Artigo especial: Qual a melhor consola desta geração?

xonevsps4

O artigo que se segue é inédito na PCManias. E isto porque pela primeira vez desde que criamos a página iremos analisar as consolas não pela componente técnica e objectiva que sempre nos caracterizou, mas por preferências pessoais, algo que consideramos sempre como sendo completamente subjectivo. Entenda-se assim este como um mero artigo de opinião e que reflecte simplesmente os gostos do seu autor.

Possuir um website é algo complexo!

Caso se pretenda apenas passar uma informação fidedigna e baseada apenas na realidade das coisas, filtrando a má informação e relatando as verdades puras e duras devidamente enquadradas nos seus devidos contextos e historial, em vez de optarmos por uma postura “politicamente correcta”, é certo que vamos fazer “amigos” e “inimigos”. Mas essa seria uma realidade independentemente da postura que tomassemos! A diferença, e por isso colocamos os termos entre aspas, é que eles não os serão pelas razões mais correctas. E isto porque aquilo que defendemos, pelos motivos que explicitaremos mais à frente, não é necessariamente a nossa opinião pessoal, mas sim uma postura a que temos de tomar para se garantir a maior imparcialidade e honestidade possíveis na informação prestada. Uma posição tomada para garantir que a página, não tendo a qualidade ou os meios de outros websites, particularmente humanos e de tempo, se possa distinguir por outras formas. Neste caso, por uma informação o mais isenta possível.

Assim sendo, até hoje, e desde a nossa criação, em todos os artigos da PCManias tentamos fazer uma análise a todas as notícias e produtos, neste caso específico as consolas por ser o produto que mais temos abordado e que mais polémica tem gerado, com uma apreciação objectiva e despegada.

Tal permite-nos, no caso do hardware,  analisar o mesmo nas suas componentes mais objectivas: A qualidade do serviço e sua oferta associada, a performance, especificações e características adicionais que garantam uma qualidade potencial para a oferta de videojogos de qualidade.

E porque?

Basicamente dois motivos!

Primeiro porque temos consciência que uma consola vale acima de tudo pelos jogos. Mas a apreciação dos mesmos é muitas vezes uma questão de gosto e os gostos não são iguais para todos, sendo que isso é algo que a vida rapidamente nos ensina. Daí que não é por eu preferir os jogos A e/ou o jogo B que correm numa consola face aos jogos C e/ou D que correm em outra, que isso torna uma das consolas melhor que a outra. Isso são apenas os meus gostos pessoais por jogos e há pessoas que não partilham dos mesmos! Daí que recomendar uma consola baseado em preferências pessoais dos jogos que ali correm é algo que consideramos como completamente errado.

Aliás, o mais certo é que se pegarmos em outras pessoas que recomendassem essa mesma consola pelos mesmos motivos, os jogos, poderia acontecer que os títulos que as fascinam e levam a dar essa recomendação sejam radicalmente diferentes daqueles que me levam a fazer a mesma escolha, e isso mostra bem que este tipo de recomendação passa por uma base onde lidamos com dados não concretos e variáveis, ou seja, muito subjectivos e que variam de pessoa para pessoa.

Segundo porque uma consola não vale pela livraria que possui no momento da sua compra, mas sim, e igualmente, por aquilo que poderá vir a oferecer na sua vida útil. É extremamente pouco coerente recomendar uma consola porque ela possui (ou se acredita que possui) um conjunto maior de jogos aclamados que a outra, quando na realidade no final das vidas úteis das mesmas a situação pode estar completamente revertida.

Estes são os motivos pelos quais aqui na PCManias nunca leram qualquer recomendação que não terminasse com uma indicação que a escolha da mesma deve, acima de tudo, passar pelos gostos de cada um a nível dos jogos existentes e que pensam vir a existir na plataforma. Mas por estes dois motivos,  nunca fizemos artigos de análise de uma consola que não se baseasse exclusivamente na descrição exaustiva da performance, serviços e capacidades oferecidas pela mesma, os únicos dados palpáveis e imutáveis, não subjectivos existentes. É dessa forma, e apenas dessa forma, que consideramos ser úteis dentro de uma internet saturada de informação inútil e viciada, passando a informação objectiva, e deixando a subjectiva ao cargo de cada um.

Assim, tomando em conta a realidade do hardware da actual geração, os nossos artigos sempre fizeram grandes referências e elogios às consolas Playstation uma vez que as consolas PS4 no mercado são todas elas superiores a nível de performances às ofertas disponibilizadas atualmente pelo lado da Microsoft. São por isso, objectivamente, pelo dinheiro, a melhor compra.

Mas este artigo vai ser diferente. Aqui vamos deixar de lado a objectividade e fazer uma análise/recomendação totalmente baseada na nossa experiência e gostos pessoais e, mais do que isso, baseando-nos apenas no que existe disponibilizado até a data atual, e na forma como os jogos e serviços existentes nos agradaram/desagradaram. É por isso um artigo diferente do que sempre produzimos, e que ainda por cima será escrito limitando o universo temporal ao que é a realidade de mercado que as consolas ofereceram até hoje desde o seu lançamento em 2013, ignorando que no futuro isso pode mudar radicalmente.

Como tal, o artigo será certamente polémico na perspectiva de certos leitores que poderão ficar surpreendidos com o que vão ler, até porque o as linhas que se seguem certamente irão conflituar com o que é normalmente dito nesta página em análises mais objectivas e menos parciais. Daí que nunca é demais frisar e esclarecer de forma clara que este é um artigo  inédito nesta página, e criado numa vertente que, como explicitado, nem consideramos muito correcta para uma análise considerada séria.

Mas porque motivo reconhecendo-se essa falta de seriedade há esta alteração de postura para a criação deste artigo?

Três razões:

Primeiro porque é nossa ideia de que a realidade das consolas mudou com o lançamento da PS4 Pro!

