Gamepass não é realmente lucrativo, afirma Aaron Greenberg

5 6 votes
Avalie o nosso artigo

As frases de Aaron Greenberg vem bater certo com aquilo que vimos a dizer há anos sobre os lucros do Gamepass. Mas continuamos a insistir, Greenberg não refere tudo e o Gamepass dará mesmo prejuizo.

Há certas coisas que são evidentes. E uma delas é que sem ovos não há omoletes! Daí que pela mesma lógica, um sistema que oferece muito por pouco dinheiro, não pode ser lucrativo.

E ao longo dos anos, escrevemos vários artigos sobre o assunto. Como é que a Microsoft pode manter a produção de jogos AAA num fluxo regular se depois não os vende cada um a 70 euros, mas permite que as pessoas lhe acedam por algo como 120 euros por ano com um Gamepass.

Ora 120 euros por ano somo nós a ser simpáticos. Porque já todos sabemos que a Microsoft permite aderir ao Gamepass por um euro por mês, e que permitiu mesmo que isso fosse estendido a um período de três anos (36 euros por 3 anos, sem acesso internet). Sabemos tambem que o Live Gold pode ser convertido em Gamepass mediante uma adesão a 1 euro, o que permite por 181 euros aderir por três anos,o que dá algo como como 5 euros por mês, com acesso internet.

E sabemos que a Microsoft oferece o Gamepassa em caixas de cereais e hamburgers.



Daí que o número de utilizadores que paga os 10 euros mensais pelo Gamepass, ou 15 euros mensais pelo Gamepass com acesso internet, será certamente reduzido.

E se já era difícil perceber como 120 euros por ano poderia pagar 3 a 4 lançamentos anuais de jogos AAA, quando falamos destes valores, qualquer lógica que não fosse a Microsoft estar a subsidiar o serviço, considerando-o um investimento, era impossível de ser feita.

E usamos mesmo como exemplo o Netflix, onde por várias vezes mostramos dados da sua contabilidade onde percebemos que mesmo com mais de 120 milhões de assinantes o serviço luta para se manter rentável, acumulando regularmente prejuízos. Isto num mercado onde o Netflix não compete com a grande fonte de receitas dos filmes, o cinema.

Mas quando abordavamos este assunto, que soava a mais do que lógico, qual a reacção que tínhamos a esses artigos por parte dos fans Xbox? Descrédito e acusação de parcialidade! E isso em algo que só poderia soar a… evidente!

Ora recentemente a Microsoft anunciou que, com a pandemia, o Gamepass estava agora com 10 milhões de assinantes. Algo que perante as promoções acima referidas, não surpreendia absolutamente nada. E isso quer dizer que caso o Gamepass pudesse efectivamente dar lucro, ele estaria neste momento no seu pico de lucros desde a sua criação.

Mas eis que aparece Aaron Greenberg a dar uma entrevista e a falar sobre o Gamepass. E ao contrário do que a Microsoft tinha em tempos dado a entender, Greenberg deixa claro que (e cito):



O Gamepass “nao é uma grande fonte de lucros neste momento”.

Ora se com 10 milhões de utilizadores o Gamepass não é uma grande fonte de lucro, o que dizer das alturas em que escrevíamos os nossos artigos e o serviço não tinha 10 milhões de utilizadores? Não hajam dúvidas que o Gamepass dava prejuizo!

Mas será que realmente o Gamepass neste momento dá lucro. Bem, se estes 10 milhões estivessem a pagar 15 euros por mês e se a Microsoft não lançasse os seus exclusivos no dia um no serviço, sim, estaria.

Mas assim, Greenberg que nos desculpe, mas aquilo que sempre questionamos continua válido, e continuamos na nossa ideia original de que a Microsoft está a esconder a verdade, e que o serviço dá prejuízo, sendo assim algo financiado, ou seja, um investimento que durará até se conseguir os objetivos, mudando depois o seu funcionamento quando a concorrência não existir.

