inclusive o da frabricante como desbloqueio.

    • Essas situações são-nos desconhecidas, e achamos mesmo muito estranho que um router bloqueie sites uma vez que não possui sequer opções para tal.
      Seja como for, este router foi-nos enviado para testes e devolvido ao fabricante, pelo que não o temos em nossa posse para testes adicionais.
      Efectivamente no teste referimos que encomendamos um router destes para nós, mas devido a faltas de stocks acabamos por ficar com um RT-N12 e não um RT-N10.

  6. Ele tem opção AP isolation? Para isolar a rede WIFI da rede cablada..

    Cumps

  7. Obrigado pela review bastante esclarecedora! Ainda tenho uma dúvida: Existe limite para o número de MAC Addresses colocados no filtro? Preciso registrar uns 50, e gostaria de saber se é possível fazer isso utilizando esse roteador.
    Obrigado!

  8. Gostei bastante da review, foi escrita pelo administrador ou por uma pessoa externa ao site?
    Muito esclarecedora e bem estruturada. Parabéns

    • Antes do mais obrigado. A análise foi feita, como é habitual, por mim, administrador da PCManias. não quer isso dizer que as análises não possam ser feitas por outros membros da PCManias, caso em que o seu nome aparecerá em vez do meu. Se um dia for uma pessoas externa isso será bem indicado no início do artigo.
      Já agora fica o aviso que o actual RT-N10 à venda não é o mesmo produto que analisamos aqui, sendo muito mais problemático. Aliás irei alterar este artigo para alertar para essa situação.

  9. De tanto ler vosso artigo acima resolvi adquirir um router asus RT-TN+10 agora minha pergunta sera se vou consiguir configurar-lo como repetidor já que o sinal de minha rede estar fraca na sala

    • Espero que tenhas lido também o aviso no cimo do artigo. É que o router que compraste não é igual ao que aqui foi testado.
      Quanto ao sinal de repetidor, o router que vai repetir não deve ser colocado nos limites do sinal. Isto é, se o teu router chega mal à sala, não vais colocar o repetidor na sala, mas algures a meio do caminho. A ideia é ele comunicar decentemente com o teu router principal, mas ao mesmo tempo aumentar o alcance da tua rede.

  10. Ele funciona no modo repetidor com WPS2-PSK? Fiz alguns testes e verifiquei que ele não funciona com WPA2 apenas com WPA e WEP.

    • Sinceramente não estou a ver motivos para não funcionar. A norma WPA2 é bem mais antiga que o router que a suporta, pelo que não vejo qualquer motivo que impeça o seu uso. Experimenta actualizar o firmware.

  11. Este equipamento se comportou muito bem nos modos AP e ROUTER, porém é uma negação no modo REPETIDOR, a conexão trava muito e o suporte oferecido pela ASUS por email para este produto é muito fraco. Caso Alguém tenha passado por este problema e tenha consguido resolver até mesmo com mudança de firmware por favor entre em contato comigo. Obrigado.

    Valter Junior

  12. Bom dia.

    O RT-N10 é actualmente bastante diferente do que foi testado por nós. O chipset Ralink não é de forma alguma comparável ao broadcom que equipava os primeiros modelos. Como referi, satisfeito com o modelo de teste, encomendei um RT-N10 para mim. E o que recebi era já um Ralink que só dava problemas. Actualmente tenho um RT-N12 que de forma geral funciona sem problemas.

  13. Boa noite,

    Muito completo todos os tópicos, com excessão de não explicar o passo a passo da configuração de IP manual… estou tentando configurar o asus como repetidor e está dando erro de conflito de IP. o que exatamente tenho que fazer?

    Obigado!

    • Por defeito o RT-N10 tenta obter um IP usando o servidor DHCP do outro router. Mas se estás a ter problemas, configura-o como Router e muda-lha o IP que deve estar idêntico ao do outro router. Só depois o colocas em modo repetidor e inicias o processo.
      Se bem me recorda, em modo repetidor muitas das opções não ficam disponíveis, mas as escolhas definidas em modo router ficam válidas. E creio que o IP era uma delas.

  14. Boa noite!
    Eu tenho uma situaçao de conflito de IP que nao consigo resolver! Ja no inicio quando comprei o router dava o erro, mas depois nao sabendo como… raramente me dava o erro de conflito de IP! Mas agora formatei o pc, e o sinal esta sempre a ir abaixo e o aviso “Conflito de IP” esta sempre aparecer!
    O router é um ASUS RT-N12 LX e distribui sinal para um desktop e um portatil Sony Vaio VGN-FZ21E.
    Conseguirei arranjar solução para este imbroglio???
    Um colega que trabalha no ramo da informatica disse-me que estes routers tem este “pequeno” mas grande defeito!
    Se me conseguisses ajudar…. ficaria eternamente agradecido =)

    Muito obrigado!
    Cumprimentos.

    • Vamos lá a ver… Tens duas maneiras de fornecer IP’s aos teus equipamentos, usando DHCP ou colocando IP’s fixos.

      Há três possibilidades de configuração que podes usar, sendo que duas delas possuem a possibilidade de ter conflitos de IP’s, mas já a terceira não. Nos dois casos onde a situação pode acontecer, para que essa realidade possa existir, terás de ter um aparelho que entra em Stand-by.

      Na primeira hipótese todos os teus aparelhos wireless obtêm o seu IP por DHCP. E aqui, o conflito pode acontecer se um aparelho com um IP atribuído deixar temporariamente de comunicar com o router. Nesse caso, ele considerará o IP dado a esse aparelho como livre, podendo ser atribuído a um outro aparelho. Como normalmente o DHCP atribui os IP’s de forma sequencial, teremos que quando o primeiro aparelho sair do modo de stand-by, o conflito acontecerá.

