Novidades da AMD dão a entender pano para mangas para uma nova geração de consolas.

AMD_Roadmap

A Xbox One Scorpio está anunciada para finais de 2016. 6 Tflops e 320 GB/s de largura de banda são os valores com que a Microsoft tem vindo a entusiasmar os Gamers. Mas perante as novidades da AMD previstas para finais de 2017, a confirmarem-se os rumores de uma PS5 em 2018, a Sony poderá anunciar algo já em 2017 que arrasará completamente com as especificações da Scorpio.

A evolução do hardware AMD não pára. A sua RX 480 baseada na arquitectura Polaris pasmou o mundo pela relação qualidade/preço, sendo que a Sony já a usou na sua nova consola, a PS4 Pro.

Já para 2017 a Microsoft tem anunciada uma consola nova, a Scorpio, com uns anunciados 6 Tflops e 320 GB/s de largura de banda. Mas será que nessa data esses valores ainda pasmam tanto como agora?

Na realidade 6 Tflops e 320 GB/s são valores que podem ser obtidos com o hardware atualmente no mercado. A RX 480 pode neste momento, com os valores de relógio standard, atingir os 5.8 Tflops, e 320 GB/s já eram valores conseguidos na memória da RX 290 da AMD.

Daí que surge a questão? Será que a Scorpio virá equipada de um GPU Vega, ou optará por um Polaris devidamente alterado? Os rumores apontam para esta segunda opção.

Naturalmente é muito cedo para se saber ao certo qual foi a opção da Microsoft, mas podemos adiantar desde já que caso haja algum fundamento nos rumores indicados, a Microsoft terá cometido um grande erro ao ficar limitada aos 6 Tflops, sem margens para melhoria. Mas no entanto, vamos, para efeitos deste artigo, aceitar que a solução da Microsoft terá passado por outra escolha dada a diversidade de oferta que a AMD tem para 2017. Vamos ver!

VEGA 10

Previstos para o primeiro quarto de 2017, estes serão os GPUs que, não se confirmando os rumores, acreditamos equiparão a nova Scorpio. Serão fabricados no processo de 14 nm, equipados com 64 compute Units, o que implica 4096 shader engines, e serão capazes de 24 Tflops de performance em meia precisão (16-bits), ou 12 Tflops em precisão simples (32 bits e a métrica normalmente usada). A memória prevista para acompanhar este GPU nos PCs é 16 GB HBM2, com uma largura de banda de 512 GB/s, e com um consumo energético de 225 W.

Como vemos, com apenas 225 Watts este gpu permite o acesso a 12 Tflops. E com um consumo de apenas 112.5 Watts, a Microsoft poderia usar este GPU a metade da velocidade de relógio, obtendo os seus 6 Tflops. Mas mais ainda, ficaria com uma margem para brincar a nível de velocidades de relógio, melhorando as performances até ao lançamento, o seu GPU.

Mas a questão é que a AMD não se vai ficar por aqui.

Mais para o final de 2017 a AMD vai apresentar um novo Vega.

DUAL VEGA 10

Lançado no segundo quarto de 2017, este é um GPU com duplo VEGA 10. Apesar de as especificações do GPU serem duplas, o consumo só aumenta 75W, subindo para os 300 Watts.

Basicamente temos aqui uma oferta que não será utilizada pela Microsoft e que deverá oferecer 48 Tflops a 16 bits e 24 Tflops a 32 Bits, ficando disponível ainda em 2017 e que com uma redução da velocidade de relógio para metade, mais adequada às consolas, oferece um consumo de apenas 150 watts, mais adequada às consolas, com uma potência de 12 Gflops. É o dobro da oferecida pela Scorpio, e mantendo as mesmas margens de manobra a nível de velocidades de relógio para igualar qualquer alteração feita pela Microsoft.


Resumidamente, esta novidade pode dar, ainda em 2017, à Sony, a capacidade de resposta à Scorpio, basicamente duplicando as performances da consola da Microsoft.

No entanto dado que os rumores para a Playstation 5 apontam para um lançamento em finais de 2018, esta não é a única opção que a Sony terá.

VEGA 20

A Vega 20 está prevista para 2018, ainda a tempo de ser usada numa PS5, e apareceu um pouco de surpresa. As suas especificações não são ainda verdadeiramente conhecidas, mas sabe-se que com ela a AMD inovará de forma inédita ao ponto de justificar, caso necessário, um atraso na PS5.

Para começar o processo de fabrico irá ser em… 7nm… A placa terá nos PCs 32 GB de memória HBM2 com 1 TB/s de largura de banda. O mais impressionante é que tudo isto trará apenas um consumo de 150 Watts. Terá 64 Compute Units e suporte PCI-E 4.0

Esta placa deverá basicamente ser capaz de fazer o mesmo, ou até mais do que a Dual Vega 10 mas, graças à redução para 7 nm, com apenas 150 Watts. Estamos a falar de algo estimado em 24 Tflops a 32 bits por uns parcos 150 Watts, podendo assim oferecer a sua performance máxima numa consola… Impressionante!

E aqui, com este VEGA 20, tudo aparenta no sentido de termos pano para mangas para um GPU fantástico e que se conheçe já em 2016, e que poderá desde já ser estudado para uso em uma consola.

Conclusões

Basicamente o que nos quer parecer é que o timming do lançamento da Scorpio acabou por ser um pouco mau para a Microsoft perante as ofertas já conhecidas e futuras da AMD. Caso a Sony venha a anunciar perto do lançamento da Scorpio e já para 2018, uma consola PS5, seja com 12 ou até 24 Tflops, a Scorpio poderá ficar condicionada da mesma forma que a PS4 Pro está agora condicionada para muitos perante a expectativa da Scorpio.

12 Tflops ou mais (24 seria um sonho) já representam uma verdadeira nova geração, totalmente sem compromissos! Algo que não é conseguido com a PRO (que não é uma consola de nova geração, mas apenas uma versão melhorada da PS4), incapaz de 4K reais, e mesmo com a Scorpio, que com 6 Tflops se revela incapaz de 4K 60 fps nativos.

Quanto às NAVI… só para 2019!

Seja como for, para 2018 ou 2019, a próxima consola que a Sony lançar deverá ser verdadeiramente impressionante.

Fonte: Videocardz

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (52)

  1. Luciano S. Carvalho 22 de Setembro de 2016 @ 9:58

    Depois vem a Microsoft e lança um novo Xbox ainda mais impressionante e assim por diante.
    Com isso dá-lhe console novo todo ano. Lamentável!