Como já referimos em vários artigos, o lançamento desfasado da PS4 Pro face à Scorpio abre as portas a lançamentos de consolas a cada 2 anos. Não vale a pena referir de novo porque motivo acreditamos que isso é uma possibilidade com enormes probabilidades de acontecer, basta dizer que nem Sony e nem Microsoft pretendem ficar na mó de baixo, e que certamente nenhuma vai querer manter no mercado uma consola inferior à do concorrente, sendo prejudicada nas vendas.

Daí que com esta ideia em mente, a recomendação de uma consola apenas baseada na performance e caracteristicas perde muito do seu sentido uma vez que esta não se manterá líder durante um período de tempo semelhante ao que nos habituamos ao longo de 40 anos de consolas.

No entanto tal não é, nem nunca seria suficiente, para nos fazer escrever um artigo destes, e há um segundo motivo mais forte!

E esse segundo motivo tem a ver com o facto que a nossa postura imutável tem vindo a criar dúvidas sobre a nossa imparcialidade, com uma ideia geral de que defendemos sempre o mesmo lado. E realmente isso até acontece, pois de forma consciente, objectiva e honesta, como já referido, a forma que vemos como a mais correcta de se recomendar algo é a baseada em dados objectivos de performance e características que se mantiveram imutáveis até hoje, e não pelas subjectividade das nossas preferências pessoais.

Devido a estas duas situações criamos este artigo onde isso muda, e o que vamos ver aqui reflete não uma análise objectiva como é habitual, mas a minha opinião pessoal. Algo que por norma até podem ler ou perceber em comentários, mesmo que refreados uma vez que, por uma questão de imagem da página, nunca foi minha intenção revelar as minhas preferências de forma clara, mas nunca em artigos. Ficam assim a perceber que a dualidade de posições pode existir entre o objectivo e o opinativo, sendo que a seriedade que tentamos colocar nos nossos artigos sempre nos impediram de escrever baseado neste último.

E esse foi o terceiro motivo pelo qual escrevemos este artigo. O mostrar como se pode deturpar as situações face à análise objectiva quando nos baseamos em gostos e experiências pessoais, de forma a que, talvez desta forma, os nossos leitores consigam dar mais valor aos nossos artigos e à forma como eles são elaborados.

Vamos analisar então alguns dos pontos que tantas vezes foram aqui discutidos como sendo factores decisórios numa compra, e avaliando-os de acordo com a nossa experiência pessoal, face à análise objectiva habitual.

A análise

Se antigamente uma consola era uma caixa que se comprava e para a qual se adquiriam jogos, isso mudou radicalmente nos dias atuais. E a qualidade de uma consola passou a definir-se não só pelo que está dentro da caixa, mas igualmente pela sua capacidade e serviços online. Eis então pontos que os leitores normalmente discutem nos comentários e a minha posição pessoal sobre eles.

PS4 PSN vs Xbox One Xbox Live – Qualidade de serviço

A eterna discussão. Qual a melhor rede?

Infelizmente o que entendo é que esta é uma discussão onde as pessoas associam realidades globais a realidades pessoais. Uma discussão onde as pessoas argumentam com dados e situações que muitas vezes nem sequer se passaram consigo, mas que leram na internet e relativas a outras partes do mundo.

Nesta análise, e dado que me cingirei à minha experiência pessoal, o que posso dizer é que nunca encontrei entre as redes verdadeiramente diferenças que possam considerar como dignas de verdadeiro registo. Não vou quantificar pequenas situações, exactamente porque são pequenas situações, mas apenas pensar em quantas vezes me senti prejudicado por problemas na rede, e na prática o que posso dizer é que todos os problemas que tive, mesmo que possa quantificar mais de um lado que no outro, não foram verdadeiramente significativos. Ambas as redes funcionam dentro de parâmetros que considero aceitáveis, pelo que a nível de qualidade, teria de empatar as duas.

No entanto, e dado que aqui analiso a componente gratuita da rede, não posso deixar de dar vantagem à PSN pelo número de ofertas e produtos acessíveis sem pagamento que se revela muito superior ao oferecido pelo Live onde muitas situações estão ainda inacessíveis sem pagamento do Gold.

Assim, quer analise objectivamente, quer o faça por análise baseada em opinião própria, tenho aqui uma concordância de visões, com vantagem da rede da Sony.

PS4 PSN Plus vs Xbox One Xbox Live Gold – Preço

Analisando a realidade a frio, a PS4 oferece o serviço mais barato. O custo da PSN Plus por 12 meses é de 49.99 euros, ao passo que o Xbox Live Gold é de 59.99 euros!

Numa análise objectiva feita em qualquer outro artigo teria de dar vantagem à PSN Plus pois estes são os custos oficiais e os custos que muito certamente a maior parte das pessoas pagarão.

Mas no entanto não é a minha realidade.

Por norma, e pesquisando na internet, tenho conseguido renovar a minha Xbox Live Gold por custos como 35 euros ano. Já as minhas melhores pesquisas apenas conseguem descer a PSN Plus para 45 euros. E nesse sentido, neste artigo onde fugimos à realidade das coisas para me centrar na minha própria experiência, e analisando apenas o valor pago (até porque há outros parâmetros destas redes avaliados de seguida), terei de dar a vantagem à Xbox Live Gold.

Mais uma vez, para este artigo, vou contra a objectividade da situação, até porque nem todos compram este serviço online, conhecem estes websites mais económicos, encontram estes preços, e/ou usam cartão de crédito. Aliás, nem sabemos ao certo se os websites que vendem a estes preço são exactamente legais, motivo pelos quais nem os gostamos de abordar publicamente aqui.

Mas ficam a saber que no que toca ao preço, a minha experiência toma o Live Gold como superior.

PS4 PSN Plus vs Xbox One Xbox Live Gold – Oferta

Uma das maiores vantagens destes serviços pagos é a oferta de jogos. E se na era PS3 a oferta da Sony era imbatível, com a Live a nem sequer oferecer nada durante anos e anos, na atual geração a situação inverteu-se. Agora ambas as redes oferecem jogos, mas a oferta da Microsoft tem-se revelado bastante superior!