E a ideia ainda fica mais viva quando Greenberg se refere ao Gamepass exactamente como “um investimento, que tem custos a curto prazo, mas que que, se tudo correr como planeado, trará dividendos no fim”.



Por outras palavras, actualmente, e ao contrário do que é dado a entender por si mesmo nas frases anteriores, o serviço não está a trazer dividendos. Porque se estivesse a dar lucros neste momento, mesmo que pequenos, já estaria a trazer dividendos, e não se falaria de lucros a longo prazo.

Mas curiosamente, o próprio Greenberg não parece ter certezas sobre o futuro, pois as suas frases não são convictas. E isso nota-se quando refere:

“A Microsoft vai ficar bem. Vamos conseguir–Penso que vamos ficar bem.”

Numa mesma frase, Greenberg passa de convicção a crença. Talvez porque tenha a plena noção que o que propõem não é viável e não pode ser mantido para sempre, sendo que para que o serviço seja um sucesso e possam um dia impor condições que realmente o tornem lucrativo (ou seja, bem mais caro), precisam de ter domínio sobre o mercado para que os clientes não lhes fujam.

Mas nada disto será novidade para quem nos acompanha. Pois não há nada que estejamos a dizer neste artigo que não tenha sido dito antes. A grande novidade aqui são as frases de Greenberg que basicamente, não podendo dizer que o serviço dá prejuízo, acaba por confirmar o que sempre pensamos ao usar o termo “não é uma grande fonte de lucros”.



E a vontade da Microsoft em forçar os clientes a aderir é grande, o que se comprova pelo facto de uma visita ao site da Microsoft para procurar e aderir pelo Live Gold é uma tarefa dantesca pois a adesão e preços estão escondidos e a página do live gold coberta de publicidade ao Gamepass. Mas quando encontrado, percebemos que a Microsoft agora apenas vende o Live Gold pelo período de 1 mês a 6.99 euros, ou 3 meses a 19.99 euros, o que torna a oferta do Gamepass ainda mais atractiva. Não por desconto do gamepass, mas por subida de preço do Live Gold que deixa agora de poder ser aderido por 60 euros por ano.

Basicamente isto demonstra que mesmo dentro da Xbox a Microsoft tem dificuldades em convencer as pessoas a aderir, pois a maior parte provavelmente consegue perceber aquilo que estamos a dizer aqui. E recorre assim a estas tácticas com os seus próprios clientes.

Fonte



5 6 votes
Avalie o nosso artigo
50 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
bruno
bruno
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

E na minha sincera opiniao… o gamepass vai, mais cedo ou mais tarde seguir o caminho do Zune, do Games with Windows Live, etc..

Mesmo com as atitudes recentes da Sony com as quais eu nao concordo, a verdade e que no fim do dia, a PS5 continua a escolha mais atractiva.

O Gamepass ja comecou a surtir efeito no output dos estudios Xbox.

Hellblade 2, por muito bom que possa ser, ainda nao so nao vimos gameplay, como teremos que ver as melhorias sobre o primeiro que no fim e um jogo pequeno e curto.

The Medium… a gameplay recente que foi mostrada deixou a desejar. parece um point&click.

Fable ja esta envolto em polemica sobre o ser ou nao ser MMO. Mesmo que nao seja, nao se sabe se acaba como Hitman em formato episodico ou como o proximo Avengers a chegar aos pedacos.

Esta iniciativa parecia-me um erro na altura, e continua a ser um erro agora. Estao a sacrificar o output e o suporte a consola e a tornar a consola cada vez mais irrelevante no mercado. Como e que ao afastarem pessoas da consola querem angariar para o Gamepass?

