Análise: Router Asus RT-N12 – funcionalidade e compatibilidade

Após a nossa análise ao RT-N10 que a Asus gentilmente nos enviou, estaria na altura de fazer igual análise ao produto superior, o RT-N12.

No entanto várias situações foram surgindo que levaram ao atraso desta análise, particularmente o facto de o RT-N10 ter sido alterado de uma forma que consideramos, no mínimo, algo deselegante e que poderá inclusive ter levado muita gente a ter de ponderar a troca de equipamento por o mesmo não corresponder às expectativas criadas pela nossa análise.

Falamos naturalmente do facto de o chipset que equipa o RT-N10 ter sido alterado a 100%, o que apesar de manter e até acrescentar características ao router acabou por criar uma incompatibilidade até então inexistente com o ZON HUB, uma situação que esteve em foco na nossa análise uma vez que o ZON HUB é um router partilhado por milhares de clientes ZON e bastante fechado pelo operador, que cria dessa forma vários problemas a situações de tentativas de expansão do seu sinal, e que este RT-N10 vencia de forma simplificada e rápida.



Assim com o RT-N12, apesar de não podermos garantir que a Asus não o altera da mesma forma, ponderamos analisar o equipamento noutras vertentes que não a sua capacidade de Bridge.

No entanto mesmo esta perspectiva criou alguns problemas pois a realidade é só uma: Com excepção de este router poder criar mais redes virtuais, de suportar 300 Mbits na norma 802.11n (devido ao seu chipset melhorado), de possuir maior alcance face às suas duas antenas e de ter um aspecto visual algo diferente, ele é em tudo absolutamente idêntico ao RT-N10, pelo que todas as considerações que já foram tocadas na análise feita, e cuja leitura recomendamos, são aplicáveis.

Ficava então a dúvida sobre o que abordar na análise a este router e daí o grande atraso na sua análise que será radicalmente diferente do normal ao se focar na experiência obtida com a sua utilização ao longo de todo este período e não particularmente na análise ao aparelho em si onde o essencial já foi dito na análise ao RT-N10.

Comecemos pelas especificações do produto:

Protocolos de rede suportados
IEEE802.11b, IEEE802.11g, IEEE802.11n, IEEE802.11d, IEEE802.3, 802.3u, 802.11i, 802.11e, IPv4
Características
·  EZQoS(Easy Quality of service)Permite que múltiplas actividades de rede (FTP, Game, P2P…) funcionem suavemente em simultâneo
·  Assistente de Administração inteligente via browser
·  Gestão Remota
·  Grave/restaure ficheiros de configuração
·  Actualizações via browser
·  Restauro de Firmware
·  Descoberta de Dispositivos
·  Servidor DHCP, Cliente WAN DHCP
·  EZ switch para troca de modo de funcionamento
Interface
·  WAN: 1 x RJ45 para 10/100 BaseT;
·  LAN: 4 x RJ45 para 10/100 BaseT; Suporta Ethernet e 802.3 com velocidade máxima de 10/100Mbps e função auto cross-over (MDI-X)
·  Botão de Restauro: Pressione durante 5 segundos para restaurar as definições de fábrica
·  Botão EZSetup: Configuração do SSID e WEP ou WPA automática
Antena
2 x Antena dipolar externa destacável
Frequência de Funcionamento
2.4~2.5GHz
Canais de operação
11 para a América do Norte, 13 para a União Europeia, 14 para o Japão
Velocidade de transferência
·  802.11n Draft 2.0 até 300Mbps*
·  802.11g: 6, 9, 12, 18, 24, 36, 48, 54Mbps
·  802.11b: 1, 2, 5.5, 11Mbps
Potência de sinal
·  Modo n:15.8~19.5dBm
·  Modo g:15.5~16.5dBm
·  Modo b: 15.8~19.5dBm
Indicadores 
LED	Power x 1, AIR x 1, WAN x 1, LAN x 4
Utilitários
·  Device Discovery (Descoberta de Dispositivos): Descobre o router da rede e ajuda os utilizadores a invocar a página web de configuração
·  EZSetup: Ajuda-o a configurar facilmente a rede sem fios e a ligação à Internet
·  Firmware Restoration (Restauro do Firmware): Restaura o firmware enquanto o sistema entra no modo de recuperação
Segurança
·  Firewall: NAT e SPI (Stateful Packet Inspection), detecção de intrusões incluindo relatórios
·  Relatórios: Pacotes largados, evento de segurança, Syslog
·  Filtragem: Porta, Pacote IP, Palavra-chave na URL, Endereços MAC
·  Encritpação: 64/128-bit WEP, WPA, WPA2, TKIP, AES, WPA-PSK, WPA2-PSK
·  Autenticação: Controlo de Acesso por Endereço MAC
DC Power Adapter
Entrada AC: 100V~240V (50~60HZ); 
DC output: 12V com no máximo 1A de corrente ou 9V com no máximo 1A de corrente
Especificações físicas
Dimensões: 179 X 119 X 37(C x L x A)mm
Peso: 300g
Especificações Ambientais 
·  Temperatura em Funcionamento: 0°C to 40°C (32°F to 104ºF)
·  Temperatura armazenado: -20° to 70° C (-4°F to 158°F)
·  Humidade em Funcionamento: 10% to 90% RH (Não condensada)
·  Humidade de Armazenamento: 5% to 95% RH (Não condensada)
Conteúdo do pacote
·  RT-N12 x1
·  Cabo RJ45 x1
·  CD de Suporte x1
·  Antena x2
·  Cartão de Garantia x1
·  Fonte de Alimentação x1