  2. Luciano S. Carvalho 22 de Setembro de 2016 @ 10:05

    Mário, sobre se o Xbox Scorpio é ou não capaz de rodar 4K/60fps, olha o que Albert Penello diz sobre isso nesta matéria:
    http://www.icxm.net/x/ticgn-interview-albert-panello-xbox-scorpio-confirms-xbox-4k-60-fps.html

  3. Impressionante, essas GPUs em pouco tempo (até 2020) terão uma capacidade absurda. A Microsoft cometeu erros com o One, e agora com todo conhecimento que tem sobre todo esse assunto, será que não estariam espertos quanto a essas possibilidades… Ou na nova onda do momento, em 2019 lançariam um “Scorpio Pro” kkk que horror. Mas sério, a Sony tem ótimas opções pro futuro e seu possivel PS5. Com tais capacidades citadas na matéria em pouco tempo o 4k passaria a ser executado com tranquilidade.

  4. Eu acho que timing errado seria anunciar um PS5 em 2017 para lancamento em 2018. Embora especificações possam ser melhoradas e os entusiastas se animarem, é capaz que tais atitudes, ao se tornarem padrão, acabem por confundir o consumidor, principalmente se for adotado um PS5 como nova geração pouco depois do Pro. O ponto que estão esquecendo é que um jogo com bugs demora 3 anos para ser feito, um bom jogo tem demorado de 3 a 4. Com um intervalo curto entre hardwares, os desenvolvedores vão partir para uma politica de PC e lançar apenas jogos Cross Gen com efeitos escalados de medio para alto. Se uma nova geração não tiver retrocomoatibilidade, a coisa fica pior, por que desenvolvedores vão apenas boicotar algum console com pouco tempo de vida.
    Então eu penso que nova geração deve vir após 2020 e talvez a Microsoft não esteja disposta a melhorar muito o Scorpio para dar competição ao Pro.
    Uma estratégia de mercado, deixa a Sony ter sua quota de mercado e relativo sucesso, que ela freia a ideia de um PS5 tão cedo, e assim da tempo da Microsoft ter um Xbox Two na mesma época do PS5.
    Caso o Scorpio massacre o Pro, a Sony adianta o PS5, fazendo com que a MS adiante o Xbox 2 e os consumidores que se danem…

    • Já sabes a minha ideia sobre isso. A Sony com a PS4 Pro deu razões para que hajam consolas a cada 2 anos. Daí que não é os consumidores que se danem. É os consumidores já se danaram!

      O rumor é da PS5 em 2018 e eu acredito nele. E mesmo que não houvesse rumor, eu apontaria na mesma para aí.

      A Sony precisa da Playstation. É a sua fonte de rendimento. A única que realmente compensa e que segura a empresa. Ficar atrás da Xbox por 3 anos só lançando em 2020… Nem sonhar!

      Lançar em 2019, dois anos depois? Pode ser, se virem que há aí uma hipotese de ter um hardware mais difícil de ser superado pela concorrência. Mas pessoalmente, acredito que a Sony esteja já em cima de um GPU proprietário baseado neste Vega 20 e que lance em 2018.

      E uma consola com 24 Tflops… eu compro sem pensar duas vezes!

      De resto anunciar em 2017 é tão mau como foi para a Microsoft anunciar em 2016. Mas a questão é quando estás atrás, algo que a Sony vai ficar, isso condiciona as vendas do oponente, e daí que não acredito que a Sony deixe de o fazer.

      Mas isto é a minha maneira de ver as coisas.

      • Se em 2017 o console financeiramente viável tem 6 Tflops, metade da potencia da GPU de PC, em 2018 ou 2019 o PS5 nunca terá 24 Tflops, e o ponto mais importante não será aumentar tanto a potência, e sim a quantidade de memória RAM, largura de banda e uma tecnologia de armazenamento que deve ser de uma única vez mais rápida e de maior espaço para lidar com ativos muito melhores em jogos que talvez ocupem mais de uma centena de Gigabytes no disco.
        A verdadeira próxima geração deve ter resolução 4K como padrão e apenas o aumento de potência vai criar um desequilíbrio.
        Então a próxima geração deveria ter algo como 32GB de memória RAM e muitos terabytes de espaço em um disco com desempenho semelhante à um SSD. Eu acho que isso não vai estar disponível em 2018. Não pelo preço que se espera de um console.

        • Fernando… 24 Tflops!
          Estamos a falar de uma consola 12x mais potente que a PS4 e 4x mais potente que a Scorpio.
          Penso que com essas especificações o não atingir os 399 euros não será problema… As especificações irão vender por si pois é um salto geracional como nunca houve!
          E com um GPU capaz de lidar com larguras de banda de 1 TB/s, algo que a Sony nem precisa de implementar ficando-se pelos 512, o sucesso de vendas está garantido!
          A hipótese dos 12 Tflops para garantir um preço mais baixo é tambem real. Mas aí a Sony já sabe à partido que no ano seguinte a Microsoft pode aparecer com 24!
          A grande vantagem para a Sony é que estes GPUs são já conhecidos nesta fase, 2 anos antes da data em rumor para lançamento da PS5. A Microsoft quando pensou na Scorpio nada disto era uma realidade, e quando muito a consola usará um Vega 10.
          Mas pelo que vejo, ao ver a Microsoft a colocar oficialmente na sua página especificações da consola, ela deverá mesmo ser uma Polaris.
          E se o CPU for um Jaguar… então a Microsoft está preparada para uma nova consola em 2019. E aí a Sony tem mesmo de lançar em 2018!

          Apesar de tudo, e isto apenas vendo na perspectiva de empresa, pois como sabes abomino a ideia do conceito que é a PS4 Pro, a coisa parece estar a resultar para a Sony.
          O facto de a Microsoft estar sempre a dar entrevistas a falar da Scorpio e das suas especificações mostra que a empresa está um pouco em panico, e com receio que as vendas da One caiam abruptamente, daí que tenta impedir vendas da Pro relembrando constantemente que daqui a um ano há uma Scorpio e dando a conhecer valores.

          Apesar de achar que um ano é muito tempo e que paleio só não chega, se a coisa resultar a Sony certamente vai pagar com a mesma moeda.

          • Pode ser, 24 teraflops seria um salto absurdo, certamente, mas eu penso que o marketing vai ser confuso pro cliente. To apostando em 2019 e 2020 para ouvirmos falar de nova geração, mas eu duvido muito que vão quebrar a barreira dos 500,00.
            Eu penso que se a Sony começa a falar de PS5 no ano que vem, ele vai ser só uma melhoria em cima do Scorpio, e não a verdadeira nova geração que queremos.

            Mas como eu disse antes, espero da nova geração padrão gráfico como os filmes CGI de hoje, e realmente o salto teria que ser enorme.

          • Porquê absurdo?