A MS mais uma vez a impor as coisas no mercado, sem saber escolher o meio-termo. E a espetar-se por causa disso.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  bruno
1 mês atrás

Hellblade 2, para os fãs, é torcer para chegar lá por 2023, pois se chegar antes, já sabemos a qualidade que vem, já que o game está em início de desenvolvimento e eles só tem aquela cinemática até o momento;

The medium eu achei interessante a proposta, mas para executar bem algo com 2 perspectivas diferentes em mundos paralelos se precisa de talento, e aí que me me vem certas dúvidas.. A empresa que entregou o medicocre Blair Witch é capaz de algo muito melhor? No mais, para uma empresa que disse que não vai se limitar com a geração atual e lançar o game apenas para next gen, sinceramente eu esperava um gráfico mais elaborado. Já vi coisas bem melhores na atual geração.

Fable é algo para além de 2023, isso se Microsoft não largar pelo meio de caminho o projeto. Se sair antes de 2023, não podemos esperar algo excelente e sim medíocre para ser otimista.

Quando Gears Tactics saiu no PC e não no console, já estava desenhada a estratégia. Não tenho dúvidas que o plano é vender gamepass Ultimate e acabar com o console porque lá se tem prejuízo. Mas prejuízo esse que é culpa única e exclusiva da Microsoft. Ela acostumou seus clientes de console a pagar quase nada por jogos e agora vai ser difícil virar a chave.
É mais difícil que desmamar bezerros.

Quanto a divisão Xbox e a Patotinha: eu me impressiono cada dia mais com a incapacidade de quem anda afrente. É toda semana uma bola fora. Qualquer empresa, com planejamento mínimo e amor por suas coisas, já teria colocado muitos ali no olho da rua.

bruno
bruno
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Nao e tanto no sentido de quando vai chegar, mas sim… que tipo de jogo ira ser.

O primeiro jogo apesar dos valores de producao AAA nos modelos e cenarios, tinham obvios limites devido ao baixo oracamento e acabou uma experiencia de 5 horas e sem variedade.

The Medium, o primeiro gameplay nao impressionou muito. A camara e fixa, e um jogo linear e a unica novidade e que tens dois mundos em simultaneo. E sim, o que foi visto aponta para algo independente e de baixo custo.

Fable, ainda e muito, muito cedo para se dizer, mas ja foi envolvido na historia que seria MMO, para depois isso ser negado. No entanto… nao foi negado completamente. O que os produtores disseram era que o jogo iria chegar poder ser jogado por uma pessoa, e que haveriam espacos online e cooperacao online. Ou seja, talvez nao possa ser classificado como MMO completamente, mas isso sera apenas um detalhe.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  bruno
1 mês atrás

Então, Bruno, quando me referi a tempo, para torcer que o jogo chegue lá por 2023, está implícito que se o jogo chegar antes, a qualidade foi pro espaço. Vai ser algo simples novamente.

bruno
bruno
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Pois, eu entendi o que tu disseste.

Mas o que eu estou a tentar dizer-te e que estou mais preocupado com o resultado final isto e, com o objectivo da equipa e do projecto o qual e independente do tempo – dai referir o tipo de jogo que vai ser e nao o estado do jogo que vai sair.

Crackdown e Sea of thieves, sairam no estao em que sairam mas claramente nao haveria quantidade de tempo que alterasse o genero de jogo que sao.

O tempo nem sempre assegura qualidade.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  bruno
1 mês atrás

É, complicado acreditar em qualidade depois de tudo que vimos recentemente.

Rui
Rui
Responder a  bruno
1 mês atrás

Se for tudo ao charco o pior que pode acontecer a quem gosta da xbox é ter de comprar a ps5 e a Sony cobrar o que quiser quando quiser.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Rui
1 mês atrás

Então, é exatamente o que a maioria torce para não acontecer. Isso é péssimo para o consumidor.

bruno
bruno
Responder a  Rui
1 mês atrás

Há sempre a Nintendo.