Não só a Microsoft tem ofertado bastantes jogos AAA, algo que a Sony não tem feito, mas a existência de retro-compatibilidade permitiu oferecer igualmente jogos da Xbox 360 que são jogáveis na One.

No entanto, a nível de oferta, na minha experiência pessoal, a PSN continua a ter grandes vantagens. E isto porque possuindo uma PS4, uma PS3 e uma PS Vita, beneficio de um total de 6 jogos por mês, ao passo que na Live apenas beneficio de 4 (Valores médios para ambos os lados).

Caso esta situação fosse contabilizada de forma objectiva, teria de verificar o valor do oferecido pelo serviço perante o dinheiro pago para cada possível combinação de consolas (PS4, PS4+Vita, PS4+PS3, PS4+PS3+Vita), e analisar caso a caso face à oferta da Xbox One para referir qual seria o superior

Mas não se entrando nessa objectividade, tomarei apenas em conta para a avaliação as ofertas especificamente nas consolas PS4 e Xbox One, e aí a vantagem cai, claramente, para o lado da Microsoft pela sua melhor oferta e inclusão de jogos 360 jogáveis na One.

PS4 vs Xbox One – Performances gerais dos jogos

Este é um ponto onde a PS4 leva vantagem. Seja ela a versão base, a Slim ou a Pro, a PS4 possui sempre vantagens de performance gráfica adicional sobre qualquer versão da One. E nesse aspecto a PS4 oferece por norma melhorias nos jogos multi face à Xbox One. Entre elas contam-se:

  • Melhores resoluções
  • Melhores FPS
  • Melhores efeitos

Torna-se por isso claro e pouco discutível que este é um ponto onde a PS4 leva vantagem. E mais uma vez é um ponto onde a minha opinião objectiva bate certo com a análise pessoal.

Assim, aqui a vencedora seria a PS4!

PS4 vs Xbox One – Simplicidade de uso da interface

Numa análise objectiva a PS4 levaria clara vantagem neste ponto. Os seus menus são mais simples e os jogos e programas estão acessíveis directamente no menu de entrada.
Já a Xbox One é mais complexa, obrigando a navegar pelos seus menus ou a customizar a mesma de forma a se ter acesso directo aos jogos instalados.

No entanto, dado que aqui se vai fazer uma comparação baseado em preferências e experiências pessoais, não irei dar a vantagem à PS4. O motivo é que os menus da Xbox One, apesar de mais confusos, apenas o são comparativamente. Mas após algum tempo de uso, a nossa experiência, que pode no entanto ser diferente de outros, levou a que nos habituássemos à situação em já a encaremos como fácil o uso de ambos os interfaces. E nesse sentido, mesmo que reconhecendo-se a diferença na facilidade de navegação entre os dois interfaces, não temos nem problema nem com um, nem com outro.

É um caso claro de uma situação que, num artigo normal, nunca avaliaríamos assim pois tal é uma total deturpação da realidade existente. E como exemplo temos a certeza absoluta que colocar pessoas que nunca mexeram em consolas, a mexer nos menus inalterados de ambas, e solicitar que executem um jogo digital (sem BD) instalado na mesma levaria a tempos superiores de execução na Xbox One. E isto se a pessoa se conseguisse imediatamente orientar nos menus da Xbox que se revelam um pouco confusos no início com a lista dos jogos instalados a nem aparecer directamente no ecrã de entrada.

Mas possuindo a consola à quase 3 anos, essa é uma questão que para nós já nem se coloca, sendo que nos entendemos igualmente bem de ambos os lados.

Daí que, nesta análise pessoal, surge aqui um empate.

E finalmente o ponto mais esperado de todos!

Dado que a análise é baseada nas minhas preferências pessoais posso acrescentar aqui, sem problemas de consciência, um item adicional. Um item que nunca acrescentaria numa análise objectiva, pois é o mais subjectivo possível: Qual a consola que possui os exclusivos que mais me agradam.

Como já referido anteriormente (e pretende-se repetir a ideia mesmo tendo noção que já estamos a ser chatos com a referência), normalmente nas análises aqui feitas é sempre deixado claro que a mesma se baseia exclusivamente em componentes técnicas, ficando sempre a ressalva que, independentemente do que referimos, a escolha de uma consola devem sempre ser feita de acordo com as preferências de jogos de cada um. Mas neste caso, dado que a análise não é objectiva, irei colocar esse mesmo ponto das preferências pessoais em cima da mesa, e avalia-lo pelos meus gostos, tendo em conta que a distinção  maior entre os jogos das duas consolas está basicamente nas performance e nos exclusivos.

Vamos então a ele:

PS4 vs Xbox One – Preferência a nível de exclusivos

Como já deixei claro anteriormente, este é, a meu ver, o ponto principal a ter em conta na escolha de uma consola. Parece-nos ser mais importante do que qualquer um dos outros até agora analisado, até porque é o que mais conta numa compra (não fossem as consolas maquinas criadas para se jogar esses jogos), pelo que sempre achamos que este item deveria ter um peso superior a todos os outros.


E aqui é que surgirá a surpresa para muitos. Pois a minha escolha a nível da preferência de exclusivos vai para… A XBOX ONE!

xboxone-kinectic

Motivos?

Bem, é certo que a nível geral a Xbox One não possui a mesma qualidade técnica nos jogos que partilha com a PS4. No entanto estamos a falar de diferenças que, apesar de reais, não são verdadeiramente impactantes na experiência. Com mais ou menos resolução, com mais ou menos fps, a Xbox One apresenta os mesmos jogos que a PS4, nunca tendo sido impossibilitada de os apresentar, ou tendo diferenças tão radicais ao ponto de estas serem verdadeiramente danosas para a consola a nível de qualidade ou performance.