            Repara

            PS1 – devia andar às volta dos megaflops se isso.. (não sei realmente quantos eram)

            PS2 – 6.2 Gflops

            PS3- 230 Gflops cell + 248 Gflops RSX (não sei se somam, se não)

            PS4 – 1.840 Glfops.

            PS2 – PS3: só no Cell tinhas um aumento de 30x a potencia! Da PS1 para a PS2 pode ter sido muito maior!

            Não seria historicamente absurdo, mas seria algo que conseguiria aguentar com um aumento na resolução e nos fps e com um upgrade gráfico em cima!

            1.84 – 24 terás um aumento de 13x, não é absurdo é o indicado e este artigo comprova o que sempre disse – que uma nova geração só se justifica lá para 2020/2021, o que dará a esta geração 7/8 anos.

            Seria o ideal.

          • Bruno, eu gostava de pensar como tu. Sinceramente que gostava.
            Mas a Sony não vai correr o risco de lançar consolas ao mesmo tempo que a Microsoft e ficar atrás. E não vai correr esse risco… Porque não o pode correr.
            A estrutura da Sony está toda dependente do sucesso da Playstation. A Sony PRECISA FORÇOSAMENTE do sucesso da Playstation. Se nós próximos anos a Playstation falha, a Sony vai ao charco. Isso é certo.
            Por esse motivo é que a Sony lançou primeiro a Pro. A PS4 vendia bem e uma consola como a Pro poderia cimentar a liderança. A ideia da Sony com este avanço é perceber-se de ameaças como a que sabemos agora existir com a Scorpio.
            Se quando essas ameaças forem lançadas o mercado for Sony, a marca fica melhor preparada para uma eventual quebra de receitas, pois ao ter o máximo mercado possível na altura do lançamento da consola concorrente garante receitas até uma resposta.
            A questão é que a Sony sabe que em 2017 algo vai acontecer que pode virar a mesa, mesmo que apenas parcialmente. E sinceramente, não estou a ver a empresa em condições financeiras para ficar parada a ver o que acontece. Até porque aguardar dá à concorrência tempo para responder.
            Quer-me parecer que a Sony não está em outra posição senão a de responder de forma rápida à Microsoft. E estas novidades parecem criar um timming fantástico para isso.
            Em 2018 haverá um GPU que, adaptado a um APU ou não, arrasaria com a oferta da concorrência, e esta muito certamente não conseguiria responder de forma igualmente esmagadora tão cedo.
            O que me leva a dizer isto é o tdp de 150 watts da Vega 20! Acredito que a Vega 20 seja basicamente a Vega 10 Dual, mas a 7 nm, ou seja um GPU potente de baixo consumo.
            A passar-se estes 24 Tflops só com as Navi. Mas a Navi normal não será tão rápida como este dual e precisarás de uma Navi Dual a 7 nm para conseguires outra vez um crescimento igual. E isso só para 2020.
            Ou seja, a Sony, dependendo da rapidez nos avanços nos Navi, poderia ganhar aqui 2 anos de vantagem em vez de um.
            Claro que aqui nos comentários estamos a teorizar, mas convém não esquecer que a situação da Sony é uma realidade.

          • Talvez, mas sabes o que ainda ninguém sabe? Como o mercado vai reagir.

            Esta situação é inédita de muitas formas – porque estas novas consolas são apresentadas de uma forma completamente diferente.

            Não são uma nova geração, são “a mesma”, correm os mesmos jogos. Pelo menos foi o que prometeram e poderá ser essa a realidade durante o próximo, ou próximos anos.

            Por isso, e dado que são construídas sobre a base existente, poderá não ser o mesmo que aconteceu na geração ps2, com a Xbox, desta vez porque não se trata de uma consola diferente, apenas de uma ps2 melhorzinha.

            Mas é insustentável no longo prazo.

            Gerações curtas? Consolas de 5 em 5 anos? Não me parece. Se a geração passada ensinou alguma coisa, foi que as pessoas gostam de gerações mais longas. Porquê, porque lhes cria uma enorme vontade de mudar. Assim se mantém o mercado saudável A PS3 demorou para arrancar e a PS2 demorou a morrer.

            E o mesmo se passará com a PS4.

            Não me parece que a PS4 Pro irá ter o sucesso que a 4 teve em 2013. Primeiro porque ainda há muito pouco que a justifique, segundo porque a PS4 também existe em versão mais barata.

            E pode ser isso que lhes meta o travão neste desvario sem precedentes.

            Toda esta geração a conversa tem sido sobre resoluções, fps, etc. Isso é algo que já começou a geração passada, na guerra 360 vs PS3, com os argumentos ao contrário, mas a verdade é que houve pessoas que embarcaram neste comboio tendo passado a geração passada à frente. E há muitos casos desses.

            E isso é algo que vai acontecer aqui. Forçosamente. Toda a gente está a contar com a potencia para vender as consolas. Mas não foi isso que as vendeu antes desta geração, como bem sabemos.

            Nesta geração toda a gente diz que o apoio que a PS4 teve se deve unicamente à potencia. Eu nunca achei isso. Acho que a Sony no final da geração passada criou para si mesma um estatuto. E as asneiras da Microsoft no inicio desta ajudaram a cimentar a plataforma.

            O 4k não se implementou e mesmo que se implemente, o HDR, que é o grande diferenciador ainda está num estado lastimável.

            Não me parece que a adoção seja grande. Não estou a ver as pessoas a quererem gastar 100€ a mais numa consolas por algo que pelo que ainda não têm e não se sentem compelidas a ter.

            Por outro lado, se a Sony largar a PS4 cedo demais, irá arriscar a fúria dos clientes atuais, e isso ela não pode de todo fazer.

            Por isso, não sei. Mas toda esta história de lançar uma consola nova em 2018… É algo que tem que ser pensado com muito cuidado. Eu acredito que esta moda de lançar as consolas cedo de mais irá morrer rápido.