Daniel
Daniel
Responder a  bruno
1 mês atrás

Podem ter mostrado no relatório financeiro recente, e os investidores/ Satya não devem ter ficados nada satisfeitos com os resultados. Agora eu quero ver como eles vão trabalhar com o gamepass, pois se pararmaos para pensar, eles prometeram liberdade criativa para o desenvolvimento de jogos pelos novos estúdios, inclusive podendo estar no contrato, cláusulas desse tipo. A Obsidian e a Inxile afirmaram que estão trabalhando em triple A, Halo não foi barato, Gears 5 não vendeu bem por conta do gamepass, Fable não me parece ser de pequeno orçamento. A conta não vai fechar, e mesmo se empatasse, a Microsoft está perdendo dinheiro, pois poderia alocar recursos onde fosse mais lucrativo.
De qualquer modo, eu não ficaria nada surpreso ou do preço do gamepass sofrer discriminações de preços (com triple A/ sem triple A), ou o preferível (pelo menos pra mim), tirar esses triple A, condicionando um bom desconto (20-25%) aos usuários do gamepass ultimate. Aliás, essa última opção poderia ser o ideal, com o acréscimo de talvez “liberando” a primeira hora de gameplay de todos os first party (olha aqui um meio termo que poderia ser pró consumidor/inovador). Mas depois de Halo, não espero muita coisa da Microsoft; pelo menos no curto/medio prazo, deu uma desanimada legal.

Andrio
Andrio
Responder a  Daniel
1 mês atrás

liberar uma hora de jogo n me parece algo inovador. tem cara de “Demo” rsrs mas talvez fosse uma boa ideia.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Andrio
1 mês atrás

Esse negócio de liberar um pedaço do game parece que a Sony está fazendo com o ps5. Joga um pedaço do game antes de decidir se compra ou não.

Daniel
Daniel
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Seria bem mais interessante e não nocivo a indústria, além do que os jogos podem ir a $70 na próxima geração; não podemos errar na escolha kkk.

bruno
bruno
Responder a  Daniel
1 mês atrás

Ha uma terceira opcao, cortar na qualidade dos AAA e entregar o que mais vicia e dura por mais tempo. A la Fortnite. E isso esta bem patente no que a empresa tem apresentado tanto que nem o esconde. Olha Halo e a intencao de o mesmo durar 10 anos. Olha o estado grafico em que foi apresentado e o Phil Spencer a andar a dizer que as geracoes anteriores nao prendem graficos.

Tu achas que isto e para que? Para apresentar jogos para o gamepass e vender a ideia que aquilo e do melhor que hoje se faz.

Sinceramente, Daniel o ideal seria que o gamepass nao existisse.

Os riscos do servico sao demasiado altos sobretudo o viciar as pessoas ao jogos a preco da chuva e o acabar com o mercado classico. Alias, esta e a versao da MS a longo prazo: criar condicoes toxicas para retailers, publishers e concorrentes de modo a tornar-se na solucao por excelencia.

Porque para o que o gamepass ja oferece tu ja tinhas opcao… o Live Gold, ou nao tinhas?

Finn
Finn
Responder a  bruno
1 mês atrás

Lol, consumidores a favor das empresas e não dos próprios consumidores. A menos que vocês sejam sócios ou acionistas de empresas da indústria dos games, deveriam estar envergonhados. O serviço é excelente e extremamente atrativo, com todos os jogos First party day one e que ficam para sempre na plataforma, além de muitos jogos third party interessantes, muitos AAA. Se não dá lucro neste momento e se é uma aposta, não me interessa realmente, o que me interessa é ter o melhor custo benefício do mercado e pagar menos para jogar, expecialmente na próxima geração, que terá jogos mais caros. O GP no mínimo é uma aposta muito razoável e tem possibilidade de dominar o serviços de games com o Xcloud, afinal estamos a falar da Microsoft, empresa que sempre figura no top 5 de empresas mais valiosas e lucrativas do mundo. Ela não chegou lá à toa.