São apenas diferenças!

No entanto o que é referido em cima não é motivo para que eu escolha a Xbox One sobre a PS4. Afinal, com muito ou pouco impacto, a Xbox One possui menor qualidade geral nos jogos do que o oferecido pela PS4. E isso terá de dar vantagem à PS4!

E é aqui que entra a questão subjectiva. A tal questão que nunca quisemos colocar nos nossos artigos. A  preferência pessoal!

E a realidade é que analisando a minha vasta lista de jogos e seleccionando um top 5 adequado aos meus gostos e preferências, ele seria constituído pelos seguintes jogos (sem qualquer ordem específica).

Forza Horizon 2
Halo 5
Uncharted 4
Quantum Break
Batman – Arkham Knight

Basicamente o que salta à vista é que deste top 5 temos 4 jogos que correm na Xbox One e 2 que correm na PS4! 3 exclusivos Xbox One e 1 PS4.

Poderia elevar esta lista para um top 10, mas a realidade é que apesar de melhorar a quota da PS4, basicamente estaria a alterar muito pouco nestas percentagens ao acrescentar na sua maioria jogos multi plataforma. E não tendo ainda jogado convenientemente Gears of War 4, não o contabilizo nesse esse top 10, ou quem sabe até neste top 5 (Forza 3 poderia fazer o mesmo, mas nesse caso excluiria o 2 por ser da mesma franquia).

Resumidamente, a realidade é que a nível de jogos a minha consola preferida acaba por ser a Xbox One. É nela que estão os jogos que eu mais gosto, e neste exacto momento, caso não tivesse consolas e tivesse de escolher apenas uma, seria a que compraria. E neste ponto estou a ser totalmente sincero.

Convém no entanto também deixar claro que  a compra teria de ser muito bem ponderada pois com excepção da Halo 5 os restantes exclusivos Xbox e jogos que correm na Xbox estão disponíveis no PC com melhor qualidade e resolução (apesar de Arkham Knight ter demorado um bom tempo a se ver livre de problemas nesta máquina).

Mas claro, isto é uma questão de gostos pessoais, e este é um ponto que, como referido, nunca analisaríamos numa análise objectiva, até porque no que toca a gostos não há objectividade possível. Cada qual gosta do que gosta!

Por esse motivo, esta nunca foi a forma que entendemos como correcta de se analisar as coisas pelo que encarem este artigo como bem entenderem. Uma mera partilha de ideias e gostos, ou uma avaliação a tomar em conta. Mas o certo é que, salvo os casos onde há coincidência nas análises, os parâmetros de cima não estão a ser analisados da forma objectiva pela qual sempre nos pautamos aqui na PCManias, optando-se por uma análise muito pessoal. E isso não é ajudar o leitor, é tentar impingir-lhes os nossos gostos

Infelizmente muitas pessoas, por serem incapazes de distinguir a razão das suas opiniões, nem sequer serão capazes de perceber o que aqui é dito. E por exemplo, após ter revelado as minhas preferências pessoais a nível de jogos, incluindo 3 da Microsoft e apenas um da Sony, se me questionassem sobre se os jogos exclusivos da Microsoft são melhores que os da Sony certamente ficariam surpreendidas por a minha resposta ser a de sempre: Não!

E isso porque o que está em cima é a minha opinião pessoal, a minha preferência a nível de estilos de jogos e jogabilidade. E isso não torna a situação uma realidade, apenas uma opinião, havendo certamente quem discorde da mesma!

De qualquer maneira, e se calhar para para surpresa de muitos, e não tanto de outros que sempre souberam que eu sou uma pessoa de jogos e não de marcas, ficam a saber qual a consola que até ao momento (e ainda há muitos jogos para sairem de ambos os lados) mais me agradou nesta geração. A Xbox One!

igualmente difícil de muitos perceberem será que as minhas preferências não impedem que se critique o que há a criticar e se diga bem do que há a dizer quando há notícias sobre a Microsoft (particularmente no que toca às suas políticas que mudaram mais vezes durante estes anos do que o vento mudou de direcção), ou que as análises deixem de reflectir as diferenças naquilo que não é subjectivo. Porque uma coisa são as nossas preferências, outra a imparcialidade e objectividade da PCManias, algo que muitos não gostam e confundem com fanboyismo, mas que continuará a ser uma realidade, goste-se ou não pois artigos de análise a hardware baseados em gostos pessoais não voltarão a existir por não se considerar os mesmo como sendo sérios e honestos.

Porque Fanboyismo não é o que acontece nos outros artigos, é o que existiu neste. Uma demonstração de preferências pessoais e não uma análise fria e objectiva de realidades de mercado e hardware disponível. E um artigo onde tudo são opiniões pessoais e pouco é concreto.

Daí que no que toca a artigos subjectivos deste género, dêem os mesmos como iniciados e concluídos aqui, até porque a mistura pode criar confusão em muitos leitores. A PCManias continuará futuramente a pautar-se pelas análises objectivas de informação útil e precisa ao leitor que sempre nos guiaram.

PS: A nossa postura nos comentários continuará igualmente idêntica, combatendo os abusos e a má informação, independentemente de agora saberem ao certo as nossas preferências. Algo que sinceramente nunca desejei revelar independentemente da consola em causa.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (32)