      Na segunda hipótese o caso é em tudo semelhante. Mas terás aparelhos a receber o IP por DHCP e outros com IP’s fixos. Independentemente de tal, o problema a acontecer terá os mesmos motivos.

      A única situação que não te coloca esses problemas é o uso de IP’s fixos. Terás de configurar manualmente todos os aparelhos para um IP diferente. Por exemplo, se o router é o 192.168.1.1, o Desktop seria o 192.168.1.2 e o Vaio o 192.168.1.3. A mascara de rede seria o 255.255.255.0, o Gateway seria o IP do router, ou 192.168.1.1, e os servidor de DNS seria igualmente o IP do router.

      Desta forma o problema desaparecerá.

      Seja como for, não estou a ver que o problema seja do router. É que mesmo que ele tenha um problema no servidor de DHCP (que desconheço), o problema ultrapassa-se facilmente com os IP’s fixos.

      • Bom dia! Um bem haja para pessoas como o Mário que ajudam leigos que tentam desvendar estas materias!! =)

        Queria uma informaçao… estes dados a alterar… altero nos computadores… ou tambem tenho de alterar nas definiçoes do router?
        Nos computadores penso saber onde alterar! passo do modo de IP automatico para atribuir esses valores de IP, gate e rede!

        O firmware do meu router é o 1.0.0.6,, havendo atualizaçoes no site da asus para o 1.0.0.8, 1.0.1.1, 1.0.1.4. Sera que actualizando o firmware consigo melhorar este erro de ligaçao?
        Se tivesse de instalar estes firmwares, instalava um a um, começando no mais antigo… ou instalar o ultimo e ja contem os outros pacotes tds?

        http://support.asus.com/Download.aspx?SLanguage=en&m=rt-n12&p=11&os=8

        Obrigado pela ajuda!!!!!!

  15. Simplesmente simples e fantástico, depois que vi este artigo aqui e me deparei com o real problema de sinal em casa, não tive como não comprar este aparelho, caiu como uma luva e funcionou perfeito o modo repetidor dele o equipe agora fica na sala e toda a casa tem sinal com todas as torres em qualquer comodo, simplesmente fantástico pelo custo/benefício.

  16. Minha dúvida é bem simples:

    o RT-N10 repete o sinal (no modo REPEATER evidentemente) se eu conectar um cabo de rede do meu access point nele?

    Penso em puxar um cabo de 20 metros de comprimento do meu AP que fica do outro lado da casa até ele, ligar em uma das portas LAN e utilizá-lo como repeditor.

    Não quero usar a banda da rede wireless para repetir o sinal, justamente por causa da velocidade, perda de pacotes, latência, etc.

    Entrentanto, tudo quanto é review que leio por aí de repetidores diz respeito à repetição de sinal via wireless, e não via cabo. Só que também não achei nada dizendo que NÃO é possível fazê-lo por cabo.

    Tu saberia me responder essa pergunta?

    Obrigado,

    • Caro Tom

      Para ligares o router por cabo, e sem intenção de usar o sinal de rede, não precisas de configurar nada como repetidor.
      Basta colocares-lhe um IP diferente do do outro router e, caso a opção esteja presente, configurar no RT-N10 o Gateway como sendo o IP do outro router onde o modem está ligado. Nem sequer deves meter o RT-N10 em repetidor, mas sim em modo router.

      Se não tiveres opção de gateway, configura essa opção com o IP do router que está ligado à net, nas placas de rede dos pc’s que ligares às portas Lan do RT-N10.

      Por esse motivo nunca encontraste nada sobre o assunto de repetidores por cabo. É que neste caso que pretendes ele é apenas um segundo router a redireccionar para o primeiro.

      Espero ter ajudado e compreendido a questão. Mas se não for o caso, questiona novamente.

  17. Caro Mário,

    obrigado pela resposta. Mas e quanto às configurações da rede wireless? SSID, channel number, Frequency, etc? Se eu configurar o RT-N10 como router, ele não vai ‘competir’ com o primeiro router/wireless já existente? Não vou enxergar duas redes diferentes com meu notebook?

    O que quero evitar é ter que configurar dois SSIDs diferentes, mesmo que tenham a mesma senha e tudo mais. Quero ter um SSID, uma só rede wireless em casa, repetida com um (ou mais) RT10N

    Obrigado,

    Tom

  18. Mário, parabéns pelo tópico!

    Gostaria de tirar uma dúvida.
    Este aparelho em modo repeater consegue enviar sinal via wifi e cabo RJ45 ao mesmo tempo?
    Estou te perguntando isso pois ligo via cabo a minha TV e gostaria de expandir a cobertura da minha rede wifi ao mesmo tempo.

    Se sim, poderia me ajudar nesta configuração? Já tentei de todos os modos e não consigo!

    OBS.
    Roteador principal (entrada de internet) – Thomson – DWG874B
    Roteador reserva (sem uso) – Linksys – WRT54GH-BR

  19. Estou com um problema para conectar smart tv com o RT N10, quero que ele repita o sinal por conexão sem fio e que se conecte a tv via cabo, mas sempre da erro de conecção, os celulares tambem não conectam, ficam sempre em conecção limitada, somente o notebook se conecta e mesmo assim demora, quando ha a troca de sinal de um roteador para outro a conecção demora, estou fazendo algo errado?

    • Experimenta desactivar o wi-fi do router principal. Agora liga-lhe o N10 por cabo em modo router.
      Configura tudo e liga tudo ao n10 de forma a ficar a funcionar.
      Uma vez tudo configurado muda o N10 para repetidor e reactiva o wi-fi do router principal.
      Agora tudo deverá funcionar.

Sorry, the comment form is closed at this time.