Sephirot
Sephirot
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Grande Mario, lúcido como sempre,

Tenho usado o Game Pass no PC e devo dizer que o serviço é suculento, realmente é bom demais para ser verdade, e eu acho sim que o serviço pode ser lucrativo, e é uma sacada genial, por que é uma forma muito mais inteligente de se fazer dinheiro e deixar seu jogo rendendo lucros a um periodo maior, concordo com você na parte que fala dos jogos exclusivos day one, realmente não tem o menor sentido a Microsoft manter essa pratica, tendo em vista que pelo preço cobrado pelo serviço, mesmo que os jogos first Party chegassem com 6 meses ou 1 ano de atraso, o serviço ainda sim seria extremamente atraente, por que hoje os jogos simplesmente morrem, quais serão as vendas anuais de um Killzone ShadowFall por exemplo, ou Infamous Second son, ou Ryse Son of Rome ? Com certeza são baixissimas se existir vendas desses jogos, que são muito bem feitos, porém são muito antigos, um serviço onde reuna esses jogos que já esgotaram o potencial de vendas é uma forma criativa de arregadar mais a um preço justo, enfim, essa é minha opnião, não sou acionista da Microsoft, tão pouco estou preocupado com as finanças deles, o ponto é que um serviço de assinaturas como o Game Pass com os devidos ajustes, pode se tornar viavel.

Equipa PCManias
Responder a  Sephirot
1 mês atrás

Isso nunca foi negado pelo Mário. O serviço seria excelente, viável e 100% atractivo se fosse realista e colocasse os exclusivos somente depois de venderem fisicamente, ou então em acessíveis desde logo com compra com desconto.
Tal como está é um excelente valor. Mas um presente “envenenado”, pois o seu objectivo é captar clientes sendo que o serviço no futuro não terá está oferta, ou se a tiver, não terá estes preços.
Mas mexer nisso e revelar os reais intuitos só quando a concorrência estiver arrumada.

Sephirot
Sephirot
Responder a  Equipa PCManias
1 mês atrás

Hum, ok, não sei se entendi muito bem o seu ponto, mas acho exagero chamar isso de presente “envenenado”, a própria Netflix começou sendo um serviço bem mais interessante do que é hoje, com preços mais baixos, quantidades ilimitadas de telas, e alta qualidade de imagem, conformo foi passando os anos ela veio moldando seu serviço a ponto de que fique lucrativo para os dois lados, tanto para o cliente como para a empresa que oferece o serviço, essa é a fórmula do sucesso, os dois lados ganham, obviamente a Microsoft vai reformular o Game Pass mais cedo ou mais tarde, seja aumentando a mensalidade, ou deixando de oferecer os First Party Day One, não tem nada de “presente envenenado” nisso.

Equipa PCManias
Responder a  Sephirot
1 mês atrás

Como já foi explicado o Netflix baseia-se em filmes. Os filmes obtém a sua receita no cinema e só depois no serviço.
O que o Netflix possui seu são produtos de entrega lenta e curta duração (séries), destinadas a prender e manter os clientes.
Os jogos indo no dia um para o Gamepass não tem como se rentabilizar na venda física, e dessa forma a sua qualidade tem de aproximar do equivalente às séries. Menor qualidade e entregues por muitos anos.
Cativar clientes no modelo actual é insustentável, e daí que o presente seja envenenado (nem coloco as aspas agora), pois o que ali existe nunca se pode sustentar num modelo destes, e com ele os AAA estariam condenados.
O manter este negócio assim, é um investimento para cativar clientes. Mas se a base crescesse ao ponto de roubar os clientes da concorrência, a consequência seria que ou o mercado teria perdido a qualidade dos seus melhores títulos ou a Microsoft iria subir os preços para rentabilizar o serviço.
Em qualquer dos casos não há nada a ganhar daqui, pelo que o presente é efectivamente envenenado.
Mas esta é a minha opinião, e a frase é minha e só minha. Não pertenço ao site, não escrevo aqui, e só estou a moderar isto enquanto o Mário está de férias (volta para a semana).

Deto
Deto
Responder a  Equipa PCManias
1 mês atrás

netflix já acabou com negocio de toda a temporada estreiar de uma vez.

agora é um EP por semana.

Marco Antonio Brasil
Responder a  Deto
1 mês atrás

E também tem um detalhe, a Netflix aos poucos vai se rendendo a incluir propaganda em seu conteúdo. Stranger things é merchandising puro!