  1. Para mim, o ps4 é o melhor console deste geração por rodar mais liso os games, por ter os exclusivos que mais gosto, msm sentindo uma pequena decepção nesta geração, pois não tiveram, pelo menos por enquanto, a nível de qualidade de exclusivos que tiveram na geração passada. Tb cito as promoções na psn que são mais comuns do que na Live, algo que ouço de amigos que possuem o one, e que eu tb percebia quando tinha o one, por mais que eu ache a Live mais estável e isso é ponto positivo para o one. Com relação a design, acho o one mais bonito, principalmente o S que para mim, está entre os consoles mais belos já feitos, fora tb que acho o Joystick do one melhor, por mais que é nítido os avanços do Ds 4, pois o Ds3 ao meu ver era péssimo para jogos de shooter e ação por conta do analógico, mas acertaram a mão no ds4, penso eu! Quanto a interface, não sei como está a do one hj, mas na época que eu tinha o console, era um pouco confusa, porém creio que melhoraram, com certeza! A do ps4 é ótima ao meu ver, por conta da praticidade. E antes que eu me esqueça e quase não vejo citações sobre isso: a velocidade que é instalado um game no ps4 dá de mil no one ( não sei como está no one S), mas no one tradicional demorava muito a instalação do game, e confesso que eu me irritava pacas…rs Bem, são minhas singelas opiniões, mas a certeza é que são belos consoles, belas peças de hardware, e ambos são ótimos no que se propõe a fazer. Abraços, Mário e todos outros colegas aqui do PC manias. Que Deus abençoe a todos!!!

  2. E Mesmo assim vão dizer que o Mário é fanboy da sony hahahaha.

    De início eu estranhei a falta de bloodborne, mas lembrei que ele é um jogo nicho.

    • Podem dizer o que quiserem Andrio.
      Porque se as pessoas já não sabem o que é alguém imparcial, o problema é delas. Neste aspecto a sociedade está podre, e a culpa disso é não só de quem é parcial, mas igualmente de quem não quer ver as coisas como elas são realmente e procura esse tipo de informação para que o seu ego possa vir ao de cima!

      • Isso mesmo, Mário.

        [OFF]
        Pra mim a pcmanias é o melhor lugar para se ler notícias sobre games e tecnologias em geral. Artigos escritos sem ismo e bem fácil de entender. Sem falar que mesmo com as nossas diferenças(gostos) aqui se mantei o respeito e um diálogo saudável. blz, as vezes tem umas tretas, mas nada como em outros lugares.

  3. Sinceramente, dessa geração perdi até a vontade de discussões sobre jogos e hardware, tamanha a minha decepção com esses novos consoles turbinados, estou só esperando o anúncio do NX pra voltar à Nintendo. Sony e Microsoft quero distancia por um bom tempo.

  4. Bom artigo.
    Comentarios como o citado acima falando que vao chamar o Mario de Fanboy so deixa calro a intenção de querer incendiar uma discussão que não cabe no artigo.
    Pois se trata de opiniões pessoais e não uma analise que comprove qual dos dois é melhor entre eles.
    Antes de querer gerar tretas é melhor se analisar verificar que brigas assim não leva a nada pois acredito que ninguém aqui ganha parcelas de dinheiro das marcas citdas.
    Vamos procurar ser menos “ Fogo no palheiro” e ser mais da paz e amor.

    • Janaina… as análises não comprovam qual o melhor.
      Porque o melhor é aquele que melhor se enquadra nas tuas necessidades e gostos.
      As análises desta página referem qual é tecnicamente superior. Nada mais! O termo “melhor” não encontras nos meus artigos!

      • MMario
        Não sei se você estar entendendo o quero dizer ou mais uma vez me usa como exemplo para dar algum tipo de resposta.
        Vamos la novamente te explicar minha resposta.
        • Fique Claro que o termo “Melhor que cito nas resposta “ se encaixa em algo pessoal de cada um conforme dito não é questão neste a analise de algo tecnicamente.
        • Dois novamente me aponte o se afirmo que estou a dizer que seus artigos estão a falar osbre isso pois não citei nenhum momento esta parte.
        • Quando citei referente a resposta acima, digo que ao invés de comentar sobre o artigo em si o nosso colega já fala que vao ter pessoas a ter chamar de Fanboys isto sim gera discussões desnecessária, e leva a ter novamente ao mesmo assunto que sempre me refiro para você em seus artigos “verdades” realidades “ etc. Leva a pensaer que pessoas que argumentas a tal estão a ser levadas aserem Fanboys.
        Já te falei e volto a pedir não vamos usar de reatividade pois não é minha intenção ir para este lado.Porem observo que toda vez que posto um comentário ou me entende mal ou estar a querer me responder.
        Apenas digo duvidas me pergunte que interpreto o comentário para qualquer duvida, agora não coloquem frases ou títulos que não estar a ser dito.
        Não levo para intriga pois não analiso as coisas desta maneira Obrigada.

        • Janaina… a resposta que dei não era forçosamente para ti. Simplesmente achei que ela se proporcionava a dizer o que disse, a aproveitei-a.
          Não te entendi mal, tu é que me entendeste mal, mas por culpa minha. Peço desculpas!

    • Janaína da sua opinião também!

    • Janaina, me desculpe se pareceu isso para vc, mas n foi nessa intenção.

      Só quê, quem acompanha a pcmanias a um tempo, sabe que o Mário sempre foi alvo de alguns que não sabiam separar as coisas.
      Hoje ele escreve um artigo com argumentos sem desmerecer a outra plataforma. Hoje ele se diverte mais no Xbox e como ele mesmo disse é opinião dele. Eu como só tenho ps4 poderia vir aqui e querer argumentar sem argumentos plausíveis só pra fazer rage e dizer que o ps4 é o melhor e insinuar que ele é caixista como acontecia.

      Não leve para o lado da intriga 🙂

      • Andrio acompanho tambem algum tempo so opinieo referente a sua resposta que achei meio desconecta com o asusnto e trazer termos e coisas como esta nela so geram mais brigas pois o artigo esta claro, se vai haver ou nao briga fica por conta de quem ira falar. Porem fique sossegado nao levo para intriga e sim para coerência.