          • Eu não sei… a realidade é que o sucesso da PS4 foi inesperado. Se bem te recordas, esta geração era indicada como fadada para o insucesso. Havia inúmeros estudos que diziam que esta seria a última geração de consolas pois os custos de produćão para ela eram insustentáveis, e que, como tal, ela seria um flop.
            Não só não foi isso que se viu, mas viu-se igualmente dezenas de coisas a acontecer que pareciam ditar a morte das consolas. E isso não aconteceu.
            Elas perderam o trunfo dos APIs de baixo nível, elas perderam o trunfo do hardware específico, elas perderam o trunfo de serem mais potentes que os PCs no seu lançamento, no caso Xbox perdeu o trunfo dos exclusivos, elas deixaram de ser um hardware único com inovações a meio da geração, com consolas mais potentes (Pro) e consolas com caracteristicas novas (Pro e S).
            Estas duas últimas medidas fragmentaram o mercado, mas este ainda vai fragmentar mais com o VR que a Sony vai lançar desde já e a Microsoft vai suportar para o ano.
            Se pensares bem, todas estas atitudes, mesmo sozinhas, deveriam já ter ditado a morte das consolas. Deveriam ter já afastado as pessoas.
            Mas o que vemos? Estamos todos aqui a mandar vir, a dizer que destruiram isto tudo, a criticar a torto e a direito. Mas ainda a comprar jogos para as consolas e a discutir sobre se as proximas consolas serão ou não interessantes.
            E isto porque?
            Porque como a Pro veio demonstrar, mesmo sem todos esses trunfos continuam a existir outros. E eles são o suporte, a optimização e… acima de tudo… o preço!
            A Pro é capaz de 4K. Não é nativo, mas engana muito bem pois anda lá muito perto (vê o artigo de hoje). E custa 400 euros!
            Estás chateado com tudo isto? Queres fugir para o PC?
            Ok… vai… e paga 1200 euros por uma máquina que te faz 4K!
            Olha o Forza Horizon 3. Viste os requisitos para PC?
            I7 (não me recorda o modelo) e uma GTX 970 ou uma 1060 do lado da Nvida. Só nas placas está um susto superior a trocares a consola para a Pro. E apesar de um hardware muitissimo inferior, mas muito optimizado, nas consolas não vais ter jogos cheios de bugs e com problemas como tens tido no PC.
            Nota que eu quero mudar para o PC. Eu tenho máquina para isso pelo que o investimento já estava feito, mas não posso fechar os olhos a estas realidades do custo proibitivo do hardware e da falta de cuidado na programação.
            As marcas sabem isso e parece-me que apostam nisso para manter as pessoas. Uma consola 24 Tflops a 500 euros é cara… mas quanto custará o mesmo no PC. Ou melhor, vendo a pedir-se uma GTX 1060 para correr jogos de uma gráfica de 1,31 Tflops, quanto custará a gráfica de 48 Tflops que correria o jogo de 24 da consola.
            Eu concordo com o que referes, assim como sei que concordas com o que digo. Mas temos é visões e perspectivas diferentes sobre o futuro. Tu ainda acreditas que o consumidor importa, e que compensa manter a ideologia do modelo antigo, ao passo que eu já acho que isso passou à história, e olho para a Pro como a prova disso mesmo.
            Espero que esteja errado…

        • Da última vez que a Sony seguiu essa receita deu barraco. Não me parece que se arrisque a lançar uma PS5 muito cara, ou arrisca-se de novo.

          Sinceramente, não fossem estes upgrades mid-generation, os quais pelos vistos se estão a comprovar não suficientes, acho que o que isto demonstra e´que pelo menos até 2020/2021 não haverá hardware que seja capaz de uma nova geração (sim, porque apesar dos GPUs discretos sairem antes, ainda falta para que possam ser introduzidos em APUs e acho que o uso de um APU é ponto assente).

          Outra coisa que me preocupa é saber que essencialmente o hardware será mais do mesmo, dado que muito provavelmente estaremos perante mais GCN.

          • Bruno, eu disse salto absurdo no sentido da melhora na qualidade gráfica, que é o que eu achei que faltou um pouco nessa geração.
            Não quis dizer absurdo no sentido de inaceitável, eu quis dizer absurdo no sentido de incrível.

            Agora eu acho que você tem razão sobre os 7 ou 8 anos dessa geração. Eu achava que não tinha quando dizia que seria o PS4 nesse tempo todo, e sempre te rebatia que os consoles eram fracos e viria uma nova geração em 2018.
            Agora os consoles mid-gen podem dar um combustível para estender essa geração até 2021, garantindo os 8 anos, até lá, eu penso que as pessoas não vão estar preocupadas se os jogos forem todos prestados em resoluções menores utilizando modernas técnicas de reconstrução de imagem que tem resultados próximos da resolução nativa.
            Eu só espero que se for assim, que a próxima geração não precise de consoles mid-gen. Não é difícil presumir que o PS4 Pro e o Xbox Scorpio venderão essencialmente para consumidores que já possuem o One e o PS4, o que significa que muitos terão gastado 800 dólares em 3 anos para jogar a mesma geração.

          • Mas Bruno e Fernando,me respondam por favor esta pergunta(se possível)se ao lançarem jogos para o PS4,PS4 Pro.Xbox One e Scorppio e caso as produtoras lancem jogos em mid nos consoles PS4 e Xbox One e ultra no PS4 Pro e Scórpio,com jogos a 1080P a 60 frames nestes consoles e 720p a 40frames nos consoles de menor potência,como ficará a jogabilidade caso haja confronto On.Pela resolução já se perde algo e nos frames também.Agora como fica a estrutura de ambos coexistirem.Isso não existe pois a experiência de um não será a experiência do outro.

          • A resolução pode sofer… mas os fotogramas não. Isso são regras basicas de equilibrio.
            Mas o que se espera é que se continue a forçar os 1080p na base e melhorando para cima em vez de se criar para cima e cortar na base.
            No entanto, isso pode vir a ser dificil e o que dizes a nível de cortes na resolução, mais cedo ou mais tarde pode vir a acontecer.

          • Luciano S. Carvalho 23 de Setembro de 2016 @ 15:43

            Jamais um console com 24 Tflops custará somente 500 euros. Ainda mais com muito mais memória, CPU mais rápida e um HD bem maior. A Sony teria que arcar com um prejuízo considerável em cada console vendido, e todos sabemos que ela não está em condições para isso. O preço será proibitivo.

          • Há uns anos atrás ter 6 Tflops por 250 euros era considerado impossível. A Titan com 5 Tflops rondava os 1200 euros.
            Hoje temos as RX 480.
            O custo de um chip é muito baseado na sua dimensão e na quantidade de silício usado. As 480 conseguem esse preço à custa da redução de 28 nm para 14, o que ajuda igualmente nos consumos energéticos. Passar para 7 nm pode conseguir igualmente reduções no custo que tornem o produto atractivo.

    • Não sei Fernando, acho que o lançamento de consoles na mesma época acabou nessa geração, principalmente devido o PS4 Pro e Scorpio.

      O Scorpio, que considero uma nova geração, como todos sabemos será lançado até o final de 2017. Sony como resposta anunciará um PS5, nós gamers apostamos que seja lançado em 2020, mas como a Sony atualmente não está de ouvidos pode ser que lance o produto em 2018 ou 2019, aí vai ficar nessa:

      Xbox: 2017, 2021, 2025… (Isso se ela continuar com o período de 4 em 4 anos)
      PS: 2018, 2023, 2028…. (Como o Pro não é uma nova geração, a previsão do período de lançamento será de 5 anos).