Livio
Livio
Responder a  Sephirot
1 mês atrás

Eu entendo por presente envenenado é oferecer assinatura por U$/€/R$1,00 sendo que um dia este valor vai aumentar consideravelmente e aqueles que tem renovação automática sentirão no bolso, fora que a Netflix teve planos baratos mas não ao ponto de te ter como assinante a troco de nada.

Outro ponto do presente envenenado é a queda na qualidade dos jogos.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Equipa PCManias
1 mês atrás

Não dá para colar o link da própria pcmanias aqui?
Pois tem um artigo do Mario falando isso.
É só procurar no Google “psnow pcmanias” que aparece como primeiro link. É uma comparação entre PS Now e gamepass

Equipa PCManias
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

O copy paste não funciona em smartphones. Apenas no PC.
Se não conseguir copiar colar com o rato use o CTRL+C e CTRL+V. Se nenhum funcionar limpe os cachês do browser. Porque funcionar, funciona.

Será deste que fala? Está já um pouco desatualizado, mas os pontos mantém-se válidos.
http://www.pcmanias.com/psnow-foi-relancado-e-e-o-contraste-total-com-o-gamepass/

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Equipa PCManias
1 mês atrás

Ah ok. Obrigado. Estou no smartphone.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Sephirot
1 mês atrás

Mas aí tem um serviço que é psnow. Que não chega tudo day one. A Sony parece que está expandindo a psnow para outros países com o ps5. E fez o correto: manteve pequena para testes e agora que sabe o que dá certo e é sustentável e o que não é, vai expandir. Não com essa loucura toda da Microsoft, que sempre lança tudo de qualquer jeito, dando em tudo que é canto e depois não sustenta o que vendia. Com o Mixer foi assim, com o Windows Phone idem.

bruno
bruno
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Ainda falta ver ate onde o PS Now e sustentavel.

Noto apenas que o servico so ficou mais competitivo depois de outras empresas terem puxado o esquema. A Sony tem o servico desde 2013 e adormeceu o projecto ate ter sido obrigada a mover-se.

Claramente entendeu que o negocio de subscricao nao e assim tao atraente senao teria puxado por ele.

bruno
bruno
Responder a  Sephirot
1 mês atrás

Bem Sephirot, so digo que se achas isso, ja estas a ser optimista.

Ha algo que ninguem pensou e eu ja repeti… os precos do gamepass sao demasiado baixos, tao baixos que nem mesmo com jogos de 3 anos antes e capaz de ser sustentavel. E as vendas passados 3 anos tambem contam. Um jogo com 3 anos novo custa-te 20 euros, o gamepass, paga a publisher 10 euros por cada user.

Depois ha o inverso da moeda – a adopcao em massa no mercado e o publico aguardar por o jogo aparecer – o que constitui o grosso do casual.

E isto so vai sufucar ainda mais o mercado tradicional.

O gamepass pura e simplesmente ataca a vendas de novos, levara a precos mais caros, e nao importa que o jogo nao saia no lancamento porque inevitavelmente…

Segundo, essa e a visao do Mario, mas uma visao que ja por si se revela optimista. O gamepass so tem o catalogo e as ofertas que tem porque paga de antemao a publishers para colocarem la os jogos. Porque nos outros casos… Stadia, PS Now a coisa nao funciona assim.

E depois… O netfliz construiu ao longo destes anos um grande backlog de series e filmes e mesmo assim… anda sempre no vermelho. Pior, e o servico com maior preco no mercado e ainda assim luta para equilibrar as contas.