      • Andrio… Eu aprecio igualmente imenso a PS4.
        O que eu refiro no artigo é a minha escolha caso não tivesse nenhuma consola e só pudesse comprar uma ou tivesse de comprar uma primeiro que a outra. E isso baseado apenas no que existe atualmente no mercado e não no que está para sair.
        Mas felizmente eu pude comprar as duas, e apesar de a minha preferência atual estar do lado da Xbox, em momento nenhum dispensava a PS4.
        Se for a ver, tendo as duas, é lá que jogo todos os multi por eles serem superiores aí. E só por esse ponto posso dizer que gasto mais tempo na PS4 do que Xbox.
        A minha análise não diz qual a consola que gosto mais, apenas qual é a minha preferida atualmente. Qual das duas compraria primeiro se não tivesse nenhuma baseando-me na realidade das minhas preferências de jogos.
        Porque dizer que gosto mais de uma do que outra seria idiota. Até porque elas oferecem coisas diferentes que se complementam.

  5. Concordo com tudo menos com a PSN vs LIVE, verdade seja dita que o pouco que joguei online na PS4 nunca tive qualquer problema, agora para aqueles jogadores sempre online e que utilizam a consola apenas para esse tipo de jogos a diferença já se faz sentir… a LIVE têm mais estabilidade, e maior consistência de funcionamento, para dar um exemplo, comprei a xbox ONE Day ONE, cheguei a casa, liguei configurei e passado 30 minutos estava a jogar, a PS4 comprei Day ONE, instalei, configurei, estavam 200.000 macacos a tentar fazer o mesmo que eu, nunca consegui chegar ao fim da configuração, frustração, fui dormir, levantei-me ás 4 horas da madrugada, onde finalmente consegui configurar tudo e começar a jogar Killzone…

    • É como digo. Uma coisa é o objectivo. E no objectivo a Live é mais estável (apesar que não considero esse ponto verdadeiramente a distinção, e daí nem o ter referido).
      Depois é como digo no artigo, a visão pessoal é uma visão deturpada. O que se passou contigo passou-se ao contrário comigo com os jogos da Xbox a requererem patches não permitindo jogar sem eles. O da PS4 começaram a descarregar os patches, mas jogava-se na mesma.
      No entanto o que referes aconteceu-te uma vez em 3 anos. Achas isso justificativo para ser o exemplo que dás para a distinção?

    • A minha experiência com as duas plataformas é oposta a sua, comprei meu Xone 6 meses depois de lançado, liguei 900MB pra atualizar o sistema, coloquei o jogo e mais de uma hora pra instalar e atualizar DeadRising 3, ou seja esperei no mínimo 2hrs para poder começar a jogar, já o PS4 liguei, coloquei minha conta e o disco após isso, a instalação do jogo (watch_Dogs) demourou 2 minutos e pronto, demorei no máximo 5 minutos para começar o jogo.

  6. Mário,

    Como se trata de um assunto um tanto subjetivo vou dizer minha opinião:

    Na década de 80 havia um comercial que dizia: o primeiro sutiã nenhuma mulher esquece, pois é, como já comecei minha trajetória de gamer com um pé no multi jogador, inclusive no PC, quando saiu o Xbox fiquei fascinado com essa possibilidade. Naquela época, a Sony com seu Play ainda engatinhava e não conseguir jogar nenhum game sem está com os amigos em modo cooperativo, ou seja, é uma preferência totalmente pessoal, dado que existem jogos maravilhosos que não precisa ter modo coop. Outro detalhe pessoal, nunca gostei muito de filmes ou desenhos que evocassem aspectos oníricos ou místicos. Ao contrário, sempre gostei de jogos de tiro, inclusive gosto mais do pve do que pvp, ou de guerra, mas pra não ser linha dura demais adorei jogar solo Crysis, Fallout 3… Com relação aos consoles minha preferência como ja falei aqui é o XBOX. Gosto do Play, mas confesso que comprei pela vibe de ser mais poderoso que o Xone, somente isso.

    • Esqueci de dizer uma coisa interessante, que define meu lado de jogados de shooter, ADOREI a retrocompatibilidade do ONE, desculpem mas é um diferencial da Por.. Não entendo como ainda o dep. de mercadologia da Mic não explorou isso com muita intensidade. Caramba isso é bom demais, uma coisa que não fiz na geração passada estou fazendo agora, terminando de jogar aqueles jogos do 360 delícia!!! Muito bom! Até entendo que o pessoal do PS não de ênfase a isso pois não possuem muitos jogos do 360 ou não tem nenhum, mas isso fio uma bola super dentro e pra mim já define o quanto o XBOX está muito à frente do seu concorrente. Mas como já disse em outro comentário, ultimamente o que vende console é gráfico, e o exemplo está ai: A Sony lançou um Pro. Como se fosse um celular mais turbinado que o standard

      • Daniel… o que tu preferes é o que tu preferes. E a partir do momento que é o que preferes, está certo na escolha que fizeste.

        A questão aqui, e esse é o motivo do artigo, é que as pessoas entendem uma avaliação objectiva como uma critica ao sistema com menor avaliação.

        E isso não é ter preferências. Isso é ser realista e objectivo.

        É isso que quero que as pessoas percebam. Que a forma como eu concebo uma página destinada a dar informação é essa.

        • Não entendo que as pessoas julguem ao ponto de rivalizarem uns com outros em relação ao que console é melhor ou pior que o outro! Acho que no final a opção é totalmente subjetiva, e vai de encontro com as preferenciais de cada um, e vou mais além, até os amigos dos amigos acabam te influenciando a escolha, pois que na atualidade você se inclina para um console devido a quantidade de parças pra jogar online ou não. Pois então, meus amigos do xbox, do 360 e do one estão juntos até hoje… Te digo que a coisa é tão fantastica a esse ponto que da pra ver o que o amigo esta fazendo e convida-lo para uma partidinha. Vamos acabar com esse guerrinha tosca e sem sentido, pois o que está em questão é a diversão, somente… Ainda quero saber qual console a Janaína gosta mais??? kkk

  7. Bom, baseado na minha experiência com as 2 plataformas, sem dúvidas o Xbox One se mostra superior na proposta geral de valor, em relação ao ps4. Mas é uma vantagem bem larga atualmente, mais do que eu imaginaria ser lá em 2013. E são vantagens práticas.