      São só rumores pois somente saberemos como ficará o conceito console quando o Scorpio for lançado, pois ainda há o rumor de o mesmo ser um console com upgrade e se assim for o que coloquei como períodos de lançamento Xbox vão por água abaixo.

      • A entrevista do Albert Penello para a Digital Foundry, me deu a certeza de que o Xbox Scorpio não é uma próxima geração e na verdade é a mesma coisa que o PS4 Pro, com a diferença de que a Microsoft esperou para ter um hardware minimamente capaz de atingir 4K, enquanto a Sony foi apressada para ter o produto mais rápido no mercado. A diferença entre eles não será tão grande, provavelmente será a mesma quantidade de memória sendo a diferença apenas melhor CPU e GPU, que podem efetivamente chegar a 4K.
        Se juntar as peças com essa declaração do Phil Spencer:

        https://twitter.com/XboxP3/status/766298475742932993?ref_src=twsrc%5Etfw

        Ele diz que já estão pensando no próximo passo após Xbox Scorpio, que eu entendo como Xbox Two.
        Aí existe outro porém, para a Microsoft vender um produto sem lucro ou com uma perda financeira pequena pode ser amortizado quando vai entrar dinheiro na empresa de todos os outros lados, ao contrário da Sony, onde prejuízos devem ser zero no Playstation pois é a fonte de renda da empresa. Sendo assim, eles precisam ganhar dinheiro com o PS4 Pro primeiro, para depois vir com PS5, e só isso para mim já excluiria qualquer possibilidade de console até 2019.
        Agora para pra pensar em uma coisa e ve se faz sentido, as pessoas estão sonhando com o retorno triunfal do Playstation com o PS5 antes mesmo do lançamento do PS4 Pro, e o Scorpio que a Microsoft está dizendo que não aposenta o Xbox One, as pessoas tratam como a entradaem uma nova geração. A realidade por trás disso é bem mais simples mas difícil de aceitar, são dois consoles de meio de geração, com diferença de que o time de engenharia da Microsoft foi mais competente.
        Se a Microsoft deve respeitar um intervalo de 4 anos, a Sony deve respeitar um de 3 anos, e se tem um PS5 em 2019 que destrói o Xbox Scorpio, tem um Xbox Two em 2020 que supera o PS5. Mas a guerra de marketing pode ser prejudicial a ponto do cliente não saber o que será melhor para comprar num mundo dominado por Fifa e Call Of Duty.

        • Competente???
          Não há aqui competências. Há timmings! A Sony lançou primeiro e nesta fase 4.2 é o máximo que consegue. A Microsoft lança daqui a um ano, e claro, com a evolução do hardware, lança melhor!
          A questão aqui é que a Sony pensou a coisa de outra maneira. A PS4 está a vender bem, a One está a vender menos bem. Se lançarmos primeiro, aproveitamos o lanço da PS4 e esmagamos a Xbox. Daí que o mercado será maioritáriamente Playstation em 2017. E com consolas a cada 2 anos, as pessoas vão ter de optar pois poucos conseguirão manter as duas. Se o mercado for Playstation em 2017 a probabilidade de essa pessoas ficarem na Playstation é bem maior do que se esperar uma reversão.
          É esse o motivo porque a Microsoft não se cala com a Scorpio. Ela tem de fazer o que puder para impedir que o mercado afunde.
          Afinal, não havendo preferências pelos exclusivos, por uma diferença de 50 euros entre uma One S e uma PS4 Pro 3x mais potente, qual a dúvida na escolha?

          De resto a Sony não tem de esperar 3 anos. A PS4 Pro não é uma nova consola. É uma PS4! Daí que a Sony tem de respeitar um espeço de lançamentos de pelo menos 5 anos, mesmo que isso só signifique 2 para a Pro. Mas seja como for, uma PS5 não significa a morte da PS4 que pode continuar activa e com suporte em paralelo com a PS5.

          Não é que muito do que digo me agrade, mas tenho de pensar na realidade. As empresas estão-se a lixar para o que eu quero ou acho!

          • Eu como consumidor, fugiria de uma marca que lança 3 consoles em 5 ou 6 anos, assim como eu fujo de qualquer produto da Apple.
            Mas a Apple tem uma grande cota de mercado, porém, consoles não são smartphones e ainda não são PCs. Os consumidores tem um limite quanto a novos modelos de console vendidos regularmente. A Sega se ferrou indo por esse caminho nos anos 90. Com um PS5 em 2018, quantas pessoas não vão esperar para ver se não existirá um PS5 Pro em 2020?
            A Sony tem mais a perder num modelo de negócios assim. Quando as pessoas enjoarem, elas podem ir em massa para o PC, inclusive adquirir máquinas pré montadas de empresas diversas, como Dell, HP ou Lenovo que tem linhas de produtos vendidas como “máquinas gamers”.
            As pessoas que migrarem para o PC ainda tem acesso à jogos Microsoft, mas não tem acesso ao Playstation a não ser que o PS Now cresça.
            Ainda nessa linha de raciocínio, se o suporte ao PS4 continua após o PS5, esse último na verdade seria um PS4 Pro 2 disfarçado de nova geração, caso contrário, seria muito custoso e complexo para estúdios apoiarem máquinas de gerações e filosofias diferentes com conteúdo suficiente.
            Se serão lançados consoles a cada 2 anos, o modelo viável é o fim das gerações como propõem a Microsoft, e esse é o único modelo possível para essa visão.
            Não faz nenhum sentido separar gerações se haverá novos consoles toda hora.

        • Na visão da MS o Scorpio é de mesma geração até porque ela se posiciona a favor do fim das gerações.

          O que não encaixa é você ter um produto de 1.32Tf e outro de 6Tf e ainda serem de mesma geração. Scorpion terá uma potência de 454,54% a mais que o One Original só para rodar jogos a 4K?

          Você não acha que vai chegar uma hora que o Scorpio terá exclusivos devido a essa diferença de TFlops? No VR os jogos serão exclusivos Scorpio e para mim isso já se classifica como uma nova geração, pois já que são de mesma geração por qual motivo o VR não pode ser utilizado no One Original?

          Mas é como te respondi anteriormente, a MS diz que é de mesma geração(ou que não existe mais isso) para não se queimar perante a sua base, pois irá lançar um novo console 4.5v mais potente que o anterior com somente 4 anos de vida, cuja previsão era que durasse 10 anos.