Se isto e assim num servico que tambem recebe filmes que ja passaram no cinema e series meses depois de terem sido emitidas na TV… para um negocio onde a despesa e igual mas se da cabo das receitas iniciais… nao sei nao.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  bruno
1 mês atrás

Tem razão. Se acostumou mal os users. A maioria dos xbots espera por 2 anos sair no serviço e comemora (vide red dead redemption 2).
Mas tem um outro ponto: Se é tão maravilhoso assim, por que o interesse pelo Xbox se torna cada vez menor? As pesquisas estão mostrando isso e até em casa (EUA) já indica que o SX vai vender muito menos que o One no atual cenário! Só posso concluir, e isso é ótimo, que é a minoria dos gamers que são dependentes do serviço gamepass e a maioria, a que sustenta o mercado e gira dinheiro, está interessada em qualidade. Na torcida para que seja isso.

Andrio
Andrio
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Dai voce entra no twitter e da de cara com esse comentário

Irmão, ao invés de você discutir se o Game Pass dá lucro ou não, por que você não aproveita o serviço e vai jogar?
Tá trabalhando na área de finanças da MS?

É, tão pouco se lixando para o que pode acontecer e merecem o que a MS ta fazendo.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Andrio
1 mês atrás

O futuro é sombrio para essa gente. Não raciocinam! Estão fadados a jogar grátis games de celular. Simples assim.

Julio Esteves
Julio Esteves
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

A ideia do gamepass como investimento e manutenção de usuários ativos é interessante, mas a questão é como está a ser implementada. Vejo alguns efeitos colaterais bem negativos:
1- O assinante espera sempre jogos AAA no day one e fica desinteresado de adquirir o jogo;
2- Muitos jogadores ficam a espera de jogos das 3trd irem para o gamepass e não compram;
3- O jogador que ama a plataforma e sempre compra jogos é tratado com desatenção, pois sofre os efeitos da perda da qualidade dos jogos que gosta e vê os jogos venderem mais na concorrência, o que gera efeito negativo a longo prazo;
4- A qualidade dos jogos não tem como ser mantida e abre-se a possibilidade futura de alguma monetização in game;
5- Tendência dos jogos deixarem de ser exclusivos do console indo para a Sony(ver cuphead e talvez Ori…);
Tem muito mais …
Espero que a MS tenha um carta na manga, quem sabe um cloud/gamepass… mas acho quem nem isto cobrirá os custos deste tipo de negócio.

Deto
Deto
1 mês atrás

Gamepass é apenas a nova versão do “ir atrás dos casuais” e isso inclui o xbox SS.

falaram em mercado de “2bi” de usuários…

Somente um alienado pensa que a Tia Maricota que joga no celular de graça sem precisar estar conectada, vai pagar 20 reais por mês para jogar por streaming Halo Infinite gastando 200GB por mês de dados.

======================================================

Netflix vs Gamepass:

Daqui 20 anos, Dark ainda vai poder ser assistido.
Lost para quem nunca viu, ainda é uma boa.
Os Sopranos? continua ótima.

Agora daqui 20 anos alguém vai querer jogar jogos de SX na “retro” do gamepass?

Não.

Netflix pode recuperar o prejuízo do conteúdo original nem que seja em 30 anos.

Gamepass NÃO.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
1 mês atrás

Vejo algumas pessoas se defendendo dessa notícia dizendo que Netflix e Spotify são serviços que operam no vermelho por vários anos.

Ora, não sei se é preciso explicar que Gamepass é apenas mais um serviço para a Microsoft, que possui Windows/Office/Azure, dentre vários outros serviços muito mais importantes e relevantes para esta empresa.

Na prática quero dizer que muito me surpreenderia se a Microsoft estivesse de facto disposta a tolerar o Gamepass operando no vermelho por 5, 10 anos. O histórico das políticas desta empresa não diz isso.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

O histórico diz o contrário. Se copia e se não der certo, larga a médio prazo e tenta copiar outra ideia.

Rodrigo Barbosa
Rodrigo Barbosa
1 mês atrás

Até hoje não dá para entender porque a Microsoft permite essa assinatura de 1 euro durante 36 meses, e também os jogos internos logo no lançamento já aparecer disponível dentro do serviço. É algo que realmente parece tornar o serviço inviável. No meu caso, nos dois primeiros meses eu paguei apenas 2 reais, mas já faz um ano que eu pago R$ 39,99 pelo Gamepass Ultimate. Pelo que é oferecido, jogar os jogos no XBOX e no PC, e ganhar quatro jogos por mês com o live gold, é um valor baixo. Eu vejo a gamepass como uma ótima alternativa para combater a pirataria e os downloads ilegais que é uma infeliz realidade que assola vários países.