    Claro que há atenuantes diversos, e que tem peso maior ou menor dependendo do mercado em questão, mas pelo menos aqui no Brasil, a vantagem do xbox one é significativa demais, seja na abrangência de varejo, seja no suporte localizado, seja nos serviços de assinatura, seja até nos jogos mesmo. E o Xbox One S limou as arestas de defeitos no projeto original, e se coloca como a versão definitiva do Xbox One, com ‘cara’ de videogame mesmo.

    Isso não significa porém, que o ps4 se torna um console ruim. Não, pelo contrário, ele é um videogame bom ao que se propõe, apenas a Microsoft consegue ir mais além, e a engenharia financeira feita é vital pra tal. Nenhuma empresa faz o que a M$ tem feito no Xbox One, e está a fazer com o Xbox Scorpio, se não tiver saudável financeiramente, e principalmente, disposta a investir.

  8. A maior vantagem que vejo do Xone sobre o ps4 é a retrocompatibilidade e o joystick o controle do ps4 é muito frágil de péssima qualidade o controle do ps3 tinha o R2 e L2 mal desenhados, mas a qualidade do material é muito superior.

  9. Parabéns Mário, não é atoa que considero os textos do PC manias os melhores em língua portuguesa sobre games e tecnologia. Sua postura para fazer esta análise mostra grande profissionalismo pois, é sabido que não existe neutralidade, todos nós temos preferências então, o que torna um profissional digno de credibilidade é como o mesmo opina sobre o que lhe é devido. Mais uma vez, parabéns. Felizardos são os que podem apreciar de ambas os consoles pois são excelentes.

  10. tenho o PS4 e Meu namorado One entao fico meio dividida, pois gosto do play pelos exclusivos demais, porem one jogo com ele e me divirto pelos jogos on line Halo e gears a qual sou apaixonada.

    • blz Jan… É isso ai acho que independente de plataforma de jogo, ambas garantindo diversão então está bom! Em relação a alguns exclusivos compartilho com alguns a opinião, que vai de cada um, em relação as suas preferências de jogo…

  11. Bem como o Mário disse ontem que seria um artigo polêmico.

    Antes da minha opinião só acho estranho atrelar uma vantagem ao One devido a abrangência e por ter feito um modelo Slim com recursos que não existiam no modelo fat, por exemplo HDR(pelo que lembro é o 1° modelo slim a adicionar recursos que o antecessor não tem), colocando-o como versão definitiva do One. Moro no Ceará e aqui eventos de games ou surgem através de grupos de games, lojistas locais ou pelo museu itinerante, porém nesse mês de outubro ocorre algo inédito, pela primeira vez em um shopping de Fortaleza uma marca de consoles coloca stands para o público testar jogos e estátuas de personagens para pessoas fotografarem juntas e adivinha quem foi? Sony com o espaço chamado Playstation Arena.

    Minha opinião e um pouco da minha história com games!
    Muitos já sabem que a minha preferência atual é pelo Playstation, podia até explicar da mesma forma que o Daniel Correia começou com a opinião dele, mas meu primeiro contato com games não foi com Playstation e sim com o famoso Atari 2600 do meu primo, o ano não lembro, pode ter sido nos anos 90. Nesse caminho até o Playstation conheci Master System, SNES e Megadrive.

    O primeiro console que posso dizer que “foi meu” foi o Master System, mas qual o significado das aspas? Quando meus pais compraram o Master System, claro que seria para eu utilizar, mas o foco principal seria para formar uma locadora de games, isso por volta de 1994/1995. Com o sucesso do Master Mystem na recém locadora meus pais decidiram ampliar o negócio e o Master System foi embora para dar lugar ao SNES. E assim foi até 1997 quando fui visitar meus primos em outra cidade, e em uma locadora de games vizinha a casa deles vi um aparelho novo, com um jogo totalmente diferente dos que eu conhecia no SNES, era o primeiro Tomb Raider no então Playstation. A primeira vista fiquei deslumbrado, com meus 13 anos a altura nunca tinha visto algo semelhante e a reação foi dar a dica aos meus pais sobre o novo aparelho, de início eles ficaram receosos, mas em novembro de 1997 o primeiro Playstation chegou a nossa locadora. E esse console me cativou mais que o SNES, ambos consoles tinham excelentes bibliotecas de jogos.

    De 1997 a final de 2002, quando encerramos a locadora devido a um assalto, chegamos a pegar um Sega Saturn e depois partimos para o PS2, cheguei a sugerir o N64 e Dreamcast para meus pais, porém eles não confiaram nos aparelhos e não compraram, engraçado que eles não tinham contato com revistas de games, somente eu que lia e mesmo assim eles, para a situação das locadoras de games na época, acertaram em não comprar N64, Dreamcast e até o recém lançado Gamecube.

    De 2002 a 2005 fiquei um pouco no hiato com games, devido o assalto na locadora somente sobraram uns 3 PS one, 2 foram vendidos e fiquei somente com o primeiro que tivemos, sim aquele de outubro de 1997 ainda continua comigo, um SCPH-5501, que atualmente esta sofrendo com seus capacitores velhos (vou ter que trocá-los). Em 2005 após conseguir o 1° emprego finalmente compro o meu 1º console, um PS2 usado porém em excelente estado, funcionando e nunca tinha sido aberto.

    Acompanhava o cenário dos games através das revistas Ação Games e EGM Brasil e lá vi o surgimento do 1° Xbox e depois do 360 e o que me fez não ter interesse neles foi o alinhamento dos exclusivos, maioria shooters, tipo de jogo que não dou muito valor. Tinha vontade em jogar Alan Wake e Forza 4, mas na época não comprei o 360 devido só ter interesse nesses 2 jogos e então optei em 2010 comprar um PS3 usado e com defeito, pois nele haviam mais jogos exclusivos que me davam mais interesse.