Como vemos, o RT-N12 é super completo especialmente para o seu preço baixo de 43,50 euros (que pode variar consoante a loja), oferecendo tudo o que um utilizador pode desejar para um produto deste género. As suas únicas ausências são uma porta USB e um servidor DLNA para stream de vídeo colocado nos dispositivos de armazenamento externos, algo que para clientes ZON (o meu caso) é perfeitamente dispensável uma vez que o ZON HUB as possui já!

Refira-se desde já, e antes que surja essa dúvida que o meu ZON HUB é exactamente idêntico ao actual MY HUB 2.0 uma vez que se trata de uma das últimas versões e como tal apenas difere na carapaça exterior.

Ao contrário do RT-N10 este router muda o seu modo de operação entre os três disponíveis (Acces Point, Repetidor e Router) com o auxilio de um botão. Quer isto dizer que o acesso ao firmware para se efectuar a mudança entre estes modos é totalmente dispensável uma vez o aparelho configurado, bastando mudar o pequeno comutador situado na sua traseira para a nova posição.

Aqui entra em consideração algo que já referimos na análise ao RT-N10, a configuração no modo router é a mais completa e será por aí que deveremos partir. Opções como restrições por mac adress, preenchimento de banda (20 ou 40 hz), protocolo de funcionamento (802.11g, b ou n) e muitas outras opções não ficam acessíveis em todos os modos, mas no entanto os valores aplicados aqui mantém-se válidos quando comutamos o modo.

Por exemplo, no modo repetidor não podemos decidir nada sobre as situações referidas em cima, sendo que neste modo basicamente o que fica disponível é a activação da conexão bridge e pouco mais, mas a ligação far-se-à de acordo com as escolhas definidas no modo router.

Há contudo várias situações que apesar de lógicas convêm assinalar, apesar de realçarmos desde já que toda esta secção é comum a qualquer router e não apenas ao RT-N12:



Se no ZON HUB (o meu outro router) estiver definido um modo misto b/g/n para compatibilidade total com todos os aparelhos da casa, a escolha de um modo misto idêntico no RT-N12, que suporte iguais protocolos, levará a uma conexão a 54 Mbits. Isto deve-se ao facto que cada conexão tem de de manter um protocolo único activo, e o único que garante a compatibilidade entre os três protocolos é o 802.11g.

A situação referida em cima já não acontecerá se no RT-N12 escolhermos apenas 802.11 g/n, onde a ligação passa a ser feita com o ZON HUB a 75 Mbits.

Caso o RT-N12 se ligue usando apenas a norma 802.11n então aqui poderemos desfrutar das velocidades de topo sendo que com um preenchimento de largura de banda de 20 Mhz a conexão efectua-se a 150 Mbits, e com um preenchimento de largura de banda de 40 Mhz a 300 Mbits (de notar que para 300 Mbits efectivos de transferência ambos os routers necessitam de estar a 40 Mhz, situação que não acontece por defeito no Zon Hub por este estar limitado a 20 Mhz. Caso esta situação apenas aconteça de um lado teremos grandes melhorias face aos 150 Mbits mas não atingiremos os 300 efectivos).

Mas voltando ao RT-N12 em si, a bridge com o ZON HUB não foi directa. O motivo prende-se com o facto que o firmware durante a conexão tenta arranjar um IP obtido por DHCP, situação que no meu caso correu mal por não ter configurado correctamente e antes da conexão uma série de coisas, nomeadamente um IP fixo que é algo que não dispenso. A verdade é que após falhar a primeira tentativa o RT-N12 nunca mais se conseguiu conectar ao ZON HUB chegando mesmo a afirmar que o router a que se pretendia ligar não existia mal eu o escolhia da lista de routers disponíveis. E resolver este problema não foi fácil. Passa-se a explicar:

Após a conexão automática falhar o router guardou internamente qualquer tipo de dados que o impediu de futuramente voltar a conectar-se. E infelizmente nem mesmo um recolocar dos parâmetros de fábrica resultou, com o problema a persistir.