          Não entendi a sua conta que a Sony deve respeitar a janela de 3 anos, como se a geração começasse agora com o Pro, que embora seja 2.3x mais potente que o modelo original até agora se mostra de mesma geração com a compatibilidade de jogos e periféricos.

          Essa sensação retorno triunfal está em ambos os lados, ou você não acha que os fãs do lado verde da força não estão felizes por o Scorpio ser mais potente que o Pro? Foi a mesma coisa que o lado azul da força sentiu quando o PS4 foi anunciado com melhores especificações que o One. Assim será pelo resto das futuras gerações.

          • O que eu disse é que tem gente sonhando com um PS5 quando nem existe PS4 Pro no mercado ainda e você colocou que a Microsoft esperaria 4 anos após o Scorpio para lançar um novo console, e se isso for uma regra, a Sony também esperaria 3 anos.
            Sobre o Scorpio ser 4.5 vezes mais potente, isso é relativo. O mercado ve o PS4 como o exemplo ideal do que é essa geração, já que o Xbox One roda em 900p os jogos que o PS4 roda em 1080p. Sendo assim, eu creio que a comparação para justificar um salto geracional seria sobre o console mais forte, e não sobre o mais fraco. Assim, o scorpio é 3,26x mais forte que o padrão dessa geração, o que não o justifica como uma nova geração.

          • Ainda não concordo com os seus 3 anos porque a dita nova geração do PS poderá ser lançada em 2019 ou seja 6 anos após o início dessa geração, não após somente 3.

            Sobre o PS4 Pro ele existe sim, o console já foi mostrado e as especificações e data de lançamento divulgadoa, por isso que alguns já sonham com o PS5, nem preciso dizer sobre o Scorpio.

            O que sempre reclamo aqui são as comparações feitas para tentar defender uma ideia. Para mim o que define uma nova geração é quando a empresa lança um console mais poderoso que seu antecessor e que suas funcionalidades sejam em partes exclusivas, além de nos “forçar” a usar uma nova tecnologia. No 4 Pro as coisas mudam um pouco, o hardware é 2.3x mais potente que o último lançado mas ainda mantém a compatibilidade de jogos e periféricos com o antecessor(PS4 original) por exemplo o VR.

            Já o Scorpio é mais potente que o hardware anterior, vai ter produto exclusivo e ainda vai te “forçar”(claro que vc não é obrigado) a utilizar a nova tecnologia que é o 4K, mas para tentar justificar que é da mesma geração faz a comparação de FLOPS do hardware antecessor da concorrente, que é mais potente.

            Essa questão dos FLOPS sempre existiu, sempre era informado ao lançar um novo console e sempre era maior que o do hardware antecessor, mas só agora virou quesito para definir se ainda continua na mesma geração ou se é uma nova.

          • Você não concorda por que tem na sua mente a ideia de que o Xbox Scorpio é uma nova geração mas o PS4 Pro ainda é o PS4.
            Errado, os dois são a mesma coisa, isso é o que a Microsoft diz oficialmente e é o que a Sony diz oficialmente. Não importa se o Scorpio é mais poderoso.
            Uma nova geração não é definida apenas pelos produtos que a própria empresa coloca no mercado, e sim pelo mercado em geral. A potencia do PS4 é considerada a referência dessa geração e o Xbox One uma máquina mais fraca que tem que recorrer a menor resolução. O Scorpio não é uma nova geração perante o PS4, e é isso que conta.
            O Scorpio é a referência de um bom console de meio de geração e o PS4 Pro é o console mais fraco que tem que recorrer à truques para disfarçar a menor resolução.
            O que ocorre é uma inversão de papéis tecnológicos, mas estamos dentro da mesma geração. No momento em que tiver um PS5 no mercado, haverá também um Xbox 2.

          • E assim continuo achando, Scorpio é uma nova geração.

            Não sou eu que digo que o Pro é ainda um PS4, são vários artigos que assim o confirmam. O Pro ainda preserva parte da arquitetura de hardware, por exemplo possui a mesma CPU com diferença apenas no clock.

            Mas o Scorpio será um hardware totalmente novo, com uma nova arquitetura e mesmo assim será de mesma geração?

          • Sim, será, é a mesma geração, o mesmo console, os mesmos jogos. Ele é a mesma coisa que o PS4 Pro, a mesma filosofia, a diferença é que a Microsoft levou mais a sério a ideia de oferecer a possibilidade de 4K. A Sony fez um console que é melhor que o PS4 mas não vai atender de verdade quem quer jogar em 4K.

            Se for para analisar o Scorpio como um console fútil que apenas acrescenta mais poder, aí sim ele seria uma nova geração. Mas se analisar o Scorpio como o console que vai entregar a experiência Xbox One em 4K, que é a fala oficial da Microsoft, então ele é mesma geração.
            Fora o comunicado oficial das empresas, tudo que existe é especulação. O Scorpio ser uma nova geração ou a existência de um PS5 é pura especulação.

  5. Teorizar isso é algo que é a mesma coisa que dar tiro no “ Escuro”
    Estamos a colocar o mesmo patamar a Pro e a Scorpion.
    No meu ponto de vista a MS não esta preocupada como possível lançamento de uma PS5 visto planejamento e dinheiro para isso leva se tempo.
    No que adianta lançarem consoles como celulares se a indústria de games para produzir jogos com grafismo /Jogabilidad etc leva se muito tempo.
    Valido supor que a Sony quer e precisa dar uma reposta de um console mais potente venha fazer isso e lance um console com tais especificações no meu ponto de vista o que adiantou ganhar gordura com pS4 e investir numa Pro e perder dinheiro com (Producao /Marketing e afins)
    Enfim isto e minha opinião de uma leiga no assunto, porem acho prematuro dizer que a Sony vira com uma consola em pouco tempo que ira destruir a MS .
    Mias enfim boatos assim estiga a concorrência e os fans das marcas que hoje em dia nem se preucupam com jogos e sim com esta guerra de quem é mais forte.
    Jogo que é bom nada .

    • Se for instalado a filosofia de console a cada 2 anos, esqueça os jogos. As empresas estarão perdendo mais tempo projetando o próximo hardware e os únicos desenvolvedores que sobreviverão são aqueles que já tem um IP consolidado no mercado e trabalharão em sequencias para sempre. Novos games serão apenas jogos de baixo investimento e novos IP como Scalebound, Quantum Break ou Horizon Zero Dawn que ficam de 3 a 4 anos em desenvolvimento vão ser raríssimos, afinal, não se pode começar um jogo para o PS5, e no dia do lançamento, tem que ter uma versão PS6 por que já deu tempo de lançar até o PS5 Pro no meio do desenvolvimento, até por que pega mal lançar e não ter um patch pro console mais forte…
      Imagina o quão contentes estão os desenvolvedores de The Last Guardian que prometeram um jogo no PS3 e na verdade ele terá que estar no PS4 Pro com um patch de melhorias, até por que a Sony não vai permitir que um estúdio first party não apoie diretamente o seu mais novo produto.

