NGP ( PSP 2 ) – o que vale verdadeiramente o seu hardware?

 

Agora que conhecemos o verdadeiro Hardware da nova PSP 2, podemos analisar o mesmo a ver o que poderemos esperar a nível de potência desta nova joiazinha da Sony.
Para isso vamos analisar, de forma separada os dois componentes principais da consola, o CPU e o GPU, ficando de lado a análise a uma performance conjunta que não poderá ser feita sem os efectivos benchmarks ao hardware.
Vamos então ver o que esperar desdes dois componentes:

CPU

ARM Cortex A9 “quad-core”

Publicidade

Retomando o nosso artigo

 

Comecemos por referir que as especificações do A9 são públicas e encontram-se extensamente publicadas no site do fabricante, e foi exactamente a partir destes dados que se decidiu fazer este artigo.

Dessa forma conseguimos saber que o CPU pode ser configurado para usar um, dois ou os quatro CPU’s de forma a poupar no consumo energético. Assim, se um jogo precisar apenas de dois CPU’s, os outros dois não se limitam a ficar inactivos, mas são efectivamente desligados, poupando assim a tão preciosa bateria, tão essencial numa consola portátil.

Apesar de tudo, “quad-cores” deste chip são ainda novidade e não há muita informação sobre eles, mas a versão “dual-core” é actualmente comercializada em duas vertentes: Optimizadas para Baixo Consumo ou Performance, acreditando-se que tal será igual na versão de 4 núcleos.

As versões optimizadas para baixo consumo funcionam a 800 MHz e conseguem 4,000 DMIPS (Dhrystone MIPS) de potência computacional com apenas 0.5Watts de consumo.

Já a versão optimizada para performance sobem as velocidades até 2 GHz e o poder de computação sobre até aos 10.000 DMIPS com um consumo menos ideal de 1.9Watts.

Mantendo estes dados e aplicando-os de forma linear a um “quad-core”, isso quer dizer que esse chip poderá atingir uma performance entre os 8,000 DMIPS e os 20,000 DMIPS conforme a versão escolhida pela Sony (que acreditamos no máximo ser algo intermédio). Note-se que isto são valores algo teóricos porque um “quad-core” não é equivalente a dois “dual-core”, mas na falta de melhor ferramenta…

Mas usando esses valores como base, independentemente da escolha, e caso este número não vos consiga dizer nada em termos de performance, fiquem com a referência comparativa que o A8 Cortex a 1 Ghz que equipa o iPAD possui aproximadamente 2,000 DMIPS de poder computacional. Quer isso dizer que, aceitando os números linearmente obtidos, na pior das hipoteses, devemos estar aqui com uma consola que a nível do processador central possui, cerca de 4x a capacidade de processamento do iPAD.

A realidade é que, este CPU quando a funcionar a 2GHz, teoricamente, consegue atingir a potência computacional em milhões de operações por segundo da PS3 e da Xbox 360.

E mesmo que na prática o valor não sejam os efectivos 20,000 DMIPS, o valor andará sempre lá perto, o que é um feito impressionante.

No entanto, dado a Sony ter anunciado uma duração da bateria de 6 horas, à semelhança da antiga PSP, não se acredita que o processador atinja essas velocidades, pelo que o mais coerente será algo à volta dos 8000 DMIPS, e que lhe daria cerca de 40% da capacidade da PS3 / Xbox 360. Tal explicaria Uncharted que segundo os programadores apenas utilizava cerca de 35% do poder total da PS3.

GPU

Publicidade

Retomando o nosso artigo

PowerVR SGX543MP+

 

A PowerVR SGX543MP4+  é uma placa gráfica que se baseia na tecnologia Tile Rendering que lhe permite que apenas trabalhe aquilo que efectivamente é visível no ecrã. Esta situação permite não só poupar no trabalho efectivamente efectuado pela placa, como se revela a ideal para baixos consumos energéticos pelo mesmo motivo.

A SGX543 é uma melhoria sobre a SGX535 que equipa actualmente o iPhone 4 e o iPad, possuido melhores performances e características adicionais. É igualmente a placa que segundo os rumores equipará as proximas revisões destes dois produtos da Apple.

A versão MP é a versão multi processador deste chip, sendo que o numero que se segue a essa sigla representa o numero de “cores” que podem ser 2, 4, 8 ou 16.

Neste caso a Sony usou a variante de 4 núcleos, SGX543MP4+, sendo que, actualmente, se desconhece o que o “+” significa.

Segundo números da própria Imagination Technologies, os fabricantes do chip, a 200 Mhz o SGX543MP4 consegue obter 133 Milhões de poligonos por segundo e um fill rate de mais de 4 GigaPixels/segundo. Desconhece-se se a versão “+” não melhora estes valores, ao acrescentar caracteristicas ou alterar a velocidade de relógio.

Mas mesmo com apenas 200 MHz, só no fill rate estamos já com um valor aproximado dos da PS3 /Xbox 360, ficando porém o numero de polígonos por segundo bastante atrás dos da PS3 e Xbox 360 (133 Milhoes contra 450/500 Milhões). Recorde-se que o fill rate de nada vale se não for acompanhado pelos polígonos, pois cenas complexas requerem polígonos em quantidade, pelo que ficamos sempre presos ao menor valor dos dois. O Fill Rate garante altas resoluções e framerate, mas os universos terão de ser constituídos por muito menos polígonos. No entanto, ao termos um ecrã de apenas 5″ e não um televisor de sala, a redução da complexidade do detalhe das cenas pode não ser assim tão perceptível.

Acreditamos, e isto é uma mera crença, que o “+” representa um pequeno “boost” na placa para conseguir chegar mais perto de 40% da performance da RSX da PS3, mantendo assim uma coerência com o CPU.

Não deixam porém de ser números impressionantes para um consola portátil, e que efectivamente a atiram para uma boa proximidade com a PS3 e a Xbox 360. A Sony poderá ter um vencedor entre mãos.

CONCLUSÕES

40% da capacidade de processamento de uma PS3/Xbox 360 numa consola portátil com um ecrã de apenas 5″ é garantia de sucesso, sendo que ao não se conhecerem as velocidades de relógio dos componentes até poderemos estar a falar de uma maior potência. Independentemente de tal, mesmo com os valores mínimos, todos os jogos poderão ser adaptados perfeitamente para correrem na consola mostrando-se praticamente iguais. Claro que haverá reduções no pormenor, na física, na complexidade do detalhe poligonal, etc, mas tal será quase imperceptível.

Recomendo que vejam este vídeo, que demonstra como Call of Duty: Black Ops foi excelentemente convertido para a Wii, mostrando-se em tudo semelhante às versões PS3/Xbox 360, com a natural excepção do departamento gráfico.

Ora aqui temos uma consola que nem sequer é comparável à Wii, sendo notoriamente superior quer a nível de processamento, quer gráfico, pelo que como poderão imaginar, o futuro promete.

Não duvidem que verão os grandes exclusivos PS3 nesta consola, onde apesar de diminuídos, tal será quase imperceptível.

A grande questão que fica agora é: Com uma portátil assim, não estará na altura de aparecer uma PS4?

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Fontes: Foruns de discussão diversos. Dados verificados junto dos sites dos fabricantes.

Publicidade

Posts Relacionados