    Dias atuais.
    Ponto principal desse artigo é a preferência na atual geração de consoles e como no meu histórico por games, pela terceira vez consecutiva decidi ter um console Playstation, não por ser o mais potente da geração e sim pelo seus exclusivos, pelo que vi nos jogos da gerações anteriores e que aposto que alguns continuarão no PS4, bem como por saber que os estúdios first party são capazes de criar excelentes novas IPs.

    Seguindo nos moldes do Mário vou comentando alguns itens.
    Online QoS: Conheci na geração passada a PSN e vi o quanto a mesma melhorou nessa geração. Problemas todos nós enfrentamos e em algumas vezes o culpado nem é o serviço online do console e sim a sua provedora de internet, por tantas vezes um download ou partida demoravam e uma simples troca de endereço DNS resolvia o problema. Afirmo que em 2016 foram pouquísimos casos que não consegui jogar online devido a problema na rede, então acho errado aqueles que julgam o serviço como uma porcaria e que “vive de manutenções”, maioria desses nem possuem contato com o serviço. Tenho pouca experiência com o serviço Live, então prefiro deixá-los empatados.
    Preferência: ambos.

    Online preço: No Brasil creio que a situação é diferente do resto do mundo, aqui a PSN é mais barata que a Live, em uma parte dos países o preço oficial dos serviços custam o mesmo valor. PSN a R$130,00 e Live a R$180,00 e aqui coloco um exemplo do que os números em % podem fazer(algo muito comentado em vendas no PCManias). Qual vocês preferem: A Live custa 38,46% a mais que a PSN ou que a PSN tem um valor de 27,77% mais baixo que a Live?
    Preferência: PSN

    Online – Oferta:
    Por ter PS3, PSVita e PS4 a oferta da PSN é mais vantajosa do que os 2 jogos do One + 2 jogos do 360, e porque não são 4 jogos para o One? Simples por não ter cartão de crédito cadastrado o One não me permite baixar os jogos retrocompatíveis, ou seja, se eu não tivesse o 360 e não cadastrasse um cartão de crédito eu somente teria direito a 2 jogos.
    Preferência: PSN

    Performance:
    Preferia analisar a performance com um jogo multiplataforma, mas nunca tive e nunca terei o mesmo jogo para duas plataformas diferentes, porém nesse quesito o PS4 tem vantagem.

    Ao analisar os jogos exclusivos vejo que ambos consoles ficam no empate, joguei a demo do FH3 e dá para perceber o quanto estão extraindo do hardware inferior.
    Preferência: Por só ter como analisar a performance de 2 hardwares diferentes rodando o “mesmo” software, então o PS4 leva essa.

    Interface:
    Nessa questão prefiro não dar minha opinião, sou super acostumado com a interface do PS4 e ainda fico perdido com a do One. Tenho até uma explicação, uso o One com menos frequência que o PS4 então seria uma injustiça minha dizer que a do One é pior. Pode até ser uma questão (de falta) de costume. Um exemplo no PS4 consigo iniciar um streaming rapidamente, no One ainda não decorei os passos.

    Exclusivos:
    A resposta foi dada no início da opinião. Gran Turismo, God of War, Uncharted, Little Big Planet, The Last of Us, Infamous, The Getaway, Sly Cooper, Ratchet & Clank, Syphon Filter… foram exclusivos que me conquistaram nas gerações anteriores e que eu gostaria de vê-los no PS4. Vejam que há também Killzone, que não o citei por não ser muito adepto ao estilo de jogo. Fora os exclusivos criados nessa geração: Driveclub(com 2 anos ainda não tem um jogo de corrida a nível gráfico), The Order, Until Dawn, Knack e espero em dezembro o The Last Guardian.

    Tenho o One e como não sou adepto dos shooters fico com Forza, Quantum Break, Ryse, Sunset. (Os 3 últimos ainda vou comprar).

    Preferência: PS4

    Jogos que uso com frequência:
    Uncharted 4
    Rocket League (PS4)
    Project Cars (PS4)
    Driveclub
    Until Dawn

    Top 5 com 3 exclusivos PS4 e 2 multi também para PS4. Deixei o Forza um pouco de lado porque no PS4 consigo jogar o Project Cars com G27, através de um adaptador que simula o G27 como G29. Infelizmente ainda não há driver que faça o adaptador simular o G27 como G920 no One.

    Finalizando:
    PS4 é preferência devido ao histórico que tenho com a família PS, por conhecer e ter afinidade pelos exclusivos, pelo seu serviço que para mim ainda vale e por ser até agora o único compatível, por meios não oficiais, com o volante G27>

    Mas nem tudo são flores, a demora por lançar continuidade dos exclusivos, os vários adiamentos de jogos e o lançamento do Pro fizeram perder a confiança na marca.

    Atualmente minha condição financeira me dá a possibilidade de ter uma coleção de consoles. Tenho no mínimo consoles de 2 marcas da 5ª geração até a atual. Após começar a coleção o PS4 foi o 1° console que comprei novo e com caixa lacrada de fábrica(mesmo sendo comprado no mercado cinza) em seguida, através de lojas oficiais, fiz o mesmo com o 360 e o One. Para o colecionador há a simbologia do número de série do console ser a mesma da caixa, algo difícil de ser feito quando o console é comprado no mercado informal.

    Caraca minha primeira resposta longa no PCManias, parece até um artigo!

  12. Primeiramente , ótimo artigo. Uma coisa que não entendi foi quando você disse que a psn oferecia mais serviços grátis mas a xbox live precisava pagar , que serviços são esses ? Youtube , netflix ou qualquer outro app pode ser usado no xbox sem live gold.

  13. Ótimo artigo Mário, excelente. Eu hoje só tenho olhos para o PC Gamer, apesar de não ter. Tenho um PS4 e um X-Box One, mas espero no próximo ano passar para o PC. Não tenho mais ânimo para discutir sobre esses concoles.

Os comentarios estao fechados.