  6. Mário , a microsoft investiu 3 bilhões no soc do xbox one, ela também disse que investiu 1 bilhão em exclusivos e também tem os outros custos . . .

    As vendas do xbox one foram muito inferiores ao do ps4 , muitos jogos exclusivos do xone venderam pouco , se a microsoft tiver poucas vendas de novo com o scorpio , você acha que vai valer a pena pra microsoft continuar no mercado de jogos? Ela tem lucros com o one?

    • É dificil dizer pois a Microsoft não é clara nos números. A divisão que contêm a Xbox Oneengloba nas contabilidades as vendas de periféricos PC e os surfaces.
      No entanto no que toca à Microsoft é preciso ver a coisa numa perspectiva mais ampla.
      É que o negocio da Microsoft não são as consolas, é o Windows, e esse dá lucros. Aliás é ele que dá os grandes lucros.
      A Xbox está neste momento a servir de promoção ao Windows e a servir para instalar uma base de utilizadores no Windows. Daí que ter prejuizos na Xbox pode não significar muito para a empresa se tal ajudar o Windows a se implementar.

  7. Luciano S. Carvalho 22 de Setembro de 2016 @ 15:30

    Realmente, parece que ficou mais fácil lançar novos consoles do que jogos, vide a Sony esse ano.
    Se continuar assim o PS5 terá quantos jogos de grande produção durante a sua vida?
    Até onde sei hardware não dá lucro e jogos principalmente AAA levam muito tempo para ficarem prontos, anos para serem lançados.
    Esse tipo de negócio que está se desenhando não se sustenta.

    • 5 anos é perfeitamente normal numa geração. Daí que se a PS5 sair em 2018, nada de anormal ocorreu aqui.
      Podes é dizer que a PS4 Pro teve pouco tempo de vida, mas a realidade é que a PS4 Pro é, como sempre foi claro, uma PS4. É apenas uma PS4 melhorada, mas uma PS4. Para além do mais, uma PS5 não significa a morte da PS4 que pode continuar a receber suporte por muitos mais anos.

      • Não consigo pensar desta maneira,pois se tenho um hardware com 1.8Tflops e lanço um com 4,5Tflops com uma GPU mais potente e uma CPU clockada,para mim consumidor não se trata do mesmo produto ao qual Ex:se tenho um celular Sony com camera de 20mp quadcore e lanço um novo aparelho com 40mp exacore aonde que se enquadra como mesmo produto.

        • A definição de geração tal como a conhecias, acabou!
          Antes, nova geração era sinônimo de novo hardware. Mas agora não!
          Agora a nova geração define-se pela presença, ou não, de exclusivos.
          A Pro é uma PS4 pois vai correr os mesmos jogos, melhorados, mas sem direito a exclusivos.
          Uma PS5 teria direito a jogos que mais nenhuma tem.

  8. Luciano S. Carvalho 22 de Setembro de 2016 @ 15:46

    Estão todos dando um tiro no pé, as fabricantes de consoles e as desenvolvedoras de jogos que a toda hora tem um CEO dando declarações que estão entusiasmados com esses novos consoles.
    Quero ver como vão conseguir lançar jogos para esses consoles antes que sejam lançados novos consoles.
    Ou houve uma grande revolução em todo o processo de como se fazer jogos ou estão todos totalmente alienados a realidade, tipo tacaram o foda-se e vamos ver o que acontece.
    Estão todos abraçados e cantarolando alegremente rumo ao precipício.

  9. Cara eu achei tudo muito bonito,legal para nós consumidores, mas vc acha que sony vai lançar um console tão potente num espaço de tempo tão curto para seu público? Eu imagino que não essa potência toda ai vai vir a conta gota de dois em dois ou três em três anos. Não acredito que a Sony vá lançar um produto com tanta potência num espaço de tempo tão curto, eles vão e fracionar esse poder em vários consoles aposto o que vocês quiserem.

    • Luciano S. Carvalho 22 de Setembro de 2016 @ 16:18

      Com tudo o que está acontecendo de estranho, do jeito que o mundo dos consoles virou de cabeça pra baixo, não aposto em mais nada.

  10. “Acho que há muitas lacunas na informação que estão a dar aos seus jogadores sobre o 4K. Há muitos asteriscos no seu marketing sobre o 4K, o que é muito interessante porque quando falamos do que queremos para a Scorpio, temos vindo a ser muito claros para os produtores que poderão renderizar os seus jogos a 4K nativos,” contou Albert Penello.

    É bom o Scorpio fazer o que promete, porque senão a sony vai vir matando no pós marketing.

    O que era pra ser o foco já não é….

    • Partindo do ponto que nenhum jogo da geração atual será 4K de verdade no Pro, o marketing desse console realmente tem asteriscos. Mas a questão é a seguinte, se os desenvolvedores acharem que na verdade devem fazer jogos em 1080p 60fps no Pro em vez de buscar o 4K fake, o que os impedirá de tomar a mesma decisão no Scorpio, ou utilizar um 4K fake para não perder qualidade gráfica?

      A partir do momento que a MS diz que desenvolvedores serão livres para utilizar da forma que quiserem, e a Sony também permite 1080p no Pro, eu penso que 4K será só em jogos da própria Microsoft, e talvez seja opcional ao usuário. Com essa política flexível, isso é a única coisa que eles podem garantir, que da parte deles terá jogos AAA 4K nativos.

      Mesmo se um jogo tem dois modos, um 4K nativo com gráficos um pouco reduzidos e outro 1080p com tudo no máximo, coisa um pouco semelhante ao Tomb Raider do Pro, eles ainda terão cumprido o que disseram.

  11. Nao duvido que a Sony venha a lançar o ps5 em 2018, por dois simples motivos: primeiro: somaria 5 anos de geraçao ( ps4 em 2013/ ps5 em 2018), segundo:, A Sony nao deve dar sopa para o azar, deixando um console mais poderoso como o scorpio, reinando tranquilamente assim, em uma geraçao de jogadores mimados que claramente andam a comprar consoles muito mais por specs robustas do que propriamente por jogos, pois gostar de tecnologia é uma coisa, mas ser refém deste estupro que essas empresas andam fazendo é inaceitável… E fazem pq infelizmente muitos aderem a isto. Me desculpem, mas ainda nao engoli isto de consoles no meio de geraçao.

