Microsoft irá ter uma distribuição de linux

Não, não é piada e nem é 1 de Abril. A Microsoft que tem o Linux como concorrente e que sempre lutou contra ele, prepara-se para lançar uma distribuição do Linux. Mas na realidade este antigo ódio era só pura fachada pois a Microsoft sempre adorou o linux.

Olhando para o passado não me posso deixar de recordar quando já à uns valentes à uns anos se veio a saber que, sem dizer nada a ninguém, para parar ataques DDoS aos seus servidores com Windows, a Microsoft tinh colocado à frente dos servidores, PCs equipados com Linux.

Esta situação na altura foi caricata, até porque nessa altura a Microsoft, declaradamente, via no Linux uma ameaça, e aliás até lutava contra ele. Mas a realidade é que o Linux nunca morreu e ainda hoje a Microsoft olha para ele como sendo a melhor forma de Cyber Defesa. Aliás toda a sua rede Azure está montada sob linux.

E a ideia de que o Linux é realmente a melhor aposta no que toca à segurança, está na nova proposta da Microsoft, o Azure Sphere, dedicada ao Internet of Things, e a todos os novos dispositivos desta nova realidade.

Diga-se aliás que, desde que Satya Nadella assumiu o controlo da Microsoft, a postura da Microsoft face ao Linux mudou radicalmente. Aliás o Windows 10 vem já preparado de raiz para a instalação de um sub sistema Linux, e os sistemas Cloud da Microsoft quase todos o usam.



A Microsoft, é uma empresa detentora de produtos com largas quotas de mercado, e como tal extremamente sujeitos a ataques, daí que tenha a consciência plena das necessidade de segurança, e a ideia por detrás deste novo produto passa pelo uso de inteligência artificial que permita a obtenção de um cyber cenário seguro.

Nesse sentido desenvolveu uma nova ferramenta de segurança, o Azure Sphere, composta por três componentes base:



O primeiro componente é um microprocessador, que se anuncia mais poderoso que os existentes, e que será disponibilizado de forma gratuita a quem aderir ao Azure Sphere.

O segundo componente é o Azure Sphere OS, um novo sistema operativo que curiosamente não é Windows, mas sim baseado no Linux e que estará dentro do processador.

Naturalmente perante uma situação destas as questões sobre o Windows apareceram, ao que a Microsoft respondeu que continua a ser uma empresa Windows, mas que dado que o seu sistema era grande demais para o espaço existente e o pretendido, o Linux foi a escolha.

Finalmente o terceiro componente é um serviço Cloud que manterá os dispositivos protegidos e actualizados por pelo menos 10 anos.

Naturalmente, independentemente das explicações dadas, não deixa de ser o factor que mais ressalta nesta notícia o facto de a escolha da Microsoft ter, declaradamente, passado pelo Linux, o que mostra que a Microsoft está a mudar as suas ideologias.

Mas isso não devia ser novidade! Satya Nadella disse pouco depois da sua tomada de posse: “Microsoft loves Linux“. E isso está-se a ver aos poucos!

Faz já alguns anos que a Apple se rendeu às evidências e criou os seus OS baseados no Unix, sem o esconder! A Microsoft anda à muitos anos na fase de negação, mas aos poucos parece ir-se rendendo às evidências e a reconhecer as qualidades deste OS.

Fonte 1, Fonte 2, entre outras,



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
Ennio Rafael
Visitante
Ennio Rafael

As ironias da vida, mas como o senhor salientou bem, já tem um tempo que eles usam de alguma forma o linux, agora estão só admitindo kkk.

Off topic: Mário estou pretendendo aprender o linux e a programar, você trabalha com programção? To precisando de dicas, meu inglês não é dos melhores.

Instalei o Ubuntu 14 em uma máquina bem velha, lá com seus 14 anos, e estou pretendendo aprender Python, mas não sei qual IDE instalar, alguma dica?

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Maravilha ouvir isso, pessoas interessadas em programação que é cada dia mais importante e é um mercado que está em plena expansão e terá muito futuro.

Eu infelizmente não posso te dar nenhuma dica (bem que queria) eu acompanho um canal no YouTube (pois é) pra entender melhor esse ofício, como funciona o básico antes de partir diretamente, além de estar estudando inglês.

Minha meta é humilde, caso eu siga mesmo esse caminho: criar meu próprio sistema operacional.
Não pra competir com o Windows (kkkk) mas pra ver um projeto de porte tão impressionante saido de minhas mãos… e, uma pequena insatisfação com os atuais produtos do mercado… Gostaria de algo customizado.
Nem sei se é possível, mas é algo voltado a multimídia (uso pessoal) até já criei partes do ambiente gráfico (conceitos) no Corel, e até gostaria de perguntar ao Mário e outros users, se isso seria possível e se levaria um tempo exagerado sendo feito 100% por mim.

Objetivo inicial, ser um ambiente onde posso adcionar programas de multimídia e produtividade e outros com um ambiente gráfico, agradável, simples e prático. Se eles conseguem, acredito que eu também posso. Comecei a um tempinho mas estou no básico do básico…
É mistura de estudos com hobbie que sempre sonhei.
Será que exige outra forma, é preciso outra ferramenta?
Se alguém puder me responder, agradeço imenso.

Livio
Visitante
Livio

Sim, é possivel sim ter um SO voltado para multimídia, se você quiser ter uma base é só baixar o Ubuntu Studio, uma versão customizada que prioriza por softwares multimídia, por exemplo o Audacity(áudio), Inkscape(vetores como corel draw) softwares para edição de vídeo e tb de transmissão de streaming(Icecast)

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Vou experimentar agora com sua dica deu ânimo, mas eu já havia ouvido falar.
Porém a pergunta é se seria possível criar um OS do zero, com meu design, minhas regras. E quais as ferramentas pra tal tarefa.
E obrigado.

Livio
Visitante
Livio

Desculpe me intrometer. Para começar a usar Linux o Ubuntu é uma boa escolha, comecei a usar em 2009 com o saudoso Ubuntu 9.1 e uso Linux até hoje, atualmente uso o openSuse.

Vi Python semestre passado na graduação e o IDE utilizado foi o Pycharm.

Livio
Visitante
Livio

ERRATA: comecei no Ubuntu 9.04, na minha opinião a melhor versão já lançada.

Ennio Rafael
Visitante
Ennio Rafael

Obrigado, ajudas são bem vindas. Na verdade eu fiz um curso de Java uns 20 anos, peguei uma noção, sei o básico de lógica, sei orientação a objetos, mas de lá para cá inventei de ser policial e larguei a informática, mas estou querendo retornar, estou pensando em escolher Python por ser free.

Livio
Visitante
Livio

Por nada! Já que você teve contato com Java por qual motivo você não continua nele? A Oracle adquiriu a Sun mas mesmo assim Java é gratuito, de IDEs pode ir de Eclipse ou Netbeans.

Gostei do pouco que vi em Python e lá tenho 2 observações:
1- A não obrigatoriedade do ponto e vírgula no final da instrução;
2- devido a falta do ponto e vírgula a indentação do código deve ser obedecida.

O 1° ponto é meio chato quando você parte para uma linguagem que obrigue o ponto e vírgula, pois você sempre esquece e o código não roda.

Enfim Python e Java são programações com diferenças que você deve ficar atento, Java é fortemente tipado(variáveis devem ter um tipo), já lembro que Python não é, a sintaxe de estruturas básicas como um “if, for ou while” são diferente entre as duas.

Também já tive contato com Ruby e gostei e pelo que lembro ele tem mais similaridade(características citadas acima) com Python do que o Java.