Jogos usados sim ou não? Vantagem ou Desvantagem? Eis as várias perspectivas.

Segundo os rumores a nova Xbox não terá mercado de usados. Será que tal é bom ou mau? Será que os jogos usados são efectivamente vantajosos ou prejudiciais? Eis perspectivas sobre as duas vertentes.

used-video-games[1]

Parece uma lógica geral que caso a Microsoft venha a bloquear a venda de usados ao usar um DRM baseado na internet que prende os jogos à consola onde são instalados,a Sony sairá vencedora antecipada da próxima guerra de consolas.

No entanto, apesar desta perspectiva lógica há quem discorde e veja a coisa com outros olhos.

Eis uma perspectiva diferente colocada por alguém que acha mesmo que o bloqueio de jogos usados é uma jogada de Mestre e que ditará definitivamente a ruína da Sony. E por ser uma perspectiva radicalmente diferente esta chamou a atenção à Forbes que a resolveu expor, e que não queremos deixar igualmente de divulgar para um possível debate de ideias. De forma resumida eis a sua ideia geral:

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Caso a Microsoft venha a impedir a venda de jogos usados, tal implicaria a passagem de todas as pessoas que compram jogos usados para a Sony. E essa situação seria a morte da Sony por três motivos.

1 – As consolas são vendidas abaixo do preço de custo, sendo rentabilizadas posteriormente com as royalties pagas pela venda dos jogos. Desta forma a passagem destas pessoas para a Sony implicaria a venda de muitas mais consolas que nunca seriam rentabilizadas, levando a Sony à bancarrota.

2 – A Microsoft não perderia verdadeiramente nada. Para todos os efeitos a Microsoft apenas passaria a vender consolas que se rentabilizariam com o tempo, daí que mesmo que o volume de vendas fosse menor, seria sempre tudo lucro não existindo aquelas situações onde a empresa perde dinheiro com a consola sem nunca a rentabilizar.

3 – Ao se desfazer de todo o mercado de pessoas que compram usados as vendas seriam certamente mais altas na Xbox, e como tal, à semelhança do que acontece com os PCs os produtores penalizariam a Sony lançado os seus produtos mais cedo para a Xbox.

Esta é certamente uma perspectiva interessante, e certamente nova que justifica debater. Mas é, no entanto, a nosso ver, completamente deturpada da realidade.

Efectivamente, parece-nos que cada um dos três pontos acima indicados pecam na sua argumentação por vários aspectos.

  1. A argumentação parece esquecer que um jogo usado só poderá ser vendido se já tiver sido novo primeiro. Ou seja, para se alimentar um mercado de usados grande é necessário que as vendas de jogos novos sejam ainda maiores.
  2. Para uma consola possuir suporte dos criadores de software é necessário que o mercado POTENCIAL seja grande (e isso porque o efectivo é sempre uma incógnita). Se a Xbox possuísse 5 milhões de consolas e a Sony 10, o mercado potencial de vendas na PS4 seria sempre superior. Mesmo que a totalidade do mercado Sony fosse cliente de usados não se pode pressupor que quem compra no mercado de segunda mão SÓ compra desse tipo de jogos.
  3. Os jogos usados existem porque alguém os vende. E normalmente a venda possui um motivo: Adquirir dinheiro para a compra de jogos novos. Este é aliás um dos motivos porque se discorda dos produtores quando se queixam do mercado de usados, pois essa queixa é uma falsa questão uma vez que quem se desfaz dos usados normalmente pretende arrecadar dinheiro para a compra de jogos novos, canalizando o lucro da venda para os produtores. E sem a venda dos usados, muito certamente esse venda de jogos novos seria inferior. 
  4. Parte-se do principio que quem compra frequentemente jogos usados compra consolas novas. E normalmente os grandes adeptos dos jogos usados compram igualmente consolas usadas. Afinal de que vale comprar uma consola nova ou acabada de lançar se nessa altura não há jogos usados?
  5. Contabilizar jogos usados como prejuízo na venda dos originais não é algo líquido, uma vez que nunca se poderia tomar a compra do original como efectiva no caso da ausência do usado.
  6. As vendas de um jogo nunca se equivalem ao número de consolas vendidas. Afinal nem todos os utilizadores gostam do mesmo, pelo que os jogos apenas apelam apenas a partes do mercado. Assim parece mais uma vez óbvio que com uma base de consolas menor no mercado as probabilidades de sucesso de um título são igualmente menores.
  7. Efectivamente o mercado PC é muito penalizado. Mas possui igualmente os melhores jogos e mais baratos para combater essa situação. Se isso acontecesse na PS4, e não existindo pirataria, jogos mais baratos atrairiam mais pessoas não só para aderir à consola como para comprar originais, voltando a alargar a margem da Sony. A recuperação do PC só não é uma realidade face ao custo mais reduzido dos jogos devido à elevada pirataria.
  8. A Sony pode perfeitamente igualmente acabar com o mercado de usados sem efectivamente o terminar fisicamente como a Microsoft pretende fazer. Bastaria vender as versões digitais e presas às consolas a preços mais acessíveis. Dessa forma quem compra os originais optaria por essa versão, deixando de existir posteriormente usados.
  9. Sem usados as lojas de videojogos espalhadas por todo o mundo não teriam grande interesse em promover a consola, dando preferência à promoção daquelas que lhes aportariam mais lucros. Dessa forma a publicidade gratuita oferecida por estas lojas à nova Xbox ficaria para segundo plano, forçando a Microsoft a investir em publicidade e quebrando assim as suas margens. E com a publicidade ao preço que está, questiona-se se os usados não seriam mesmo preferíveis.

Parece-nos assim claro que não há muita volta a dar à situação, e que um eventual bloqueio de jogos à nova Xbox será sem dúvida um tiro no pé. Mas aguardemos para ver uma vez que essa situação a efectivamente existir será uma novidade.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

No entanto, se querem uma opinião sincera acreditamos que tal não acontecerá. A Microsoft terá um meio de reconhecer se um jogo é usado ou não, mas dadas as consequências não acreditamos que efectivamente enveredem por esse caminho.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

E vocês o que acham? Serão os jogos usados algo a manter? Será que o término dos mesmos é vantajoso ou prejudicial? Exponham as vossas opiniões!

Publicidade

Posts Relacionados