    • Sinceramente eu neste momento olho para a coisa assim:
      -A mim não me afetam pois não vou trocar. Daí que uma PS5 em 2018 é normal
      – A PS4 Pro é uma PS4. Tal como quem compra uma consola qualquer perto do lançamento de outra, ela tem menos vida útil. E 5 anos num ciclo é normal.
      – Quem optou pela Pro, não se pode queixar. Pagou mais, mas teve mais. Se dura menos… optassem pela slim.

  12. 24 tflops . . . Se isso for verdade , a próxima geração vai ser tudo que essa não foi . Mário , apesar de 2018 já vai ser possível ter os 24 tflops e também vai ser viável em consumo energético ,mas vocês estão esquecendo é do preço . . .

  13. Seria um erro a Sony querer responder ao Scorpion com uma PS5 já em 2018.Temos que entender que o Scorpion é uma resposta ao PS4 PRO,sendo assim a Sony assumi a responsabilidade de ter largado na frente,e tendo essa vantagem também assumi o risco de não ter o console mais tecnicamente avançado.Sempre foi assim! Com o Dreamcast,com o PS2 em comparação aos consoles que vieram depois…

    E qual deve ser a resposta da Sony ao Scorpion?Melhor preço e aquilo que realmente interessa e sempre foi essencia do mercado que são os “jogos” muitos jogos, e exclusivos…

    Se a idéia é fortalecer o ecossistema de uma marca,serviços exclusivos devem ser essenciais nesse modelo que Sony e MS adotaram..

    Não é possível que o principal vai faltar,mas uma linha grande de consoles vai chegar em pouco tempo em resposta um do outro…isso não tem cabimento!Alguém tem que ceder…oras a Sony já tem a vantagem de largar na frente,e talvez buscar um preço muito melhor quando o Scorpion for lançado,então deixa a vantagem tecnologica para o Scorpion que vem depois..começa a fazer o que foi feito com o PS2 e PS3 onde ela perdia na maioria dos mults mas compensava com a PSN+ e seus exclusivos…é isso que o público quer..

    A vantagem do PS4 frente ao Xone não foi só nas especificações,porque o PS4 tinha também o melhor preço,o OS mais rápido,e em conjunto disso os tropeços da MS…

    Então o pessoal acha que somente a resolução fez o PS4 vender muito mais…não ele teve também preço..assim o PS4 PRO sendo mais fraco também vai ter seu preço….A questão do Xone é que ele não conseguia acompanhar o custo beneficio do PS4 por decisões equivocadas e perdia em quase tudo.

    Sony tem que mostrar a força da marca com jogos e serviços.Já vai lançar o equipamento que é possível atualmente,então deixa a MS fazer sua parte com o Scorpion que é a única vantagem que a MS pode marketear no momento.

    2020 seria o momento idéal de um PS5 com novas soluções tecnologicas, para realmente poder trazer um verdadeiro salto de geração,com produtos exclusivos e que não fiquem presos a jogos Cross-gen.

    • Eu não vejo as coisas assim. Mas espero estar enganado.
      Eu acho que a Sony lançou primeiro para poder igualmente lançar a PS5 primeiro.
      E fê-lo porque o salto que se prevê existir em 2017/2018 dificilmente voltará a acontecer pois ele deve-se a uma mudança de processo de fabrico para 7 nm, e atualmente ninguem produz a menos de 7 nm.
      Daí que a Sony terá visto uma oportunidade pouco comum e resolveu avançar.
      Mas isto que refiro não é uma certeza. É baseado nos dados da AMD, e tem as suas lógicas. Esperar por 2020 seria aguentar 3 anos com uma consola menos potente que degradaria a imagem que a PS4 conseguiu ao bater recordes de venda. Por muito que tente, perante a realidade financeira da Sony, esse é um cenário que não consigo conceber. E não o concebo porque a empresa atualmente não tem arcaboiço financeiro para tal.
      Mas reafirmo. É apenas um raciocionio. Quem sabe, mesmo perante uma Scorpio a Pro continua a vender bem?
      Mas aí questiono!
      Se com a Pro a Sony consegue ter no mercado uma solução esmagadora a nível de performances que deverá esganar a concorrência, mas que hostilizou muita da sua base de fans, valeria realmente a pena fazer isso se esta lançamento não estivesse enquadrado num plano de muito mais longo prazo para tentativa de manter quotas de mercado?
      Oh pá, se calhar sou eu a imaginar coisas. Se calhar estou a ver coisas onde não existem. Até aceito isso.
      Mas que o que refiro parece ter coerencia em todos os aspectos… parece. Até porque se não parecesse eu não o diria!

  14. https://www.skhynix.com/resource/images/eng/product/hbm_02.jpg

    Essa empresa aqui é de alguma coisa relacionada com a tecnologia hbm e na aba hdm diz game console

  15. Mário , se for realmente 24 tflops , será o maior salto da história né?

    • Não sei se é 24… Mas eu só vejo necessidade de lançar em 2018 se for 24. Caso não seja, mais vale aguardar pois os 24 estarão à porta!
      Seja como for, não se sabe ao certo se será 24 Tflops, pois esse é um valor estimado! No entanto se a Vega 10 apresenta 12 Tflops com 512 GB/s de largura de banda, a Vega 10 Dual oferece 24 com 1 TB/s.
      Daí que seja de se estimar que a Vega 20 ao referir 1 TB/s de largura de banda, seja nada mais, nada menos, do que uma Vega 10 Dual a 7 nm. Uma placa criada especificamente para diminuir o consumo da Vega 10 Dual para metade (passando dos 14 nm para os 7 nm), levando-o paraos 150 watts, de forma a que ela seja uma oferta para consolas.

      Basicamente os dados da AMD parecem apontar para que esta placa venha para uma consola! Até porque duvido que ela crie tão cedo placas para PC a 7 nm quando acabou de saltar dos 28 para os 14.
      Quanto ao salto, a PS3 tinha 6.2 Gflops, a PS3 tinha só na RSX, e não contando com o Cell (e podias somar pois o Cell podia fazer trabalho gráfico), 248 Gflops!
      Isto foi um salto de 40x!

      Se a PS5 vier com 24 Tflops é um salto de 13x face à PS4 e de 5,71 face à Pro. Não é o maior da história!

      PS: O facto de a Microsoft vir dizer que se os programadores quiserem fazer jogos a 1080p na Scorpio podem, vem mostrar que estamos perante uma nova geração. Uma nova geração não se define pelo salto de performance, mas sim pela existência de exclusivos. E um jogo 1080p seria impossível de acompanhar pela Xbox One, logo é uma nova geração.
      Daí que esse é mais um motivo para a Sony lançar uma PS5… porque na realidade, ficará uma geração atrás da Microsoft.

Os comentarios estao fechados.