Esta situação obrigou-me a recorrer ao firmware mais antigo que existia disponível na página da Asus e que foi imediatamente instalado. A ideia era tentar eliminar eventuais opções mais recentes dos novos firmware que pudessem por qualquer motivo estar a impedir a limpeza total dos dados ao fazer um reset de fábrica. E a verdade é que resultou. Com o firmware mais antigo foi feito um reset de fábrica e logo de seguida re-instalou-se o ultimo firmware. O router foi totalmente configurado ao meu gosto, incluindo o uso de um IP fixo e passou-se então o mesmo para o modo repetidor onde o ZON HUB desta vez foi detectado e a conexão efectuada com sucesso a 300 Mbits. Desde esta altura a re-conexão é imediata seja por desligar o router da corrente ou por mudar temporariamente de modo.

Aconteceu-me porém um problema que poderá ser igualmente recorrente com outros utilizadores que pretendam idêntica configuração.

No meu caso o ZON HUB está configurado para suportar todos os protocolos de rede, sejam eles 802.11 b/g ou n. Já o RT-N12 está configurado para funcionar apenas em 802.11 n para garantir que todos os aparelhos lá ligados por cabo comunicam com o ZON HUB à melhor velocidade possível.

O problema é que ao estar limitado apenas à norma 802.11n o RT-N12 não permite a ligação de aparelhos das normas 802.11b ou 802.11g, o que poderá aparentar não ser problemático uma vez que isso é garantido pelo outro router. Mas no entanto há um grave problema!

O RT-N12 possui uma capacidade de sinal tremendamente elevada e o seu sinal sobrepõem-se sobremaneira ao sinal do ZON HUB, pelo que os aparelhos o encontram como sendo o router preferencial para se ligarem dentro daquela rede uma vez que o sinal é mais forte. E dessa forma, por estar limitado no protocolo usado os aparelhos que não usem a norma 802.11n ficam excluídos de se ligarem à rede uma vez que pura e simplesmente são rejeitados.

A solução para este problema passa por esconder o SSID do RT-N12 de forma a que os aparelhos não o encontrem e se passem a ligar ao ZON HUB.

Claro que isto aparenta um pequeno problema é que o RT-N12 deixa de repetir sinal wireless e passa apenas a funcionar com os aparelhos ligados às suas portas RJ45, mas para o meu caso onde na realidade não pretendia um extensor wireless mas apenas um router em bridge para poder levar Internet a todos os aparelhos com rede por cabo que possuo na sala.
Esta situação que aqui se acaba de referir não é um problema do RT-N12, mas sim da incompatibilidade dos protocolos e assim sendo acontecerá com qualquer outro router que seja configurado da mesma forma. A nível de avaliação aqui o que há de ressaltar é a extraordinária cobertura que o RT-N12 oferece com o seu sinal que se afirma ser 4,5 x mais potente do que o obtido numa rede 802.11g normal.



Naturalmente o RT-N12 era o router ideal para as minha necessidades e daí que adquiri um, mas a experiência com ele, apesar de tudo não tem sido só rosas. Infelizmente em cerca de 15 filmes que visualizei recentemente o router bloqueou por 3 vezes a meio da visualização (20% das vezes), obrigando a um reset uma vez que não retomava a conexão de forma alguma.

Por outras palavras o RT-N12 é um router muito completo que cobre perfeitamente as necessidades de quem precisa de um router 300 Mbits sem DLNA e porta USB. O seu preço é excelente e as configurações são as mais variadas e competentes.

Infelizmente a sua taxa de bloqueios está acima do que se aceita como normal, pelo que, seja por situações localizadas e pontuais ou problemas de estabilidade do router, teremos de reflectir essa situação na avaliação final e roubar assim alguns pontos a uma avaliação às funcionalidades obtidas durante o seu uso que de outra forma seria quase perfeita.

 

Análise: Router Asus RT-N12
Característicaswww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
À semelhança do RT-N10 é extremamente completo e com métodos de configuração automática extremamente funcionais. A mudança de modo por botão elimina o uso de um computador para a alteração
Facilidade de utilizaçãowww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Os métodos automáticos de configuração são de pasmar pela simplicidade. O router pode ser configurado de forma extremamente simples quer por aceso directo ao seu IP de fábrica, quer usando o cd de instalação. Infelizmente como o artigo descreve há opções que ficam activas nos diversos modos mas que forçam a entrar em modo router para serem alteradas
Designwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
O router é extremamente elegante e agradável visualmente com um bonito branco lacado. Os leds azuis são igualmente agradáveis.
Relação qualidade/preçowww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
É difícil por este preço arranjar melhor. É simples e funcional, mas nos testes efectuados revelou-se menos estável do que o desejado em ligações com um ZON HUB
Overallwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.comwww.dyerware.com
Apesar dos inconvenientes encontrados achamos o router é excelente ao ponto de termos adquirido um.

Clique se pretende explicações sobre este simbolo e o nosso sistema de avaliação

 

 

 



Posts Relacionados