Eu acho que um outro objetivo da gamepass seja atrair aqueles que compram o console, e na empolgação inicial compram uns três jogos e depois abandonam, conheço um monte de gente que já fez isso com Xbox 360, One, PS3, PS4, elas não compram mais nenhum jogo e transformam o console num media center, ficam usando o aparelho apenas para assistir Netflix, Amazon Prime Vídeo, etc.

Sparrow81
Sparrow81
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Off – perguntei no twitter da Emberlab (desenvolvedora de Kena para ps5) onde o jogo estaria disponível. A resposta foi: PS4/PS5/Epic Games Store.

Minha teoria é: A Sony está investindo em Studios menores, com Shuhei Yoshida ficando responsável em dar suporte a eles e os games que saírem dessas parcerias, serão console exclusive, sendo colocados no PC através da Epic Store.
É uma mescla interessante para buscar receita no PC, não comprometendo os AAA exclusivos e não precisando fazer deles futuramente serem apenas console exclusive.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
1 mês atrás

E quem está falando a verdade? Aaron ou 343? Build nova ou antiga?

Que insanidade gente, desculpa.

https://twitter.com/The_CrapGamer/status/1289011955718656000?s=20

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Mas calma lá, se era antiga, era do início do ano pelo que foi falado… E agora a do começo do ano é de semanas de desenvolvimento? Não tô entendendo mais nada!

Livio
Livio
1 mês atrás

[OFF] Rumor do Halo Infinite ser free to play a estilo de Fortnite:
https://www.eurogamer.pt/articles/2020-07-31-halo-infinite-multiplayer-free-to-play-rumor

Mas agora vem a dúvida, a MS liberou o acesso a jogos free to play para a queles que não tem assinatura da Live?

Vamos ver quantos anos durará Fortnite e saberemos uma base de quanto durará Halo Infinite

Livio
Livio
Responder a  Livio
1 mês atrás

Xbox anunciou lançamento do Battletoads para o dia 20/08 equando vc vai nos comentários o que dizem: Day One no gamepass.

Deto
Deto
Responder a  Livio
1 mês atrás

se o sujeito não tem amigos, não tem mulher… não tem emprego e não sai de casa, obvio que vai jogar no gamepass e adora xbox.

é o perfil básico do integrante da Seita.

Eu não joguei ainda The Witcher 3 que eu tenho comprado, mas o doido ai vai jogar day one Grounded… Muito tempo livre, muito video game para esquecer as frustrações.

Caixista
Caixista
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Kkkkkkkkkkkkkk matéria ruim demais… O Aaron não disse nada disso, mas enfim… Continuem se iludindo, até parece que uma empresa podre de rica como a Microsoft ia continuar com um negócio que não dá lucro… Vão se foder hahahahaha

Equipa PCManias
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

😁😁😉😉

nETTo
nETTo
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

🤣🤣🤣🤣🤣

Parabéns pelo bom humor e paciência.

Deixa aí o comentário dele, servirá de exemplo mostrando em que ponto se encontra o fanboy caixista.

nETTo
nETTo
Responder a  Caixista
1 mês atrás

Esse é do Windowsclub

Kkkkk

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Caixista
1 mês atrás

Exatamente, se não der lucro, a Microsoft descontinua. Lembre-se do Windows Phone.

Gamepass conseguiu 10 milhões de assinantes em 3 anos, mesmo oferecendo um preço simbólico de adesão. E ainda estamos incluindo os donos de PC.

Pode ter certeza que as metas do Gamepass são muito mais ambiciosas do que os números atuais, e se não conseguirem rapidamente com o SeriesX, o formato atual pode não se sustentar por muito tempo.

error: Conteúdo protegido